12ª Mostra Cinema de Direitos Humanos (MCDH) chega às escolas

A 12ª Mostra Cinema de Direitos Humanos (MCDH) está na reta final, foram mais de 400 pessoas, entre estudantes, professores e sociedade civil que assistiram aos filmes deste o dia 26 de novembro, na abertura da Mostra, que continua até o dia 10, com exibição em escolas da Rede Pública do Estado.

O evento comemora os 70 anos da Declaração dos Direitos Humanos, celebrado no dia 10 de dezembro, e está acontecendo em todas as capitais brasileiras. No Amapá, a MCDH é encabeçada pelos produtores do audiovisual, Ana Vidigal e Thomé Azevedo.

A mostra busca sensibilizar, questionar e debater temas como diversidade, direitos humanos, povos negros, indígenas, pessoas com limitações, direitos dos idosos, da mulher, à saúde, educação, diversidade religiosa e meio ambiente. Cerca de 40 filmes divididos em quatro temáticas, para atender todos os públicos, Temática, Panorama e Homenagem, que nesta edição é dedicada ao ator brasileiro Milton Gonçalves. Nesta edição de 2018, as crianças também ganharam a Mostrinha, com filmes só para elas.

A primeira semana ocorreu nos prédios do MP-AP Centro e Araxá, e esta semana estão sendo exibidos nas escolas públicas, Barão do Rio Branco, Sebastiana Lenir e Igarapé do Lago, além de uma sessão especial no Centro à Pessoa com Deficiência. A estudante Liliane Pereira, de 15 anos, do 9º ano da escola Barão do Rio Branco, gostou muito da Mostra e destacou o quanto o filme “Menina de Barro” pode combater o bullying na escola. “Como vemos no filme, a pessoa que comete o bullying acha que está fazendo uma brincadeira, mas não vê como isso pode magoar e afetar quem sofre, que pode levar a depressão, até mesmo ao suicídio. Quando eu era pequena eu já passei por isso, me apelidavam e eu não gostava. O bullying machuca muito”.

A produtora e gerente do Núcleo de Produção Digital, Ana Vidigal ressalta que essa é a primeira vez que a Mostra é levada para as escolas, e informou que em 2019 os filmes da Mostra irão percorrer várias escolas no Amapá, pois os filmes estão licenciados para a exibição, e que as instituições de ensino que estejam interessadas podem solicitar o agendamento. “A Mostra é um elo entre produções cinematográficas e conscientização, e a educação é uma ponte para isso, acredito que a escola é fundamental para desenvolver a temática dos Direitos Humanos, além de despertar o interesse nos alunos pela sétima arte”.

A Mostra conta com a parceria do Governo do Estado, Ministério Público do Amapá, Secretarias de Educação e Cultura, Núcleo de Produção Digital Equinócio, Museu da Imagem e do Som, Nagib Produções, Programa Canto da Amazônia, Sistema Diário de Comunicação e Blog de Rocha.

Assessoria de comunicação da 12ª MCDH

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *