237 anos de cultura e fé atraem milhares de visitantes à Vila de Mazagão Velho


O dia 25 de julho amanheceu em festa na Vila de Mazagão Velho, distante cerca de 70 quilômetros da capital, Macapá. A data reuniu milhares de fiéis e visitantes interessados em conhecer e participar da programação, que teve como ponto alto a batalha entre mouros e cristãos, encenada a céu aberto pela comunidade.

As comemorações do Dia de São Tiago iniciaram logo cedo com alvorada festiva, arauto com cavalgada pela vila em um sinal de convite para participar do tradicional Círio. Após a missa, autoridades saíram pelas ruas em uma procissão, acompanhadas de devotos e levando as imagens religiosas como a de São Tiago e de São Jorge. Pela manhã já era possível avistar personagens da batalha de São Tiago desfilando pelas vias do distrito.

Ao meio-dia, a frente da Igreja Nossa Senhora da Assunção se transformou em um verdadeiro teatro de arena. A passagem do Bobo Velho dava início ao grande espetáculo do dia de 25 de julho. O espião enviado pelo exército mouro, em mais uma tentativa frustrada contra os cristãos, reuniu milhares de pessoas para atirar os bagaços de laranja no personagem, em uma reprodução do apedrejamento desse espião.

Quem participou da encenação disse que, além de conhecer um pouco mais sobre a história da festa, se divertiu com a cena, que acaba virando uma brincadeira, principalmente para as crianças.

André Benjamim explicou que já interpreta o personagem Bobo Velho há quatro anos em agradecimento às graças alcançadas. Filho de família mazaganense, ele fez questão de participar da festa, como sempre ocorreu desde pequeno. “Mesmo doente, estou aqui, porque essa festa faz parte da história do meu povo”, comentou.

O clima quente que tomou conta da Vila de Mazagão não afastou o público. Arquibancadas e calçadas lotadas, fiéis em frente às suas residências atentos à continuidade do espetáculo.

O roteiro seguiu com o Arauto, que anunciou nas ruas o início da batalha. Após a descoberta e o apedrejamento do espião mouro, os soldados cristãos infiltram um espião da tropa (Atalaia) no exército inimigo, que, em meio à distração dos soldados, aproveitou o momento para roubar a bandeira moura e sair em disparada com destino ao exército cristão.

Em meio à fuga, o Atalaia foi descoberto pelos mouros, que o atingiram com um tiro na tentativa de capturá- lo. Mesmo ferido e ainda em fuga, o espião conseguiu se aproximar o suficiente do exército cristão, para onde atira o estandarte inimigo, sendo capturado e decapitado logo em seguida.

Entre um intervalo e outro dos episódios, o macapaense Sebastião Pereira aproveitou para fazer uma prece em honra à graça recebida de São Tiago. “Acompanho todos os anos a festividade, mas este ano vim especialmente para pagar uma promessa”, disse o devoto.

As cenas continuaram com o roubo das crianças e a ordem do “Menino Caldeirinha”, para captura e a venda das crianças cristãs com o intuito de arrecadar dinheiro para a compra de armas e munição para o fortalecimento do exército mouro.

Mesmo em meio à chuva que caiu no fim da tarde, o público não deixou de assistir ao espetáculo, que se encerrou com a batalha e a vitória cristã, momento em que o soldado Tiago, guerreiro da tropa, após várias lutas, pediu a Deus a bênção da vitória do povo cristão sobre os mouros e, aos poucos, vai conseguindo alcançar a graça com a morte de alguns soldados mouros e a captura do Menino Caldeirinha, dando fim à grande batalha. Em comemoração à vitória, os cavaleiros fazem a dança do vominê.

A tradição segue nos próximos dias com a Festa de São Tiago das Crianças, onde o mesmo espetáculo é reproduzido pelos pequenos moradores da Vila de Mazagão. A batalha de São Tiago das crianças ocorre no próximo dia 28.

Texto: Andreza Sanches
Fotos: Ceito Souza
Assessoria de Comunicação do GEA
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*