4ª Conferência Estadual de Cultura elege delegados que vão representar o Amapá na convenção nacional

Após dois dias de debates, a 4ª Conferência Estadual de Cultura do Amapá elegeu 40 delegados que vão representar o estado na convenção nacional em março deste ano. O evento, promovido pelo Governo do Estado, encerrou neste sábado, 27, em Macapá, e discutiu a democratização do acesso à arte e pluralidade cultural.

Os delegados do Amapá levarão 10 propostas para serem debatidas no encontro nacional. São demandas e anseios do setor cultural amapaense que vão ser apresentadas aos representantes do Governo Federal e dos outros estados, que foram produzidas a partir de debates realizados em grupos de eixos temáticos.

“É através desses diálogos e debates que unificamos o papel do poder público e da sociedade civil para contribuir com propostas que vão fortalecer ainda mais nossa cultura. É um espaço democrático de reconhecimento que reúne o trabalhador do setor e mostra como a gestão estadual atua na área”, destacou a secretária de Estado da Cultura, Clícia Vieira Di Miceli.

A representante das parteiras tradicionais Marinez Lopes, de 55 anos, veio do Sul do estado e celebrou a oportunidade de participar da conferência. Para ela, ter um espaço de diálogos é compartilhar a ancestralidade que vem de séculos.

“Eu, que sou de Laranjal do Jari, acredito que este seja um momento único onde pautamos nosso legado cultural. Falar da parteira é relembrar uma tradição, que é acompanhada pela religiosidade. Ter um espaço como este garante nosso lugar ao sol e que nossa luta, história e legado não sejam esquecidos”, afirmou a representante.

A poetisa Cecília Lobo, de 61 anos, representante do movimento literário e teatral, enfatizou que a participação do setor cultural nos debates estimula mais participação popular.

“Isso possibilita, a todos nós do setor, a contribuição com mais políticas públicas. Seja para a música ou literatura, e só fortalece ainda mais a produção e a cultura amapaense, tornando assim um espaço mais rico e diverso, a qualquer pessoa”, afirmou a poetisa.

4ª Conferência Estadual de Cultura

Com o tema “Democracia e Direito à Cultura”, a conferência teve o objetivo de reafirmar a cultura como um direito universal, ou seja, de todas as pessoas, sem distinção de gênero, idade ou raça.

A programação contou com a presença de representantes do Governo do Amapá, profissionais do setor e membros da sociedade civil. O evento foi coordenado pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult), em parceria com o Conselho Estadual e Ministério da Cultura.

Durante dois dias, foram debatidos o Plano Estadual de Cultura, a reformulação do formato de eleição do Conselho, e discussões sobre seis temas fundamentais da área como a democratização do acesso à cultura e as linguagens digitais.

O espaço também teve um momento para artistas amapaenses tirarem dúvidas sobre os editais da Lei Paulo Gustavo, que destinam mais de R$ 22 milhões para projetos culturais.

Texto: Crystofher Andrad
Foto: Glauber Tiryó/Seed e Crystofher Andrade
Secretaria de Estado da Comunicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *