A ALMA BAILARINA DE JOSYANNE FRANCO (*) – Texto de Fernando Canto

 

Texto de Fernando Canto

Escritora e poeta Josyanne Rita de Arruda Franco

Há tempos eu queria escrever sobre a arte poética de Josyanne Rita de Arruda Franco. Infelizmente perdi seus livros, a mim enviados em 2017, numa dessas mudanças de estante que periodicamente a gente precisa fazer. Porém a Musa da Poesia não falha. Dia desses lá estava um deles olhando para mim. Justamente o “Assoalho de Plumas” (Rumo Editorial, São Paulo, 2013).

A partir desse saboroso título a autora se revela em versos de natureza intimista, nos quais segredos e paixões são mostrados de um jeito bem peculiar de poetizar sentimentos, pois os desejos e as vontades estão abertos, e sua sabedoria lhe permite dizer “Eu sei que não existe amor sem causar danos”. E faz pergunta às estrelas, que lhes respondem: “Amores passarão!” (Natureza viva). E é nessa linha criativa que Josyanne esbanja sua experiência transformada em versos, em um porto que poucas mulheres teriam coragem de ancorar, posta a lânguida língua do erotismo que faz os corpos gemerem de paixão e a realidade crua do amor e das metáforas que o envolvem. Reforça-se, então, a autenticidade de uma poesia robusta, bela e cheia de personalidade. Personalidade madura e sem escapes que nos mostra em “Desejo e Fúria”:

Desejo e Fúria

Gana de outra vez ter a ti.,
De desmanchar-me em ti feito doida dançarina
Que se embriaga na boêmia arte de fazer-minha sina…
Destino incerto que em mim caminha.

Derreter o viço da eloquente e densa bruma
Que se espalha pelo céu da minha boca nua
E se entrega, enfim, rendido… corpo inerte, estendido.
De insanidade ativo… de amor vencido.

Desejo-te nas manhãs…espero-te à tardinha.
Nas noites, feito cães, o cio nos desalinha.
Ébrios de amor faminto, nós somos tão errantes…
Na voz da poesia dois seres inconstantes…

Arranho tua carne… te beijo, arrependida.
Sou tua… tresloucada, esgoto tua vida.
Entregue à paixão, em ti vou… viajante.
Aranha presa inteira na teia de brilhantes…

Me perco nos teus olhos… me acho em teu sorriso.
Sorver de tua alma é tudo que preciso.
Na paz do meu caminho tu segues adiante
E eu sigo teus passos serena e confiante.

Em outros dos 127 poemas deste livro as palavras caem como estrelas no assoalho (construído) de plumas (naturais) da autora. Ela que sabe o que quer neste belo livro, e se posiciona advertindo, em seu erudito poema “Mitológica”: “Não pede pelo inferno se queres paraíso”. E sem precisar dizer a Édipo que é Esfinge, decifra-se “terna e lírica” com sua alma bailarina, aventureira nos penhascos das palavras e numa poesia verdadeira plantada por ela no asfalto das cidades grandes e na sua tênue e inconsciente memória erótica de uma índia da Amazônia.

Ler e compreender, portanto, a poesia de Josyanne Franco é absorver de sua experiência lírica e literária o sentido do seu devir poético que trará sempre o multiculturalismo universal da alma.

Como também encontrei me olhando da estante o seu “Desvãos do Pensamento” (Coleção Letra de Médico, Volume 6, Rumo Editorial, 1ª Edição, São Paulo, 2016), no qual ela publica contos, poesia e prosa poética, diria que ela segue com mais vigor os poemas iniciados no boletim literário Caju e depois com o “Assoalho de Plumas”. No “Desvãos do Pensamento” ela se assenhora de sábias frases e de um estilo muito peculiar de prosa que será objeto de novo comentário que farei futuramente.

(*) Josyanne Rita de Arruda Franco é médica pediatra e psicanalista nascida em Macapá-AP. É escritora, membro da Academia Brasileira de Médicos Escritores (ABRAMES), da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores (SOBRAMES) e da Academia Jundiaiense de Letras (AJL), entre outras instituições literárias nacionais e internacionais. Reside em Jundiaí – SP há cerca de 30 anos, onde exerce suas atividades profissionais. Costuma dizer, sobre suas composições poéticas, que tem “o pensamento no sublime, a vida na realidade e o coração na selva” (Texto extraído da contracapa do livro “Desvãos do Pensamento”).

  • Avatar

    Uma a análise sobre o excelente trabalho da Escritora e Poeta Amapaense Josyanne Rita de Arruda Franco que singularmente abrilhanta a Sociedade Brasileira de Médicos Escritores-Sp…
    Há um orgulho em cada um dos seus pares, em tê-la na Sociedade…
    E suas obras enriquecem toda a história deste Movimento Cultural Nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *