A graça feminina

Por Dan Alves

Por um bom tempo se fez acreditar que o homem era um ser engraçado, que por natureza tinha o poder do riso. O sujeito se obrigava a ser irreverente, forçando a barra em busca da gargalhada da fêmea.

Até hoje muitos homens se perdem tentando fazer uma mulher sorrir, o caminho é árduo e bem perigoso. Pode-se estar no céu e despencar ao inferno com uma simples piada de loira.

Na verdade, creio que a comédia nunca foi privilégio de homens, somos palhaços porque estamos a um tempão tentando maquiar nossas imperfeições com o riso.

As mulheres já acumulam nas costas anos de piadas sem graças de amigos, namorados e esposos. Podem até não proferir anedotas aos quatro ventos, mas são ótimas juradas das besteiras masculinas.

Com o tempo as mulheres aprenderam a ser espontâneas, o que os rapazes ainda desconhecem.

Em mim não existe a ditadura do homem engraçado, gosto também de mulheres que me fazem rir.

Aquelas que têm uma piada na ponta da língua, que dramatizam situações engraçadas para os amigos rolarem de rir, que quando bebem algumas doses, sobem a mesa e fazem todos lagrimarem de tanta bobagem.

O homem se perdeu enquanto a mulher ganhou o time.

Desoprimam o riso. Libertem a piada. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *