A insônia


A insônia é uma senhora má, mas que, às vezes, é benéfica.  Pois a total ausência do sono nos faz ler, ouvir música, assistir filmes ou seja lá o que for que você faz para sorver conhecimentos e sensações para compensar a noite de sono prejudicada. 

No meu caso, leio, reflito, converso, escuto canções e rabisco textinhos. Enfim, tento transformar o indesejável em lucidez para fertilizar as ideias.

Durante as insônias, penso sobre o quão certas estão minhas certezas e incertezas.  Dou risadas de desatinos e lamento o politicamente correto.  Tudo por causa de fotos, músicas, vídeos, textos, além de bocejos em vão. É, noites acesas e manhãs cansadas.

O relógio me aflige, pois tenho trabalho cedinho. Aí lembro daquelas duas latas de cerveja na geladeira. A insônia que teme, pois agora ela se lascará. 

Como disse Cazuza: “todo dia a insônia me convence que o céu faz tudo ficar infinito” ou o poeta e escritor Mario Quintana: “há noites que eu não posso dormir de remorso por tudo o que eu deixei de cometer”. É isso aí!

Elton Tavares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *