A luta continua – Não deixe matarem a Faveira

Por Alcinéa Cavalcante

Esta linda e centenária Faveira, na avenida Iracema Carvão Nunes (Centro) pode ser condenada à morte amanhã. O juiz da 2ª Vara Federal, João Bosco Soares da Silva decidirá nesta quinta-feira, 16, sobre a poda ou a supressão total. A audiência será as 15h, na Justiça Federal (Av. Maria Cavalcante de Azevedo Picanço, 141, no bairro Infraero).

A árvore foi declarada Patrimônio do Estado, em 24 de fevereiro de 1994, pelo governador Aníbal Barcellos.

O desejo de matar tão bela árvore, que guarda muitas histórias, é alimentado há algum tempo. Lembro que em novembro de 2016, quando estava prestes a ser derrubada, o Memorial Amapá fez uma grande mobilização impedindo que isso acontecesse.

O que se sabia na época é que a árvore seria derrubada para que ali fosse construído um prédio comercial. Conforme matéria do portal Seles Nafes, de 16 de novembro de 2016, na documentação e o pedido registrado na Procuradoria Geral da Fazenda, o dono do terreno solicitava autorização para a derrubada da árvore, já que as raízes da planta impediam a construção do alicerce da obra.
Na ocasião a Sema emitiu um laudo autorizando apenas a poda, mostrando que a arvore não gerava risco nenhum.
Uma empresa especializada em avaliação de árvores, contratada recentemente pela Prefeitura de Macapá, emitiu um laudo recomendando também apenas a poda e não a supressão.

Mês passado o juiz João Bosco havia autorizado a derrubada. Mas quando as motoserras começaram o corte, em plena Quinta-Feira Santa, no dia 18 de abril, a notícia se espalhou rapidamente e o povo se manifestou contra. Os apelos da comunidade encontraram eco no Governo do Estado e na Prefeitura de Macapá que de imediato fizeram um reunião para traçar estratégias que garantissem a não derrubada.

A derrubada foi suspensa, mas hoje o juiz vai bater o martelo.

“O Instituto Memorial Amapá, a Prefeitura de Macapá e o Grupo de Pesquisas “Memórias Urbanas” vêm fazendo um grande esforço para tentar mudar a decisão do Juiz João Bosco”, enfatizou o presidente do Memorial, Walter Junior. “Convidamos todos que são favoráveis a preservação desse nosso patrimônio para participarem dessa importante audiência no Tribunal da Justiça Federal”, disse ele.

Este blog se manifesta contra a derrubada da bela Faveira.

Fonte: Blog da Alcinéa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *