A melodia em pessoa

                                                                                       Por Elton Tavares

Luiz Melodia – Foto: Márcia do Carmo.

A Choperia da Lagoa é realmente o melhor lugar para se fazer um evento refinado em Macapá. Ontem (7), a cantora Juliele, sucesso de público e crítica nas bandas de cá do Amazonas, recebeu o cantor e compositor carioca Luiz Melodia no “Show Baile Livre, Leve e Solto”. A casa estava lotada, cheia de gente bacana e interessante.


Durante sua apresentação, Juliele cantou clássicos dançantes da música popular brasileira e da música amapaense. Com seu tom de voz leve e agradável, ela fez um show já conhecido de nós amapaenses, sem falhas e muito bom. Apesar da intérprete nunca dançar e sim só gesticular com as mãos, tudo bem, com uma voz daquela, quem precisa dançar. Sim, Juliele é cantora e não dançarina e fim de papo.
Luiz Melodia – Foto: Mariléia Maciel.

Mas esse texto é para falar de Luiz Melodia. O artista subiu ao palco e disse “Macapá é aconchegante, possui um calor aconchegante” e foi ovacionado pelo público. Não é para menos, o cara é cantor fantástico.

Melodia cantou clássicos de sua autoria como “Juventude transviada”, “Nego gato” e “Magrelinha”. Mas a apresentação teve dois pontos altos, quando ele mandou “Codinome Beija-flor” e dividiu o palco com Juliele e interpretaram “Pérola Negra”, minha canção favorita do cara.

Luiz Melodia tem um repertório formado de MPB, Blues, Soul e, sobretudo, Samba refinado. Sem dizer que o homem tem uma voz que é um dom divino, o cara nem faz força para cantar, invejável. Ah, apesar de estar entre os grandes nomes da música nacional, o cara é simpático, desprovido de estrelismo.

Ponto fraco

Eu e Luiz Melodia – Foto: Mariléia Maciel.

A terceira atração da noite foi o cantor paraense Felipe Cordeiro, acompanhado de sua banda (com duas vocalistas efusivas, que ridiculamente pareciam imitar a banda oitentista Blitz) tocou uma miscelânea de estilos, um lance meio Salsa-lambada- brega- pop. Foi igual a misturar vodka e vinho, nada legal. Não me agradou nem um pouco, mas essa é a minha opinião. Tanto que fomos embora antes dele terminar sua apresentação.

A melodia em pessoa

Resumo da ópera, a noite foi jóia, muitos amigos, risadas, bom papo e boa música. Juliele mandou muito bem. Dizer que ela é uma cantora ímpar não é novidade em Macapá. Mas o show de Luiz Melodia foi monstruosamente genial também é chover no molhado. Ele é realmente a melodia em pessoa.
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

Commentários
  1. Felipe Façanha
  2. Anonymous

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*