Adeus Vadinho, a gente se encontra do outro lado.


Mario Quintana escreveu: “a morte chega pontualmente na hora incerta”. Cirúrgico!
Hoje (14), às 5h da manhã, aos 53 anos, morreu Hivaldo Neves Vale, o meu tio “Vadinho”. Ele sofreu uma parada cardíaca. Desde a última sexta-feira (9), Vadinho estava hospitalizado lutando pela vida, vítima de um acidente automobilístico.
Vadinho era funcionário público, trabalhava na Escola Estadual Castelo Branco há muitos anos. Também era torcedor fervoroso do Fluminense e, assim como eu, apaixonado pela escola de Samba Piratas da Batucada. Inclusive fomos parceiros por mais de 10 desfiles, desde os tempos em que eles aconteciam na Avenida Fab.
Filho devotado, fazia tudo para agradar sua mãe, Cacilda Vale. Aliás, dos 11 filhos, deles cinco caras e seis mulheres, dos homens Vadinho era o que vovó tinha mais apreço e afinidade.  Só de olhar para minha avó, dá vontade de chorar.
Ah, Vadinho viveu pra caramba. Curtiu a vida, a seu modo. E nos brindou com o fato de conviver com sua pessoa. Em relação a ele, só tenho lembranças alegres.
Sem exagero, afirmo que o Vadinho era, dos irmãos homens da minha mãe, o mais gente fina. E não é porque morreu não. Ele era um grande sacana mesmo. Ele deixa esposa e um filho de seis anos.
Mas é assim mesmo. Vida que segue. Como disse a querida amiga Jaci Rocha: o amor é a força mais poderosa que podemos construir. Boto fé!
Agradeço a todas as manifestações de solidariedade dos amigos no Facebook, Twitter e telefonemas. Velaremos o Vadinho na Capela Santa Rita, no bairro homônimo, localizada perto do Hospital São Camilo. O enterro será amanhã (15), às 10h. 
Sentirei saudades das suas piadas, gaiatice e ótimo humor. Ele realmente era um grande ser humano. Adeus Vadinho, a gente se encontra do outro lado.
Desejo que nenhum de seus afetos morra, por ele e por você. Mas que se morrer, você possa chorar sem se lamentar e sofrer sem se culpar” – Vitor Hugo.
Elton Tavares
  • Grande pessoa… fara muita falta… eu o presenteei com duas camisas do Fluminense recentemente e sei o quanto ele gostou… quem sou eu pra questionar o que a vida faz, mas nao dá jamais pra entender o porque… vai ver que la do outro lafo, quando eu for embora tambem, eu encontre uma explicaçao pra isso, quem sabe ate a mim dada pelo grande Vadinho… que Deus esteja contigo Tricolor, adiante a gente se encontra…

  • De todas as dores da vida, a dor de uma perda parece ser a mais aguda. É uma dor que lateja na alma e assola nossa vida. Todos nós, num dado momento da vida, teremos que enfrentar essa dor. Não existe nenhuma família que escape desse drama. Não é fácil ser privado do convívio de alguém que amamos. Não é fácil enterrar um ente querido ou um amigo do peito. Não é fácil lidar com o luto, Que JESUS te dê a força necessária para seguir em frente,Que JESUS te dê a força necessária para seguir em frente,Que JESUS te dê a força necessária a família para seguir em frente.

  • Ouvi pela manha no radio sobre o falecimento dele. Sinto muitissimo! Que Deus possa confortar toda a sua familia Elton.
    Fernanda Silva

  • Elton, conheci o Cadinho qdo ia na casa do Marcão com o Nonato tomar cerveja. Fomos muitas vezes para Tessalônica tomar banho e lá ele sempre estava. Sempre divertido. Todas as vezes que falava com o Marcos, perguntava pelo Cadinho. Conheci a esposa dele ainda qdo estava grávida. Apesar de não tê-lo visto recentemente, senti muito quando vi no seu blog a sua morte. Meus pesames para toda a família.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.