Afinal, porque denominam equinócio da primavera em Macapá se a cidade está localizada no meio do mundo? – Por @sandrobello

Foto: Arquivo Secom

Por Sandro Bello

Terça-feira, 22 de setembro, às 10 horas, 30 minutos e 36 segundos, horário de Brasília, marca a mudança de estação de inverno para primavera no hemisfério sul, ou seja, da Linha do Equador em direção ao Pólo Sul (Sim, o Macapá Verão no Balneário da Fazendinha acontece no inverno). No mesmo horário marca também a mudança de estação de verão para o outono no hemisfério norte, da Linha do Equador em direção ao Pólo Norte. A maior parte do território de Macapá e do Amapá estão no hemisfério norte, logo, equinócio de outono, entretanto, como atrativo turístico, para o seu maior visitante, o brasileiro, denominam-se equinócio da primavera.

Esse é o Equinócio no Amapá, um fenômeno astronômico que marca a mudança de estações, que no meio do mundo, não são bem definidas como se percebe nas regiões dos trópicos. A forte incidência solar sobre a Linha do Equador, a evaporação do oceano Atlântico, a humidade das florestas e o clima quente e úmido propiciam um período com menos chuvas na estação verão e um período com com mais chuvas na estação inverno.

O fenômeno do equinócio em Macapá é o momento em que o sol está posicionado a 0° (zero grau) sobre a linha do equador. Isso faz com que o dia e a noite tenham a mesma duração e os hemisférios norte e sul recebem a mesma quantidade de luz.

Macapá tem em seu principal ponto turístico, o Marco Zero do Equador, uma estrutura na parte do terraço do Monumento que demarca a linha imaginária do Equador na posição zero grau, dividindo o mundo em dois hemisférios, o norte e o sul. Possui também um relógio de sol de 30 metros, no qual no momento aparente do fenômeno, o sol posiciona-se no centro do obelisco.

Há um calendário dos equinócios e solstícios no qual acompanhamos o dia e momento exato do Equinócio. Em Macapá, nesta edição, um bom horário de visualização será às 15h no dia do Equinócio e nos dois dias que sucedem o fenômeno. Em alguns calendários o fenômeno é visível, em outras ocasiões, como em 2019, o Equinócio ocorreu a noite na capital, mas a imagem da sombra do sol percorrendo a linha do equador pôde ser contemplada em outras cidades do mundo durante o dia. Na edição deste ano, no horário exato do Equinócio, a sombra estará correndo no sentindo oeste – leste, rumo ao Rio Amazonas, para aqueles que estiverem visitando o Monumento do Marco Zero do Equador.

O ideal para os visitantes é levar alguns ovos, seu smartphone para registrar a imagem do “ovo em pé”, do sol no centro do obelisco, da sombra do sol sobre o obelisco na linha do Equador e compartilhar essas imagens com o mundo.

Saiba mais sobre o “ovo em pé” e o “Efeito Coriolis” com os Guias de Turismo do Marco Zero do Equador!

Foto: Márcia do Carmo

Curiosidade

A cada quatro anos, os equinócios se atrasam. Isso significa que, em alguns séculos, ele se adiantará no relógio.

Durante os equinócios, o sol nasce exatamente ao leste e se põe ao oeste.

Nos equinócios de outono do Hemisfério Norte ocorrem os fenômenos da aurora boreal.

O equinócio da primavera está associado às festas de Páscoa na religião cristã.

As luzes do equinócio de outono provocam alterações biológicas nos seres vivos, como estímulos à hibernação, queda de folhas nas árvores e o amadurecimento de vários frutos e vegetais.

O fenômeno é celebrado em muitas culturas como o momento de equilíbrio entre as forças da luz e das trevas.

*Sandro Bello é turismólogo e Mestre em Planejamento do Desenvolvimento.
Fonte de auxílio: CPTEC, Observatório Nacional e Observatório do Turismo do Amapá ObTur/AP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *