Alunos de ensino médio têm aula prática de coleta de solos no Amapá

embrapa

Foto: Dulcivânia Freitas

 

A comemoração do Dia Nacional da Conservação do Solo inspirou a realização de uma atividade do projeto Embrapa & Escola para alunos e professores da Escola Grupo Perspectivas Construtivos, do município de Santana (AP), na tarde da última quarta-feira, 15/4, no Campo Experimental do Cerrado, localizado no Km 45 da BR-156. A programação constou de aula de campo em uma trincheira (escavação de onde se coletam amostras para identificação dos solos), palestra destacando o solo como alicerce do meio ambiente e distribuição das revistas “Brinque com Ciência – Biomas do Brasil” e “Desafios da Ciência”, editadas pela Embrapa. Trincheira, perfis, camadas e/ou horizontes e Latossolo foram alguns dos termos técnicos usados na pesquisa agropecuária e desvendados pelos pesquisadores da Embrapa aos estudantes, quanto à sua aplicação prática na melhoria da agricultura, com ênfase nos estudos dos solos do bioma Cerrado, que chama a atenção de muitos pesquisadores do Brasil e do mundo por existir em áreas do bioma Amazônia.

O professor de Geografia, Max Miliano Farias dos Santos, enfatizou o salto de conhecimento obtido por meio desta aula de campo, beneficiando a relação ensino-aprendizagem dos alunos e professores que participaram da visita de campo. “Programamos esta atividade com vistas à preparação para o Enem, especialmente com relação ao conteúdo sobre solos e produção agropecuária. De volta à sala de aula, os alunos serão divididos em grupos. Cada grupo vai nos entregar um relatório, com texto e fotografias, valendo no máximo 8 pontos. Os outros 2 pontos serão por conta do grau de interação e participação durante a palestra no campo da Embrapa”, detalhou. A aluna Thânagra Santiago da Silva, 15, era uma das mais entusiasmadas. “A programação toda foi muito interessante, aprendi coisas novas sobre solos e vegetação e os riscos e cuidados para não prejudicarmos a natureza. Agora sei, por exemplo, o padrão das medidas de uma trincheira para se fazer uma boa coleta de solo”. Para o professor de Química, Deiverton Silva, o bom resultado da experiência desta aula de campo vai além da contribuição pedagógica. “Aqui também temos o sentido de contribuir para ampliarmos a visão de mundo dos nossos alunos, quem sabe alguns deles foram despertados para uma carreira na área de ciências agrárias. Existem muitas possibilidades de campo nesta área no Amapá, na nossa região”, enfatizou Silva. O professor Cássio Oliveira da Silva, da disciplina Biologia, relacionou a vantagem da aula de campo com o aprendizado prático dos conceitos repassados em sala de aula.

O chefe de transferência de tecnologia da Embrapa Amapá, Nagib Melém, e o pesquisador Raimundo Cosme de Oliveira Junior, do Núcleo de Apoio à Pesquisa e Transferência da Embrapa no Médio Amazonas (Santarém-PA), conduziram a palestra “Solo – Alicerce do Meio Ambiente” no mesmo ambiente onde há uma escavação feita para demonstração do padrão adequado para coleta de solos. “A trincheira (escavação) é um meio que utilizamos para coletar e classificar os solos desta área do Cerrado do Amapá. A partir da classificação, passamos à fase da identificação do solo e a indicação de melhor uso, se é mais adequado para agricultura, para mineração, para plantio florestal, entre outros usos”, explicou Nagib Melém. Trincheiras como aquela foram abertas em 15 pontos do estado, durante a pesquisa para elaboração do Zoneamento Econômico-Ecológico (ZEE) do Cerrado do Amapá. A análise precisa das características morfológicas dos solos foi um dos pontos destacados pelo pesquisador Raimundo Cosme. “Estas características, quando bem definidas, ajudam a diferenciar os horizontes e/ou camadas do solo. Este aqui, por exemplo, que obtemos dessa trincheira, é um solo de textura argilosa”, explicou o pesquisador, que também demonstrou o uso e utilidade das ferramentas trado holandês e sonda na coleta de solos. Realizada em campo aberto e debaixo de uma chuva fina que não desanimou os participantes, a programação técnica foi encerrada com uma visita à Unidade Demonstrativa do Sistema Bragantino, onde são cultivados em consórcio a mandioca, feijão, milho e arroz. O Sistema Bragantino é uma tecnologia de produção de alimentos desenvolvida pela Embrapa Amazônia Oriental (Pará) e adaptada ao Amapá desde 2007.

A ESCOLA – A Escola Grupo Perspectivas Construtivas (GPC) surgiu em 1996 com o objetivo de exercer uma prática pedagógica voltada para a compreensão da realidade social e política do País, estado e município, dentro da perspectiva sócio- interacionista construtivista que é inspirada nos estudos dos teóricos Jean Piaget, Vygotsky e Emília Ferreiro, principais representantes dessa linha de pensamento.

Assessoria de Comunicação
Dulcivânia Freitas
Jornalista DRT/PB 1063-96
dulcivania.freitas@embrapa.br
(96) 4009-9587 / 8137-7559
www.cpafap.embrapa.br

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*