Amapá ainda lidera estatísticas de suicídios. Em cinco meses, 14 pessoas tiraram a própria vida

suicidio23

Há mais de uma década que o Amapá figura como um dos estados com maior número de suicídios, levando-se em consideração a média de ocorrência para cada grupo de cem mil habitantes. Em recente estudo feito pelo Banco de Dados do Sistema Único de Saúde e Sistema de Informação Estatística da Organização Mundial da Saúde o Estado do Amapá possui uma média de 10 a 12 suicídios por 100 mil pessoas, por ano. No Brasil acontecem 26 suicídio por dia, pontuando um aumento de 30% nos últimos 25 anos.

sui1Em 2015 foram 28 suicídios, dos quais 16 somente na capital. Este ano, já foram registrados 14 suicídios dos quais 10 em Macapá. Os métodos utilizados são enforcamento e envenenamento.

Desde 2005, a OMS determinou recomendações para o combate no aumento do número de casos. Com isso, em alguns Estados e Municípios foram elaboradas políticas de prevenção ao suicídio, entretanto os resultados não são positivos.

Em novo relatório da OMS, que chama a atenção de governos para o suicídio, considerado “um grande problema de saúde pública” que não é tratado e prevenido de maneira eficaz.
dalua2
Preocupado com o tema, o deputado Pedro da Lua apresentou projeto de lei 182/15 instituindo a Semana Estadual de Valorização da Vida e Prevenção ao Suicídio, o projeto entra na pauta desta quarta-feira, 1, na 46ª sessão ordinária da Assembleia Legislativa . A ideia é trocar informações sobre o suicídio. “Em muitos casos, de acordo com a OMS, dá para prevenir 90% das mortes se houver condições para oferta da ajuda. Os serviços de saúde têm que incorporar a prevenção como componente central. Os transtornos mentais e consumo nocivo de álcool contribuem para mais casos de suicídio. A identificação precoce e eficaz são fundamentais para conseguir que as pessoas recebam a atenção que necessitam”, explica o parlamentar.

Na faixa etária de até 19 anos, a maioria dos casos decorre de morte por enforcamento, estrangulamento ou sufocação (63,1% entre homens e 42,9% entre mulheres), disparo de arma de fogo (21,4% entre homens e 9,2% entre mulheres) e pesticidas (17,6% entre mulheres e 3,3% entre homens).11659372_733023910141076_5371830587467915354_n

No Amapá, o CVV – Centro de Valorização da Vida, Organização Não Governamental, já realiza trabalho importante há mais de 15 anos. Esse trabalho pode nortear a organização da Semana Estadual de Valorização da Vida e Prevenção ao Suicídio.

Em 2004, alguns sociólogos criaram um grupo de trabalho para discutir o sucídio enquanto fenômeno social e organizaram a I Semana Sobre Suicídio no Amapá. Do evento, surgiu a Carta da Vida, que propõe políticas voltadas à melhoria da qualidade de vida, prestação adequada de serviços de saúde e geração de emprego e renda para familias carentes. É que o GT chegou à conclusão que 90% dos suicidios decorrem de problemas financeiros ou passionais, como desemprego, separação ou traição conjugal.

Assessoria de comunicação do Deputado Pedro da Lua

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *