Andreza Gil em um papo sobre música

Por Andreza Gil

Oi, leitor! Tudo bom? Vou logo dizendo que esse texto não é voltado pra todo o tipo de leitor, mas sim para pessoas que assim como eu acordam e sentem a inevitável necessidade de escutar música. Sim, música! Música pra mim é alimento pro corpo, pra alma e pro espírito. Sou movida a música, e isso, sei lá, desde antes de me entender por gente.

Minha relação com a música é profunda. Acho que em outra vida fui uma cantora ou musicista. Em outra vida, porque nessa não rolou e nem vai, já tô sabendo! Mas é sério, meu lugar é outro. Gosto de me deliciar ouvindo as belas canções que tanta gente boa já deixou pro mundo e as novas que a cada dia surgem de talentosíssimos músicos e bandas de vários cantos do Brasil. Eu tenho dito, a boa música não morreu e não morrerá nunca, só é uma questão de gosto e saber encontrar o que estão produzindo de bom mundão a fora.

Mas ó, digo logo que o meu papo é com a música brasileira, quem me conhece sabe. Sou defensora da música brasileira até a morte e, principalmente, da música produzida no meu querido Amapá! Tal amor tem me levado longe, inclusive em relação aos meus planos profissionais, mas isso já é assunto pra um outro texto.

Voltando a minha relação íntima com a música, de uns tempos pra cá, observei que o que mais compartilho é música. Na minha timeline do Facebook tem mais compartilhamento de link de música do que notícia sobre Temer e Cia. Aproveito pra dizer que o Brasil tá uma merda, mas a minha saúde mental tá ótima. Vida que segue e precisa seguir, né gente?! Então, mas voltando um pouco, no início dessa semana algumas pessoas me instigaram a fazer deste amor algo cada vez mais sério. As várias interações positivas que recebi depois de publicar trechos de músicas regionais no stories do Instagram e o último ralho que o Elton me deu (risos) pra escrever textos pro De Rocha! me fizeram enchergar a possibilidade que há tempos estava bem diante dos meus olhos: escrever sobre música!

Não sei bem ainda o que vai sair nos próximos textos, mas espero que o Elton publique e alguém curta. Se esse alguém for você, nos vemos na próxima. Até! Beijo. Tchau. E já sabe, né? O que a gente faz em momentos bons? Escuta música. E em momentos ruins? Escuta música também, lógico!

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*