Anos Bissextos – Publicação por conta do 29 de fevereiro

 
No ano bissexto, acrescenta-se um dia a mais para se corrigir a discrepância entre o ano-calendário convencional e o tempo de translação da Terra em volta do Sol tomando-se o ano trópico que utiliza o equinócio vernal (ou seja, o equinócio de primavera no hemisfério norte) como referência. A Terra demora aproximadamente 365,2422 dias solares para dar uma volta completa ao redor do Sol, enquanto o ano-calendário comum tem 365 dias solares. Sobram, portanto, aproximadamente 5h48m46 a cada ano trópico. As horas excedentes são somadas e adicionadas ao calendário na forma inteira de um dia.
 
No caso do Calendário Gregoriano, este dia extra é incluído no final do mês de fevereiro, que passa a ter 29 dias (ano com 366 dias) em lugar dos 28 dias de anos normais (ano de 365 dias).
 
A origem da expressão bissexto foi uma conseqüência da adoção do Calendário Juliano em 45 a.C. quando Júlio César fez várias modificações no irregular Calendário Romano de Numa Pompilio: acrescentou dois meses Unodecembris e Duodecembris ao ano deslocando assim Januarius e Februarius para o início do ano. Fixou os dias dos meses em uma sequência de 31, 30, 31, 30… de Januarius a Duodecembris (Duodecembris com 30 dias), à exceção de Februarius que ficou com 29 dias e que, a cada três anos, seria de 30 dias. 
Como os romanos dividiam o mês em Kalendas, Nonos e Idos, coincidentes com fases lunares, ao passar dos Idos e próximo ao finaimages (5)l do mês eles se expressavam em linguagem regressiva dizendo algo como: faltam 6 dias para as Kalendas de Março, faltam 5 dias para as Kalendas de Março… e também eles o faziam de forma inclusa, …faltam 4 dias, faltam 3 dias, dia anterior e dia. Nesta época era mais importante contar desta forma, pois, ela representava as fases lunares as quais eram muito mais significativas para a vida cotidiana da população.
 
Com esta forma de contagem, e não pela numeral seqüencial que hoje usamos, nestes anos de 366 dias o mês de Februarius teria então dois dias “Ante die VI (sextum) Kalendas Martias”, sendo daí a origem da expressão “bis sextum”, hoje por nós conhecidos como anos bissexto. 
 
Contudo há ainda outro tipo de calendário, o Calendário da Paz, também chamado de Calendário Maia. Os Maias, como se sabe, eram extremamente avançados em astronomia, e fizeram portanto um calendário de 13 luas de 28 dias, mais um dia “extra” chamado o dia fora do tempo. Assim, são 13 x 28 dias = 364, mais um dia fora do tempo, 365 dias.
 
 
Na década de 1920, as igrejas Ortodoxas do Leste Europeu criaram um mecanismo diferente para determinar os anos bissextos. Substituíram o “divisível por 400 é bissexto” por “os anos que divididos por 900 apresentarem resto da divisão igual a 200 ou 600 são bissextos”. Isso significa que os anos de 1900, 2100, 2200, 2300, 2500, 2600, 2700, 2800 são comuns e os anos 2000, 2400 e 2900 são bissextos. Isso não cria conflitos com o resto do mundo até o ano de 2800. Na prática significa que há 218 anos bissextos a cada 900 anos, o que faz a duração média do ano nesse sistema ser de 365,24222 dias, o que é mais preciso que o adotado pelo calendário gregoriano.
 
O calendário gregoriano possui 970 anos bissextos a cada 4000 anos. Há estudiosos que defendem uma regra na qual ocorram 969 anos bissextos em cada 4000 anos (365,24225). A média ficaria mais próxima da duração do ano trópico que no atual modelo. A regra consiste em excluir os anos múltiplos de 4000 como sendo bissextos. Assim como o método sugerido pelas igrejas Ortodoxas do Leste Europeu esse sistema é compatível com o atual por muito tempo, ou seja, pode-se postergar até próximo do ano 4000 do calendário gregoriano para debater o assunto.
 
Os anos bissextos sempre foram cercados de mitos e tradições. Uma das mais divertidas surgiu no século XIII, na Escócia. Em um ano bissexto, eram as mulheres (e não, como de costume, os homens) que tinham o direito de escolher quem desejassem para marido. E se o escolhido não concordasse com o casamento, era obrigado a pagar uma multa de respeito.
 
 
Nos países não católicos a mudança foi feita mais tarde; a Inglaterra e suas colônias fizeram a mudança em 1752, onde o dia 2 de setembro precedeu o dia 14 de setembro e o dia de ano novo foi mudado de 25 de março para 1º de janeiro.
 
 
Há pessoas que julgam que o ano bissexto assim se chama justamente por ser composto de 366 dias (dois seis, bissexto), ao contrário dos 365 nos demais anos. O que expressa uma coerência mnemônica popular e aos estudiosos um grande e histórico equívoco.
 
 
A lenda do ano bissexto
 
 
Quando Júlio César chegou ao Egito com suas legiões descobriram que o calendário solar usado naquele país era mais perfeito do que o romano. Este era tão deficiente que em cada pequeno lapso de tempo tinham que acrescentar um mês a partir do dia 23 de fevereiro.
 
Quando César subiu ao poder supremo, em Roma, começou a preocupar-se com a reforma do calendário, e para isto chamou o famoso astrônomo alexandrino Sosigenes, que abandonou o calendário dos meses lunares em favor do método egípcio, baseado nos cálculos solares. Assim teve origem o Calendário Juliano, cujo nome foi dado em honra a César e que consiste de 12 meses, ou 365 dias. Em cada quatro anos era intercalado um dia adicional precisamente na data em que antes, era acrescentado o décimo terceiro mês.ano_bissexto
 
Mas os romanos dividiam o mês em três períodos, e os dias não eram designados com nomes, mas com números. Para eles, o nosso 23 de fevereiro era “ o sexto dia antes das calendas” (primeiro) de março. 
 
O dia extra, introduzido pela reforma do calendário juliano, foi situado depois desse sexto dia, ou “sextilis”, e daí vem o nome de “bissextilis”, em vez de bissexto, e, possivelmente são devidas a essa expressão algumas das curiosas tradições que se observam em certos países.
 
AnoBissexto (1)Muita gente, ignorante do latim, acreditava que “bisextilis” significava “dois sexos” em vês de “ os dois sextos” do antigo calendário romano, e assim apareceu a lenda de que o ano bissexto traz privilégios especiais para as pessoas do “segundo sexo”.
 
 
Fonte: Wikipedia (post de 2012, a última vez que rolou um 29 de fevereiro).
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*