Ao Mestre R. Peixe – Por Ralfe Braga (via @arteamazon)

Tira com quatro quadrinhos do ilustrador amapaense Igum D’Jorge, sob a direção de Gilberto Almeida, conta história de como o jovem e talentoso amapaense Ralfe Braga recebeu o convite do renomado artista plástico R. Peixe para largar a pretensa carreira de balconista e ingressar na Escolha de Artes Cândido Portinari, que este acabara de inaugurar.

Na crônica o amapaense Ralfe Braga conta como o renomado artista plástico R. Peixe lhe convenceu a deixar a pretensa carreira de balconista para entrar para o mundo das artes plásticas (Gilberto Almeida, editor do site ArteAmazon ) .

Lembro-me bem. Era bem cedo de uma manhã qualquer e do costumeiro calor. Acabara de varrer a calçada em frente a papelaria que há uma semana assinara minha carteira de trabalho, sacramentando assim meu primeiro emprego formal. Não estava feliz, não era essa minha vocação, porém algum sentimento de responsabilidade invadia minha mente.

Cumprida a primeira e desgastante obrigação sob um manto de extrema vergonha; além do temor de ser notado por algum amigo que, para meu desespero, poderia passar justo na bendita calçada que, por sua vez, se encontrava no único trajeto possível para quem se dirigia ao mercado central, principalmente para aqueles oriundos do bairro do Trem; corri para o interior da papelaria onde dei continuidade aos afazeres menos constrangedores como limpar balcões e organizar produtos nas prateleiras e, eventualmente, incorporar o vendedor da loja; este era o momento em que me achava menos vulnerável pois caso notasse a inesperada entrada no recinto de algum conhecido/cliente bastava me agachar atrás do balcão fingindo organizar qualquer coisa; fato este que acontecera uma única vez, ocasião em pude constatar que o plano era perfeitamente eficaz.

Limpa aqui, organiza ali; eis que surge uma enorme sombra à minha frente. Ainda com o paninho de limpeza na mão lustrando o tampo de vidro do balcão, avistei um senhor com expressão e voz severas alertando-me da cena vexatória para um artista. Em modo catatônico tentei balbuciar algo mas o endosso do moço ressoou em tom mais grave e alto volume – “Moleque, você é um artista com muito talento, suas mãos foram feitas pra desenhar e não para varrer calçada e muito menos limpar balcão!… Saia daí AGORA!…”. E completou – “ Inaugurei uma escola de arte, já falei com o seu pai, te espero lá manhã cedo“.

Hoje, em cada traço, cada pincelada, cada ser que contempla as minhas obras e cada pão que ponho em minha boca e nas dos meus filhos, fruto da minha arte. Agradeço e invoco a Deus muita luz para um anjo que habitou este planeta e que fez um bem enorme para um menino envergonhado, ensinando-o e orientando-o nos caminhos das artes.

E foi assim que me tornei, com muito orgulho, um dos primeiros alunos da Escola de Arte Cândido Portinari.

Mais uma vez OBRIGADO MESTRE R. PEIXE.

Ralfe Braga
Artista Plástico (conforme ele me ensinou).

Fonte: ArteAmazon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *