Aos meus amigos evangélicos (Por Ricardo Pereira)

Queridos, perdão, mas antes que me tirem de suas orações e de seus corações, gostaria de lembrá-los de que não sou gay (por opção), não sou anti-evangélico (jamais), e embora tenha tido um pai preto (sim, preto mesmo, como ele fazia questão de dizer), tenho a pele clara por parte de minha mãe e ainda: não sou contra qualquer pastor ou outro sacerdote participar ativamente de nossa vida pública e política.


Iniciei dessa maneira para esclarecer que, quando me posiciono a favor da saída de Marco Feliciano da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, não o faço porque ele é pastor ou não professa minha fé ou porque faço parte das ‘minorias atingidas’, não. Faço-o porque esse indivíduo demonstra claramente não estar preparado para assumir um posto com tanta responsabilidade. O que se diz contra ele não são ‘falácias’ não, menos ainda ‘perseguição ao povo de Deus’ (TODOS nós somos filhos de Deus! Estão confundindo religião com religiosidade!)!

As declarações estão na mídia e não foram forjadas como as supostas declarações do deputado Jean Willis (que está processando o pastor). Até os partidários dele (também cristãos e/ou pastores) sabem disso e o estão aconselhando a sair.

Fosse ele padre, bispo, papa, macumbeiro, jedi ou power ranger, eu agiria do mesmo jeito, repudiando tal representação. Basta ter esse comportamento fundamentalista e essa falta de compromisso com a opinião alheia! Também me posicionei contra Collor, Sarney, Renan Calheiros e outros parasitas!

Muita coisa que está escrita na Bíblia (sim, eu a leio!) não pode ser levada ao pé da letra nos dias de hoje, por favor! Caso contrário, alguns outros absurdos ainda estariam acontecendo.

A Bíblia é um livro lindo e representa a palavra do Senhor, no qual acredito. Estão transformando-a em um livro de PODER. Eu rejeito o PODER, me desculpem queridos amigos!

Para mim, vale a famosa frase: “Não existe abuso de poder, o poder por si só já é um abuso!”

Perdão, novamente, e Deus abençoe a todos!

Ricardo Pereira, professor e músico da banda Manoblues
  • Olá Ricardo, gostei de seu posicionamento e argumentos. Sou evangélica, leio a bíblia, sou humana, contudo, não sou dogmática. Avalio o comportamento do Pastor acima citado não adequado, não o vejo como exemplo e infelizmente muitos tem ele como homem santo. Sou a favor do movimento “Fora Feliciano”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *