Após cobrança de Randolfe, Pazuello garante que governo ajudará a fabricar oxigênio no Amapá e estados do norte

Cobrado pelo senador Randolfe Rodrigues (REDE), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, confirmou nesta quinta-feira (11) que o governo federal deverá ajudar na fabricação de oxigênio em todos os estados da região norte, incluindo o Amapá.

Pazuello prestou esclarecimentos pela tarde no Senado sobre a conduta do governo durante a pandemia em uma sessão temática de debates no plenário da Casa.

“A estratégia para a Amazônia, agora eu falo de Amazônia senador Randolfe, nós temos que fabricar oxigênio. Nós estamos requisitando todas as usinas de geradores e nós vamos colocar no seu Amapá, vamos colocar em Rondônia, no Acre, no interior do Amazonas já estamos colocando. Não tem mais como nós continuarmos carregando tubo de oxigênio pra lá e ra cá. Temos que fabricar oxigênio no local. E isso é uma estratégia do Ministério da Saúde e eu vou atender todos os estados da Amazônia com requisição, transporte e instalação. Todos”, disse o ministro.

Vacina

Sobre a vacinação contra a Covid-19, Eduardo Pazuello declarou que pretende imunizar os grupos de maior risco até o fim de 2021. Sem citar números, falou que o governo quer distribuir metade das doses até junho e a outra metade até o fim do ano.

CPI da Covid-19

Na semana passada, Randolfe protocolou pedido para instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito com o objetivo de investigar as ações e omissões do governo federal no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus que até agora já matou mais de 235 mil brasileiros.

“Medidas sanitárias foram sistematicamente desrespeitadas e, aliadas ao negacionismo científico e difusão de fakenews, contribuíram para a tragédia humanitária pela qual o Brasil passa”, justificou o senador.

Agora, a expectativa é que o requerimento seja lido na próxima sessão plenária para que os líderes partidários indiquem os membros que irão compor a CPI.

Assessoria de comunicação do senador Randolfe Rodrigues

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *