Após quatro anos, seguimos no topo: Piratão é bi-campeão. Viva o Rei do Carnaval! – @PiratasBatucada

Torcida do Piratão comemorando o 1º lugar no carnaval do Amapá — Foto: Caio Coutinho/G1

O Rei do Carnaval amapaense se manteve no topo e sagrou-se campeão novamente. Aliás, a Associação Recreativa e Cultural Escola de Samba Piratas da Batucada é Bicampeã. Minha agremiação do coração fez bonito e conseguiu nota dez em quase todos os quesitos avaliados pelos jurados, com 269,4 de pontuação alcançada nesta quarta-feira de cinzas amarela e azul.

Foto: Philipe Gomes

O Piratão, como é conhecida, chegou ao 18º título. Como disse o presidente da escola, Marcelo Zona Sul, a Piratas da Batucada nunca parou de trabalhar, mesmo com quatro anos sem o desfile da Escolas de Samba do Amapá (…”pirateando o tempo e indo além do que a mente alcança”…). A vantagem foi de um ponto sobre a segunda colocada, a Maracatu da Favela – foi pouco.

Foto: Max Renê

O Piratão fez a Passarela do Samba no Meio do Mundo, na Rua Victa Mota Dias, amarelar na segunda noite de desfile. A descontração dos seus milhares de componentes não deixou de ser organizada. Tava todo mundo cantando, dançando e evoluindo dentro de seu espaço, como deve ser.

Foto: Ana Girlene

Quando o Piratão entrou, a multidão levantou. E eu chorei, ali, fantasiado, semi-rouco de tanto cantar o samba-enredo (“…Nunca esqueça, carnaval é fantasia. Então deseje que a alegria. Seja o tic-tac do seu coração…”). Aliás, chorei hoje de novo, com o título. É muito amor por essa escola. A Piratas da Batucada passou fantasticamente e caralhisticamente brilhante.

Foto: Max Renê

Os carros alegóricos estavam perfeitos. A comissão de frente, harmonia, mestre-sala e porta-bandeira, tudo redondinho, lindo de ver. Sim, Piratão deu show e mostrou como se faz Carnaval.

Foto: Ana Girlene

E a comunidade fez o mesmo. Todos agitaram suas bandeiras, balançaram suas mãos e embarcaram na viagem da imaginação e foram/são felizes no Piratão. Vencer é mais emoção ainda. Quem é pirata sabe como é sensacional desfilar ou torcer pela Escola. Somos apaixonados e felizes.

Foto: Ana Girlene

Quando os ritmistas da Bateria Majestosa Pura Cadência faziam paradinhas, nossos corações seguiam na cadência. E com uma imponente rainha à frente, que não teve piedade, botou pra quebrar.

Como comentou uma amiga e colega jornalista: “Piratão é foda, mano, galera vai ter que correr muito atrás“. E é verdade. As pessoas que assistiram às duas noites de de files foram unânimes em dizer que o título seria nosso.

Foto: Max Renê

O enredo mágico dizia : “…Sonhar é crer que o nunca pode acontecer…”. Cremos, teve Carnaval (aliás, obrigado aos que se empenharam para tal), fomos e vencemos. Afinal, aqui é Piratão. Valeu, gente!

“…Nunca vou deixar de amar
Teu amarelo, glorioso imortal
A zona sul vem sambar
Com o rei do carnaval…”

Elton Tavares – Jornalista e pirata da batucada desde 1990.

*Texto escrito com o samba tocando no repeat.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *