Arrastão, arrastão, arrastão (via blog da Alcinéa Cavalcante)


Macapá virou a cidade do arrastão.

É arrastão na orla, nas praças, nos bares, nas paradas de ônibus e dentro de ônibus.

Não se pode caminhar, correr ou praticar qualquer outro exercício físico nos locais destinados a isso, pois os malacos aparecem de repente em bando roubando a paz, celulares e tênis de quem procura uma vida saudável.

Não se pode passear com a família no “Lugar Bonito” pois a bandidagem está solta por lá fazendo arrastão.

Sentar num banco de praça para papear ou ler um livro, nem pensar. Os pivetes estão por lá em turma fazendo arrastão.

Vai tomar uma cervejinha num dos bares da orla recebendo a brisa que vem do Amazonas? É um olho no copo e o outro na gangue que vem chegando e pernas pra que te quero pra não perder o celular, a carteira e até a vida para os bandidos.

Frequentar lanchonetes também é um perigo. Na noite desta quinta-feira pela enésima vez teve arrastão na “X do Sul”, na Praça Barão.

Enfim, é arrastão todo dia a qualquer hora em qualquer lugar.

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*