Arte urbana: Curumim na Rua colore ruas de Macapá

Por Paula Monteiro

Alegre e brincalhão, o personagem “Curumim na Rua” é um dos grafites que alegram e chamam a atenção pelas ruas de Macapá. Estampado pelos muros e paredes em diferentes pontos da capital amapaense, a criação do designer Eder Pimenta, 29 anos, foi inspirada nas tribos indígenas que habitavam a região.

“Eu moro no bairro Beirol, um dos primeiros bairros de Macapá. Uma vez, passeando por essas ruas, observei que todas levam nome de etnias indígenas. Me perguntei se as pessoas conheciam a história por trás daqueles nomes, a origem de tudo. A curiosidade casou com o meu momento de descoberta no grafite, foi quando surgiu a ideia de fazer um indiozinho, uma criança indígena que brinca nessa atmosfera urbana. Ela volta a ocupar esse local que virou cidade, que um dia foi moradia de povos que viveram nessas redondezas”, explica.

O curumim está sempre brincando, correndo e sorrindo. Esse alto astral busca quebrar um pouco o ar pesado e a correria estressante da cidade, além de homenagear os povos da floresta nos muros residenciais, prédios e até escolas públicas.

Eder Pimenta, 29 anos, é amapaense, designer gráfico formado em Artes Visuais, técnico em desenho e empresário. Apaixonado pelo regionalismo, conheceu o grafite ainda criança quando participava das pinturas de ruas, casas e muros em épocas de copas do mundo. Influenciado pela arte urbana de São Paulo, durante uma viagem, descobriu no grafite um mundo de inspiração e criatividade.

“Como designer às vezes a gente fica sem inspiração e eu acabei buscando outros modos para poder fluir melhor as ideias. Em 2013, me matriculei no Centro de Artes Cândido Portinari onde fui conhecer outras linguagens artísticas e aprofundar conhecimentos. Eu ainda não trabalhava com o grafite. Então, foi um processo de descobertas que tomou força na universidade”, conta.

“Dentro dos meus trabalhos eu busco sempre me localizar, sou um apaixonado pela minha Região Norte, pelo Amapá, então todos os elementos da nossa cultura eu procuro utilizar dentro do meu trabalho, como o Curumim. Eu venho de família ribeirinha, estou carregado dessa atmosfera”, finaliza.

Fonte: Portal Égua, mano!

* O Portal “Égua, mano!” é o novo espaço cultural disponível para os leitores amapaenses. Adorei o site, pilotado pela competentíssima jornalista Paula Monteiro. Depois vamos falar mais sobre essa novidade (Elton Tavares). 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *