Artistas dos quatro cantos do país ocupam a Amazônia Amapaense

A Residência e Festival Corpus Urbis – 4ª edição – Oiapoque ocupará a Amazônia Amapaense entre os dias 22 de setembro e 01 de outubro. O Festival que por três edições aconteceu em Macapá, capital do Amapá, este ano conta com algumas novidades. A primeira é a ampliação do Festival que passa a ser também Residência, ou seja, os artistas selecionados poderão imergir em uma troca de experiências com outros artistas. A segunda novidade é que haverá intercâmbio artístico entre artistas de diversas origens, em que seus processos de investigação e criação serão atravessados pelo contexto sociocultural e convivência junto às comunidades indígenas do Amapá, na cidade do Oiapoque.

A terceira novidade começou no ano passado, quando o projeto participou de uma das maiores seleções que apoiam projetos culturais no país, e esse ano conta com o apoio do Rumos Itaú Cultural 2017 – 2018. Segundo uma das idealizadoras do projeto Cristiana Nogueira, 42, “esse foi um passo importante para sabermos que estamos no caminho certo”.

O principal objetivo do evento é fomentar a produção de arte contemporânea, com ênfase em performance e intervenção urbana, no Estado do Amapá. O Festival que será sediado na cidade do Oiapoque, com suas ações estendidas para as aldeias de Santa Izabel e Espírito Santo, contará com os processos artísticos desenvolvidos na residência, apresentados durante o Festival nos espaços públicos da cidade.

Outro objetivo desta Residência Artística é promover a imersão e troca intensa entre os artistas participantes, para assim, inserir e reafirmar a produção artística contemporânea do Amapá nos circuitos de produção nacionais e/ou internacionais, promovendo a visibilidade dos artistas locais.

Seleção

Neste ano entre dezenas de inscrições, com participação de todos os estados brasileiros, foram selecionados 8 artistas de norte ao sul do país: Abiniel Nascimento (PE), Camila Valones (PE/SP), Geovani Lima (ES/SP), Hugo Nascimento (PA), Jaqueline Vasconcellos (BA), Letícia Haines (SC), Moara Negreiros (AP) e Priscilla Rezende (MG) .

Artistas Convidados:

Entre os artistas indígenas convidados locais, estão: Davi Marworno (Galibi- Marworno), Dieimisom Sfair (Karipuna), Kauri Waiãpi (Waiãpi), Keyla Felício Iaparrá (Palikur-Arukwayene), Luene Aniká dos Santos (Karipuna), Maurício Galibis Nunes(Galibi-Marworno), Milton Galibis (Galibi – Marworno), Miranda Narciso dos Santos (Palikur-Arukwayene), Noel Henrique dos Santos(Galibi – Marworno) , Yermolay Caripoune (Karipuna), Aikyry Waiãpi (Waiãpi), Romana Waiãpi(Wajãpi), Xykyreu Roseline Waiãpi(Waiãpi).

O projeto conta ainda, com as participações nacionais de: Denilson Baniwa, do povo indígena Baniwa é natural do Rio Negro, interior do Amazonas. Jaider Esbell, arteativista multimídia, escritor e produtor cultural. Indígena do povo Makuxi de Roraima; pelo conjunto da obra foi indicado ao Prêmio PIPA onde é vencedor na categoria on-line em 2016 e Sallisa Rosa Natural de Goiânia – Goiás é jornalista e com fotografia explora questões sobre identidade, feminino, descolonização, globalização e povos originários em contexto urbano.

Serviço:

Residência e Festival Corpus Urbis – 4ª Edição – Oiapoque
Data do evento: 22 de setembro a 01 de outubro
Local: Aldeias Santa Izabel e Espírito Santo, Oiapoque/Amapá
Informações: https://corpusurbis.wixsite.com/corpusurbis
facebook.com/corpusurbis @corpusurbis

Contatos:
Coletivo TensoAtivo
Assessoria de Comunicação
Patricia Teixeira: [email protected]
(91) 980905646 (whats)

Patricia Teixeira Wanderley
Jornalista DRT – 1978/PA
Mestranda do Programa de Pós Graduação em Comunicação Cultura e Amazônia
Universidade Federal do Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *