Banda do AP pede doações de R$ 1 em campanha para produção de videoclipe

Banda precisa de R$ 1 mil para custear despesas para o videoclipe do disco de estreia da banda (Foto: Philippe Silva/Divulgação)

Por Carlos Alberto Jr

Em meio à dificuldade de fazer produção autoral no Amapá, os membros da banda de rock alternativo Calisto tomaram a iniciativa de lançar uma campanha de financiamento colaborativo para poder gravar o videoclipe do disco de estreia do grupo.

Os músicos pedem apenas R$ 1 por pessoa, para quem se identifica com o trabalho da banda. As colaborações estão sendo arrecadadas, diariamente, em um ponto de venda de milk shake na praça Floriano Peixoto, no Centro de Macapá.

Os colaboradores serão recompensados com um espaço nos créditos do vídeo e entrada franca na festa de lançamento do álbum de estreia da Calisto, chamado “Nosso Encontro Casual”.

De acordo com os artistas, o objetivo é arrecadar R$ 1 mil para que o clipe seja produzido, uma vez que o resto dos esforços financeiros da banda foram para a gravação do disco.

“O nosso álbum já está pronto e foi por isso que iniciamos a campanha, pois não teríamos condições financeiras para arcar com os custos do videoclipe”, explicou o vocalista e guitarrista, Ramon Tito.

A ideia de arrecadar o dinheiro no posto de milk shake partiu do guitarrista Felipe Mourão, como forma de facilitar a participação das pessoas.

“Aos poucos nossa campanha, que está sendo feita tanto na internet, quanto no boca a boca, está ganhando mais repercussão e acreditamos que vamos conseguir alcançar”, disse, confiante, Mourão.

Com influências que passam pelo indie rock ao groove brasileiro, o jovem grupo, com a faixa de idade de 20 anos, vem chamando a atenção no cenário independente amapaense. Além dos shows compostos por repertório autoral, eles também atenção nas redes sociais, o vídeo da canção “Mais do que Normal”, tem mais de 74 mil visualizações na página da banda no Facebook.

Criado em 2015 a Calisto é formada por Ramon Tito, no vocal e na guitarra base, Felipe Mourão na guitarra principal, Eduardo Lima nos teclados e efeitos, Cleber Salada, no contrabaixo e Ivan Dias, na bateria e percussão.

Fonte: G1 Amapá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *