Candidato à presidência da LIESAP quer carnaval como empresa fomentadora de emprego, renda e cultura no Amapá

Gestão Compartilhada e Descentralizada como Modelo de Gestão e Progresso é o carro-chefe das propostas do candidato à presidência da Liga Independente das Escolas de Samba do Amapá (Liesap), Diego Armando Cearence, atual presidente da agremiação Piratas Estilizados. O processo para substituição do presidente Vicente Cruz inicia na próxima semana, dia 18, e a eleição será em até 30 dias após a publicação oficial. Com quatro anos sem realização de desfile de escolas de samba no Amapá, o candidato tem como meta retomar com cada ente assumindo suas responsabilidades o carnaval no Amapá, com os desfiles oficiais e demais eventos que compõem o calendário da Liga.

Diego Armando é amapaense, tem 32 anos, e desponta como uma nova e promissora opção para gerenciar o evento. Contador e perito judicial e extrajudicial, especialista em elaboração e análise de projetos, membro do Instituto de auditores Independentes do Brasil (Ibracom) e da Confederação dos Profissionais Contábeis do Brasil (Aprocon), ele tem um histórico de atuação eficiente nas instituições e eventos em que esteve à frente.

A proposta de Diego é fundamentada em dez eixos, todos com objetivos práticos e executáveis. O principal entrave justificado pelo maior financiador do carnaval no Sambódromo, o Governo do Estado, que é a falta de recursos, é um problema para o qual Diego apresenta como proposta a captação financeira antecipada em outras fontes, como através da iniciativa privada, que precisa ser convencida a acreditar na LIESAP como realizadora de um carnaval que dê retorno e cumpra a finalidade de promover cultura, gerar emprego e renda. A legalidade e transparência são condicionantes presentes em toda a proposta do candidato, que é declaradamente contra o chamado “jeitinho brasileiro”.

“Fazer com que as dez escolas de samba se legalizem, se unam, e iniciem junto com a nova presidência da Liga uma campanha positiva de reconstrução da imagem da instituição, e tenha muita vontade de realizar os desfiles, é o primeiro passo para podermos conversar com futuros parceiros, da iniciativa privada ou pública”. Ele propõe como o primeiro passo para alcançar este objetivo, a legalização da LIESAP e das filiadas, formalizando uma parceria com o Conselho Regional de Contabilidade (CRC/AP), para que seja feita a análise das prestações de contas de 2013 à 2015 e dadas orientações para que as escolas façam os procedimentos de forma correta.

Diego Armando Cearence

A transparência nas informações está prevista na proposta de Diego Armando, que, se eleito irá disponibilizar em um site, dos atos administrativos à prestação de contas e dados sobre as escolas de samba e presidentes, além de notícias jornalísticas. A reaproximação de órgãos de controle e fiscalização, reformulação do estatuto da LIESAP, para que as agremiações assuma suas responsabilidades enquanto instituições comunitárias, a divisão organizada dos lucros, e a reativação do Sambódromo e Cidade do Samba, estão inclusas na proposta de gestão.

“Vamos reorganizar a LIESAP, reaproximar as escolas, dialogar com governos Estadual e Municipal, empresários e comunidades, com a garantia de responsabilidade e transparência. São medidas necessárias para que todos voltem a acreditar no carnaval das escolas de samba como um evento que fomenta a cultura, emprego, turismo e comércio, como já foi anos atrás. A cadeia produtiva do carnaval envolve diretamente muitos profissionais. Movimenta também indiretamente a economia da rede hoteleira, espaços de diversão, comunicação, serviços de transporte, até comércio formal e informal de alimentos e roupas, e esta cadeia precisa ser movimentada , assim como nos demais estados em que o carnaval é palco de fomento econômico, cultura e lazer”.

Mariléia Maciel
Assessoria de comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *