Carnaval 2020: empreendedores terão a chance de faturar durante o Desfile das Escolas de Samba

Com o anúncio da realização do Desfile das Escolas de Samba, que será realizado na Rua Victa Mota Dias, no bairro Jardim Marco Zero, empreendedores de Macapá terão a oportunidade de faturar no carnaval. A passagem das agremiações carnavalescas será nos dias 21 e 22 de fevereiro, e a expectativa é a geração de renda aos trabalhadores informais.

Para a participação no evento, foi feita a publicação de um edital com período de 3 a 6 de fevereiro. Os empreendedores tiveram que se adequar às exigências do edital, tais como modelos de padronização, não sendo permitido o uso de carrinhos pelos permissionários e proibição do uso de aparelhos sonoros nas tendas, entre outros. Mais de 100 trabalhadores participaram do sorteio e 50 deles foram selecionados.

De acordo com a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Lidiane Cardoso, os trabalhadores ficarão na chamada Feira do Empreendedor, situada no estacionamento do Estádio Zerão. Eles terão a oportunidade de comercializar alimentos, bebidas, artesanato, entre outros. “A intenção é deixar o folião e a população em um ambiente propício. Além disso, oportunizar a geração de renda aos empreendedores de maneira organizada”, diz.

Além da organização, a Semdec fará uma pesquisa para avaliar o impacto do período carnavalesco na geração de emprego e renda da população. A intenção é fazer um levantamento do impacto na cadeia produtiva durante o carnaval. “Essa pesquisa servirá para o planejamento futuro. De maneira ordenada, teremos um diagnóstico mais preciso de como atuar e fomentar o empreendedorismo dos autônomos. Avaliaremos os investimentos e o retorno”, afirma.

Paralelamente, durante o evento, terá a atuação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitacional (Semduh), que ficará responsável pelo trabalho de fiscalização quanto à ocupação indevida de áreas não autorizadas. A preocupação é evitar a ocupação indevida do solo, principalmente nos setores de acesso aos camarotes e arquibancadas.

“A ideia é promover o ordenamento de toda a área para não oferecer qualquer risco à população. Os empreendedores que fizeram o cadastro terão o seu espaço específico, e os que ficaram de fora terão que que se adequar. Caso contrário, poderão ser retirados”, informa o titular da Semduh, Luiz Otávio Figueiredo.

Jonhwene Silva
Assessor de comunicação/PMM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *