I Congresso do projeto Macapá 300 anos conta com o apoio do SESI e do SENAI AP

O Serviço Social da Indústria (SESI) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) do Amapá estão apoiando a Prefeitura Municipal de Macapá (PMM) na divulgação do “I Congresso Científico Macapá 300 anos”. A ação faz parte do Projeto de mesmo nome, e tem o intuito de reunir propostas produzidas por pesquisadores, professores, acadêmicos e indivíduos que tenham como foco o desenvolvimento sustentável da cidade. As inscrições devem ser feitas pelo endereço eletrônico http://300anos.macapa.br/congresso/, até o dia 26 de março.

O congresso, que acontecerá no período de 20 a 22 de maio, dará visibilidade a estudos, pesquisas, publicações, trabalhos de conclusão de curso de graduação e especialização, dissertação de mestrado, tese de doutorado ou pós-doutorado, em formato de artigo científico. O evento é dividido em quatro eixos temáticos: Gestão e Finanças Públicas Municipais, Desenvolvimento Humano e Social da Cidade, Desenvolvimento Econômico de Macapá de Agora e para o Futuro, e Desenvolvimento Ambiental e Urbano. Após a apresentação e análise, o material será compilado e publicado por grupo temático.

Para o diretor do SESI e do SENAI, Moisés de Aguiar, a iniciativa irá fomentar um projeto que impulsionará o progresso do município. “Esse trabalho interessa a todos que vivem aqui. O resultado nos trará informações organizadas, dados e estratégias que possibilitarão a realização de melhorias em Macapá. O planejamento da cidade diz respeito a cada um de nós”, destacou.

Macapá 300 anos

Do projeto resultará um espaço que prevê a participação de todos, e que integre seus moradores. As soluções conjuntas geram responsabilidades coletivas e o objetivo é transformar a cidade em um lugar que concilie tecnologia, inovação e sustentabilidade, preservar sua identidade cultural e dinamizar a economia local.

Assessoria de de Comunicação Corporativa SESI/SENAI – AP
Contato: (96) 3084-8944
E-mail: imprensa@sesisenaiap.org.br

Carnaval, o Espelho Invertido – Conto porreta de Fernando Canto

Boêmios do Laguinho, escola de samba de Fernando Canto – Foto: Elton Tavares

Por Fernando Canto

O brasileiro faz festa para tudo, sempre arranja um motivo para comemorar. Mas é no carnaval que ele festeja a si próprio, pois quando isso acontece emerge claramente a velha ideia de que a festa representa uma memória e uma comunicação expressa por mensagem, no dizer do antropólogo Carlos Brandão. E se nos festejamos estamos cerimonialmente separando aquilo que deve ser esquecido (o silêncio não-festejado do cotidiano) e aquilo que deve ser resgatado. Quando nos festejamos somos convocados à evidência, para sermos lembrados por algo ou alguém, o que significa darmos sentido à vida, através de ritual na brevidade de um momento especial em que somos anunciados com ênfase. Aí nos tornamos símbolos, porque a sociedade festeja alguém que transitou de uma posição a outra ou migrou de trabalho ou de seu espaço de vida para outro.

Quando alguém, independentemente da mídia, tem seus quinze minutos de fama, pode estar solenizando uma passagem ou comemorando sua própria memória. A festa quer ser a memória viva dos seres humanos. A cada ano eles renovam essa catarse ao brincarem com os sentidos e os sentimentos, e então inventam situações onde a cultura nacional evidencia uma permanente vocação de investir no exagero, na critica e até na caricatura. Ali a oculta e difícil realidade surge epifanicamente revelando o que os indivíduos querem, fantasiados ou não, sóbrios ou loucos, juntos ou conflitantes, mas festejando o que são com suas angústias e significados.

No carnaval os atores sociais saem da rotina e forçam ao ritual da transgressão, saindo de si mesmos no breve ofício de inverter o que são. Alguns estudiosos como Da Matta e o próprio Brandão chamam isso de espelho invertido do que é socialmente esperado: pobres se vestem de príncipes, os nobres de índios, os homens de mulheres, as mulheres viram fadas e os bandidos querem ser heróis. Condutas se ultrapassam e se comemoram no ritual de si mesmo no carnaval.

Fernando Canto, o folião boemista. Foto: arquivo pessoal.

Mas não é o objetivo deste artigo fazer uma análise mais acurada do carnaval. Ele, o carnaval, vai muito além do seu significado sociológico. E como cultura, qualquer mecanismo inerente a ele traz uma dimensão que nos permite o mais profundo pensar ou o maior desprezo, ou mesmo valorizar a velha ”preguiça” ancestral indígena que dá depois da farra.

Elton Tavares, Emanoel Reis e Fernando Canto – Bar do Louro – Carnaval 2016

Todos sabem que o carnaval, enquanto evento tem vários conceitos e facetas. O significado de sua origem se perde nas trevas do tempo. Escritores autorizados dizem que ele surgiu nas orgias pagânicas do Egito e da Grécia, ou nas bacanais de Roma, realizadas em dezembro. Ele seria, então, apenas a reprodução em sentido mais moderado das festas lupercais, saturnais e bacanais que a história registra com abundância de informações. Não parece haver dúvidas, segundo Jorge de Lima, que o carnaval, assim como o teatro, nasceu da religião. Do italiano carne vale, é o tempo em que se tira o uso da carne, pois o carnaval é propriamente a noite antes da quarta-feira de Cinzas.

Carnaval do Amapá nos anos 60. Foto: blog Porta Retrato.

Para alguns é apenas uma caricatura que se faz da realidade e das pessoas, mostrando seus defeitos de forma burlesca, com imitação cômica. A meu ver, entre tantas hipóteses do que pode ser o carnaval, fico com esta que é completamente inusitada. Certa vez ao tocar um antigo samba-enredo de uma escola do Rio, num banquinho em frente à casa de meus pais, no Laguinho, iniciei a música no cavaquinho e cantarolei: “O carnaval é a maior…” Quando fui bruscamente interrompido pelo vizinho e amigo Nonato Bufu, que completou: “…caligrafia”, no lugar de “caricatura”. Rimos na hora, mas hoje eu entendo que também nós somos responsáveis em escrever a mão a história do nosso carnaval, inclusive com as alegrias e dores que porventura se fizeram presentes em nossas vidas.

*Texto publicado originalmente no Jornal do Dia, em 2006. Está no meu livro “Adoradores do Sol”.

Desfiles das escolas de samba e A Banda terão ‘Centrais de Flagrantes’

Foto: José Baía/Secom

Por Karina Rodrigues

A Policia Civil vai ofertar delegacias para funcionarem como “centrais de flagrantes”, duas delas localizadas em pontos estratégicos, próximos dos principais eventos de carnaval no Amapá: desfiles das escolas de samba e A Banda.

Nos dia 21 e 22, milhares de pessoas são esperadas para prestigiar as agremiações carnavalescas em frente ao Estádio Zerão, na zona sul de Macapá. Para reforçar a segurança, Polícia Militar (PM) e Corpo de Bombeiros atuam na programação.

Ao lado do evento, a 9 ª Delegacia de Polícia que funciona dentro do prédio do Sambódromo será uma das centrais de flagrante. Os foliões e a população em geral podem buscar ajuda a qualquer hora do dia.

Já na Terça-feira de Carnaval, 25, a passagem do Bloco A Banda promete arrastar uma multidão pelas principais ruas do Centro da capital. Esse é o maior evento do período de folia no Amapá.

O trajeto do bloco passará pela frente da 6ª Delegacia de Polícia, localizada na Avenida Feliciano Coelho. Esta unidade também será uma das centrais de flagrante 24h durante o feriado.

Foto: José Baía/Secom

Veja abaixo outras opções de atendimento 24h:

Delegacia de Crimes Contra a Mulher (DCCM): Rua São José, s/n, bairro Centro
Ciosp do Pacoval: R. Guanabara, nº 244, bairro Pacoval
Delegacia Especializada em Investigação de Atos Infracionais (Deiai): Av. Fab, nº 1851, bairro Santa Rita
1ª Delegacia Policia de Santana: Salvador Diniz, s/n, Igarapé da Fortaleza

Polícia Militar

Todos os Batalhões da PM vão funcionar durante os dias de folia com serviços operacionais nas ruas. Sendo assim, os serviços administrativos serão suspensos e só retornam na Quarta-feira de Cinzas, 27, a partir de 12h.

Corpo de Bombeiros

Os quartéis do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) também funcionarão apenas para serviços operacionais externos. O atendimento administrativo também é suspenso, com volta na quinta-feira de manhã.

Promotoria da Saúde e CRM constatam que UTI do HCAL está funcionando com apenas cinco leitos

Para instruir Ação Civil Pública (ACP), em trâmite na 4ª Vara Cível e de Fazenda Pública de Macapá, a Promotoria de Defesa da Saúde do Ministério Público do Amapá (MP-AP) e o Conselho Regional de Medicina (CRM) fizeram inspeção, na última quarta-feira (19), nas instalações do Hospital de Clínicas Alberto Lima (Hcal), quando constataram que apenas cinco leitos, dos 11 disponíveis na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), estão funcionando plenamente.

A inspeção é fruto de um pedido do MP-AP, em razão do Estado ter respondido, no curso da ACP Nº. 0054823-38.2015.8.03.0001, que a UTI estava funcionando plenamente. Para assegurar a informação, a promotora de Justiça Fábia Nicil, titular da 2ª Promotoria de Defesa da Saúde, requereu nova verificação no local, com a presença do CRM e Vigilância Sanitária.

Por decisão judicial proferida pelo Juízo da 4º Vara Cível, atendendo ao pleito do MP-AP, o Estado deveria ter adotado as medidas necessárias para que os 11 leitos (capacidade máxima da UTI), estivessem devidamente equipados com ventiladores mecânicos e acessórios, monitores multiparâmetros, aspiradores de secreção, bombas de infusão, macronebulizadores, medicamentos e correlatos necessários. “Infelizmente, não foi constatado qualquer avanço; ao contrário, o cenário encontrado é ainda mais desanimador”, lamenta a promotora Fábia Nilci.

Durante a vistoria, a servidora da Promotoria da Saúde, Elizete Paraguassu, e o presidente do CRM-AP, Dr. Eduardo Monteiro, acompanhados pelo diretor do Hcal, enfermeiro Juan Mendes, conversaram com a equipe médica plantonista, e foram informados que, desde a última verificação feita pelo MP-AP, em 29/09/2018, não houve qualquer melhora no hospital, persistindo a falta de medicamentos básicos, como Hidrocortisona, Aminofilina, Furosemida, Dipirona, Omeprazol, Antibióticos e Plasil, dentre outros, essenciais para o tratamento dos pacientes internados na UTI.

Além do exposto, os cinco leitos ativos estão funcionando sem material de reposição e os profissionais da saúde estão trabalhando com dificuldades de assistência aos pacientes em estado crítico, devido à falta de exames essenciais, como Gasometria Arterial; Bioquímica do Sangue e Hemogramas. Há carência, por exemplo, de fita para verificação de glicemia.

Foi observado também, a falta eletrodos para ligar os novos monitores; problemas na Rede de Gases e falta de Raio-X durante o plantão, principalmente noturno. O equipamento pertence ao Hospital da Criança e Adolescente (PAI), onde os exames são realizados quando há disponibilidade de funcionários para revelar no próprio PAI.

Em contato com a equipe de enfermagem da UTI, houve relatos de falta de pessoal (técnico de enfermagem) para girar a escala, tendo apenas um técnico para cada leito, gerando inúmeras dificuldades, principalmente na hora do asseio no leito dos pacientes. Outra denúncia apresentada foi a paralisação do serviço de conservação e limpeza do ambiente, pois os servidores estão em greve, por falta de material de limpeza (indispensável ao trabalho) e por falta de pagamento de seus vencimentos

“Ingressamos com ACP em 2015 e, desde então, estamos cobrando judicialmente as providências. Agora, diante do quadro observado, estamos recomendando também ao CRM que adote todas as medidas cabíveis para o efetivo atendimento aos pacientes que necessitam do serviço da UTI do Hcal”, frisou o coordenador das Promotorias de Defesa da Saúde do MP-AP, promotor de Justiça André Araújo.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Coordenação: Gilvana Santos
Texto: Ana Girlene
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: asscom@mpap.mp.br

Veja as vagas de emprego do Sine Macapá para o dia 21 de fevereiro

O Sistema Nacional de Emprego no Amapá (Sine-AP) oferece vagas de empregos para Macapá. O número de vagas está disponível de acordo com as empresas cadastradas no Sine e são para todos os níveis de escolaridade e experiência.

Os interessados podem procurar o Sine, localizado na Rua General Rondon, nº 2350, em frente à praça Floriano Peixoto. Em toda a rede Super Fácil tem guichês do Sine e neles é possível obter informações sobre vagas na capital.

Para se cadastrar e atualizar os dados, o trabalhador deverá apresentar Carteira de Trabalho, RG, CPF e comprovante de residência (atualizado).

Veja as vagas disponíveis de acordo com as solicitações das empresas:

auxiliar de depósito
auxiliar financeiro
instalador de sistema fotovoltaico
padeiro
designer gráfico
caseiro
repositor de perecíveis
vendedor externo (para pessoas com deficiência)
embalador a mão (para pessoas com deficiência)
O Sine informa que as vagas oferecidas podem sofrer alterações de um dia para o outro, pois o sistema não contabiliza os atendimentos ao longo do dia realizado nas unidades Superfácil, que funcionam após o fechamento da agência central.

Fonte: G1 Amapá

Feliz aniversário, Clicia Di Miceli!

Clicia Di Miceli gira a roda da vida hoje. Ela zerou o jogo da vida, pois se deu bem em tudo que se propôs a fazer. Ela é uma educadora, produtora cultural e pesquisadora competente (bem sucedida em todas essas áreas de atuação), casou com um cara foda, artista, gente fina, entre outras tantas paideguices do Enrico e é mãe de uma moça linda, talentosa como a mãe (já vi a Flor cantando e li escritos dela compartilhados em redes sociais por sua coruja genitora).

Além disso, Clicia é proprietária da Bacabeira Produções, umas das idealizadoras do Banzeiro Brilho-de-Fogo, documentarista e estudiosa da música. Ela é foda mermo!

Sempre conto que estudei com a Clicia em 1989, na Escola Polivalente Tiradentes. Ela era uma praguinha. Um tanto quanto inquieta, sagaz e eu um moleque abestado e quieto. A gente se dava muito bem. De lá pra cá, cada qual tomou um rumo, a gente até se esbarrava por aí, mas sem muito contato. Depois de uns anos, retomamos a brodagem. Sorte minha, pois quando encontro com ela e Enrico, é certeza de bons papos e muitas risadas.

Com caráter inabalável e amor pela cultura, aliados a um talento ímpar, Clicia é uma daquelas pessoas que puxa a fila, que inova, movimenta, faz acontecer. Não à toa, tem o respeito e admiração da classe artística do Amapá e de muitos dessa nobre área Brasil afora.

Sem nenhum exagero, reforço que essa figura é demais porreta. Adoro essa mulher, pois ela é sincera em suas opiniões e atitudes. Uma pessoa de verdade e uma mulher de bem.

Clicia, que teu novo ciclo seja ainda mais produtivo, feliz e com muita saúde pra curtir essa tua vida alegre e cheia de vitórias. Desejo ainda mais sucesso e sabedoria na jornada. E que tu sigas pisando forte e fazendo valer.

Parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

Elton Tavares

MP-AP formaliza Comissão de Combate ao Assédio Moral e Sexual Institucional

O subprocurador-geral de Justiça para Assuntos Administrativos e Institucionais do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Nicolau Crispino, representando a procuradora-geral de Justiça do MP-AP, Ivana Lúcia Franco Cei, recebeu, na última terça-feira (18), em seu gabinete, o presidente do Sindicato dos Servidores do Ministério Público do Amapá (Sindsemp-AP) e os servidores José Villas Boas, Ivana Contente, Tânia Araújo e Carla Pena.

Durante o encontro foram iniciadas as atividades da Comissão de Combate ao Assédio Moral e Sexual Institucional, seguindo a Recomendação nº. 52, de 28/03/2017, do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), como parte integrante da Política Nacional de Gestão de Pessoas.

A Comissão, constituída pelo subprocurador-geral de Justiça Nicolau Crispino e os servidores do MP-AP presentes no encontro, será responsável pela implementação de ações contínuas e efetivas que permitam administrar conflitos e prevenir o assédio e o sofrimento no trabalho, visando, com isso, proporcionar qualidade de vida, em suas dimensões biológicas, psicológicas, social, organizacional e espiritual.

A partir de um prévio diagnóstico, a Comissão desenvolverá ações de natureza psicológica, interpessoais e legais com o fito de estabelecer mecanismos de prevenção e combate ao problema, incluindo palestra inaugural com equipe multidisciplinar, que discorrerá sobre o assédio moral em suas várias modalidades, visando, com isso, sensibilizar os integrantes do Ministério Público, de que o tema é de grande relevância e que a participação de todos nas ações que serão desenvolvidas, será de extrema importância para a coibição do problema.

Assédio moral e Assédio sexual

Caracteriza-se Assédio moral a exposição de trabalhadores a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho. Os casos mais comuns ocorrem em relações hierárquicas autoritárias e sem simetria, em que predominam condutas negativas, relações desumanas e aéticas de longa duração. Em muitos casos, a vítima é forçada a desistir do emprego, além de acarretar prejuízos práticos e emocionais para o trabalhador e a organização.

Já o assédio sexual é definido como ato de constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual, prevalecendo-se da sua condição de superior hierárquico ou ascendência inerente ao exercício de emprego, cargo ou função.

Provas

Pode-se provar a prática do assédio sexual por meio de bilhetes, cartas, mensagens eletrônicas, e-mails, documentos, áudios, vídeos, presentes, registros de ocorrências em canais internos das empresas ou órgãos públicos. Também é possível provar por meio de ligações telefônicas ou registros em redes sociais (facebook, whatsapp, etc) e de testemunhas que tenham conhecimento dos fatos.

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Elton Tavares – Assessor de comunicação.
Coordenação: Gilvana Santos
Contato: (96) 3198-1616

Ensaio Técnico, mais uma contribuição do Piratão pro Carnaval de Macapá – Por Alcione Cavalcante

Foto: Max Renê

Por Alcione Cavalcante

Como tudo realizado pela Piratas da Batucada, o ensaio técnico da Escola, na segunda-feira, foi um show à parte e prenúncio de um desfile grandioso, criativo e envolvente.

Realmente a preparação e organização do ensaio, desde a concentração até a dispersão, mostrou que a escola, mais uma vez, leva muito a sério o Carnaval.

Destaco a participação da comissão de frente, a evolução do casal de mestre-sala e porta-bandeira, das baianas, a sinalização da composição dos quadros e da inserção das alegorias, a sincronia perfeita entre o samba, os puxadores e a bateria e entre estes e a evolução e o trabalho perfeito da harmonia. Destaco, harmonia impecável, a começar pelo traje, mesmo em ensaio, o que demonstra o compromisso com a memória, o respeito e a grandeza do carnaval de Piratas.

Confesso, mesmo com trinta anos de escola, eu me passo.

Lembro que Piratas da Batucada, tradicionalmente promovia nas avenidas e ruas do bairro do Trem, por ocasião da preparação de seus desfiles, “arrastões” que tinham por objetivo a mobilização da comunidade e, às proximidades da data dos desfiles, realizava ensaios técnicos. Portanto não era novidade pra escola.

Gostaria de lembrar o up-grade promovido por Piratas da Batucada ao encarar e promover, pela primeira vez um ensaio técnico na Ivaldo Veras, estabelecendo o Marco Zero do que temos hoje como evento preparatório imprescindível pro êxito do carnaval, não só para as agremiações, como também para a organização do desfile, da checagem do som à segurança das estruturas, enfim de toda a logística que um evento dessa magnitude mobiliza.

Foto: Max Renê

Evidentemente que o Rio de Janeiro já realizava ensaios técnicos, mas faltava ao nosso carnaval um toque de inspiração e ousadia, que veio através de uma conversa entre Sergio Lemos (Ex-presidente Teco), Lourival Freitas (Diretor de Piratas) e Alexandre Louzada, então carnavalesco da Beija- Flor, sobre as possibilidades do carnaval de Macapá. Por que não se fazer um ensaio técnico de Piratas da Batuca no Sambódromo?

Ideia formulada, desafio lançado, missão cumprida.

Nos anos seguintes algumas outras agremiações vieram e posteriormente o evento foi incluído na agenda oficial do Carnaval. Foi muito bom.

O ensaio é ainda o momento em que a mente nos leva a lembrar, sem tristeza, de pessoas queridas do nosso Carnaval, como o Gilson Tocha (ex-presidente e passista de responsa), Edvaldo Azevedo (o Meré, entusiasmado defensor da escola), Maranhão (refinado observador, para quem a passagem dos carros e o ensaio técnico eram o verdadeiro carnaval) Manoel Torres (inigualável Diretor de Harmonia e maior conhecedor da história de Piratas e do Carnaval do Amapá),

Roberto Monteiro (criativo, perspicaz e envolvente, um dos maiores carnavalescos do Amapá, a quem devemos muito do que aprendemos), Jeconias, Walber, Pinheiro e tantos outros.

Mas o que gostaria de registrar mesmo é que para nós de Piratas da batucada, o ensaio técnico é sério, mas também é o renovar contínuo do congraçamento entre brincantes, simpatizantes, comunidade e diretores, que começa com a batida do surdo no primeiro ensaio e num crescendo evolui em explosão de alegria no desfile.

Foto: Max Renê

Valeu presidente Marcelo Zona Sul. Abraços aos ex-presidente Matta, Caxias e França, através dos quais registro minha admiração a todos os que dirigiram a escola que se transformou no Rei do Sambódromo.

Nesse mar de amor vai meu coração. Seja onde for, sempre será campeão. Aí é que eu me refiro.

*Alcione Cavalcante é engenheiro florestal e diretor de Piratas da Batucada

MP-AP promove palestra de prevenção das “Lesões por Esforços Repetitivos e os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho” para seus colaboradores

O Ministério Público do Amapá (MP-AP), por meio do programa Qualidade de Vida, promoveu nesta quinta-feira (20), palestra “Lesões por Esforços Repetitivos (LER) e os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT)”, em alusão ao Dia Mundial de Combate à LER e ao DORT, celebrado no próximo 28 de fevereiro.

A ação do projeto MP + Saúde, realizada por meio de uma cooperação com o Serviço Social da Indústria (Sesi/AP), no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça – Promotor Haroldo Franco, tem por objetivo cuidar da saúde de membros e servidores da instituição.

Na abertura do evento, o assessor técnico do MP-AP, José Villas Boas, evidenciou a importância de campanhas como esta, que visam o cuidado dos trabalhadores que desenvolvem suas atividades no MP-AP.

A palestra foi proferida pela analista operacional, fisioterapeuta do trabalho e ergonomista do Sesi/AP, Carla Guedes. A especialista discorreu sobre como as pessoas podem vir a desenvolver LER e DORT, assim como os malefícios de ambas, além de esclarecer sobre os tipos das doenças e as formas de preveni-las.

Carla Guedes ressaltou que, ao aparecerem os primeiros sintomas, o paciente deve procurar um profissional especializado.

Compareceram à palestra membros e servidores do MP-AP. Também presente a pedagoga educacional do Sesi/AP, Deusnisse Rocha.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Coordenação: Gilvana Santos
Texto: Elton Tavares – Assessor de comunicação.
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: asscom@mpap.mp.br

Carnaval 2020: “Não é Não!” alerta Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres

Carnaval é a maior festa popular do país, onde atrai uma infinita diversidade de pessoas, seja para assistir ao Desfile das Escolas de Samba, dos blocos ou pular nas festas carnavalescas. Para garantir uma folia alegre, sem perturbações ou constrangimentos, a Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres alerta para o assédio no período de carnaval e reafirma que “Não é Não”.

“Não puxar a moça pelo braço”, “não tentar beijar forçado”, “não encostar com malícia” são algumas das dicas para que a folia possa ser curtida com total respeito e sem que as mulheres sejam vítimas de importunação. Além disso, a pasta traz alertas e recomendações do que as pessoas podem fazer para ajudar mulheres a não sofrerem constrangimento ou se livrarem de importunadores:

– Não se aproveite de mulheres que ingeriram bebida alcoólica. Ajude-as a se sentar e, se possível, encontre os acompanhantes dela. Não a beije, Lembre-se: seu dever é protegê-la, não importuná-la ou assediar a mesma.

– Repreenda outros homens que estejam cometendo assédio. Assim, você não estará concordando com um comportamento que pode estragar a festa dos demais e dará bom exemplo.

– Ajude a mulher a se livrar dos assédios. Ao notar que uma mulher está sendo importunada, você pode tirá-la da situação constrangedora.

– Se você for policial, ajude a mulher assediada ouvindo o relato dela e encaminhando-a a uma delegacia comum ou especializada para fazer um Boletim de Ocorrência.

Em casos de violência, ligue 180, que é uma Central de Atendimento à Mulher em situação de violência, e é prestado de forma gratuita e confidencial. O canal tem objetivo de receber denúncias e orientar as mulheres sobre seus direitos. Ele funciona 24 horas, todos os dias da semana, inclusive, fins de semana e feriados, e pode ser acionada de qualquer lugar do Brasil.

Bruno Monteiro
Assessor de comunicação/PMM
Contato: 99911 5993
Fotos: Gabriel Flores

Série Carnaval 2020 em letra e melodia: conheça o samba de enredo da Escola Piratas Estilizados

Foto: Aydano Fonseca

Fundada em 5 de janeiro de 1974, no bairro Laguinho, o Grêmio Recreativo Escola de Samba Piratas Estilizados surgiu inicialmente como bloco carnavalesco. Logo após sua criação como escola de samba, tornou-se campeã de todos os desfiles até o ano de 1979. Seu nome foi dado pela presidente, que já o utilizava no bloco de carnaval de salão nos clubes da cidade de Macapá. Tem como símbolo um menino pirata.

Foto: Márcia do Carmo

Foi campeã do Festival de Samba de Enredo deste ano e 2015, promovido pela Liga Independente das Escolas de Samba do Amapá (Liesap). O Piratas Estilizados levará para a Passarela no Meio do Mundo o tema “Xô preconceito, queremos respeito”. O enredo foi criado em 2016. “Estamos vendo que é um tema atual, a questão do preconceito. A intolerância religiosa, a violência contra a mulher, a homofobia, entre outras questões. A Piratas Estilizados, partindo disso, mostrará em forma de espetáculo, que repudia ainda no século XXI esse tipo de crime, esse tipo de intolerância e comportamento reprovável pelo ser humano”, conta o presidente da escola, Diego Picanço.

“Mostraremos que todos somos iguais perante a lei de Deus e a lei dos homens. Nos nossos 19 volumes, que serão levados para a passarela do samba, a proposta maior é mostrar para a sociedade que todos somos iguais, cada um no seu espaço, mais todos iguais. Essa é a mensagem que nós repassaremos para a população em forma de espetáculo”, acrescenta Diego Picanço. A agremiação será a quarta escola a entrar na Passarela no Meio do Mundo, nesta sexta-feira, 21, às 2h45.

Foto: Aydano Fonseca

Enredo: “Xô preconceito, queremos respeito”
Autores: Aureliano Neck, Nonato Soledade e Meio Dia da Imperatriz
Intérpretes: Aureliano Neck (oficial), Tinga (Vila Isabel – RJ), Bakaninha (Beija Flor – RJ), Glauber Bianck, Vlad Júnior, Junhão Belém e Nilson Estilizados.

Letra:

Orquestra de Bambas toca esse tambor
Abra seu coração Estilizados chegou – Refrão
Batendo no peito, querendo respeito
Sai pra lá, xô preconceito

Tire o preconceito do caminho
Que o Estilizados vai passar
Trazendo paz, amor e carinho
Seja pra quem for, sem discriminar
Sem se achar superior a alguém
Injúria racial não cheira bem
Respeito todo mundo gosta
Crença, religião, não importa
Orientação sexual, necessidade especial
Mude o seu jeito de pensar
Ser diferente é normal

Meu corpo é fechado
Contra mau olhado, tenho um coração
Todo alaranjado, querido e amado – Bis
Mira vê se me erra, respeita meu pavilhão

A força dos ancestrais no terreiro
A luta das mulheres guerreiras
Heranças que jamais serão vencidas
O alto, o magro, o gordo
Criança, o pobre, o idoso
Não podem ser esquecidos
A humanidade precisa se entender
Desigualdade, pra quê?
Tenha consciência, diga não à indiferença

Vamos seguir na mesma direção
Toda sociedade, que a nossa voz
Seja a voz da igualdade

Karla Marques
Assessora de comunicação/PMM

MP Eleitoral obtém cassação de mandato do deputado estadual José Tupinambá (PSC/AP) por compra de votos

Por maioria de votos, o Ministério Público Eleitoral (MP Eleitoral) obteve a cassação de mandato do deputado estadual José Tupinambá (PSC) por captação ilícita de sufrágio (compra de votos). O julgamento da representação do MP Eleitoral, que havia sido suspenso na última sessão, foi finalizado nesta quarta-feira (19), no Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP). Outra representação, pelos mesmos fatos, foi julgada em conjunto.

Na sessão, o procurador regional eleitoral Joaquim Cabral sustentou que, além da utilização de cabos eleitorais no ilícito, houve a participação direta do candidato na captação ilícita de sufrágio. Com base em provas robustas, o representante do MP Eleitoral defendeu a cassação do mandato do parlamentar e a aplicação de multa no patamar máximo. No mesmo sentido, manifestou-se o advogado do autor da representação julgada em conjunto.

Em seu voto, o presidente do TRE-AP, desembargador Rommel Araújo, declarou estar convencido de que o candidato tinha total conhecimento da prática de captação ilícita de sufrágio e de que houve violação ao Art. 41-A da Lei das Eleições. Frisou que a conduta do parlamentar configurou “uma verdadeira falta de respeito para com o eleitorado deste estado”. E completou: “nós não podemos permitir que esse tipo de conduta venha acontecer como aconteceu neste caso, claro, a meu sentir”.

A maioria do pleno acolheu os pedidos das representações para cassar o mandato do parlamentar. A decisão terá aplicabilidade imediata e dela cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral.

Deputado estadual José Tupinambá (PSC) – Foto encontrada no site SelesNafes.Com

A descoberta do ilícito decorreu de flagrante efetuado por equipes de fiscalização composta por integrantes do próprio MP Eleitoral e da Polícia Federal, na véspera das eleições de 2018. A prisão de duas mulheres, que trabalhavam como cabos eleitorais, revelou organizado esquema de compra de votos por meio da oferta e entrega de benefícios feitas, inclusive, pelo candidato. O ilícito ocorreu nas três semanas que antecederam as eleições nos conjuntos Macapaba e bairros Infraero e Buritizal, em Macapá (AP).

Fraude – O parlamentar também é réu em Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (Aime) por fraude nas eleições de 2018. A ação narra que, em razão de contas julgadas não prestadas, o PSC estava impedido de participar do pleito eleitoral daquele ano. Com o intuito de regularizar as contas, o partido utilizou assinatura falsificada no processo, conforme atestou perícia da Polícia Federal. O MP Eleitoral apresentou alegações finais, em novembro do ano passado, manifestando-se pela cassação do mandato do deputado estadual.

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal no Amapá
(96) 3213 7895 | (96) 98409-8076
prap-ascom@mpf.mp.br

Ueap divulga número de vagas e faz convocação dos classificados no Processo Seletivo 2020

Ueap divulga número de vagas e faz convocação dos classificados no Processo Seletivo 2020.

Depois da realização da matrícula dos aprovados no Processo Seletivo 2020, a Universidade do Estado do Amapá divulgou o número de vagas e também a convocatória para chamada pública dos candidatos classificados.

São 417 vagas disponíveis para 16 cursos.

A chamada pública para os classificados será nos dias 20 e 21 de fevereiro no Campus I da Ueap. Para o curso de Licenciatura em música, que tem o cronograma diferente, a segunda etapa aconteceu ontem, dia 16 de fevereiro e o resultado preliminar desta etapa está marcado para o dia 21 de fevereiro.

Atenção para o quadro de vagas e horários da chamada pública disponível na convocação, ANEXO II. O dia e o horário é de acordo com cada curso.

Recomendação: Leia atentamente o edital e o cronograma de atividades. Lembre-se de reunir a documentação necessária e não perca sua vaga.

Acesse ou faça o download: CONVOCAÇÃO DE MATRÍCULA EM CHAMADA PÚBLICA PARA OS CANDIDATOS

Carnaval na Medida Certa: inspeção ambiental comprova que descarte de sobra de material da Cidade do Samba está correta

Cumprindo protocolo de atuação da Promotoria de Meio Ambiente no período carnavalesco, o promotor de justiça Marcelo Moreira realizou inspeção nesta quarta-feira, 19, nos barracões da Cidade do Samba e na Passarela do Meio do Mundo, onde acontecerão os desfiles das escolas de samba. A inspeção embasa as ações da Campanha Carnaval na Medida Certa, de iniciativa da Promotoria – neste ano, em parceria com a Prefeitura de Macapá e apoio de órgãos de fiscalização, licenciamento, segurança e saúde. Os desfiles das escolas de samba acontecem nos dias 21 e 22 de fevereiro. O promotor conversou com o secretário de gabinete da PMM, e coordenador de Carnaval, Sérgio Lemos.

O objetivo da inspeção foi verificar os cuidados com o material descartado pelas escolas de samba, e onde são acondicionados. Na Cidade do Samba estão em funcionamento os barracões de alegorias das dez escolas de samba que desfilam no carnaval amapaense. A preocupação do promotor é com o destino dado às sobras do material utilizado na confecção de carros e tripés, para evitar o que acontecia nos anos anteriores, quando restos de tecido, isopor, ferro, plástico, papel, TNT, e outros, formavam lixeiras localizadas. A falta de uma política de reaproveitamento das alegorias e seus materiais de armação e confecção por parte da Liga das Escolas de Samba do Amapá (Liesap) e escolas de samba, e a falta de fiscalização e conscientização do poder público ocasionaram estes fatos do passado.

Durante a inspeção, o promotor dialogou com coordenadores de barracões e trabalhadores, que explicaram os procedimentos das agremiações. Sandro Macapá, da escola Maracatu da Favela, informou que o material que sobra é colocado nos contêineres que a PMM disponibilizou para cada barracão, e são descartados nos locais corretos. Para ele, a responsabilidade é de todos, e com os contêineres, não há motivos para se formarem lixeiras ao redor da Cidade do Samba. Os trabalhadores questionados repassaram a mesma informação, e a maioria disse estar incomodada com ferragens de antigas alegorias que permanecem nos dois lados da Cidade do Samba.

Carnavalescos aproveitaram para pedir explicações a respeito dos fios de alta tensão que podem causar transtornos e acidentes no transporte das alegorias, caso a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) não tome providências. Sobre este assunto, Sérgio Lemos explicou que a PMM adotou medidas para evitar problemas – antes, durante e depois dos desfiles – e as alegorias serão transportadas para uma área segura – com vigilância eletrônica – para evitar furtos e depredação. O secretário afirmou que a PMM fez o serviço de iluminação pública, melhorou as condições asfálticas, e serão disponibilizados os plantões da CEA e Macapá Luz para casos de emergência.

A falta de agentes da Polícia Militar durante os ensaios técnicos também foi assunto tratado, e o promotor Marcelo Moreira comprometeu- se em pedir informações para a instituição sobre efetivo nos dias de desfiles. O promotor afirmou que a Promotoria irá continuar a acompanhar as programações de escolas de samba e blocos, e aguarda o relatório dos órgãos de fiscalização e segurança, para apurar as denúncias e casos confirmados de crimes ambientais nos locais de concentração de eventos da quadra carnavalesca. “A Campanha Carnaval na Medida Certa é capitaneada pela Promotoria de Meio Ambiente que divide a responsabilidade com a PMM e demais órgãos de controle. Começamos dois anos atrás somente com fiscalização ambiental, mas o sucesso da iniciativa fez com que ampliássemos o foco e, hoje, a campanha abrange outras áreas; mas as responsabilidades são de cada setor. Estamos fazendo a nossa parte”, declarou Marcelo Moreira.

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Mariléia Maciel – Assessora Operacional – CAOP/AMB
Coordenação: Gilvana Santos
Contato: (96) 3198-1616