No dia 1º de junho: Diocese de Macapá lança, por meios de comunicação e redes sociais, o Círio de Nazaré 2020

A Diocese de Macapá apresenta na segunda-feira, 1/6, o tema, o lema e o cartaz do Círio de Nazaré 2020. O lançamento da festa este ano acontece exclusivamente pelos meios de comunicação e redes sociais na data em que a Igreja celebra a festa litúrgica de Maria, Mãe da Igreja.

Às 11h na TV Nazaré (canal 51.1 HDTV) o bispo de Macapá, dom Pedro José Conti e o coordenador do Círio, padre Rafael Donneschi, fazem a apresentação da festa deste ano. Às 19h, através das redes sociais, a programação especial continua com uma “Live Solidária” com participação dos artistas Marcelo Dias, Patrícia Bastos, Osmar Júnior e Zé Miguel, bem como o cantor católico Tiago Moraes, autor da música “Senhora de Nazaré”.

As doações arrecadadas na Live Solidária serão destinadas a Cáritas Diocesana, o organismo eclesial responsável por iniciativas de caridade junto às famílias carentes e instituições filantrópicas.

De acordo com o coordenador da Comissão do Círio de Nazaré 2020, padre Rafael Donneschi, aspectos ligados a realização do dia do Círio ainda não serão programados devido as restrições da pandemia.

“Por enquanto, o que podemos tratar sobre a realização do Círio de Nazaré são alguns aspectos organizacionais da mensagem central que desejamos passar aos devotos. Não é possível ainda tratarmos de uma programação completa ou se Círio de Nazaré 2020 vai se realizar como estamos acostumados, pois a realidade da pandemia da Covid-19 e o distanciamento social não nos permite isso agora”, explicou.

A comissão organizadora considera atualmente algumas alternativas para a programação com possibilidades que incluem ou não a realização da grande procissão do 2º domingo de outubro, dia 11, levando em consideração a situação de enfrentamento da pandemia do novo coronavírus no Amapá.

Padre Rafael ressaltou que a procissão do 2º domingo é apenas um dos momentos da festividade religiosa, que envolve também outros eventos de fé e devoção do povo amapaense.

Acompanhe

O lançamento da festividade do Círio de Nazaré poderá ser acompanhado pela TV Nazaré (canal 51.1 HDTV), pelas redes sociais, no facebook @ciriodenazaremacapa e @diocesedemacapa.

Doações

Alimentos e produtos de higiene podem ser entregues na Catedral São José, de 8h às 14h, a partir de 1 de junho. Valores em dinheiro podem ser doações através de depósito bancário no Banco Bradesco – Agência 1420-6 | Conta 131680-0 | CNPJ: 07.814.217/0001- 84 – Mitra Diocesana de Macapá

Serviço:

Lançamento Digital Círio de Nazaré 2020 – Live Solidária
Data: 1º de junho (segunda-feira)
Horário: 11h (Apresentação do Círio) | 19h Live Solidária
Local: Facebook @ciriodenazare e @diocesedemacapa
Contato: Jefferson Souza – 96 9139 0682 | Márcia Fonseca – 96 98406 1389| Pastoral da Comunicação

Pastoral da Comunicação
Diocese de Macapá

Coronavírus: pesquisa aponta que queda da taxa de isolamento social mais rígido pode manter curva ascendente de casos de Covid-19 em Macapá

Apesar do Amapá liderar o ranking de estados com maior taxa de adesão ao isolamento social durante a pandemia do novo Coronavírus (52,03%), Macapá aparece entre as capitais com baixa e queda dos índices de pessoas em casa durante a quarentena. Os dados são da Empresa de Inteligência de Dados (Inloco) e apontam que o distanciamento vem caindo.

Na última terça-feira, 26, chegou a apresentar um percentual de 52,48% de queda, quando o recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para controlar a doença é de 70%. Essa resistência em aderir a medida pode manter a curva ascendente de casos de Covid-19 na capital amapaense. Os dados mostram ainda que entre os dias 19 (terça-feira, início da restrição mais severa), e 24 de maio (domingo) os percentuais variaram entre 56% e 61%, um índice considerado negativo.

A pesquisa identificou ainda que na semana anterior ao isolamento mais rígido (12 a 18 de maio) os números apresentaram percentuais parecidos aos do início da quarentena, com variações entre 48% e 51% de adesão, o que significa que as pessoas ainda estão nas ruas, apesar das restrições mais severas. Com a rápida propagação do novo Coronavírus, que vem fazendo vítimas a toda hora, a medida mais importante para conter o contágio é o isolamento social mais rígido.

“Todo cidadão deve permanecer em casa, desde que possua esse privilégio, evitando ao máximo sair às ruas e a ter contato próximo com outras pessoas, mesmo que elas morem na mesma residência”, disse o secretário de Planejamento de Macapá, Paulo Mendes. De acordo com o prefeito Clécio Luís, a medida busca conter o contágio, que no atual cenário atinge uma curva ascendente de casos da Covid-19 em Macapá. O último boletim supera 3.300 infectados.

O isolamento social mais rígido tem ações preventivas e repressivas, inclusive, com a aplicação de multas. Até o próximo dia 29 haverá o rodízio de veículos. Quem precisar sair de carro, deve ficar atento ao dígito final da placa. O veículo que tiver a placa terminada em 1, 3, 5, 7 ou 9 só pode rodar nos dias ímpares. Os veículos com placas terminadas em 0, 2, 4, 6 e 8 só devem circular nos dias pares.

Mesmo respeitando o rodízio, os motoristas têm que justificar, ao serem abordados no bloqueio, o motivo de estar saindo de casa. Quem não seguir as medidas pode ter o automóvel retido. As fiscalizações devem seguir em toda a cidade, com monitoramento da saída das pessoas nas ruas e, ainda, o cumprimento do rodízio de carros, além do uso obrigatório de máscara pela população.

Primeiro dia de isolamento social mais rígido

No primeiro dia de isolamento social mais rígido, terça-feira, 19, a taxa de adesão chegou a 57,9% no estado. Quatro barreiras foram montadas em pontos estratégicos em Macapá, com 113 abordagens, entre motos e carros. Ao todo, 55 condutores foram notificados pela Companhia de Trânsito e Guarda Civil Municipal de Macapá.

Na ocasião, 2 mil máscaras foram doadas pelo projeto “Costurando Vidas” e mais de 50 pontos foram desinfectados pela Secretaria Municipal de Zeladoria Urbana, entre ruas, UBS’s, escolas e paradas de ônibus.

Secretaria de Comunicação de Macapá
Mônica Silva
Assessora de comunicação

Hoje é o Dia Mundial do Hambúrguer (gordice na nossa Sessão Datas Curiosas)

Esse pessoal inventa cada coisa, inclusive dias comemorativos, se é que se pode chamá-los assim. E este site possui uma sessão “datas curiosas”. Bom, hoje, 28 de maio, é celebrado o Dia Mundial do Hambúrguer. uma das comidas mais amadas e consumidas pela população mundial. Principal símbolo do Fast Food, é encontrado no mercado de várias maneiras, desde um simples com pão, carne e queijo, até os mais especiais feitos com filé, picanha e molhos mais trabalhados. No Brasil, o hambúrguer chegou em meados dos anos 1952 e rapidamente ganhou o paladar de toda a população.

Ao contrário do que eu imaginava, apesar de ser um símbolo da culinária americana, o hambúrguer não foi inventado nos EUA. No século XIII, uma tribo chamada Tártaros levou para um açougueiro alemão, da cidade de Hamburgo, seus hábitos alimentares. Eles invadiram a Europa com o costume de transportar, entre a sela e o lombo do cavalo, um bolo de carne moldado em forma de bolas achatadas. Essa carne parecia uma pasta e nem precisava ser temperada pois absorvia o sal do suor do animal.

O açougueiro europeu havia gostado da ideia, e requintou os bifes usando uma carne bem moída com temperos especiais. Como o resultado era extremamente saboroso e de baixo custo, o prato acabou popularizado em toda a região.

Um pouco depois, no século XVII, quando as pessoas começaram a migrar de Hamburgo para os EUA, o “bife de carne moída” foi adotado com carinho pelos americanos, que passaram a grelhar os discos de carne e colocar no meio do pão, chamando a iguaria de HAMBÚRGUER. Nascia assim, um dos maiores ícones alimentares da cultura americana, que contribuíram ao adicionar o pão e tornando-o sanduíche.

Pouco tempo depois de sua criação, o hambúrguer foi preparado com todas as guarnições que hoje em dia lhe são tipicamente características—com cebolas, alface e os picles cortados.

A necessidade de se otimizar tempo, ingerindo pratos rápidos aliado aos diversos sabores e ingredientes, impulsionam este consumo. As pessoas estão ficando com o paladar mais exigente, e por isso o mercado dos “Hambúrgueres Gourmet” se faz cada dia mais presente, levando iguarias e ingredientes especiais aos mais exigentes consumidores.

Com grande popularidade internacional e sua fama mundial certamente representa o maior tipo de globalização do consumo de comida humano, ao lado de outros pratos como o döner kebab turco, a pizza italiana, e o sushi japonês. Espalhou-se facilmente por continentes de diferentes culturas e culinárias devido, segundo alguns, à sua fácil maneira de preparo e entendimento.

A cultura global culinária em torno do hambúrguer deu-se pelo conceito de venda de alimentos processados, imaginado de maneira notável na década de 1920 pela cadeia de restaurantes White Castle e que foi posteriormente aperfeiçoado na década de 1940 pelo McDonald’s e por Ray Kroc. Essa expansão mundial tem proporcionado comparações econômicas como o Índice Big Mac que permite a comparação do poder de compra dos diversos países onde o hambúrguer Big Mac é vendido hoje em dia.

Com o desenvolvimento da Gastronomia, foram criados muitos hambúrgueres “sofisticados”, feitos com outros tipos de carne, com queijos especiais, molhos diferentes, saindo um pouco do tradicional fast food. As pessoas estão ficando com o paladar mais exigente, e por isso esse mercado dos “Hambúrgueres gourmet” se abriu.

Enfim, este texto foi somente pra “encher linguiça” (ou hambúrguer) para a sessão “datas curiosas” deste site. E pela silhueta deste jornalista, vocês devem saber: amo hambúrgueres. Quando moleques, eu e meu irmão, Emerson, éramos pior que o personagem “Dudu”, do desenho animado Popeye, grande devorador de sandubas da ficção. Dependendo do bolso e horário, como no pé sujo de rua ou praça, até as hamburguerias requintadas e gourmetzadas. Afinal, gordo é um praga (risos). E fim de papo!

Obs: o melhor hambúrguer de Macapá é o do Station 57. 

Fontes: General Peppers; Wikipédia e QG Jeitinho.

MP-AP, em parceria com o curso de Direito da Unifap, realiza o seminário virtual “Reforma Tributária e Financeira no pós Covid-19 e Direitos Sociais”, no dia 28 de maio

O Ministério Público do Estado do Amapá (MP-AP), por meio do seu Centro de Apoio Operacional da Ordem Tributária (CAOOT/MP-AP), juntamente com o Centro de Estudo e Aperfeiçoamento Funcional (CEAF/MP-AP), em parceria com o Curso de Direito da Universidade Federal do Amapá (Unifap) e Centro Acadêmico Sobral Pinto (CADISP), realizarão, a partir das 19h do dia 28 de maio de 2020, o seminário virtual “Reforma Tributária e Financeira no pós Covid-19 e Direitos Sociais”.

O encontro, que contará com palestras de especialistas, debaterá possíveis medidas do meio jurídico tributário para quando a crise gerada pela pandemia passar. A intenção é também disseminar conhecimentos na área e fortalecer o enfrentamento da crise. O público alvo são advogados, servidores do judiciário e profissionais ligados à área e acadêmicos de Direito.

O Simpósio será transmitido pelo https://doity.com.br/reforma-tributria-e-financeira-e-direitos-sociais-no-ps-covid-19 . As inscrições online gratuitas podem ser feitas neste mesmo endereço digital.

O Seminário contará com duas palestras; a primeira denominada “Reforma Financeira e direitos sociais”, ministrada pelo promotor de Justiça do MP-AP e professor Doutor da Unifap, Iaci Pelaes dos Reis e a segunda, com o tema “Reforma Tributária e seus impactos na sociedade e nos entes federativos”, será proferida pelo professor Doutor Onofre Alves Batista Júnior. O simpósio terá, ainda, participação da mediadora do evento, professora Doutora Linara Oeiras, da Unifap.

“Por conta da necessidade de se debater a Reforma Tributária e Financeira no pós COVID-19, decidimos conjuntamente com a Unifap, realizar este evento virtual. Vamos debater e tratar do tema para a essencial oxigenação de ideias que nortearão as ações quando a crise pandêmica passar”, comentou o promotor de Justiça e coordenado do CAO da Ordem Tributária do MP-AP, Iaci Pelaes.

Sobre Iaci Pelaes

Com 24 anos de MP-AP e 25 anos como professor da Unifap, o promotor de Justiça Iaci Pelaes é doutor em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais; tem pós-doutorado em Democracia e Direitos Humanos pelo Ius Gentium Conimbrigae/Centro de Direitos Humanos (Coimbra/Portugal), 2018 e especialização em Direito Penal e Direito Processual Penal pela Universidade Estácio de Sá. Iaci também é bacharel em Direito pela Universidade da Amazônia, 1992 (Antiga UNESPA), com especialização em Direito Constitucional Aplicado pela Universidade Federal do Pará e bacharel em Teologia pelo Instituto Internacional de Teologia, 2017. Exerceu Estágio Docência Supervisionado, na disciplina Direito Tributário na Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Ele é professor Adjunto da Universidade Federal do Amapá – UNIFAP, onde leciona Filosofia do Direito, Direito Econômico, Financeiro e Tributário; professor da Escola de Magistratura do Amapá (2002 a 2005). Ingressou no MP-AP como promotor de Justiça em 1996. Foi Procurador Jurídico da Unifap. Exerceu o cargo de procurador-geral de Justiça do MP-AP, no biênio 2009-2011 e de Diretor Geral da mesma Instituição, no período de julho de 2006 a fevereiro de 2009. Eleito vice-presidente para Região Norte do Conselho Nacional de Procuradores Gerais do Ministério Público, 2010.

Sobre Onofre Alves Batista Júnior

Com vasta carreira acadêmica, Onofre Alves Batista Júnior é professor de Direito Público da Universidade Federal de Minhas Gerais (UFMG) e autor de mais de 25 livros. É mestre em Ciências Jurídico-Políticas pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa; doutor em Direito pela Faculdade de Direito da UFMG e pós-doutor em Democracia e Direitos Humanos pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra.

Onofre Alves Batista Júnior também foi auditor fiscal, advogado-geral do Estado e é procurador do Estado de Minas Gerais.

Serviço:

Evento: seminário virtual “Reforma Tributária e Financeira no pós COVID-19”.
Data: 28 de maio de 2020
Hora: a partir das 19h
Transmissão: https://doity.com.br/reforma-tributria-e-financeira-e-direitos-sociais-no-ps-covid-19
Inscrições: https://doity.com.br/reforma-tributria-e-financeira-e-direitos-sociais-no-ps-covid-19
Realização: MP-AP e Unifap.

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Coordenação: Gilvana Santos
Texto: Elton Tavares
Contato: [email protected]

Avaliação Ambiental rápida para implantação da Meliponicultura na Escola Família Agroextrativista do Carvão – EFA Carvão, Mazagão, Amapá (etapa 1)

Com mais de 70 dias sem poder fazer campo, em função do isolamento social imposto pelo COVID 19, e vendo o cronograma técnico dos projetos ficar apertado para os resultados esperados. Foi necessário fazer um campo nesta manhã ensolarada para o desenvolvimento da Meliponicultura na região sul do Amapá.

Focamos em um diagnóstico ambiental rápido, com observações das abelhas em flores no entorno da Escola Família Agroextrativista do Carvão – EFA Carvão.

Focamos na florada da Mimosa pudica, afim de encontrarmos as espécies potenciais para implantação de um Meliponário. Afim de iniciarmos o manejo e criação de abelhas sem ferrão da Amazônia. Nossa expectativa, além da conservação das abelhas e florestas é a produção de mel e também a educação socioambiental, como modelo de tecnologia social e econômica para a região. Entre outros indicadores socioambientais importantes para o desenvolvimento sustentável com as abelhas da Amazônia.

Localizamos ninhos, e encontramos as principais espécies, ótimas ao manejo em colmeias racionais. Veja os vídeos e as fotos.

Destacamos aqui a Melipona paraensis, Melipona compressipes boas produtoras de mel e com fácil manejo em colmeias racionais. Também localizamos um ninho de Trigona pallens (visitadora assídua das flores de açaí (Euterpea oleraceae) na nossa região e uma das principais polinizadoras da palmeira em sistema natural.

A presença dessas espécies dá uma segurança muito importante para o planejamento de meliponários na região, afim de difundir a Meliponicultura, como ferramenta da conservação e do desenvolvimento sustentável com as abelhas Nativas do Amapá e da Amazônia.

Acompanhe as próximas etapas por AQUI

Fonte: Nectar Consultoria na Amazônia

*(contribuição de Marcelo Sá, que nos enviou a matéria).

William Bonner é a cara da vítima de um terrorismo de estado contra os jornalistas e o jornalismo

Vivemos uma fase da vida nacional nada convencional, digamos assim.
Ao contrário, é uma das fases mais alucinantemente tenebrosas.
Inciou-se em 1º de janeiro de 2019, quando assumiu um presidente da República não se dá ao respeito.
Em reunião formal, ele profere 29 palavrões.
Num cercadinho à entrada do Alvorada, humilha jornalistas.
Manda que calem a boca.
Manifesta-se de forma sexista contra jornalista.
Tenta reprimir a Imprensa independente, sufocando-a financeiramente por meio tortuosos e ilegais.

Com seu silêncio e omissão, apoia a conduta fanática de seus fanáticos seguidores que agridem e xingam jornalistas.


Agora, revela-se a informação de que William Bonner, editor-chefe e apresentador do Jornal Nacional, da Globo, e uma de suas filhas também receberam mensagens de WhatsApp, originadas de número telefônico com o prefixo 61, de Brasília, com dados fiscais sigilosos dele e da família.

Dida Sampaio, fotógrafo do Estadão, cercado por fanáticos bolsonaristas

Não tenhamos dúvidas: isso é um indício de que, além das manifestações de rua, em que fanáticos expelem o vírus e o fel do ódio contra a Imprensa livre, pode estar começando a utilização da estrutura de estado para ameaçar, intimidar, difamar e agredir jornalistas que, no exercício de suas funções, têm pode dever, por obrigação manter suas lupas apontadas em direção em todas as instâncias de poder, não importa quais sejam, para vigiá-las e fiscalizá-las dentro dos limites legais.
Esse é o nosso papel.
William Bonner é a cara da vítima de um terrorismo com indícios de ser um terrorismo de estado.
Contra os jornalistas e contra o jornalismo.

Fonte: Espaço Aberto

Agência de comunicação digital é criada para ajudar pequenos negócios do AP durante pandemia

Iniciativa busca promover serviços de retirada e delivery no estado por meio da criação gratuita de artes para meios digitais.

O que você leu acima é manchete jornalística. O que vai ler a seguir é uma carta: Devido à pandemia de coronavírus, a economia mundial sofreu um grande “baque”. Mas isso nunca foi motivo para que a nós abaixássemos a cabeça e deixássemos o destino decidir por nós.

A Agência Cacique de comunicação digital é um negócio voltado para os interesses coletivos e comunitários, mas é focada, principalmente, no pequeno negócio. Aquele que está ao seu lado e pode fazer um fiado, sem ao menos ter um cartão de crédito.

Chegou a hora de mostrar que o maior poder do ser humano é a ADAPTAÇÃO, e achar uma oportunidade em meio à crise para fazer o bem.

Por isso, a agência está recebendo o contato de pequenos empreendedores para que confeccionem suas artes para retirada e delivery de produtos e serviços. Vamos propagar ideias e soluções!

Serviço:

Fone: (96) 981461351
Insta: @agenciacacique.cd
Face: @agenciacacique.cd
Email: [email protected]

Antologia “Cronistas na Linha do Equador” é lançada em e-book e está disponível para aquisição na internet (estou entre os dez escritores do livro)

“Cronistas na Linha do Equador”, com capa 3D e foto de Floriano Lima.

A antologia “Cronistas na Linha do Equador”, lançada no último dia 17 de maio, é uma obra que reúne dez cronistas do Amapá (de origem ou coração), que resolveram unir histórias, registros, memórias e “causos” e publicar a cultura amapaense. Em razão dos tempos atuais, a obra está em formato e-book, disponível para aquisição na internet, no site da Amazon, pelo valor simbólico de R$ 10,00. O livro, com capa 3D e foto de Floriano Lima, reúne 30 crônicas com temas diversos, como regionalismo, realismo fantástico ou relatos de experiências vividas ou fantasiadas.

O e-book “Cronistas na Linha do Equador” pode ser adquirido no site da Amazon Livraria Virtual, na plataforma eBooks Kindle: https://ler.amazon.com.br/kp/kshare?asin=B088PYRG25&id=sZBSijthTdOFuO8v38ESMg&reshareId=Z2WPDBTEJJAA8B1HCCQ5&reshareChannel=system

A coletânea, idealizada e organizada pelo escritor Mauro Guilherme, conta, além dele, com outros renomados autores da literatura amapaense. São eles: Alcinéa Cavalcante, Paulo Tarso, Rui Guilherme, Raquel Braga, Osvaldo Simões, Cléo Araújo, Neth Brazão, Bruno Muniz e Elton Tavares.

Sim. É minha estreia como escritor em livro, ainda que seja em e-book. Depois da pandemia lançarei o meu, ‘solo’ (com todos os agradecimentos aos colaboradores, mas essa é outra história).

Sobre esta antologia, ressalto que cada cronista tem seu estilo peculiar.

Alguns deste grupo de escritores são também poetas e imortais da Academia Amapaense de Letras (AAL) e é uma honra ter crônicas minhas em uma obra com eles. Agradeço aqui a oportunidade.

No prefácio de antologia “Crônicas na Linha do Equador”, Mauro Guilherme discorre sobre a obra:

Decidimos mais uma vez convidar escritores amapaenses, a fim de que juntos pudéssemos compor uma nova antologia. Não entendo literatura sem livro, escritor sem obra, nem formação literária sem leitura. Precisamos, nós escritores, publicarmos, caso contrário o livro, que morria na gaveta, morrerá nos computadores.

O nosso empenho, e os de alguns outros que militam na literatura amapaense, tem sido este. Por isso novamente aqui estamos reunidos aos nossos pares, agora em uma antologia de crônicas”.

Estamos primeiramente publicando o livro como e-book, seja porque a obra foi terminada em tempos da pandemia do novo coronavírus, seja porque reconhecemos que o livro digital se transformou em uma nova forma de aproximar o escritor do leitor, em qualquer canto do país ou do planeta”.

Este é o resumo do prefácio. Aliás, bela apresentação do Mauro.

Quando perguntam qual a minha profissão, digo que sou jornalista, assessor de comunicação e editor de um site. Mas que, um dia, gostaria de ser escritor. Pois é, me tornei, de fato, escritor e estou feliz com isso.

Valorize a literatura local e adquira o livro “Crônicas na Linha do Equador”. Não é querendo me gabar não, mas a obra está maravilhosa. É isso!

Elton Tavares

Campanha pede doações para malabaristas de semáforos em quarentena

A companhia de circo Imediartistas promove uma campanha solidária para ajudar os artistas que trabalham nos semáforos em Macapá. Com as ruas menos movimentadas, eles também sofrem os impactos da pandemia do novo coronavírus.

Sem poder garantir o sustento de todos os dias, os malabaristas relatam enfrentar grandes dificuldades para comprar a alimentação, assim como para levantar o dinheiro do aluguel e outros custos.

Mas, o fraco fluxo no trânsito não é a única barreira que eles encaram. O preconceito também faz parte do dia a dia dos malabaristas, que já mapeados pela campanha, em maioria são estrangeiros.

“O que a gente está passando pela crise, em relação aos olhares das pessoas, não é muito diferente da nossa realidade. As pessoas falam como se a gente quisesse estar na rua e pegar a doença”, disse a malabarista Sara Marinho.

Pela internet, a campanha pede doações de alimentos e produtos de limpeza e higiene pessoal, além de dinheiro. O objetivo é oportunizar uma quarentena segura para os artistas que, antes da pandemia, atuavam de forma independente.

Os contatos são através das páginas no Facebook e Instagam. São disponibilizados também os contatos: (96) 98401-9143 e 98419-9755. O grupo pode pegar as doações, receber a domicílio e/ou por meio de transferência bancária.

Serviço:

Campanha “Artistas em tempos de pandemia”
Assessoria de comunicação: Jorge Abreu – (96) 99133-1343
Doações: (96) 98401-9143 e 98419-9755
Facebook: https://www.facebook.com/ciaimediartistas/
Instagram: @ciaimediartistas (https://www.instagram.com/ciaimediartistas/)
Conta bancária para doação:
Banco 260 – Nu pagamento S.A
Agência: 0001
Conta: 2175261-2

Amapá Solidário quer ajudar mais de 35 mil famílias

O Amapá Solidário surgiu dos esforços de uma rede de voluntários que criou uma espécie de grupo para amparar diversas iniciativas de combate, prevenção e apoio às famílias atingidas pela pandemia de covid-19 no estado. O projeto reúne um coletivo com nove ações sociais que pretendem amparar cerca de 35 mil famílias.

A ideia surgiu em favor da conscientização acerca da prevenção, como forma de conter os avanços da doença, considerando fundamentalmente que as medidas preventivas devem ser acompanhadas de políticas assistenciais emergenciais de combate à fome e à desinformação e de cadastramento das pessoas em vulnerabilidade social nos programas de transferência de renda.

“Tempos como o que vivemos são também de reflexão sobre a vivência em sociedade. Como podemos contribuir para que essas ações impactem cada vez mais pessoas e salvem mais vidas?”, disse Rafael Araújo, voluntário do projeto.

Dentre os objetivos do Amapá Solidário estão arrecadar e distribuir alimentação, máscaras de uso não profissional e produtos de higiene. Além de construir uma rede de solidariedade entre sociedade civil, iniciativa privada e poder público nas três esferas.

Bem como, conscientizar, através de informações científicas, sobre a importância do isolamento social, combater as fake news, disseminar serviços delivery’s essenciais por bairro, além de apoio psicológico e jurídico.

“A solidariedade e a empatia são fundamentais para que a gente possa tecer estratégias de cuidado coletivo, sobretudo com os mais vulneráveis aos impactos da pandemia. Apoiar e manter vivo os laços de conexão afetiva com as pessoas”, explicou Alzira Nogueira, voluntária.

Outras entidades podem ser adicionadas à plataforma, basta fazer contato com os envolvidos e preencher um cadastro de informações. Maiores informações: Alzira – 99138-7549

Amapá

O Amapá possui pouco mais de 850 mil habitantes. Atualmente, conta com 26 leitos de tratamento específico da Covid-19, tem mais de 800 casos confirmados e 26 óbitos e mais de 100 pessoas hospitalizadas.

Em 2019, o Amapá figurou como a segunda maior taxa de desemprego do país, na faixa de 16,7% da população ativa, mais de 66 mil pessoas.

Na pesquisa SIS, o Amapá é o 6º estado mais pobre do país. Aproximadamente 46% da população tem renda inferior a R$ 406,00 por mês e taxa de desocupação de cerca de 18%

Vejam abaixo a lista de locais de arrecadação de alimentos, produtos de higiene ou equipamentos de proteção de uso pessoal.

Igreja Nossa Senhora de Nazaré (Cáritas Diocesana)
Av. Coqueiro 400, Bairro Brasil Novo
Robertinho – 9908-6761

Igreja São Raimundo Nonato (Cáritas Diocesana)
Av. das Bacabas 648, Bairro Açaí
Robertinho – 9908-6761

Congregação Betel – Assembleia de Deus A Pioneira
Av Padre Júlio 2963 entre Paraná e Marcelo Cândia.
Euclides – 98114-3449

Comunidade Evangélica Reviver
Av. Ernestino Borges 1224, Bairro Jesus de Nazaré.
Segunda à Sexta-Feira, 08h às 12h.
Lucas Abrahao – 98101.0301

Assembleia de Deus Igarapé da Fortaleza
Rod. Salvador Diniz, 980 – Fortaleza, Santana.
Segunda à Sexta-Feira, 08h às 12h.

Centro de Atendimento às Famílias (CAF)
Rua Cláudio Lúcio Monteiro, 1717, Remédios II, Santana, CEP 68.927-003. Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Santana.
José Maria – 98133-4062

Centro de Atividades Sociais da Periferias (CASP)
Av Francisco Torquato de Araujo (10 do Congós) , 1151Carmem Duarte
Telefone: 98405-0597

Ajeum – Coletivo de Ekedjys e Ogãns de Macapá
Ekedjy Alice – 96 98419-0943
Ekedjy Elane – 96 99123-803
Ogãn Kayango – 96 98134-2004

Ministério Betel
Mendonça Furtado, 1741
Simone Palheta – 98140-4000

Central Única das Favelas (CUFA-AP)
Av. Francisco Torquato de Araújo, 1151,
Bairro Congós, Macapá-AP. CEP: 68900-000
Izam Cabrero – 96 98412-2388

Juventude de Terreiros/ Congá de São Jorge
Rua Francisco Xavier das Chagas, 477,
Jardim Felicidade I
Jomar Filho – 96  98803-7656

DCE Unifap
Rodovia JK, Campus Marco Zero
Daniel Lima – 99112-1076

Ao pôr do sol – Por DaniElle Custódio – @elle_custodio

Foto: Alexandre Annic.

Por DaniElle Custódio

Ao pôr do sol estava sentada ouvindo música na varanda. Escutava canções do grupo Vocal Livre como Inevitável, Isso é amor, Só o começo, quando me deparei com o clipe Teu amor por mim da cantora Luma Elpidio no YouTube. A canção é linda, porém o que mais me chamou a atenção foi o comentário deixado por Carlos Prado.

Ele dizia que se encontrava no meio do oceano. Ao olhar rápido apenas pensei que fosse uma expressão metafórica, mas não era. O autor do comentário realmente estava no mar em um cruzeiro nesse período de pandemia. O que me chocou, porque não havia passado pela minha cabeça que existiam pessoas em situações tão inóspitas, até mais do que a minha. Mais de mil pessoas num grande barco também sentiam saudades de casa, da família e dos amigos. Navegando não só num grande mar, mas em aflição assim como você e eu.

Este momento de quarentena não é somente sobre você ou sobre como me sinto. É SOBRE NÓS. Todos estão passando por isso em lugares que nunca ouvimos falar e nas situações que nem imaginamos. Milhares de pessoas sentem o mesmo que sentimos, estamos todos juntos no mesmíssimo barco. Conectados pelo mesmo anseio. Portanto, quando se sentir só e triste, lembre-se: em silêncio muitos compreendem a tua dor. E o melhor de tudo, você pode se conectar a sós com Deus. Foi buscando a companhia dele que vários tripulantes se fortaleceram nos dias difíceis no mar. Não esqueça disso, Deus não nos desampara. É em meio à crise que Ele manifesta seu poder.

Boletim oficial 27/05, às 16h: Amapá tem 7.619 casos confirmados de coronavírus; em Macapá são 3.968 casos e 183 óbitos em decorrência do Covid-19 #FicaEmCasa

O Centro de Operações de Emergência em Saúde Pública (COESP) traz novo relatório com dados sobre o Covid-19 no Amapá com 652 novos casos confirmados, sendo 294 em Macapá, 14 em Santana, 146 em Laranjal do Jari, 51 em Mazagão, 07 em Oiapoque, 50 em Pedra Branca, 33 em Porto Grande, 02 em Serra do Navio, 18 Vitória do Jari, 12 em Tartarugalzinho, 06 em Amapá, 03 em Ferreira Gomes, 13 em Cutias e 03 em Calçoene.

Também há o registro de 10 óbitos, em quatro municípios, ocorridos entre os dias 12 e 26 de maio que estavam sob investigação. Em Macapá, 7 óbitos, três homens; um de 44 anos (sem comorbidade declarada), um de 50 anos (com comorbidade relacionadas à hipertensão e obesidade) e um de 62 anos (sem comorbidade declarada). E quatro mulheres, uma de 84 anos (sem comorbidade declarada), uma de 54 anos (com complicações relacionadas à hipertensão, AVC e edema pulmonar), outra de 52 anos (sem comorbidade declarada) e outra de 64 anos, (hipertensa). Em Laranjal do Jari, um homem de 50 anos (paciente renal crônico). Em Santana, um homem de 38 anos (sem comorbidade declarada). Em Serra do Navio, um homem de 65 anos (sem comorbidade declarada).

Painel geral de casos pelo COVID-19:

Casos confirmados: 7.619 (sendo: Macapá 3.968/ Santana 898/ Laranjal do Jari 1.137/ Mazagão 215 / Oiapoque 207/ Pedra Branca 358/ Porto Grande 177/ Serra do Navio 196/ Vitória do Jari 127/ Itaubal 21/ Tartarugalzinho 51/ Amapá 57/ Ferreira Gomes 69/ Cutias do Araguari 99/ Calçoene 32/ Pracuúba 7).

Recuperados: 2.933
Óbitos: 183

Casos confirmados hospitalizados: 178
Sistema público: 114 (51 em leito de UTI / 63 em leito clínico)
Sistema privado: 64 (41 em leito de UTI / 23 em leito clínico)

Casos suspeitos hospitalizados: 174
Sistema público: 51 (1 em leito de UTI / 50 em leito clínico)
Sistema privado: 123 (0 em leito de UTI / 123 em leito clínico)

Total em isolamento hospitalar: 352

Isolamento domiciliar: 4.325
Em análise laboratorial: 9.289
Descartados: 6.161

Informações sobre casos suspeitos declarados pelos municípios:

Macapá: 3291
Santana: 1318
Laranjal do Jari: 1032
Mazagão: 473
Oiapoque: 336
Pedra Branca do Amapari: 90
Porto Grande: 292
Serra do Navio: 64
Vitória do Jari: 306
Itaubal: 33
Tartarugalzinho: 203
Amapá: 118
Ferreira Gomes: 91
Cutias do Araguari: 239
Calçoene: 75
Pracuúba: 11

Total: 7.972

Assessoria de comunicação do GEA

Operação Covid-19: Coren-AP entregará 5MIL unidades de Protetor Facial para Assistência aos Profissionais de Linha de Frente

Na última segunda-feira (25), o Conselho Regional de Enfermagem do Amapá (Coren-AP) recebeu a doação de 5.000 unidades Protetor Facial, a ação integrativa tem como instituições participantes em etapas: Escola de Engenharia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Making.All, Taurus Armas, Stihl Motosserras, Controil do grupo Randon, Aços Peças Oliveira, Forças Armadas através do Ministério da Defesa, outras instituições parceiras e a sociedade civil que conjuntamente se uniram para dar suporte e apoio na fabricação e distribuição de protetores faciais para uso dos profissionais da saúde no combate ao Coronavírus.

A máscara protetora facial conhecida como Face Shield é reutilizável e ajustável, sendo um dos componentes do Equipamento de Proteção Individual (EPI), utilizada pelos profissionais de saúde contra o novo Coronavírus (Covid-19). O material seguro de dupla proteção, evita o contato com gotículas, salivas e fluídos nasais que possam atingir o rosto, o nariz, a boca e os olhos.

Na oportunidade o Regional informa que estar em uma força tarefa, e que estaremos distribuindo nas próximas semanas estes equipamentos nas unidades de saúde da capital Macapá e nos demais municípios do Estado. “Pensando na preservação da vida, o cuidado e a segurança no trabalho dos profissionais que estão na linha de frente contra a pandemia, o Coren-AP não mediu esforços para que o Estado do Amapá fosse contemplado com as máscaras Face Shield. Com toda a certeza estaremos levando para os Profissionais de Enfermagem equipamentos que vem auxiliar na proteção de Enfermeiros, Técnicos e Auxiliares de Enfermagem para que possam desenvolver suas práticas assistências frente ao coronavírus”, Disse a Presidente do Regional, Dra.Emília Pimentel.

Ascom Coren-AP
Imagem: Acervo do Regional
Edição de Conteúdo: Alessandra Barboza
Contato via Whatzap: 96.98120-7909

MP-AP cobra cumprimento das decisões judiciais que obrigam o Estado a transferir pacientes com Covid-19, comprar medicamentos e dar transparência ao sistema de regulação de leitos

Nesta segunda-feira (26), o Gabinete de Enfrentamento de Crise do Ministério Público do Amapá (GAB-MPAP/COVID-19) reuniu com os gestores da secretarias Estadual (SESA) e Municipal de Saúde de Macapá (SEMSA) para cobrar cumprimento das decisões judiciais em ações ingressadas pelo MP-AP e um cronograma definitivo de transferência dos pacientes de Covid-19, internados indevidamente em Unidades Básicas de Saúde (UBSs), para centros especializados, além de outras medidas que devem ampliar a oferta de leitos e a capacidade de atendimento da população.

Ao abrir a reunião, o coordenador do Eixo Finalístico do Gabinete de Enfrentamento de Crise, promotor de Justiça João Furlan, destacou que o Ministério Público do Amapá (MP-AP) conhece as deficiências no atendimento à sociedade, pois acompanha e cobra providências diariamente do Poder Público.

São recomendações ao Executivo e inúmeras ações judiciais, onde irregularidades, como a carência de leitos, de medicamentos (sedativos e bloqueadores musculares para pacientes em Unidades de Tratamento Intensivo – UTIs), ausência de um sistema de regulação de leitos com critérios claros, falta de fluxos de atendimentos para grupos específicos, como crianças e adolescentes, escassez de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e outros problemas foram exaustivamente relatados pelo MP-AP.

Nas ações julgadas favoráveis aos pedidos do MP-AP, Estado e Municípios foram condenados a cumprirem suas atribuições, sob pena de multa e outras responsabilizações. Nesse sentido, o GEA está obrigado:

– A realizar compra emergencial de medicamentos essenciais, como sedativos e bloqueadores musculares, que estão em falta, o que impossibilita o tratamento dos pacientes em quadro grave de insuficiência respiratória e que necessitam de intubação;

– Transferir todos os pacientes internados indevidamente no Hospital de Emergência (HE), nas Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) e nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s) de Macapá, para leitos clínicos ou de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nos Centros Covid;

– Providenciar leitos e fluxo exclusivo para atendimento de crianças e adolescentes com suspeita e confirmação de Covid-19, e colocar em funcionamento o prédio anexo do Hospital da Criança e Adolescente (HCA), hoje fechado, para atender essa parcela da população;

– Dar transparência ao Sistema de Regulação de Leitos.

Diante do agravamento do quadro no Amapá, os integrantes do Grupo de Trabalho da Saúde, promotores de Justiça André Araújo e Fábia Nilci, reforçaram a cobrança ao gestores do Estado e Município de Macapá, em mais uma tentativa de encontrar soluções ágeis, para que adotem um conjunto de medidas, fixando a data limite de 8 de junho para transferência de todos os pacientes de Covid-19 internados em UBSs. Para isso, o MP-AP apontou as seguintes ações:

Da Prefeitura de Macapá, representada na reunião pela secretária municipal de saúde, Gisela Cezimbra, e pela procuradora-geral do Município, Taísa Mendonça, o MP-AP cobrou mais uma UBS para pacientes sintomáticos; funcionamento 24 horas da UBS do Marabaixo; e a destinação de uma unidade com fluxo de atendimento para crianças e adolescentes. O MP-AP aguardará resposta da Prefeitura de Macapá, em 48 horas, sobre as providências.

Ao Governo do Estado: Estabelecer critérios diferenciados de regulação de leitos para os pacientes de Covid-19, que estão internados nas UBS, e resposta, em 24 horas, sobre todas as aquisições feitas pelo GEA para enfrentar a pandemia do Amapá. O secretário de saúde do Estado, Juan Mendes, participou da reunião e também assumiu o compromisso de, em 72 horas, apresentar o sistema de regulação de leitos, incluindo a entrada em funcionamento do Centro Covid a ser instalado no Hospital Universitário.

O promotor André Araújo cobrou transparência do Estado e Município nas informações prestadas ao Ministério Público e à sociedade. “Não faz sentido divulgar que a taxa de ocupação de leitos é de 98% quando existem, hoje, quase 70 pacientes aguardando transferência para leitos especializados para Covid-19 nas UBS e em outras unidades de saúde”, argumentou.

Da mesma forma, a promotora de Justiça Fábia Nilci, coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Saúde, cobrou agilidade dos gestores. “Nós sabemos que o momento é crítico, mas os problemas são conhecidos, e era previsível, infelizmente, o que está acontecendo hoje. Lamentamos muito que, embora estejamos lutando, ingressando com as ações e conseguindo a condenação do Poder Público, as respostas para a sociedade ainda sejam tão lentas”, manifestou.

No final, a promotora de Justiça Gisa Veiga, da Promotoria de Santana, relatou que o Hospital de Santana não foi desafogado, apesar do funcionamento do centro Covid 3.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Coordenação: Gilvana Santos
Texto: Ana Girlene
Contato: [email protected]