Sobre Macapá, Mazagão e meu avô, João Espíndola – por Bellarmino Paraense de Barros

 *O texto é de 1997. O recorte de jornal foi um presente da minha amada tia Maria Conceição (A “Penha”). Adorei a forma que o senhor Bellarmino redigiu e contextualizou os fatos para enaltecer a pessoa do meu avô, falecido um ano antes do autor escrever esse belo registro. 

Museu Sacaca abre temporada de férias para o público infantil em julho

Foto: José Baia/Secom

Os dias 21, 25, 26, 27 e 28 de julho estarão abertos para a segunda temporada das “Férias no Museu Sacaca”. O evento reunirá crianças para participarem de brincadeiras, contação de histórias, pintura de rostos, caça ao tesouro, entre outras atividades.

A programação que foi montada pelo bloco pedagógico do Museu Sacaca, começa neste domingo, pela manhã, a partir das 10h e, no turno da tarde às 14h.

Junto com a programação de férias, seguem normalmente as visitas mediadas e o passeio no barco “O Regatão” das 9h às 17h.

Para participar de toda programação, toda criança a partir de 5 anos de idade, deve estar devidamente acompanhada pelos pais ou responsáveis.

A coordenação do Museu Sacaca informa que a entrada é franca, mas avisa que não estarão autorizadas as entradas de animais de qualquer espécie e, nem o uso das ambientações para realização de piqueniques.

O Museu Sacaca oferece uma praça de alimentação no horário de visitas, da 9h às 17h, para melhor atender aos visitantes.

Programação: 

Terça-feira a domingo – 9h às 17h

Visitas mediadas e passeio de barco “O Regatão”.

Domingo (21/07)

10h – Brincadeiras e pintura de rosto;

14h – Contação de história e brincadeiras;

Quinta-feira (25/07)

15h – Contação de história e brincadeiras.

Sexta-feira (26/07)

15h – Contação de história e brincadeiras.

Sábado (27/07)

15h – Contação de história e brincadeiras.

Domingo (28/07)

10h – Brincadeiras e pintura de rosto;

15h – Contação de história e brincadeiras;

16h – Caça ao tesouro.

Claudio Rogério
Assessoria de comunicação do Museu Sacaca

Estudantes quilombolas e indígenas do Ifap podem inscrever-se no Programa Bolsa Permanência

O Instituto Federal do Amapá (Ifap) está com inscrições abertas até o dia 30 de agosto para estudantes do Ensino Superior autodeclarados indígenas e quilombolas que desejem ingressar no Programa Bolsa Permanência cujo objetivo é minimizar as desigualdades sociais, étnico-raciais e contribuir para a permanência e a diplomação dos estudantes de graduação.

As inscrições dos estudantes interessados devem ser feitas em duas etapas: a primeira consiste no preenchimento dos dados solicitados pela página do Sistema de Gestão da Bolsa Permanência na internet até 30 de agosto. Em seguida, o estudante deve apresentar, no Setor de Assistência Estudantil do campus ao qual seu curso é vinculado, os documentos de comprovação solicitados no edital, o Termo de Compromisso impresso e assinado, o Formulário de Solicitação de participação, cópia da Carteira de Identidade, CPF, comprovante de matrícula em curso do Ifap e uma foto 3X4.

É importante que os estudantes que desejem receber o benefício leiam atentamente o edital e preencham de maneira correta os anexos para que a documentação necessária para o deferimento da inscrição no programa não fique incompleta.

Os estudantes que tiverem sua inscrição aprovada receberão mensalmente bolsa no valor de R$ 900,00 pagos pelo Ministério da Educação (MEC) com recursos provenientes do Fundo Nacional de Educação (FNDE). Cada estudante contemplado receberá um cartão de benefício emitido pelo Banco do Brasil para poder movimentar seus recursos.

O Ifap, através de sua Pró-reitoria de Ensino (Proen), é responsável por enviar mensalmente ao MEC relatórios com dados sobre o rendimento escolar dos estudantes beneficiários do programa. Cada estudante contemplado deve atingir o rendimento de, no mínimo, 75% de frequência e pontuação nas avaliações dos componentes curriculares para continuar recebendo a bolsa. Qualquer dúvida relacionada ao processo de inscrição no Programa Bolsa Permanência pode ser encaminhada ao e-mail: [email protected].

Departamento de Informação, Comunicação e Eventos – Deice
Instituto Federal do Amapá (Ifap)
E-mail: [email protected]

Oito atrações se apresentam hoje na Estação Lunar

A diversidade da Música Popular Amapaense (MPA) se encontrará com a sensualidade da melodia da Guiana Francesa, nesta quinta-feira, 18, no balneário da Fazendinha. Oito atrações animarão o público na Estação Lunar com ritmos locais das duas regiões.

As apresentações incluem músicas da Amazônia, ritmos do Norte e também a diversidade da Guiana Francesa. A programação contará ainda com exposição, feira de artesanato e muita gastronomia. Ainda na quinta-feira, pela manhã, os artistas da Guiana estarão na Fazendinha fazendo a passagem de som.

Confira a ordem das apresentações:

Negro de Nós – 20h
Movimento Cultural Ancestrais – 20h30
Música tradicional Guiana Francesa – Criola de Tambor – 21h
Denis Lapassion – 21h30
Clara Nugent – 22h
Finéias – 23h

Exposição retrô-expectativa – 20h à 0h
Exposição de Carla Nobre – 20h

Cássia Lima
Assessora de comunicação/Fumcult

Ouvidoria do Ministério Público do Amapá passa a funcionar no prédio da PGJ do MP-AP, no Araxá

A Ouvidoria do Ministério Público do Estado do Amapá (MP-AP), principal canal de comunicação da instituição com a sociedade, passará a funcionar a partir desta sexta-feira (19), na Procuradoria-Geral de Justiça – Promotor Haroldo Franco, sede do MP-AP, localizada no bairro do Araxá, S/N, na zona sul de Macapá.

Atualmente, o setor do MP-AP funciona no Complexo Cidadão Centro, unidade do Ministério Público situada na Avenida Fab, Nº 064.

De acordo com o ouvidor da instituição, procurador de Justiça Jayme Henrique Ferreira, o objetivo da mudança da Ouvidoria visa a melhoria do atendimento ao cidadão.

Ferramentas

A Ouvidoria dispõe de modernas ferramentas tecnológicas, analógicas e digitais, sendo o seu principal canal de acesso o portal do Ministério Público, onde o cidadão pode acessar eletronicamente a Ouvidoria através do SisOuv: um sistema que pode ser operado pela internet de qualquer plataforma eletrônica seja ela instalada em computador ou aparelho de telefonia celular, através do site http://www.mpap.mp.br

O órgão também disponibiliza outros canais para atender a sociedade: pelo telefone, no número 127, o cidadão tem atendimento gratuito das 8h às 14h; pela internet, no endereço eletrônico [email protected]; por carta enviada pelo correio ou de forma presencial, até quinta-feira (18), no prédio situado à Av. FAB, n.º 064 (antigo Palácio do Setentrião) e a partir de sexta-feira (19), na PGJ, localizada no bairro do Araxá, S/N.

Procurador de Justiça e Ouvidor do MP-AP, Jayme Ferreira

“Estamos aprimorando as atividades da Ouvidoria do MP-AP, para prestar um serviço ainda melhor para a população. Assim a sociedade será beneficiada com o reforço das ações desenvolvidas pela nossa instituição”, frisou o Procurador de Justiça Jayme Ferreira.

SERVIÇO:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Sine Amapá oferta mais de 150 vagas de emprego para o dia 18 de julho

O Sistema Nacional de Emprego no Amapá (Sine-AP) oferece vagas de empregos para Macapá. O número de vagas está disponível de acordo com as empresas cadastradas no Sine e são para todos os níveis de escolaridade e experiência.

Os interessados podem procurar o Sine, localizado na Rua General Rondon, nº 2350, em frente à praça Floriano Peixoto. Em toda a rede Super Fácil tem guichês do Sine e neles é possível obter informações sobre vagas em Macapá e Santana. Outras informações e oferta de vagas são pelo número (96) 4009-9702.

Para se cadastrar e atualizar os dados, o trabalhador deverá apresentar Carteira de Trabalho, RG, CPF e comprovante de residência (atualizado).

Veja as vagas disponíveis de acordo com as solicitações das empresas:

Consultor de vendas – 10 vagas
Médico veterinário – 1 vagas
Mesista para acabadora de asfalto – 1 vaga
Operador de motoniveladora pavimentação – 2 vagas
Operador de rolo compactador (pé de carneiro) – 3 vagas
Operador de rolo chapa asfalto (tandem) – 1 vaga
Operador de rolo pneu para asfalto/base – 1 vaga
Operador de gerico grande – 3 vagas
Operador acabadora de asfalto – 1 vaga
Operador de espargidor/imprimação – 1 vaga
Operador de compactador manual – 4 vagas
Operador de minicarregadeira – 1 vagas
Operador de minicarregadeira (bob cat) – 2 vagas
Chefe de recursos humanos – 1 vaga
Conferente – 4 vagas
Chefe de seção (RN) – 1 vaga
Operador de empilhadeira – 6 vagas
Chefe de seção de prevenção – 2 vagas
Chefe de seção frente de caixa – 2 vagas
Chefe de seção perecíveis – 2 vagas
Chefe de seção mercearia – 4 vagas
Chefe de seção FLV (frutas legumes e verduras) – 1 vaga
Chefe de seção (depósito) – 1 vaga
Cartazista – 1 vaga
Assistente de TI – 1 vaga
Chefe de manutenção – 1 vaga
Atendente de loja – 6 vagas
Operador de loja pleno (fiscal de loja) – 18 vagas
Auxiliar de depósito (ajudante de carga e descarga) – 14 vagas
Líder de setor (mercearia) – 2 vagas
Líder de setor (perecíveis) – 1 vaga
Líder de setor FLV (frutas legumes e verduras) – 1 vaga
Auxiliar de manutenção – 1 vaga
Chefe de atendimento – 1 vaga
Televendas (auxiliar comercial) – 2 vagas
Fiscal de caixa – 7 vagas
Cozinheiro – 1 vaga
Operador de loja pleno – 7 vagas

Vagas disponíveis para pessoas com deficiência física

Fiscal de caixa – 7 vagas
Chefe de seção (RM) – 1 vaga
Chefe de seção (prevenção) – 2 vagas
Chefe de seção frente de caixa – 2 vagas
Chefe de seção (perecíveis) – 2 vagas
Chefe de seção (mercearia) – 4 vagas
Chefe de seção FLV – 1 vaga
Chefe de depósito – 1 vaga
Cartazista – 1 vaga
Chefe de atendimento – 1 vaga
Operador de loja pleno – 4 vagas
Vagas para Santana

Vendedor – 8 vagas

Fonte: G1 Amapá

Nunca fui…

Nunca fui sonhador de só esperar algo acontecer. Sou de fazer acontecer. Não sou e nunca serei anjo. Não procuro confusão, mas não corro dela, nunca!

Nunca fui de pedir autorização pra nada, nem pra família, nem pra amigos. No máximo para chefes, mas só na vida profissional.

Nunca fui estudioso, mas me dei melhor que muitos “super safos” que conheci no colégio. Nunca fui prego, talvez um pouco besta na adolescência.

Nunca fui safado, cagueta ou traíra, mesmo que alguns se esforcem em me pintar com essas cores.

Nunca fui metido a merda, boçal ou elitista, só não gosto de música ruim, pessoas idiotas (sejam elas pobres ou ricas) e reuniões com falsa brodagem.

Nunca fui “pegador”, nem quis. É verdade que tive vários relacionamentos, mas cada um a seu tempo. Nunca fui puxa-saco ou efusivo, somente defendi os locais por onde passei, com o devido respeito para com colegas e superiores.

Nunca fui exemplo. Também nunca quis ser. Nunca fui sonso, falso ou hipócrita, quem me conhece sabe.

Nunca fui calmo, tranquilo ou sereno. Só que também nunca fui covarde, injusto ou traiçoeiro.

Nunca fui só mais um. Sempre marquei presença e, em muitas vezes, fiz a diferença. A verdade é que nunca fui convencional, daqueles que fazem sentido. E quer saber, gosto e me orgulho disso. E quem convive comigo sabe disso.

Elton Tavares

Valorização da vida, suicídio e meio ambiente são os temas das palestras de André Trigueiro

Valorização da vida, suicídio e meio ambiente são os temas que o jornalista, professor e escritor André Trigueiro irá tratar nos dias 20 e 21 de julho, em Macapá. A iniciativa de debater os temas com um profissional qualificado é do Ministério Público do Amapá (MP-AP) e parceiros do projeto AtuaAção Pela Vida. As inscrições são gratuitas e já estão disponíveis.

André Trigueiro é voluntário colaborador do Centro de Valorização da Vida (CVV), para onde destinou os direitos autorais do seu livro “Viver é a melhor opção”, publicação em que o jornalista trata do tema suicídio como um problema de saúde púbica. Tem pós-graduação em Gestão Ambiental pela COPPE/UFRJ, onde leciona a disciplina “Geopolítica Ambiental”; é professor e criador do curso de Jornalismo Ambiental da PUC-Rio, repórter da TV Globo e editor-chefe do programa “Cidades e Soluções”, na Globo News.

Vejam o convite de André Trigueiro:

Palestras:

– Atuação pela Vida e Prevenção ao Suicídio: Sinais para Saber e Agir
Data: 20 de julho
Hora: 9h

– Soluções Inteligentes para um Planeta em Crise: É Possível um Desenvolvimento Sustentável?
Data: 20 de junho
Hora: 15h

– Força, Coragem e Fé: A Arte de Seguir em Frente
Data: 21 de julho
Hora: 9h

Garanta sua inscrição: http:/mpap.mp.br/palestra/

Documentário retrata o surgimento do ‘graffiti’ nos espaços urbanos de Macapá

Documentário retrata o surgimento do ‘graffiti’ nos espaço urbano de Macapá — Foto: Divulgação

Por Rita Torrinha

O surgimento do graffiti em espaços urbanos de Macapá é o assunto traçado nos 35 minutos do documentário “Tatuagem da Cidade”, que será exibido nesta quarta-feira (17) em um espaço cultural no Centro da capital. O filme tem como base pontos de vista de dez artistas amapaenses da vanguarda e da nova geração.

“Buscamos entrevistar grafiteiros antigos, alguns que transitaram entre espaços que acreditamos ser importantes, como o Catita Clube e o Espaço Caos. Também escolhemos alguns grafiteiros mais novos que representam a cena hoje, a galera que está na ativa”, explica Danrlei Chagas (Jack), que assina a direção do filme.

Criadores, da esquerda para direita: Danrlei Chagas (Jack), Ramones Otirb e Lucas Monte — Foto: Danrlei Chagas/Arquivo Pessoal

Jack compartilha o roteiro e direção do documentário com o amigo Ramones Otirb e contou com Lucas Monte nas filmagens. Os dois primeiros são estudantes de artes visuais da Universidade Federal do Amapá (Unifap), onde surgiu a ideia da gravar a película, como parte do trabalho de conclusão de curso. Foram oito meses de trabalho, entre gravação e finalização.

Artista Moara Negreiros é uma das entrevistadas no documentário — Foto: Danrlei Chagas/Arquivo Pessoal

“Começamos a escrever o TCC e ao mesmo tempo gravar. Para gravar contamos com a ajuda do Lucas Monte, que se disponibilizou a fazer as imagens, e a edição é do André Cantuária. Assim surgiu a ideia de fazer um curta-doc sobre esses relatos e também mostrar como é agora a identidade da arte urbana local”.

“O muro é símbolo da sociedade moderna e não por acaso também é o suporte favorito dos grafiteiros”, Jack — Foto: Divulgação

“Tatuagem da Cidade” não fala sobre o processo individual criativo dos grafiteiros, se propõe a registrar relatos desses espaços coletivos que surgiram e desapareceram, mas que contribuíram para a valorização da cena da arte urbana.

Gabi Campis estuda artes e é grafiteira. Ela também está no documentário — Foto: Divulgação

Para Jack, apesar de ser considerada “tímida” por alguns grafiteiros, a arte de rua existe e resiste ao passar do tempo, mesmo que seja em movimentos cíclicos, mas com potencial de intervenção cada vez maior.

Danrlei Chagas (Jack), diretor do documentário — Foto: Danrlei Chagas/Arquivo Pessoal

É também uma decisão de trazer à visibilidade e fomentar discussões, inclusive acadêmica, onde, segundo os documentaristas, o acervo sobre a temática ainda é pífia. Para os grafiteiros, os muros são os suportes favoritos para usar os sprays multicoloridos e ressignificar o lugar.

Documentário retrata a arte do graffiti integrada ao cenário urbano de Macapá — Foto: Divulgação

Todos os entrevistados no documentário são grafiteiros e a maioria tem formação ou está se formando no curso de artes visuais, seja a nível técnico, seja em licenciatura.

Ter um recorte da cena do graffiti registrado em filme representa também o resgate de rodas constantes de discussões sobre o movimento e a (re) aproximação dessa tribo. Uma reflexão que vai além de um filme ou trabalho acadêmico.

Serviço:

Exibição do documentário “Tatuagem da cidade”
Local: Casa Viva (Avenida Almirante Barroso, nº 851, Centro)
Data: 17 de julho (quarta-feira)
Hora: 20h
Entrada gratuita

Fonte: G1 Amapá

Acadêmicos de medicina terão internato em aldeia indígena a partir de agosto

Entre meses de agosto e setembro, os 52 acadêmicos do sexto ano do curso de medicina da Universidade Federal do Amapá (Unifap) irão participar de uma experiência bem diferente da rotina que levam na cidade. Neste período, eles estarão envolvidos com o internato rural, que terá suas atividades desenvolvidas no município de Porto Grande e na Aldeia do Manga, área indígena que fica a 18km do município de Oiapoque.

Pelo cronograma do internato, os alunos irão sair de Macapá no dia 17 de agosto com destino a Oiapoque, percorrendo cerca de 600 km pela BR 156. Entre os dias 19 a 23 eles irão prestar atendimento à comunidade indígena da Aldeia do Manga e de 26 a 12 de setembro, estarão no município de Porto Grande, onde também atenderão as comunidades dos municípios vizinhos como Ferreira Gomes e Pedra Branca do Amapari, sob a supervisão de professores do curso.

Os atendimentos vão abranger a área de atenção básica, o que envolve programas de hipertensão e diabetes, planejamento familiar, realização de pré-natal, diagnóstico e tratamento da hanseníase, tuberculose, dengue e malária, além de consultas e orientações antitabagistas, promoção do envelhecimento ativo, diagnosticar e tratar doenças diarreicas da infância e pneumonias comunitárias infantis e realizar procedimentos como curativos e suturas.

“Durante quatro semanas os alunos vão vivenciar o que é a realidade de uma população ribeirinha, indígena ou de uma comunidade distante da capital e isso é essencial para a formação desses futuros médicos”, explica o professor do curso Algerry Rêgo.

O médico Felipe Pena estava entre os acadêmicos que fizeram o internato no ano passado. Ele conta que a experiência coloca os alunos dentro da realidade do sistema de saúde, no qual os médicos vão atuar depois de formados, além de ser a uma oportunidade para pôr em prática o que aprenderam nos seis anos de curso.

“A convivência com uma cultura diferente, com o interior, com uma população que é pobre em informação e em recursos, nos fez tentar alcançar essa população da melhor forma possível no que tange o atendimento médico. Nós tivemos a experiência de como seria a nossa vida após formados e nós tivemos a clara certeza de que aquilo que nós vivemos no internato rural foi um preparatório para a vida profissional”, diz Felipe.

A professora Ennara Borges, que também participou do internato rural em 2018, diz que a disciplina incute um traço mais solidário na formação dos médicos.

“Esse trabalho leva cidadania para pessoas. Através dele, a universidade se aproxima das comunidades mais carentes e coloca a disposição delas o conhecimento produzido em sala de aula. Ele é indispensável para que os médicos percebam como o trabalho deles é importante na vida das pessoas e a responsabilidade que eles assumem ao escolherem a profissão”, diz Ennara.

O internato rural indígena é a última disciplina da graduação. E para os alunos que vão retornar ao seus estados de origem, será também a última oportunidade para conhecer o interior do estado por onde se formaram.

Parceria

Um entendimento com o Exército Brasileiro vai possibilitar, que em Oiapoque, os alunos possam ficar alojados na Companhia Especial de Fronteira do Exército Brasileiro em Clevelândia do Norte. Esse é o primeiro passo de uma relação que deve se estreitar ainda mais com a celebração de um acordo de cooperação que prevê que os cursos de saúde a Unifap (Medicina, Fisioterapia, Farmácia e Enfermagem) atuem junto com o exército em ações de saúde e cidadania, que serão programadas anualmente.

Assessoria de comunicação da Unifap

Centro de Apoio Operacional da Infância, Juventude e Educação do MP-AP comemora conquistas no primeiro semestre de 2019

O Centro de Apoio Operacional da Infância, Juventude e Educação (CAOP-IJE) do Ministério Público do Amapá (MP-AP), que presta assessoria auxiliar para membros do MP-AP na garantia de direitos de crianças e adolescentes, nos 16 municípios amapaenses, conseguiu avanços significativos no primeiro semestre de 2019. Entre fevereiro e junho deste ano, foram realizadas ações efetivas para diminuir desigualdades e criar oportunidades aos jovens da capital e demais cidades do Estado.

Entre as ações mais importantes estão:

A II Oficina Estadual para o Processo de Escolha Unificada de Conselheiros Tutelares foi realizada pelo CAOP-IJE, em parceria com o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (CEDCA/AP), no auditório do Complexo Cidadão Centro, em Macapá.

A oficina teve como objetivo apresentar informações e sugestões aos membros dos Conselhos Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) para que possam promover o Processo de Escolha com total transparência, ampla participação da comunidade e que a lisura durante todo o processo assegure a escolha dos melhores conselheiros e confiança no trabalho dos CMDCA’s. O evento contou com a participação de representantes dos 16 municípios do Estado do Amapá.

No mês de março, a procuradora de justiça Judith Teles, representante do CAOP-IJE, esteve presente na I reunião ordinária do Grupo Nacional de Direitos Humanos (GNDH) do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), composto por 7 comissões, dentre as quais o centro participa da Comissão Permanente de Infância e Juventude (COPEIJ). No encontro, foram debatidas pautas pertinentes à área de Infância e juventude, como estratégias relativas ao Processo de Escolha dos Conselheiros Tutelares de 2019 e Atendimento de Crianças e Adolescentes Vítimas de Violência.

Em abril, foi realizada a aula inaugural do curso de montador de móveis, ofertado pela Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Santana (PJIJS) e o Lar Bethânia. A capacitação foi garantida por meio do Instituto Marcelo Cândia, em parceria com o Sindicato do Comércio Varejista de Móveis e Eletrodomésticos do Estado do Amapá (Sindmóveis), Fecomércio, Instituto Inova-Estágio e Aprendiz, e os grupos empresariais Domestilar e Center Kennedy.

No mês de maio, houve a certificação dos jovens participantes do projeto “Mão na Massa”, realizado em conjunto com a Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Santana (PJIJ-STN), Lar Betânia e em parceria com as empresas O Moinho e o Instituto Inova-Estágio e Aprendiz. O projeto contemplou 30 jovens escolhidos por meio do processo de seleção que contou com 130 inscritos.

O curso aconteceu no Lar Betânia, uma instituição religiosa que acolhe crianças e adolescentes em situação de risco, tendo a culminância do evento com a certificação dos jovens participantes no último dia 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infantil.

O objetivo dos Projetos é ofertar cursos profissionalizantes para jovens de baixa renda e em situação de risco no Município de Santana, oportunizando melhorias em suas vidas e proporcionando aos mesmos uma garantia de inserção no mercado de trabalho.

O Centro acompanhou todo o processo de construção do Referencial Curricular Amapaense (RCA) que culminou com o evento de lançamento realizado pela Comissão Estadual PróBNCC no final de maio, comissão da qual o CAOP-IJE participa, sendo representado pelo pedagogo do Centro.

O RCA é o resultado do processo de contextualização local da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), a partir do regime de colaboração entre o Sistema Estadual e os Municipais e, a contar de 2020, passará a nortear os currículos das instituições de ensino de todo o território amapaense.

Durante o primeiro semestre de 2019, várias atividades de combate ao trabalho infantil foram realizadas pelo CAOP-IJE em parceria com o Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil do Amapá (FEPETI-AP). No último dia 12 de junho, crianças e adolescentes da Escola Estadual Modelo Guanabara participaram de um circuito de atividades sócio pedagógicas voltado para o combate ao trabalho infantil.

O evento aconteceu no auditório do Complexo Cidadão Centro, onde foram realizadas atividades lúdicas, a exibição de um filme que retratava o trabalho infantil, e palestra de dois membros do Ministério Público, o promotor de Justiça Alexandre Flávio, e a procuradora de justiça Judith Teles. Participaram do evento 70 crianças na faixa etária de 9 a 11 anos.

Outra temática importante abordada pelo CAOP-IJE, foi a implementação da Lei 13.431/2017, que estabelece o Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente vítima ou testemunha de violência.

A referida lei altera o Estatuto da Criança e do Adolescente e prevê a obrigatoriedade da oitiva através da escuta especializada, que é o procedimento de entrevista sobre a situação de violência perante o órgão da rede de proteção; e o depoimento especial, que é o procedimento de escuta da criança vítima ou testemunha de violência perante a autoridade policial ou judiciária. O objetivo é evitar a revitimização e a violência institucional.

Durante o primeiro semestre foram realizadas quatro reuniões envolvendo membros e servidores da Promotoria da Infância e Juventude de Macapá e Santana, do CAOP Criminal e do NATA, com o objetivo de refletir e discutir os aspectos práticos da implementação da Lei e suas implicações na atuação do Ministério Público, tanto nos aspectos protetivos quanto criminais e elaborar um plano interno de trabalho.

Ao final, a equipe elaborou a minuta de um protocolo interno de atendimento com objetivo de padronizar o atendimento de crianças e adolescentes em situação de violência no âmbito do Ministério Público do Estado do Amapá. O documento se encontra disponível para apreciação, revisão e validação de instâncias superiores.

O grupo voltará a se reunir no segundo semestre para dar continuidade aos trabalhos objetivando a integração e articulação de ações com as redes de atendimento dos municípios.

No mês de junho os coordenadores do CAOP-IJE efetuaram a entrega de donativos recolhidos em campanha realizada pelo Centro, após uma visita no mês de janeiro, ocasião em que membros levaram seus estagiários para conhecer as instalações de Casa de Acolhimento, no município de Santana. Após a visita, a equipe sensibilizou-se com a situação de funcionamento da Casa da Hospitalidade – Abrigo dos Idosos e decidiu realizar campanha para arrecadar materiais de higiene pessoal e de limpeza.

SERVIÇO:

Nelson Carlos
Assessoria de Comunicação do MP-AP
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Prefeitura trabalha de forma intensa para evitar transtornos causados pela chuva

Devido às fortes chuvas que caíram na cidade na madrugada desta quarta-feira, 17, a Prefeitura de Macapá está nas ruas da capital atuando em várias frentes de serviços para evitar e sanar transtornos causados pelo grande volume de água. Até o momento, choveu 96 milímetros, em apenas 8 horas, mais da metade prevista para todo o mês de julho (190 milímetros).

Estão sendo executados serviços de desobstrução, desassoreamento e limpeza de vias pluviais durante toda o dia em diferentes bairros de Macapá. Os trabalhos se concentram na Avenida Cora de Carvalho, FAB com Santa Catarina, Av. Rio Grande do Norte, Leopoldo Machado, Pacoval, com desobstrução de bueiros e galerias; limpeza do talude e do canal do Jandiá com escavadeira hidráulica, limpeza e remoção de entulho do canal da Avenida Ana Nery, com capina manual e mecanizada. Serviços de limpeza e remoção de entulho também são executados na Rua Odilardo Silva e avenidas Marcílio Dias e General Osório.

“Estamos com equipes nas ruas desde a madrugada. Choveu o esperado para o mês inteiro e coincidiu com a maré alta. Vale lembrar que ainda há previsão de chuva, e a prefeitura continua fazendo o monitoramento e o trabalho de limpeza. Muito lixo está sendo retirado dos canais e das galerias, e gostaríamos de contar com a colaboração da população que muito já tem nos ajudado, mas algumas pessoas ainda insistem no descarte indevido do lixo, o que causa muitas obstruções e alagamentos na nossa cidade”, enfatiza o secretário de Obras de Macapá, David Covre.

Até o momento, a Defesa Civil Municipal atendeu 26 chamadas e está fazendo o monitoramento em pontos que já foram atendidos, como zona norte (Av. Pérsia, Renascer; Antônio Asmar, Jardim 1; Passagem Albatroz, Infraero 1; e no bairro Novo Horizonte) e zona oeste (Silas Salgado, Orlando Pinto e Santa Catarina).

Previsão do Tempo

Os dados do Núcleo de Hidrometeorologia e Energias Renováveis (NHMET/Iepa) apontam para o mês de julho 190 milímetros. Ainda segundo informações do NHMET, a previsão é de maré alta na tarde desta quarta-feira, por volta das 15h56, e deve atingir 3.15 milímetros. Em caso de alagamentos, a população deve acionar a Defesa Civil do Estado pelo número 193, que trabalha de forma integrada com o Município de Macapá.

Assessoria de Comunicação/PMM
Contato: 99903-5888
Fotos: Jhenni Quaresma e Max Renê

MP-AP, SESI-SENAI e parceiros finalizam preparativos para cursos e ações de saúde, limpeza e ambiental na Baixada Pará

Uma reunião de alinhamento para a ação coletiva na Baixada Pará aconteceu nesta terça-feira (16), na Promotoria do Meio Ambiente, localizada no Complexo Cidadão Zona Norte do Ministério Público do Amapá (MP-AP), com representantes dos parceiros dos projetos “Colorindo o Futuro – Baixada Pará” e “SESI-SENAI nos Bairros”. As ações da segunda etapa iniciam na próxima segunda-feira (22) e culminam no sábado (27). Durante o encontro, foram definidas as estratégias e mobilização, e fechadas novas parcerias para as ações de saúde, capacitações e atividades lúdicas.

O projeto “Colorindo o Futuro – Baixada Pará” é uma iniciativa do MP-AP, por meio das Promotorias de Justiça do Meio Ambiente, de Urbanismo e Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente (CAOP/AMB), com o objetivo de promover dignidade, ações de cidadania e conscientização para questões ambientais. O Serviço Social da Indústria (SESI) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) são parceiros do MP-AP e levarão para a Baixada Pará o projeto “SESI-SENAI nos Bairros”, que está garantindo mais saúde e capacitações para moradores de bairros carentes de serviços públicos.

A primeira etapa do Colorindo o Futuro – Baixada Pará aconteceu no mês de maio, em uma parceria com a Prefeitura Municipal de Macapá (PMM), através da Secretaria de Manutenção Urbanística (Semur). Na ocasião foram retiradas 19 toneladas de lixo da área de ressaca, onde a comunidade da Baixada Pará habita há mais de 40 anos. Sem políticas públicas efetivas que garantam serviços e aparelhos sociais como escola, delegacia e Unidade Básica de Saúde (UBS), e ações de cidadania, os moradores sofrem o desamparo e os problemas sociais, sendo a iniciativa do MP-AP um caminho para oportunidades e atendimento coletivo.

Nesta esta segunda etapa, serão realizadas cinco oficinas de 22 a 26 de julho. Pelo SENAI-AP, Produção de Pizzas, Noções Básicas de Carpintaria e Noções Básicas de Hidráulica, com disponibilidade de 60 vagas no total para moradores da área.

O Centro de Gestão da Tecnologia da Informação (Prodap) realizará os cursos de Criação de Arte e Fotografia, e Edição de Vídeo, com 16 vagas para cada oficina. A empresa Nutriama, localizada na vizinhança da Baixada Pará aderiu ao projeto e irá doar o material para a oficina de pizza e lanches. Outras empresas parceiras do SESI-SENAI estão aderindo ao projeto, assim como o Exército Brasileiro.

A culminância do projeto será no sábado (27), a partir das 8h, com as ações de saúde, que irá disponibilizar testes rápidos, Circuito Saúde e massoterapia. Na área de estética, cabeleireiro e limpeza de pele; para auxiliar na entrada no mercado de trabalho serão disponibilizadas orientações profissionais pelo SENAI; para melhorar o meio ambiente será feita a limpeza da área de ressaca, e a PMM irá disponibilizar serviço de gari e contêiner para a retirada de lixo antes e após a ação. Haverá ainda distribuição de sopa, sucos e mingau, apresentação do Balé do SESI, ginástica laboral, e aulas de dança. No final, os participantes dos cursos receberão os certificados.

A proposta é que em agosto seja realizada a terceira etapa com a pintura de 100 casas, instalação de lixeiras, oficinas de aproveitamento de óleo, garrafas pet e latas, e a oficina de audiovisual. Esta fase encerrará com um festival de vídeo, resultado do aprendizado ministrado para os moradores, que participarão como produtores e atores dos filmes que irá retratar a vida de quem mora na área e a experiência com o projeto.

Agenda de Cursos:

De 22 à 26 de julho

SENAI-AP

– Produção de Pizzas (20hs)
– Noções Básicas de Carpintaria (20hs)
– Noções Básicas de Hidráulica (20hs)

Hora: das 14 às 18hs
Local: nas dependências do SENAI-AP.

PRODAP

Oficina de criação de arte e fotografia (20hs)
Hora: de 08 as 12hs.

Edição de vídeo ShotCut (16hs)
Hora: de14 as 18hs.
Local: Prodap

SERVIÇO:

Mariléia Maciel – Assessora operacional – CAOP/AMB
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Projetos SESI SENAI nos Bairros e Colorindo o Futuro vão ofertar cursos gratuitos à comunidade da Baixada Pará

Um dos serviços programados para a segunda edição do SESI SENAI nos Bairros é a oferta de cursos gratuitos para a comunidade da Baixada Pará. Por meio da parceria estabelecida com o Ministério Público do Estado (MP-AP), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) do Amapá vai ministrar capacitações em Produção de pizzas, Noções básicas de carpintaria e Noções básicas de hidráulica.

Os cursos vão ser realizados no período de 22 a 26 de julho e a certificação vai acontecer na ação principal, no sábado, 27. Foram disponibilizadas 60 vagas para jovens e adultos que desejam aprender uma nova atividade profissional. Para se inscrever o público precisa comparecer à secretaria do SENAI Amapá.

Além das capacitações, a programação dos projetos SESI SENAI nos Bairros e Colorindo o Futuro – do MP-AP – vai garantir a oferta de diversos serviços para os moradores da Baixada Pará. No sábado, 27, a comunidade terá acesso a testes rápidos, aferição de glicemia, avaliação do Índice de Massa Corporal (IMC), massoterapia e oficinas de reaproveitamento de alimentos, currículo e postura profissional. E também poderá degustar de alimentos que serão distribuídos.

O evento conta com a parceria da Prefeitura Municipal de Macapá, por meio da Secretaria de Manutenção Urbanística (Semur), empresa Nutriama, do Centro de Gestão da Tecnologia da Informação (Prodap), da Federação do Comércio (Fecomércio), Universidade Federal do Amapá (Unifap), O Moinho e do Exército Brasileiro.

Alinhamento

Para alinhar os últimos detalhes, os parceiros dos projetos SESI SENAI nos Bairros e Colorindo o Futuro – Baixada Pará reuniram-se na terça-feira, 16. O objetivo do encontro foi conversar sobre as estratégias que estão sendo adotadas para a realização da ação.

Serviço:

SESI SENAI nos Bairros e Colorindo o Futuro
Data: 27 de julho (sábado)
Horário: das 8h às 13h
Local: Baixada Pará

Assessoria de Comunicação Corporativa SESI/SENAI – AP
Contato: (96) 3084-8944
E-mail: [email protected]