Espaço Caos, Arte e Cultura comemora seu 1º aniversário com festa “Caos Três Meia Cinco”


Foram 365 dias de muito caos, arte, cultura e pessoaaaas! 

Dia 06 de Setembro rola a comemoração oficial do aniversário de 1º ano do Espaço CAOS – Arte e Cultura. Vai ter exposição do Fotoclube Fotógrafos Anônimos e AP Quadrinhos, lançamento do clipe da música “Instigado” da banda O Sósia, feito pelo FIM (Festival Imagem-Movimento), e mais comidas só o filé, sebo, lançamento de fanzines e apresentações de bandas locais mais só o filé ainda!

A partir de 16h no espaço de arte e cultura mais caótico da cidade: Espaço Caos 🙂

BANDAS:
18h Overhaul
19h Da Silva Groove
20h O Sósia (Lançamento do Clipe),
21h La Família (mini tributo ao Charlie Brown Júnior) 
22h Télon Band

Chegue Junto! 🙂
Serviço: 

Sábado, 6 de setembro de 2014
Espaço Caos – Arte E Cultura
Avenida Procópio Rola, 1572 – Centro, 68900505 Macapá
Onde: Espaço Caos – Arte e Cultura, localizado na Avenida Procópio Rola, 1572 – Centro, 68900505 Macapá. 
Horário: 16h
Entrada: R$ 5,00

Sesc Amazônia das Artes apresenta espetáculo de dança Origens

Por Petrônio Valente

O Sesc Amazônia das Artes traz nesta sexta-feira (22),  o espetáculo de dança “Origens: uma homenagem a Hélio Melo”, da Cia. Garatuja de Artes Cênicas (AC), às 20h, no Salão de Eventos do Sesc Araxá.
A companhia Garatuja de Artes Cênicas buscou inspiração nas obras do artista acreano Hélio Melo (1926-2001), para retratar a relação do modo de vida do homem da floresta e a dramaturgia na dança. A partir de pinturas moventes em um espaço cênico, que mescla lembranças, cores, emoções, conflitos, inquietudes, carga dramática e, ao mesmo tempo, a simplicidade vista nas obras do homenageado.
As coreografias e cenas do espetáculo são carregadas de subjetividade e reflexões sobre a modernidade, com base no questionamento do fazer artístico de Hélio Melo.

O espetáculo tem encenação e dramaturgia, direção, operação de luz e som, figurino e iluminação de Valeska Alvim; cenografia de Gisela Brugnara; direção musical de Écio Rogério; fotografia de Diego Gurgel e Allen Ferraz; e realização do grupo universitário de artes cênicas “Nois da Casa”.
Amazônia das Artes 

O evento está em sua 7ª edição, acontece até o dia 28 de agosto em Macapá e conta com atrações culturais dos nove estados da Amazônia Legal (Amapá, Acre, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins), e do Piauí. A mostra reúne obras artísticas de dança, teatro, música e exibição de documentário. A entrada para todas as atrações é gratuita.

Serviço:
Sesc Amapá
Assessoria de Comunicação e Marketing
Fone: (96)3241-4440 (ramal 235)
Site: www.sescamapa.com.br
Facebook: Sesc Amapá
(21/8/14)

Fortaleza de Macapá terá mostra performática coletiva de artistas

Por Fabiana Figueiredo, do G1 Amapá

Cinco artistas amapaenses formam a exposição coletiva ‘Apenas Sendo’, com trabalhos de performances, instalações, colagens, fotografias e vídeos arte produzidos desde 2013. A mostra vai acontecer de 2 a 31 de agosto, na galeria do Museu Fortaleza de São José de Macapá. A abertura está programada para este sábado, às 16h.

O artista Naldo Martins, integrante da exposição, explica que os trabalhos são focados na arte contemporânea, e produzidos com materiais simples, como arames e pedaços de bonecos, para retratar o cotidiano macapaense e de relações humanas.

Durante a mostra, estudantes serão levados para a exposição para discussões sobre a arte no Amapá.

Segundo Martins, a exposição é uma forma de mostrar o que é produzido nas artes visuais do Amapá, e também dar notoriedade à produção local.

Queremos discutir os padrões estabelecidos pela sociedade para o homem e desvincular esses preceitos. A iniciativa dará mais notoriedade aos artistas e ao próprio estado, mostrando que não estamos fora do circuito das artes“, comentou Naldo.

Além de Naldo Martins, a exposição reúne produções de Rafaela Sena, Romário Sanches, Jorge Paulino e Lene Moraes. Todos são professores recém-formados e se consideram artistas independentes.

Serviço:

Exposição ‘Apenas Sendo’
Dias: de 2 a 31 de agosto
Local: galeria do Museu Fortaleza São José de Macapá
Hora: 8h às 12h e 14h às 18h

Grupo Inoromô do Maranhão abre o Sesc Amazônia das Artes

Por Fernanda Picanço

No período de 18 a 28 de agosto, Macapá será palco da 7ª edição do Sesc Amazônia das Artes. Com atrações culturais dos nove estados da Amazônia Legal (Amapá, Acre, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins), e do Piauí, a mostra reúne obras artísticas de dança, teatro, música, cinema e exibição de documentário. A entrada para todas as atrações é gratuita.

No dia 18, quem abre o espetáculo de música é o grupo do Maranhão, ‘Afrôs Inoromô’ que na língua Tenetehara (Tupí-Guaraní) quer dizer “está aqui”. A apresentação acontece, às 22h no Sesc Centro.
Durante o show, o grupo vai fazer um passeio à música brasileira ancestral indígena e africana por meio das composições autorais. Dentre as composições do grupo, destacam-se: A mulher cabocla de Deusa de Chamató e Maguinha Cajuína, de hoje e de outrora, que se conectam as mulheres ancestrais Oxum, Yemanjá, Iansã e às mulheres da mata, do solo indígena. 
Para Rebeca Alexandre, vocalista do grupo Afrôs ‘Inoromô’, o palco é um chão sagrado que contempla todas as entidades. “Respeitamos profundamente todas as entidades e por meio da canção expressamos o viver do cotidiano de muitos brasileiros que não estão em evidência nas mídias, talvez, até esquecidos, e o Afrôs está aqui para cantar aos povos irmãos e reverenciá-los”, afirma a artista. 
Documentários e Filmes
O Sesc Amazônia das Artes apresenta também mostras de documentários e filmes gratuitos, no Cine Sesc (unidade do Araxá).
Dia 19 de agosto, a partir das 18h, serão exibidos os documentários: Bizarrus (RO), Altar de Pedra Canga (TO) e Manoel Chiquitano Brasileiro (MT).
Nos dias 20 e 21 de agosto, às 18h, ocorre apresentação de filmes: Aware Nane Putane (AC), Matinta (PA), Muragens – Crônicas de um Muro (PA), O Último Lamento (RR) e Nó de Rosas (MT).

Confira a programação:

Segunda-feira (18/8)
Espetáculo de Música: Inomorô (MA)
Horário: 22h
Local: Sesc Centro
Classificação: livre
Duração: 1h
Terça-feira (19/8)
Espetáculo Teatral: O Curupira – Um Ser Inesquecível (AP)
Horário: 19h
Local: Teatro das Bacabeiras
Classificação: livre
Duração: 45 min
  
Quarta-feira (20/8)
Espetáculo de Dança: Tenho Flores nos Pés (MT)
Horário: 20h
Local: Teatro das Bacabeiras
Classificação: 12 anos
Duração: 1h
Quinta-feira (21/8)
Espetáculo de Música: Luando (PI)
Horário: 20h
Local: Auditório Escola Sesc
Classificação: livre
Duração: 50 min
Sexta-feira (22/8)
Espetáculo  de Dança: Origens – Uma Homenagem a Hélio Melo (AC)
Horário: 20h
Local: Salão de Eventos – Sesc Araxá
Classificação: livre
Duração: 50 min
Sábado (23/8)
Espetáculo  Teatral: As Mulheres de Molière (AC)
Horário: 20h
Local: Casa do Artesão
Classificação: livre
Duração: 50 min
Domingo (24/8)
Espetáculo Musical: Vivo na Floresta (AM)
Horário: 16h
Local: Auditório da Escola Sesc
Classificação: livre
Duração: 1h10 min
Terça-feira (26/8)
Espetáculo  Musical: Carimbó Electro Seco – ou o Amor e a Esperança em Tempos de Aquecimento Global (RR)
Horário: 22h
Local: Sesc Centro
Classificação: Livre
Duração: 1h30min
Quarta-feira (27/8)
Espetáculo de Dança: A Onda Encantada (PA)
Horário: 20h
Local: Bambuzal (Sesc Araxá)
Classificação: livre
Duração: 1h30min
Quinta-feira (28/8)
Espetáculo de Música: No Quintal(RO)
Horário: 22h
Local: Sesc Centro
Classificação: livre
Duração: 1h
Serviço:
Sesc Amapá
Assessoria de Comunicação e Marketing
Fone: (96)3241-4440 (ramal 235) (96) 9112-1145
Site: www.sescamapa.com.br
Facebook: Sesc Amapá
(15/8/14)

No AP, projeto leva universo do circo para crianças e jovens de periferia

Por Cássio Albuquerque, do G1 Amapá

Malabares, trapézios e acrobacias acompanhados de doses de leitura e encenação foram ingredientes de uma fórmula descoberta por um grupo de atores para tirar mais de 200 crianças e adolescentes do mundo das drogas e da criminalidade em Macapá. Desde 2009, a Companhia Cangapé, através do projeto “Corda Bamba no Equador”, leva a comunidades carentes dos bairros Pedrinhas e Araxá, ambos na Zona Sul da capital, o universo do circo, da literatura e do teatro. A entidade é uma das centenas em todo país que têm apoio do programa Criança Esperança.

Rafael da Cruz, de 14 anos, faz parte do time de 100 alunos que participam das atividades do projeto. O jovem se destaca nos espetáculos de acrobacias no tecido e sonha em ser artista de circo.

“Quando eu cheguei aqui não imaginava que as atividades circenses me tirariam da rua. Tudo que eu aprendo me ajuda a ter um bom desempenho na escola. Isso acaba sendo bom para mim e para todas as outras crianças”, disse.

Mas nem tudo foi fácil, segundo a coordenadora do projeto, Alice Araújo, de 29 anos. Quando a Companhia Cangapé iniciou as atividades, em 2005, eram realizadas apenas as oficinas de teatro, que aconteciam no local onde funcionam as aulas de circo, porém, sem nenhuma estrutura.

“Eu e mais cinco atores fazíamos parte de outros grupos artísticos, mas tínhamos um desejo em comum: trabalhar com o social. Foi a partir daí que resolvemos montar as oficinas no Araxá, que é um bairro da cidade que temos muita ligação”, lembrou.

O circo só apareceu na Companhia em 2009, quando um dos integrantes da entidade participou de uma oficina na Bahia e resolveu compartilhar as técnicas circenses entre os instrutores. Eles tiveram a ideia de repassar os ensinamentos para as crianças e adolescentes do bairro, nascendo o projeto “Corda Bamba no Equador”. Em cinco anos de existência mais de 200 crianças e adolescentes passaram pelo espaço.

Os primeiros frutos foram colhidos dois anos depois. Por duas vezes seguidas, o projeto foi vencedor do prêmio “Carequinha de Estímulo Ao Circo”, da Fundação Nacional das Artes (Funarte) em parceria com a Petrobras, segundo Alice. Em 2013, o projeto foi um dos selecionados pelo programa Criança Esperança na Região Norte.

A mãe do aluno Rafael, Maria Furtado, de 36 anos, fica feliz em saber que o filho participa das atividades circenses e o apoia no sonho de ser um artista.
“Eu fico muito feliz em ver que ele e outras crianças estão aprendendo uma coisa tão linda e divertida que é o circo. Isso é uma vitória para nós pais, que lutamos todos os dias para que nossos filhos não entrem no mau caminho”, disse orgulhosa.

Atualmente, além das aulas de circo a Companhia possui um espaço de leitura, onde os alunos têm aulas de letramento, onde também é realizada sessões de cinema. Uma ação será feita neste sábado (16) para celebrar os 29 anos do Criança Esperança.

“Hoje contamos com mais de 20 voluntários e conseguimos retomar as oficinas de teatro, que deu início a tudo isso. Tivemos o primeiro aluno do projeto que passou na Escola Nacional de Circo. Isso foi uma verdadeira conquista tanto para nós que fomos pioneiros, como também para a comunidade que acolhe com muito carinho as nossas ações”, contou Alice.


Escola Abre as Portas para Residências de Artistas Amapaenses


Estão abertas as inscrições de propostas para residências artísticas em diversos segmentos, na Escola Estadual Professor Rodoval Borges Silva, localizada em Santana –AP.

A iniciativa faz parte do projeto “Tem artista na escola”, contemplado pelo Programa Mais Cultura nas Escolas, do Governo Federal em parceira com o Ministério da Cultura e Ministério da Educação.

Aberto aos diversos campos e linguagens artísticas, o projeto aceita inscrições de propostas de cursos ou oficinas que se relacionem com as Artes Visuais (fotografia, audiovisual, artesanato e toy art), Teatro, Dança, Circo e Literatura.

“O projeto pretende levar o artista para dentro da escola a fim de que o aluno e a comunidade conheçam e convivam com as referências artísticas do estado, dessa forma, eles poderão mapear suas inclinações criativas e se reconhecer como artistas em potenciais” afirma Aline Pacheco, professora de artes da escola e idealizadora do projeto.

Em relação ao alcance do projeto, Pacheco ressalta que as oficinas podem alcançar cerca de 200 pessoas, entre alunos e a comunidade, e as mostras e apresentações podem abranger um público de até 1700 pessoas.

Podem se inscrever no “Tem artista na escola” artistas ou coletivos de artistas que sejam atuantes na cena cultural do estado.

Os valores destinados para o pagamento de cada proposta de atividades variam de R$900,00 a R$ 1.100,00.

Um dos grupos culturais do Amapá com atividade garantida no projeto é o Fotoclube Fotógrafos Anônimos, por ser uma iniciativa cultural parceira do Tem Artista na Escola, realizará uma oficina de fotografia com os alunos e membros da comunidade dos arredores da Escola Professor Rodoval Borges e Silva.

A duração das residências artísticas é de aproximadamente 3 meses. Os interessados podem realizar suas inscrições de 11 a 28 de agosto.

Dúvidas poderão ser sanadas através do e-mail:  [email protected].

O regulamento do projeto está disponível no site: 

Fanpage do projeto no facebook: 

Sesc Amazônia das Artes apresenta espetáculos gratuitos durante dez dias


No período de 18 a 28 de agosto, Macapá será palco do maior evento de arte do Estado, é a 7ª edição do Sesc Amazônia das Artes. Com atrações culturais dos nove estados da Amazônia Legal (Amapá, Acre, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins), e do Piauí, a mostra reúne obras artísticas de dança, teatro, música, cinema e exibição de documentário. A entrada para todas as atrações é gratuita.

No dia 18, primeiro dia do evento, o Sesc apresenta o show “Inoromô”, que na língua Tenetehara (Tupí-Guaraní) quer dizer “está aqui”, do grupo musical do Maranhão “Afrôs”, que abre a mostra da Amazônia das Artes, a partir das 22h, no Sesc Centro. A apresentação de música faz um passeio à cultura indígena e africana por meio de composições autorais do grupo.

O destaque regional fica por conta do espetáculo “O Curupira”, que faz um resgate das lendas e dos personagens mitológicos da Amazônia. O show acontece no dia 19 de agosto, às 19h, no Teatro das Bacabeiras.

Na quarta-feira, 20, às 20h, no Teatro das Bacabeiras, ocorre o espetáculo de dança “Tenho Flores nos Pés”, da Cia. Comadança, de Mato Grosso, composto por quatro artistas, que circulam com produções e espetáculos de dança contemporânea.

Como convidado, o Estado do Piauí, leva o show musical “Luando”, um recital de violão popular brasileiro instrumental, do cantor Josué Costa, que apresenta músicas autorais de ritmos como: baiões, valsas, choros, sambas, baladas, composições com nível técnico e musical. A apresentação ocorre no auditório da Escola Sesc, no dia 21, às 20h.

O Estado do Acre traz duas atrações: “Origens” e “As Mulheres de Molière”. O espetáculo de dança “Origens: uma homenagem a Hélio Melo”, da Cia. Garatuja de Artes Cênicas apresenta o modo de vida do homem da floresta e a dramaturgia na dança. A apresentação acontece dia 22, às 20h, no Salão de Eventos do Sesc Araxá. 

Já o espetáculo teatral “As Mulheres de Molière”, que será apresentado no sábado, 23, às 20h, na Casa do Artesão, reúne um roteiro inspirado em três obras do renomado dramaturgo francês do século XVII, Jean Baptiste Poquelin, o Molière. O espetáculo convida o público a um mergulho repleto de músicas e danças da época, apresentando uma comicidade popular que atravessa os tempos, e conta inclusive com pinceladas do artista plástico acreano, Danilo de S’Acre, unindo, assim, a arte francesa à brasileira num trabalho repleto de cores e fantasias.

A atração musical “Vivo na Floresta”, do grupo amazonense Imbaúba, traz para o auditório da Escola Sesc, no dia 24, às 16h, o show acústico instrumental e vocal abordando músicas compostas a partir dos sons da natureza, traduzindo o universo sonoro amazônico. 

Na terça-feira, 26, a atração musical de Roraima “Carimbó Electro Seco – ou o Amor e a Esperança em Tempos de Aquecimento Global”, apresenta, às 22h, no Sesc Centro, o show com músicas da cultura amazônica.

Do Pará vem o espetáculo “A Onda Encantada”, que reúne teatro, circo, dança e música ao vivo, criando um universo artístico no qual a diversidade predomina, e cria um diálogo com o público por meio de movimentos que oscilam entre situações dramáticas e virtuosas. A apresentação poderá ser conferida dia 27, a partir das 20h, no Bambuzal no Sesc Araxá.

O encerramento da programação fica por conta do grupo “No quintal”, de Rondônia, que apresenta na quinta-feira 28, às 22h, no Sesc Centro, uma mistura de ritmos de prosa e poesia, com tons de instrumentos ecoando os mistérios da Amazônia.

Documentários e Filmes

O projeto Amazônia das Artes apresenta também mostras de documentários e filmes gratuitos, no Cine Sesc (unidade do Araxá). 

Dia 19 de agosto, a partir das 18h, serão exibidos os documentários: Bizarrus (RO), Altar de Pedra Canga (TO) e Manoel Chiquitano Brasileiro (MT).

Nos dias 20 e 21 de agosto, às 18h, ocorre apresentação de filmes: Aware Nane Putane (AC), Matinta (PA), Muragens – Crônicas de um Muro (PA), O Último Lamento (RR) e Nó de Rosas (MT). 


Serviço:
Sesc Amazônia das Artes 
Sesc Araxá – Rua Jovino Dinoá, 4311
Informações: 3241-4440 ramal 235
Petrônio Valente – Técnico em Comunicação – Sesc/AP

Cartum em homenagem ao Dia dos Pais


Cartum é o desenho de humor que não tem data de validade. Este que fiz há alguns anos continua atual. Como o amor entre pai e filho, que é eterno. Quer dizer, não sei se é assim para todo mundo, mas é para mim e espero que seja para o maior número possível de pessoas. Eis aí a minha homenagem, desde já, aos pais e aos filhos que vão curtir o Dia dos Pais neste próximo domingo.

Ronaldo Rony

Sesc Amapá apresenta a exposição do pintor Lasar Segall

Petrônio Valente
Colaboração: Fernanda Picanço

O Sesc Amapá promove, no período de 8 de agosto a 26 de setembro, na Galeria de Arte Antônio Munhoz Lopes (Sesc Araxá), das 8h30 às 12h e das 14h às 18h, a Exposição “A Gravura de Lasar Segall – Poesia da linha e do corte”.

A exposição reúne 35 obras reimpressas pelo Museu Lasar Segall, em São Paulo, sendo 19 xilogravuras (gravura em madeira) e 16 gravuras em metal feitas pelo artista entre 1913 e 1930.

A exposição integra o projeto Arte Sesc, de iniciativa do Departamento Nacional, que possibilita a circulação de produções de artistas já conceituados nos circuitos de Arte pelo Brasil.   

Para integrar a exposição, a assessora técnica de arte, Lúcia Helena C. de Mattos, do Rio de Janeiro, realizou no dia 7 de agosto, um encontro de ação educativa sobre a exposição. 

A capacitação foi voltada para professores, acadêmicos e público em geral. Os participantes receberam certificado de capacitação que abordou os seguintes temas: Subsídios para a apreciação de obras de arte; Método de abordagens de leitura de imagens; apresentação do material educativo da exposição; criação de propostas de intervenção didática a partir da exposição; criação de jogos didáticos; exibição de vídeos educativos. 

O artista 

Lasar Segall (1891 – 1957) era um artista russo que viveu a maior parte da vida no Brasil. Suas obras apresentam traços precisos, fortes e uma tendência à geometrização. Segall foi um artista completo, pois além de pinturas, esculturas, desenhos e gravuras, conseguiu produzir móveis para sua casa, figurinos e cenários para peças de teatro e bailes de carnaval. Após o seu falecimento, a família do artista criou o Museu Lasar Segall, com o objetivo de reunir, documentar, estudar, conservar e divulgar as obras do artista.

Programação
Dia 8 de Agosto
Abertura da Exposição “A Gravura de Lasar Segall – Poesia da linha e do corte”.
Local: Galeria de Arte Antônio Munhoz Lopes (Sesc Araxá)
Hora: 19h
Dia 9 de Agosto a 26 de Setembro
Local: Galeria de Arte Antônio Munhoz Lopes (Sesc Araxá)
Hora: 8h30 às 12h e das 14h30 às 18h
Serviço:
Sesc Amapá
Assessoria de Comunicação e Marketing

Hoje: Espaço Caos, Arte e Cultura promove Mostra Desgosto

Anos 70, Nova York. Um fenômeno cinematográfico e de contracultura surgia nas salas de cinema mais segregadas e marginais da cidade. Filmes que não se encaixavam no circuito comercial encontraram público fiel em pessoas que não se encaixavam nos padrões de comportamento de uma comunidade pouco tolerante às diferenças: os Midnight Movies. 

Apesar do termo midnight movie ser utilizado para designar diversos tipos de filme, como produções dos anos 50 que iam ao ar na televisão norte-americana a partir da meia-noite e que apresentavam qualidade questionável e temática inadequada para o padrão social da época, é a partir dos anos 70 que o rótulo esteve associado a películas alternativas que não conseguiam entrar no circuito normal dos cinemas e eram exibidos na sessão da meia-noite, mais notoriamente em salas de Nova York. E é ai que a história ganha mais interessância.

Filmes como El Topo (Jodorowsky), Pink Flamingos (John Waters), Eraserhead (David Lynch) e o brasileiro Macunaíma (Joaquim Pedro de Andrade), circularam pelas telas apresentando diversos elementos trash, exploitation e camp, sintetizando tudo o que o espectador- médio de cinema não queria ou fingia não querer ver. 

Sendo assim, nada mais justo que ver tamanhas agruras do underground em agosto, o mês do desgosto, do cachorro louco. Dia 02, o Clube de Cinema exibi A Noite dos Mortos Vivos, de George A. Romero, obra considerada pioneira no subgênero do zumbi moderno, que por meio de suas alegorias explora aspectos políticos e sociais da época de seu lançamento, em 1968. Um filme que continua atual e inspirador. 

Confira a programação:

Mostra Desgosto
02/08: A noite dos mortos vivos
16/08: Freaks
30/08: The Rocky horror picture show 
Onde: Espaço Caos – Arte e Cultura, localizado na Avenida Procópio Rola, 1572 – Centro, 68900505 Macapá. 
Horário: 19h
Entrada franca

Sesc Amapá apresenta a exposição do pintor Lasar Segall

Petrônio Valente
Colaboração: Fernanda Picanço

O Sesc Amapá promove, no período de 8 de agosto a 26 de setembro, na Galeria de Arte Antônio Munhoz Lopes (Sesc Araxá), das 8h30 às 12h e das 14h às 18h, a Exposição “A Gravura de Lasar Segall – Poesia da linha e do corte”.

A exposição reúne 35 obras reimpressas pelo Museu Lasar Segall, em São Paulo, sendo 19 xilogravuras (gravura em madeira) e 16 gravuras em metal feitas pelo artista entre 1913 e 1930.

A exposição integra o projeto Arte Sesc, de iniciativa do Departamento Nacional, que possibilita a circulação de produções de artistas já conceituados nos circuitos de Arte pelo Brasil.   

Para integrar a exposição, a assessora técnica de arte, Lúcia Helena C. de Mattos, do Rio de Janeiro, estará realizando no dia 7 de agosto no turno da tarde e noite, um encontro de ação educativa sobre a exposição. 

O encontro é voltado para professores, acadêmicos e público em geral. Os participantes receberão certificado de capacitação que irá abordar os seguintes temas: Subsídios para a apreciação de obras de arte; Método de abordagens de leitura de imagens; apresentação do material educativo da exposição; criação de propostas de intervenção didática a partir da exposição; criação de jogos didáticos; exibição de vídeos educativos. 

As inscrições já iniciaram e são gratuitas. Os interessados em participar devem entrar em contato pelos números: (96) 3241-4440 (ramal 257), 9166-3934/8122-1808 (Técnica de Arte – Carla Cambraia) ou pelo e-mail: [email protected]  

O artista 

Lasar Segall (1891 – 1957) era um artista russo que viveu a maior parte da vida no Brasil. Suas obras apresentam traços precisos, fortes e uma tendência à geometrização. Segall foi um artista completo, pois além de pinturas, esculturas, desenhos e gravuras, conseguiu produzir móveis para sua casa, figurinos e cenários para peças de teatro e bailes de carnaval. Após o seu falecimento, a família do artista criou o Museu Lasar Segall, com o objetivo de reunir, documentar, estudar, conservar e divulgar as obras do artista. 

Programação:

Dia 7 de Agosto
Encontro de Ação Educativa
Local: Auditório do Sedet (Sesc Araxá)
Palestrante: Lúcia Helena C. de Mattos – Sesc RJ
Hora: 15h às 18h
         19h às 21h30
Dia 8 de Agosto
Abertura da Exposição “A Gravura de Lasar Segall – Poesia da linha e do corte”.
Local: Galeria de Arte Antônio Munhoz Lopes (Sesc Araxá)
Hora: 19h
Dia 9 de Agosto a 26 de Setembro
Local: Galeria de Arte Antônio Munhoz Lopes (Sesc Araxá)
Hora: 8h30 às 12h e das 14h30 às 18h
Serviço:
Sesc Amapá
Assessoria de Comunicação e Marketing