Vamos que vamos!

Quadra da Escola Hildemar Maia, pessoal produzindo fantasias do Piratão

Hoje fui comprar minha fantasia do Piratão, pelo que vi na quadra da Escola Hildemar Maia, no bairro do Trem, onde as fantasias são fabricadas, elas estão lindas. O pessoal está trabalhando a todo vapor por lá, tudo para fazer um carnaval de qualidade, digno do maior vencedor da festa. Sim, somos nós, 15 vezes.

Com todo respeito às agremiações Boêmios do Laguinho e Maracatu da Favela, vamos para o Sambódromo para ganhar, como sempre. Mas isto não é o mais importante, o que importa é desfilar pela escola de coração e curtir a magia do carnaval. Vamos que vamos!

É Carnaval!!

                                                                                                  Por Elton Tavares

Alguns desfiles da minha vida, as pessoas nas fotos são meus tios Vadinho e Tatá, minha namorada Dan e meu amigo Fábio.
Amanhã começará mais um Carnaval, a maior festa popular do Brasil. Eu amo Carnaval, particularmente o de rua, o Desfile das escolas de samba, A Banda e o bloco do Formigueiro. Macapá já teve bons carnavais de clube, na época, os foliões compravam temporadas carnavalescas, bons tempos. Cresci no meio de gente alegre, meus pais, tios e os amigos deles, todos “pulavam” no Trem Desportivo Clube ou no extinto Círculo Militar, ainda adolescente, participei de muitos bailes memoráveis.

Odeio o rótulo “roqueiro”, costumo dizer que sou um apreciador do velho Rock, de música popular e Samba, o velho e bom Sambão. Por isto, sou um folião fervoroso, costumo beber durante todas as noites e, se possível, dias do Carnaval. Os “pseudo” intelectuais e “roqueiros’ radicais fazem biquinho, cara torta, tratam a época com desdém, besteira, cada um com sua preferência.

Carnaval é paixão, só entende quem sente. Para aquels quem acham tudo uma grande besteira, azar o deles! Como faço, desde 1992, sairei no Piratas da Batucada, seja para ser campeão ou não, o lance é curtir o Carnaval, a emoção e a alegria que ele proporciona. Apesar da incompetência da Liga das Escolas de Samba (Liesa), o desfile será um sucesso, afinal, o amapaense tem paixão pela festa e pela tradição.

Falando em Liesa, acho que essa gestão já fez besteiras o suficiente, basta! Voltando aos antigos Carnavais, nestes dias que antecedem a folia, nos anos 80 e 90, meu pai, José Penha e meu tio Itacimar já estavam estocando uísque Passport ou Natu Nobilis (a grana era curta, era bebida barata mesmo). A birita entrava nas “sedes” pelas mãos do baterista Gôgô, amigo da família. Tempo bom, hoje em dia não existe carnaval como aqueles.

Não temos mais bons carnavais de clube, em compensação, temos um dos melhores carnavais de rua do Norte do Brasil. Como falei dos bons tempos da festa privada, aí vai uma música que retrata o sentimento nonsense, hedônico e festivo, que atende pelo nome de CARNAVAL:



Noite Dos Mascarados (Chico Buarque e Elis Regina)

Composição: Chico Buarque



Quem é você? [Chico]

Adivinha se gosta de mim [Elis]

[Coro]

Hoje os dois mascarados
Procuram os seus namorados
Perguntando assim
Quem é você?, diga logo [Chico]
Que eu quero saber o seu jogo [Elis]
Que eu quero morrer no seu bloco [Chico]
Que eu quero me arder no seu fogo [Elis]

Eu sou seresteiro, poeta e cantor [Chico]
O meu tempo inteiro só zombo do amor [Elis]
Eu tenho um pandeiro [Chico]
Só quero um violão [Elis]
Eu nado em dinheiro [Chico]
Não tenho um tostão [Elis]

Fui porta-estandarte, não sei mais dançar [Elis]
Eu, modéstia à parte, nasci para sambar [Chico]
Eu sou tão menina [Elis]
Meu tempo passou [Chico]
Eu sou Colombina [Elis]
Eu sou Pierrot [Chico]

[Coro]
Mas é Carnaval, não me diga mais quem é você
Amanhã tudo volta ao normal
Deixa a festa acabar
Deixa o barco correr
Deixa o dia raiar
Que hoje eu sou da maneira
Que você me quer
O que você pedir, eu lhe dou
Seja você quem for
Seja o que Deus quiser
Seja você quem for
Seja o que Deus quiser



Samba do Piratão

Bandeira do Piratão, o maior vencedor do carnaval amapaense
A Liga das Escolas de Samba do Amapá (Liesa) promoverá, hoje (30) no Sambódromo de Macapá, ás 19h,  o Festival de Samba Enredo. O concurso escolherá o melhor samba, entre as escolas que desfilarão, no grupo de acesso e especial, no Carnaval 2010. Desejo sorte ao Piratas da Batucada, minha agremiação de coração. Aí vai o samba do Piratão:

Vencendo a amarola, no mercado da vida e na Avenida a competência deita e rola.
(composição de Robson do cavaco, Ademar Carneiro e Benezinho – interpretação: Ademar Carneiro)


O luar clareia
Clareia a linha do mar            – Refrão 1
Eu sou o Rei do carnaval
Aventureiro a navegar

Nas caravelas do tempo viajei Nas asas da fantasiaA história do comércio desvendeiFoi com o homem das cavernaNo troca-troca a primeira transação
Do oriente ao ocidente
Reluz o sol da expansão Capitalista é o novo mundo       – Bis
Dignidade a crise veio te assombrar
O Tio Sam abalou-se
Fez o Brasil balançar (bem ou mal)
No perde e ganha
Do vil capital

Muita água vai rolar
É marolinha, vai passar                       – Refrão 2
Bicho papão dá um tempo
Tô me benzendo, sai pra lá! (Sai pra lá! … sai pra lá!)    
  
No horizonte um “sorriso” equatorial
É a morena macapaba
E os heróis comerciantes do local
Gente de “coração gigante
Fascinante “monte” de tradição
Guerreiros de “Santa Lúcia
Surfamos na marola da emoão
Fé, acompanha nossa luta
Nossa Senhora da Conceição.

Piratão chegou, chegou

Dourado num mar azul
Na caravela que balança                       – Refrão 3
O coração da zona sul

Piratas da Batucada

                                                                                                    Por Elton Tavares

Piratas da Batucada, a maior campeã do Carnaval Amaense
Hoje falarei um pouco da Escola de Samba Piratas da Batucada. Assim como o Flamengo, uma grande paixão. Muitos acham uma grande contradição um cara que, o ano todo, houve rock ou MPB, cair na folia em fevereiro. Para estes, basta dizer que o Carnaval é a maior festa popular do Brasil e eu adoro o nosso. Saio no “Piratão” desde 1991, na época os desfiles eram realizados na Avenida Fab, no centro de Macapá.

Nossos maiores rivais são o Boêmios do Laguinho e a Maracatú da Favela, agremiações que respeito muito, pela história que possuem. O problema é quando vencemos e temos que ouvir o tradicional “chorôrô” dos outros, que insistem em dizer que o carnaval é fraudado (risos), como assim? Quase todo ano? Nunca foi provado.

Como bom morador do bairro do Trem, sou Piratão e Emissários da Cegonha (escola de pouca expressão no carnaval local), torço pelo Ypiranga Clube e simpatizo com o Trem Desportivo Clube. Ao longo dos anos, desfilar na escola se tornou uma adorável necessidade.

A agremiação é a maior campeã do Carnaval Amapaense, venceu 15 vezes, a última, no ano passado. Os anos dos títulos foram: 1987, 1988, 1989, 1990, 1991, 1993, 1994, 1997, 1998, 2000, 2001, 2002, 2004, 2006 e 2009.

O nome da escola foi criado, em 1962, pelo saudoso poeta amapaense Jeconias Alves de Araújo. O batismo teria sido uma alusão ao rótulo da garrafa do Run Montilla, na época, muito apreciada pelo mesmo.

Conheci Jeconias ainda moleque, na casa dos meus avós, João Espíndola Tavares e Perolina Tavares, ele era amigo de minha família. Por volta de 1973 a criação da Escola foi concretizada, Jecó, como era chamado, compôs os primeiros sambas do Piratão. Outros fundadores foram Walber Damasceno Duarte, Antonio Pinheiro e o artista plástico Raimundo Braga de Almeida, o “R.Peixe”.

Quase todos os anos, desfilamos ao amanhecer do dia, é uma sensação única. Quando o puxador grita, aos portões de entrada da Avenida do Samba, “Alô Zona Sul, chegou a hora!”, é uma sensação sem igual.

O Carnaval 2010 vem aí, vencendo ou ganhando, o que pouco importa. Com o enredo “Vencendo a Marola, no Mercado da Vida e na Avenida, a Competência Deita e Rola”, estarei entre os numerosos piratas, como um fiel folião a esta agremiação.