CURIAÚ – O QUILOMBO CONTRA O COVID19

“Vo te benzer cum a fulha da Cupaiba se tu nu assistir esse live sexta vai te dá dissenteria.”

Esse corre-corre atrás de folhas, galhos, cascas, pau e de tudo que a natureza oferece junto as tradições e costume popupar com a intenção de combater o coronavirus nunca esteve tão em alta como nas últimas semanas, então pra você que acredita no poder medicinal que vem das florestas e quer tirar suas dúvidas sobre o que tomar, como tratar, fazer e beber? Não perca sexta 29/05 as 16h a primeira edição do Quilombo na Live com a Farmacêutica e Pesquisadora do Instituto de Pesquisa Ciência e Tecnológicas do Estado do Amapá – IEPA, Terezinha Soares a nossa Teca tirando todas as dúvidas, ensinando tratamentos e mostrando o que você vem fazendo de errado com as receitinhas que te indicam.

Tem alguma dúvida específica sobre o assunto? Corre no story do Instagram @quilombodocuriau e deixe sua pergunta pra ser respondida na Live.

CENTRAL QUILOMBO COVID19

Whatsapp: 99115-4642 / 981255596 / 99117-7131
Denúncias PMM: 98813-9004
Instagram: @quilombodocuriau
Facebook: fb.com/quilombodocuriau
Email: [email protected]

Hoje rola live do programa Conhecendo o Artista

Hoje tem Conhecendo o Artista, a live programa que acontece todas as quintas feiras às 20h e aos sábados, às 21h, com apresentação de Kássia Modesto, atriz, poetisa e radialista, o programa criado pra dar visibilidade ao artista e proporcionar ao público uns momentos de amor e arte em meio a essa pandemia, recebe hoje dia 28 de maio, Ana Caroline e Jones Barsou para uma troca leve, artística e descontraída.

Ana Caroline é Natural de Teresina-PI, é acadêmica de Licenciatura em Letras Português e Francês – Unifap, bailarina clássica, palhaça, atriz e instrutora de práticas circenses. Iniciou seus estudos em Balé Clássico e dança de salão na Escola de Dança do Estado do Piauí Lenir Argento.

Jones Barsou é Natural de Portel-PA, graduado em Teatro pela Universidade Federal do Estado do Amapá (UNIFAP). É ator, diretor, palhaço e instrutor de prática circense na Associação Artística Cultural Cia Casa Circo. Em 2017 foi convidado a apresentar o espetáculo “A Roupa que Veste o Homem” no Primeiro Festival Nacional de Teatro Universitário da UFRN.

Em 2018, ambos circularam a Amazônia pelo Projeto SESC Amazônia das Artes com o espetáculo “A Mulher do Fim do Mundo”, ele assinando como diretor, ela como atriz. E em 2019 circularam com os Espetáculos, “A Mulher do Fim do Mundo” e “Chica, Fulô de Mandacarú”, ambos, pela Cia Casa Circo, no maior projeto de circulação de artes cênicas do país, o Palco Giratório do SESC.

Hoje às 20hs no perfil do Instagram @srta.modesto, o programa Conhecendo o Artista.

Apresentadora: Kássia Modesto
Roteiro: Marcelo Luz
Produção: Wanderson Viana
Arte: Rafael Maciel
Artistas Convidados: Ana Caroline e Jones Barsou

No dia 1º de junho: Diocese de Macapá lança, por meios de comunicação e redes sociais, o Círio de Nazaré 2020

A Diocese de Macapá apresenta na segunda-feira, 1/6, o tema, o lema e o cartaz do Círio de Nazaré 2020. O lançamento da festa este ano acontece exclusivamente pelos meios de comunicação e redes sociais na data em que a Igreja celebra a festa litúrgica de Maria, Mãe da Igreja.

Às 11h na TV Nazaré (canal 51.1 HDTV) o bispo de Macapá, dom Pedro José Conti e o coordenador do Círio, padre Rafael Donneschi, fazem a apresentação da festa deste ano. Às 19h, através das redes sociais, a programação especial continua com uma “Live Solidária” com participação dos artistas Marcelo Dias, Patrícia Bastos, Osmar Júnior e Zé Miguel, bem como o cantor católico Tiago Moraes, autor da música “Senhora de Nazaré”.

As doações arrecadadas na Live Solidária serão destinadas a Cáritas Diocesana, o organismo eclesial responsável por iniciativas de caridade junto às famílias carentes e instituições filantrópicas.

De acordo com o coordenador da Comissão do Círio de Nazaré 2020, padre Rafael Donneschi, aspectos ligados a realização do dia do Círio ainda não serão programados devido as restrições da pandemia.

“Por enquanto, o que podemos tratar sobre a realização do Círio de Nazaré são alguns aspectos organizacionais da mensagem central que desejamos passar aos devotos. Não é possível ainda tratarmos de uma programação completa ou se Círio de Nazaré 2020 vai se realizar como estamos acostumados, pois a realidade da pandemia da Covid-19 e o distanciamento social não nos permite isso agora”, explicou.

A comissão organizadora considera atualmente algumas alternativas para a programação com possibilidades que incluem ou não a realização da grande procissão do 2º domingo de outubro, dia 11, levando em consideração a situação de enfrentamento da pandemia do novo coronavírus no Amapá.

Padre Rafael ressaltou que a procissão do 2º domingo é apenas um dos momentos da festividade religiosa, que envolve também outros eventos de fé e devoção do povo amapaense.

Acompanhe

O lançamento da festividade do Círio de Nazaré poderá ser acompanhado pela TV Nazaré (canal 51.1 HDTV), pelas redes sociais, no facebook @ciriodenazaremacapa e @diocesedemacapa.

Doações

Alimentos e produtos de higiene podem ser entregues na Catedral São José, de 8h às 14h, a partir de 1 de junho. Valores em dinheiro podem ser doações através de depósito bancário no Banco Bradesco – Agência 1420-6 | Conta 131680-0 | CNPJ: 07.814.217/0001- 84 – Mitra Diocesana de Macapá

Serviço:

Lançamento Digital Círio de Nazaré 2020 – Live Solidária
Data: 1º de junho (segunda-feira)
Horário: 11h (Apresentação do Círio) | 19h Live Solidária
Local: Facebook @ciriodenazare e @diocesedemacapa
Contato: Jefferson Souza – 96 9139 0682 | Márcia Fonseca – 96 98406 1389| Pastoral da Comunicação

Pastoral da Comunicação
Diocese de Macapá

Hoje é o Dia Mundial do Hambúrguer (gordice na nossa Sessão Datas Curiosas)

Esse pessoal inventa cada coisa, inclusive dias comemorativos, se é que se pode chamá-los assim. E este site possui uma sessão “datas curiosas”. Bom, hoje, 28 de maio, é celebrado o Dia Mundial do Hambúrguer. uma das comidas mais amadas e consumidas pela população mundial. Principal símbolo do Fast Food, é encontrado no mercado de várias maneiras, desde um simples com pão, carne e queijo, até os mais especiais feitos com filé, picanha e molhos mais trabalhados. No Brasil, o hambúrguer chegou em meados dos anos 1952 e rapidamente ganhou o paladar de toda a população.

Ao contrário do que eu imaginava, apesar de ser um símbolo da culinária americana, o hambúrguer não foi inventado nos EUA. No século XIII, uma tribo chamada Tártaros levou para um açougueiro alemão, da cidade de Hamburgo, seus hábitos alimentares. Eles invadiram a Europa com o costume de transportar, entre a sela e o lombo do cavalo, um bolo de carne moldado em forma de bolas achatadas. Essa carne parecia uma pasta e nem precisava ser temperada pois absorvia o sal do suor do animal.

O açougueiro europeu havia gostado da ideia, e requintou os bifes usando uma carne bem moída com temperos especiais. Como o resultado era extremamente saboroso e de baixo custo, o prato acabou popularizado em toda a região.

Um pouco depois, no século XVII, quando as pessoas começaram a migrar de Hamburgo para os EUA, o “bife de carne moída” foi adotado com carinho pelos americanos, que passaram a grelhar os discos de carne e colocar no meio do pão, chamando a iguaria de HAMBÚRGUER. Nascia assim, um dos maiores ícones alimentares da cultura americana, que contribuíram ao adicionar o pão e tornando-o sanduíche.

Pouco tempo depois de sua criação, o hambúrguer foi preparado com todas as guarnições que hoje em dia lhe são tipicamente características—com cebolas, alface e os picles cortados.

A necessidade de se otimizar tempo, ingerindo pratos rápidos aliado aos diversos sabores e ingredientes, impulsionam este consumo. As pessoas estão ficando com o paladar mais exigente, e por isso o mercado dos “Hambúrgueres Gourmet” se faz cada dia mais presente, levando iguarias e ingredientes especiais aos mais exigentes consumidores.

Com grande popularidade internacional e sua fama mundial certamente representa o maior tipo de globalização do consumo de comida humano, ao lado de outros pratos como o döner kebab turco, a pizza italiana, e o sushi japonês. Espalhou-se facilmente por continentes de diferentes culturas e culinárias devido, segundo alguns, à sua fácil maneira de preparo e entendimento.

A cultura global culinária em torno do hambúrguer deu-se pelo conceito de venda de alimentos processados, imaginado de maneira notável na década de 1920 pela cadeia de restaurantes White Castle e que foi posteriormente aperfeiçoado na década de 1940 pelo McDonald’s e por Ray Kroc. Essa expansão mundial tem proporcionado comparações econômicas como o Índice Big Mac que permite a comparação do poder de compra dos diversos países onde o hambúrguer Big Mac é vendido hoje em dia.

Com o desenvolvimento da Gastronomia, foram criados muitos hambúrgueres “sofisticados”, feitos com outros tipos de carne, com queijos especiais, molhos diferentes, saindo um pouco do tradicional fast food. As pessoas estão ficando com o paladar mais exigente, e por isso esse mercado dos “Hambúrgueres gourmet” se abriu.

Enfim, este texto foi somente pra “encher linguiça” (ou hambúrguer) para a sessão “datas curiosas” deste site. E pela silhueta deste jornalista, vocês devem saber: amo hambúrgueres. Quando moleques, eu e meu irmão, Emerson, éramos pior que o personagem “Dudu”, do desenho animado Popeye, grande devorador de sandubas da ficção. Dependendo do bolso e horário, como no pé sujo de rua ou praça, até as hamburguerias requintadas e gourmetzadas. Afinal, gordo é um praga (risos). E fim de papo!

Obs: o melhor hambúrguer de Macapá é o do Station 57. 

Fontes: General Peppers; Wikipédia e QG Jeitinho.

William Bonner é a cara da vítima de um terrorismo de estado contra os jornalistas e o jornalismo

Vivemos uma fase da vida nacional nada convencional, digamos assim.
Ao contrário, é uma das fases mais alucinantemente tenebrosas.
Inciou-se em 1º de janeiro de 2019, quando assumiu um presidente da República não se dá ao respeito.
Em reunião formal, ele profere 29 palavrões.
Num cercadinho à entrada do Alvorada, humilha jornalistas.
Manda que calem a boca.
Manifesta-se de forma sexista contra jornalista.
Tenta reprimir a Imprensa independente, sufocando-a financeiramente por meio tortuosos e ilegais.

Com seu silêncio e omissão, apoia a conduta fanática de seus fanáticos seguidores que agridem e xingam jornalistas.


Agora, revela-se a informação de que William Bonner, editor-chefe e apresentador do Jornal Nacional, da Globo, e uma de suas filhas também receberam mensagens de WhatsApp, originadas de número telefônico com o prefixo 61, de Brasília, com dados fiscais sigilosos dele e da família.

Dida Sampaio, fotógrafo do Estadão, cercado por fanáticos bolsonaristas

Não tenhamos dúvidas: isso é um indício de que, além das manifestações de rua, em que fanáticos expelem o vírus e o fel do ódio contra a Imprensa livre, pode estar começando a utilização da estrutura de estado para ameaçar, intimidar, difamar e agredir jornalistas que, no exercício de suas funções, têm pode dever, por obrigação manter suas lupas apontadas em direção em todas as instâncias de poder, não importa quais sejam, para vigiá-las e fiscalizá-las dentro dos limites legais.
Esse é o nosso papel.
William Bonner é a cara da vítima de um terrorismo com indícios de ser um terrorismo de estado.
Contra os jornalistas e contra o jornalismo.

Fonte: Espaço Aberto

Agência de comunicação digital é criada para ajudar pequenos negócios do AP durante pandemia

Iniciativa busca promover serviços de retirada e delivery no estado por meio da criação gratuita de artes para meios digitais.

O que você leu acima é manchete jornalística. O que vai ler a seguir é uma carta: Devido à pandemia de coronavírus, a economia mundial sofreu um grande “baque”. Mas isso nunca foi motivo para que a nós abaixássemos a cabeça e deixássemos o destino decidir por nós.

A Agência Cacique de comunicação digital é um negócio voltado para os interesses coletivos e comunitários, mas é focada, principalmente, no pequeno negócio. Aquele que está ao seu lado e pode fazer um fiado, sem ao menos ter um cartão de crédito.

Chegou a hora de mostrar que o maior poder do ser humano é a ADAPTAÇÃO, e achar uma oportunidade em meio à crise para fazer o bem.

Por isso, a agência está recebendo o contato de pequenos empreendedores para que confeccionem suas artes para retirada e delivery de produtos e serviços. Vamos propagar ideias e soluções!

Serviço:

Fone: (96) 981461351
Insta: @agenciacacique.cd
Face: @agenciacacique.cd
Email: [email protected]

19 anos do gol do Petkovic (minha crônica sobre um dos momentos mais felizes da vida de todos os flamenguistas)

Em 27 de maio de 2001, há exatos 19 anos, um gol inesquecível. Eu estava no antigo apartamento do Adriano e Silvana, meus primos. Assistíamos a final do Campeonato Carioca de Futebol daquele ano, juntamente com o amigo Aílton. Aquele dia tem um valor especial na vida dos milhões de flamenguistas no mundo.

O Vasco tinha ganhado o primeiro jogo por 2×1, o Flamengo precisaria vencer por dois gols de diferença para levar o título da competição.

Edílson abriu o placar pro nosso time e Juninho Paulista empatou pro Vasco. Acabou o primeiro tempo. Na segunda etapa da partida, o “Capetinha” meteu mais um. Mas o Mengão ainda estava em desvantagem, pois precisava vencer pela diferença de dois gols.

A torcida do Vasco já comemorava nas arquibancadas. Já eram 43 minutos do segundo tempo. Aí Edílson sofreu falta na intermediária, só que o gol de Hélton não tava tão perto. Petkovic arrumou a bola, deu três passos para trás e respirou fundo.

Bateu forte, colocado e com a precisão cirúrgica que lhe era peculiar. A batida foi perfeita. A bola pegou efeito e saiu do alcance do goleiro Helton. Aliás, o goleiro bem que tentou, saltou alto e se esticou todo, mas a defesa não foi possível. Nem dois goleiros ali embaixo daquela trave evitariam o gol quase sobrenatural. Foi lá onde “a coruja dorme”, no canto superior esquerdo da rede. Naquele momento, vibrei, quase choro, ri e me senti o cara mais feliz do mundo. Coisa de quem ama o futebol, sobretudo, o Flamengo.

Épico e eternamente na memória e coração dos torcedores dos rubro-negros, 3 a 1, porra! Era o tricampeonato carioca ao Rubro-Negro. A gente correu pra Praça Zagury, agora Beira-Rio, bebemos logo pelos três títulos consecutivos. Naquela noite, vi um amigo virar a casaca, tirou a camisa vascaína e vestiu o manto sagrado Rubro-Negro. Ele, o Frank Bitencourt, disse que tinha cansado de sofrer. Até hoje é possível vê-lo em algum bar durante as transmissões dos jogos do Flamengo.

Há alguns anos, Petkovic foi convidado pelo Globo Esporte para bater a falta novamente, do mesmo local. Adivinhem? O sérvio colocou a bola do mesmo jeito, no mesmo lugar. Ah, gringo foda da porra! Não à toa, é um dos maiores ídolos da era atual do Flamengo. Uma lenda viva, já que se tornou o jogador estrangeiro mais decisivo da história do clube e talvez até do futebol nacional.

Desde então, já se passaram 19 anos. Assim como a vida, o futebol é feito de ciclos. Mas é sempre bom lembrar dos momentos felizes e foi o que ocorreu.

“Nóis” é Mengão até depois de morrer e hoje é o atual campeão brasileiro e da Libertadores da América. Ou seja, o melhor time do Brasil, da América e um dos melhores do mundo!

Ao Petkovic, autor daquela obra-prima que ficará marcada para sempre na minha memória e coração, nossos milhões de obrigados!

Elton Tavares

Antologia “Cronistas na Linha do Equador” é lançada em e-book e está disponível para aquisição na internet (estou entre os dez escritores do livro)

“Cronistas na Linha do Equador”, com capa 3D e foto de Floriano Lima.

A antologia “Cronistas na Linha do Equador”, lançada no último dia 17 de maio, é uma obra que reúne dez cronistas do Amapá (de origem ou coração), que resolveram unir histórias, registros, memórias e “causos” e publicar a cultura amapaense. Em razão dos tempos atuais, a obra está em formato e-book, disponível para aquisição na internet, no site da Amazon, pelo valor simbólico de R$ 10,00. O livro, com capa 3D e foto de Floriano Lima, reúne 30 crônicas com temas diversos, como regionalismo, realismo fantástico ou relatos de experiências vividas ou fantasiadas.

O e-book “Cronistas na Linha do Equador” pode ser adquirido no site da Amazon Livraria Virtual, na plataforma eBooks Kindle: https://ler.amazon.com.br/kp/kshare?asin=B088PYRG25&id=sZBSijthTdOFuO8v38ESMg&reshareId=Z2WPDBTEJJAA8B1HCCQ5&reshareChannel=system

A coletânea, idealizada e organizada pelo escritor Mauro Guilherme, conta, além dele, com outros renomados autores da literatura amapaense. São eles: Alcinéa Cavalcante, Paulo Tarso, Rui Guilherme, Raquel Braga, Osvaldo Simões, Cléo Araújo, Neth Brazão, Bruno Muniz e Elton Tavares.

Sim. É minha estreia como escritor em livro, ainda que seja em e-book. Depois da pandemia lançarei o meu, ‘solo’ (com todos os agradecimentos aos colaboradores, mas essa é outra história).

Sobre esta antologia, ressalto que cada cronista tem seu estilo peculiar.

Alguns deste grupo de escritores são também poetas e imortais da Academia Amapaense de Letras (AAL) e é uma honra ter crônicas minhas em uma obra com eles. Agradeço aqui a oportunidade.

No prefácio de antologia “Crônicas na Linha do Equador”, Mauro Guilherme discorre sobre a obra:

Decidimos mais uma vez convidar escritores amapaenses, a fim de que juntos pudéssemos compor uma nova antologia. Não entendo literatura sem livro, escritor sem obra, nem formação literária sem leitura. Precisamos, nós escritores, publicarmos, caso contrário o livro, que morria na gaveta, morrerá nos computadores.

O nosso empenho, e os de alguns outros que militam na literatura amapaense, tem sido este. Por isso novamente aqui estamos reunidos aos nossos pares, agora em uma antologia de crônicas”.

Estamos primeiramente publicando o livro como e-book, seja porque a obra foi terminada em tempos da pandemia do novo coronavírus, seja porque reconhecemos que o livro digital se transformou em uma nova forma de aproximar o escritor do leitor, em qualquer canto do país ou do planeta”.

Este é o resumo do prefácio. Aliás, bela apresentação do Mauro.

Quando perguntam qual a minha profissão, digo que sou jornalista, assessor de comunicação e editor de um site. Mas que, um dia, gostaria de ser escritor. Pois é, me tornei, de fato, escritor e estou feliz com isso.

Valorize a literatura local e adquira o livro “Crônicas na Linha do Equador”. Não é querendo me gabar não, mas a obra está maravilhosa. É isso!

Elton Tavares

Campanha pede doações para malabaristas de semáforos em quarentena

A companhia de circo Imediartistas promove uma campanha solidária para ajudar os artistas que trabalham nos semáforos em Macapá. Com as ruas menos movimentadas, eles também sofrem os impactos da pandemia do novo coronavírus.

Sem poder garantir o sustento de todos os dias, os malabaristas relatam enfrentar grandes dificuldades para comprar a alimentação, assim como para levantar o dinheiro do aluguel e outros custos.

Mas, o fraco fluxo no trânsito não é a única barreira que eles encaram. O preconceito também faz parte do dia a dia dos malabaristas, que já mapeados pela campanha, em maioria são estrangeiros.

“O que a gente está passando pela crise, em relação aos olhares das pessoas, não é muito diferente da nossa realidade. As pessoas falam como se a gente quisesse estar na rua e pegar a doença”, disse a malabarista Sara Marinho.

Pela internet, a campanha pede doações de alimentos e produtos de limpeza e higiene pessoal, além de dinheiro. O objetivo é oportunizar uma quarentena segura para os artistas que, antes da pandemia, atuavam de forma independente.

Os contatos são através das páginas no Facebook e Instagam. São disponibilizados também os contatos: (96) 98401-9143 e 98419-9755. O grupo pode pegar as doações, receber a domicílio e/ou por meio de transferência bancária.

Serviço:

Campanha “Artistas em tempos de pandemia”
Assessoria de comunicação: Jorge Abreu – (96) 99133-1343
Doações: (96) 98401-9143 e 98419-9755
Facebook: https://www.facebook.com/ciaimediartistas/
Instagram: @ciaimediartistas (https://www.instagram.com/ciaimediartistas/)
Conta bancária para doação:
Banco 260 – Nu pagamento S.A
Agência: 0001
Conta: 2175261-2

Imperdível: hoje (27), a partir das 21h, rola live de Alceu Valença – @Alceu_Valenca

Alceu Valença — Foto: Leonardo Mascaro

O cantor e compositor pernambucano Alceu Valença, 73 anos, fará sua segunda live durante o isolamento social hoje (27), a partir das 21h. A apresentação será transmitida pelo canal oficial do cantor no YouTube. (Clica aí dentro)

Foto: Itaú Cultural

No último dia 3 de maio, Alceu fez sua primeira live durante o distanciamento social provocado pela Covid-19. O show virtual foi lindão e hoje promete ser tanto quanto.

Sobre Alceu Valença

Cantor, compositor, instrumentista, ator, diretor de cinema, poeta e advogado: Alceu Valença são muitos e todos eles carregam a história do menino que nasceu em São Bento do Una, no agreste pernambucano, e que ganhou o respeito e simpatia na música brasileira.

A história de vida, toda a trajetória de mais de 50 anos de carreira fez dele um artista PHODA. Sou um dos milhões de fãs do cara. Bora curtir essa live.

Elton Tavares

Nesta quarta-feira (27): União da Juventude Socialista do Amapá fala sobre Fake News e a Covid-19, com a jornalista Ana Girlene – @anagirlene

A União da Juventude Socialista do Amapá (UJS-AP), apresenta nessa quarta-feira (27), live com a jornalista Ana Girlene, com o tema “Fake News e a Covid-19”. A live será transmitida pelo instagram do coletivo @ujsamapa às 19h30 e será mediada pelo militante da entidade, e também jornalista Nelson Carlos.

A live vai abordar a questão das notícias falsas, que circulam dentro e fora do estado do Amapá, tanto sobre a Covid-19, que nesse período tem sido propagandas diariamente.

Além das notícias falsas durante a pandemia, os jornalistas prometem falar sobre alguns temas da atualidade por onde as notícias falsas circulam, como na política.

Ana Girlene

A convidada da live é apresentadora do programa Café com Notícia, possui uma grande experiência na área da comunicação, tendo um excelente trabalho a frente o seu programa, levando notícias pautadas na seriedade e de credibilidade, a milhares de amapaenses todos os dias.

A apresentadora promete explicar o que são as Fake News, e vai dar dicas de como identificar e não cair nas notícias falsas divulgadas nas redes sociais.

Assessoria de comunicação da UJS-AP

Nota de agradecimento da Secult/AP

A Secretaria de Estado da Cultura (Secult/AP), por meio do seu titular, Evandro Milhomen e toda sua equipe técnica, agradece a bancada federal do Amapá pela aprovação, na tarde desta terça-feira (26), da Lei de Emergência Cultural (projeto de lei 1075/2020). De forma unânime, os oito parlamentares do Estado observaram a urgência da medida e, deste modo, referendaram-na. A lei, que foi batizada com o nome do compositor brasileiro ‘Aldir Blanc’, morto este mês em decorrência da Covid-19, vem garantir os direitos dos trabalhadores da Cultura nesse momento de crise.

A proposta prevê a destinação de R$ 3,6 bilhões para estados e municípios, o que auxiliará espaços culturais e trabalhadores da cultura afetados pelo isolamento social imposto pela pandemia da Covid-19. A medida reacende a esperança do segmento, que vem sofrendo com prejuízos financeiros desde que o país entrou em colapso. Por esse motivo, ressaltamos a união de esforços dos deputados federais e dos trabalhadores da cultura que, nos últimos dias, fizeram com que o texto legislativo demonstrasse a diversidade da cultural do Brasil e a importância social das produções artísticas para a sociedade.

Por essa razão, a Secult/AP vem reconhecer a atuação dos parlamentares do Amapá, que com a aprovação ajudarão a reparar os danos à cultura nesse momento. O projeto segue para o Senado e, por esse motivo, contamos desde já com a ajuda do presidente do Congresso Nacional e senador do Amapá, Davi Alcolumbre, assim como dos demais senadores do Estado pela aprovação da proposta. A luta pela cultura não pode parar, seguiremos ao lado de todos aqueles que produzem e consomem arte nesse país.

Evandro Milhomen
Secretário de Estado da Cultura

Sapos ‘garimpeiros’ de diversas cores são alvos de expedição fotográfica no interior do AP

Dendrobates Tinctorius é o nome científico do sapo garimpeiro — Foto: Wirley Almeida/Divulgação

Por Caio Coutinho

Dendrobates tinctorius é o nome dado àquela espécie de sapinho colorido, chamado de garimpeiro, e encontrado em diversos lugares da Amazônia, entre eles, nas florestas do entorno do município de Serra do Navio, no centro-oeste do Amapá, onde são achados com mais abundância.

A facilidade em encontrá-los na região motivou uma expedição somente para fotografá-los. Ao longo do caminho, outras espécies exóticas de anfíbios, répteis e insetos foram clicados. A pesquisa na região ocorreu entre 28 de fevereiro e 4 de março, antes do período de isolamento social.

Sapos garimpeiros tem várias cores e são facilmente localizados em Serra do Navio — Foto: Wirley Almeida/Divulgação

O guia turístico local e fotógrafo Wirley Almeida, que liderou a expedição, detalha que o nome “garimpeiro” é dado porque o sapinho prefere lugares com montanhas e riachos, onde, segundo garimpeiros, são mais propícios a encontrar ouro.

O sapo com cores vibrantes libera toxinas na pele que são prejudiciais aos seres humanos. Elas se tornam perigosas somente se entrarem na circulação sanguínea, por meio de um ferimento na mão, por exemplo.

Sapos garimpeiros tem várias cores e são facilmente localizados no município de Serra do Navio — Foto: Wirley Almeida/Divulgação

Wirley lembra que a expedição teve origem quando um biólogo e guia turístico alemão o encontrou por meio das redes sociais e disse que estava interessado em conhecer o Amapá para fotografar e estudar os sapos. Junto a ele, vieram mais dois americanos.

“Eles não estiveram procurando os sapos apenas em Serra do Navio. Tinham toda uma rota que seguia por Macapá e Laranjal do Jari, mas em alguns municípios não tiveram sorte em achar um guia que soubesse achar os bichos”, explicou.

Wirley Almeida e a expedição visitando assentamentos ribeirinhos — Foto: Wirley Almeida/Divulgação

O amapaense fotografa sapos coloridos desde 2010 e diz que é uma paixão. Ele crê que o fato de colocar o nome científico das espécies nas legendas das fotos evidencia ainda mais o trabalho e o município de Serra do Navio.

“Ele [alemão] tem um público que, na maioria idosos, gosta muito de fotografar sapos venenosos. E isso é bom para ele e para a cidade que ganha ainda mais com turismo. Ele está criando um livro para divulgar o trabalho como biólogo e queria, a partir de junho, juntar um grupo de fotógrafos para fazer mais registros, mas pandemia não deixou”, disse.

Sapo mais novo quase transparente — Foto: Wirley Almeida/Divulgação

Assetamentos como a Colônia de Água Branca, Cachaço e Rio Sucuriju foram visitados. O espectro de cores dos sapos viaja pelo azul claro, amarelo com preto, verde e quase transparente, no caso dos animais mais novos.

Fonte: G1 Amapá

Hoje é o Dia da Toalha e o Dia do Orgulho Nerd #DiaDaToalha

Hoje (25) é o Dia da Toalha e o Dia do Orgulho Nerd. Vamos por partes. Quanto ao primeiro, trata-se de homenagem ao escritor do famoso livro “Guia do Mochileiro das Galáxias”, Douglas Adams — daí também vem o termo “Dia da Toalha”. Mas também é o dia em que o primeiro filme da franquia “Star Wars” foi lançado, em 25 de maio de 1977 (E nada pode ser mais nerd nesse mundo do que Guerra nas Estrelas).

No caso do Dia do Orgulho Nerd, a data foi escolhida como para comemorar a première do primeiro filme da série Star Wars, o Episódio IV: Uma Nova Esperança, em 25 de maio de 1977 (42 anos de Star Wars, graças a Deus). A saga é amada por nerds do mundo todo. A celebração visa promover nerdices em geral, como filmes, videogames, seriados, quadrinhos, etc.

Já sobre o Dia da Toalha, outra nerdice, como dito no comecinho deste texto, a data é também uma homenagem aos fãs da série “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, que simboliza uma parte importante da cultura geek e nerd. A data foi criada em 2001 para lembrar seu criador, Douglas Adams, morto em 11 de maio de 2001.

(Douglas Adams/IMDb)

A primeira homenagem prestada a Adams foi em 25 de maio de 2001, mesmo ano de sua morte, organizada pelos membros da comunidade virtual h2g2. Na época, até se discutiu sobre a possibilidade de alterar o dia para 42 dias depois da data de falecimento de Adams, devido a outro detalhe da saga, mas a data acabou se mantendo.

(Disney/Reprodução)

Em resumo, o dia 25 de maio é uma data para os fãs lembrarem de seu ídolo e da importância da toalha, que inspirou uma página inteira em um dos seus livros.O Guia do Mochileiro das Galáxias apresenta Arthur Dent, que usa uma toalha para viajar (só vou contar isso, leiam o livro e assistam o filme 42 vezes).

A comemoração é tão recente quanto o fato de achar ser nerd legal. Nos filmes, os geeks são retratados como pessoas excluídas, que fazem parte de um grupo seleto de outros nerds. Ou seja: os excluídos! Na última década, porém, os geeks ganharam destaque no mercado cultural e movem uma fortuna em itens colecionáveis.

É possível ver como as duas comemorações andam juntas(“Towel Day” e “Geek Pride Day”). Além de terem surgido para homenagear eventos que aconteceram quase no mesmo dia, era o mesmo público que celebrava as duas “festividades”. Tudo bem que hoje, com a nerdmania, muito mais gente viu Star Wars do que leu O Guia do Mochileiro das Galáxias, mas essas duas obras sempre foram bem próximas do mesmo grupo por muito tempo.

(Fabricio Miranda/Superinteressante)

Nunca fui nerd, desses nerdões inteligentes pra caramba. Mas acompanho de perto essa cultura toda. Sobretudo, Star Wars. Não faço parte do perfil clássico da terminologia, pois aprecio futebol (no conceito, nerds não curtem esportes), não sou bom com tecnologia, já dei porrada em doidos mesmo (no sentido literal e nerds são tidos como pacíficos), não gosto de mangás, nunca joguei ‘RPG’, apesar de saber que é bem legal, entre tantas outras atividades incomuns, tidas como esquisitices ou nerdices.

Eu me acho razoavelmente inteligente, mesmo não sendo um nerd, que hoje, é tido como uma expressão/ referência de pessoas inteligentes. E, em nome dessa cultura bacana, fica aqui o registro em homenagem.

Ao ser convidado por uma escola para dar uma palestra, Bill Gates leu para os alunos 11 regras. A ultima delas se refere aos nerds: “seja legal com os NERDs. Existe uma grande probabilidade de você vir a trabalhar PARA um deles”, disse. É isso.

Fontes: TecMundo, Canaltech, Calendarr Brasil, Tecnologia IG e meus 43 anos assistindo filmes, jogando videogame, lendo livros e gibis.

Elton Tavares