Política

A política é fonte de inspiração para piadas. Achei este pequeno texto no blog do “A coisa pública”, no endereço: http://acoisapublica.zip.net/ , leiam:

Prometo tomar posse de tua urna, de teu partido. Te ofereço minhas melhores intenções de voto. Quero introduzir meu cabo eleitoral em tua zona. Nós dois numa campanha louca, fazendo corpo-a-corpo, invadindo os currais eleitorais, sem consultar as bases. Vem pro meu reduto. Digita esse número que me faz subir nas pesquisas. Me deixa fazer uso da máquina e beijar tua boca-de-urna. Deixa eu te superfaturar e estourar teu orçamento. Não liga pra ética, esquece a concorrência e vem sufragar comigo.


Hino dos Malucos

Composição: Rita Lee/ Fernanda Young / Alexandre Machado/ Roberto de Carvalho

Nós, os malucos, vamos lutar
Pra nesse estado continuar
Nunca sensatos nem condizentes
Mas parecemos supercontentes
Nossos neurônios são esquisitos
Por isso estamos sempre aflitos
Vamos incertos
Pelo caminho
Nos comportando estranhos no ninho

Quando a solução se encontra, um maluco é do contra
Mas se vai por lado errado, um maluco vai do lado
Malucos, a nossa vida é dar bandeira
ligando a luz da cabeceira,se a água pinga na torneira

Malucos, a nossa luta é abstrata
já que afundamos a fragata,
mas temos medo de barata
Nós, os malucos, temos um lema
Tudo na vida é um problema
Mas nunca tente nos acalmar
Pois um maluco pode surtar

Os nossos planos são absurdos
Tipo gritar no ouvido dos surdos
Mas todo mundo que é genial
Nunca é descrito como normal

Quando o papo se esgota,
um maluco é poliglota
Mas se todo mundo grita,
um maluco se irrita

Malucos, somos iguais a diferença
e todos temos uma crença:
seguir a lei jamais compensa

Malucos, somos a mola desse mundo,
mas nunca iremos muito a fundo
nesse dilema tão profundo

Malucos, a nossa vida é dar bandeira,
ligando a luz da cabeceira,se a água pinga na torneira

Malucos, a nossa luta é abstrata,
já que afundamos a fragata,
mas temos medo de barata

Feliz Páscoa!

                                                                                            Por Elton Tavares

A Igreja está em evidência por causa dos casos de pedofilia, nem precisamos falar do holocausto, da escravidão, do governo do Clero na Idade Média e etc.

Não sou um cara religioso, acredito em Deus e tals, mas não curto muito a instituição, a Igreja. Acho que a Semana Santa um feriadão bacana e o melhor período para os vendedores de peixe e chocolate.

Mas já que é Páscoa e todos estão festejando o dia que JC voltou para a galera, resolvi postar este textinho do blog http://acoisapublica.zip.net/ , do meu amigo Ronaldo Roni:

“Com a firme intenção de acabar com a onda de pedofilia na Igreja, o papa Chico Bento 16 pediu que os padres saiam do armário. O “supra-sumo” pontífice já não consegue dormir com as festas do cabide que rolam, todas as noites, no mundo encantado do Vaticano.”

Agora fora de sacanagem, não sou religioso, mas respeito á fé alheia. Principalmente da minha família e amigos. Enfim, desejo uma feliz Páscoa para vocês!

Política surreal

                                                                                       Por Elton Tavares

A tentação de Santo Antônio – Salvador Dali – Mestre do surrealismo.
Pensando sobre uma mentira para contar ontem (1), no Dia da Mentira, comecei a enumerar absurdos que sempre acontecem em campanhas eleitorais. A suposta mentira seria:

As eleições 2010 serão limpas, não haverá compra de votos, conchavos e acordos entre canalhas que ó querem saquear os cofres públicos. Os jornais, rádios e emissoras de TV serão éticos e não farão campanha velada para ninguém.

Os gestores não usarão a “máquina” para eleger ninguém. Não haverá sujeira demais nas ruas, muito menos distribuição de tickets gasolina, milheiros de tijolo, telhas, cimento, ou carradas de areia e aterro.

Nos debates televisivos, os candidatos apresentarão somente suas propostas, que o vencedor cumprirá ao vencer o pleito. Eles não irão revelar os podres dos concorrentes no ar, fatos que não virão á público durante a campanha. Já pensaram em um concurso político assim? Surreal né?

Besteirol inteligente

Caricatura de Ronaldo Rony
Navegando pelos blogs, encontrei estas definições criativas na página do meu amigo Ronaldo Rony, no endereço http://acoisapublica.zip.net/ :

PIROCLEPTOMANÍACO: pessoa que tem mania de roubar isqueiros.

CLAPTOMANÍACO: pessoa que tem mania de roubar discos do Eric Clapton.

BICICLEPTOMANÍACO: pessoa que tem mania de roubar bicicleta, lógico.

LAPTOPSPIROSE: doença causada pelo mouse.

MEBATMAN: vilão masoquista de história em quadrinhos que adora pegar uns socos do Batman (TUM! SOC! POW!).

WOODY ALIEN: cineasta de outro planeta.

RELÓGIL: relógio do Gilberto Gil.

ROBSON CAETANO VELOSO: corredor baiano que atinge a velocidade do som.

ANARQUITETURA: arquitetura anárquica.

Santa intervenção

                                                                                                          Por Elton Tavares

Demora, mas quando chove….
Eu ando preocupado com o calor infernal de Macapá nesta época do ano. Tudo bem que estamos entrando no Equinócio e nossa região é quente, blá, blá, blá. Mas o bicho está pegando em pleno março, fôlego! Como a chuva resolveu dar as caras hoje, desconfio que rolou alguma intervenção celestial do tipo:

Nosso padroeiro, São José, deve ter ligado para o amigo São Pedro, saquem como foi a conversa:

SJ: “Fala São Pedro! É o São José da beira mar, quero lhe pedir um favor cara. Mande umas chuvas para a minha Macapá, o negócio está feio por aqui e como estes assuntos são da sua responsa, veja o que podes fazer”

SP: “Salve nobre carpinteiro, estamos com alguns problemas climáticos, o pessoal lá de baixo não ajuda, estão detonando a natureza mais rápido do que podemos consertá-la aqui em cima. Mas olha, deixa comigo, vou mandar um pé d’agua hoje, ao menos para aliviar a capital amapaense. Afinal, como eu poderia negar isso á uma cidade onde estás bem na frente?”

SJ: “Valeu cara, só lhe telefonei por que do jeito que as coisas estão por lá, o Diabo vai mudar de endereço, sair do Inferno e morar em Macapá, onde o clima lhe agrada. Vamos evitar isso, mande o calor para os trópicos na devida época. Abraço!”

SP: “Chá comigo chegado, vou ver o que posso fazer há respeito. É que ando atarefadão mesmo. Abraço!”

Depois de desligar, São Pedro deve ter pensado: “Caramba, eu aqui preocupado com o Haiti, com o Chile e outras partes críticas do mundo e o Zé vem com esse papo de Macapá. Já que eles querem, então é toró que terão”.

Bom, vocês podem até me chamar de doido, mas que a ligação surtiu efeito, isso surtiu. Está chovendo até agora, Graças a Deus (ou aos seus assessores).

Flatus

Como vocês sabem, costumo ler de tudo na internet, nesta madrugada, encontrei, no blog: http://amapazonia.blogspot.com/ , o poema “Flatus”, irreverente e inteligente, resolvi postar aqui para descontrair (risos):
Flatus  – Por Graciliano Galdino

Algo estranho nas entranhas

Movimenta, esquenta

Enche e incomoda

Não faço nada, não me concentro

Até o perfeito momento

Onde acabo o meu lamento

E aliviado falo sorrindo:

peidei

Textos polêmicos

Há tempos, descobri como escrever um texto polêmico e “cool”. Você contextualiza e detona o objeto que já está sendo detonado (política, religião, pessoas, música, etc…).

Desenvolvimento – Esmiúça um “porém” e descreve alguma hipocrisia de ordem genérica, absolvendo o objeto.

Conclusão – Vem no formato bunda-mole “um tapa na cara da sociedade” – todo mundo, aliás, é bunda-mole (em algum aspecto, claro). Só não são aqueles que concordarem com o texto (risos).

Epílogo – Alguém diz que aquele é o melhor texto produzido sobre o tema.

Claro que é uma brincadeira, mas devemos criticar e aplaudir, sempre que for preciso. O importante é seguir questionando os fatos e acontecimentos ao nosso redor.


Sexo, mentiras e videotapes

   Eu estava fazendo a minha blitz diária pelos blogs e encontrei, no endereço: http://acoisapublica.zip.net/, este texto (humorado e inteligente) sobre cinema. O escrito é um devaneio inteligente do meu amigo Ronaldo Roni e do Ronaldo Rodrigues. Como gostei muito da doideira, resolvi, graças ao Google, montar este painel, ele acompanha a ordem exata dos filmes citados pelos autores. Aí vai o painel (que pode ser melhor visualizado se vocês clicarem nele) e o texto: 
O painel acompanha a ordem exata dos filmes citados pelos autores
                                                                 
 Sexo, mentiras e videotapes
                                                                             Por Ronaldo Roni e Ronaldo Rodrigues
Diretamente de Paris, Texas, o repórter Borat relata uma trama macabra: O mágico de Oz matou a excêntrica família de Antonia e foi ao cinema. Tudo por um punhado de dólares, que teve o sol por testemunha.
Pegou o taxi driver que conduzia Miss Daisy, atravessou as vinhas da ira, além da linha vermelha. Entrou no cinema Paradiso e viu os Piratas do Caribe invadindo a Fortaleza. Convidou o exterminador do futuro pra tomar um drink no inferno. Sentindo-se um náufrago, saiu em direção ao aeroporto, de volta para o futuro, sonhando com a ilha do tesouro.

Entrou no Bagdá Café e comeu tomates verdes fritos, que estavam como água para chocolate. Do nada, surgiu King Kong deixando todo mundo em pânico. Ouviu alguém gritar: Corra, Lola, corra para os embalos de sábado à noite. Nisso, passou correndo uma multidão. Seriam as invasões bárbaras? Ou o grande motim?

Eram todos os homens do presidente e o povo contra Larry Flint. Cansado de tantos filmes, voltou à casa do lago, onde Harry Potter tinha instalado sua fantástica fábrica de chocolate. À beira do abismo e à queima-roupa, fez ao poderoso chefão a pergunta que não quer calar: Quem vai ficar com Mary?

Viagem no tempo

                                                        Por Elton Tavares
Como dizia Cazuza: “O tempo não pára”.
Todos sonham com o poder de viajar no tempo, os curiosos querem saber o futuro e os nostálgicos, como eu, voltar ao passado. Esta noite eu tive um sonho muito doido, sonhei que tinha os meus 33 anos, mas nos anos 80. Eu simplesmente acordei em uma casa, próxima a minha, que era atrás da Escola Gabriel de Almeida Café (EGAC), antigo Colégio Comercial do Amapá (CCA).

Eu usava calças jeans, tênis e blusão, meu uniforme de sempre. Fui até a minha antiga casa, encontrei um garoto gordinho, com o uniforme do Bartolomea, provavelmente indo para a escola. Era eu, meu Deus! Sinceramente, foi uma incrível experiência, um sonho muito real. Não tive coragem de dizer para mim mesmo: “Ei, eu sou você amanhã!” (risos).

De repente, me dei conta de todos os males que eu poderia evitar. Poderia avisar o Vôvô sobre o remédio daquele domingo de 1996, onde ele passou mal e faleceu em um acidente automobilístico. Queria encontrar meu pai, para alertá-lo a parar de fumar, assim ele não morreria de câncer em 1998. Queria encontrar o meu tio Ita, falar do acidente que o vitimaria em 1994.

Tantas lembranças, tantas desgraças, tanto o que evitar, tanta gente para avisar. Foi angustiante, de repente, o sonho virou um pesadelo, pois eu andava pela antiga Macapá, via os antigos prédios, antigas casas, velhos amigos e conhecidos, mas não encontrava a minha família.

Encontrei minha tia Tatá, mas ela não acreditou naquele homem estranho, me mandou ir embora. Ela estava com o meu pequeno irmão, em casa. Não pude provar que eu era eu, pois ela chamou os canas, e preso, eu não faria nada mesmo. Fui embora. Fui na casa de meu avô, mas estavam todos fora, inclusive a minha avó, que quase sempre estava em casa.

Eu queria encontrar tanta gente, rever tantas pessoas, falar sobre o que estava por vir. Mas minhas andanças não surtiram efeito, minha viagem no tempo foi em vão, pois não consegui evitar os fatos que aconteceriam, eu acordei e tudo estava em seu lugar ou, dependendo do ponto de vista, fora dele. Que doideira né? Acho que o sonho foi um reflexo da saudade que sinto de alguns momentos, de muitas pessoas e lugares. Coisas guardadas na memória e no coração.

Sou um nostálgico assumido, vez ou outra falo dos tempos do Colégio Amapaense, da época da antiga galera, sempre falo da minha família, etc. Acho legal relembrar, principalmente as coisas boas, que no meu caso, graças a Deus, foram muitas. Tive um pai maravilhoso, tenho uma ótima família, namorei muito, viajei muito, fiz muitas farras, tenho muitos amigos, fui e sou feliz. Afinal, não é isto que importa na vida?

Como sou chegado em postar letras de músicas que tem haver com o texto, aí vai um trecho da canção “Algum Verão”, do compositor amapaense Zé Miguel:

“Ainda lembro de ti

E as luzes do espaço

Me tiram o compasso do coração

Ainda trago os calos

Daquele amor que ficou em algum verão”