Eu lembro, pai. Muito obrigado! – Texto atualizado e republicado por motivo de saudades. 

papapapa (1)
Papai, eu e Emerson (no meio, sentado)

Lembro da minha infância com alegria. Eu e meu irmão fomos agraciados com excelentes pais, que nos proporcionaram tudo de melhor possível (e muitas vezes impossível, mas eles fizeram mesmo assim). Graças a Deus, minha mãe continua aqui e é meu anjo da guarda.

Lembro todos os dias do meu pai, José Penha Tavares. Ele faz muita falta. Não só hoje, que é Dia dos Pais, mas sempre. E sempre fará. Difícil compreender as indecifráveis razões de Deus para algumas despedidas.

tumblr_n03jon7LIX1rc8ucwo1_500-289x300

Lembro que nós nunca fizemos a primeira comunhão, nem eu e nem Emerson, pois fugíamos das aulas de catecismo para ir com o papai pra AABB. Ele ia jogar bola e nós curtíamos a piscina. Apesar de não ter sido um frequentador de igrejas, Zé Penha tinha muito mais Deus no coração do que a maioria dos carolas que conheço.

Lembro-me de quando ele me levava para ver seus jogos de futebol. Era goleiro dos bons. Lembro quando tinha mais ou menos uns quatro anos ele me chamava de “Zôk”, apelido dado por causa da risada que eu dava quando ouvia o nome da moto Suzuki.

Lembro que sempre foi nosso herói, meu e do meu irmão Emerson. Depois, também virou ídolo de muitos amigos, por conta do nível caralístico de paideguice que ele tinha. Lembro que poucas vezes vi meu pai triste ou irritado.

Lembro-me das poucas broncas, de algumas porradas, de poucas discussões. Disso mais lembro de esquecer. Lembro muito mais das viagens, da parceria, da amizade, da proteção, da admiração que tinha e tenho por ele.

Lembro-me de papai nos levar para jogar bola, ao cinema, circo, arraial ou qualquer lugar em que ficássemos felizes. Éramos moleques exigentes, mas lembro que ele e mamãe sempre davam um jeito, mesmo com pouca grana. Lembro dos ensinamentos e sei que uma porção grande de bondade que trago em mim herdei de meu pai.

Lembro que conviver com meu pai era viver no paraíso. Lembro-me de como todos o amavam e até hoje, todos sentimos saudades. Lembro que já são 21 anos sem você. Lembro, Zé Penha, de o quanto fomos parceiros, confidentes e grandes amigos. Aliás, pai, fostes o melhor de todos. Lembro de como eras sensacional, cara. Incrível, mesmo!
paiprasempre
Lembro de tudo amorosamente, pouquíssimas vezes com lágrimas nos olhos, mas a maioria com sorrisos. Pois o que mais lembro é que tu, pai, era a personificação da alegria e bom humor. Enfim, de vida. Lembro de ti, Zé Penha, todos os dias. E amo lembrar o que fostes e o que representas. Obrigado por todo o amor. Um beijo em ti. Estejas tu nas estrelas ou em qualquer lugar além do meu coração. Amo-te, pra sempre. Feliz Dia dos Pais!

Elton Tavares

*Texto atualizado e republicado por motivo de saudades. 

Hoje é o Dia dos Pais – Minha homenagem aos que amam e zelam por seus filhos

dia-dos-pais-1
Hoje (9) é o Dia dos Pais. A data tem origem na antiga Babilônia, há mais de 4 mil anos, por conta do jovem chamado Elmesu, que moldou em argila o primeiro cartão. Nele, o rapaz desejava sorte, saúde e longa vida a seu pai. Para alguns, é somente mais uma data inventada pelo comércio para promover suas vendas. Quem idealizou a data para o segundo domingo de agosto foi o jornalista Roberto Marinho, em 1953, justamente para aquecer as vendas do comércio e, consequentemente, o faturamento de seu jornal, O Globo.
473163-Cartões-com-mensagens-para-o-dia-dos-pais-1
O Dia dos Pais é muito mais que isso, é dia de reverenciar nossos heróis. A paternidade é uma dádiva, nem me imagino como pai, mas admiro quem cria, cuida, protege e educa sua prole. Sempre digo aos meus amigos: “cuidem e amem seus pais enquanto eles estão por aqui”. Ah, diga “eu te amo, pai!”. Acredite, esse é o melhor presente.

14017665_1269882333064795_1531731002_n
Meu irmão Emerson, pai da nossa Maitê.

O dia de hoje mexe comigo, me traz muitas saudades do meu pai, José Penha Tavares, do patriarca de nossa família, meu avô João Espíndola Tavares e do meu tio, Itacimar Costa Simões (que também foi um pai para mim). Os três já partiram para outro plano, mas que fique registrado, eles foram homens valorosos, com quem aprendi coisas fundamentais para a vida como dignidade, honra e respeito às pessoas.
EupapaieMano
Dedico este texto a todos os meus amigos e parentes que foram abençoados com a paternidade, aos filhos que ainda tem o privilégio de terem seus pais por perto e aos pais que fazem tudo pelos seus filhos, cada um a sua maneira. Em especial ao meu irmão Emerson, meus primos Adriano Silva e Marcelo Tavares, meus tios Pedro Tavares e Paulo Tavares. Alguns são mais dedicados e amorosos, outros mais práticos e de poucos chamegos, mas o importante é o papel que vocês cumprem. Feliz Dia dos Pais!

Dedique-se a conhecer seus pais. É impossível prever quando eles terão ido embora, de vez” – Frase do poema Filtro Solar.

Elton Tavares

Caetano Veloso chega aos 77 anos. Nossos parabéns ao gênio da MPB!

Sou fã de muitos músicos e compositores, brasileiros e gringos. Um dos maiores letristas, poetas e cancioneiros do Brasil é Caetano Veloso, que hoje completa 77 voltas em torno do sol. Um gênio ícone da Música Popular Brasileira (MPB) e um ativista lutador pelos direitos do cidadão. Sobretudo, um grande expoente da musicalidade nacional.

Filho da lendária dona Canô e mano mais velho de Maria Bethânia e mais seis irmãos, Caetano sempre viveu com “Alegria, Alegria”! É, são 75 anos de uma invejável vida e deles 52 de carreira. “Beleza pura”!

Com Gilberto Gil, Gal Costa, Nara Leão, Mutantes e Maria Bethânia, fundou o Tropicalismo, o movimento de modernidade da música brasileira e abriu um caminho sem volta rumo ao sucesso. Foram os “Doces Bárbaros” “Transcendentais”. Para a sorte dele e nossa, “Baby”.

Caetano, ao lado de Chico Buarque e Gilberto Gil, é uma das figuras mais importantes da música popular brasileira e considerado internacionalmente um dos melhores compositores do século XX, aliás, comparado a nomes como Bob Dylan, Bob Marley, John Lennon e Paul McCartney.

Maravilhado com “Sampa”, cantou a “Lua e Estrela” no cotidiano da velha metrópole. Chegou a ficar “Reconvexo” por conta de suas “Vacas Profanas”. Em razão de uma milica “Força Estranha” foi morar em “London London” e fez sua linda “Queixa” por meio da música. Veloso é sem dúvida um de nossos heróis.

Caetano embalou muitos momentos felizes de minha vida. Principalmente em reuniões familiares. Ele também me emocionou muitas vezes em mesas de bar. O tropicalista com sete décadas e meia de vida (que vida!) merece nosso reconhecimento, respeito e gratidão.

Enfim, por tudo que representa este espetacular artista, meus parabéns, votos de saúde e longevidade ao monstro da MPB. Feliz aniversário, Caetano Veloso!

Elton Tavares

Feliz aniversário, Marcelo Morgado!

A única foto velha que tenho com o Morgado. Eu tô com cara de mordido e parece que ele tá tirando um catota, mas tá valendo (quem me deu esse registro foi o Bruno Jerônimo).

Tenho muitos amigos de longa data. Com alguns deles pouco convivo, mas são brothers queridos. Hoje, um desses figuras gira a roda da vida, o Marcelo “Morgado”. Um maluco das antigas por quem tenho apreço e respeito.

Não lembro o ano, mas conheci o Morgado nos anos 90. Estudamos juntos. Aliás, eu, ele e o saudoso Jork. Ao longo daquela década, nos encontrávamos na “trasheira” do Rock and Roll e ficamos mais próximos.

Marcelo sempre foi um cara tranquilo, gente fina, inteligente. Depois a gente se encontrava pra dar uns rolês pelo lado negro da força, com as piores (e melhores) companhias da época. Ainda bem que aquela galera se separou (risos).

Marcelo formou, virou mestre jedi em Geografia, começou a dar aula. Professor foda, foi pra Belém (PA) e de lá para o Rio de Janeiro (RJ). Filho dedicado, Morgado sempre tá por aqui pra dar um beijo na mãe e tomar uma com os irmãos.

Eu e Morgado – Julho de 2019

Morgado é um figura trabalhador, honesto, gente boa e, sobretudo, um homem de bem. Semana passada, tive a satisfação de encontrar este velho companheiro. Tinha que ser no Rock and Roll, claro.

Nós Juntos, aprontamos muito na Macapá dos anos 90. Sim, vivemos no underground, no submundo da juventude da capital amapaense daquela década. Graças a Deus, sobrevivemos e conseguimos “virar gente”. O que não quer dizer que nós sejamos coroas sérios (risos). Ah, a gente também curtiu muito na casa da Val, a “lindinha”, outra queridona, com companheiros da época.

Este registro é só pra marcar a data do natalício desse querido amigo. Eu devia isso pro Morgado há tempos, pois gosto muito do sacana. Marcelo, mano velho, siga pisando forte em busca dos teus objetivos. Que tenhas sempre saúde e sucesso junto aos teus amores. Muita luz pra ti.

Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares

Hoje é o Dia Internacional da Cerveja (quando acabar o expediente, bora beber!)

Como todos que nos acompanham sabem: este site possui a sessão “Datas Curiosas”, onde escrevemos sobre dias comemorativos inusitados, engraçados e em homenagem à pessoas e situações. Pois bem, hoje é o Dia Internacional da Cerveja. Mais porreta logo, hein?

Comemorado na primeira sexta-feira de agosto. A data foi inventada em 2007, em Santa Cruz na Califórnia (E.U.A.). É festejada em mais de 50 países por amantes fervorosos de cerveja. O dia é baseado em três propósitos declarados: reunir amigos para saborear a referida bebida; celebrar com responsabilidade (o que nem sempre rola) e ter o sentido de união mundial com outros cervejeiros de todo o planeta, ou seja, unir o mundo para celebrar a bebida (desculpa de gorozeiro, sei bem como é).

Na Europa realizam-se vários festivais da cerveja, especialmente em países como a Bélgica e a Alemanha. Enquanto a bebida alcoólica mais antiga e popular do mundo que é, pode encontrar a cerveja em qualquer bar, restaurante ou pub, não tendo desculpas para não aderir a este dia mundial da cerveja.

Quem me conhece sabe: sou chegado numa cerva gelada e não gosto de somente sujar o bico, dou valor mesmo é em encharcar.

Ah, pra mim, quase todo dia é dia de tomar umas, seja chopp, cerveja barata ou requintadas. Bebo cerveja desde os 14 anos. Herdei do meu saudoso pai o gosto pelo produto. Meu irmão também entorna bem, graças a Deus. Aliás, toda a minha família paterna é chegada (risos). Bebo durante a semana, principalmente depois de um expediente exaustivo, nada como afogar o stress com uma boa bebida e um papo descompromissado com a galera. Sabem como é, a vida é muito curta pra nos divertirmos somente nos fins de semana.

Amo cerveja. Tanto que sou fã de citações como: “trabalhar de ressaca é para os campeões” e “trampar de ressaca é para os jedis (ou siths)”. Nada que comprometa meu desempenho, claro.

Curiosidades sobre a cerveja

Existem vários tipos e variedades de cerveja.

Em média, o processo de produção da cerveja demora 20 dias.

Existem copos específicos para beber cada tipo de cerveja.

A cerveja tem muitos benefícios para a saúde, incluindo os ossos, a insônia, o colesterol, o cabelo, a pele, o sistema imunológico e cardiovascular.

As garrafas castanhas ajudam a manter a frescura da cerveja.

A cerveja mais cara do mundo é a Vielle Bon Secours que custa 880 euros.

A melhor cerveja do mundo é a Westvleteren 12, com 10,2% de álcool.

Então, queridos leitores, já que tem uma data específica, vamos todos curtir essa unanimidade mundial, pois há poucas coisas em que o mundo inteiro concorda, e cerveja é uma delas! Portanto, cervejeiros alterocopistas, uni-vos e ergam seus copos. Que esta sexta seja de muita paz, amor e cerveja!

Elton Tavares

Os motivos de eu escrever…

Escrevo ao longo dos últimos 13 anos. Nove deles para este site, que já foi um blog. Sempre tento me ater a verdade. Redigir textos onde dados e fatos me levam. Com exceção de sandices, devaneios e contos, que são escritos mágicos para mim. Pois ficção exercita a criatividade.

Um dia, há aescrevendolguns anos, me perguntaram: “Elton, porque você perde tempo com esse papo de blog. Porque não faz algo útil com o tempo gasto nessa página de besteiras”. Neste instante, consegui evitar um surto psicótico e palavrões a esmo para o meu questionador.

Aí expliquei para o pateta porque escrevo. Escrevo porque amo a noite, futebol, samba, rock and roll, minha família, meus amigos e amo ser eu (com todos os defeitos e chatices), não necessariamente nesta ordem, claro. No meu caso, leituras alternativas tornam o dia menos tedioso. Principalmente quando tais escritos são sobre cultura em geral.

Gosto de usar um senso de humor cortante nos meus textos para este site, assim como muita nostalgia, sentimentalismo barato (que pra mim é caro), transformar relatos em memória da minha cidade, do meu estado. Vez ou outra, até fazer velhas piadas com novos idiotas, ser um tanto antipático, chato ou adorável encrenqueiro. E sempre amoroso com minhas pessoas do coração. Sim, gosto disso.

fantasmaCerta vez, li a frase: “escrever não é desistir de falar, é empurrar o silêncio para fora”, do poeta Fabrício Carpinejar. É esse o papo mesmo, escrever é uma válvula de escape, vicia e extravasa.

Escrevo até sobre o que finjo que acredito. Sabem aquelas pequenas porções de ilusão e mentiras sinceras de que o Cazuza falou? Pois é. Às vezes, detritos do cotidiano, grandeza desprezada, coisas bobas que parecem socos na cara, é bem por aí.

Mas gosto muito mais de escrever sobre o amor, sobre atitudes legais, sobre manifestações pública de afeto e sobre pessoas admiráveis. Falar ou escrever sobre positividade é tão melhor.

Antes redigia um texto ou mais por dia e com muita facilidade. Agora, a falta de tempo e os períodos de entressafra de inspiração tornam os autorais mais raros. Quem dera fosse só querer e baixasse o espírito de Rui Barbosa, Charles Bukowski, Mário Quintana, Drummond ou o meu amigo Fernando Canto, e eu começasse a redigir como um gênio. Seria firmeza. Acreditem, um dia lançarei um livro de crônicas e contos.

carlos-drummond-de-andrade-594x376-2

Em tempo, escrevo para não deixar meus pensamentos parados. Queria poder escrever como Carlos Drummond de Andrade, que disse: “A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos ,na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade. A dor é inevitável. O sofrimento é opcional.”

19297602

Como não dá, sigo rabiscando minhas certezas, achismos, incertezas, chatices, amor, entre outro tantão de coisas que vivem neste meu universo particular que gosto de expor aqui. E fim de papo.

Elton Tavares

 

Meus parabéns, Ewerton França! – @ewertonfranca

Hoje aniversaria o violinista, jornalista, publicitário, fotógrafo, nerd em tempo integral, relações públicas, crossfiteiro, produtor de rádio, meu fornecedor de séries e filmes, viajante imparável, colega de profissão e querido amigo, Ewerton França. Um dos caras que não tem nada a ver comigo, mas por quem tenho grande respeito, consideração e amizade. Afinal, afinidade nem sempre é sinonimo de brodagem.

França é um cara porreta, prestativo, responsável e boa praça. Um baita cara paid’égua sempre com um sorriso no rosto e uma palavra positiva.

Conheci o Ewerton há oito anos, quando trabalhamos juntos na comunicação do Governo do Amapá. Sempre digo e repito: a gente não anda junto, não saímos pra beber (até porque o brother não curte a cachaça, mas bebo por nós dois e mais uns 10 jornalistas) e não nos falamos frequentemente. Mas nos gostamos.

Sempre que precisei do amigo, ele chegou como o Gandalf ao amanhecer. Foi assim na cobertura de incontáveis eventos, sugestões de títulos, pedidos de fotos, revisão de textos, entre outras tantas demandas jornalísticas.

Digo que além de trabalhar de forma correta, meus amigos ajudam a este gordo. Ewerton é uma dessas pessoas que formam uma grande rede de segurança em volta de mim. Sou grato por isso.

Ewerton, querido amigo, tu és demais consideradão. Tu saaaabes: é nozes sempre. Que tu tenhas saúde e sucesso junto aos teus amores e no você se dispor a fazer.

Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares

*Ewerton, precisamos de fotos novas juntos, mano (risos). 

25 anos sem o Ita

ItaeV_
Na esquerda, nos anos 80, Ita comigo e meu irmão Emerson. No centro em Natal (RN), em 1990 e na direita, em 1994.

Convivi com muita gente porreta nessa vida. Entre essas pessoas fantásticas, o sensacional Itacimar costa Simões, o querido “Ita”. Ele era marido da minha tia Tatá, pai da Dayane (duas pessoas com quem tenho pouco convívio hoje em dia, mas sou grato a ambas) e um dos mais valiosos amigos que tive a honra de ter. Hoje completam 25 anos que o Ita embarcou na cauda do cometa e seguiu para outra existência.

Ita morreu em 29 de julho de 1994, vítima em um acidente automobilístico na estrada do Igarapé do Lago, no interior do Amapá. Era período eleitoral. Na época ele era candidato a deputado estadual. Ele foi um cara sempre foi alegre, prestativo, inteligentíssimo, igualmente competente. Além disso, aquele figura foi excelente pai, filho, irmão e marido.

253425_177149045671468_3156262_n
Zé Penha (meu pai) e Itacimar Simões (meu tio). Eles eram grandes amigos por aqui e devem tomar umas lá no Céu.

Ita era professor de ofício, mas ocupou vários cargos administrativos no Governo do Amapá. Além disso, foi o melhor amigo do meu pai, Zé Penha, que também já fez a passagem. Ainda posso ouvir e ver papai e Ita tomando cerveja, jogando dominó ou somente falando adoráveis sacanagens.

Impossível não lembrar de Itacimar no dia 29 de julho e não sentir saudades dele. Ao Ita, todo ano dedico este texto, minha eterna gratidão e amizade. Saudades, tio. Até a próxima vez!

Elton Tavares

Hoje é o Dia da Avó!

Hoje (26) é o Dia da Avó. No Brasil a data é comemorada em 26 de julho por conta da celebração do dia de Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria e avós de Jesus Cristo. Não tenho mais avôs vivos, eles já foram passear com as estrelas e viraram saudade. ,Mas, graças a Deus, minhas avós estão entre nós com suas ternas presenças.

Sim, graças a ELE, convivo com minha avó paterna, Perolina Penha Tavares (com 92 anos), e materna, Cacilda Neves Vale (de 89 anos), ambas muito lúcidas. Elas são pessoas formidáveis, de uma honestidade e boa fé a toda prova.

Eu e vó Cacilda, em 2014.

Entre as duas, tenho mais afinidade com a Peró, mãe do meu pai. Sobre a vó Cacilda, ela sempre foi uma senhora amável, batalhadora e bondosa.

Já sobre Perolina, minha vó favorita, sou seu neto mais velho e temos uma sintonia mágica. Ah, a Peró! Senhora sábia e caprichosa. Mulher amorosa e forte. A Peró é admiravelmente incrível, uma ilustre senhora de quem tenho a honra de descender e a sorte de ter o amor, que é recíproco e profundo.

Eu e vó Peró, a nonagenária mais linda do mundo, em dezembro de 2016.

As avós merecem reconhecimento, consideração e respeito. Elas foram fundamentais com todos os conselhos, ralhos, presentes, puxões de orelha, comidas, preocupações, remédios caseiros, enfim, amor!

Minhas homenagens também a minha mãe, Maria Lúcia, vó amorosa da Maitê, nossa pequena princesa de quatro aninhos. Ela é a única neta da mamãe e muito amada pela Lucinha.

Minha mãe, Lúcia e Maitê, sua neta e nossa princesa linda.

Também felicito as amigas que são avós, como a Mariléia Maciel e Alcinéa Cavalcante. Em nome delas, todas as minhas queridas que receberam essa benção.

Por tudo isso, se você tem uma ou duas avós, valorize-as. Feliz Dia da Avó!

Elton Tavares

Rita Torinha gira a roda da vida. Feliz aniversário, querida! – @RitaTorrinha

Hoje a jornalista Rita Torrinha gira a roda da vida. Competente editora do portal de notícias G1 Amapá, excelente revisora, especialista em assessoria de comunicação institucional e cultural, esposa do Preto Velho da Amazônia (jornalista e também amigo Rodnei Silva), mãe dedicada da Bebelle, pior cantora de redação da galáxia (por conta do repertório, que fique registrado), além de querida amiga deste editor, Rita Torrinha.

Em 2010, comecei a trabalhar na Comunicação do Governo do Amapá. Rita também entrou no mesmo dia. Aquela foi uma das melhores equipes que integrei e dividi uma redação. Eu e Torrinha tivemos alguns problemas de relacionamento e depois nos tornamos amigos, de fato. Sim, nós já nos detestamos, mas já tempo que ela é broda. É como diz o adágio popular: “a gente troca juventude por sabedoria”.

Voltamos a trabalhar juntos em 2013, na assessoria de comunicação da Prefeitura de Macapá e a coisa fluiu bem. Nossos caminhos se cruzaram várias vezes e quase sempre com muita parceria e brodagem. Além da maravilhosa mãe e jornalista caralhenta que é, Torrinha também foi por muito tempo uma das revisoras do meu site.

Eu e Rita não vivemos juntos e nem somos confidentes, mas sim, somos amigos. E ela é do meu coração, pois tenho certeza que se rolar um perrengue com um de nós e o outro puder ajudar, assim será. Tenho gratidão, respeito, admiração e amizade por ela.

Por tudo dito/escrito acima e mais uma porrada de batalhas vencidas junto com ela, desejo tudo de melhor nessa vida para a Rita Torrinha. Mana velha, que sigas com saúde, pois tu te garantes no trabalho e o sucesso é consequência. Que tenhas sempre alegrias junto da tua família lindona.

Mais uma vez, obrigado pela força na jornada. Que Deus te ilumine sempre. E que teu novo ciclo seja aind amais feliz e próspero. Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares
*Texto republicado, mas de coração.

Hoje é o Dia do Amigo – Minha homenagem aos meus queridos amigos

Hoje é o Dia do Amigo. O Dia do Amigo é uma data proposta para celebrar a amizade entre as pessoas. No Brasil, Uruguai e Argentina, a data mais difundida para esta celebração é 20 de julho. A iniciativa foi apresentada conjuntamente por 43 países (incluindo o Brasil e quase todos os países sul-americanos), e foi aceita unanimemente pela Assembleia Geral.brad-a-cura

Tenho muitos deles, disso posso me gabar, graças a Deus! Muitos com quem posso contar em momentos escrotos e para também, claro, dividir momentos felizes de minha existência.

Algumas amizades são sólidas como o adamantium que reveste o esqueleto de Wolverine e outras, por conveniência, tão instáveis quanto gato em teto de zinco quente. É preciso ser muito burro para chegar a romper amizades por política, intolerância, ciúmes ou qualquer outra bobagem nefasta. Já fiz isso e já fizeram isso comigo. De repente, os heróis de ontem viraram os vilões de hoje e vice-versa.1346

Já magoei alguns, que nunca mais voltaram, “por conta de uma pedra em minhas mãos”, como disse Renato. A estes, só desculpas não são suficientes, só quero que saibam que eu sinto muito (em alguns casos, que fique claro). Outros me sacanearam pesado e foram devidamente escanteados. Um deles se tornou um inimigo de fato.

Por causa do318756_348363848572538_1426974176_ns amigos, já me meti em brigas, fofocas, me endividei, bati e apanhei. Não me arrependo de nada, eles fizeram por mim também. É na hora que o bicho pega que vemos quem é quem.

Li em algum lugar que “Amigo é aquele que o coração escolhe”, em outro que “não fazemos amigos, os reconhecemos”. Pode ser, mas uma coisa é certa, a amizade é um bem precioso. E como é!

Amigos são a família que escolhi, o meu povo, os meus amados (e às vezes odiados). Afinal, as brigas fazem parte da coisa. Demorei muito pra aceitar e respeitar as pessoas como elas são. Quem não o faz, sofre.523

Tenho amigos que quero sempre junto a mim, eles energizam o ambiente. Amizade é um bem precioso, portanto, cuide daqueles que lhes são caros. Mas somente os que são amigos de mão dupla, pois a reciprocidade é fundamental.

Bacana a definição do meu amigo jornalista Edi Prado: “A gente não sabe quais os motivos dos nossos encontros nessa vida ou quais os motivos que nos levar a gosta de alguém. Mas acho que o que vale mesmo é o sentimento de carinho e demonstração de amor enquanto estamos vivos. Se o que temos pra lembrar são os momentos e as fotografias”. É isso aí, mestre Edi!

Resumindo, obrigado a vocês que fazem parte da minha vida e a tornam muito mais feliz. E feliz pra cacete! Difícil é nomear todos, mas lhes rendo homenagens aqui neste site sempre que trocam de idade. Sobretudo, enfatizo, a minha família. Eles sempre foram e sempre serão os meus melhores amigos. “Tenho amigos que não sabem quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles” – Paulo Sant’Ana.

13124518_1167592676627095_3824296749018928696_n-768x492
Com a mãe e o irmão, maiores e melhores amigos pra sempre!

Portanto, obrigado a todos os brothers e irmãzinhas que me aturam (sei que não é fácil). Ah, que fique registrado: amo vocês, comparsas. “A amizade é uma predisposição recíproca que torna dois seres igualmente ciosos da felicidade um do outro” – Platão.

Elton Tavares

*Ainda sobre amizade, assistam o vídeo de quando o Charlie Brown conhece o Snoopy, uma das mais belas amizades da ficção:

Hoje é o Dia Nacional do Futebol

download (7)

Hoje é o Dia Nacional do Futebol, uma data que foi escolhida em 1976 pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em homenagem ao time mais antigo do país em atividade, o Sport Club Rio Grande, do Rio Grande do Sul, fundado no dia 19 de julho de 1900.

mano

Eu e meu irmão, Emerson Tavares, amamos futebol. Ele muito mais que eu. Começamos a gostar do esporte por causa de nosso saudoso pai, José Penha Tavares (papai foi goleiro dos times amapaenses São José e Ypiranga). O velho nos levava para assistir aos jogos no antigo Estádio Glicério Marques, no centro de Macapá. Falar nisso é uma verdadeira overdose nostálgica.

1987

Também por influência do papai, nos tornamos flamenguistas. Graças a ele e a Deus, claro. Nunca fui bom de bola, batia muito, era perna de pau, mas sempre acompanhei o esporte e acompanho até hoje. Ah, eu ia esquecendo, aqui no Amapá, torço pelo Ypiranga, mas o futebol local ainda tem muito que melhorar.

Meu irmão Emerson, o maior flamenguista que conheço. E desconfio que o remista mais doente também. Graças a Deus, sou bicolor no Pará. Azar mesmo é quem torce pro Vasco, aquele time da série B.
galera-do-mengão1
Mas voltando a futebol de verdade, nas mesas dos bares, todos somos técnicos apaixonados, sempre temos uma desculpa, observação ou piada. O futebol não tem lógica, essa é a graça. O esporte é amor, paixão, sorrisos, lágrimas, encarnação, apostas, discussões, confraternização e, acima de tudo, emoção.

Há muito, o esporte deixou de ser uma preferência masculina, ainda bem, assistir aos jogos nos bares ficou muito mais convidativo (risos).

Minha relação com o futebol é somente de torcedor, não jogo bola e não jogaria mesmo se não fosse gordo. Gosto é de assistir e tomar cerveja.
euesalmeng_o
Enfim, amamos futebol, apesar daquele fatídico 7×1. Principalmente o Flamengo, mas independente de qual seja o seu time, viva o futebol, pois ele faz parte da nossa cultura.

Elton Tavares

O breve relato sobre a Little Big, a saudosa banda de skatistas de Macapá

As lembranças do Facebook me trouxeram uma foto da saudosa banda Little Big. Na postagem, os componentes do grupo e brothers das antigas contavam causos e marcavam um reencontro. Aí bateu a nostalgia e resolvi republicar este texto. Saquem:

A primeira formação da Little Big foi com Antônio Malária, no vocal, Ronaldo Macarrão, no contrabaixo, Tibúrcio, na guitarra, e Paulo Neive, na bateria. Todos skatistas.

A banda quase acabou com a saída de Tibúrcio. Patrick Oliveira (hoje líder da stereovitrola) assumiu este posto de forma brilhante. Houve um rodízio na cozinha da Little. A bateria contou com participações do Zico, Ricardo Kokada e Kookimoto, mas quem emplacou mesmo foi o Mário (não lembro o sobrenome do Mário e nem sei por onde ele anda, mas o cara tocava muito).

Eles tocaram juntos da segunda metade dos anos 90 até meados de 2002. Era a banda que mais agitava o rock and roll em Macapá.

A Little foi a banda de garagem mais duradoura e badalada daquela época (certeza de casa cheia onde os caras tocavam). No repertório, tinha punk, indie, hardcore e manguebeat. Chegaram a desenvolver um som próprio, com composições do Antônio Malária, um flerte com o batuque e marabaixo, misturados ao rock.

A banda ganhou força com a percussão de Guiga e Marlon Bulhosa. Inspirados, chegaram ao topo do underground amapaense com as canções autorais “Baseados em si”, “São Jose”, “Beira mar” e “Lamento do Rio”. Quem viveu aqueles dias loucaços lembra bem do refrão: “Eu sou do Norte, por isso camarada, não vem forte”.

Com os amigos Ronaldo e Antônio, da Little Big.

A banda embalou festas marcantes do nosso rock, teve seus anos de sucesso pelas quadras de escolas, praças, pista de skate, bares (principalmente o Mosaico) e residências de Macapá. Quando os caras executavam “Killing In The Name“, do Rage Against The Machine, a casa vinha abaixo. Era PHODA!

Era rock em estado bruto, sem muitos recursos tecnológicos ou pedaleiras sofisticadas. Os caras agitavam qualquer festa. Quem foi ao Mosaico, African Bar, Expofeiras, Bar Lokau, festas no Trem Desportivo Clube e Sede dos Escoteiros, sabe do que falo.

Vários fatores deram fim à Little Big, como desentendimentos internos e intervenção familiar. Eles não estouraram como banda autoral porque não tiraram os pés da garagem.

Em 2012, os caras se reuniram e tocaram em uma festa, mas eu perdi a oportunidade de vê-los, pois estava para Laranjal do Jari a trabalho. A Little Big agitou as noites quentes de Macapá e embalou os piseiros de uma geração. Uma banda que faz parte da memória afetiva de muitos amapaenses roqueiros e já quarentões. E foi assim.

“De um tempo que fomos para sermos o que somos” – Fernando Canto.

Elton Tavares

Hoje é o “Mandela Day” – Viva Nelson Mandela! (Se vivo, o herói da liberdade faria 101 anos hoje)

18 de julho é o Dia Internacional de Nelson Mandela, conhecido como “Mandela Day” e adotado pelas Nações Unidas em 2009. A data foi escolhida por ser a mesma do nascimento do herói da liberdade, falecido em 2013. Ele faria 101 anos hoje.

Ex-presidente da África do Sul, dono de um Prêmio Nobel da Paz e um dos homens mais respeitados do planeta, Nelson Mandela morreu aos 95 anos em Pretória, na África do Sul. Ele foi vítima de um câncer ao qual lutava contra desde 2001.

Ele foi o maior símbolo de combate ao regime de segregação racial conhecido como Apartheid, que foi oficializado em 1948 na África do Sul e negava aos negros (maioria da população), mestiços e asiáticos (uma expressiva colônia de imigrantes) direitos políticos, sociais e econômicos. A luta contra a discriminação no país o levou há ficar 27 anos preso, acusado de traição, sabotagem e conspiração contra o governo, em 1963.

Condenado à prisão perpétua, Mandela foi libertado em 11 de fevereiro de 1990, aos 72 anos. Durante sua saída, o líder foi ovacionado por uma multidão que o aguardava do lado de fora do presídio.

Mandela defendeu o ideal de uma sociedade democrática e livre, na qual todas as pessoas convivam em harmonia e com oportunidades iguais.

Frases:

“Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar.”

“A educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo.”

“Sonho com o dia em que todos levantar-se-ão e compreenderão que foram feitos para viverem como irmãos.”

“Aprendi que a coragem não é a ausência do medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas o que conquista esse medo.”

Para saber mais sobre a história deste fantástico homem do bem, assistam o documentário “O Milagre Mandela”:

Ele tornou-se ícone da liberdade e da igualdade. Sou negro, filho, neto e bisneto de negro e hoje rendo homenagens a um dos mais importantes homens da história. Nelson Mandela, o Madiba, foi fundamental. Não somente para um povo ou uma raça, mas para a humanidade.

Viva Nelson Mandela!

Elton Tavares