Emerson Tavares gira a roda da vida hoje. Feliz aniversário, meu amado irmão!


Deus deve ter dito: “Godão, tu vais ser um nó-cego se depender somente do seu livre arbítrio, mas vou te dar uma força. Vou te enviar dois anjos da guarda para segurar tua onda nessa vida”. E assim nasci filho de Maria Lúcia e irmão de Emerson Tavares. Essa é a riqueza que tenho na vida. Alias, Merson é um cara PHO – DA, assim mesmo, com PH, silabicamente e em caixa alta. Hoje é aniversário dele.

O mano gira a roda da vida e completa 39 anos. Sou mais velho que ele três anos e meio, mas ele poderia ser o mais velho, pois consegue cuidar de mim de longe e sou tão grato a Deus por ser seu irmão.

O mano, pai amoroso da Maitê e marido apaixonado pela Andresa Ferreira, é a personificação da alegria, bom-humor, sagacidade e atitude. Não somente por causa dos seus 1,84 de altura, mas por uma uma porrada de coisas lindas, o tornam um grande cara. Sobretudo, um homem de bem.

Todo mundo ama o Emerson. Eu mais que a maioria. Todos o querem por perto, pois o grande sacana que ele é anima qualquer turma ou lugar. Assuntos não faltam quando estamos juntos. A gente fala e ri de tudo. Até de nossas merdas.

O cara possui uma presença de espírito ímpar. Merson usa humor, sabedoria e elegância como ninguém. O que faz dele uma figura diferente, agradável e engraçada. Ele também é fiel aos seus amigos. Apesar de tratar todos muito bem, sabe diferenciar brothers de verdade de chegados.

Tenho demais orgulho dele por tantos motivos que é difícil listar. Mas de forma resumida, pelo pelo pai exemplar que é; por ser um marido dedicado; pelo empresário de sucesso que se tornou; pela forma apaixonada que trata a família e pela total ausência de frescura nele. Entre outras tantas paideguices.

Já disse e repito: é uma lindeza ver a forma apaixonada como o Emerson vive, o seu amor pela filha, esposa, mamãe, a mim, à vó e aos amigos é um lance diferente e muito foda. Ele é um cara despudoradamente de bem com a vida e de uma energia positiva que irradia.

Sou um tanto cabeça dura, mas se o Merson me dá um papo, escuto. Quase sempre acato suas sugestões, pois ele coloca um pouco de ordem no caos. Não consigo mensurar o quanto amo esse cara. Sou muito feliz pela existência do Emerson orbitar a minha e vice-versa. Sem dúvida, ele é um dos meus maiores afetos, conselheiro, parceiro e tudo o mais que possa comportar as palavras “melhor amigo”. Os anos passam e minha admiração e amor por este sacana só cresce.

A vida tem tantos perigos, mas o meu irmão sempre me ajudou a passar por todos eles. Com o Emerson, sou invencível (eu atravessaria o inferno com ele ao meu lado). Juntos, a gente nunca perde, só ganha. Sejam mais amigos, mais momentos felizes ou mais lembranças porretas para o futuro. Uma parceria de 39 dezembros, firmada no amor!

Maninho, hoje inicias mais um ciclo nessa tua linda trajetória. Que tu tenhas sempre saúde pra cuidar dessa tua família linda; pra gente viajar e pirar em shows de Rock and Roll; para sermos o que formos sempre: os melhores amigos nessa vida (desconfio que fomos também nas passadas e seremos nas próximas). Enfim, que Deus continue a te iluminar. Todo o amor dessa vida pra ti, meu irmão. Te amo. Parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

“…Você meu grande herói,
Mais poderoso que o inimigo.
Você, constante amigo,
Meu distante companheiro.
Você, que o tempo inteiro
Não tem medo do perigo, não…” – Meu Irmão – Toquinho.

Elton Tavares

O melhor comercial de natal dos anos 80 (do Banco Nacional)

Quero Ver Você Não Chorar

Quando eu era moleque, adorava quando passava o comercial de natal do extinto Banco Nacional na TV. O jingle da propaganda, “Quero Ver Você Não Chorar”, é muito legal e marcou o período natalino da minha geração. Me emocionei muito agora. Esse comercial resgata a minha infância e muita coisa boa que vivi nela…Meu saudoso pai, minha mãe, meu irmãozinho caçula e tanta coisa legal daquela época..

O comercial é de 1985 (eu tinha nove anos) e faz parte de minha memória afetiva. É emocionante e nostálgico. Assistam:

http://

“Quero Ver Você Não Chorar”

Quero ver você não chorar
Não olhar pra trás
Nem se arrepender do que faz

Quero ver o amor vencer
Mas se a dor nascer
Você resistir e sorrir

Se você pode ser assim
Tão enorme assim eu vou crer

Que o Natal existe
Que ninguém é triste
Que no mundo é sempre amor

Bom Natal um feliz Natal
Muito amor e paz pra você
Pra você…

Feliz aniversário, Cíntia Souza! (@hccintia)

Também inicia um novo ciclo neste sábado festivo a mãe amorosa do Hector e Zaion, diretora-proprietária da Agência Crível Comunicação e Cultura, jornalista, especialista em Comunicação e Marketing em Mídias Digitais, cineasta, produtora, radialista, fotógrafa, redatora, editora, cronista, documentarista, roteirista (Ufa! Ela é Phoda mesmo), amante do rock and roll e broda do coração deste gordo, Cíntia Souza.

A Cíntia é uma mulher inteligente e linda (aliás, sempre foi, mas conseguiu se tornar ainda mais sabida e gata). Assim como eu, é movida por paixões. Louca por sua família e trampo. É dedicada e caprichosa em tudo que se propõe, sejam trabalhos, desafios ou amores.

Eu nem sei o momento exato em que nos tornamos tão amigos. A gente nem precisa estar junto o tempo todo, mas o amor entre nós é forte e sempre presente. Nos afastamos por um período, mas acredito que amizades como a nossa sobrevivem a grandes ausências, como um golpe de capoeira (risos).

Cíntia tem um gênio forte e é safa. Ela manja das malandragens, mas ainda assim consegue ser doce. A gente já pirou muito juntos. Também trabalhamos em uma mesma equipe há alguns anos.

Sempre quis ter a Cíntia mais perto, e ela o mesmo de mim. Mas insistimos em trilhar sempre por caminhos diferentes. Ainda bem que, vira e mexe, nos encontramos. E esse encontro é sempre feliz e divertido. Ela é justa e coerente em sua visão de mundo, o que a faz uma pessoa de muita luz. Tenho orgulho de ser seu amigo.

Já disse e repito: assim como eu, Cíntia vive tudo ao mesmo tempo (se possível, mais de uma vez), adora os venenos mais fortes, os papos legais e ilegais.

Cheia de moral e atitude, Cíntia Souza nunca foi uma mulher comum, ainda bem. Sua tenacidade e espírito inconformado sempre a fez interessante, daquelas pessoas que marcam presença, dão o recado e deixam saudades ao sair.

A maior parte de nossas histórias juntos são impublicáveis. Que bom, pois foram sensacionais. Cíntia, “tu saaaaabes”. Te amo. Que tenhas sempre saúde e sucesso junto aos teus amores. Parabéns pelo teu dia. Feliz aniversário!

Elton Tavares

Feliz aniversário, Fritz!!

Herval e Kleuson (“Fritz”)

Um dia cheguei na Banca Rios Beer, melhor loja de cervejas especiais da cidade, e tinha um cara lá no lugar do Herval. Como assim no lugar do Herval? Meu brother que era o gerente e funcionário do mês todo mês no lugar que mais gosto de beber em Macapá? Era o Kleuson Costa, o “Fritz”, alemão mais amazônico que conheço.

No início foi difícil frequentar a Banca com aquele estranho ali. Mas depois, descobri que a aquela cara de bom moço, barba ruiva e sorriso meio besta, era só disfarce.

Fritz com o Leandro e Lílian, os proprietários da Banca Rios Beer (e também meus brothers)

Era uma coisa tipo o “Stripe”, líder dos Gremlins (filme dos anos 80, se você não saca, dê uma pesquisada no google aí), que era um bicho dócil, mas quando se molhava virava o mais marginal deles. É assim quando o Fritz enche a cara e vira o “monstro ativado”.

Hoje o sacana gira a roda da vida e falando sério, o cara é um pai amoroso para a pequena Bella e marido da Eliaane, além de um funcionário dedicado na Banca (já disse que ele merece um aumento). O figura que tornou-se um amigo querido deste jornalista, assim como é o cara que ele sucedeu do outro lado do balcão da cervejaria.

De vez em sempre, vou lá, afogar minhas poucas tristezas e aborrecimentos ou festejar as muitas vitórias juntos dos amigos ou somente com o Fritz, parceiro de primeira hora, na minha mesa preferida e com cervas especiais da melhor qualidade.

Este texto é somente para reforçar que Kleuson é um baita sujeito paid’égua e um brother do bem. A gente, amigos que costumam molhar a palavra na Banca, adora esse figura. Fritz, mano velho, sabes que podes contar comigo. Que tu tenhas acima de tudo saúde (já que apesar da pouca idade, tá meio puído) e sucesso junto aos seus amores. Parabéns pelo teu dia. Feliz aniversário!

Elton Tavares

Dezembro e a saudade (crônica republicada de Elton Tavares)

CACol_gio

Dezembro é sempre bacana. Lembro dos anos 90, eu e meus velhos amigos de recuperação ou já reprovados, tomando as saideiras do ano no velho Bar Xodó . Quem estudou no saudoso Colégio Amapaense quando o boteco existia lá no canto sabe do que falo.

Diziam que, da velha turma, ninguém “prestaria” pra nada. Afinal, como aquele bando de jovens biriteiros teria futuro? Sim, nós nos divertimos muito, mesmo com todos os sonhos e incertezas daquele momento. Quando não tinha grana para cerva, era rum, vodka ou cachaça. Nós éramos metidos a rebeldes (rebeldia muitas vezes sem sentido, natural de adolescentes).

Tempos de festas de garagem, estilo de vida meio Bukowski e com trilha sonora rock’n’roll, claro! Internet, Rede Social e toda essa modernidade era coisa de cinema. Eu tinha feito curso de datilografia (com o Werlen), estava aprendendo a mexer no MSDOS (programa de computador com tela preta e letras verdes) e tempos de disket. Quem tinha celular era rico e tocava sempre Legião Urbana. 

Bom, apesar de termos tomado cervas pra esta vida e para a próxima nos tempos do Xodó (ainda bebemos bem, mas não como naquela época), cada um seguiu seu caminho da melhor forma.Xodó

Só que eu, meu irmão Emerson (era o mais moleque entre nós) Walbene, Zeca (Edmar, também conhecido como poeta), Frank, Klinger, Negão (Helder), Junhão (Alessandro Rigamont Junior, Venilson, Topo (Josoelson), Rico, Juciram, Boca, Patrick, Sandro, Marruá (Lígia), Adriano (Bago), Índio (Rômulo) e Marcelo nos demos bem, sim!

Também fiz amizade com o Ewerton, Ismênia, Delano, Renato (Atayde ou Punk), Cacu (Elho), Anderson Favaceumagroho, Anderson Miranda, Newton Barata, Rodrigo (Juarez), Adelson, Zagalo, Rizandra, Jéssica, Glauci, entre tantos outros. É, fiz muitas amizades nos anos 90. A maioria delas bem sólidas e que me gabo de perdurarem após mais de 20 anos.

A maioria daquela galera formou e “vingou”. Quem não possui curso superior se garante na profissão que escolheu seguir. Claro que existem alguns que realmente não quiseram porra nenhuma com a vida mesmo. Mas isso é problema deles.xodoAlbino

Sinto saudade da velha turma, daqueles dias incríveis da nossa feliz juventude irresponsável. Mas tudo virou lembrança boa e experiência de vida, pois graças a todas as coisas bacanas e difíceis que passei naquela época, não me tornei um babaca que se norteia somente por teorias de vida. Aprendi muitos valores morais naqueles tempos.

Sim, dezembro chegou e com ele todo esse sentimento legal de fim de ano, de renovação, de esperança. E com este mês vem sempre a saudade dos que já partiram, dos amigos, dos tempos do bom e velho Colégio Amapaense e Xodó. Eu sempre escrevo sobre minhas memórias afetivas e essas estão no fundo do coração. 12400675_1957125681178307_1652223358896026548_n

Afinal, dia desses li a frase: “Saudade: sentimento do que valeu a pena”. E tomar todas aquelas cervas no bar do Albino com os velhos amigos do C.A. Valeu. E como. É isso!

Elton Tavares

*Texto republicado em todo início de dezembro e assim será enquanto eu sentir saudades de uma época mágica. 

Marcelle Nunes gira a roda da vida hoje. Feliz aniversário, Celle! – @cellenunes

Era junho de 2011. Eu, a fotógrafa Márcia do Carmo e o cinegrafista Marcelo Lima, esperávamos o então ministro dos esportes no aeroporto de Macapá. Pauta concorrida e tals. Aí uma jornalista veio pedir informações. Eu era o assessor de comunicação responsável naquele momento. Era Marcelle Nunes.

Após sete anos e meio desse encontro, digo-vos, ali conheci uma das grandes amigas que tenho na vida. Hoje ela gira a roda da vida e completa mais um ano de vida intensa. Celle é como eu, pirada, mas “workaholic” (gíria em inglês que significa alguém viciado em trabalho), pois faço assessoria de comunicação e edito um site. Ela edita um jornal e ainda faz freelas. Gosto de gente que se garante e ela é uma dessas pessoas.

A gente é capaz de trabalhar três turnos e beber até alta madrugada. Se possível, pegar alguém e dormir somente 2h antes de recomeçar a rotina de trampo e sem fazer merda.

Celle é uma jornalista competente, talentosa, inventiva e desenrolada. Há tempos é editora-chefe do jornal A Gazeta (nem sempre concordamos no trabalho, mas separamos isso muito bem). Além de profissional fodona, ela é filha, irmã e amiga amorosa. Sobretudo uma mulher do bem.

Vez ou outra, a gente se encontra e atualiza os papos sobre nossas solidões no meio da multidão, amores mal resolvidos e cagadas feitas por ambos. Ela é uma espécie de amiga-confidente-revisora textual-parceira de birita e irmã minha.

A gente ri de tudo juntos, até de nossas besteiras, gordices e desventuras em série. Claro que são mais vitórias que derrotas. Tanto dela quanto minhas.

Marcelle Nunes sempre tem um bom conselho, uma palavra para levantar a moral ou somente uma pessoa de confiança para me escutar. Ela recarrega minhas forças a cada encontro nosso, seja um almoço ou uma bebedeira épica, sempre com um bom humor invejável e um sorrisão no rosto.

Já disse e repito, com uma inteligência acima da média e humor negro latente, ela tem o superpoder de sempre levantar o meu astral, nem que seja com um elogio ou uma tirada sagas de barato. Gosto de ter a Celle por perto. Da minha existência orbitar a dela e vice-versa.

Outra similaridade nossa é o excesso. A gente gosta de tudo muito. Seja comidas gostosas, cervejas geladas, paixões ou nossos famosos falsos amores.

Nesta vida, somos amigos há sete anos e meio, mas parecem 75. A gente se conhece bem e confia um no outro. Ela já me ajudou muito nos corres da labuta e eu nem dei tanta força para ela no trampo. Tento compensar isso fora do trabalho, mas nem sempre consigo. Celle é um desses anjos da guarda providenciais. A cavalaria que chega na hora exata ou aquele amigo que cai contigo batendo.

Marcelle é culta, impetuosa, tenaz, safa ( às vezes besta para oportunistas de sua boa vontade), prestativa, leal aos seus e pessoa que muito me honra ter a amizade, pois ela possui uma alma sensível. Paralelo a isso, é doida varrida, amalucada e parceira. Não à toa, amo essa mulher.

Celle, tu sabes que podes contar comigo para o que der e vier. Agradeço por tudo feito por ti até hoje. Sou mais grato ainda por entenderes que às vezes sou um chato da porra. Que teu novo ciclo seja ainda mais iluminado, produtivo e aprazível. Parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

Elton Tavares

Feliz aniversário, Rizandra Lima!

Também inicia um novo ciclo na vida hoje é a pirata estilizada, presepeira, servidora pública, viajante compulsiva, farrista exemplar, fã de cervas véu de noiva e velha amiga deste jornalista, Rizandra Lima

Rizandra é divertida, humornegrista, gaita, gente fina e de um astral contagiante. Com ela, vivi memoráveis presepadas nos tempos de Colégio Amapaense. Na época, a gente bebeu até chumbo derretido, pois era cada goró tenebroso que muito me admira estarmos vivos (risos).

Rizandra e mais uma dezena de amigos fazem parta de minhas memórias afetivas dos tempos de C.A. Depois passei muitos de sequer ver a broda. Reencontramos-nos em 2013. Vez ou outra, a gente se encontra, pisa na beira, molha a palavra e ri bastante. É sempre muito divertido dividir algumas cervejas com essa maluca.

Rizandra, “tu saaaaabes, Patinhas”, dou valor na senhora. Que sigas com saúde, sucesso e sorte na pegada (mais risos). Que tomes sempre, além de cerveja, juízo (coisa difícil para pessoas como nós).

Meus parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

Elton Tavares

Feliz aniversário, Carla Amorim! – @CarlaMcpAP

Gira a roda da vida nesta terça-feira (4) a biomédica, servidora pública, militante da cultura, viajante do mundo, amante de Rock and Roll, humorista cheia dos memes na internet e uma de minhas queridonas amigas, Carla Amorim, a nossa “Carlinha”.

Carlinha é safa, inteligente, trabalhadora, irônica sem ser chata, figura fantástica, de bem com a vida, competente e demais gente fina.

Conheci a Carla em 2011, quando trabalhávamos no Governo do Amapá. Carlinha, competente nível hard, me auxiliava nas pautas. Ela me orientou em várias ocasiões e foi fundamental para a cobertura de diversas pautas.

Dona de vasta cultura geral, excelente humor e ótimo papo, Carlinha é uma pessoa que a gente gosta de ter por perto. Gosto pra caramba dessa menina, apesar dela apertar minhas banhas (odeio isso!).

A gente vive ameaçando um ao outro para sairmos para falar merdas legais, beber (eu cerveja e ela alguma outra coisa que não tenha tenha álcool) e rir.

Este textinho é somente para deixar registrado que gosto demais da Carla. Queridona, que sigas com sucesso e saúde junto aos seus amores. Meus parabéns pelo seu dia e feliz aniversário!

Elton Tavares

*Carlinha, precisamos urgentemente de mais fotos juntos. 

New Order cumpre promessa e bota pra quebrar no showzaço em Curitiba

Há 38 anos, em maio de 1980, Ian Curtis, líder da banda Joy Division, colocou uma corda no pescoço do Rock e se matou. O New Order, banda formada pelos remanescentes do JD, prometeu uma apresentação inesquecível em Curitiba. E cumpriu. Eles tocaram ontem (2) na casa de shows Live Curitiba. Eu e meu irmão, Emerson, estávamos lá, no meio das cinco mil pessoas que lotaram o local.

O New Order é uma das mais influentes do mundo nos anos 80 e 90. A banda integra o Hall da Fama Musical do Reino Unido e já vendeu mais de 20 milhões de álbuns em 38 anos.

O New Order arrebentou e embalou muitas festinhas pelo mundo, inclusive em Macapá. O grupo é uma das bandas que escuto há mais de 30 anos. Em 2014, também acompanhado do meu irmão, Emerson Tavares, assisti ao primeiro show da banda, em São Paulo. A apresentação de ontem foi infinitamente melhor.

A banda inglesa tocou, além de seus próprios sucessos, cinco clássicos do Joy Division. Além de excelentes canções, a mística que envolve a banda oitentista faz do New Order especial.

O repertório contou com as canções ‘Singularity’, seguida por ‘Regret’. O setlist ainda previa ‘Age Of Consent’, ‘Ultraviolence’, ‘Academic’, ‘Decades’, ‘Superheated’, ‘Tutti Frutti’, ‘Subculture’, ‘Bizarre Love Triangle’, ‘Vanishing Point’, ‘Waiting for the Sirens’ Call’, ‘Plastic’, ‘The Perfect Kiss’, ‘True Faith’, ‘Blue Monday’ e ‘Temptation’.

Após um suposto fim de show, a banda voltou e tocou os sucessos do Joy Division, como ‘Atmosphere’ e ‘Love Will Tear Us Apart’.

Mesmo com a ausência do carismático baixista Peter Hook, o New Order (com Phil Cunningham, Gillian Gilbert, Stephen Morris, Tom Chapman e Bernard Sumner) fez uma apresentação fantástica e emocionante. Sensacional mesmo! Ficamos felizes por ter vivido mais esse momento marcante em nossas vidas, pois são experiências como essa que fazem tudo valer a pena.

A vida sem a música é simplesmente um erro, uma tarefa cansativa, um exílio.” – Friedrich Nietzsche, em “Cartas a Peter Gast”, Nice, 15.1. 1888.

Elton Tavares

Feliz aniversário, Jamile Moreira! – @JamileMoreiraap

Hoje gira a roda da vida a mãe do Léo, jornalista, assessora de comunicação, profissional competente e muito querida amiga deste editor, Jamile Moreira.

Maluca das antigas, amante de “roquenrou”, reggae, apreciadora de cervas tuíras e bons papos molhados com as melhores e piores companhias da cidade, é um prazer dividir uma mesa de bar com a Jamile.

Consideradona da galera e portadora de altos níveis pavulagem e gentebonisse, Jamile é presepeira, humornegrista, descolada e engraçadíssima. Uma mulher de alto astral e de gênio forte, dona de uma personalidade forte, autêntica, barateira, esquentada e muito inteligente.

Eu e Jamile fizemos faculdde juntos, mas a amizade se fortaleceu quando trabalhamos juntos. Quando nos encontramos é diversão garantida, pois a broda é passada na casca do alho e a gente ri muito juntos.

Sempre digo que admiro quem consegue ser doido sem ser irresponsável ou incompetente (na verdade, gosto dos undergrounds que ganham sua própria grana). Jamile é uma dessas pessoas. E ainda é uma supermãe para o Léo. Bonitão de ver.

Hoje ela completa 32 aninhos, mas de malandragem, certamente tem uns 40, pois ali é safa e desprovida de frescura. Além de tudo isso, Jamile é linda. Um mulherão mesmo e uma das pessoas que gosto de ter por perto.

Preta, tu sabes que moras há tempos no coração deste gordo. É muito porreta ser teu amigo. Que teu dia seja lindo e paid’égua, assim como tu és. Que tua vida seja longa, cheia de saúde e com ainda mais sucesso. Parabéns por hoje. Feliz aniversário!

Elton Tavares

Em dias de chuva (minha croniqueta sobre a chegada do período chuvoso)

Choveu essa madrugada em Macapá. Acho que vai chover novamente. O sol está entocado, iluminando somente o suficiente, graças a Deus! Amo dias chuvosos! Em dias de chuva dá vontade de ficar na cama até mais tarde. Ou o dia todo, né não?

Dia bonito pra mim é dia chuvoso. Noite idem. Gosto por não suar e bebo cerveja sem problema, pois o frio me agrada profundamente. Em dias de chuva dou valor até no trânsito (deve ser por não dirigir).

12647048_1049379145115116_8470544029292535065_n

Em dias de chuva, como hoje, lembro quando morávamos em pequena casa de madeira, cheia de goteiras. As poucas panelas eram espalhadas pela casa, para armazenar a água do pinga-pinga. É, no dia cinzento de hoje vejo como melhoramos de vida, pois temos que desligar o ar-condicionado e fazer o esforço para levantar da cama.

Quando era moleque, em dias de chuva, jogávamos futebol debaixo de temporal e dávamos muito valor naquela parada. Também lembro do meu velho e saudoso pai, que nos ensinava a ensaboar os vidros do carro para que não embaçassem. É, a chuva me traz mil memórias, a maioria muito boas.

2319_cronica01_dest

Gosto do som da chuva, do barulho dos pingos no telhado. Os dias chuvosos me trazem uma paz imensa. A chuva anuncia: finalmente o inverno chegou.

Ah, não gosto de usar guarda-chuva, gosto do respingo, do frescor, de me molhar. Aliás, nunca gostei de “chove não molha” e sempre avisei: “pode tirar o cavalo da chuva”.

É isso!

Elton Tavares

Paula Fernanda gira a roda da vida. Te amo, prima. Feliz aniversário!

Quem gira a roda da vida neste sábado (24) é um mulherão. Não somente pela altura ou pela beleza, mas pela atitude, coração e ser do bem que ela é. Trata-se de Paula Fernanda, minha muito amada prima.

A moça é nutricionista, fisioterapeuta, instrutora de Pilates, esposa do Ednardo, filha mais velha do tio Paulo, irmã da Ana e Jamila, botafoguense, massagista familiar, corredora/Maratonista, e, além de prima, minha amiga.

O clichê “longe dos olhos, mas perto do coração” se aplica a mim, em relação a ela. Paula mora em Fortaleza (CE), onde é feliz com o esposo. E isso, minimiza a saudade que nossa família sente dela, pois se a queridona está bem, estamos bem. Mas foi muuuito porreta te ver esse ano.

Repito o que já disse em outros textos sobre essa mulher: Paula é Inteligente, honesta e trabalhadora. Ela é uma das pessoas de minha família que sempre me deu apoio, mesmo quando eu era um pouco mais pirado que hoje. Minha relação com essa querida sempre foi a melhor possível e as lembranças de nós juntos são excelentes momentos de memória afetiva.

Prima, a gente se entende e se ama, tu sabes. Que teu dia seja lindo e radiante, assim como tu és. Estarei aqui sempre pra te apoiar e vibrar a cada conquista tua.

Tu sabes, te amamos. Eu mais que a maioria de nós (risos). Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares

37 anos do soco de Anselmo Vingador – Um texto para flamenguistas

anselmo1
Como bom flamenguista, sempre leio, assisto e ouço tudo sobre o Flamengo. Entre os títulos conquistados pela máquina rubro-negra dos anos 80, comandada por Zico, um fato marcou a Libertadores de 1981, conquistada no dia 23 de novembro daquele ano: um soco. Sim, uma porrada desferida por Anselmo, atacante do Flamengo no zagueiro Mario Soto, do clube chileno Cobreloa.

lico-flamengo-cobreloa-santiago-1981
Vamos por partes. Depois de passar invicto até a final, o Mengão, campeão brasileiro de 1980, decidiu com o torneio com o Cobreloa. No primeiro jogo das finais, realizada no Maraca, o time da casa venceu por 2×1, com dois gols de Zico. Na partida de volta, no Chile, o time do Flamengo apanhou muito dos donos da casa (agressões mesmo), liderados pelo zagueiro Mario Soto (o brabão) e acabaram ganhando o jogo por 1×0.

hqdefault-1

Nessa partida, o Mengo ficou desfalcado dos jogadores Lico, com um corte na orelha e Adílio, ferido no olho. Ambos abatidos pelo defensor chileno. Li em algum lugar que ele agredia os jogadores brasileiros com uma pedra no punho fechado, se é fato, não sei dizer. Relatam jornais da época que o próprio Pinochet (um dos enviados de Satanás à Terra), nas tribunas, virou-se para um adepto e disse chocado: “Não está exagerando, o nosso Mario Soto?” Imagine como o cara estava “virado no cavalo do cão”…

anselmo-soco

Então rolou a “negra”, uma terceira partida, em campo neutro, realizado há exatos 34 anos, no Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai. O Mengão, que tinha infinitamente mais bola, venceu pelo placar de 2×0, com dois gols do Galinho.

Mario Soto, do Cobreloa do Chile, após levar um soco de Anselmo, do Flamengo, na finalíssima da Taça Libertadores da América de futebol. Montevidéu, Uruguai. Publicada na revista Placar, edição 1206, em 1223/11/2001, página 37.

Mas ainda faltava a forra contra Soto, foi aí que, no finalzinho do jogo, o técnico do Mengo, Paulo César Carpeggiani, chamou Anselmo, um jovem atacante de 22 anos, e disse: “ vai lá e dá um soco na cara do Mario Soto”. Anselmo entrou na partida, se aproximou do zagueiro chileno e, na primeira jogada, deu um pau na cara do chileno, que foi a nocaute. O lance causou um porradal, o jogador do Flamengo foi expulso junto com Mario Soto. A decisão logo acabou e o Flamengo virou campeão da América.

1981_fla-x-cobreloa-volta-olimpica

Depois foi só festa. No desembarque do time no Galeão, a delegação se deparou com uma imensa faixa escrito: “Anselmo vingador!” Pronto, Anselmo era tão herói quanto Zico. Mesmo suspenso, o “Vingador” viajou com o time para o Japão, onde o Mengão derrotou o Liverpool e sagrou-se Campeão Mundial Interclube, em 1981.

fea14-zico
Li várias reportagens sobre este fato, mas as duas melhores declarações foram:

Este episódio exprime uma contradição insolúvel do futebol e da vida. Todos nós temos discursos humanistas e politicamente corretos em favor do espírito esportivo e do sentimento cristão. Mas quem sofre uma agressão covarde não esquece. Futebol é arte, balé, xadrez, mas é um jogo viril e abrutalhado em que façanhas como a de Anselmo refletem o alto grau de testosterona e de agressividade primitiva que nos leva a correr atrás da bola. Nosso lado civilizado homenageia aqueles que descartam a vingança física e se contentam com dar o troco na bola e no placar. Mas dentro de cada fã do futebol existe um brutamontes-mirim que não resiste à poesia de um murro bem dado” – Jornalista Braulio Tavares – Jornal da Paraíba.

1981_fla-x-cobreloa-trofeu
Tenho sobre essa porrada uma tese irrefutável – ali, graças a Anselmo, as ditaduras latino-americanas que assombraram o continente durante a Guerra Fria começaram a desabar. O destino do próprio Pinochet foi selado naquele momento. Não é a toa que, em recente pesquisa publicada na Inglaterra, acadêmicos de renome consideraram que as três quedas mais impactantes da história foram a do Império Romano, a do Muro de Berlim e a de Mario Soto na final da Libertadores.” – Luiz Antonio Simas, professor carioca.

07f670c766ea34a696e9bf2364d37eee
Anselmo Vingador!

Bom, acredito que em certos momentos, extremos claro, um murro vale mais do que mil palavras (risos). Aquele soco dado que lavou o peito de milhões de rubro-negros. Viva o Mengão e o Anselmo Vingador! Há 37 anos, direto do túnel do tempo…

Elton Tavares – Jornalista, flamenguista em tempo integral e bom de porrada. 

Sal Lima gira a roda da vida hoje. Feliz aniversário, irmão!

Quem gira a roda da vida nesta sexta-feira (23) é um dos caras mais porretas que conheço. Bruto como poucos, mas justo, prestativo e fiel aos seus como pouquíssimos. Trata-se de um dos meus irmãos, o Sal Lima. O sacana completa mais um ano de vida com uma lista imensa de amigos, histórias hilárias e sempre com muita alegria que lhe é peculiar.

O ano era 2010, quando fui trabalhar na Assessoria de Comunicação do Governo do Amapá. Conheci muita gente firmeza naquela época, mas ninguém como o fotógrafo Sal Lima.

O marido da Ruth, pai de quatro caras, meio maranhense, meio tocantinense, pescador, boleiro, flamenguista, bicolor, amante de rock and roll e maluco das antigas, além de um dos maiores brothers que tenho, Manoel Lima de França é uma figura ímpar. Uma figura porreta e um homem de bem.

Desenrolado, parece sacar um pouco de mecânica, outro tanto de marcenaria e mais ou menos de eletrificação e encanação, apesar de ser totalmente desencanado. Malandramente, vive a driblar as adversidades que pintam no caminho com inteligência e bom humor. Muito humor, boa parte dele negro. Sal é safo e um amigo de verdade. Não tenho uma única memória infeliz ou lembrança de marcada do cara para comigo. Pelo contrário. Devo incontáveis favores a ele. Mesmo com a grande lista de desafetos, a minha quantidade de amigos continua extensa e o Sal é um dos mais valorosos.

O brother possui um carisma à bruta, que todos nós, seus amigos, adoramos. Gosto de estar com o Sal. A gente ri de tudo: dos outros, de nós, da vida. Nossa amizade surgiu profissionalmente e ultrapassou as barreiras do trampo.

Ah, já disse e repito: ele também é um profissional ético, competente, experiente e franco. Sal possui senso crítico, inteligência, lealdade, sinceridade e honestidade em alta escala. Ele é malandro, mas não pilantra. É coerente, mas não otário.

Sal Lima é aquele zagueiro que chega de carrinho e salva o iminente gol adversário. É o cara que faz o gol aos 49 do segundo tempo e ganha o campeonato. Sal é o cara que chega na voadora, que safa quando falta grana, acode quando quebra um carro, resolve se eu precisar de equipamento fotográfico ou faz um corre caso eu não possa ir. Sim, um amigo que vai muito além das mesas do boteco e com o qual sei que posso contar.

Além de sermos flamenguistas, gostarmos de rock, birita e boemia, outra afinidade com o Sal é o fato de não suportarmos babacas e folgados em geral.

Com toda certeza, Sal é um sujeito porreta e decente. Um cara do caralho (leia-se palavra de intensidade)! Nossa brodagem é de mão dupla e uma parceria imune a disse-me-disse e sem prazo de validade. Por ele sou capaz de bater ou apanhar sem titubear. Afinal, “amigo é aquele que o coração escolhe”.

Juntos, já botamos pra quebrar em noites incontáveis de etílicos excessos divertidos. Amizade é um bem precioso. E como é. Por tudo dito/escrito aí em cima e muito mais totalmente impublicável, nós amamos o Sal.

Mano velho, que tu tenhas sempre saúde para amar tua família linda. Que tenhas, pelos menos, mais uns 50 anos de pescarias, rodadas de cerveja ao som de rock, comemorações de títulos e vitórias do Flamengo e tudo o mais que lhe apraz. Que tu vires um velho sacana que conta histórias aos netos sobre as coisas boas da vida. Obrigado pela parceria de sempre.

Parabéns pelo teu dia e feliz aniversário, irmão!

Elton Tavares