Os 75 anos de Chico Buarque: aniversário do gênio da música brasileira (meus parabéns ao poeta)

tumblr_migd5lcWpa1qf5a4ho1_500

Sou fã de muitos músicos e compositores, brasileiros e gringos. Mas o maior é Chico Buarque, principal ícone da Música Popular Brasileira (MPB). O cara é cantor, compositor, escritor e dramaturgo. Hoje o grande expoente da musicalidade nacional completa 75 anos de vida. E que vida!

Francisco Buachico_buarque_pg2rque de Hollanda nasceu no Rio de Janeiro em 19 de junho de 1944. Filho do historiador Sérgio Buarque de Holanda, iniciou sua carreira na década de 1960, destacando-se em 1966, quando venceu, com a canção A Banda, o Festival de Música Popular Brasileira.

Em 1969, no auge dos “anos de chumbo” da Ditadura Militar no Brasil, se ebb013d72e76477323bbfec5ab07ddde0xilou na Itália (ITA) e tornou-se, ao voltar para o Brasil, um dos artistas mais ativos na crítica política e na luta pela democratização do Brasil. Na carreira literária, foi ganhador do Prêmio Jabuti, pelo livro Budapeste, lançado em 2004, além de ser torcedor confesso do Fluminense Football Clube (ninguém é perfeito).

Apesar de somente 40 anos vividos, Chico Buarque faz parte da minha história. Graças ao bom gosto musical da minha família paterna, cresci ouvindo a obra do gênio da MPB, para mim, ele é o verdadeiro Rei da Música Brasileira, muuuuito maior que o Roberto. Para mim, claro.

Adoro Vinícius de Moraes, Tom Jobim, Caetano, Gilberto Gil, Raul Seixas, Renato Russo e Cazuza. Também sou apaixonado pela obra de Bowie, Jagger, Curtis, Vox, Morrissey, entre outros gringos sensacionais, mas quem me conhece sabe: meu poeta soberano é Chico Buarque.

Quando o escuto, quase todos os dias, sinto saudade do tempo que ia todo sábado para casa da minha avó, tomar cervejas com meu falecido pai e meus tios. Nostálgico!

Chico Buarque musicou tudo que sentia, até pediu ao inventor da tristeza para ter a fineza de desinventar. Ele cantou a política, o carnaval, o amor e a boemia como poucos. E com a maestria do grande sambista. Ironizou os dramas e dramatizou o cotidiano. Pena que “aquela tal malandragem não existe mais”.

Completos idiotas o julgaram e o condenaram por sua opção política atual. Mesmo que fosse um cidadão comum, seria babaquice. Em relação ao velho Chico, é blasfêmia. Ele é bom de escutar até nos dias que a gente se sente como quem partiu ou morreu.tumblr_mfjg4rlavj1rcpa3go1_500

Muitos livros foram escritos sobre Chico Buarque. Li alguns deles. Sua obra é tão importante para a música brasileira que é difícil contabilizar o quanto ele foi e é fundamental para a nossa história. Vem aí um filme sobre o compositor, que certamente assistirei. Enfim, toda homenagem ao cara é pouco diante da sua magnitude.

Que o mais nobre dos Buarques viva mais 75 anos com essa magia que aquece nossos corações, aflora sentimentos bons, acorda o boêmio dentro de cada um de nós e alegra nossas vidas com a fantástica arte sonora.download (1)

Chico Buarque já me emocionou muitas vezes em mesas de bar, reuniões familiares e até em momentos de total solidão reflexiva. Ele é realmente PHoda! Ainda bem mesmo com mais de sete décadas, ele ainda nos brinda com sua genialidade. Ao velho Chico, minha total admiração, agradecimento e homenagens.

Saúde e longevidade ao malandro poeta, escritor, filósofo, palhaço, pirata, corisco, errante judeu, compositor, político, moleque, molambo, gênio e louco varrido.

Meus parabéns ao grande Chico Buarque!

Elton Tavares

*Ídolo da nova geração da MPB, Criolo fez uma versão de Cálice, do velho Chico Buarque, que me representa como fã do grnde artista. Assista:

Hoje a Sharlot Sandin gira a roda da vida. Feliz aniversário, japa! – @SharlotSandim!

Hoje a Sharlot Sandin gira a roda da vida. A “japa” completa 34 anos e isso é motivo de alegria para nós, seus amigos. A mãe do Mateus, jornalista e assessora de comunicação é uma mulher e tanto. Ela tem evoluído profissionalmente, o que nos enche de orgulho e segue prestativa e com bom coração.

Posso me gabar que ela é minha amiga para todas as horas, sejam as de diversão, quanto as de perrengue. Sharlot possui um gênio forte, mas é justa. Sharlot é inteligente, honesta, safa, malandra, batalhadora, presepeira, bonita, tem atitude e caráter. Além de farrista exemplar, claro.

A verdade é que a maluca é queridona por nós, pois é uma palhaça que nos faz rir em todo encontro ou pelas redes sociais.

Eu e japa nos conhecemos desde a época da faculdade de comunicação. Depois fomos colegas de trabalho na comunicação do Governo do Amapá e na Prefeitura de Macapá.

A gente trampa muito, mas se diverte na mesma proporção, pois eu e Sharlot somos chegados em tomar umas e rir com os amigos. Vira e mexe, fazemos isso, às vezes só nós dois.

Uma descrição porreta da aniversariante foi feita pela jornalista Mariléia Maciel: “Sharlô é uma japonesa (devido aos seus traços orientais), criada no Oiapoque e com nome francês”. A jornalista Gilvana Santos resumiu, mais cedo, o sentimento do grupo “Fuleiragem com Cerveja” em relação à Japa: “Deus te conserve sempre doida, pois é desse jeito que a gente te ama”.

É isso.

Japa , que teu novo ciclo seja ainda mais porreta. Que tu continues esse mulher paid’égua e que sigas pisando forte em busca da felicidade. Saúde e sucesso sempre. Te amo! Meus parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

Elton Tavares

Morre o cantor e músico André Matos (das bandas Viper, Angra e Shaman) e nasce a lenda André Matos

Quem lê essa página sabe: amo Rock and Roll. Hoje (8), o gênero musical mais Phoda da Galáxia perdeu uma de suas estrelas, o cantor, compositor, instrumentista, mestre mestre em regência de orquestra, instrutor sonoro, grande músico uma lenda da música mundial, André Matos.

O cara tinha somente 47 anos e morreu vítima de um ataque cardíaco. André Matos começou sua carreira nos anos 80 e liderou bandas icônicas do metal nacional como Viper, Angra e Shaman.

A informação foi divulgada por membros do Shaman nas redes sociais:

O destino nos uniu, nos separou, nos reuniu e agora pregou mais essa com a gente. É com profunda dor em nossos corações que nos despedimos do Andre mais uma vez, desta vez de forma definitiva. Além da ferida que jamais cicatrizará, e mesmo sabendo que passamos momentos gloriosos junto ao nosso companheiro e amigo, restará pra sempre o melhor dele em nossos corações“, diz a nota oficial assinada pelos membros do Shaman, divulgada na página da banda.

Sobre André Matos

Ele nasceu em São Paulo em 14 de setembro de 1971, e ficou conhecido pelo seu trabalho a frente das bandas citadas e tinha carreira solo desde 2006. Estudioso de teclado e piano desde a infância, o artista se graduou em regência orquestral e composição em São Paulo. Mesmo antes, já vinha ganhando reconhecimento com o Viper, e em 1991 fundou o Angra.

A banda fez turnês pelo mundo inteiro e suas mais de um milhão de cópias vendidas deram a Matos projeção mundial. Foram dois álbuns gravados: Angels Cry (1993) e Holy Land (1996), além de diversos EPs. Em 2000, Matos sai do Angra por divergências com o empresário e forma o Shaman, ao lado de Luis Mariutti e Ricardo Confessori, também ex-membros do Angra.

O cara foi um artista de imenso talento e deu sua contribuição ao Rock/Metal brasileiro e mundial. Ele ajudou a deixar o mundo mais para toda uma geração de fãs de Rock. Certamente, morre o cantor e músico, mas nasce a lenda.

Valeu, André Matos. Que sigas pela luz!

Elton Tavares, com informações da Revista Rolling Stones e Estadão.

Rocketman: um filme PHODA!

Amo Rock e Cinema. Quando essas duas coisas estão juntas então, é muito porreta! Rocketman, lançado no final de maio de 2019, conta a história do icônico cantor e compositor Elton John. A cinebiografia é linda, emocionante e prende quem a assiste do início ao fim, de uma forma muito paid’égua!

Nunca fui um fã declarado de Elton John, mas sempre soube que ele é um artista ímpar e também curto muito algumas de suas canções a vida toda (assim como Phil Collins e Bruce Springsteen, outros dois caras fodas que não escuto sempre, mas dou valor).

Dirigido por Dexter Fletcher, a película teve produção direta de Elton John, interpretado de forma brilhante pelo ator Taron Egerton. Com trilha que que reúne os sucessos do astro britânico, o longa é fantástico! A forma que as canções do astro são cantadas é um espetáculo a parte.

A extravagância, solidão, vício, luxúria, tristeza, raiva, depressão, alegrias, sucesso astronômico, absurdo talento, enfim, todos os problemas e glórias na vida de Elton John são contados de forma sensacional. O filme fala de parte da vida com a falta de amor, do excesso de genialidade, problemas familiares, homossexualidade e do ser humano que o protagonista é. A história também fala de superação e amizade sincera (com Bernie Taupin, compositor e parceiro interpretado pelo ator Jamie Bell).

Rocketman revisita a história de Elton desde que ele o pianista mirim autodidata, Reginald Dwight (nome original de Elton John), um geniosinho da música e todos os seus traumas crescem junto com seu talento. Em contra ponto, o filme também mostra o artista com um baita cara, é performático, divertido e gente boa, apesar de várias situações escrotas de sua vida, boa parte delas culpa do ex-empresário (Richard Madden). A direção de arte e o figuro são outros pontos fortes do filme, elementos que enriquecem a película.

O mais firme na trama é o fato de Elton John não ter minimizado ou maquiado seus excessos. A narrativa escolhida para discorrer sobre o homossexualismo, abuso de álcool e outras drogas do músico é elegante e diferente de qualquer outra coisa do cinema.

Mesmo de forma lúdica, o filme conta como Elton vai de encontro ao seu passado, encontra e exorciza seus fantasmas e se reinventa, tão ou mais brilhante quanto antes. O artista se descortina e mostra os detalhes de cagadas em série e momentos de pura magia musical.

O filmaço é realmente do homem foguete, pois Elton é um fenômeno musical, visual e, agora, cinematográfico. Tomadas, roteiro, jogo de câmeras, contextualização das músicas com a história são um espetáculo que somente poderiam ser fruto da história de um cara como Elton.

 

Como disse lá no início desta resenha, nunca fui um fã declarado de Elton John. Quer dizer, não era. Conhecia umas 15 músicas, mas não paro de escutar as canções do inglês desde a última sexta-feira (31), quando assisti e me emocionei com Rocketman, um filme realmente PHODA!

Elton Tavares

Ficha técnica:

Data de lançamento 30 de maio de 2019 (2h 01min)
Direção: Dexter Fletcher
Elenco: Taron Egerton, Jamie Bell, Richard Madden mais
Gêneros Biografia, Comédia Musical
Nacionalidade Reino Unido

Trailer do filme:

“About Time” (“Questão de Tempo”) – Resenha desse filme sensacional!

tumblr_inline_n2mzj4KAgV1qdklna

Nessa madrugada, assisti novamente ao filme “About Time” (“Questão de Tempo”). Um misto de romance, comédia e drama que me fez rir e me emocionar (deu aquele suor nos olhos). Com história fantástica, roteiro sensacional, viagens temporais e trilha agradável, o filme me lembrou experiências tão pessoais e ao mesmo tempo. O longa possui 2h03, mas você nem vê a hora passar, de tão leve e legal que é a película. Ah, a primeira vez que vi esse filmação foi em 2016.

A trama começa com Tim Lake (Domhnall Gleeson), que, ao completar 21 anos, seu pai (Bill Nighy) revela que os homens de sua família possuem o poder de viajar no tempo. Basta ir para um local escuro e pensar na época e no lugar aonde deseja regressar.

Desajeitado, Tim leva toco de uma amiga de sua irmã (Lydia Wilson), a engraçada e louca varrida Kit Kat e decide mudar pra Londres (ele morava numa cidadezinha da Inglaterra). Na capital inglesa, começa a advogar e conhece Mary (Rachel McAdams). O cara se apaixona perdidamente pela linda e espirituosa, que é fã de literatura e literatura.

about.time.cb2O enredo não foca na viagem do tempo, muito menos é uma comédia romântica água-com-açúcar. E longe de um dramão lacrimejante (mas confesso que os ninjas cortadores de cebola ficaram perto de mim em alguns momentos).

Assim como nos também ótimos filmes “Donnie Darko” e “Efeito Borboleta”, Tim descobre que viajar no tempo e alterar o que já aconteceu pode provocar consequências inesperadas.

Com roteiro e direção de Richard Curtis (tenho mania de ir atrás dos responsáveis por filmes legais), “Questão de Tempo”, de 2013, é sensacional. O diretor é o mesmo de “Um lugar chamado Notting Hill”, “Simplesmente amor” e “O Diário de Bridget Jones”. Belo currículo, não?

O enredo muito beimg-rachel-mcadams-questao-de-tempo-03bm construído é surpreendente e nos faz refletir sobre relação paternal, atenção com as pessoas que nos cercam e amor aos que nos são caros. É uma história lindona, tocante e repleta de lições de vida.

“Nenhuma viagem no tempo faz alguém amar você”. É com essa frase que Tim, o protagonista, sintetiza o filme. “Questão de Tempo” te desperta para o óbvio: viver sem se preocupar com coisas supérfluas e sim com aqueles que amamos. Decididamente, um filme poético, inspirador e que, apesar do suor nos olhos, te deixa feliz.

Assista ao trailer de Questão de Tempo: 

Elton Tavares

Meus parabéns, Kise! – @KiseMachado!

Hoje aniversaria a acadêmica de Direito, torcedora fervorosa do Papão (o maior time de futebol do Norte do Brasil), ex-colega de trampo, degustadora de cervejas importadas, fã de aviação, mãe e filha dedicada, profissional responsável e broda das antigas deste editor, Kise Machado.

Essa brodagem é antiga, pois a gente se conhece desde os anos 90. Passamos um tempo sem contato e nos reencontramos na Prefeitura de Macapá, em 2013, quando trabalhamos juntos. Ela sempre gente boa ao cubo.

Como a vida dá voltas e ela é sempre legal comigo, reencontrei a Kise no quando assessorei o senador Randolfe, em 2017.

Trabalhadora, dedicada, sincera, prestativa, espirituosa, alegre, engraçada e inteligente, Kise é uma pessoa pai’égua! Sobretudo uma mulher de bem. Uma daquelas amizades que vale à pena levar para a vida toda. Enfim, já disse antes e repito: ela é caralísticamente gente fina.

Kise, mana velha, que tenhas sempre saúde, sabedoria e sucesso na sua jornada. Foi porreta trabalhar contigo e é firme tua amizade. Tu sabes, és consideradona do coração do Godão aqui.

Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares

*Texto republicado, mas de coração. 

Feliz aniversário, Fernando Canto! – @fernando__canto

Sempre, neste vigésimo nono dia de maio, me pergunto: “como vou escrever um texto para o cara mais foda que eu conheço nesse lance de escrita?”. Pois é, hoje um dos mestres da literatura e poesia da Amazônia gira a roda da vida pela 65ª vez. Sim, nesta quarta-feira (29) aniversaria um dos meus heróis da velha arte de redigir crônicas, contos e artigos. Aliás, este dia especial deveria estar marcado no calendário cultural do Amapá, pois Fernando Canto está “de berço”.

Fernando Pimentel Canto é compositor, cantor, músico, jornalista, sociólogo, professor Doutor, poeta, contador de histórias, causos e estórias, contista e cronista brilhante, apreciador e incentivador de arte, sociólogo, imortal da Academia Amapaense de Letras, ícone da cultura amapaense, escritor “imparável”, boemista, marido da Sônia, amante do carnaval, biriteiro considerado, embaixador do Laguinho, mocambo, membro fundador do Grupo Pilão, flamenguista e ex-atacante do Flamenguinho (time do Laguinho dos anos 60, onde segundo ele, o “Bira Burro” foi seu reserva), militante cultural e servidor da Universidade Federal do Amapá, além de grande e querido amigo meu.

Com 17 livros publicados (de crônicas, poesia, contos) ; composições suas e outras com grandes nomes da música amapaense; ensaios teatrais, entre outras incontáveis contribuições para a cultura e resgate histórico do Amapá, além de cargos importantes ao longo de sua carreira, Canto é um ardoroso partidário da causa cultural tucuju. O “Cidadão Amapaense” mais amapaense que a maioria dos que aqui nasceram. Mesmo assim, há quem não lhe dê o devido reconhecimento, mas estes são “otaros” (risos).

O cara é divulgador, incentivador e memória das artes tucujus. Ele é um acervo vivo de nossa identidade cultural. Uma espécie de Forrest Gump e Big Fish (grandes contadores de histórias do cinema) do Laguinho e de Macapá. Poucos atingem essa idade com a marca da genialidade, principalmente acompanhada de simplicidade e paideguice. Assim é o F.C. Ele é o maior escritor vivo do Amapá. Além de tudo isso, é um homem de bem e um cara muito porreta!. Sou fã dessa figuraça e muito me orgulha ser seu amigo.

Mestre Canto, que Deus, Morgan Freeman (ou seja lá o nome do “síndico”) te dê sempre saúde, tardes felizes no Abreu, Loro, Maria ou qualquer outro bar onde tu és sempre bem-quisto e bem-vindo, que curtas seus lindos netos e recebas sempre o amor da Sônia. Que sejas sempre feliz como os periquitos que comem mangas na avenida, com a benção de São José e do Chefe dele. Que tu sejas esse pai, avô e amigo porreta por no mínimo mais 65 maios, “abenetando” ou não.

Meus parabéns pelo teu dia, mano velho. Feliz aniversário, querido Fernando!

Elton Tavares

Feliz aniversário, Irineu Ribeiro (Preto)!

Tenho a sorte de já ter trabalhado com muita gente PHODA no jornalismo. São redatores, editores, fotógrafos e cinegrafistas experientes e talentosos, além de queridos. Uma dessas feras das imagens gira a roda da vida nesta segunda-feira (27), o jornalista cinematográfico Irineu Ribeiro, o “Preto”.

Servidor público, basqueteiro, fã de Rock and Roll e brother querido, o nosso popular “Preto” é um cara honesto, prestativo, tranquilo, boa praça, dono de bom humor inabalável e gentebonisse nível ninja. Gosto muito desse sacana.

Irineu é um dos melhores cinegrafistas com quem trabalhei. Um cara trabalhador, de ótima índole, sempre com muita boa vontade para com os que lhe cercam. Ele é um puta profissional, me deu dicas importantes quando comecei a trabalhar em assessoria de comunicação.

Irineu é um batalhador, malandro (no sentido de não ser otário) e, sobretudo, um homem de bem.

Preto, mano velho, que tu tenhas sempre saúde, sabedoria, felicidades e sucesso. Que tua vida seja longa e tomara que um dia nós possamos trabalhar juntos novamente.

Meus parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

Elton Tavares

Sobre o tempo (minha crônica para hoje)


Há anos, após breve conversa com uma antiga amiga, ela disse: “o tempo também é burocrático. Nós é que sempre queremos tudo pra ontem”, comecei a devanear sobre o tempo. Verdade, nem sempre dá tempo.

Aliás, o tempo nos ilude quando jovens, em nome da inexperiência, e daquela que nunca morre: a esperança.

Sim, o tempo, com pouco tempo de análise, às vezes engana, confunde e conduz pelo caminho errado. Mas nunca omite, no final, sempre mostra quem é quem e como seria. É, o tempo.

A Bíblia, livro mais vendido da história (para muitos mitologia cristã) diz: “tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu” (Eclesiastes 3:1).

Desconfio há tempos que existe uma conspiração que faz do tempo uma espera quase interminável para os que sofrem e um período muito curto para bons momentos. Ah, tempo, dê um tempo!

O velho astro do Rock, David Bowie disse: ‘o tempo pode me mudar, mas eu não posso reconstituir o tempo’. Verdade! Afinal, para tudo há seu tempo. O tempo costuma despachar lentamente quando queremos que seja rápido e o contrário, quando é o inverso disso.

O tempo traz méritos, vivências, leva e traz amigos, irradia e ceifa vidas. O tempo sabe coisas a gente não sabe. Sim, ele flui, voa e dá tapas com luvas, mas não de pelica e sim de boxe. Mas o tempo também faz esquecer e, às vezes, até cura dores. Sobretudo, o tempo nos ensina a entender mais sobre o amor.

Enfim, o tempo passa, nós aprendemos e mudamos com ele. Eu até poderia falar mais sobre a loucura e sapiência atemporal do tempo, mas agora não. Meu amigo Fernando Canto lembrou da filosofa María Zambrano, que dizia: “o tempo é o único caminho que se abre ao inacessível absoluto”. E a amiga, com quem o diálogo originou esse devaneio, falou algo que me faz encerrar aqui: “o tempo é o remédio e a agonia de todos nós”.

Em tempo, hoje é tempo de sermos felizes, sem nos importarmos com a opnião alheia, pois isso sim é perda de tempo. E eu não tenho tempo a perder. É isso. Ótima semana pra todos nós!

Elton Tavares

Feliz aniversário, Paulo Tavares! – @paulorptavares

Paulo Roberto Penha Tavares é um cara diferenciado. Sempre foi muito organizado e estudioso. Há alguns anos, virou maratonista e já, literalmente, correu pelo mundo. Além disso, é um administrador, contador, advogado e empresário de sucesso. Pai de três lindas filhas e marido da Dacivone. Ele é o filho caçula da minha maravilhosa vó Peró, meu tio e amigo. Hoje, este personagem consanguíneo de nossas vidas, os Tavares, gira a roda da vida.

A Paula, Jamila e Ana, suas filhas, têm um orgulho danado do pai que completa hoje 57 anos. Nós também, pois o Paulo é inteligente, muito educado, íntegro, elegante, dono de vasta cultura geral e realmente um grande cara. Sou feliz por ter seu amor e respeito. É uma relação recíproca.

Sempre digo que quando eu era moleque uma das coisas legais das férias é que tio Paulo vinha passar o mês de julho ou janeiro em Macapá. O cara sempre foi divertido, brincava comigo e com o meu irmão.

A gente sempre se vê lá pela casa da Peró, onde vez ou outra molhamos a palavra, conversamos (papo sempre excelente) e rimos até de nossas bobagens.Em resumo, eu e Paulo Tavares somos pessoas totalmente opostas, com visões de mundo e estilos de vida diferentes, mas nos amamos e é isso que importa.

Tio, que teu novo ciclo seja ainda mais porreta e que você siga com todo esse sucesso que sempre tivestes. Que Deus continue a lhe dar saúde, pois sabedoria e talento tu tens de sobra. Meus parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

Elton Tavares

Bob Dylan completa 78 anos hoje. Viva o Mr. Tambourine!! #BobDylan

bob-dylan-001

Hoje, 24 de maio, um dos figuras mais geniais da música mundial completa 78 anos.

Nascido Robert Allen Zimmerman, no estado de Minnesota (EUA), o compositor, cantor, pintor, ator e escritor norte-americano Bob Dylan chega, também é ganhador do Prêmio Nobel de Literatura 2016.

Autodidata, ainda adolescente, aprendeu a tocar piano e guitarra sozinho. Iniciou a fantástica carreira artística em 1959, em grupos de rock e imitando Little Richard. Com canções de protesto, crítica social, românticas e até religiosas, do folk ao rock, Bob Dylan foi ícone da contracultura nos anos 1960, ativista fervoroso, pacifista e ídolo de qualquer um que admira belas músicas e atitude.

Uma curiosidade: Bob tirou seu “Dylan” do poeta galês Dylan Thomas (1914-1953). Ele costuma dizer que: “Bob Zimmerman soava longo e pesado” e “Bob Dylan era menos sincrético”.

bob-dylan

Não dá pra calcular a magnitude de Dylan, muito menos explicar sua contribuição e influências para a música. São 57 anos de carreira, 65 discos nessa trajetória; aproximadamente 500 canções escritas; mais de 3.400 shows. Seu trabalho é algo quase paranormal. Centenas de livros já foram escritos sobre ele. Por falar nisso, Bob escreveu sua obra literária, intitulada “Tarântula”, com pouco mais de 20 anos. Sem falar que ele pintou quadros, desenhou e atuou.

Difícil explicar um cara desses. Dylan é tido como o maior poeta da história do rock and roll e um dos artistas mais influentes do nosso tempo. Ao longo de sua sensacional história, Bob Influenciou grandes nomes do rock americano e inglês nas décadas de 60 e 70. Em 2004, foi eleito pela renomada revista Rolling Stone o 7º maior cantor de todos os tempos e, pela mesma revista, o 2º melhor artista da música de todos os tempos. Só ficou atrás dos Beatles. Uma de suas principais canções, “Like a Rolling Stone”, foi escolhida como uma das melhores de todos os tempos. Em 2012, Dylan foi condecorado com a Medalha Presidencial da Liberdade pelo presidente dos Estados Unidos Barack Obama. Como já dito, se tudo aí já não fosse o suficiente para muitas vidas, ele foi o ganhador do Prêmio Nobel de Literatura 2016. Tédoidé!

 img_news-0332334001457618330

Desejo uma vida ainda mais longa ao Mr. Tambourine. Que ele nunca encontre outro furacão, que não bata tão cedo na porta do céu e que continue a rolar pedras por pelo menos mais 78 anos. Desta forma, o cara seguirá com sua voz fanhosa, gaita, guitarra e liberdade criativa a nos emocionar.

Muito obrigado e parabéns, Bob Dylan!

Fontes: revistas, sites, papos de bar, programas da MTV e muuuita curiosidade sobre a obra do aniversariante.

Elton Tavares

Hoje é o Dia do Abraço – Abrace!

Você sabia que dia 22 maio é o dia do abraço? Um abraço pode ser acolhedor ao final de um dia cansativo, ou animador, se dado pela pessoa certa. Pode afastar o frio ou proteger do medo. Pode matar as saudades ou relembrar as tristezas. Todo mundo gosta de um abraço!

A data é por conta da iniciativa do australiano “Juan Mann”, que em 2004, criou a campanha “Free Hugs Campaign”, onde distribuía gratuitamente abraços pelas ruas de Sydney. O objetivo fazer as pessoas felizes e, com isso, ganhou visibilidade na cidade.

eee030a9891d78dd31081ef0723138f9

Sua iniciativa ganhou destaque internacional quando a banda australiana Sick Puppies gravou um clipe com imagens da campanha. O vídeo foi um presente para Juan Mann que havia perdido a avó há pouco tempo.

Sempre digo que manifestações de carinho, afeto e apreço são fundamentais. Sempre digo ou faço algo pra demonstrar a quem gosto que gosto dessa pessoa. Todo dia é dia de abraçar alguém, mas nesta segunda-feira, abraço é o que não pode faltar aos que amamos ou simplesmente gostamos. Como disse Cazuza: “o abraço é o encontro de dois corações.”

Portanto, aos leitores deste site, amigos e principalmente aos meus amores da minha vida, aquele abraço!

Elton Tavares

*Datas curiosas

Só uma coisinha, essa sessão de Datas Curiosas deste site incomoda alguns, que chegaram a reclamar de tais registros. Ainda bem que todo dia é dia de alguma profissão ou atividade. Desse jeito dá pra elogiar os familiares e amigos. Acreditem, tem gente que não gosta. Mas são somente os amarguinhos que encontramos pela vida.

Feliz aniversário, Cleomar Almeida!

Bedran, Emerson e Cleomar.

Conheço muitos sacanas bons de papo e que alegram qualquer roda de boteco, mas certamente tenho a sorte de ter a oportunidade de beber e rir dos três maiores nessa arte. São eles: Emerson Tavares, meu irmão; Fernando Bedran, mestre libanês e grande amigo e Cleomar Almeida, o nosso querido “Negão”, que aniversaria hoje.

Pois é, hoje o Negão tá de berço e como de costume ele não deve pagar nem uma menta. Mas tudo bem, a gente dá valor no cara mesmo assim. Abusando do seu anjo da guarda, Cleomar chega aos 44 anos. Ele gira a roda da vida mais uma vez. Quem bom pra ele e para nós, que temos o prazer de sua companhia.

Cleomar é um dos mais presepeiros, perspicazes e malandros (no bom sentido da palavra) entre os meus amigos. Ele é o marido da Nara, pai dedicado da Celina, Leonardo e da linda Mariah, funcionário público, engenheiro, laguinense boêmio, boemista, flamenguista, ciclista, Rei da “Birilândia”, sócio remido do Bar do Louro e Bar da Maria (no Empório do Índio ele não vai mais), maluco das antigas, farrista exemplar, marginal aposentado, boçal nível Pai Mei e fanfarrão considerado da galera.

Dono de célebres frases como “ajeitando, todo mundo se dá bem” e do “ei!” mais conhecido dos botecos da cidade, o cara é uma figuraça. Gosto muito do Negão e ele sabe disso. Não à toa, está incluso no meu grupo de amigos cervejeiros fuleiras. Até quando ele tá fazendo bico a gente curte.

Conheci o sacana em 1997, mas em Belém (PA) e a gente não se bicou, mas já contei essa história milhões de vezes. A gente virou “bróder”. Vivo a convidar o sacana para tudo, mas nem sempre ele dá o ar da graça. Aliás, ali a graça chegou e fez casa. Oh, bom humor e gaiatice invejável o cabôco tem instalada nele, rs. É porreta tê-lo por perto.

Eu queria ter o Negão sempre por perto, mas ele insiste em começar antes e depois não dá pra ajustar a frequência (risos). É como a frase de Paulo Sant’Ana: “tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.”A verdade é que o Cleomar é um cara do bem, um grande pai, marido e amigo. A gente ama esse frescão.

Cleomar, mano velho, que teu novo ciclo seja ainda mais porreta. Que tu continues esse cara paid’égua e que sigas pisando forte em busca da felicidade. Saúde e sucesso sempre. Meus parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

Elton Tavares

Há 39 anos, morreu Ian Curtis, da banda Joy Division – Uma corda no pescoço do Rock

Ian Curtis

joy-division

No dia 18 de maio de 1980, há exatos 39 anos, com uma corda no pescoço do Rock and Rol, cometia suicídio Ian Curtis, compositor inglês, vocalista e líder da banda Joy Division, formada em 1976. Ele tinha 23 anos e se preparava para excursionar com seu grupo musical pelos EUA.

O jovem e atormentado músico era vítima de epilepsia, problemas conjugais e sofria pressão pelo estrondoso sucesso de sua banda. Estes teriam sido os motivos do suicídio de Ian. Sei lá. Existem muitas lendas e teorias sobre a morte do cara

Com somente um disco lançado, Unknown Pleasures, em 1979, o Joy Division e Ian Curtis - Joyhavia concluído a gravação de Closer, estava com o lançamento agendado julho de 1980. A trágica morte de Ian Curtis não impediu que a banda se consagrasse como um dos melhores e mais importantes grupos de rock da década de 80, aliás, a principal do pós-punk.

Após seu falecimento, suas músicas foram distribuídas em mais quatro discos ao vivo, doze compilações, dois EP’s e cinco singles.

Duas versões para o nome da banda. Uma diz que era uma casa de prostituição de uma série chamada The House Of Dolls (1965). Este nome teve origem nos campos de concentração nazistas, e serviam justamente para designar a área reservada às prostitutas.

Outros dizem que Joy Division era o nome dado a área onde prisioneiras judias eram abusadas sexualmente por soldados nazistas durante a WWII. Daí a tradução, “divisão da alegria”. Seja um ou outro motivo, a alcunha é provocativa e irônica.13240491_1234624226562794_8102863326080105118_n

Li em algum lugar, do qual não me recordo agora, que o fantástico compositor suicida escrevia músicas autobiográficas, na vida das pessoas e dele e de outros.

Li também que “Love will tear us apart”, a música mais foda do Joy Division (a minha antiga turma de amigos gritou muito nas festas de rock: “toca Joy Division, pedindo pra The Malk e sterereovitrola executassem a clássica canção) foi escrita como um bilhete de despedida à quase-futura-ex-esposa-e-súbita-viúva de Ian, Deborah.

Após a dissolução do Joy Division, os três integrantes remanescentes Bernard Sumner (guitarra), Peter Hook (contrabaixo) e Stephen Morris (bateria) formaram o New Order, que também arrebentou e embalou muitas festinhas pelo mundo, inclusive em Macapá. No início, o som do NOian_curtis2 era uma continuação do JD. Com o passar do tempo, a banda fortaleceu sua própria identidade, com produções de música eletrônica, pop e dançante.

Ian foi realmente genial. Com vocal grave (barítono), dança desajeitada e bacana pra caramba (dizem que lembra os movimentos dos seus ataques epiléticos), estranha performance de palco, letras obscuras e poéticas, Curtis veio a este mundo, deu o seu recado e partiu para as estrelas. Sua vida foi retratada no cinema no filme Control (recomendo).

Não à toa, Ian Curtis foi ídolo de Bono Vox (U2), Kurt Cobain (Nirvana), Robert Smith (The Cure), Jim Kerr (Simple Minds), Ian McCulloch (Echo & the Bunnymen) e Renato Russo, que copiou dele a famosa dança epilética, entre tantos outros que vieram depois dele.

Em 2014, acompanhado do meu mais que maravilhoso irmão, Emerson Tavares, assisti ao show do New Order. A banda inglesa tocou, além de seus próprios sucesso, quase todos os seus clássicos do Joy Division como Transmission, Atmosphere e Love Will Tear Us Apart. Simplesmente inesquecível!

Foto: Elton Tavares

O rock é minha expressão artística favorita e Ian Curtis faz parte do Olimpo do Rock And Roll. A ele, minhas homenagens e gratidão pela obra. Valeu!

Elton Tavares