Sobre domingos de quando eu era moleque

Quando eu era moleque, nas manhãs de domingo, acordava com a MPB rolando no toca-discos de vinil, meu pai já tomando uma e minha mãe cozinhava (isso quando não íamos comer fora). O cheiro porreta da broca já exalava na casa. Meu irmão ainda tava na parte de cima do beliche, desmaiado. Eu o acordava pra começarmos a brincar, azucrinar e dominar o mundo. Papai, sempre carinhoso, nos abraçava e cheirava. Mamãe, também amorosa, mas mais comedida, dava um beijo em cada um dos moleques. Uma vida vivida no amor. É assim até hoje, mas sem o velho Zé Penha. Que saudades!

“Dedique-se a conhecer seus pais. É impossível prever quando eles terão ido embora, de vez” – Trecho do poema “Filtro Solar”.

Elton Tavares

Continuo em frente e com a força de sempre!

cartman

Eu continuo trabalhando muito, pois adoro minha profissão. Continuo sincero, contudo áspero. Eu continuo diferenciando puxa-sacos de profissionais, apesar de muitos não terem tal discernimento. Eu continuo honesto, apesar das propostas indecorosas. Continuo pobre, contudo sem telhado de vidro ou rabo de palha. Como sempre, não acompanho a moda convencional, mas fico ligado na underground.

Vivo a celebrar minha existência com a família e os amigos. Permaneço bebendo mais que o permitido, mas nunca fui ou sou um bêbado enjoado. Sigo boêmio inveterado, só que muito menos que antigamente. Continuo apaixonado pela homer-2Bbeer.gifboa música, mas extremista com alguns gêneros musicais. Sigo com meu amor pelo Rock and Roll, MPB e Samba. Continuo apaixonado pelo Carnaval, mas só na época mesmo.

Eu continuo exigente, mas sempre à procura da facilidade. Continuo antipático para alguns e paid’égua para a maioria. Continuo assumindo meus erros e brigando pelos meus direitos, custe o que custar. Continuo sem intenção de agradar a todos, mas acertando mais que errando. Ainda sou Flamengo, mas não brigo mais quando o time perde, até dou risada dasouth-2Bpark encheção de saco dos adversários.

Eu continuo tirando barato de erros grotescos, mas aguento as consequências quando falho. Continuo escrevendo, mas com a consciência de nem sempre agradar. Continuo a me irritar com a necessidade de tanta gente de aparecer ou ser admirada, mas não sou totalmente desprovido dessa soberba.

Continuo convivendo com figurões e anônimos, sem deslumbre ou desdém, pois é assim que deve ser. Ainda faço mais amigos que inimigos, apesar dessa segunda lista aumentar consideravelmente a cada ano. Permaneço gordo, feio e arrogante, entretanto, respeitoso, justo, bom de papo e sortudo. Sigo “Eu Futebol Clube”, sem falso altruísmo e sempre aviso: se resolver encarar, é bom se garantir.

12301710_916971898355842_2394745096422163522_nContinuo insuportavelmente ranzinza, mas incrivelmente querido pelos meus familiares e verdadeiros amigos. Prossigo acreditando nas pessoas, apesar de elas me decepcionarem sistematicamente. Continuo amando, odiando, ignorando, provocando, aplaudindo e vaiando. E sempre fazendo o que precisa ser feito pra manutenção da minha felicidade e do bem das pessoas que amo, mesmo que seja algo egoísta. Resumindo, continuo correndo atrás e com cada vez mais motivos pra permanecer sorrindo.

Elton Tavares
* Texto republicado ( acho que é de todos, o que mais usei gerúndios)

Hoje é o Dia da Empregada Doméstica – Meus parabéns para essas guerreiras

collage_1

Hoje (27) é comemorado o Dia da Empregada Doméstica, a profissional que presta serviços de limpeza, arrumação, entre outros, em residências. Nesta mesma data é celebrado todas as ramificações e ofícios similares como governanta, mordomo, caseiro, etc.

A data é uma homenagem à padroeira das domésticas, Santa Zita, que nasceu em 1.218, na cidade de Lucca (ITA) e trabalhou como empregada para uma família de nobres. Ela foi canonizada em 1696.

SelmaRocha
Nossa querida Selma Rocha, empregada doméstica na casa da mamãe há 12 anos.

Na casa da minha mãe, tivemos várias empregadas, mulheres de todas as cores e jeitos. Sempre as tratamos com respeito e dignidade. Umas não muito legais (minoria) e outras marcantes como a Noca, que foi minha bábá, a Josi, que aguentou muitas travessuras minhas e do meu irmão Emerson e a Nete, com seu tempero sensacional e inesquecível.

Há uns 10 anos, a querida Selma Rocha é nossa secretária. Tomara que permaneça por décadas, pois ela é de confiança, discreta gente fina, além de boa de trampo, claro.

É importante reconhecer essa profissional que, em muitos lares, é injustiçada das formas mais covardes imagináveis. Muitas patroas abusam das profissionais, pois acham que as domésticas são máquinas, como a Rosie, empregada robô do desenho animado “Os Jetsons”, exibido nos anos 80. Uma tremenda idiotice (que ilustre esta publicação).

Também conheço vários casos de pessoas que praticamente se integraram20120926150503_660_420 à família para qual trabalham, é o caso da querida Sila, que mora há 42 anos com a minha tia Sanzinha e a Oscarina, com mais de uma década trampando na casa do meu tio Paulo. Pessoas 100% confiáveis e excelentes profissionais que já são da família.

A estas guerreiras, que vencem uma porrada de adversidades e ainda conseguem auxiliar nossas famílias, a minha singela homenagem. É isso!

Elton Tavares

*Datas curiosas

Só uma coisinha, essa sessão de Datas Curiosas deste site incomoda alguns, que chegaram a reclamar de tais registros. Ainda bem que todo dia é dia de alguma profissão ou atividade. Desse jeito dá pra elogiar os familiares e amigos. Acreditem, tem gente que não gosta. Mas são somente os amarguinhos que encontramos pela vida.

Hoje é o Dia do Goleiro – meu saudoso foi/é o meu goleiro preferido

No Brasil, em 26 de abril é comemorado como o Dia do Goleiro. A data foi criada há quase 40 anos para fazer uma homenagem para aqueles atletas que por muitas vezes não tem o reconhecimento devido do seu trabalho. A ideia foi do tenente Raul Carlesso e do capitão Reginaldo Pontes Bielinski, que eram professores da Escola de Educação Física do Exércitopapaifutebo do Rio de Janeiro, e começou a ser comemorada a partir da metade dos anos 70, segundo relata Paulo Guilherme, jornalista que escreveu o livro “Goleiros – Heróis e anti-heróis da camisa 1”.

Como eu já disse aqui, por diversas vezes, amo futebol. Goleiro é posição maldita do esporte bretão (chamado assim por ter sido inventado na Grã-Bretanha). Meu saudoso e maravilhoso pai, José Penha Tavares, era goleiro. Posso afirmar, sem paixão (talvez com um pouquinho dela), que ele foi muito bom.

Papai agarrou pelos times amapaenses (quando o futebol aqui era amador) do São José e Ypiranga Clube. Também foi amigo de um monte de conhecidos boleiros locais. Infelizmente, meu amigo Leonai Garcia (que também já virou saudade), esqueceu-se dele no seu livro “Bola da Seringa”.tumblr_static_9eba61d4970b4b3f53a3b42882880ef8

Quando moleque, acompanhei papai em centenas de peladas. Torcia e sofria quando ele levava gols, principalmente quando falhava. Aprendi a admirar goleiros com ele. Lembro bem de expressões como: “Olha essa ponte!”, “Que defesa, catou legal!” ou algo assim, bons tempos aqueles.

Bem que tentei jogar em todas as posições, inclusive o gol (sempre era o último a ser escolhido), mas nunca consegui me destacar pela bola, mesmo antes de engordar. Não sei se as crianças de hoje ainda escolhem o pior dos meninos (ou meninas) para agarrar, aquilo é burling (risos). Digo isso com conhecimento de causa.

Goleiro-Barbosa-254x300Quando me refiro ao goleiro como “posição é maldita”, falo de uma série de injustiças que vi goleiros sofrerem ao longo dos meus 42 anos, mas uma é mais marcante, a crucificação do arqueiro Barbosa, da seleção de 1950. Há alguns anos, assisti a um documentário sobre a derrota para o Uruguai na final daquele mundial. Aquele homem foi estigmatizado até o fim de sua vida.

Em 2010, durante uma entrevista, Zico (não preciso dizer quem é, né?) declarou que o Barbosa, no fim da vida, disse a ele: “desculpe, mas gostei de ver você perder aquele pênalti em 1986, pelo menos me esqueceram um pouquinho”. Imaginem como o velho goleiro sofria pela falha de 1950? É a maldição do goleiro.

Vi grandes goleiros jogarem. Raçudos e classudos, voadores, pegadores de pênaltis. Foram tantos que é difícil enumerar, mas lembro bem do Buffon, Gilmar, Taffarel, Raul, Dida, entre tantos outros arqueiros que nos encantaram com a segurança debaixo da trave. Mas para mim, meu pai foi o melhor de todos eles.

Este texto é uma homenagem aos goleiros profissionais e peladeiros, que se machucam em saltos destemidos, levam chutes meteóricos, além de divididas violentas. Em especial ao meu pai, meu goleiro preferido para sempre. Amo-te, Zé Penha. Um beijo pra ti, aí nas estrelas!

Elton Tavares

Feliz aniversário, Carlinho! – @CarlosNilson

Todos nós temos amigos queridos, mas meio distantes. E também aqueles velhos amigos de infância, que sempre estão lá, nas memórias afetivas, no meu caso, dos anos 80. Uma dessas pessoas é o Carlos Nilson Júnior. O “Carlinho”.

Conheço o cara desde que éramos moleques. Filho do casal Nilson e Regina, amigos dos meus tios e dos meus pais, além de parceiros de velhos carnavais, Carlos é pai do Luís, marido da Gláucia irmão do Veridiano, Claudio e Tainá. “tutti buona gente“, como dizem os italianos.

Carlinho também é servidor público, jogador de basquete, comentarista da NBA no Twitter, vascaíno sofredor inconformado, apreciador de boas cervejas e cinéfilo e fã de Rock and Roll.

Nós estudamos juntos no ensino fundamental, na Escola Tiradentes. A gente sempre se deu bem. Acho que Carlos completa 43 abrils amazônicos hoje, mas tem cara de moleque. Eu com a mesma idade, pareço ter 55 anos. (risos).

Perdemos no tempo e nos reencontramos há poucos anos. Foi um bom resgate de amizade, pois quando rola uma reunião etílica com ele e Gláucia, é sempre porreta. Filho de poeta e escritor, o cara tem vasta cultura geral e é dono de um papo pai d’égua. E essas reuniões são sempre regadas a muita birita, pois a gente é chegado num goró sim.

Como já disse em outro texto, nutro respeito, consideração e brodagem por Carlinho e Gláucia. Eles são daqueles casais que até me dão uma rápida vontade de arrumar uma esposa (mas é muita rápida mesmo. Ainda bem que vontade dá e passa logo).

Meus parabéns pelo seu dia, Carlinho. Dou valor no senhor, mano velho. Que tenhas sempre saúde e sucesso junto aos seus amores. Feliz aniversário!

Elton Tavares

Sobre o filme Gremlins – Nostalgia cinematográfica

Gizmo

Os Mogwais são simpáticos bichinhos peludos que têm a aparência semelhante a uma mistura de morcego e coruja. Gizmo é o mais legal deles. Estas criaturas acompanham 3 regras que nunca podem ser esquecidas:

Ele não pode entrar em contato com a água; Mantenha-o longe da luz forte e Não importa o quanto ele chore, o quanto ele suplique, nunca, nunca o alimente após a meia-noite.

“Stripe”, líder dos Gremlins

Assim que tinha que ser, senão eles viravam os Gremlins. O “Stripe”, líder dos Gremlins, era o mais marginal deles. Ele tinha um cabelo moicano branco. Nos anos 80, comandou o caos no filme . As criaturas bebiam cerveja, jogavam pôquer, fumavam, dançavam break e detonavam com tudo. Muito firme!

Trailer do filme Gremlins, de 1984:

André Cantuária: meu candidato para conselheiro de Cultura, no segmento Audiovisual.

André Cantuária

André Cantuária é pré-candidato a conselheiro de Cultura, no segmento Audiovisual. Leiam a apresentação dele por ele mesmo:

Meu nome é André Cantuária, tenho 28 anos, sou filho do Seu João e da Janise, pai de três filhos, casado e produtor audiovisual.

Iniciei na área há quase 10 anos, trabalhando como assistente de edição de vídeo, era o responsável pela conversão de arquivos analógicos. Até esse momento, a música, minha primeira paixão, ainda estava no centro da minha vida, mas o trabalho, somado com a experiência do curso de jornalismo da Unifap, mudou meus planos.

Apresentei como conclusão de curso uma pesquisa acadêmica aprofundada sobre a produção audiovisual independente no Amapá, uma experiência que me permitiu conhecer realizadores, entraves e perspectivas.

Já fui assistente, editor, técnico de som direto, cinegrafista e diretor, conheço também as demandas técnicas e profissionais do setor audiovisual no nosso estado.

Hoje estou colocando meu nome como pré-candidato ao Conselho Estadual de Cultura pela cadeira do audiovisual. Conheço os nossos avanços do setor nos últimos anos, assim como sei que precisamos continuar caminhando, que não podemos retroceder.

Espero que este momento seja mais um de debates e construção no nosso segmento, por um audiovisual amapaense mais forte e de todos”.

André Cantuária

Meu comentário: acompanho o trabalho de André Cantuária há tempos. Ele é um cara talentoso, empenhado e comprometido. Já assisti algumas de suas produções e são porretas demais. Além disso, o cara possui o respeito até de quem está há anos na área, como o cineasta Thomé Azevedo. O trampo que André fez no DOC da Clicia Di Micelli foi impressionante. Enfim, estou na torcida pelo brother. Boa sorte, Cantuária!

Feliz aniversário, Herval Barbosa! – @Hherval

Gosto de parabenizar amigos em seus natalícios, pois declarações públicas de amor, amizade e carinho são importantes pra mim. Quem gira a roda da vida nesta quarta-feira (24) é o Herval Barbosa.

Filho, irmão e tio amoroso, biriteiro, meio cagueta, meio facista (bocudo e fã do Bozo, pois ninguém é perfeito), apreciador de cervas artesanais, ciclista, fã de Rock and Roll, Cinema e jogos eletrônicos (piloto de F1 Digital), colaborador da escola de idiomas Minds Macapá, além de brother deste jornalista, o cara é uma figura.

Conheci o Herval em 2016. De lá pra cá, bebemos uns 10 anos em 3. Passei noites inteiras batendo papo com o sacana. Conversas sobre a vida e nossas presepadas, tudo sempre regado à muita cerveja.

Herval, mano velho, já disse e repito: Que sigas pisando forte em busca dos teus objetivos e que tenhas sempre saúde e sucesso junto aos teus amores. Muita luz pra ti. Parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

Elton Tavares

Hoje é o Dia Internacional do Livro – É preciso ler para ser!

livro

Gosto de ler. Mas não li nem metade dos livros que gostaria. Também gosto de escrever, claro, senão não teria escolhido ser jornalista. Hoje (23) é o Dia do Livro. Amo livros. Apesar de, às vezes, passar por momentos de “letargia literária”. Ou se917p8XYKs-L._SL500_AA300_ja, tempos sem ler. Aliás, nas últimas duas semanas li todos o que estavam pendentes.

De volta a data, ela foi escolhida na Espanha, em 23 de abril de 1930, por conta do falecimento do escritor espanhol Miguel de Cervantes, em 1.616. (anteriormente era celebrado em 7 de outubro, por causa do nascimento do referido autor).

Em 1996, a UNESCO instituiu 23 de abril como o Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor, em virtude de 23 de abril se assinalar o falecimento de outros escritores, como Josep Pla, escritor catalão, e William Shakespeare, dramaturgo inglês.

Quem sabe um dia eu escreva um livro. Confesso que é um velho sonho. Mas, por enquanto, vou postando meus pontos de vista e devaneios neste espaço mesmo. Quem sabe uma copilação desses mesmo textos, só o futuro dirá.

thConheço gente que só leu o Pequeno Príncipe, isso pra ser miss caipira no colégio ou algo assim. Ainda tem aqueles que leram um só livro (Crime e Castigo lidera na preferência dos pseudo-safos, mas após a morte de Gabriel Garcia Marques, Cem Anos de Solidão tá na moda dos mentirosos) e querem discutir Literatura em mesas de bar.

Conheço muita gente que lê bastante, admiro isso. Aos amigos, leitores e alguns colegas jornalistas (que não leem nem bula de remédio), vos digo: leiam. A velha máxima de “ler para ser” é imbatível e atemporal.

Sempre vivi no mundo de ação e de mentira, e eu penso sinceramente que o escritor não tem que dar colher de chá para o sobrenatural. Tampouco para a realidade.” – Marcelo Mirisola, em seu livro “Charque”.

Elton Tavares

Robert Smith completa 60 anos e 39 de Rock and Roll! – Happy 60th birthday to #RobertSmith of #TheCure.

 

cure4

Hoje é aniversário de Robert James Smith, o popular Robert Smith. Ele é líder, vocalista, guitarrista e compositor da lendária banda inglesa The Cure. Aliás, o único membro da formação original do grupo. O cara é um ícone do Rock e da música alternativa mundial.

563022_480979601955076_1522168739_n
Show do The Cure em São Paulo – Foto: Elton Tavares – Clique e veja a imagem em tamanho original.

Robert nasceu em 21 de abril de 1959, em Blackpool (ING). Portanto, completa 60 anos de vida, sendo que trinta e  nove deles à frente de sua influente banda oitentista, que por muito tempo foi considerada a maior e mais importante no cenário gótico/pós-punk.

DSCN4594
Show do The Cure em São Paulo – Foto: Elton Tavares – Clique e veja a imagem em tamanho original.

O The Cure é uma das bandas que fazem parte da trilha sonora da minha vida. Ao som dos britânicos, fizemos muitas festas, noitadas, reuniões com amigos e tantas outras lembranças legais.

Eu e meu irmão assistimos, em 2013, um show histórico do The Cure, em São Paulo. Se já não bastasse tamanha felicidade, ainda encontrei a banda no Aeroporto de Guarulhos e consegui uma foto com o Rockstar.EueRobert

Vida longa ao talentoso e carismático Robert Smith. Que ele toque, componha e cante por mais 60 anos.

Elton Tavares

Hoje é o Dia do Índio – Meu texto em homenagem aos verdadeiros e discriminados donos do Brasil

Foto: Aog Rocha

Que nosso país é uma mistureba de raças, todos estamos cansados de saber. Hoje (19) é o Dia do Índio, uma das raças mais presentes na miscigenação nacional e principalmente da população da Amazônia.

A data foi criada em 1943, pelo então presidente Getúlio Vargas e relembra o dia, em 1940, no qual várias lideranças indígenas do continente resolveram participar do Primeiro Congresso Indigenista Interamericano, realizado no México. Durante este evento foi instituído o Instituto Indigenista Interamericano, também sediado no México, que tem como função zelar pelos direitos dos indígenas na América.

Foto: Marcelo Lima

O Brasil não aderiu imediatamente à entidade, mas após a intervenção do Marechal Rondon apresentou sua adesão e instituiu o Dia do Índio no dia 19 de abril. A data tem como função relatar os direitos indígenas e faz com que o povo brasileiro saiba da importância que eles têm na nossa história.

É verdade que, mesmo nos dias de hoje, ainda existe muito preconceito contra índios, que são os verdadeiros donos do Brasil.

Quando eu era mais novo e ignorante, tinha preconceito com índios. Fui emprenhado pelos ouvidos, pois desde moleque ouvia que eles eram preguiçosos. Como dizia o sábio Renato Russo: gente que “fala demais por não ter nada a dizer”.

Eu no trampo na aldeia indígena Aramirã, da etnia Waiãpi- 2011- Foto: Adryany Magalhães.

Graças a Deus, com um pouco de leitura, deixando de lado tais pontos de vista idiotas, me toquei. Hoje vejo os índios com outros olhos e respeito seu modo de vida e peculiaridades. Afinal, eles lutam pela conservação de sua identidade e isso é nobreza.

A influência indígena na Cultura nortista é forte demais. Conhecimentos acumulados através dos séculos. São Remédios caseiros, como a Andiroba, nosso poderoso anti-inflamatório e mais uma porrada de ervas benéficas para o tratamento de doenças.

Sem falar nas comidas típicas como maniçoba, tacacá, farinha de mandioca, açaí entre tantos outros elementos que compõem nossos costumes e tradições.

Então, queridos leitores que possuem algum tipo de sentimento escroto em relação aos indígenas, como racismos e preconceitos, é melhor aprenderem a respeitar a raça e valorizar sua Cultura, pois ela é fortíssima em nossas tradições, costumes e culinária. E no final das contas, somos todos índios. Pensem nisso!

EunaAldeia
Eu no trampo na aldeia indígena Aramirã, da etnia Waiãpi- 2011- Foto: Adryany Magalhães.

Parabéns aos indígenas, eles merecem nosso respeito e como merecem.

Elton Tavares

Feliz aniversário, Grazi Suzuki! – A amada “Lilo”

“Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos”, disse uma vez o escritor Paulo Sant’Ana. É verdade. Alguns fazem parte de nossa história. Entre os relevantes e que estão na minha lista de brothers “das antigas” está Graziela Suzuki. Hoje é aniversário dela, a nossa amada Lilo.

Sim, é o novo ciclo da professora, Chef, turismóloga, filha da querida Naná, mãe de duas crianças lindas e esposa do Rodrigo, Graziela Suzuki. Chamo-a de “Grazi” ou “Lilo” (por conta da semelhança dela com a menininha da animação “Lilo e Stitch”).

Lilo sempre foi safa e inteligentona. Uma pessoa meiga, educada, bem humorada e muito querida por mim e por uma legião de amigos, além de sua linda família de japoneses negões tucujus.

Um dia ela me disse que se orgulha de mim, do que me tornei. Faço minhas as palavras dela sobre a vida que ela conquistou. Aliás, sempre parafraseio o sábio e querido Fernando Canto para falar de velhos amigos com quem perdi o contato: “do tempo que fomos para sermos o que somos”.

Com Grazi, travei discussões homéricas sobre tudo, sempre com uma bebida e um som legal. Minha histórias com Lilo são recheada de momentos sensacionais e memoráveis. Alguns deles totalmente impublicáveis e hilários. Amo essa mulher e sou feliz em ver que ela zerou o jogo da vida, pois ela está feliz profissionalmente, casou com um cara foda e tiveram pequenos lindos.

Graziela faz parte de minha memória afetiva nisso. Ela foi embora há tempos, morou em muitas cidades e agora reside em São Luiz (MA) com sua linda família. Veio aqui há pouco tempo e graças a Deus, nos vimos, conversamos, rimos e bebemos. Como sempre foi.

Lilo, que teu novo ciclo seja ainda mais porreta. Tenho sorte e orgulho de ser seu amigo. Sigo a torcer por ti, de longe, mas aqui dentro do coração. Que tenhas sempre saúde e sucesso junto aos seus amores. Parabéns pelo teu dia. Feliz aniversário!

Elton Tavares

O dia que encontrei Lemmy (Essa semana fez 8 anos).

Essa semana, na última segunda-feira (15), completou oito anos que encontrei Ian “Lemmy” Kilmister, cantor inglês fundador, vocalista, baixista e líder da banda inglesa de heavy metal Motörhead (com 40 anos de carreira). O cara, que morreu em 28 de dezembro de 2015 (vítima de câncer) é um ícone do Rock and Roll e uma lenda da música mundial. Ele tinha 70 anos.

Esqueci de publicar ontem, mas por tudo que Lemmy fez e representa, republico hoje o texto do dia que o encontrei.

Eu e Lemmy – São Paulo – 2011 – Foto: Emerson Tavares

O dia que encontrei Lemmy 

Aeroporto de Congonhas (SP), aproximadamente 17h do dia 15 de abril de 2011. Eu, meu irmão Emerson Tavares e minha cunhada Andresa Ferreira tomávamos uns chopps enquanto esperávamos a hora de embarcar de volta ao Norte, eles para Belém (PA) e eu para a minha amada Macapá.

Estávamos perto da entrada do saguão do Terminal, aí entra aquela figura de preto, chapéu de Caubói, bigodão e cara amarrada. Era Lemmy, líder do Motorhead. Não perdemos tempo, pedi para bater uma foto com a lenda do rock, ele me olhou com desdém, mas parou de andar para o click do meu irmão.

Mesmo com a pouca simpatia do astro, fiquei feliz, pois não é todo dia que um jornalista de Macapá encontra um ícone do “roquenrou” mundial. Para quem não saca, aí embaixo tem informações sobre Lemmy, colhidas pelo ex-colaborador deste site, André Mont’alverne. Leiam:

Lemmy era o avô do heavy metal. Lemmy era o padrinho do thrash metal. Lemmy, mesmo britânico, era a síntese do rock’n’roll de Los Angeles. Lemmy foi roadie de Jimi Hendrix e teve um filho com uma groupie que perdeu a virgindade com John Lennon. Lemmy era fã de Beatles, de Little Richards e de Elvis Presley. Lemmy é uma lenda.  Lemmy é Lemmy. É inexplicável.

Bem, pensando com um pouco mais de racionalidade, talvez não seja tão “inexplicável” assim o verdadeiro fascínio que a figura de Ian “Lemmy” Kilmister exerce em qualquer pessoa que ame o rock and roll. E quando escrevo “qualquer pessoa”, não estou sendo bondosamente genérico, mas afirmando categoricamente que não há um ser humano roqueiro sequer que:

a) não tenha o devido respeito e paixão pelo Motörhead; b) que não considere “Lemmy” como uma espécie de divindade. No fundo, é fácil e difícil – e desconcertante – ao mesmo tempo entender porque a figura de Lemmy suscita reverência. Para isto, é preciso deixar de lado os pudores politicamente corretos e encarar a verdade: no fundo, bem lá no fundo, todos nós queremos ser como Lemmy. Buscamos obter o mesmo grau de respeito que a sua figura e suas palavras causam nas pessoas. Buscamos causar a mesma sensação que Lemmy propicia quando entra em qualquer ambiente, que é um silêncio que chega a ser ensurdecedor. Buscamos envelhecer como Lemmy, que foi dono de seu próprio nariz e sem a menor intenção de agradar a quem quer que seja.

Com seu inseparável chapéu preto, roupas de coloração idem e as inacreditáveis botas brancas, Lemmy é uma versão roqueira e real do cowboy sem nome eternizado por Clint Eastwood no cinema. Para os adolescentes, ele é um personagem de histórias em quadrinhos – ou videogame, se preferir – que ganhou vida. E se o Motörhead existiu por 40 anos, é porque Lemmy comandou as coisas da maneira que leva a sua vida: integridade em relação a tudo aquilo em que acredita.

Com certeza, os lobos uivaram para o homem que morreu em 2015, mas a lenda será eterna. O “Ás de Espada” teve uma vida longa, feliz e gloriosa. A ele, minhas homenagens. Valeu, Lemmy!!

Elton Tavares

Hoje é o Dia da (o) Ex-namorada(o) – Um abraço pra essa galera!

Esse pessoal inventa cada coisa, inclusive dias comemorativos, se é que se pode chamá-los assim. E este site possui uma sessão “datas curiosas”. Bom, hoje, 18 de abril, é o Dia da(o) Ex-Namorada(o)? A ideia de comemorar a data surgiu do Exército da Salvação, que foi fundado na Inglaterra, em 1865, por William Booth e sua esposa Catherine.

Para colocar a ideia em prática, a agência WMcCann criou uma campanha na tentativa de incentivar doações de tudo aquilo que lembre um ex-namorado. A Campanha do Exército da Salvação foi intitulada de “Que pena que acabou, mas já que acabou, doe”.

Bom, eu já namorei mulheres legais e outras não tão legais. Como tudo serve de experiência de vida, está valendo (com o perdão do gerúndio). Afinal, aprendemos com nossos erros e acertos (eu fui o erro de muitas delas). Não que eu me preocupe com a vida das mesmas e tals. Claro que não, tô muito feliz solteiro, é só um post sobre a curiosidade de hoje.

Com algumas até vivi como marido e mulher, ou seja, vivendo a rotina de casado e tals. Foi legal. Só me arrependo de ter namorado umas três meninas. Não desejo mal algum a elas, mas as quero bem longe. Acho que três ou quatro também não gostariam de ter se relacionado comigo, mas faz parte. Tenho a consciência que limpa sobre isso, pois sempre as tratei bem.

Então, não tenho contato nenhum com a maioria das minhas ex, acho que três são minhas “amigas” no Facebook e só. Meu plano agora é não namorar tão cedo, bora ver se consigo.

Brincadeiras à parte, gosto da maioria das minhas ex, ao todo são 11 mulheres com as quais dividi muitas alegrias, tristezas e aprendi muita coisa. Torço pelo sucesso de quase todas.

Já a minoria que não curto, nem quero saber, pois elas me odeiam e é recíproco. Valeu, meninas! Feliz Dia do Ex pra quem ainda rói essa pupunha. Que não é o meu caso (risos).

Elton Tavares