A Marcha da Fé: o Círio de Nazaré nas imagens de Max Renê e Márcio Pinheiro.

Foto: Márcio Pinheiro.

O Círio de Nazaré é, certamente, a maior manifestação religiosa do Norte do Brasil. Sei que no Nordeste do país existem várias romarias, mas nenhuma como o Círio de Belém (PA). Aqui no Amapá, como somos dissidentes do Estado vizinho, também temos nosso Círio, como tantas outras heranças culturais do antigo Grão Pará. Na verdade, é o nosso segundo Natal e para muitos, tão importante quanto.

Não sou um sujeito religioso, mas respeito todas as religiões, seja católica, protestante, islâmica, budista, espírita, candomblé, umbanda, etecétera e tal. Afinal, fé é fé. Sobre isso, briguei com Deus quando meu pai morreu, mas já fizemos as pazes há muito tempo, graças a ELE.

Foto: Márcio Pinheiro.

A Polícia Militar estimou que aproximadamente 150 mil pessoas acompanharam o evento religioso. Meus amigos e excelentes fotógrafos Max Renê e Márcio Pinheiro fizeram alguns registros da marcha da fé em Macapá.

Vejam mais as belas imagens:

Foto: Márcio Pinheiro
Foto: Márcio Pinheiro
Foto: Márcio Pinheiro
Foto: Max Renê.
Foto: Max Renê.
Foto: Max Renê.
Foto: Max Renê.

“…E a fé dessa gente é tanta, que a dor que essa gente sente passou a doer na Santa…”. Viva nossa Senhora de Nazaré!

Elton Tavares

CURSO PARA FOTÓGRAFOS INICIANTES

Olha que notícia boa, gente: as inscrições para nossa nova turma do curso básico de fotografia estão abertas. Tá super tranquilo de fazer pois as aulas são apenas aos sábados! Se você ainda tem dificuldade de entender como fotografar no modo manual e configurar DIAFRAGMA, OBTURADOR e ISO, além de diversos outros recursos que sua câmera tem, esse curso é super indicado pra você, vêm com a gente!

– Aulas em estúdio fotográfico;
– Exercícios práticos;
– Material didático exclusivo;
– Certificado de 12h/a

Inscrições: Foto Nunes – Av. Diógenes Silva, 1098, Trem

Aulas: 13, 20 e 27 de outubro e 3 de novembro
Horário: das 15 às 18h
Pré-requisito: Possuir câmera fotográfica
Investimento: R$ 150,00 reais parceláveis em até 2x no cartão

Exposição “Minha Aldeia” reúne fotografias inspiradas no cotidiano amapaense

Com fotos de paisagens, cartões-postais e até mesmo de trabalhadores à beira do Rio Amazonas, o fotógrafo Floriano Lima reúne 27 imagens que retratam o cotidiano amapaense na exposição “Minha Aldeia”. A mostra ficará aberta ao público de 27 de agosto a 20 de setembro, na unidade Centro do Serviço Social do Comércio (Sesc), em Macapá.

O fotógrafo define não existir um tema específico na exposição, condição que deu a ele liberdade para retratar desde as fotos mais “clichês”, até imagens comuns do dia a dia.

“Sempre gostei de fotografar nossos cartões postais porque eles são muito bonitos e únicos. Então, por mais ‘batidas’ que pareçam, eles fazem parte da proposta da exposição”, adiantou.

Dormir na rede, trabalhar com embarcações ou até mesmo o céu no fim de tarde são inspirações para o fotógrafo, que diz buscar evidenciar as belezas escondidas na simplicidade.

Todas as imagens foram feitas entre 2016 até este ano. Elas compõem fases da profissão de Floriano Lima, de 56 anos, que iniciou a fazer “clicks” aos 17.

“Essas fotos são recentes e fazem parte da minha carreira profissional. Apesar de fotografar desde a adolescência, quando ganhei minha primeira câmera fotográfica, trabalho profissionalmente na área há cerca de 5 anos”, contou.

A vernissage da exposição acontece no dia 24 de agosto, às 19h público poderá prestigiar a mostra de segunda a sexta-feira, no horário das 9h às 11h e das 15 às 17h.

Serviço:

Exposição fotográfica “Minha Aldeia”
Data: vernissage 24 de agosto; visitações de 27 de agosto a 20 de setembro
Hora: abertura 19h; visitações das 9h às 11h e das 15h às 17h
Local: Sesc Centro
Entrada: gratuita

Fonte: Folha PA

O Dia Mundial da Fotografia e alguns registros meus

RDS2
Reserva Natural de Laranjal do Jari – AP – Foto: Elton Tavares
casa1
Morada no Rio Araguari

JohnnyMarr1

AraguariFotoElton

IMG_1615

Poente no Curiaú

10450179_689790451073989_6884061632606390449_n
Araguari

1558586_601675593218809_1604418529_n

12249737_912765518776480_2162085254801280247_n

Arco1-1024x647
Da janela do TRE Amapá – Foto: Elton Tavares
CéuQuente
Da janela do TRE Amapá – Foto: Elton Tavares
BH1
De cima do edifício Maleta – Belo Horizonte (MG) – Foto: Elton Tavares
BHlinda1111
Da janela do hotel em Belo Horizonte (MG) – Foto: Elton Tavares
JariFloresta4-1024x678
Estrada no Vale do Jari – Foto: Elton Tavares
JariFloresta1-1024x678
Estrada no Vale do Jari – Foto: Elton Tavares
sg
Centro de Saint-George (FRA) – Foto: Elton Tavares.
RDS2-768x512
Resex do Rio Cajari – Vale do Jari (AP) – Foto: Elton Tavares
10354068_791774110875622_6135672729173350633_n-1
Da janela do TRE Amapá – Foto: Elton Tavares

10629751_721928744526826_2620466679029115423_n1 PonteBinacionalElton 12249737_912765518776480_2162085254801280247_n 12805644_1070867656299598_838328891499801337_n 13241317_1181762591876770_2647938439063141560_n

belém
Belém, Belém – Foto: Elton Tavares
avião
Da janela do avião – Foto: Elton Tavares
13879457_1255175117868850_4843435285106825616_n
Igreja da Conceição – Macapá (AP) – Foto: Elton Tavares

10389328_732429026810131_7445595232735843317_n

CuriauFotoElton1Garça
Garça no Curiaú – Macapá (AP) – Foto: Elton Tavares
CuriauFotoElton-1024x683
Curiaú – Macapá (AP) – Foto: Elton Tavares
GaviãocomSapo
Momento que um gavião apanha um sapo, no Gurijuba, região do Pacuí (AP)- Foto: Elton Tavares
garca-768x560
Garça na estrada do Jari (AP) – Foto: Elton Tavares
DSC_0234-1024x542
Foto: Elton Tavares. Registro feito no Rio Gurijuba, nas fazendas São Pedro e Santa Lúcia, de propriedade dos meus tios.
patosdomatonopau-1024x529
Foto: Elton Tavares. Registro feito no Rio Gurijuba, nas fazendas São Pedro e Santa Lúcia, de propriedade dos meus tios.

Jari

ArmadocomaCÂmera
Eu, “Godão”. Valeu por nos visitar no De Rocha.

Fotógrafos Anônimos realiza encontro para comemorar o Dia Mundial da Fotografia

O Fotoclube Fotógrafos Anônimos reúne hoje (19), profissionais, amadores e amantes da oitava arte, num encontro em comemoração ao Dia Mundial da Fotografia. É o quarto encontro realizado pelo grupo, e os organizadores prometem um dia divertido e com muita troca de experiências fotográficas. O evento é aberto e todos estão convidados!

Sobre o fotoclube

Fotógrafos Anônimos é um grupo de fotógrafos amadores e profissionais, criado em setembro de 2011, com o intuito de promover maior interação entre os fotógrafos do Amapá e do Brasil, além de promover a fotografia como arte e compartilhar conhecimentos.

Programação:
Piquenique | Sorteio de Brinde | Exposição
Escambo Fotográfico | Troca de Ideias
E muito mais!

Serviço:

4º Encontro Fotográfico
Quando? 19/8/2018
Qual horário? 16h
Onde? Parque do Forte
Macapá/AP

Contato: (96)98128-5712

Fonte: Blog da Mary

Exposição “Múltiplos Olhares” comemora Dia Mundial da Fotografia em Macapá

A exposição fotográfica “Múltiplos Olhares” reúne obras de 20 fotógrafos que, além do amor pela fotografia, têm em comum entre si o fato de terem sido alunos de um dos realizados pelo Foto Nunes. A diversidade de temas, estilos e técnicas fotográficas contempladas na exposição faz jus ao nome dado a ela. As imagens expostas abordam temas que vão do Jardim das Águas do pintor francês Monet, em Giverny, até o ir e vir das marés na foz do Rio Amazonas, passando pelo acelerado bater de assas de um beija-flor.

A exposição será aberta a visitação hoje (18), às 19h, no primeiro piso do Villa Nova Shopping e permanecerá recebendo o público durante todo o mês de agosto. O evento foi organizado para mostrar a riqueza da produção fotográfica recente do Amapá e dar visibilidade ao Dia Mundial da Fotografia, comemorado anualmente em 19/8. A data faz alusão a apresentação do daguerreótipo por seu inventor, Louis Daguerre, aos membros da Academia Francesa de Ciências e Artes no ano de 1839. O daguerreótipo é considerado o ponto de partida histórico para o desenvolvimento da tecnologia fotográfica tal qual como conhecemos hoje.

De acordo com Alexandre Brito, organizador da exposição “é impressionante a diversidade de caminhos que a fotografia permite trilhar. É também muito gratificante ver a qualidade do trabalho que vem sendo realizado pelos fotógrafos amapaenses da nova geração, sem dúvida, eles estão colocando o Amapá, de maneira contundente, no mapa da fotografia nacional, fico orgulhoso de perceber que vários deles tenham sido alunos dos nossos cursos no Foto Nunes”.

Serviço:

Exposição Fotográfica Múltiplos Olhares
Local: Villa Nova Shopping
Abertura: 18/8, às 19h
Visitação: até 31/8
Informações: 981183510 (whats)

Chuva de estrelas cadentes fotografada por Ivandro Vítor

Foto: Ivandro Vítor , em 13 de agosto de 2018 – Ferreira Gomes (AP)

Por Juçara Menezes

As estrelas cadentes estão chegaram. É que em todo o mês de agosto pequenos pedaços de detritos do cometa Swift-Tuttle – ou chuva de meteoros Perseidas – caem aqui na Terra e nós meros mortais podemos observá-los a olho nu na região Norte e Nordeste.

Quem lembrou da chuva de meteoros de Pégasus? É quase isso: a chuva de Perseidas são assim chamadas devido ao ponto do céu de onde parecem vir, o radiante, localizado na constelação de Perseus.

Coincidências nerds à parte, os meteoros esquentam tanto o ar ao redor que podemos ver uma espécie de hadouken o feixe de luz característico quando chegam em nossa órbita. Ou seja, tivemos uma verdadeira chuva de estrelas cadentes no céu.

Ivandro Vítor, o autor da foto.

Meu comentário: O texto acima é da jornalista manauara Juçara Menezes  (minha mestre Sith no jornalismo) e a foto, feita nesta madrugada do dia 13 de agosto (hoje), é do amigo Ivandro Vítor, fotógrafo amador, no céu do município de Ferreira Gomes (AP), onde seu pai, Ivanildo Souza, possui uma propriedade (ambos são velhos amigos meus). E não foi a primeira vez, vejam AQUI a foto do mesmo cara no blog da jornalista Alcinéa Cavalcante.

Ficou porreta. Parabéns pelo registro, Ivandro. Continue a congelar esses belos e astronômicos eventos. Abraço, mano velho!

“…Quando as estrelas
Começarem a cair
Me diz, me diz
Pr’onde é
Que a gente vai fugir?” – Renato Russo.

Elton Tavares

 

Curso de fotografia para iniciantes!


No mês agosto o mundo comemora o Dia da Fotografia! Por aqui a gente abre mais uma turma de nosso curso para fotógrafos iniciantes que vai ajudar você a olhar para sua câmera e entender muito melhor pra que servem tantos botões, menus e submenus!

O curso está com inscrições estão abertas, as aulas são somente aos sábados, naquele esquema de sempre: aulas em estúdio fotográfico, direito a certificado,exercícios práticos e de quebra ainda tem o bônus de entrar para nossa comunidade de alunos e continuar o aprendizado na área da fotografia junto com mais de outros fotógrafos!

Aulas de 4/8 a 1/9
Horário: 15 às 17h
Investimento: R$ 150,00 (parcela-se em até 2x no cartão)

Serviço:

Curso Princípios Fotográficos
Inscrições abertas no Foto Nunes (local também das aulas)
End.: Av. Diógenes Silva, 1098, Trem
Contato: 9.8118-3510 e 9.8137-7790

Fotos do final de semana na fazenda Santa Lúcia (fiz umas imagens legais)

Apesar de ser somente um apertador de botões, gosto de fotografar. Neste fim de semana, me diverti muito com meu irmão, cunhada, sobrinha linda (primeiro contato dela com animais), primos, avó e tios.

Passamos três dias na fazenda Santa Lúcia, localizada nos arredores do Distrito de São Joaquim do Pacuí, a cerca de 140 Km de Macapá, de propriedade dos meus tios Pedro e Lúcia. Os registros foram feitos na fazenda São Pedro, dos mesmos donos da primeira citada, na localidade de Gurijuba.

Teve muita cerveja, cachacinha, churrasco e peixe (traíra assada com vinho chileno). Vento na casa varandada, boa música e ótimo papo. Fui para o interior para relaxar e me divertir. Consegui isso e muito mais. Foram dias de muita felicidade e paz.

Fomos na sexta-feira (20) e voltamos ontem (22). Foi realmente uma daquelas aventuras que valem muita a pena. Se é verdade que Deus mora nos detalhes, ELE foi caprichoso nestes três dias, de tão abençoados que foram. Valeu, família!

Elton Tavares

 

Vejam as fotos:

Em 1971, time de futebol do Ypiranga Clube, no Estádio Municipal Glycério de Souza Marques, em Macapá. Meu pai era o goleiro

Em pé: Lourival Lima (treinador); Penha, Emanuel, Manga, Bandeirante, Célio Nobre, Evandro, Rodolfo, Chiquinho, Pitel Vavá (Presidente). Agachados: Assis, Jurandir, Jackson, Canhotinho, Almeida, Leorimir e Rato.

Meu pai, Penha, era o goleiro Saudades, Zé. Te amo, sempre!

Fonte: Porta Retrato.

Tempos de Copa do Mundo e as Copas da minha Vida (o Brasil estreia hoje)


Amo futebol, principalmente essa época, tempos de Copa do Mundo. Pensando no que escrever sobre o assunto, resolvi falar das copas de minha vida. Ao todo, foram 9 mundiais, de 1978 a 2014 (já que nasci em 1976), mas falarei somente da Copa de 1986 para cá, pois minhas lembranças só alcançam até meados de 1983.

Desde que me entendo (se é que me entendo, entende?) o brasileiro torce pela seleção brasileira nas Copas do Mundo. Comemora as vitórias e chora as derrotas.

Em tempos de Copa do Mundo, a gente reúne a família e amigos para comer churrasco e torcer juntos. Lembro de tanta coisa porreta que já rolou nos mundiais anteriores.

Em tempos de Copa, a gente faz bolão e independente de quem ganha, ficamos felizes, desde que o Brasil vença o jogo. Em tempos de Copa, a gente veste as cores do país e se sente mais patriota (pena que é só em tempos de Copa que o Brasileiro é mais nacionalista).

Em tempos de Copa, lembro do Zico, do Romário e do Ronaldo, ídolos incontestáveis e caras que me deram muitas alegrias.

Em tempos de Copa, lembro pouco das derrotas, dos gols perdidos e dos fracassos da seleção, pois a magia nos dá um otimismo convicto e uma sensação de invulnerabilidade sensacional.

Em tempos de Copa, lembro das Copas da minha vida e sinto saudades de quem há muito torceu, bebeu e se emocionou junto comigo, como o papai, o Ita e o vô.

Em tempos de copa, a gente confraterniza, vibra, ri e chora. Em tempos de Copa, a gente se cerca de gente que ama e é feliz!

A Seleção Brasileira estreia hoje no campeonato, contra a Suíça, mesmo com todas as cagadas, vou torcer para o time nacional. De volta ao tema, leiam sobre as copas da minha vida (de 86 para cá, pois lembro pouco da de 82):

México 1986

Na época da Copa de 86, realizada no México, eu tinha 10 anos e já gostava de futebol. Aquela foi a competição do Maradona, o ídolo argentino ganhou o torneio sozinho, o time era Maradona e mais 10, simples assim. Lembro quando perdemos para a seleção francesa, liderada pelo craque Michel Platini. O meu ídolo Zico (e de toda a molecada da época) perdeu um pênalti naquele jogo.

Penalidade essa comemorada exageradamente. Vou explicar, eu e minha família estávamos na casa dos meus avós paternos e meu tio, Itacimar Simões (que hoje mora no céu) fincou uma bandeira do Brasil bem em cima de um cano de água da casa. Resultado:perdemos a Copa e ele e meu pai (que também já passou para outro plano) tiveram que ir atrás de um encanador.

Itália 1990

A Copa de 1990, na Itália, foi a Copa em que ganhei grana apostando na Argentina. Calma, vou explicar. Venci o bolão na casa do meu tio. Cheguei perto do início do jogo, todos os palpites possíveis a favor do Brasil já tinham sido dados, eu disse: ” Coloca 1×0 para a Argentina”, secante e profético.

1994

A copa do Romário, o baixinho arrebentou demais, Bebeto inventou a comemoração do embalo do bebê e Tafarell, goleiro frio, de poucas palavras e poucos sorrisos, fechou o gol. Aquela foi a melhor Copa da minha vida.

Eu tinha 18 anos, foi tudo muito lindo. Assisti aos jogos na companhia de meu primo Gleuber e meu saudoso tio Ita (aquele do cano de 86). Romário deu show e me fez tomar incalculáveis litros de cerveja. Aquele foi o melhor time que vi jogar. Aquela foi a Copa da minha vida!

França 1998

A Copa de 98, realizada na França, foi literalmente dos franceses. Aquele mundial era uma tragédia anunciada, já que o Romário foi cortado por conta de uma contusão. Mas o Baixinho deu a palavra de que estaria recuperado ao fim da primeira fase e eu botava fé nele, mas a comissão técnica não.

Chegamos a final contra os donos da casa, a partida marcou os torcedores. Um tal de Zidane, então desconhecido da maioria dos brasileiros, passou por cima da nossa seleção. Muitos discutem a possibilidade do Brasil ter “vendido” a final desta Copa.

Japão e Coréia do Sul 2002

A copa de 2002 foi realizada em dois países, no Japão e Coréia do Sul. O zagueiro Roque Júnior calou a minha boca, eu critiquei muito o negão, mas ele defendeu com louvor. Com França e Argentina eliminadas na primeira fase e Itália fora (roubada contra a Coréia do Sul), pegamos a Alemanha na final, aí o Ronaldo lá na frente e o Marcos lá trás, arrebentaram.

Todo mundo chegou voando na copa de 2002. Até hoje, não sei se o Ronaldinho Gaúcho queria cruzar ou marcar aquele gol contra a Inglaterra, mas foi paidégua.

Uma particularidade daquela Copa foi o horário dos jogos, tivemos que beber de manhã e, ás vezes, amanhecer bebendo para ver os jogos.

Alemanha 2006

Não tenho muito o que falar sobre 2006. Apesar de um time de estrelas, a Copa foi palha para nós, quase não passamos por Gana e perdemos para a França, de novo, em um jogo que o Henry comeu a bola.

África do sul 2010

A Copa 2010 acabou de forma melancólica para nós. Ao término do primeiro tempo, quando vencíamos da Holanda, vivemos um verdadeiro furor, pensávamos:” Cacete! Nosso time é uma máquina!“, ledo engano. Na segunda etapa, uma letargia tomou conta da equipe canarinho.

O que dói mais é saber que a Holanda não jogou bola, jogou no erro brasileiro, perdemos para o “bom” desempenho de três jogadores a favor da Holanda, Roben, Sneijder e Felipe Melo, claro. Essa Copa foi foda, cheio de resultados inusitados, placares pífios e zebras africanas. Isso sem falar na bola, culpada pelos frangos jabulânicos e deu muito que falar.

Brasil 2014

Em 2014 foi aqui no nosso setor e pegamos a maior porrada da história. Muita gente deixou de torcer após o 7×1 que levamos da Alemanha em pleno estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG). O Brasil não aproveitou o fato de jogar em casa. Mas esse assombro, apesar de inesquecível, está devidamente exorcizado.

Enfim, Copa do Mundo é a união de uma paixão nacional com a confraternização entre familiares, amigos, entre outras tantas coisas bacanas que envolvem a competição. É isso!

Hoje a Seleção Brasileira começa sua campanha. Eu, como sempre fiz nestas mais de 4 décadas de vida (muita vida), vou torcer para o nosso time. Quem acha que é “ópio do povo” (bordão geralmente repetido por patetas), quem não superou o trauma de 2014 (e provavelmente a maioria de seus problemas bem maiores) ou aqueles pentelhos escrotais que não curtem futebol e ficam enjoando com o “blá, blá, blá” de sempre, a Netflix está aí para o entretenimento de vossas chatices.

Ainda pode rolar a leitura de um livro ou uma lavagem de roupa. Só não joguem “pisíca” ou “agourem” a equipe nacional, a qual esperamos quatro anos para vê-la novamente em uma Copa do Mundo. É isso.

Para mim, vai tá “russo” para o time que atravessar na frente da nossa Seleção. Bora, Brasil, porra!!

Elton Tavares