Sete clubes disputarão o Campeonato Amapaense de Futebol Sub-20

As inscrições para o Campeonato Amapaense de Futebol Sub-20 deste ano encerraram na sexta-feira (19) com sete clubes inscritos para a disputa. A Federação Amapaense de Futebol (FAF) já organiza a tabela, mas aguarda a liberação dos decretos de medidas restritivas de combate à Covid-19 para divulgar as datas dos jogos.

Os participantes do campeonato são os clubes São Paulo-AP, Santos- AP, Oratório, Macapá, Trem, Santana e Independente.

Este ano, o campeonato conta com a volta do Independente Esporte Clube, do município de Santana, que já conta inscrito, mas ainda passa por análise de regularização do clube junto à FAF e à Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Datas

Os decretos governamentais vigentes não preveem atividades esportivas em Macapá. Enquanto aguarda a liberação, o departamento técnico da FAF organiza a tabela e prepara as medidas restritivas necessárias, como explica Manoel Figueira, diretor da FAF.

“Agora é reunir com os clubes e apresentar a tabela que está sendo construída e o regulamento. A previsão é o fim de março, mas ainda não temos data confirmada para começar. Enquanto aguardamos a liberação dos decretos, planejamos a execução do nosso campeonato”, concluiu o diretor.

Marcelle Nunes
Comunicação FAF

Clubes filiados aprovam mudança estatutária em assembleia geral da FAF

A Federação Amapaense de Futebol (FAF) reuniu filiados nesta sexta-feira, 19, para uma assembleia geral extraordinária convocada para aprovação do novo organograma da instituição. A proposta aprovada foi protocolada pelo Trem Desportivo Clube e pedia pela extinção do cargo de 2º vice- presidente, até então ocupado pelo saudoso Paulo Rodrigues, dirigente que faleceu vítima da Covid-19 em dezembro de 2020.

Atualmente a FAF possui 37 filiados, entre clubes profissionais, amadores e ligas desportivas em todo o Amapá. A proposta foi apreciada e aprovada com uma abstenção e um voto contrário.

Para manter as medidas restritivas necessárias pelo período da pandemia, a assembleia ocorreu de forma híbrida, com 20% dos participantes presentes e os demais conectados por videochamada.

Imortal

Segundo o presidente da FAF, Roberto Góes, a extinção do cargo de 2º vice- presidente altera o estatuto vigente da Federação e imortaliza o nome de Paulo Rodrigues na missão que ocupava quando veio a falecer.

“Paulo Rodrigues empenhou 20 anos de sua vida pelo futebol do Amapá na nossa Federação, entendemos que seu nome e seu legado não podem ser apagados e muito menos substituídos. Aprovamos a proposta de extinção do cargo e assim, tornamos simbolicamente vitalícia a nomeação do Paulo em nossa diretoria”, ressalta o presidente.

A mudança do organograma aprovada em assembleia entra em vigor imediatamente e a FAF tem o prazo de 60 dias para o registro em cartório.

Marcelle Nunes
Comunicação FAF

Santos/AP e Trem se enfrentam na primeira partida do Campeonato Sub-17

O primeiro jogo do Campeonato Amapaense de Futebol Sub-17, realizado pela Federação Amapaense de Futebol (FAF), acontece no dia 09 de fevereiro e traz para confronto os clubes Santos – AP e o Trem Desportivo Clube. A partida acontece às 16h no Estádio Zerão.

O Campeonato Sub-17 deste ano conta com a participação de Macapá, Oratório, Santos, São Paulo, Trem e Santana. Como medida de segurança para evitar a proliferação da Covid-19, os seis clubes jogarão sem a presença das torcidas nas arquibancadas. A FAF TV vai transmitir os jogos através do aplicativo MyCujoo.

Próximos jogos já confirmados na tabela aprovada pelos clubes:

· São Paulo X Macapá – dia 11/02, às 16h no Estádio Zerão

· Santana X Oratório, às 15h30 no Estádio Augusto Antunes (Santana)

Decreto

O diretor do Departamento Técnico da FAF, Manoel Figueira, ressalta que o campeonato segue as orientações do poder público. “Os jogos mantidos estão ajustados no prazo dado pelo decreto de medidas restritivas emitido pela Prefeitura de Macapá. Se houver novas alterações, a FAF ajustará as datas das partidas”, concluiu.

Marcelle Nunes
Ascom FAF
(96)98106-4232

Um gol inesquecível (crônica de Ronaldo Rodrigues)

Crônica de Ronaldo Rodrigues

Começo parafraseando Paulinho da Viola: tinha eu 12 anos de idade (e não 14, como no samba) quando meu pai me chamou para assistir, pela TV, a um jogo sem interesse para a torcida brasileira, que só admite disputa pelo primeiro lugar. A data: 24 de junho de 1978. O local: Estádio Monumental de Nuñez, Buenos Aires. O evento: decisão do terceiro lugar da Copa do Mundo, entre Brasil e Itália.

A conquista da Argentina foi embalada por muitas polêmicas. Sua classificação para a final veio através de uma suspeitíssima goleada de 6 a 0 sobre o Peru.

A seleção argentina, bastante forte, contava com craques como Fillol, Passarella, Ardilles e o artilheiro Kempes. A força da equipe ganhou um reforço de fora das quatro linhas: a pressão do governo argentino. O título mundial cairia como uma luva para a glorificação do regime do general Videla. E foi o que ocorreu.

Mas voltando ao jogo: a Itália abre o marcador com Causio, no primeiro tempo. O próximo gol da partida é uma obra-prima que ficará marcada para sempre na minha memória de torcedor.

Aos 19 minutos do segundo tempo, o lateral direito Nelinho pega uma bola pela direita, próxima ao bico da grande área, e chuta com sua potência característica. A bola descreve uma curva muito acentuada, sai do alcance do goleiro Zoff e estufa o canto direito da rede. Depois, com o gol de Dirceu aos 25 minutos, o Brasil conquistava o terceiro lugar daquela Copa do Mundo.

A minha revolta de garoto recusou o título de “campeão moral”, expressão cunhada pelo técnico Cláudio Coutinho e aceita por muita gente, mas o gol de Nelinho fez meu jovem coração vibrar como o de um campeão.

Quer ver o gol? Assistam o vídeo abaixo:

Esporte Clube Macapá faz peneira e dá oportunidade para que jogadores atuem na Europa

Foto: Ascom Esporte Clube Macapá

Por Fábio Maciel

Atuar profissionalmente como um jogador é o sonho de vários brasileiros. No início da temporada, os clubes de futebol mobilizam centenas de jovens em busca da construção de suas carreiras através da habilidade com a bola nos pés. Afinal, como diz a música do Skank: quem não sonhou em ser um jogador de futebol?

Em Macapá, ocorre nos dias 29, 30 e 31 de janeiro, às 08h, no estádio Milton de Souza Corrêa (o Zerão), a 1ª edição do intercâmbio Amapá Portugal, peneira de futebol de campo que tem como objetivo descobrir novos talentos no esporte mais popular do país.

Segundo o vice-presidente de futebol do Esporte Clube Macapá, Eide Figueira, a parceria realizada entre o leão azul da Fab e o técnico português, Mister Miguel Seruca, traz muitos benefícios para a equipe amapaense e também para os atletas.

Técnico português Miguel Seruca vem ao Amapá em busca de novos atletas. Foto: Ascom E.C.M

“O atleta amapaense se destaca pela aproximação com os jogadores da Europa. O esporte clube Macapá fará o intercâmbio entre os clubes portugueses. A proposta é levar, nesse primeiro momento, os atletas amapaenses que se destacarem nas avaliações. O treinador teve uma experiência em Manaus e já tem cinco atletas daquele estado nos clubes de Portugal, a parceria traz benefícios com a publicidade e poderá levar à equipe azulina novos parceiros e apoiadores. E os atletas que não forem selecionados, poderão participar das competições locais e se prepararem para outras oportunidades com o próprio mister Miguel Seruca”, diz Eide.

O técnico português Miguel Seruca tem um vasto conhecimento no mundo futebolístico. Como jogador, tem várias passagens em times de Portugal, além de já ter realizado cursos na UEFA, treinando vários times nas categorias de bases em clubes europeus.

A seletiva irá escolher jovens entre 15 a 25 anos, possibilitando a aproximação com treinadores europeus e suas filosofia de treinamento. Para mais informações e/ou inscrições: (96) 99176-1740.

Fonte: Café com Notícias.

Estádio Glicério Marques completa 71 anos (minha crônica sobre o “Gigante da Favela”)

Ilustração de Ronaldo Rony

O Estádio Municipal Glicério de Souza Marques completa hoje 71 anos de fundação. O local foi idealizado pelo governador Janary Gentil Nunes e fundado em 15 de janeiro de 1950. A arena teve momentos de glória e ainda hoje é palco de jogos do Campeonato Amapaense, Copão da Amazônia e amistosos. Ali foram disputados grandes clássicos com a participação de craques amapaenses.

Foto: Elton Tavares

O estádio possui as alcunhas de “Gigante da Favela” e “Glicerão”, como o estádio foi apelidado pela crônica esportiva. Lembro-me da minha infância com alegria. Eu e meu irmão fomos agraciados com excelentes pais, que nos proporcionaram tudo de melhor possível (e muitas vezes impossível, mas eles fizeram mesmo assim).

Foto: Blog da Alcinéa

Entre tantas memórias afetivas estão as idas ao Glicerão. Meu pai, o saudoso Zé Penha, também jogou no estádio quando foi goleiro amador dos clubes São José e Ypiranga, no time do coração, o “Clube da Torre”. Eu e o mano dávamos muito trabalho ao pai, sem falar o pede-pede. Era pirulito de tábua (aqueles marrons em forma de cone que são puro açúcar), picolé, pipoca, refri e churrasquinho. Era tão porreta!

Como já disse, quando garotos, meu pai e tio Pedro Aurélio, seu irmão, jogaram no Glicerão. Assim como muitos jovens da geração dele. A qualidade do futebol era tão boa que a galera que não tinha grana até pulava o muro para assistir às partidas. Sem falar que o Glicério já foi palco de vários shows locais e nacionais. Afinal, o velho estádio está no coração de Macapá.

Aliás, lembro daquele muro desde que me entendo por gente, pois a casa da minha amada avó fica lado do Glicério, na Rua Leopoldo Machado.

Naquele tempo rolava a charanga do Antônio Rosa, o Paulo Silva e o Humberto Moreira (lembro bem dos dois, pois sempre falavam com meu velho) faziam a cobertura dos jogos. O José Carlos Araújo exagerava na narração das partidas via rádio (a gente ia pro estádio com radinho na mão). Bons tempos!

É uma pena que o velho estádio não esteja em melhores condições e depois de 71 anos, as arquibancadas ainda sejam de madeira e o campo ruim. Um local que revelou jogadores como Bira, Aldo, Baraquinha, Marcelino, Jardel, Roxo (o primeiro amapaense que fez gol), Zezinho Macapá, Jasso, Miranda, entre tantos outros nomes importantes do futebol regional.

Foto: Elton Tavares

O futebol amapaense encolheu depois do “profissionalismo”, a política entrou em campo e deu no que deu: tanto o Glicerão quanto seu irmão mais novo, o Zerão, vivem vazios. Clubes tradicionais desaparecem das competições.

Para mim, há tempos o futebol amapaense perdeu o encanto, o brilho, a mágica. Nem no rádio escuto as partidas. Bom mesmo era na época em que o Zé Penha nos levava para assistir aos jogos no antigo Estádio Glicério, eu e Merson (meu irmão) assistíamos as partidas, brincávamos e nos divertíamos a valer. Quando lembro de tudo isso, a alegria entra naquele campo, escalada pela nostalgia.

Elton Tavares

Foto: Flávio Cavalcante

*Texto do livro “Crônicas De Rocha – Sobre Bençãos e Canalhices Diárias”, de minha autoria,lançado no último dia 18 de setembro. A obra, com 61 crônicas, tá linda e está à venda na Public Livraria ao preço de R$ 30,00 ou comigo. Contato: 96-99147-4038.

Competições de futebol no Amapá iniciam em fevereiro, anuncia FAF

A Federação Amapaense de Futebol (FAF) divulgou nesta quarta-feira, 16/12, o calendário de campeonatos previstos para o ano de 2021 no Amapá. Respeitando as medidas restritivas impostas pela pandemia, a divulgação aconteceu por meio de uma transmissão ao vivo, pela FAF TV, no aplicativo MyCujoo.

Clubes filiados e imprensa esportiva puderam acompanhar o anúncio das datas pela internet e o link seguirá disponível para consultas posteriores.

O calendário local inicia com o Campeonato Sub-17, dia 02 de fevereiro, seguido pelo Sub-20, em março. As datas estão previstas, mas podem ser alteradas, a intenção é manter o mês planejado, disse o diretor do Departamento Técnico da FAF, Manoel Figueira.

Profissional

O Campeonato Amapaense de Futebol Profissional deve iniciar no dia 06 de abril e terminará no dia 27 de maio. Já o Campeonato Feminino será a última competição do ano, com início dia 20 de setembro.

Ao todo, a FAF planeja sete campeonatos durante o ano. Além das competições locais, os clubes amapaenses jogam nas competições nacionais como a Copa Verde, Copa do Brasil, Brasileiro Feminino, Brasileiro Série-D e Brasileiro Sub-17. O calendário da Federação prevê todas essas partidas.

Pandemia

Em 2020, em razão da pandemia, a FAF realizou apenas os campeonatos profissionais masculino e feminino. Antes dos atletas e equipes técnicas entrarem em campo, um protocolo de restrições e um plano de testagens foi realizado.

Para o ano que vem, a Federação continuará seguindo as orientações de saúde. O calendário, se for necessário, poderá ser readequado, como explica o presidente Netto Góes: “O futebol é importante, mas a vida e a segurança de todos vem e veio em primeiro lugar esse ano. Assim também será em 2021. Planejamos nossas competições com esperança que o novo normal seja seguro logo, mas se precisarmos, nos readequamos. No mais, agradeço pelo empenho de todos nesse ano, sei que choramos juntos a perda de tantos entes amados e rezo para que saiamos mais forte disso tudo”, concluiu.

Marcelle Nunes
Comunicação – FAF

Troféus do Campeonato Feminino 2020 homenageiam mulheres desportistas de carreira do Amapá

Nesta terça-feira, 08/12, acontece a partida que definirá a equipe vencedora do Campeonato Amapaense de Futebol Feminino 2020. Estão na disputa o E.C Macapá e o Oratório Recreativo Clube, e a Federação Amapaense de Futebol (FAF) escolheu homenagear as grandes atletas Alline Calandrini e Sônia Soares dando seus nomes aos troféus deste ano.

Homenageadas

O troféu de campeão recebeu o nome de Alline Calandrini, mais conhecida como Calan. A macapaense é ex-jogadora da Seleção Brasileira e atual jornalista e comentarista de futebol da TV Band. Em 2019, participou das transmissões da Copa do Mundo de Futebol Feminino.

Em abril de 2008, estreou na seleção brasileira sub-20, onde foi chegou a vestir a faixa de capitã e conquistou o Campeonato Sul-Americano de Futebol Feminino. Com a seleção principal, levantou o título da Copa América de Futebol Feminino de 2014.

No início da temporada, Calan mandou um recado para as participantes do campeonato: “Estou muito contente que vamos ter campeonato e vamos ter representantes do Amapá no Campeonato Brasileiro no ano que vem, isso é uma coisa muito boa. Imagino que seja um campeonato bem competitivo. Quero desejar a todas às atletas: boa sorte, arrasem, mostrem o talento amapaense que eu sei que temos e muito”.

O troféu de vice- campeão recebeu o nome de Sônia Soares, professora de Educação Física e pós – graduada em Ciência do Treinamento Desportivo. Sônia se destaca pela vida dedicada ao esporte amapaense e à preparação de centenas de atletas ao longo de sua vida.

Atualmente, Sônia trabalha como professora de educação física no ensino público e com o Oratório Recreativo Clube, nas quadras de futsal como técnica e nos campos como preparadora física.

“Já estou há muitos anos no esporte, são muitas conquistas. Uma trajetória onde conquistei muito respeito”, disse a homenageada.

No Oratório, a professora Sônia diz que são mais de 20 anos de atuação e como educadora, acumula mais de 10 títulos de Jogos Escolares.

Transmissão

A final do Campeonato Feminino 2020 inicia às 16h no Estádio Zerão e será transmitida pela FAF TV, através do aplicativo MyCujoo, no link: https://mycujoo.tv/view/event/ckies84nnhyc40gdr9yf656si?src=CPT_EL

Marcelle Nunes
Comunicação FAF

Macapá e Oratório disputam final do Campeonato Feminino 2020 nesta terça

As equipes femininas do Esporte Clube Macapá e do Oratório Recreativo Clube se enfrentam na grande final do Campeonato Amapaense de Futebol Feminino 2020. O confronto acontece nesta terça-feira, 08/12, no Estádio Zerão.

Com cinco clubes participantes este ano, o campeonato iniciou no fim do mês de outubro e, antes que atletas e comissões técnicas entrassem em campo, todos passaram pelo processo de testagens para Covid-19 promovido pela Federação Amapaense de Futebol (FAF), cumprindo as etapas previstas no protocolo de segurança criado pela CBF para o tempo de pandemia.

Oratório, Ypiranga, Trem, Santana e E.C Macapá brigaram pela classificação final em 12 partidas. Por segurança da saúde pública, todos os jogos aconteceram sem torcedores nas arquibancadas, mas foram transmitidos pela FAF TV.

“A gente sabe que com a presença do público o espírito no estádio muda, mas a vida de todos é mais importante, por isso priorizamos seguir as orientações sanitárias e as restrições. Além disso, investimos nas transmissões dos jogos. Mesmo com os desafios, foi uma temporada muito boa para o futebol feminino do Amapá”, ressalta Netto Góes, presidente da FAF.

Final

O E.C Macapá é o mandante da partida por saldo de gols na final desta terça-feira contra o Oratório, mas nenhuma equipe tem vantagem em campo. Sem vitória durante a partida, a decisão virá pelos pênaltis. O jogo inicia às 16h e será transmitido pela FAF TV através do aplicativo MyCujoo.

Marcelle Nunes
Comunicação FAF

40° edição dos Jogos dos Comerciários do Amapá tem final emocionante

Na última quinta-feira chegou ao fim mais uma edição dos Jogos dos Comerciários do Amapá com as duas últimas partidas da competição. Domestilar Lojão e Distribuidora Hiroshi jogaram para disputar o terceiro lugar, já a final da competição foi entre Armazém Brasil e Lima Consultoria. Ambos os jogos tiveram transmissão no YouTube pelo canal do Sesc Amapá.

A noite iniciou com a disputa de terceiro lugar e a Domestilar Lojão levou a melhor sobre a Distribuidora Hiroshi nas penalidades após um empate de 0 a 0 no tempo regulamentar. Logo em seguida aconteceu a grande final, que contou com grande emoção, a equipe do Armazém Brasil abriu o placar, mas nos acréscimos a Lima Consultoria empatou o jogo e venceu nos pênaltis.

Neste ano, em razão da pandemia da Covid – 19, a única modalidade no Jocomap foi o futebol masculino de campo. A competição teve 24 equipes inscritas na competição.

A competição iniciou as atividades no dia 6 de novembro e todos os jogos aconteceram no Sesc Araxá. Além do futebol de campo foi realizado o concurso Rainha do JOCOMAP, que foi vencido pela candidata do Sesc Kailane Ribeiro, em votação realizada pelo Instagram.

Serviço:

Coordenadoria de Comunicação e Marketing
Departamento Regional – Amapá
Haynan Iago Jardim de Araújo (96) 99131-6750

Semifinais do Campeonato Feminino 2020 começam nesta quinta-feira

Oratório e Ypiranga se enfrentam na primeira partida dos dois confrontos previstos para as semifinais do Campeonato Amapaense de Futebol Feminino 2020, realizado pela Federação Amapaense de Futebol (FAF), que acontece nesta quinta-feira, 03/12, no Estádio Zerão.

O segundo finalista será decidido em partida entre Macapá e Trem, na sexta-feira, 04/12, também no Estádio Zerão. Por restrições de segurança, os torcedores não terão acesso às arquibancadas, mas a FAF TV transmitirá os jogos através do aplicativo MyCujoo, como tem feito desde o início da temporada.

Com o resultado dos finalistas, a decisão do campeonato acontece na terça-feira, 08/12, no Estádio Zerão, às 15h30.

Arbitragem

Para apitar as semifinais, a Comissão Estadual de Arbitragem escalou os seguintes times:

Oratório X Ypiranga 03/12

Cláudio José – Árbitro Central

Jamily Cristina da Costa – Assistente 1

Cristiane Mendes – Assistente 2

Daniele Bulhosa – 4º Árbitro

Jucicleide Ferreira Palmerim – 5º Árbitro

Macapá X Trem (04/12)

Edielson da Silva Azevedo – Árbitro Central

Daniele Bulhosa – Assistente 1

Jucicleide Ferreira Palmerim – Assistente 2

Suzana Almeida Coelho – 4º Árbitro

Cláudio José – 5º Árbitro

Por Marcelle Nunes
Comunicação FAF

Site De Rocha completa 11 anos no ar

Parece que foi ontem, mas já faz 11 anos. O ano de 2009 foi bem legal, mas as duas coisas que mais gostei nele foram o show do Radiohead e a criação do blog De Rocha.

Incentivado por uma ex-namorada, comecei escrever na página virtual. Foi no dia 15 de novembro, há exatos 11 verões e um dia.

A gíria “De Rocha” nomeia este site porque nós, grande parte dos nortistas amapaenses e paraenses, a usamos quando queremos passar credibilidade sobre determinado assunto.

Na página, sempre publiquei fotografias, notícias, músicas, poesias, futebol, crônicas, contos, gifs, informes sobre fatos, eventos, pessoas públicas, bandas, arte, muita arte, e assuntos de interesse da população.

A promoção da cultura, em todas as suas vertentes, sempre foi o principal objetivo do De Rocha, além de expor meus pontos de vista, críticas leves e pesadas ou elogios amenos e exagerados aos que merecem. Foram tantos artistas, músicos, bandas, incontáveis eventos. Também publiquei textos do trampo por onde passei como assessor de comunicação. Além disso, falei muito da minha amada e preciosíssima família. E isso tudo misturando blá-blá-blá abobrístico, pois a vida sem humor é horrível.

Apesar da “internet soviética”, como diz o amigo jornalista Régis Sanches (ex-colaborador deste site), dos acusadores, fiscais e críticos, o De Rocha virou sucesso. Confesso que, quando comecei a escrever, nem imaginava que minha página virtual seria tão bem aceita. Isso aqui abriu portais, portas, janelas, gavetas e até alçapões em minha vida (risos).

Sei que rolou muito atrevimento, ironia, polêmicas, sarcasmo, verdades doloridas de se ler, alfinetadas, acidez e até bobagens de minha parte. Mas também rolou tanta homenagem, tanto amor real, tanta coisa legal. Claro que cometi alguns erros, não poderia ser de outro jeito. Mas tudo é aprendizado. Me arrependo de ter magoado algumas pessoas. De verdade!

Por aqui passaram vários colaboradores. Alguns deles nem são mais meus amigos, mas sou grato pelas contribuições. Cada um teve papel importante na formação deste espaço. Também agradeço aos parceiros que continuam por aqui. Em especial aos amigos Fernando Canto, Ronaldo Rodrigues, Jaci Rocha, Patrícia Andrade, Alcinéa Cavalcante, Luiz Jorge, Marcelo Guido e Marcelle Nunes, além do velho e saudoso Tãgaha Luz (In memoriam). Ah, os caras que fazem a manutenção do boteco: Rômulo Ramos e Laerte Diniz. Obrigado, meninas e caras.

O blog morreu há seis anos, quando foi criada esta página eletrônica (dados do antigo endereço foram migrados para cá). Passado todo esse tempo, mantenho-me como comecei: jornalista, assessor de comunicação, compulsivo por atualizações da página, cronista, crítico, ex-blogueiro e editor de um site ético sem rabo preso com ninguém (apesar de muita gente confundir o espaço dado a amigos assessores com favorecimento).

Tenho a ousadia de usar as palavras do escritor Caio Fernando Abreu: “acho que fiz tudo do jeito melhor, meio torto, talvez, mas tenho tentado da maneira mais bonita que sei”. Uma eterna luta do bem contra o mal dentro de mim, mas com 99% de vitórias da luz.

Ah, desculpem os palavrões em alguns textos, mas isso também é liberdade de expressão.

Muitas das crônicas de minha autoria foram reunidas em um livro, o “Crônicas De Rocha – Sobre Bençãos e Canalhices Diárias”, lançado em setembro passado (à venda na Public Livraria ao preço de R$ 30,00 ou comigo. Contato: 96-99147-4038).

Aqui a bola sempre foi minha. Você pode discordar, mas é isso o que penso e ponto. Com essa frase, agradei a maioria. Meu muito obrigado a vocês, senhores e senhoras que compõem o leitorado do De Rocha, sejam admiradores, críticos e detonadores (que de certa forma também são admiradores). Sigamos aplaudindo, criticando, discordando e incentivando as boas práticas. Valeu!

Elton Tavares

Após decreto municipal, FAF altera horários de jogos do Campeonato Feminino

A Federação Amapaense de Futebol (FAF) ajustou os horários dos jogos do Campeonato Feminino 2020 nos próximos dias para se adequar ao decreto da Prefeitura de Macapá que determina novas medidas de restrição para o enfrentamento da Covid-19.

O Decreto Municipal 3431/2020, publicado no dia 27/10/2020, restringe o funcionamento de atividades de esporte coletivo após as 20h, por essa razão, a FAF ajustou os horários de três dos jogos previstos para o período que compreende o decreto, mantendo os dias das partidas no Estádio Zerão.

Os jogos que terão o horário antecipado de 19h30 para às 18h são:

29/10 – E.C Macapá X Santana Esporte Clube

03/11 – Ypiranga X Oratório

05/11 – Trem X E.C Macapá

Antes do início da disputa, as atletas dos cinco clubes participantes passaram pela testagem de Covid realizada pela FAF, como determina a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

O jogo desta quinta-feira, 29/10, dá início à segunda rodada do campeonato. Ao todo, serão 13 jogos, com grande final prevista para o dia 26 de novembro.

Os portões do Estádio Zerão continuam fechados para as torcidas, mas a FAF TV transmite todos os jogos ao vivo através da plataforma online MyCujoo.

Marcelle Nunes – 98106-4232
Comunicação FAF

Hoje é o Dia do Flamenguista – Mengão, sempre!! #DiadoFlamenguista

Hoje é o Dia do Flamenguista. A data é comemorada em 28 de outubro, por ser o mesmo dia do padroeiro do Flamengo, São Judas Tadeu. São 40 milhões de torcedores em todo o mundo. Entre eles, nós aqui no Amapá. “Cada brasileiro, vivo ou morto já foi Flamengo por um instante, por um dia”, disse Nelson Rodrigues, fanático tricolor desprovido de vaidades clubísticas na hora de analisar futebol.

Como o amigo Sal Lima e seu filho Manoelzinho. Flamengo sempre!

O Flamengo possui a maior torcida do mundo. Aí dizem: “torcida não ganha jogo”. Talvez as de outros clubes não, mas a massa rubro-negra ganha, sim. A cidade mais populosa do mundo é Tóquio. E tem 34 milhões de pessoas. O Flamengo, sozinho, tem 40 milhões de torcedores. Se cobrasse impostos dessa massa, seria trilhardário. Não cobra, e vive devendo. Deve milhões, e isso não faz a menor diferença pra nós, nação de apaixonados pelo time.

Legal ter um Dia do Flamenguista; mas para quem é rubro-negro, todo dia é dia. Começa em 1° de janeiro e só acaba no dia 31 de dezembro.

Ser Flamengo é algo que não tem comparação. Eu não nasci assim, e nem ouso dizer se felizmente ou infelizmente. Flamenguista é aquele sujeito que ama o futebol acima do que ele proporciona. Aquele que não troca amor por resultados, e que não condiciona sua preferência por um ou outro jogador.

Meu irmão, Emerson, em Brasília (DF), antes de um jogo do Mengão no Estádio Mané Garrincha. Ele é o maior flamenguista que conheço.

Por isso, torcedores de outros clubes odiarem o Flamengo, é absolutamente justificável. Você não é Flamenguista? Não? Azar o seu!

Nos últimos anos, o brasileiro que gosta de futebol admirou os clubes da Europa, o campeonato inglês, a Champions League e seus craques. As campanhas do Flamengo de 2019 no Campeonato Brasileiro e na Libertadores fortaleceram nossa fé neste clube, pois somos os atuais campeões do Brasil e da América.

Além disso, são 125 anos na primeira divisão do futebol brasileiro, pois nós NUNCA caímos.

Neste dia, lembro-me do meu saudoso pai, Zé Penha – que nos incentivou a torcer para o Flamengo – e do meu irmão Emerson, que é o flamenguista mais fanático que conheço.

Flamengo sempre, até depois de morrer! Viva nós!

Elton Tavares