Feliz aniversário, Berna! (@BernadethFarias)

A jornalista, diretora de comunicação do Tribunal de Justiça do Amapá, poeta, mãe amorosa do Joab, filha dedicada, esposa apaixonada pelo Job e muito querida amiga deste editor, Bernadeth Farias, gira a roda da vida hoje.

A “Berna”, como todos a chamamos, é uma pessoa linda. Uma mulher bonita, muito inteligente e extremante competente e responsável. Sobretudo, um ser humano do bem.

Exemplo de profissional de comunicação, Bernadeth é exigente, competente e perfeccionista. A querida se garante como produtora, apresentadora, excelente repórter, redatora, radialista, cerimonialista, fotógrafa e está entre os melhores assessores de imprensa do Amapá.

Ela é “PHODA”, assim mesmo, com PH, silabicamente e em caixa alta. Antenada, perspicaz e sabidona, manja demais desse nosso trampo. Não à toa, conduz uma equipe competente há anos. Grupo esse moldado de acordo com seu alto padrão de qualidade. Admiro isso.

Nas horas vagas, Berna é cozinheira, cinéfila, leitora compulsiva, humorista do Twitter, viajante, maior devoradora de camarão no bafo e pipoca, além de campeã intergaláctica no consumo de água mineral em bares de Macapá.

Além disso tudo, ela é minha conselheira, confidente, parceira e irmã de vida. Vez ou outra ela puxa a minha orelha. E vocês acham que fico chateado? Não, nunca. Todos os ralhos que a Bernadeth me deu até hoje foram para a o meu bem. Sou grato à Berna por tanta coisa que é difícil listar aqui, mas ela sabe que eu a amo muito!

Querida amiga, parabéns pelo teu dia. Que tu sigas sempre iluminada por Deus. Tu és uma daquelas pessoas que o jornalismo me deu, que saiu do profissional e adentrou o coração deste gordo. Que teu novo ciclo seja ainda melhor e que tudo que caiba em seu conceito de vida plena se concretize. Feliz aniversário!

Elton Tavares

Hellen Cortezolli gira a roda da vida. Meus parabéns, nerdzinha! – @Cortezolli

Hoje a filha amorosa do Aécio e Lu, supervisora financeira da Walmart Brasil e minha querida amiga, Hellen Cortezolli, gira a roda da vida e muda de idade. Jornalista por formação, ex-blogueira, mulher bonita e inteligente, entre outras tantas coisas lindas que essa gaúcha é, me fizeram cair de amores por ela há quase uma década. Mas este amor não se trata do comum entre um cara e uma menina, mas sim de irmão mais velho para com a “nerdzinha”.

“Samoleca” sempre foi Phoda no que se dispôs a fazer. Trabalhamos juntos em 2010 na assessoria de comunicação do Governo do Amapá, quando nasceu essa amizade que perdura pelo tempo e distância física. Aliás, o tempo só fez bem a ela, pois Cortezolli está mais bonita, mais segura e eu orgulhoso dela. Sinto saudades de nossas conversas, de seu sarcasmo, do humor negro latente que contrasta com sua áurea boa dessa menina.

Ex-documentarista, fotógrafa, cinegrafista, editora de imagem, roteirista, atriz de teatro, além de ex- colaboradora deste site, Cortezolli é uma pessoa que está do outro lado do Brasil, mas sempre em meu coração. O importante que ela está feliz lá no Sul e eu sempre torço para a manutenção de sua felicidade.

Uma vez a Cortezolli escreveu em um texto: “amizade é uma relação ímpar, que pode ser par, ou multiplicável pelo infinito”. Boto fé. Sempre digo que amizade é um bem precioso e Hellen é um dos maiores desses tesouros que conquistei na vida.

Hellen, parabéns pelo teu dia. Você sempre está aqui e sempre estará entre as coisas mais lindas que o jornalismo me deu. Tua existência sempre vai orbitar a minha. Te amo. Feliz aniversário!

Elton Tavares

Hoje Dayane Simões gira a roda da vida. Feliz aniversário, prima. Te amo!

Pois é, hoje é o Dia da Gratidão, como explicado em outra publicação aqui neste site. Sou muito grato pelo amor, amizade, parceria e afeto de uma preta lindona que completa mais um ano de vida nesta abençoada data. Gira a roda da vida neste domingo a filha dedicada da Tatá e do Ita, nutricionista (área na qual possui mestrado em Portugal), servidora pública, professora universitária, viajante do mundo, humornegrista, boa de briga, tia e madrinha do Luís, comadre e amiga inseparável da Neo e minha muito amada prima, Dayane Simões.

Geniosa como poucos que conheço, amorosa (do seu jeito), inteligente, resolvida, prática, trabalhadora (muito trabalhadora), prestativa, honesta, brincalhona, afetuosa e super qualificada e competente. Assim é a preta. Além de uma mulher linda e sobretudo do bem.

Day faz parte das minhas memórias felizes. E bote memória afetiva aí. Sim, tivemos infâncias lindas, graças a Deus! Momentos guardados na cabeça e no coração. Mas também aprontamos muito nos últimos anos. Risos e alegrias com amigos ou só nós dois, é a nossa especialidade.

Amo a Dayane. Amo seu jeito à bruta, sua praticidade, sua forma de resolver as coisas e sua sinceridade. Ela é uma das pessoas especiais que tenho na vida. A preta é uma mistura de confidente, conselheira, amiga e psicóloga (risos). Confio nela de olhos fechados, pois sei que posso contar com ela. Aliás, Dayane me deu muito apoio em 2017, em vários momentos punks. Por mim estaria sempre com ela e ela comigo. A gente já foi mais grude e sinto saudades disso.

A gente não escolhe parentes. Escolhe amigos. E quando você tem amizade por alguém do que possui o mesmo sangue que você, é uma benção. Infelizmente isso é mais incomum do que se imagina.

Preta, tu sabes que podes contar comigo também. Fico feliz da sua existência orbitar a minha. Aliás, isso é muita sorte deste gordão. Que tu tenhas sempre saúde, grana, viagens inesquecíveis e tudo mais que couber no teu conceito de felicidade. Que teu novo ciclo seja ainda mais iluminado. Todo amor pra ti sempre. Meus parabéns pelo teu dia. Feliz aniversário!

Elton Tavares

A nonagenária mais linda e elegante do mundo completa 92 anos hoje. Feliz aniversário, vó Peró!

Começo este texto sem saber o que escrever. Não por falta de palavras ou sentimentos, mas pelo excesso de coisas lindas do propósito dessa mensagem. Nesta abençoada data, a nonagenária mais linda, cheirosa, educada e elegante do mundo completa 92 anos (com rostinho de 70). Sim, hoje é aniversário de Perolina Penha Tavares, minha amada avó Peró. Graças a Deus, ela gira a roda da vida mais uma vez. Sorte nossa, pois vovó é um ser de luz que nos une por meio do amor que ela emana.

Vovó é um mulher serena, coerente, lúcida, sábia, inteligente, justa, caprichosa, amorosa, discreta e forte. Um exemplo a ser seguido, pois é uma pessoa cem por cento do bem.

Todas a vezes que perambulo pelo passado, a Peró está lá me dando um conselho, um ralho, preparando alguma comida maravilhosa (ela é a melhor cozinheira deste sistema solar, seguida de perto da minha mãe, que aprendeu com a vovó) ou qualquer outra memória afetiva. A encontroada de Perolina e João Espíndola (seu marido e meu saudoso avô) nesta existência resultou no meu clã paterno, grupo de pessoas que muito me honra pertencer.

Mesmo com nossas saudades do vô e papai, afazeres e vida corrida de cada um, a Peró seguiu no centro de todos, sempre com sua delicadeza, saberes e amor. “Ouro de Mina”, no dito de Djavan. Aliás, também parafraseio o mesmo artista para definir vovó e nós em torno dela: “o amor é um grande laço”. É exatamente isso.

Sou o mais velho entre seus nove netos e três bisnetos. Tento ser presente, atencioso e dar um pouquinho do amor que recebi ao longo dos meus 42 anos. Nem sempre consigo, pois por conta do trabalho e das minhas loucuras, me tornei um pouco mais ausente da casa da vó. Porém, o amor nunca diminuiu, só aumentou. E quando é preciso, estou lá, junto, pra qualquer coisa.

Sempre digo que quem ultrapassa 80 carnavais é um privilegiado. No caso da “Peró”, que em sua trajetória marcou pela honestidade e dignidade, vê-la feliz e lúcida é uma benção. Afinal, chegar a nove décadas com cabeça boa e alegria é uma dádiva. Assim é a Perozinha, uma senhora sábia, de quem tenho a honra de descender e a sorte de ter o amor, que é recíproco.

Vovó me ensinou lições importantes sobre respeito, honestidade e a importância do cultivo do amor familiar. Sua participação na minha vida foi determinante para o homem que sou. Peró sempre me encorajou, fortaleceu, ralhou, parabenizou, aconselhou e consolou. Além de amor incalculável, nutro gratidão pela minha avó.

Peró, todos nós te amamos desmedidamente. Não tenho mais o que pedir a Deus para você, somente saúde para você continuar a ser essa senhora feliz que ilumina nossas vidas. Meus parabéns pelo seu dia, obrigado por tudo e feliz aniversário!

A verdadeira felicidade está na própria casa, entre as alegrias da família”. – Léon Tolstoi.

Elton Tavares

Feliz aniversário, Adê Belém!!

Hoje também é o dia de Adê Belém. Uma pessoa que tenho a honra de ser amigo há quase duas décadas.

Servidora da Embrapa-AP, bibliotecária, paraense torcedora do Paysandu, esposa do Anderson Miranda (The Clash), cristã que alia a fé à prática do bem, companheira de viagens inesquecíveis, Adê é mais que uma amiga. É uma irmã na vida. Já disse e repito: ela é uma das melhores pessoas que conheci nesta existência.

Adê é honesta, estudiosa, trabalhadora e persistente. Ela tem o respeito e admiração dos colegas de trabalho, da família e dos amigos. Aliás, nós não nos tornamos amigos da Adê. A gente simplesmente se apaixona por ela.

Para mim, Adê sempre foi uma confidente, excelente conselheira e ouvinte. Um verdadeiro anjo sem asas, mas que voa alto quando dança, quando ri, quando faz rir, quando nos orienta, nos acalma, quando derrama sua calma e sensatez sobre nossa maluquês crônica. Além de tudo isso, concordo com o Patrick: ela é “a menina mais elegante que conheço” .

Querida Adê, estamos com pouco contato nos últimos tempos, mas torço para que seja um período curto. Tu és do coração. Todo o amor dessa vida pra ti. Que teu novo ciclo seja ainda mais iluminado, produtivo e que tudo que caiba no teu querer se concretize. A gente te ama, de verdade.

Que tenhas sempre saúde e sucesso junto aos seus amores. Meus parabéns pelo teu dia. Feliz aniversário!

Elton Tavares

Hoje Lorena Queiroz gira a roda da vida. Feliz aniversário, prima. Te amo! – @LorenaadvLorena

Nós através do tempo. Te amo, prima!

Gira a roda da vida nesta terça-feira a mãe das lindas Marina e Olívia, esposa do Rodrigo Petrocchi, advogada, amante de MPB, Rock and Roll e Reggae, maior fã de Bukowski que conheço, apreciadora de cinema, literatura e cervejas tuíras, bons vinhos, entre outros adoráveis venenos que amamos, Lorena Queiroz. Além de minha prima, uma amiga de verdade que tenho nesta jornada.

Malandramente sorridente, dona de uma tenacidade, colocações viscerais, humor negro e ácido e comportamento irreverente, Lorena é uma espécie de Gregory House (no corpo de mulher), do seriado de mesmo nome. Ah, a “Loloca” também se tornou uma mãe de dar orgulho, pois acompanho sua vida de longe, pelas redes e pelos papos que levamos vez ou outra.

Com ela, vivi muita coisa. A gente bebeu além da conta, pirou demais (lembra daquela vez na carroceria da pick-up cantando “Vamos fugir”?). Nossas conversas nunca foram chatas. Pelo contrário, a gente ria de tudo. Até de nós mesmos. Sim, nos divertimos a valer. Foram muitas vidas em uma. Sinto tanta falta disso, Loloca. Tu nem imaginas o quanto.

Loloca e sua linda família.

Ela está presente em boa parte da minha memória afetiva. Seja na infância feliz ou na juventude doideira. Lorena sabe quem sou de verdade e eu o mesmo sobre ela. Claro que hoje em dia somos pessoas diferentes, mas acredito que melhoramos e muito nossas visões de mundo, pessoas e situações. Vira e mexe, falamos sobre isso e agradecemos não ter seguido por uma vida ordinária como muitos que conviveram conosco.

Fomos amigos inseparáveis. Pensei seria capaz de tudo para proteger a Lorena. Nem sempre fui. Chegamos a nos afastar, mas em algum lugar de um passado recente, com uma mensagem que dizia: “cara, não sei quando eu ou você irá morrer. Por isso, estou fazendo minha parte e entro em contato”, voltamos a nos falar. Naquela noite me deu um suor de alegria nos olhos.

Sinto falta da convivência constante, das incursões boêmias pelas ruas, dos papos legais e ilegais, até do estranho tremer dos olhos castanhos. Loloca é um daqueles afetos para sempre. Uma áspera irmã de quem lembro sempre. A saudade dessa doida varrida só ameniza pelo fato dela estar muito feliz, com seus sonhos se materializando a cada dia. E eu fico aqui, orgulhosão da sacana.

Com a Lorena, em 2016

Lorena, tu já dissestes que só a gente entende essa nossa história. Boto fé. Sabes que te amo pra caralho (leia-se intensidade). Que tua vida seja longa. Que teu novo ciclo seja ainda mais iluminado. Que Deus lhe mantenha sempre com saúde para caminhar com harmonia para a prosperidade junto dessa família linda que tens. Todo amor pra ti sempre. Meus parabéns pelo teu dia. Feliz aniversário!

Elton Tavares

Emerson Tavares gira a roda da vida hoje. Feliz aniversário, meu amado irmão!


Deus deve ter dito: “Godão, tu vais ser um nó-cego se depender somente do seu livre arbítrio, mas vou te dar uma força. Vou te enviar dois anjos da guarda para segurar tua onda nessa vida”. E assim nasci filho de Maria Lúcia e irmão de Emerson Tavares. Essa é a riqueza que tenho na vida. Alias, Merson é um cara PHO – DA, assim mesmo, com PH, silabicamente e em caixa alta. Hoje é aniversário dele.

O mano gira a roda da vida e completa 39 anos. Sou mais velho que ele três anos e meio, mas ele poderia ser o mais velho, pois consegue cuidar de mim de longe e sou tão grato a Deus por ser seu irmão.

O mano, pai amoroso da Maitê e marido apaixonado pela Andresa Ferreira, é a personificação da alegria, bom-humor, sagacidade e atitude. Não somente por causa dos seus 1,84 de altura, mas por uma uma porrada de coisas lindas, o tornam um grande cara. Sobretudo, um homem de bem.

Todo mundo ama o Emerson. Eu mais que a maioria. Todos o querem por perto, pois o grande sacana que ele é anima qualquer turma ou lugar. Assuntos não faltam quando estamos juntos. A gente fala e ri de tudo. Até de nossas merdas.

O cara possui uma presença de espírito ímpar. Merson usa humor, sabedoria e elegância como ninguém. O que faz dele uma figura diferente, agradável e engraçada. Ele também é fiel aos seus amigos. Apesar de tratar todos muito bem, sabe diferenciar brothers de verdade de chegados.

Tenho demais orgulho dele por tantos motivos que é difícil listar. Mas de forma resumida, pelo pelo pai exemplar que é; por ser um marido dedicado; pelo empresário de sucesso que se tornou; pela forma apaixonada que trata a família e pela total ausência de frescura nele. Entre outras tantas paideguices.

Já disse e repito: é uma lindeza ver a forma apaixonada como o Emerson vive, o seu amor pela filha, esposa, mamãe, a mim, à vó e aos amigos é um lance diferente e muito foda. Ele é um cara despudoradamente de bem com a vida e de uma energia positiva que irradia.

Sou um tanto cabeça dura, mas se o Merson me dá um papo, escuto. Quase sempre acato suas sugestões, pois ele coloca um pouco de ordem no caos. Não consigo mensurar o quanto amo esse cara. Sou muito feliz pela existência do Emerson orbitar a minha e vice-versa. Sem dúvida, ele é um dos meus maiores afetos, conselheiro, parceiro e tudo o mais que possa comportar as palavras “melhor amigo”. Os anos passam e minha admiração e amor por este sacana só cresce.

A vida tem tantos perigos, mas o meu irmão sempre me ajudou a passar por todos eles. Com o Emerson, sou invencível (eu atravessaria o inferno com ele ao meu lado). Juntos, a gente nunca perde, só ganha. Sejam mais amigos, mais momentos felizes ou mais lembranças porretas para o futuro. Uma parceria de 39 dezembros, firmada no amor!

Maninho, hoje inicias mais um ciclo nessa tua linda trajetória. Que tu tenhas sempre saúde pra cuidar dessa tua família linda; pra gente viajar e pirar em shows de Rock and Roll; para sermos o que formos sempre: os melhores amigos nessa vida (desconfio que fomos também nas passadas e seremos nas próximas). Enfim, que Deus continue a te iluminar. Todo o amor dessa vida pra ti, meu irmão. Te amo. Parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

“…Você meu grande herói,
Mais poderoso que o inimigo.
Você, constante amigo,
Meu distante companheiro.
Você, que o tempo inteiro
Não tem medo do perigo, não…” – Meu Irmão – Toquinho.

Elton Tavares

Marcelle Nunes gira a roda da vida hoje. Feliz aniversário, Celle! – @cellenunes

Era junho de 2011. Eu, a fotógrafa Márcia do Carmo e o cinegrafista Marcelo Lima, esperávamos o então ministro dos esportes no aeroporto de Macapá. Pauta concorrida e tals. Aí uma jornalista veio pedir informações. Eu era o assessor de comunicação responsável naquele momento. Era Marcelle Nunes.

Após sete anos e meio desse encontro, digo-vos, ali conheci uma das grandes amigas que tenho na vida. Hoje ela gira a roda da vida e completa mais um ano de vida intensa. Celle é como eu, pirada, mas “workaholic” (gíria em inglês que significa alguém viciado em trabalho), pois faço assessoria de comunicação e edito um site. Ela edita um jornal e ainda faz freelas. Gosto de gente que se garante e ela é uma dessas pessoas.

A gente é capaz de trabalhar três turnos e beber até alta madrugada. Se possível, pegar alguém e dormir somente 2h antes de recomeçar a rotina de trampo e sem fazer merda.

Celle é uma jornalista competente, talentosa, inventiva e desenrolada. Há tempos é editora-chefe do jornal A Gazeta (nem sempre concordamos no trabalho, mas separamos isso muito bem). Além de profissional fodona, ela é filha, irmã e amiga amorosa. Sobretudo uma mulher do bem.

Vez ou outra, a gente se encontra e atualiza os papos sobre nossas solidões no meio da multidão, amores mal resolvidos e cagadas feitas por ambos. Ela é uma espécie de amiga-confidente-revisora textual-parceira de birita e irmã minha.

A gente ri de tudo juntos, até de nossas besteiras, gordices e desventuras em série. Claro que são mais vitórias que derrotas. Tanto dela quanto minhas.

Marcelle Nunes sempre tem um bom conselho, uma palavra para levantar a moral ou somente uma pessoa de confiança para me escutar. Ela recarrega minhas forças a cada encontro nosso, seja um almoço ou uma bebedeira épica, sempre com um bom humor invejável e um sorrisão no rosto.

Já disse e repito, com uma inteligência acima da média e humor negro latente, ela tem o superpoder de sempre levantar o meu astral, nem que seja com um elogio ou uma tirada sagas de barato. Gosto de ter a Celle por perto. Da minha existência orbitar a dela e vice-versa.

Outra similaridade nossa é o excesso. A gente gosta de tudo muito. Seja comidas gostosas, cervejas geladas, paixões ou nossos famosos falsos amores.

Nesta vida, somos amigos há sete anos e meio, mas parecem 75. A gente se conhece bem e confia um no outro. Ela já me ajudou muito nos corres da labuta e eu nem dei tanta força para ela no trampo. Tento compensar isso fora do trabalho, mas nem sempre consigo. Celle é um desses anjos da guarda providenciais. A cavalaria que chega na hora exata ou aquele amigo que cai contigo batendo.

Marcelle é culta, impetuosa, tenaz, safa ( às vezes besta para oportunistas de sua boa vontade), prestativa, leal aos seus e pessoa que muito me honra ter a amizade, pois ela possui uma alma sensível. Paralelo a isso, é doida varrida, amalucada e parceira. Não à toa, amo essa mulher.

Celle, tu sabes que podes contar comigo para o que der e vier. Agradeço por tudo feito por ti até hoje. Sou mais grato ainda por entenderes que às vezes sou um chato da porra. Que teu novo ciclo seja ainda mais iluminado, produtivo e aprazível. Parabéns pelo teu dia e feliz aniversário!

Elton Tavares

Sal Lima gira a roda da vida hoje. Feliz aniversário, irmão!

Quem gira a roda da vida nesta sexta-feira (23) é um dos caras mais porretas que conheço. Bruto como poucos, mas justo, prestativo e fiel aos seus como pouquíssimos. Trata-se de um dos meus irmãos, o Sal Lima. O sacana completa mais um ano de vida com uma lista imensa de amigos, histórias hilárias e sempre com muita alegria que lhe é peculiar.

O ano era 2010, quando fui trabalhar na Assessoria de Comunicação do Governo do Amapá. Conheci muita gente firmeza naquela época, mas ninguém como o fotógrafo Sal Lima.

O marido da Ruth, pai de quatro caras, meio maranhense, meio tocantinense, pescador, boleiro, flamenguista, bicolor, amante de rock and roll e maluco das antigas, além de um dos maiores brothers que tenho, Manoel Lima de França é uma figura ímpar. Uma figura porreta e um homem de bem.

Desenrolado, parece sacar um pouco de mecânica, outro tanto de marcenaria e mais ou menos de eletrificação e encanação, apesar de ser totalmente desencanado. Malandramente, vive a driblar as adversidades que pintam no caminho com inteligência e bom humor. Muito humor, boa parte dele negro. Sal é safo e um amigo de verdade. Não tenho uma única memória infeliz ou lembrança de marcada do cara para comigo. Pelo contrário. Devo incontáveis favores a ele. Mesmo com a grande lista de desafetos, a minha quantidade de amigos continua extensa e o Sal é um dos mais valorosos.

O brother possui um carisma à bruta, que todos nós, seus amigos, adoramos. Gosto de estar com o Sal. A gente ri de tudo: dos outros, de nós, da vida. Nossa amizade surgiu profissionalmente e ultrapassou as barreiras do trampo.

Ah, já disse e repito: ele também é um profissional ético, competente, experiente e franco. Sal possui senso crítico, inteligência, lealdade, sinceridade e honestidade em alta escala. Ele é malandro, mas não pilantra. É coerente, mas não otário.

Sal Lima é aquele zagueiro que chega de carrinho e salva o iminente gol adversário. É o cara que faz o gol aos 49 do segundo tempo e ganha o campeonato. Sal é o cara que chega na voadora, que safa quando falta grana, acode quando quebra um carro, resolve se eu precisar de equipamento fotográfico ou faz um corre caso eu não possa ir. Sim, um amigo que vai muito além das mesas do boteco e com o qual sei que posso contar.

Além de sermos flamenguistas, gostarmos de rock, birita e boemia, outra afinidade com o Sal é o fato de não suportarmos babacas e folgados em geral.

Com toda certeza, Sal é um sujeito porreta e decente. Um cara do caralho (leia-se palavra de intensidade)! Nossa brodagem é de mão dupla e uma parceria imune a disse-me-disse e sem prazo de validade. Por ele sou capaz de bater ou apanhar sem titubear. Afinal, “amigo é aquele que o coração escolhe”.

Juntos, já botamos pra quebrar em noites incontáveis de etílicos excessos divertidos. Amizade é um bem precioso. E como é. Por tudo dito/escrito aí em cima e muito mais totalmente impublicável, nós amamos o Sal.

Mano velho, que tu tenhas sempre saúde para amar tua família linda. Que tenhas, pelos menos, mais uns 50 anos de pescarias, rodadas de cerveja ao som de rock, comemorações de títulos e vitórias do Flamengo e tudo o mais que lhe apraz. Que tu vires um velho sacana que conta histórias aos netos sobre as coisas boas da vida. Obrigado pela parceria de sempre.

Parabéns pelo teu dia e feliz aniversário, irmão!

Elton Tavares

Hoje é o dia de Márcia do Carmo. Feliz aniversário, Marcinha! – @carmomarcia

Quem muda de idade nesta terça-feira (18) é a melhor fotógrafa com quem já trabalhei, fotojornalista de olhar aguçado, cineasta, publicitária, empresária, trabalhadora e batalhadora: Márcia do Carmo. Geniosa, ultra-competente, bronqueira, braba, às vezes “cri-cri” (como também sou), Marcinha é uma pessoa pequena, mas de grandes qualidades. Ela é uma mulher do bem e uma das grandes amigas que fiz nessa profissão.

Claro que eu e Márcia já brigamos, discordamos sobre uma penca de coisas e até nos agulhamos vez ou outra, mas esses embates fazem parte de qualquer relacionamento e a amizade é um deles. Ela mora no coração deste gordo e acredito ser recíproco.

Já passei alguns perrengues com a Marcinha. A gente já trabalhou debaixo de chuva e sol, com ela já fiz viagens malucas em que cobrimos diversos tipos de pautas e em condições adversas. Nós caminhamos na lama, dividimos comida e cervejas pelas estradas e bares do Amapá. A gente se respeita, se gosta e, às vezes, se chateia um com o outro, mas nada que abale a parceria.

Ah, a Marcinha é boçal, mas pode. Ela sempre faz as melhores fotos, mesmo que reclame da falta de profissionalismo em torno de algumas situações, a broda sempre faz a parte dela e de forma brilhante. Do Carmo também é uma filha zelosa, uma tia amorosa, uma amiga prestativa e uma das irmãs que a vida me deu.

Dentro desses sete anos em que sou amigo da Márcia do Carmo, vivemos um turbilhão de sentimentos e situações. Por tudo dito, feito e não feito mutuamente, tenho respeito e forte amizade pela pequena grande mulher.

Parabéns pelo teu dia, Marcinha. Que tu tenhas sempre saúde e sucesso junto aos seus amores. Sabes que a gente (e aquele grupo de amigos mais próximos) te ama. Feliz aniversário!

Elton Tavares

Feliz aniversário, Anderson Miranda!

Como vocês estão cansados de saber, gosto de expor sentimentos como gratidão, amor, amizade, respeito, entre outras coisas legais aqui. Principalmente aos grandes amigos em seus natalícios. É muito porreta conviver com gente descolada, inteligente, honesta e tranquila. Hoje, um de meus afetos que é assim, muda de idade.

Hoje aniversaria o filho mais velho da dona Sabá e do seu Waldemir, gerente da Caixa Econômica Federal, marido da querida Adê, vascaíno e remista sofredor, pescador, amante de Rock and Roll, ateu mais cristão que conheço, companheiro de viagens, botecos e shows de rock, grande amigo e irmão de vida, Anderson Miranda. O nosso queridíssimo “The Clash” ou “Macaco”.

Éramos todos “moleques doidos” na época do bom e velho Colégio Amapaense. Uma parte desse pessoal, resolveu estudar, trabalhar e botar pra quebrar. Com uma história de batalho formidável, Anderson Miranda é um cara inspirador. Por sorte, conheci esse bicho e tenho o prazer de ser amigo dele há décadas.

Apesar de gostar de muita gente, sou de poucos amigos. Tô falando daqueles de verdade, que dá pra contar em qualquer hora ou situação. Anderson é sujeito querido por mim, pelo meu irmão e todos os nossos amigos. Desconfio que todo mundo gosta do cara, de tão gente boa que o “The Clash” é.

A gente bate uns papos bacanas sobre política, cultura, entre coisas legais. Mas também nos ofendemos carinhosamente por conta da rivalidade no futebol e falamos muita merda. Coisa de amigo é falar merda, hein?

Além de tudo dito (escrito) acima sobre o Anderson, ele tem um mais um diferencial: é um mestre em cuidar da própria vida. Sério. Se o cara não te ajudar, ele não te atrapalha. Nem com comentários ou julgamentos quando estás fazendo merda.

Os maiores prazeres da vida ainda estão no mundo offline. Um deles é estar na companhia dos amigos e o Anderson é um deles.Com inteligência acima da média, caráter incorruptível, prestativo, bem humorado e com um coração maior que ele, o Macaco é um figura PHoda. Eu nem sei se o The Clash saca o quanto gosto dele, mas neste caso, parafraseio o escritor Paulo Sant’Ana: “tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos”.

Anderson, mano velho, que tenhas sempre saúde, sabedoria e sucesso junto aos seus amores. O senhor é demais considerado. Não à toa, eu e Emerson (meu irmão que também é irmão dele) te amamos, sacana!

Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares, mas em relação ao Anderson, também falo pelo Emerson e pelo Patrick (que também dá o maior valor no Mac).

Feliz aniversário, Fernando Canto! – @fernando__canto

Todo dia 29 de maio é a mesma coisa: como vou redigir algo legal para um dos mestres da literatura e poesia da Amazônia? Sim, hoje aniversaria um dos meus heróis da velha arte de escrever.

Pois é, hoje está “de berço” o compositor, cantor, músico, jornalista, sociólogo, professor Doutor, poeta, contador de histórias, causos e estórias, contista e cronista brilhante, apreciador e incentivador de arte, sociólogo, imortal da Academia Amapaense de Letras, ícone da cultura amapaense, escritor “imparável”, boemista e presidente do Boêmios do Laguinho, marido da Sônia, amante do carnaval, biriteiro considerado, incentivador de todas as vertentes artísticas, embaixador do Laguinho, mocambo, membro fundador do Grupo Pilão, flamenguista e ex-atacante do Flamenguinho (time do Laguinho dos anos 60, onde segundo ele, o Bira Burro foi seu reserva), militante cultural e servidor da Universidade Federal do Amapá, além de grande e querido amigo meu, Fernando Canto. Ufa! É que ele é foda mesmo.

Fernando, ao escrever, emociona, joga luz na escuridão e a beleza no cotidiano amapaense. Além de textos com excelente resgate histórico, redige crônicas com alto teor de memória afetiva, faz da emoção poesia (como todos os grandes poetas) e abre caminhos dentro do imaginário mágico com sua ficção porreta. Sou fã do cara e muito me orgulha ser seu amigo.

Fernando é um cara ímpar. Um sujeito de bom trato, educado, ultrainteligente, desprovido da boçalidade comum entre intelectuais de alto nível como ele. Já disse em outro texto e repito: o cara é uma espécie de Forrest Gump e Big Fish (grandes contadores de histórias do cinema) do Laguninho e de Macapá. O amigo consegue sintetizar suas memórias e opiniões de forma clara, precisa e bem humorada. Ah, bom humor é uma de suas Marcas. É uma sensação prazenteira estar com o figura.

Com 17 livros publicados (de crônicas, poesia, contos) e mais um prestes a ser lançado; composições suas e outras com grandes nomes da música amapaense; ensaios teatrais, entre outras incontáveis contribuições para a cultura e resgate histórico do Amapá, além de cargos importantes ao longo de sua carreira, Canto é um ardoroso partidário da causa cultural tucuju. O “Cidadão Amapaense” mais amapaense que a maioria dos que aqui nasceram. Mesmo assim, há quem não lhe dê o devido reconhecimento, mas estes são “otaros” (risos).

A amapalidade deste paraense de Óbidos, criado no Morro do Sapo lá nos campos do Laguinho é retratada sempre com um talento sensacional. Concordo com o poeta Obdias Araújo, que, quando se refere a Fernando, sempre diz: “o maior escritor vivo do Amapá”. Para mim, com certeza!

Hoje o “Çanto” carimba 64 anos. Muitos passam a vida toda tentando alcançar pelo menos 10% do respeito, carisma, reconhecimento e, principalmente, conquistar a legião de amigos que o Fernando fez ao longo de sua jornada. Isso é para poucos.

Enfim, toda homenagem para Fernando Canto ainda é pouco. Para mim, símbolo de inspiração (e piração), coerência, bom senso, e amizade. Entre todas as certezas que o tempo me trouxe, a que ele é um grande homem de bem.

Canto, tu és Doutor não só na academia, mas na vida. A gente, teus familiares e amigos, te amamos, cara. É muito porreta ter você como companheiro de jornada. Que tenhas sempre saúde, uma longa vida (nada de ir para Caiena nos próximos 40 anos, no mínimo), e, se possível, mais sucesso.

Meus parabéns e feliz aniversário, querido Fernando!

Elton Tavares

Feliz aniversário, Bruno Mont’Alverne!

Alguns dos meus mais queridos amigos estão meio distantes de mim. Não por briga ou algo assim. É a vida. Cada um de nós está cuidando da sua, mas isso não diminui em nada o apreço que tenho por eles. Hoje uma dessas figuras roda o calendário.

Hoje aniversaria o pai do lindo Gabriel, marido da Isa, administrador, vascaíno, bicolor, meu antigo adversário de videogame, WAR e Dominó, filho caçula do casal querido Fernando e Sônia e baita cara porreta, Bruno Mont’Alverne, o nosso querido “Babolha”.

O Bruno se tornou um pai e marido exemplar. Não é mais o nosso amigo mais jovem e protegido por todos. É um grande cara, exemplo para muitos de nós, inclusive eu. Autêntico, pouco convencional, simples, sorridente, brincalhão, prestativo e fiel. Sinto saudade de quando tínhamos mais encontros, tanto dos pra jogar, quanto de nossas reuniões etílicas.

Sou amigo do Bruno há 20 anos e me orgulho disso. A gente anda afastado há um tempinho, mas esse cara mora no meu coração, de verdade. Bruno é trabalhador e responsável. Um cara do bem e um dos grandes amigos que fiz na vida.

Por ele já bati em pateta e ameacei uns dois ou três. E valeu a pena. Eu e Emerson amamos esse cara, que também é um irmão de vida. Aliás, juntos já aprontamos muito nesta jornada. É como a frase de Paulo Sant’Ana: “tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.”

Bruno, mano velho, que tua vida seja longa. Saúde e sucesso sempre junto aos teus amores é o que lhe desejo. Meus parabéns e feliz aniversário!

Elton Tavares

*Texto republicado, mas de coração. 

Feliz aniversário, Mariléia Maciel! (te amo, irmã) – @MarileiaMaciel

Hoje aniversaria uma das melhores profissionais de comunicação do Amapá e minha irmã de vida. Trata-se da jornalista, documentarista, produtora e assessora de comunicação, Mariléia Maciel. A Léia é uma mãe e avó amorosa e dedicada. Da mesma forma que foi filha, orgulhosa e apaixonada pelos pais que teve a sorte de ter (como dizia o jornalista Tagaha Luz, “gente de bem deixa rastros”). Mas é da minha amiga e colega de trabalho que vou falar. Pois ela é um dos grandes presentes que essa profissão me deu.

Pra começar, Mariléia é inteligente e divertida. Uma daquelas pessoas que você ri quando vê de longe. Além disso, é querida, pois alegra qualquer grupo que faça parte. Ah, a Léia é PHODONA no trampo. Sim, PHODONA! (Com Pêhaga mesmo e em caixa alta). Ela manja de rádio, TV , produção, roteiro, fotografia, tem um texto lindão e a melhor rede de relacionamento com a imprensa entre todos os assessores de imprensa que conheço. Já disse antes e repito: ela é um monte de coisas lindas em uma só pessoa.

O ano era 2011. Comecei a trabalhar com a Mariléia com muita desconfiança mútua. Dela comigo por talvez achar que eu não fosse capaz de dividir tamanha responsa (na época a gente dividia a hercúlea missão de fazer a comunicação do então governador do Amapá) e eu por acreditar que ela queria mandar em mim. Nós passamos muita coisa juntos com a fotógrafa Márcia do Carmo e o cinegrafista Marcelo Lima. Mas o bacana é que me tornei amigo dos três.

Claro que, às vezes, ela enrola, escamoteia, dá “dzar” e até me tira do sério com algum papo furado de ocasião. Mas os pequenos defeitos (sim, os meus amigos tem qualidades imensas e defeitinhos à toa) são somente vírgulas no espesso livro de amor que é Mariléia Maciel. A Léia é trabalhadora, competente, inteligente, divertidíssima, fiel aos seus e, sobretudo, uma mulher do bem.

Cidadã do samba e ilustre moradora do Laguinho, ela é a branca mais preta de que tenho notícia. Boemista apaixonada pelo Carnaval, extraordinária assessora cultural, uma das maiores divulgadoras do marabaixo, cronista inventiva, agitadora-humorista de grupos de WhatsApp, entre uma porrada de coisas admiráveis, Léia é uma figuraça!

Ela me ensinou a ser melhor como jornalista e como pessoa. Depois virou minha chefe na comunicação da Prefeitura de Macapá por um breve período. Nossos caminhos se distanciaram no trampo após isso, mas nunca fora dele. A gente sempre deu um jeito de nos reunir com a jornalista Gilvana Santos (outra irmã de vida), molhar a palavra e batermos nosso próprio recorde de risos.

Vez ou outra, nós nos chateamos um com o outro, mas faz parte da amizade sincera que temos. Por tudo dito/escrito aqui, hoje rendo homenagens a essa doida varrida. Que no meio dessa nossa louca vida de jornalistas, transborda afeto, parceria, e amor. Meus parabéns pelo teu dia, Léia. Não à toa, a gente te ama. Saúde e sucesso sempre. Feliz aniversário!

Elton Tavares