Com trio elétrico e bateria, Piratas da Batucada inicia levada de carnaval na orla de Macapá

Bateria e passistas da Piratas da Batucada na edição de 2019 da “Levada” — Foto: Divulgação

Por Rodrigo Juarez

A escola de samba Piratas da Batucada, última campeã do grupo especial do carnaval do Amapá, inicia a partir deste domingo (19) as apresentações da “Levada do Piratão”, onde ritmistas e passistas convidam o público para curtir samba e axé, entre outros sons, na orla de Macapá.

A levada vai ser atrás do trio elétrico com saída às 16h do Complexo do Araxá e percurso até a quadra da agremiação no bairro Santa Inês. Integrantes da bateria, intérpretes e casais de mestre-sala e porta-bandeira vão fazer performances e entoar os principais sambas de enredo para o público.

No carnaval de 2020, a Piratas da Batucada vai apresentar o enredo “Viagem à Terra do Nunca”, que promete um mergulho no universo fantástico das histórias estreladas por Peter Pan e outros personagens.

Serviço:

Evento: Levada do Piratão
Data: todos os domingos até o carnaval
Local: Complexo do Araxá (concentração)
Horário: 16h
Entrada: franca

Fonte: G1 Amapá

Piratas Estilizados oficializa adesão do movimento LGBTQ+ ao desfile deste ano

Foi imediata a identificação da comunidade LGBTQ+ com o enredo “Xô Preconceito, Queremos Respeito”, de Piratas Estilizados para o Carnaval 2020, contra toda forma de preconceito e discriminação e por uma sociedade mais igual. A participação no desfile da escola mais querida do bairro do Laguinho será oficializada neste domingo (19), no Bar do Villa, pela Diretoria Estilizada com representantes do movimento e dos Conselhos Estadual e Municipal dos Direitos LGBT.

O evento vai contar com a apresentação da bateria Orquestra de Bambas Luiz Tostes, casal de mestre-sala e porta-bandeira, ala musical, passistas e comunidade alaranjada. “É um momento importante para nossa agremiação poder formalizar essa participação de uma comunidade que luta diariamente por uma sociedade com mais respeito aos desiguais”, manifestou o presidente do Grêmio Recreativo Escola de Samba Piratas Estilizados, Diego Cearense.

Uma das incentivadoras dessa união foi a jornalista Ana Girlene, em conversas com o Diretor de Carnaval, Heraldo Almeida. A madrinha da Parada Gay de Macapá, destacou que o desfile do Estilizado vai ter uma ala que será a representação dessa grande manifestação de luta pelos direitos humanos que é a Parada do Orgulho LGBT, mostrando toda sua força e representatividade em todas as cidades onde acontece, e que no Amapá, a cada ano, cresce mais.

André Lopes e Simone de Jesus, presidentes do Conselho Estadual e Municipal dos Direitos LGBT, respectivamente, também conversaram com a diretoria da escola e se uniram à comunidade de Piratas Estilizados por entenderem a importância em fazer parte da maior manifestação cultural do país. As lideranças destacaram que o enredo não é pauta somente da população LGBT, mas também das pessoa com deficiência, vítimas de racismo, de violência contra a mulher, dentre outras formas de discriminação que o enredo reencontra tudo isso e leva para a avenida do samba.

“Para nós do Conselho Estadual LGBT é ter a certeza de que essa escola, que nasceu em um bairro de negros, reforça sua existência e sua resistência nessa luta diária contra toda forma de discriminação. Não estamos firmando uma parceria, estamos apenas nos reencontrando, simplesmente no amor, no afeto e na luta por uma sociedade justa e igualitária, uma luta que para nós é diária.

A apresentação de Piratas Estilizados acontece a partir das 17h, deste domingo (19), no Bar do Vila, que fica na av. Mendonça Furtado, entre as ruas Eliezer Levy e Odilardo Silva, no Centro.

Gilvana Santos
Diretoria de Comunicação Estilizados

Novo Mercado Central contribui no fomento do comércio local

Na última quinta-feira, 16, o novo Mercado Central foi reaberto e entregue à população de Macapá. Os empreendedores tiveram um saldo muito positivo, é o que conta a comerciante Socorro Lopes. “O meu trabalho é com comida fitness e está tendo espaço para todo mundo, porque a tendência de um Mercado Central é diversificar. Já consegui nesses dias um lucro de 50%, estou muito satisfeita”, pontuou.

Os empreendedores passaram por capacitações, como manipulação de alimentos, inovação de cardápio, higienização, entre outros, através da parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Amapá (Sebrae). O espaço, que foi revitalizado, tem como novidade a praça de alimentação, que conta com 63 boxes para a comercialização de alimentos.

Nesses dias iniciais de funcionamento já conseguiram ter um lucro positivo nas vendas, que contam com uma variedade de produtos como doces, salgados, o tradicional peixe frito com açaí, além de um novo espaço para venda de produtos fitness.

Maicom Costa trabalha com venda de doces. Ele conta que o movimento de clientes está sendo grande. “Preferimos mudar do segmento tradicional de vendas dos produtos que tem no mercado e estamos tendo uma boa receptividade do público em relação ao que vendemos, como doces e sorvetes. De aproveitamento, conseguimos 80% nesses primeiros dias”, explicou.

O empreendedor Jorge Nascimento Sadim, que comercializa salgados, ressaltou que na inauguração conseguiu vender todos os seus produtos. “Nesses dias, estou tendo um bom faturamento. Os clientes estão gostando e dizendo que irão voltar”, explicou.

O movimento na inauguração foi intenso e positivo para as vendas do comerciante Erick Santos, que trabalha na área dos salgados e produtos saudáveis. “Na reabertura, conseguimos um lucro de 70%. O movimento de clientes foi grande e esperamos que continue assim. No momento, estamos com um lucro de 40%”, contou.

Mercado Central funciona de domingo a domingo, das 6h às 20h, e fica localizado na Rua Cândido Mendes, Centro.

Amanda Bastos
Assessora de comunicação/PMM
Fotos: Nayana Magalhães

Espetáculo Novo Amapá será apresentado dia 25 de janeiro no Teatro das Bacabeiras

Para marcar os 39 anos da Tragédia do Novo Amapá. A CIA Super Nova irá trazer um novo olhar sobre o maior naufrágio fluvial da história brasileira, o espetáculo acontecerá sábado, 25, no Teatro das Bacabeiras, a partir das 20h.

A peça é apresentada desde 2012 pela CIA SUPERNOVA que traz uma visão artística e poética sobre o maior naufrágio fluvial da história brasileira.

A montagem é baseada no texto “Triste Janeiro” do jovem ator e dramaturgo Joca Monteiro que através de poemas homenageia todos os envolvidos naquele acontecimento.

Além da poesia, a peça tem influência da dança e do teatro físico. Ela conta ainda com inserção de vídeos e é construída por meio de diversos processos de experimentações artísticas coletivas.

Na peça o público terá contato com os sonhos e encantos da infância onde o “puc puc puc” do barquinho de miriti dá ao homem o prazer da libertação e as águas tornam-se a porta para descobertas.

Acidente

O acidente ocorreu no dia 6 de janeiro de 1981 no Rio Cajarí (proximidades da fronteira entre o Estado do Amapá e Pará) quando a embarcação homônima ao espetáculo naufragou deixando mais de 600 vítimas.

Ficha Técnica
Direção e Produção: Marina Beckman
Texto: Joca Monteiro
Direção de Arte e iluminação: Paulo Rocha
Sonoplastia: Otto Ramos
Elenco:
Jhimmy Feiches
Hayam Chandra
Pedro Inajosa
Fernanda Amaral
Maria Rosa
Luz Magalhães
Márcia Fonseca

Serviço:

Espetáculo “Novo Amapá”�
Data: 25 de janeiro (sábado)�
Local: Teatro das Bacabeiras�
Hora: 20h�
Ingressos: 10,00(inteira) / 5,00 (meia)�
Classificação: Livre�
Informações: ‪(96) 99144-5442

Teatro das Bacabeiras passará por modernização interna

Foto: Camila Karina

Por Henrique Borges

Na segunda-feira, 20, às 16h, o Governo do Amapá vai anunciar o início do processo de modernização interna do Teatro das Bacabeiras e lançamento do edital do Programa Circula Amapá. O evento será nas escadarias do teatro. O recurso é de R$ 2,3 milhões para a reforma e modernização da estrutura do prédio e de R$ 1 milhão para a premiação de projetos artísticos e culturais, vencedores do edital do novo programa.

O Governo do Amapá, por meio da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf) e Secretaria de Estado da Cultura (Secult), com articulação do presidente do Congresso Nacional, Davi Alcolumbre, acessou recursos junto ao Governo Federal para as intervenções no ponto turístico histórico.

Para a modernização interna do teatro, há emendas da bancada federal e do senador Davi Alcolumbre, esta, na ordem de R$ 1.869.731,80, mais a contrapartida do Estado.

Foto: Henrique Silveira

Dentre os serviços, estão:

Novas poltronas e carpetes;
Iluminação;
Catracas;
Equipamentos de informática,
Móveis e softwares.
Circula Amapá

O Programa Circula Amapá será para valorização e fortalecimento de projetos artísticos e culturais do Amapá, com a aplicação de R$ 1 milhão para fomento de 135 projetos e 891 artistas, nos 16 municípios do estado, nos segmentos de: artes visuais, teatro, música, literatura, cultura popular, dança, artesanato, audiovisual e circo.

O recurso para o programa é resultado de emenda apresentada pelo senador Davi Alcolumbre, mais contrapartida do governo estadual.

O projeto consiste em um programa de reconhecimento, valorização, potencialização e premiação de agentes da cadeia produtiva da cultura e das artes, cujas ações no campo da produção, difusão e consumo promovem a circulação de conteúdos artísticos e culturais, favorecendo a criação de um ambiente de livres-trocas entre os mesmos, possibilitando a profissionalização da cultura e das artes, a geração de emprego e renda e o aperfeiçoamento técnico e estético de suas futuras produções.

Programação:

A apresentação do projeto de intervenção no Teatro das Bacabeiras acontecerá nas escadarias do teatro, e vai contar com programação cultural. Confira:

Adilana Agda – música
Wilson Cardoso – literatura
Tom D.C – artes visuais
Grupo de Dança Pérola do Oriente
Grupo de Capoeira “Uma história de Lutas e Conquistas”
Grupo de Marabaixo: Estrela do Renascer.

Inscrições para o Processo Seletivo da Unifap para 2020 encerram dia 20 de janeiro

A Pró-Reitoria de Ensino e Graduação (PROGRAD) da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) tornou público, em dezembro de 2019, o edital para o ‘Processo Seletivo 2020’ (PS) que irá selecionar os candidatos para ingresso nos cursos de graduação, Campus Marco Zero – Macapá, no ano letivo de 2020.

O período para realização das inscrições iniciou no último dia 19 de dezembro de 2019 e irá até às 23h59 do dia 20 de janeiro, exclusivamente, no pelo endereço eletrônico: www.unifap.br/depsec. O candidato estará isento da taxa de inscrição.

São 700 vagas para Campus Marco Zero, de um total de 1.400. As vagas restantes serão destinadas ao Sistema de Seleção Unificada do Ministério da Educação (SISU). Um dos pré-requisitos concorrer é ter realizado o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2019 ou 2018, e concluído o ensino médio ou o equivalente, até o período de efetivação da matrícula nesta instituição.

Fonte: Unifap

De conversas significativas … – (Darcilene Araújo, sobre a reabertura do Mercado central)

Por Darcilene Araújo

Estive na reabertura do Mercado central. Este que é um espaço que faz parte da história do Estado e, especialmente, da Cidade de Macapá.

Fiz questão de estar lá por dois motivos: o primeiro por amar este lugar onde nasci e fiz questão de voltar pelo vínculo familiar e pelo acolhimento que as pessoas tem com quem é e não é dessa terra.

O segundo motivo é consequência do primeiro e por um propósito de vida.

Meu pai enquanto viveu, contribuiu com muito trabalho para o desenvolvimento de Macapá e hoje todos os filhos contribuem pra que isso aconteça também. Eu, em particular, gostaria de contribuir mais.

A reabertura de um espaço como o Mercado Central é sentir a presença do meu pai (na lembrança), Raimundo Nascimento de Araújo, conhecido como Batista – ele fundou a Indústria de Móveis Nossa Senhora do Perpétuo Socorro – é voltar à infância, é dar significado à vida.

Aliás, os significados da vida vem de diferentes formas: por meio do trabalho, das relações que construímos ao longo da nossa jornada, pelo bem que fazemos, pela iniciativa, pelo valor que damos às pessoas.

Quero destacar a iniciativa como o “fazedor de milagres”. Vejo na revitalização de espaços da nossa história na renovação das pessoas e dos mais nobres sentimentos. Nossa identidade se revitaliza e isso só acontece quando temos propósito de vida e esses propósitos convergem para o coletivo e se converte em economia e meio ambiente mais fortes e a comunidade mais valorizada.

Felizmente alguns espaços revitalizados de Macapá, a exemplo do Bioparque também, têm trazido junto sentimentos muito positivos de alegria, esperança, lembrança, valor, orgulho.

Tenho certeza que esses sentimentos não são privilégio meu.

Meu reconhecimento pela iniciativa que revitalizou nossa identidade e nossa esperança!

* Darcilene Araújo é servidora do Sesi/AP.

Ex-presidente da ALAP retorna ao polo passivo em ação de improbidade administrativa movida pelo MP-AP

Em decisão proferida nessa sexta-feira (17), a juíza Alaíde de Paula, da 4ª Vara Cível de Macapá, determinou o retorno do ex-deputado Moisés Souza ao polo passivo em Ação de Improbidade Administrativista, interposta pelo Ministério Público do Amapá (MP-AP), no ano de 2016.

O ex-presidente da Assembleia Legislativa do Amapá (Alap) havia sido retirado da ação, alegando que à época do oferecimento da denúncia (resultado da operação Eclésia), Moisés estaria no exercício da Presidência da Casa de Leis, o que obrigaria o ajuizamento da ação pela Procuradoria-Geral de Justiça.

Ao consultar os arquivos da Alap, no entanto, ficou demonstrado que Moisés Souza estava afastado do cargo de presidente quando a Promotoria de Defesa do Patrimônio Público ingressou com a referida ação, não havendo, portanto, qualquer impedimento para a atuação de um promotor de Justiça.

Nesse sentido, a magistrada determinou o retorno do denunciado Moisés Souza para o polo passivo da ação, a fim de que possa responder pelos atos de improbidade administrativa, praticados no exercício do mandato parlamentar, resultando em grande prejuízo aos cofres públicos.

SERVIÇO:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: asscom@mpap.mp.br

Comunidade do Ariri recebe luz elétrica 24 horas por meio do Programa Luz para Todos

Articulado pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre, em parceria com Governo do Amapá, Prefeitura de Macapá e Eletrobras/Eletronorte, foi inaugurado nesta sexta-feira, 17, os primeiros mil pontos de ligações do Programa Luz Para Todos, do Governo Federal, que irão contemplar várias comunidades como Águas Verdes, Curralinho e Porto do Céu. São 187 pontos de ligação só na comunidade do Ariri.

De acordo com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, a energia elétrica é fundamental para o desenvolvimento e qualidade de vida da população. “É com grande felicidade que entregamos hoje esse ponto inicial aqui na comunidade do Ariri, que agora conquista esse momento. A energia elétrica traz consigo mais desenvolvimento, mais educação, mais saúde e mais qualidade de vida ao povo”, destacou.

Segundo o prefeito de Macapá, Clécio Luís, o Luz Para Todos possibilita melhorar ainda mais os equipamentos nas comunidades. “A energia elétrica faz toda diferença na vida de qualquer cidadão, mas, principalmente, na vida de uma criança, que precisa estudar e tem enormes desafios como barulho de gerador, com má iluminação. Com a chegada do programa é possível equipar melhor o posto de saúde, a escola, o trapiche. Parabenizo a iniciativa do senador Davi Alcolumbre e ao presidente da Eletronorte, Parucker, por trazer desenvolvimento onde mais precisa”, ressaltou.

O Luz Para Todos é uma ação do Governo Federal, por meio do Ministério de Minas e Energia, com coordenação técnica da Eletrobrás. No Amapá, é coordenado pela Eletronorte, que já realizou mais de oito mil ligações em todo o estado. O presidente Roberto Parucker relembrou um depoimento de um funcionário da empresa que o emocionou. “A Eletronorte trabalha com grandes operações, faz subestações imensas, mas o mais importante é possibilitar luz na casa das pessoas, e com ela o sinônimo de saúde, de trabalho, de bem-estar. Esse é um momento de mudança na vida da população do Ariri’, explicou.

Para o presidente da Associação de Moradores do Ariri, Marciliano Miranda, a parceria entre as lideranças beneficia a população, “Era isso que a gente estava precisando. Hoje, só temos a agradecer ao presidente Davi, ao prefeito Clécio, ao governador Waldez, a todos da empresa. Agora, a comunidade poderá melhorar e muito com a chegada da energia”, comentou.

Estiveram presentes na ocasião o governador do Amapá, Waldez Góes, o vice-governador, Jaime Nunes, deputados estaduais Jesus Pontes, Paulo Lemos; deputados federais André Abdon e Luiz Carlos; o prefeito do município de Ferreira Gomes, Divino Rocha, entre outras autoridades.

Amelline Borges
Assessora de Comunicação/PMM
Fotos: Max Renê

Sobre o extinto Bar da Euda

Vez ou outra, gosto de reviver momentos ou lembrar de locais marcantes de Macapá, meu lugar no mundo. Afinal, “relembrar é rememorar”, como diz o poeta Fernando Canto.

Isso dentro do meu estilo de vida, pois amo a boemia. Hoje falarei um pouco sobre o extinto Bar da Euda, estabelecimento comercial que foi meio restaurante (durante o dia) e boteco raiz no centro da capital amapaense.

Hoje é sexta-feira, dia de tomar uma e de lembrar do Bar da Euda, estabelecimento que ficava localizado no centro de Macapá. Foi desde os anos 70, até 2013 (dona Euda faleceu em 2013 e seu filho, Miguel, conseguiu manter o bar até 2014) um espaço democrático para os halterocopistas se deliciarem com cervejas enevoadas, a tradicional cachaça de cravinho, tira gostos variados e a especialidade da casa, o “tempurá de camarão”, uma iguaria sem igual.

Lá éramos muito bem tratados pela saudosa dona Euda, o preço era justo e os frequentadores eram quase todos amigos. O Bar possuía bom atendimento, não tinha garçom de mau humor e banheiros sempre limpos. Ah, o bar não era sofisticado, tinha o modelo clássico de boteco, com mesas que invadem as calçadas.

Saudades de beber lá com o jornalista Tagaha Soares (que também virou saudades), o escritor Fernando Canto, meu herói literário tucuju ou gênio dos botecos Fernando Bedran (meu irmão diz que ele é melhor para tomar cerveja do que tira-gosto de charque), era festa!

Conheci figuras que molhavam a palavra por lá há mais de 30 anos. O Bar foi frequentado por biriteiros brancos, pretos, intelectuais, pseudointelectuais, religiosos, ateus, políticos, apolíticos, etc. Todos sempre de bem com a vida.

Enfim, o Bar da Euda foi um local aconchegante e sem frescura. Por lá, conversávamos sobre cultura, política, filosofia e sacanagem. Alguns até traçavam planos mirabolantes para dominar o mundo. Devaneios comuns nos botecos.

Muitas saudades da dona Euda, do bar e do bate papo descompromissado com a galera depois do trabalho, quando afogávamos o stress com boa bebida e companhia porreta, em um bar paidégua!

Há certas memórias que são como pedaços da gente, em que não podemos tocar sem algum gozo e dor, misturas de que se fazem saudades” – Machado de Assis.

Elton Tavares

Macacoari recebe primeira corrida em homenagem a São Sebastião

As estradas da Comunidade do Carmo do Macacoari serão as pistas principais para a realização da “I CORRIDA DO CARMO DO MACACOARI”.

O evento esportivo inserido pela primeira vez na programação das festividades em louvor a São Sebastião, acontecerá na manhã do dia 19 de janeiro de 2020, no domingo, às 06h:30min.

Pessoas interessadas em participar da corrida deverão fazer suas inscrições pelo site www.centraldacorrida.com.br ou de maneira presencial na Loja Fox Time, na avenida Presidente Vargas, no bairro de Santa Rita, em Macapá.

A corrida que foi idealizada pelo ex jogador de futebol e filho da comunidade, Zezinho Macapá, terá um percurso de 5km, com largada em frente à igreja de São Sebastião, passando pela estrada de terra batida, e tendo seu retorno na Comunidade do Caiçara. “Precisamos trazer pessoas para conhecer nossa comunidade e nossa história e essa corrida fará esse papel, ela acontecerá todos os anos como parte da Festa de São Sebastião, quanto a mim só quero deixar minha contribuição para a comunidade que meus avós e bisavós ajudaram a construir”, disse Zezinho Macapá.

A História da festividade de São Sebastião

A Comunidade do Carmo do Macacoari está localizada a 115km de distância da Capital Macapá. A região é parte do Município de Itaubal do Piririm e seu principal acesso se dá pela Rodovia AP 70. Desde sua criação no século XIX até o início do século XX, parte da região tem como aquecimento econômico, a criação de gado bovino, sendo este fenômeno, a gênesis principal das festividades de São Sebastião.

A história começou há 110 anos, quando o cavalo “Pé de Valsa” do vaqueiro Januário Apurema adoeceu, e para restabelecer a saúde do animal, Januário faz uma promessa à São Sebastião e com a graça alcançada, desde então, todos os anos, a Vila do Carmo do Macacoari é palco de uma das maiores festas populares da região, com novenário, missa, torneios, atividades esportivas, procissão, brincadeiras, corrida de cavalo e o tradicional baile, reunindo em um só lugar, visitantes de todo Estado do Amapá e da Amazônia.

Também foi em uma das festividades de São Sebastião no Macacoari, que no dia 21 de janeiro de 1958, um acidente aéreo, o primeiro ocorrido na história do ex território do Amapá, ceifou as vidas do Deputado Coaracy Nunes, do Promotor Hildemar Mais e do piloto Hamilton Silva.

Hoje em homenagem às vítimas do acidente, logradouros, ruas e avenidas de Macapá e de outros munícipios do Estado recebem os nomes das referidas personalidades, e tramita na Assembleia Legislativa de autoria da deputada estadual Cristina Almeida/PSB-Ap, um requerimento para transformar o espaço onde encontram-se os restos dos destroços da aeronave, um monumento em memória às vítimas, bem como, um espaço para visitação turística.

A Vila do Carmo do Macacoari, tem um enorme potencial turístico. Fazendo parte do cenário amazônico é possível desfrutar de suas belezas naturais em passeios de barcos pelo Rio Macacoari e encontrar ninhais de pássaros, botos, igarapés, lagos, fazendas, e uma diversidade de iguarias e banhos, misturado as lendas e místicas da região.

Fotos: Joelma Menezes
Texto: Cláudio Rogério
Assessoria de Comunicação

Brasil registra mais de 200 ataques contra jornalistas em 2019

De acordo com o relatório Violência contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa no Brasil, divulgado ontem (16) pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), em 2019 foram registrados 208 ataques a veículos de comunicação e a jornalistas. O dado representa um aumento de 54,07% em relação ao ano anterior, quando foram registradas 135 ocorrências.

O levantamento aponta que o presidente Jair Bolsonaro foi o autor de 121 ataques em 2019, o equivalente a 58,17% do total de 208 casos registrados no ano.O relatório mostra que, em 2019, houve dois assassinatos, 28 casos de ameaças ou intimidações, 20 agressões verbais, 15 agressões físicas, dez casos de censura e outros de impedimentos ao exercício profissional.

Segundo a Fenaj, os políticos foram os principais autores de ataques a veículos de comunicação e jornalistas. O relatório registra 144 ocorrências que representam 69,23% do total, destas 114 foram tentativas de descredibilização da imprensa.

Veja o relatório AQUI.

Fonte: Metro e Fenaj

Inicia fase de implementação do Planejamento Estratégico 2020 – 2029 do MP-AP

Ao iniciar o novo ano, as atividades do Planejamento Estratégico foram retomadas com um cronograma de reuniões, envolvendo todos os setores do Ministério Público do Amapá (MP-AP), para que recebam orientações sobre a elaboração do Plano Geral de Atuação (PGA).

Essa fase é da maior relevância, pois materializam as iniciativas estratégicas apresentadas ao final do ano passado, que agora serão adaptadas em Projetos Estratégicos ou transformadas em processos, conforme definido pela cadeia de valor da instituição.

“O processo é a forma como os indivíduos de uma organização atuam para entregar os serviços que os seus clientes demandam. No nosso caso, estamos falando das demandas da sociedade”, explicam os técnicos da Comissão do Planejamento Estratégico (CPE), atualmente coordenada pelo promotor de Justiça João Furlan e gerenciada pelo promotor de Justiça Paulo Celso Ramos, respectivamente, chefe de Gabinete e secretário-geral do MP-AP.

Nessas reuniões de alinhamento e orientação realizadas na sede da Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ), localizada no bairro Araxá, a mensagem de unidade e integração entre todos as áreas do MP-AP vem sendo fortalecida, como parte de uma nova cultura institucional, reorientada pelo novo Mapa Estratégico e seus objetivos.

Outras atividades estão previstas ainda para o primeiro bimestre, como o Programa de Desenvolvimento de Líderes implementado pelo Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional – CEAF, com objetivo de formar lideranças com foco na gestão estratégica e a governança pública, temas que serão abordados no workshop de Inteligência Emocional, no dia 7 de fevereiro.

Serviço:

Ana Girlene
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: asscom@mpap.mp.br

Tecnologia auxilia arqueólogos em pesquisas no Amapá

Acordo de cooperação entre Ecam e IEPA tem novo encontro, dando continuidade ao processo de capacitação de profissionais da arqueologia

A equipe de Arqueologia do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (IEPA) está aprimorando suas pesquisas por meio do uso de ferramentas tecnológicas de geoprocessamento. Na próxima semana (20 a 24 de janeiro), eles participam de mais uma etapa do curso de Sistemas de Informações Geográficas (SIG), desenvolvido especialmente para a equipe do Núcleo de Pesquisa Arqueológica – NUPArq.

A iniciativa é fruto da parceria selada com a Ecam, no fim de 2018, e que se estenderá até 2020. Levando toda sua expertise com mapeamentos colaborativos, SIG e o uso de ferramentas Google, como Google Earth e ODK, a Ecam está desenvolvendo, junto com os pesquisadores/as do IEPA, uma metodologia de aplicação do SIG à Arqueologia. A Ecam tem sido vanguardista no uso da tecnologia em benefício da Amazônia, principalmente no que compete aos povos tradicionais da floresta, dentro de seu programa Sharing Worlds (Compartilhando Mundos), financiado pela Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid).

Este encontro marca a fase final da segunda etapa, focado principalmente na criação e gerenciamento de banco de dados espaciais e metodologias. Com isto, os arqueólogos conseguem otimizar suas pesquisas, modernizar os processos e torná-los mais efetivos. Além disso, os profissionais se tornam mais autônomos, dispensando a terceirização dos mapeamentos de pesquisa.

Para a geógrafa Muryel Arantes, coordenadora de projetos da Ecam e responsável pela iniciativa, a cooperação científica valoriza e fortalece a pesquisa feita no Amapá. Mas principalmente, colabora para a preservação do patrimônio, cultural do bioma. “Nossa maior missão, enquanto equipe, é promover ações inovadoras motivadas pelo interesse da sociedade, agregadas às novas tecnologias e alinhadas à conservação do meio ambiente. Então, quando trabalhamos com arqueólogos e arqueólogas do IEPA, sentimos que estamos em sintonia com o principal objetivo do nosso trabalho nos estados amazônicos”, destaca.

SERVIÇO

Curso de Sistemas de Informações Geográficas aplicado à Arqueologia
Data: 20 a 24/01
Local: NuParq/ IEPA – Avenida Feliciano Coelho, 1509 – Trem, Macapá (AP)

Mônica Marques
PREZZ COMUNICAÇÃO
Assessoria de Imprensa
61 98251-9821 61 99514-5393