Blitz educativa em Santana chama a atenção para sinais e sintomas do câncer infantojuvenil

Nesta quinta-feira, 23, a Prefeitura de Santana, junto a ONG Carlos Daniel, realizará blitz educativa em quatro pontos da cidade em alusão ao Setembro Dourado. A ação busca conscientizar a sociedade em geral sobre a importância de se atentar aos sinais e sintomas do câncer infantojuvenil.

As blitzen contarão com distribuição de folhetos e orientações informando os cidadãos santanenses. As atividades vão acontecer das 08h às 11h, nos seguintes pontos da cidade:

• Avenida Santana (em frente ao portão da Icomi).
• Rodovia Josmar Chaves Pinto (UBS Igarapé da Fortaleza)
• Rua Salvador Diniz (Hospital de Santana)
• Rodovia Duca Serra (IFAP)

O Setembro Dourado em Santana teve a sua abertura no último dia 09 de setembro e desde então várias ações foram realizadas pela Prefeitura e pela ONG Carlos Daniel. A campanha conta com a parceria da deputada federal Marcivânia Flexa, do deputado estadual Jory Oeiras e da deputada federal Leda Sadala.

Comunicação – Prefeitura de Santana

Covid-19: Prefeitura divulga ajuste no cronograma semanal de vacinação e oferta a dose de reforço para idosos a partir de 81 anos nesta quarta-feira (22); confira outros grupos

Nesta quarta-feira (22), a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) realiza a vacinação contra a Covid-19 voltada para os públicos de 81 anos, imunodeprimidos e transplantados de órgãos sólidos aptos à terceira dose (dose de reforço), aptos à segunda dose de Astrazeneca, CoronaVac e Pfizer, além de repescagem para pessoas acima de 18 anos.

Repescagem 18 anos+

A Semsa prossegue com o atendimento a pessoas com idade acima de 18 anos que ainda não receberam a vacina contra a Covid em Macapá. A repescagem deste público ocorre das 9h às 15h na quadra da Igreja Jesus de Nazaré e pontos de drive-thru da Praça Floriano Peixoto, Praça do Estádio Zerão, da Rodovia do Curiaú e do Marabaixo.

Dose de reforço (3ª dose)

Nesta quarta-feira, a dose de reforço é destinada aos idosos com idade acima de 81 anos, indivíduos imunodeprimidos e transplantados de órgãos sólidos com laudo.

Os três grupos são considerados mais vulneráveis pelo Ministério da Saúde (MS) e para receber a vacina. Para os idosos, o tempo mínimo é de seis meses no intervalo entre a 2ª e 3ª dose. Já para o público de imunodeprimidos e transplantados, o intervalo entre a 2ª e a 3ª dose deve ser de pelo menos 28 dias, de acordo com as orientações do MS.

O imunizante estará disponível das 8h às 13h nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) Álvaro Corrêa, Novo Horizonte, Pacoval, São Pedro, Marabaixo, Raimundo Hozanan, Rosa Moita, Fazendinha, Pedrinhas, Brasil Novo e Leozildo Fontoura, além do Centro de Especialidades Dr. Papaléo Paes.

Este grupo pode ser atendido também das 9h às 15h na Universidade Federal do Amapá (Unifap), Universidade do Estado do Amapá (Ueap), Instituto Federal do Amapá (Ifap), Amapá Garden Shopping e Unidade Covid Santa Inês.

2ª dose de CoronaVac

As pessoas com data de recebimento da 2ª dose marcada para esta quarta-feira podem se dirigir das 9h às 15h para a quadra da Igreja Jesus de Nazaré, ou pontos de drive-thru da Praça Floriano Peixoto, Praça do Estádio Zerão, da Rodovia do Curiaú e do Marabaixo.

2ª dose de Astrazeneca

Pessoas com data de recebimento da 2ª dose marcada até o dia 30 de setembro podem ser atendidas das 9h às 15h na quadra da Igreja Jesus de Nazaré ou aos pontos de drive-thru da Praça Floriano Peixoto, Praça do Estádio Zerão, da Rodovia do Curiaú e do Marabaixo.

2ª dose de Pfizer

A 2ª dose da Pfizer será aplicada em quem está com a data de recebimento marcada até o dia 30 de setembro. A ação ocorre das 9h às 15h no Ifap, Ueap, Unifap, Unidade Covid Santa Inês e Amapá Garden Shopping.

Documentos

Para recebimento das vacinas é obrigatória a apresentação de originais e cópias de um documento oficial com foto, comprovante de residência e carteira de vacinação.

Nos casos de recebimento da 2ª ou 3ª dose, o cartão de vacinação deve conter a indicação das primeiras aplicações da vacina. Transplantados de órgãos sólidos e imunodeprimidos devem apresentar laudo médico.

Novo Cronograma de vacinação

A Semsa realizou ajustes no cronograma de vacinação para o período de 22 a 25 de setembro. As alterações trazem a ampliação da oferta da dose de reforço para idosos, com o atendimento de duas novas faixas de idade por dia, além da retomada da repescagem para o público de 12 a 17 anos sem comorbidades a partir da sexta-feira (24).

A prefeitura de Macapá aplicou a primeira dose da vacina Pfizer em 92% da população adolescente de 12 a 17 anos. Após determinação do Ministério da Saúde, decidiu seguir o Plano Nacional de Imunização e interromper a aplicação da primeira dose do imunizante para este público. O município realizou investigação de possíveis eventos adversos pós-vacina entre os adolescentes, e nenhum caso suspeito foi registrado.

Após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirmar não haver indícios de problemas causados pela vacina da Pfizer, a prefeitura comunicou ao Ministério da Saúde sobre a retomada da aplicação da primeira dose da vacina nos adolescentes.

Confira o cronograma:

22/09 – Quarta-feira

Terceira dose para idosos a partir de 81 anos

Terceira dose para imunodeprimidos

Terceira dose para transplantados de órgão sólido

2ª dose de Astrazeneca para quem está agendado até 30/09

2ª dose de Pfizer para quem está agendado até 30/09

2ª dose de CoronaVac para quem está no período de recebimento

Repescagem para 18 anos +

23/09 – Quinta-feira

Terceira dose para idosos a partir de 79 anos

Terceira dose para imunodeprimidos

Terceira dose para transplantados de órgão sólido

2ª dose de Astrazeneca para quem está agendado até 30/09

2ª dose de Pfizer para quem está agendado até 30/09

2ª dose de CoronaVac para quem está no período de recebimento

Repescagem para 18 anos +

24/09 – Sexta-feira

Terceira dose para idosos a partir de 77 anos

Terceira dose para imunodeprimidos

Terceira dose para transplantados de órgão sólido

2ª dose de Astrazeneca para quem está agendado até 30/09

2ª dose de Pfizer para quem está agendado até 30/09

2ª dose de CoronaVac para quem está no período de recebimento

Repescagem para 18 anos +

Repescagem adolescentes de 12 a 17 anos

25/09 – Sábado

Repescagem geral para todos os públicos atendidos ao longo da semana

2ª dose de Astrazeneca para quem está agendado até 30/09

2ª dose de Pfizer para quem está agendado até 30/09

2ª dose de CoronaVac para quem está no período de recebimento

As informações sobre locais e horários por público são divulgadas diariamente nos canais oficiais da Prefeitura de Macapá.

Secretaria Municipal de Comunicação Social

Campanha de vacinação antirrábica chega ao Conjunto Habitacional Açucena

Até o dia 24 de setembro, os tutores de cães e gatos do Conjunto Habitacional Açucena e bairros adjacentes poderão vacinar os seus animais domésticos contra a raiva animal. A vacinação será realizada das 9h às 12h na associação de moradores do conjunto habitacional, localizado na zona sul de Macapá.

A ação é direcionada aos animais acima de três meses de idade e que estão em bom estado de saúde. Aqueles que passam por algum tipo de tratamento que necessita do uso de medicamentos como anti-inflamatórios e antibióticos deverão esperar o fim do procedimento para que a vacina seja administrada. Neste caso, o animal doméstico precisará da autorização de um médico veterinário.

Além do ponto de vacinação no Conjunto Habitacional Açucena, o Departamento de Vigilância Ambiental (DVA), ligado à Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), disponibiliza dois locais fixos para realização do procedimento. É possível encontrar o imunizante no próprio prédio do departamento, que funciona na alameda Campo Belo, 207-11, no bairro Cabralzinho, e no Canil Municipal, localizado na Rodovia JK, em frente ao Parque de Exposições da Fazendinha.

Nesses dois locais a imunização acontece de 9h às 13h e para receber a dose da vacina é necessário apresentar a carteira de vacinação do animal.

Secretaria Municipal de Comunicação Social

“Pelo Amapá Inteiro” – Por Yurgel – @CaldasYurgel

Foto: Gabriel Flores

Por Yurgel 

A expedição “Pelo Amapá Inteiro” – uma iniciativa do geógrafo e ex-prefeito de Macapá, Clécio Luís, no intuito de fazer uma imersão por diversas regiões do Amapá – percorreu, na primeira semana de setembro, um trajeto fluvial de Santana até Laranjal do Jari pela parte sul do estado. O trajeto basicamente se deu pelos rios Amazonas (Santana, Mazagão e Vitória do Jari) e Jari (Vitória do Jari e Laranjal do Jari), mas a expedição visitou diversas comunidades pelos rios Preto, Maracá, Ajuruxi, Ariramba e Cajari. Isso fez com que o percurso completo se desse em quatro dias de viagem de barco com a presença de jornalistas, pesquisadores e artistas.

Em um trecho do rio Ajuruxi, na manhã do segundo dia da expedição, a mata é fechada e, mesmo num ambiente de campos alagados, muitos furos de óbvias margens estreitas acabam propiciando a formação de espécies de tuneis de vegetação, o que torna a visibilidade mais obscura – mesmo durante a manhã. Esse visual de obscuridade no trecho em questão resgata o entardecer melancólico pelos rios da Amazônia, fenômeno psicológico provocado pela monotonia da viagem (que pode durar dias, a depender do tipo de embarcação e dos destinos, obviamente), mas sobretudo pela luz que vai caindo para dar lugar à noite – movimento que convida à reflexão e à contemplação da própria paisagem.

Foto: Gabriel Flores

Mas essa monotonia é também uma experiência criativa quando visitamos os textos de Cenas da vida do Amazonas, Inglês de Sousa, projeto literário que o introdutor do Naturalismo no Brasil espelha em seu contemporâneo francês Balzac com sua Comédia humana. Nos textos do escritor obidense, podemos notar esse movimento monótono da natureza que molda o perfil psicológico de alguns personagens, indicando um ciclo do qual se tornaria uma tarefa suprema se retirar, como apontaria Euclides da Cunha em À margem da História.

Foto: Yurgel Caldas

Se Paris é a personagem predileta de Balzac, o Rio Amazonas e seus afluentes são os protagonistas de Inglês de Souza. E, assim como as reflexões de Euclides sobre a região amazônica no início do século XX, essa viagem ao vale do Jari costeando boa parte da reserva extrativista do Rio Cajari causou momentos de reflexão sobre a potencialidade econômica e, sobretudo, a riqueza humana existente e pulsante nessa parte sul do estado do Amapá. Trata-se de um movimento-convite para pensar o Amapá a fim de que o estado saia de um ciclo perverso que atinge centenas de comunidades ribeirinhas em nossa região: a falta de perspectiva ou aquilo que o escrivão Ferreira – personagem de O Coronel Sangrado (1877), de Inglês de Sousa – repetiria como o coro na tragédia grega (&ldqu o;É Sina!), e “com a maior filosofia do mundo”, no dizer do narrador do romance.

Assim, fugir da “Sina” inglesiana parece ter sido nosso intento enquanto amazônidas – um agrupamento simbólico de gente “à margem da História”. Quase uma horda cuja desorganização e a indolência – herança maldita do indígena preguiçoso, no estereótipo mais que perverso do discurso colonial e que ainda ganha eco no pensamento neoliberal contemporâneo – são o limite das ações do Estado, incapaz de levar o mínimo de dignidade a esses que insistem em nascer por essas bandas esquecidas pelo poder público.

Foto: Yurgel Caldas

Mas basta caminhar pelas estivas das comunidades ribeirinhas e perceber, antes da primeira saudação, que esse povo está longe de ser indolente ou preguiçoso. É só ver a criatividade do carpinteiro, a estratégia do comerciante, a comunicabilidade do pastor e muitos outros atributos que suplantam a mera visão colonialista que ainda persiste sobre essa gente. Dois exemplos de ações que ressignificam a Sina amazônica: Rangel – um carpinteiro/inventor da balsinha, que é uma pequena lancha de 3m x 80cm, muito comum nas comunidades da reserva extrativista do Cajari – e Mitiam – uma técnica de Enfermagem que atua no posto de saúde da comunidade de Paraíso do Cajari, autora da frase mais impactante da expedição: “os sonhos morrem aqui”. Esse re trato do descaso das autoridades com o bem público precisa ecoar nas mentes de quem se propõe pensar/agir sobre o Amapá.

*Yurgel Caldas, que é professor de Literatura da Unifap e do Programa de Pós-graduação em Letras (PPGLET) da mesma instituição.

Primavera dos Museus: Sacaca abre espaços místico e sensorial com exposições e histórias

Interior do Museu Sacaca, em Macapá — Foto: MR Fonseca/Arquivo Pessoal

Por John Pacheco

O Museu Sacaca, em Macapá, preparou extensa programação para atender ao público durante a 15ª Primavera dos Museus, que acontece em todo o país.

O espaço, gerenciado pelo Instituto de Pesquisas Científicas do Amapá (Iepa), terá exposições, contação de histórias, inauguração de espaços e diversas outras atrações entre quarta (22) e sexta-feira (24).

Entre as novidades está a abertura de dois novos locais de visitação: o Jardim Sensorial e o Espaço Místico. A programação é para todas as idades e inicia a partir de 9h no Museu, localizado na Avenida Feliciano Coelho, número 1509, bairro Trem. A entrada é gratuita.

Espaço Multimídia no Museu Sacaca — Foto: Victor Vidigal/G1

Confira as atrações:

22 de setembro (quarta-feira)

10h – Inauguração do Jardim Sensorial do Museu Sacaca
10h – Inauguração do espaço místico
9h às 17h – Exposição em banner: Turé dos Povos Indígenas
9h às 17h – Exposição: educação ambiental e a fauna amazônica
9h às 17h – Exposição IEPA: taxidermia
9h às 17h – Leitura coletiva e exposição de livros indígenas na Casa de Leitura
9h às 17h – Mesa redonda on-line: “perdas e recomeços”, disponível nas redes sociais do Museu Sacaca
10h às 16h – Exposição de vídeos no espaço de educação ambiental
10h às 16h – Exibição de curta: 30 anos do Iepa, no espaço Multimídia
10h30 às 16h – Contação de histórias no Bosque do Açaí: Emília e Curupira
23 de setembro (quinta-feira)

9h às 17h – Leitura coletiva e exposição de livros indígenas na Casa de Leitura
9h às 17h – Exposição em banner: Turé dos Povos Indígenas
9h às 17h – Exposição: educação ambiental e a fauna amazônica
9h às 17h – Exposição IEPA: taxidermia
9h às 17h – Mesa redonda on-line: “perdas e recomeços”, disponível nas redes sociais do Museu Sacaca
10h às 16h – Exposição de vídeos no espaço de educação ambiental
10h às 16h – Exibição de curta: 30 anos do Iepa, no espaço Multimídia
10h30 às 16h – Contação de histórias no Bosque do Açaí: Emília e Curupira
24 de setembro (sexta-feira)

9h às 17h – Leitura coletiva e exposição de livros indígenas na Casa de Leitura
9h às 17h – Exposição em banner: Turé dos Povos Indígenas
9h às 17h – Exposição: educação ambiental e a fauna amazônica
9h às 17h – Exposição IEPA: taxidermia
9h às 17h – Mesa redonda on-line: “perdas e recomeços”, disponível nas redes sociais do Museu Sacaca
10h às 16h – Exposição de vídeos no espaço de educação ambiental
10h às 16h – Exibição de curta: 30 anos do Iepa, no espaço Multimídia
14h às 17h – Roda de conversa: “povos indígenas do Amapá – perdas e recomeços”

Foto: G1 Amapá.

Institucional: presidente do CNPG e PGJ do MP-AP, Ivana Cei, se reúne virtualmente com dirigentes da Anamatra

A presidente do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG) e procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Ivana Cei, reuniu-se, de forma virtual, nesta terça-feira (21), com o presidente e diretores de Informática e de Assuntos Legislativos da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), juízes Luiz Colussi, Jônatas Andrade e Valter Pugliesi, respectivamente. Durante o encontro foram debatidos assuntos institucionais de interesse comuns do MP e magistratura nacional.

Os dirigentes da Anamatra pediram o apoio da presidente do CNPG e PGJ do MP-AP para realização de ações integradas em Brasília, em favor da magistratura e do Ministério Público brasileiro.

“Nosso país atravessa momentos difíceis e para seguirmos fazendo nosso trabalho em favor da sociedade, precisamos de um MP forte, bem como, da magistratura forte. Vamos trabalhar uma ampla articulação política e institucional, envolvendo associações e instituições do Ministério Público e Poder Judiciário para reforçar a atuação institucional”, comentou Ivana Cei.

Sobre a Anamatra

A Anamatra foi fundada em 28 de setembro de 1976, em São Paulo, durante o Congresso do Instituto Latino Americano de Direito do Trabalho e Previdência Social, quando magistrados decidiram criar uma entidade de âmbito nacional, “com a finalidade de congregar os juízes do trabalho do país em torno de seus objetivos e interesses comuns”.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Elton Tavares
E-mail: [email protected]
Contato: (96) 3198-1616

Promoção e remoções de promotores de Justiça foram efetivadas nesta segunda-feira (20), pelo Conselho Superior do MP-AP

O Conselho Superior do Ministério Público do Amapá (CSMP/MP-AP), na segunda-feira (20), realizou a posse dos promotores de Justiça Neuza Rodrigues Barbosa, David Zerbini de Faria Soares e Fabiano da Silveira Castanho, em razão de remoção, e do promotor de Justiça Hélio Furtado Santos Furtado, em decorrência de promoção. A sessão híbrida foi presidida pela procuradora-geral de Justiça, Ivana Cei, com participação do corregedor-geral, Jair Quintas, e dos conselheiros, procuradores de Justiça Nicolau Crispino, Joel Chagas e Estela Sá, sendo secretariada pelo promotor de Justiça Vinicius Carvalho.

A promotora de Justiça Neuza Barbosa foi removida, por antiguidade, na entrância final, da 3ª Promotoria de Justiça Criminal e de Auditoria Militar de Macapá para a titularidade da recém-criada 4ª Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Macapá, a partir do dia 4 de outubro de 2021.

Removido na entrância inicial, também pelo critério de antiguidade, o promotor de Justiça David Zerbini para a titularidade da Promotoria de Justiça de Calçoene, deixando a 2ª Promotoria de Oiapoque, a partir desta data, 20/09/2021.

Pelo critério de merecimento, o promotor de Justiça Fabiano Castanho, foi removido, na entrância inicial, da titularidade da 2ª Promotoria de Justiça de Laranjal do Jari para a Promotoria de Pedra Branca do Amapari.

Empossado, ainda, o promotor de Justiça Hélio Furtado, promovido para a entrância inicial, por antiguidade, para ser o titular da 1ª Promotoria de Justiça de Oiapoque, a contar da data de posse.

Os conselheiros destacaram a atuação de cada um dos empossados. Jair Quintas falou da importância nessa movimentação para motivar a atuação dos membros, situação essa que Nicolau Crispino manifestou como um momento de felicidade e marcante na carreira, enquanto que Joel Chagas destacou a atuação e reconhecimento do trabalho de todos, com Estela Sá reafirmando as qualidades e colocando-se à disposição para orientar no que for preciso.

A PGJ agradeceu ao trabalho do Conselho Superior e parabenizou os empossados. “Meus parabéns aos promotores de Justiça que darão mais um passo na carreira ministerial. A Procuradoria-Geral de Justiça estará sempre à disposição, proporcionando as melhores condições de trabalho para que possam desempenhar suas funções da melhor maneira possível em benefício da sociedade”, manifestou Ivana Cei.

Participaram ainda da sessão o ouvidor do MP-AP, Paulo Celso Ramos, e a procuradora de Justiça Judith Teles, coordenadora-geral dos Centros de Apoio Operacional do MP-AP.

Durante a Sessão, a PGJ aproveitou para registrar e parabenizar os 25 anos de empenho e dedicação ao Ministério Público do Amapá, neste dia 20 de setembro de 2021, ao ouvidor Paulo Celso, e aos promotores de Justiça: Milton Ferreira do Amaral Júnior, Flávio Costa Cavalcante, Iaci Pelaes dos Reis, Alessandra Moro de Carvalho Valente e Roberto da Silva Alvares.

Serviço:
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Gilvana Santos
E-mail: [email protected]
Contato: (96) 3198-1616

Prefeitura de Macapá firma cooperação técnica com a Fiocruz para elaboração do Jardim Terapêutico Tucuju

A Prefeitura de Macapá firmou nesta terça-feira (21) uma cooperação técnica com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O acordo prevê a criação de um Jardim Terapêutico Tucuju. O projeto será executado no Bioparque da Amazônia e pretende estimular a fitoterapia complementar através da criação de canteiros de espécies medicinais e aromáticas, principalmente amazônicas.

“Este momento é histórico e muito importante para a produção científica macapaense. Essa parceria com a Fiocruz nos orgulha pelo reconhecimento. O acordo celebra uma troca de saberes, valorizando a sociobiodiversidade. O Bioparque da Amazônia é um ativo grande e não deve ser visto apenas pelo viés do turismo ecológico, afinal ainda chegará o dia em que o parque não será mais somente do Amapá, e sim do mundo”, destacou o prefeito de Macapá, Dr. Furlan.

O projeto do Jardim Terapêutico pretende também identificar espécies medicinais arbóreas, que servirão como instrumento didático para revitalização da fitoterapia amazônica, caracterizada pelo uso de cascas, resinas, raízes e folhas das espécies locais.

De acordo com o diretor-presidente do Bioparque, Marcelo Oliveira, o município de Macapá é o primeiro da região norte a celebrar um acordo de cooperação técnica com a Fiocruz nesse patamar.

“O parque é um laboratório vivo que reflete a Amazônia. O Jardim Terapêutico é um projeto inovador, que significa um avanço para a pesquisa científica dentro da unidade. O primeiro passo será a identificação biológica e genética das espécies. Tudo isso, através de um resgaste da história do Bioparque, que na época do Mestre Sacaca já era utilizado como fonte de pesquisa das ervas e plantas medicinais”, frisa o presidente.

Acordo

O termo tem como objetivo a cooperação técnica e científica entre ambas as partes, no desenvolvimento do projeto intitulado Jardim Terapêutico Tucuju. A Fiocruz disponibilizará a equipe técnica do Centro de Inovação em Biodiversidade e Saúde (CIBS), além de prestar assistência no perfil químico de todas as espécies vegetais selecionadas para o projeto e no processo de herborização, que consiste na coleta de plantas vivas e secá-las para estudo científico de uma coleção botânica destinada à pesquisa.

“A Fiocruz entrará com aporte técnico científico para construção do Jardim Terapêutico, que busca o resgate do uso tradicional das plantas medicinais. Iremos juntar os dois diferentes saberes: das populações amazônicas e o acadêmico. No início, será agregado à literatura já existente do bioma amazônico, que é riquíssimo. Depois partiremos para o estudo da bioprospecção, com o levantamento étnico botânico”, explica o coordenador do Sistema Nacional das Redes Fito, doutor Jefferson Pereira Caldas.

Conforme o acordo, caberá ao Bioparque coordenar a execução do projeto, criando um grupo de Grupo de Trabalho composto pelos diversos parceiros, como o Instituto de Pesquisa Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Iepa), além do acompanhamento e divulgação de resultados parciais e anuais.

Jardim Terapêutico

Em longo prazo, o projeto destinará um espaço físico para realização de oficinas e produção de fitoterápicos caseiros; capacitará agentes de saúde para inclusão da fitoterapia no atendimento na saúde pública; realizará atividades de educação ambiental com plantas medicinais; implantará unidades de cultivo de plantas medicinais.

O Jardim Terapêutico permite várias vertentes, como a cadeia de bioprodutos para região. Afinal, faz parte da cultura amazônica a utilização das ervas medicinais no tratamento de diversas enfermidades.

A cerimônia de assinatura do termo de cooperação com a Fundação Oswaldo Cruz contou com a presença do diretor técnico do Iepa, Allan Kardec, e do secretariado municipal.

Aline Paiva
Secretaria Municipal de Comunicação Social

Secretaria Municipal de Educação realiza Semáforo da Inclusão

Em alusão ao Setembro Verde, que comemora o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência, a Secretaria Municipal de Educação realizou um singelo momento de conscientização para os servidores, abordando a importância da inclusão social, intitulado ‘Semáforo da Inclusão’.

O dia 21/09 foi escolhido pela proximidade com a primavera e por ser também o Dia da Árvore, de forma a assinalar que uma sociedade acessível e inclusiva tem que ser sustentável em todos os aspectos.

O semáforo foi escolhido para chamar a atenção sobre a importância da inclusão, com o uso de suas cores.

Verde, siga: Siga respeitando e aprendendo com as diferenças;
Amarelo, atenção: As pessoas com deficiência têm direitos garantidos;
Vermelho, pare: Pare de tratar as pessoas com deficiências como incapazes.

“Realizamos esse momento de sensibilização para lembrarmos da data e para conscientizar quem não tem conhecimento dela, de sua importância e valor social. Fizemos para os servidores da SEME, por ser singelo e significativo para a Educação, sendo primordial promover a inclusão através de medidas educativas”, afirmou Larissa Stefany, chefe do Departamento de Apoio Interprofissional ao Educando.

Comunicação – Prefeitura de Santana

Meio Ambiente: PGJ do MP-AP ministra aula na pós-graduação promovida pela Escola Judicial do TJAP

A procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Ivana Cei, ministrou aula virtual, nesta segunda-feira (20), no curso de pós-graduação “Gestão e Aplicação da Justiça no Desenvolvimento Humano”, promovido pela Escola Judicial do Amapá (EJAP). A PGJ ministra a disciplina “Meio Ambiente e Desenvolvimento Humano” com carga horária de 20h/aula, no período de 20 a 24 de setembro de 2021.

O coordenador técnico do Curso, desembargador Carmo Antônio, e a servidora do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap) e coordenadora-geral do Programa de Pós-Graduação, Ângela Martins, deram as boas-vindas à procuradora-geral de Justiça do MP-AP convidada para compor o colegiado de professores, mestres e doutores, para a especialização.

“Não preciso falar da representatividade feminina da doutora Ivana Cei, que hoje é a gerente máxima de um órgão do MP de nível nacional. É muito importante ter a senhora no nosso grupo de professores, que está tirando um tempo precioso para poder compartilhar com a EJAP e, especialmente com os alunos que fazem essa pós-graduação, os seus conhecimentos. É um orgulho e prazer ter a senhora nos quadros da Escola Judicial do Amapá”, cumprimentou Carmo Antônio.

Ivana Cei agradeceu ao desembargador Carmo Antônio, à coordenadora-geral Ângela Martins e à escola por ter incluído a disciplina sobre meio ambiente, que é muito importante para o Estado do Amapá, para a Amazônia e para o Brasil.

“Esta é uma luta de muitos e muitos anos, para que a matéria ambiental faça parte do currículo, não só dos mestrados e pós-graduações, mas também do ensino fundamental. A EJAP traz esse apelo necessário para que nossos gestores vejam como é importante o meio ambiente para o desenvolvimento humano, para a vida. É uma satisfação e alegria estar aqui hoje com vocês”, manifestou Ivana Cei, na abertura da aula.

A disciplina que a PGJ ministra durante a semana, tem como objetivo: “Converter reflexão, discussão, troca de informações, experiências e boas práticas em matéria do Meio Ambiente e desenvolvimento humano, na qualificação, capacitação da formação de desembargadores, magistrados, servidores, colaboradores e o Poder Judiciário como um todo no aprimoramento da prestação jurisdicional em matéria de meio ambiente”.

Serão abordados temas, como: a cronologia histórica do meio ambiente; princípios formadores do Direito Ambiental; meio ambiente como direito humano; sustentabilidade; entre outros.

Currículo

Ivana Lúcia Franco Cei – é procuradora de Justiça do Ministério Público do Amapá, Doutoranda em Direito; Mestre em Direito Ambiental e Políticas Públicas; especialista em Direito Civil e Processo Civil; especialista em Direito Penal e Processo Penal; Curso Superior de Inteligência Estratégica – Escola Superior de Guerra – ESG; Professora Honorífica da Universidade Nacional Autônoma do México – Faculdade de Direito; Procuradora-Geral de Justiça do Estado do Amapá e presidente do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais de Justiça dos Estados e da União (CNPG).

Sobre a EJAP

A Escola Judicial do Amapá é o órgão dedicado ao aperfeiçoamento profissional de servidores e magistrados do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP),

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Gilvana Santos
E-mail: [email protected]
Contato: (96)3198-1616

Acelera Startup inicia ciclo de pré-aceleração, na próxima sexta (24)

Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Amapá (Sebrae), desenvolve o Acelera Startups, programa de pré-aceleração que capacita empreendedores, para colocarem no mercado ideias inovadores de negócios. O Acelera Startup, realizado em formato híbrido (on-line e presencial), é direcionada à pessoa física e jurídica (MEI, ME e EPP), e acontece no período de 24 de setembro a 4 de dezembro. A programação inicia com o Bootcamp, na sede do Sebrae em Macapá, nos dias 24 e 25 de setembro, das 15h às 18h e das 9h às 18h.

A diretora técnica do Sebrae no Amapá, Marciane Santo, destaca a necessidade da construção de projetos inovadores para a evolução da nova econômica amapaense. “A nova economia necessita de novos modelos econômicos, sendo cada vez mais sustentáveis, escaláveis, digitais e inclusivos”, disse a diretora técnica do Sebrae no Amapá, Marciane Santo.

Conteúdo

Durante o evento, os participantes acompanham workshops, oficinas, mentorias, conteúdos e treinamentos, que acontecem para as empresas selecionadas, até o dia 4 de dezembro. Nesta data, as pré-aceleradas participam do evento, intitulado Demo Day.

No período de boas-vindas, iniciada no Bootcamp, onde os participantes aprendem sobre a validação de startups, MPV (Produto Mínimo Variável), modelagem de negócio e monetização.

Programa

O principal ganho do programa, é fazer com que os empreendedores avancem etapas e evitem cometer erros que podem ser cruciais para as empresas. Até hoje, mais de 200 ideias participaram do programa, que recebe empreendedores de todo o Estado amapaense.

A analista de projetos do Sebrae no Amapá, Josseli Pantoja, destaca a importância do Acelera Startups para a região. “O programa é uma oportunidade para desenvolver startups amapaenses e, assim, amadurecer todo o Ecossistema de Inovação do Estado”, finaliza a analista de projetos do Sebrae no Amapá, Josseli Pantoja.

A aceleradora Inovenow pretende converter o empreendimento em um negócio lucrativo e consolidado no mercado. Uma aceleradora otimiza em um curto período de tempo, as operações do startup em todos os níveis.

Inscrições

O Acelera Startups, realizou no período de 9 a 19 de setembro as inscrições para a sua 5º edição, contabilizadas em 40 ideias e negócios inscritos.

Programação

Acelera Startup

Período: 24 de setembro até o dia 4 de dezembro

Bootcamp

Data: 24 de setembro
Horário: 15h às 18h
Data: 25 de setembro
Horário: 9h às 18h
Local: Salão de eventos de Macapá.

Serviço:

Monalice Nogueira – Do município de Amapá/AP
Sebrae no Amapá – Unidade de Marketing e Comunicação.
Contato: (96) 3312-2832
Central de Relacionamento: 0800 570 0800

Defesa Civil de Santana desenvolve ações de limpeza em canais para prevenir desastres no fim de ano

 


Visando as chuvas do fim de ano, a Defesa Civil começou a colocar em prática o plano preventivo de limpeza dos canais de Santana. O objetivo é evitar os danos causados pelas chuvas e pela maré alta que atinge, principalmente, os locais mais baixos da cidade.

A limpeza começou nesta segunda-feira, 20, no canal do bairro Paraíso, na avenida Santana, que corta a cidade inteira, até chegar no bairro Nova União, no término dos canais.

Atualmente, a Defesa Civil é coordenada pela Gerência Estratégica da PMS, vinculada à Secretaria Especial de Governo, (Semgov) que vem investindo em equipamentos e novos uniformes para os colaboradores da pasta.

De acordo com o gerente geral estratégico, Koroka Jesus, a cidade possui 47 braços de canais que não podem ficar obstruídos para não prejudicar o desague no rio Amazonas. Daí a importância da ação preventiva, para dar tempo de trabalhar cada um deles.

Ubiratan Viana, coordenador de campo da Defesa Civil, lembrou que já vivenciou chuvas durante as quais Santana foi para o fundo, justamente devido à ausência de um planejamento antecipado de limpeza dos canais.

“Foi baseado nessa experiência que conversamos com o gerente Koroca para colocarmos em prática o plano de prevenção de limpeza dos canais, já sabendo das chuvas do fim de ano. Através desse trabalho antecipado, enquanto os canais estão secos, vamos poder visualizar o serviço necessário em cada local”, explicou Ubiratan.

O coordenador também lembrou a importância do apoio da população quanto ao descarte de lixo na cidade, que muitas vezes vai parar nos canais.

“Em alguns locais, até carcaças de sofá e geladeira tivemos que retirar dos canais. Então a gente pede para os moradores terem um pouco mais de zelo pela cidade. O próprio morador pode ser o fiscal, pois quando um canal alaga, a cidade inteira sofre”, concluiu, o coordenador.

Comunicação – Prefeitura de Santana

Hoje é o Dia do Radialista e do Rádio

Hoje é o Dia do Radialista e do Rádio. A data é celebrada pelo motivo que, em 21 de setembro de 1906, aconteceu a primeira transmissão radiofônica no mundo, pelo canadense Reginald Dennis. O conceito para este tipo de profissional diz que ele é habilitado para trabalhar com diversos nichos dentro de uma produção radiofônica.

Essa modalidade de comunicação não é para qualquer um. O radialista faz locução, apresentação, sonoplastia, produção de programas, direção e outras atividades. É preciso ter talento e responsabilidade, além de boa voz, claro.

O radialista não transmite apenas notícias, mas sim informações repletas de sentimentos humanos, pessoas que se tornam próximas de uma maneira nada convencional.

Conheço e respeito muitos radialistas. Meu falecido amigo, Leonai Garcia, era doido pra me levar para o rádio. Nunca topei. Há uns sete anos, o renomado Humberto Moreira me perguntou se eu não queria fazer uma experiência na área, também agradeci e disse que meu negócio são os bastidores e redações mesmo. Um dia, quem sabe. É que gosto mesmo é de escrever.

Também dizem que o dia correto é 7 de novembro, mas a primeira considero a de hoje mesmo. Também sou grato aos amigos Paulo Silva, Luiz Melo, Elden Carlos, Armstrong Souza, Heraldo Almeida, Cléber Barbosa, Graça Penafort, Salgado Neto, entre tantos outros, pelo apoio ao meu trabalho.

Portanto, parabenizo e agradeço, em nome das minhas queridas amigas Gilvana Santos (que possui uma bela história no rádio amapaense e apresenta o Programa MP + Perto ) e Ana Girlene (MP + Perto e Café com Notícias) a todos os radialistas do Amapá. Sem eles, o nosso trabalho nas assessorias seria inviável. Sobretudo aos amigos, que são muitos. Palmas para vocês!

Elton Tavares

5ª Primavera de Museus: hoje Museu de Arqueologia e Etnologia do Amapá apresenta uma Live e um documentário sobre o projeto “10 Anos de Museu na Escola: Inventando e Reinventando o MAE/AP”

Nesta terça-feira (21), a partir das 19h, com transmissão pelas redes sociais Facebook do Museu de Arqueologia e Etnologia do Amapá (MAE/AP),apresentará a live: “Museus: desafios durante e pós pandemia”, e posteriormente apresentará o documentário “10 Anos de Museu na Escola: Inventando e Reinventando o MAE/AP”. O DOC integra a 15ª Primavera de Museus, coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM). O MAE é vinculado à Secretaria de Estado da Cultura (Secult/AP), que apoia o evento on-line.

A live terá como convidados a professora Doutora Maria do Socorro Oliveira e o arqueólogo Kleber de Oliveira Souza. A programação contará ainda com mediação da professora Mestra, Lucyvânia D’arc Duarte Ribeiro, o objetivo é relatar as ações educativas fazendo uma retrospectiva dos 10 anos do Projeto Museu na Escola.

Foto: Trip Amapá

Sobre o MAE

O Museu de Arqueologia e Etnologia do Amapá tem a missão de salvaguardar e comunicar as coleções relacionadas às diversas etnias e manifestações culturais do Estado do Amapá, voltadas para o estudo antropológico e social das diferentes culturas, e quanto à arqueologia, às coleções de bens culturais portadores de valor histórico ou artístico, procedente de pesquisas, escavações, prospecções e achados arqueológicos.

O MAE/AP foi criado através da Lei 1.073, de 02 de Abril de 2007, na gestão do Governador Antônio Waldez Góes da Silva, que instituiu a Secretaria de Cultura do Estado do Amapá e toda a sua estrutura organizacional básica. A Instituição Museal está vinculada à Secult/AP e é coordenada pela Coordenadoria de Preservação da Memória Material e Imaterial. O museu está situado na Rua São José N° 1.500-A, em frente à Praça do Barão do Rio Branco, no Centro de Macapá.

Assessoria de comunicação