Poema de hoje

O dono da lua (Darth J. Vader)

A lua não é de ninguém
Pertence aos casados,
Aos namorados,
Aos arrasados,
Aos cantores e ao violão,

Aos eternos apaixonados.
E, é claro (e por que não?),
Aos amantes endiabrados…

Aos casados a lembrança
da primeira diversão.
Aos namorados (estes devassos)
A primeira noite de paixão.

Aos cantores a canção
Tocada no violão
Para os eternos apaixonados
Se entregarem de coração.

E os amantes endiabrados?
Ah! Destes a lua é cúmplice
Daquela louca emoção.

A lua é de todos,
Inclusive da traição…

A internet é a nova censura

                                                                                   Por Darth J.Vader
A internet está aí, com suas múltiplas possibilidades de falarmos o que bem quisermos, nos dando a liberdade de opinião. Será mesmo?

Vemos quase que diariamente as pessoas falando sobre o que pensam e sempre levando porrada dos outros, cujas opiniões não ‘batem’ com a maioria.

Eu mesma já bati em alguns certas vezes e aqui mesmo. Sempre haverá gente pensando ao contrário e é preciso respeitar isso, senão o mundo fica uó. Mas parando para pensar em tudo isso, percebi que o problema, realmente, é o modo como se expressa. Se você disser que Macapá é o “… do mundo”, prepare-se para levar porrada. Lembre-se: sempre há crianças na sala, on line e lendo revistas e palavrões nunca são bem vistos em ambientes não-íntimos.

Por que não se pode dizer simplesmente: “olha, eu acho que estamos um tanto atrasados com relação a isso… as autoridades ou seja lá quem for podia ajudar em tal coisa…”. Garanto que dá no mesmo.

É claro que todos temos o direito de quebrar o pau de vez em quando, mas para isso você tem que ter o seu espaço, daí chute tudo mesmo e deixe bem claro que aí está é sua opinião, ninguém precisa gostar disso.

Antes, a censura vinha de cima, mas agora é por todos os lados. Não pense que há pouca audiência para qualquer coisa, pois se algo é jogado na internet, nunca mais sai de lá.

Lembre-se você é o que você pensa e algumas pessoas vão te amar pelos teus despropósitos!

E quem disse que jornalista aguarda inspiração?

                                                                                        Por Darth J.Vader

Estava a falar com o “The Boss” deste blog, quando disse a ele que andava cansada e sem inspiração para escrever coisa que fosse. Mandei para ele um post antigo do Pulga na Farinha (meu blog), que ainda está atualíssimo, e fui descansar um pouco.

Acontece, minha irmã, que jornalista não tem que esperar por inspiração. Nós não ganhamos (mal) para escrever poesia e sim para botar quente em matérias de interesse para alguém, em correr para pegar a notícia quentinha, em se matar para ter um furo de reportagem.

Ser jornalista é ser gênio todo dia, é ter que tirar leite de pedra, é matar um leão diário, é ter sede de querer sempre mais, nem que seja mais cerveja… rs….É querer fazer o certo, ouvir os dois lados e tentar mudar o mundo com nossas peraltagens…

Fazer mil e uma coisas ao mesmo tempo. Ter blog, Facebook, Orkut, Twitter e outras trocentas redes sociais, e atualizar todos os dias. É se preocupar com os filhos, porque sabe muito bem como é a vida lá fora.

É não poder ver o pôr-do-sol, não dizer o que pensa sempre, pois jornalista tem obrigação de ser neutro, apesar das inúmeras ‘artimanhas’, com ética sempre, para dar uma indireta.

Lembro de uma coletiva em que, antes da entrevista, uma assessora falou: “Temos que pensar tanto na empresa/autarquia que nem lembro mais se sou a favor ou não do aborto”. E é verdade! Como assessor, sua opinião está inteiramente veiculada à seu emprego.

Se nós formos esperar por inspiração, vamos morrer de fome! Neste País, mesmo os mais consagrados escritores têm outra profissão e não sei de um jornalista que trabalhe em apenas um emprego, fazendo somente uma coisa. Temos mil e uma utilidades e o patrão, sempre esperto, sabe que acabamos dando conta de tudo.

Portanto, levante-se e faça algo novo todo dia, independente da sua profissão, e verás colher frutos podres e outros doces, mas nunca incólumes nos pomares da mente.

Enfim, é para ser máquina pensante para outros começarem a pensar.

Mais homofobia no País

                                                                                       Por Darth J.Vader

Passei alguns dias pensando se iria escrever sobre mais um ato homofóbico gritante e já tinha resolvido passar essa quando li o texto de Régis Sanches. Pois bem, agora o negócio ficou feio.
Devo dizer, primeiramente, que brancos não sofrem preconceito por serem brancos, apenas se estiverem rodeados de negros, e daí já começa o porém. Tenho a cor da minha gente de Manaus, um tipo “pardo”, como consta na minha certidão de nascimento e isto nunca foi motivo para preconceito. Mas minha digníssima Cláudia já foi tratada muito mal, e várias vezes, por ser branca.

Quanto a mim, quando abro a boca pra dizer que sou gay…Sabem, existem vários tipos de preconceito e alguns são exagerados. Quando você diz que tem orgulho de ser branco, tudo bem, mas vai dizer que é gay, negro ou gordo! Foge totalmente do tal esteriótipo “perfeito”! E é assim que tudo começa.

Não posso dar um beijo na minha esposa em plena rua. Não é porque os héteros vão se sentir mal – como já tiveram a coragam de dizer isso na minha cara e se calaram quando lembrei dos vários chupões se comendo dos casais homem-mulher – , mas é porque eu corro o sério risco de apanhar e de ser morta! Não sei aí em Macapá, mas em Manaus morre ao menos um gay por mês, simplesmente porque gosta da mesma fruta.

Aí me vem uma “criatura” e fala esse monte de merda! E desta vez não estou falando só de Régis, mas também do Bolsanaro.

É para falar de religião? Então engula, ignorante: nós somos seres de Deus e, se Ele não nos queria assim, por que fomos criados?

Aprendam de uma vez por todas: ninguém é gay porque quer, e sim porque NASCEU ASSIM!!

Outra coisa engraçada é a falta de memória. Ninguém lembra que cortar o cabelo com um homossexual fica 300 mil vezes melhor do que com um hétero? As dondocas esqueceram de quem desenha seus vestidos? Os músicos não pensam em quem criou os instrumentos de batuque? Acham mesmo que a maioria das coisas criativas foram feitas por héteros?


Régis, por favor, você tem a sua opinião e respeito isso. Mas você gostaria se eu jogasse na sua cara: olha, você é branco, ou seja, não entende absolutamente de nada a não ser alienações da rede bobo! Você é um idiota sem cultura, que não entende valores diferentes daqueles monetários? Sabe por que não há uma associação tipo UBRAM (União dos Brancos da Amazônia)! Porque os brancos não são perseguidos, nem perdem empregos para os negros ou deixam de declarar o companheiro por ser gay.


Agora Régis entende como me senti quando li seu post? Pois é…


Para terminar, porque isto está longo demais, eis aqui alguém que AMA PRETA GIL!! Ela é filha de quem é? Claro que sim! Ela é menos por conta disso? Só se você também for! Ela é uma pessoa com sentimentos, que paga impostos e que trabalha honestamente. Os seus pais não são famosos ou não fizeram nada para entrar para História (sim, porque a verdadeira se escreve com HI, não começando com E – ofende mas não assassina o português, tá?!) isso só é problema seu!


Sabe quem AMA PRETA GIL?? Espero resposta, porque ninguém merece ler mais preconceito além do que já convive diariamente! E-mail: jucaramenezes@gmail.com

Manaus tem cozinha, mas e a copa?

                                                                             Por Darth J.Vader
Ai, Manaus, Manaus… minha linda cidade… seu Encontro das Águas é inspiração para os poetas… seu Teatro Amazonas é exemplo de uma áurea época… seu Centro é um lixão a céu aberto… seus rios são banhados por latinhas vazias… sua única praia está fechada para reformas… sua internet é a mais cara do Brasil… e a pior também! Ai Manaus, minha Manaus…

Minha terra dos guerreiros manaós! Única a lutar contra os portugueses invasores! A resistir a tal ponto que há duas versões sobre a morte de nosso grande herói Ajuricaba! Sem nenhuma punição digna até hoje… nem feriado o cara tem!

Minha Manaus, a capital verde! Que será sede do futebol da Terra! Que venceu o vizinho Pará nesse quesito! Fez festa, alardeou aos quatro ventos, brincou de apogeu e agora roi unhas, dedos, na vivência da agonia!

E a copa, que nos trará o monotrilho (será?)! Um transporte decente para nós, sardinhas! E a ponte que nunca sai, inspirada no Kwuai! E o camelódromo, oh vida!, morreu sem começar!

A ilha que dá frutos gloriosos! Teus risonhos lindos campos tem mais sabores! Vossos bosques ressuscitam a vida e morrem rente à bandalheira galerosa! Tem tucumã, tem peixe grande, peixe pequeno, tem até tartaruga em extinção!

Sabe Deus o que dará agora. Na cozinha estamos bem, mas o que será na copa, o que será?

A paixão nada secreta pelo Cebolinha

                                                                                              Por Darth J.Vader

Estou muito feliz com o que vi: criei um marcador neste blog, o Lado Negro da Força! Pois bem, agora que me sinto melhor do que o de costume vou começar uma série sobre as qualidades do Dark Side e aproveitar, neste post, para continuar a explicar meu perfil.

Como todos sabem, os jornalistas são pessoas nerds desde a época em que o termo se chamava CDF. Já lendo os primeiros livrinhos e revistinhas, os futuros repórteres que querem salvar a nação – mas sabem que isso é impossível, já que não conseguem sequer salvar o próprio salário até o fim do mês – têm consciência que as coisas, por mais que se tente, nem sempre saem como o planejado.

São os chamados Planos Infalíveis, como os arquitetados pelo nosso amigo Cebolinha. Também de conhecimento de todos, as mirabolantes idéias para ser o “Dono da Lua” nunca funcionaram (vide todos os desfechos desagradáveis para o nosso herói).

Acontece, porém, que é preciso entender os motivos para tamanha derrota. O Cascão, amigo de todas as horas, é o principal responsável pelas derrocadas do cinco fIos. Não que faça de propósito, mas é ele quem acaba se embaralhando todo, pois a coisa é tão genial quanto complicada.

E daí que eu me apaixonei pelo garoto de sete anos que anda calçado e fala “ellado” porque sim! Sempre foi o mais inteligente! Até Ferris Builler (de Curtindo a vida adoidado) já declarou: “Só os burros são apanhados, os espertos sobrevivem!”

Os planos, é claro, fazem parte do desejo incontrolável e gritante de poder. Poder sair da “dominação” da Mônica através de seu cetro, um coelho azul, e fazer o que bem entender com a pelúcia, seu principal desafeto.

Como não me apaixonar pelo Lado Negro da Força de uma criança quase ingênua?

Pelo desejo de ser o melhor, mesmo que seja na rua do bairro do Limoeiro?

Esse desejo todo de ser melhor ou maior é culpa de um sentimento de inferioridade advindo desde a infância, desde a primeira percepção que, não importa o que fizesse, os outros dois irmãos sempre foram superiores, em tudo. Não a toa demorei duas décadas para me arrepender de ter ido à forra com os carrinhos e por, até hoje, prometer repô-los e nunca fazê-lo.

Aliás, quer saber? Eu nunca vou comprar os carrinhos. Foi a primeira vez que o fiz chorar para se arrepender de tudo que fez e a vingança maligna é uma sensação eterna de superioridade, pois nada mais pode ser feito. Nem mil carrinhos raros irão repor aquela data!! kkkkkk!!

O Lado Negro da Força não tem preconceito com idade! Já falei da minha, agora me conta: qual sua maldade de infância?

E a caçula foi à forra

                                                                                     Por Darth J. Vader

Dizem que os caçulas são mais mimados porque têm maior atenção dos pais. O que não se fala muito é que os mais velhos se aproveitam dos caçulas em várias ocasiões. Tenho dois irmãos que nasceram antes, a Liz e o Apoena (sim, é um homem). Acontece que a Liz é uma mocinha desde criança e nunca me fez mal, até porque foi pra Minas muito cedo e convivemos pouco desde então. Só nos resta o Poc.

Seis anos mais velho do que eu, o Poc aproveitou bastante o fato de ter uma pequena irmã por perto. Ele mandava pegar água, e dizia: “vão, escravinhas, vão fazer tal coisa para mim”. Certa vez, respondi “não sou sua escrava!” e ele falou alto e em bom tom: “Eita! Essa daí já sabe da Lei Áurea”.

Também lembro que ele nunca se servia e, no almoço, Poc encrencava comigo só para ter o prazer de ver a mamãe ralhando com esta que vos escreve.

Um dia, é claro, me revoltei. Poc tinha uma coleção invejável de carrinhos importados, minha conta vai até 45 e, por não serem fabricados no Brasil, o valor era exorbitante. Por isso mesmo, ele tinha um amor quase incondicional aos benditos. Apesar de ter os meus, os brinquedos dele eram um pouco mais interessantes.
 

Pedi pra brincar com os carrinhos dele lá fora e, depois de um tempo, ele brigou comigo por alguma coisa que agora não lembro. Revoltada com aquela ditadura de anos a fio (eu já tinha seis anos!!), resolvi deixar os benditos lá fora mesmo, e fui dormir.

Pela manhã, cadê os carrinhos? E o drama pairou na casa dos Menezes.

Poc chorava copiosamente e eu ria por dentro. Ele ficou deprimido, ficou muito gripado e até pro hospital tivemos que levar no dia seguinte. E a caçula foi à forra.

Sabe quando me arrependi? Quase 20 anos depois. Hoje, sempre prometo para mim que irei repor a coleção, mas também adio todos os anos, até porque não dá para comprar aquela mesma marca, que não existe mais. Nem aquele tal de Hot Whells chega aos pés daqueles carrinhos. Sem falar no custo disso, relativamente alto.

Por enquanto, me delicio em saber que minha vingança foi maligna.

Darth Vader, meu herói

                                                                                       Por Darth J. Vader

 

Fui informada por meu Lord Skywalker Elton Tavares que os textos estão sendo bem recebidos e que houve elogios ao meu perfil. Fiquei encantada em saber disso e desde já agradeço publicamente a todos.

Com base nessa informação, e querendo manter dois posts por dia, dissertarei sobre alguns detalhes descritos ali do lado, a começar pelo alter ego Darth J. Vader.

Como é de conhecimento de muitos, Darth Vader é rei do Lado Negro da Força. Criado pelo cineasta americano George Lucas, um dos vilões mais amados do cinema fica em voga permanentemente, pois toda semana alguém lembra de suas maldades ou ele aparece por aí, seja em eventos do gênero Geek, seja assaltando bancos nos Estados Unidos. Até reger orquestra o cara faz.

O Vader de Lucas não é exatamente um vilão e sim um homem que não se curva fácil à vontade alheia. Ele não é muito diferente da Princesa Léia ou de Mestre Yoda, ambos sempre tentando evitar a ação dos Rebeldes. Ou melhor, impedir que sua opinião seja superada por outros, com a desculpa de “equilibrar” o Universo.

Tenho a impressão que o Lado Negro da Força foi criado somente por um motivo: para que haja o bem, tem que haver o mal, porque não há sombra sem luz. Lord Vader destaca-se por sua inteligência: é preciso toda a Confederação unida para vencê-lo, enquanto ele só queria dizer que havia outra filosofia de vida.

Além disso, convenhamos, Darth é cria dos guerreiros Jedi. Sua astúcia e perspicácia deveriam ser tema daquelas oficinas de liderança, tratado como exemplo de foco e persistência contra o sistema dominante. Ele foi derrotado por puro sentimentalismo já que tentava dar ao filho sua herança maior. Nada menos

O que você está esperando? Venha para o Lado Negro da Força!