HOJE: Cley Lunna e Fineias Nelluty se apresentam no Projeto Botequim do Sesc

botequim-11-11-16

O Setor de Cultura do Sesc Amapá informa que a apresentação do cantor Enrico Di Miceli que seria realizada nesta sexta-feira (11) dentro da programação do projeto Botequim foi alterada.

Quem assume o palco do Botequim, com participação do cantor Fineias Nelluty, no Sesc Centro nesta sexta- feira será o cantor Cley Lunna, que vem trazer um repertório variado de MBP em mais uma noite de valorização cultural.

Projeto Botequim

O Projeto Botequim acontece todas as sextas-feiras com um repertório variado de música amapaense. Tendo como objetivo oportunizar e divulgar o trabalho dos artistas locais. Há mais de 20 anos, o Projeto apresenta o melhor da MPB, Pop Rock e instrumental. Ganhando notoriedade e credibilidade pela excelência com que apresenta os músicos amapaenses.

Serviço:

Setor de Cultura – SECULT
Telefone: 3241-4440 (ramal – 227)
Email: [email protected]
Coordenadoria de Comunicação e Marketing
Email: [email protected]
Fone: (96) 3241-2220 (Ramal – 235)
Site: www.sescamapa.com.br
Facebook: Sistema Fecomércio Amapá

Hallowfest Yazigi 2016 começa hoje: o melhor Halloween do Brasil está de volta

site-segundo-1024x704

Quem não lembra com saudades do Halloween do Yázigi? As festas antológicas eram realizadas em Macapá, pela escola de idiomas, em celebração ao Dia das Bruxas. Pois é. HOJE começará o HallowFest, realizado nos dias 11, 12 e 13, no Amapá Garden Shopping.

hallowfest

O Halloween do Yazigi virou tradição em Macapá. Desde 1996, quando rolou a primeira edição da festa na sede do Sesc Araxá, a gente esperava essa festa todo ano. O evento sempre foi bem produzido e com muitas atrações. Cheio de espaços com Rock and Roll, Dance e Música Eletrônica. Foi um lance inovador na Macapá dos anos 90.

13344783_1200336966685999_2588210971439478831_n
Com minha prima Lorena Queiroz, em um dos últimos Halloeewns realizados pelo Yazigi

A decoração inventiva, toda estilizada com a temática da festa sempre foi uma atração a parte. As filas com as pessoas vestidas de preto em frente era algo quase surreal, mas incrível era esse mesmo o povo amanhecido na orla da capital amapaense, lembrava a praia do filme cidade dos anjos, uma multidão dark e feliz.

2016-09-26-photo-00000135
Este ano, o evento voltará a ser realizado, para a alegria da população amapaense, mas como um grande festival, com uma estrutura nunca vista no Amapá, batizado com a alcunha de HallowFest, no Amapá Garden Shopping, em uma área de 3.200 m² de festa. Ou seja, com muuuito espaço para vampiros, diabinhas, lobisomens, zumbis, anjas e etc…

hallowfest-mapa

O festival contará com Tenda Eletrônica em 3D; Castelo de Horrores; quatro (4) palcos com apresentações simultâneas; mais de 30 atrações locais, atrações nacionais e internacionais, 5 atrações de terror, Área VIP, pulseiras de LED e muitas surpresas que a produção está guardando pra você.

eu_macarr_o_e_rick
Halloween do Yazigi de 1998, com os amigos Ronaldo e Ricardo.

Enfim, teremos o velho e bom Halloween do Yázigi superproduzido, um evento grandioso para nos aterrorizarmos de tanta diversão. O show de “horrores” reverso será sensacional, uma espécie de pesadelo que você não vai querer que acabe, de tão bom. Preparem suas fantasias e chamem seus amigos. Vamos lá assombrar e nos assombrarmos!!

Serviço:

Hallowfest Yazigi 2016
Data: 11, 12 e 13 de novembro de 2016
Horário: dias 11 e 12 de 22h as 04h, dia 13 de 18h
Local: Estacionamento do Amapá Garden Shopping
Os ingressos estão à venda no shopping Amapá Garden e no Yázigi.

Preços:

Ingresso pista para 1 dia (11 ou 12) R$ 80,00
Ingresso pista casadinha (dias 11 e 12) R$ 140,00
Ingresso pista para o dia 13 R$ 40,00
Ingresso VIP para 1 dia (11 ou 12) R$ 120,00
Ingresso VIP para 2 dias (11 e 12) R$ 220,00
Ingresso VIP para o dia 13 R$ 70,00
Passaporte para os 3 dias VIP R$ 250,00

Acompanhe nas Redes Sociais:

Facebook: Evento Hallowfest Yazigi 2016
Instagram: @hallowfestyazigi
Informações à imprensa – (96) 98112 – 9431 ou 99128-1850

Elton Tavares

Hoje rola Quinta Jazz no Norte das Águas

14947693_10209853982178587_1752393072196678778_n

O Quinteto Amazon Music, pilotado pelo multi-instrumentista Finéias Nelluty, se apresenta hoje (10), a partir das 21h, na Quinta Jazz do Bar e Restaurante Norte das Águas. Portanto, o convite está feito para os amantes da boa música curtirem um som legal ás margens do Rio Amazonas. A entrada será franca.

Quinteto Amazon Music

O grupo musical conta Fineias Nelluty( teclado), Paulinho Queiroga (bateria), Alan Gomes (baixo), Miguel (sax) e Fábio Costa (guitarra).

A banda, formada por músicos consagrados dentro e fora do Amapá, possui a proposta de promover a música instrumental na capital amapaense. O repertório do Amazon Music é repleto de canções, em estilos diversificados como MPB, Jazz, Blues e MPA.

Serviço:

Jazz do Quinteto Amazon Music
Data: 10/11/2016
Hora: a partir das 21h.
Entrada: Franca, mas talvez role um couvert.
Local: Bar e Restaurante Norte das Águas, localizado no Complexo do Araxá, zona Sul de Macapá.

Elton Tavares

Encontro visa expandir rede de voluntários mediadores de histórias para incentivar o hábito da leitura

img_0656

Quem não gosta de uma boa história? Agora imagine a diferença que ela pode fazer na vida de crianças, jovens e adultos de comunidades onde o acesso é muito difícil e onde praticamente não há outro meio de lazer que os apresente às diversidades do mundo. Sim, a leitura movimenta a localidade e uma pequena biblioteca vira ponto de encontro dos moradorimg_0605es que querem conhecer o mundo ouvindo ou lendo uma obra. Essa é uma realidade conhecida na Amazônia brasileira e é nesses lugares que os braços da ONG Expedição Vaga Lume chega, formando uma legião de mediadores de histórias, gente da própria comunidade, para incentivar o hábito da leitura para quem se dispor a ouvir.

Em Macapá, a Vaga Lume atua em 8 comunidades e conta com o apoio logístico e de pessoal da Secretaria Municipal de Educação (Semed). img_0642E para fortalecer e expandir a rede de voluntários, uma equipe da expedição está na capital amapaense realizando, entre os dias 9 e 11, o Encontro Regional dos Mediadores de Leitura, com voluntários dos estados do Amapá, Pará e Maranhão. São 10 municípios e mais de 30 comunidades representadas no encontro, que acontece no clube de treinamento do Santos. A abertura ocorreu nesta quarta-feira, 9, com acolhimento e as primeiras rodadas de oficinas. Nesta quinta, 10, a equipe viajou para a comunidade de Tracajatuba, onde farão a doação de novo acervo literário à biblioteca local, e na sextcelice-oliveiraa, 11, acontece o encerramento com solenidade simbólica de formação dos participantes.

As educadoras da Vaga Lume, junto com a articuladora da Semed, Aurilene Tertuliano e os voluntários das comunidades, têm a missão de pensar como os livros serão usados, onde vão ficar, de que forma eles vão circular na comunidade, como potencializar o seu uso, articular apoios locais, tudo que leve a fazer do livro um objeto “vivo”. E os mediadores de leitura são as fimg_0612iguras principais nesse processo, pois são eles que disponibilizam um pouco do seu tempo, que se doam, para apresentar uma obra literária ao outro, sem receber nada em troca, além da satisfação pessoal.

Esses voluntários são agricultores, donas de casa, jovens e pescadores, como Benedito Ferreira, da comunidade de Campina de São Benedito, no distrito do Pacuí. Ele é responsável, junto com outros voluntários, pela gestão da pequena biblimg_0599ioteca Criança Feliz. “Meu tempo é todo dividido. Quando não estou entre as malhadeiras e anzóis nos rios e igarapés, estou na biblioteca, lendo para as crianças, emprestando os livros para quem quiser, reunindo com os moradores para falar de leitura”, conta o pescador.

Já a professora Nicinha Rodrigues veio de muito longe para o encontro, da comunidade Menino Deus, Portel, no Pará. É uma típica região ribeirinha, onde a rua é o rio Amapus Estreito e seus afluentes. Moram apenas 40 famílias na comunidade e a biblioteca Alegria do Saber é a diversão local, img_0690claro, além dos banhos nos rios, futebol no cerrado e as outras gostosuras que só o interior oferece. “Temos cerca de 150 livros e o número de empréstimo é grande. As crianças escutam a leitura na biblioteca, gostam e pedem o livro para ler para os outros irmãos e pais. A gente que mora no interior sonha com que nossas crianças, que têm pouco acesso a tudo, possam crescer como pessoa e profissional, e celice-oliveirasó a leitura e os estudos podem realizar este sonho, nada mais”.

Transportar milhares de livros para localidades da Amazônia não é uma tarefa fácil, mas vale a pena, é o que conta Celice Oliveira, educadora da Vaga Lume e coordenadora do encontro. “As comunidades amazônicas têm muitas peculiaridades, demanda uma logística grande, por isso contamos com o apoio de parceiros como a companhia aérea Azul. A Vaga Lume tem em todos os municípios um representante. Em Macapá esse papel é feito pela professora Aurilene Tertuliano, que discute com os mediadores estratégias de atuação para o futuro da Vaga Lume e em como podemos expandir ainda mais o acesso ao livro nessas comunidades rurais”.img_0632

Reafirmando o papel da gestão em apoiar iniciativas que fortalecem o ensino, o secretário municipal de Educação, Paulo Mendes, afirma que ler é a ferramenta mais importante na vida de qualquer pessoa. “É o que lhes dá empoderamento, por isso a Prefeitura de Macapá sempre estará junto de iniciativas como esta, levando livros e leitura para nossas comunidades, aonde quer que seja”.

Rita Torrinha/Asscom Semed
Contato: 99189-8067
Fotos: Saulo Silva

Loja Accessus com descontos de até 50% em compras à vista

acessosloja1

A loja Accessus está com descontos de até 50% em compras à vista. Lá você encontra uma variedade de roupas das melhores marcas do Brasil e do mundo. Os homens poderão adquirir camisas U.S Pólo ou Aleatory. Já as mulheres podem aproveitar e comprar bolsas e acessórios.

Na Accessus você encontra artigos esportivos, roupas casuais e despojadas, das linhas mais refinadas. Todos os produtos da loja são de altíssima qualidade. Sou cliente e garanto.

acessuslojarochellimidia1

A loja fica no centro da cidade. Logo ali na Rua: Eliezer Levy, Nº1083, esquina com a Avenida Raimundo Álvares da Costa. Vá lá e seja feliz!

Serviço:

Loja Accessus com descontos de até 50% em compras à vista
Endereço: Rua: Eliezer levy 1083 Bairro central
Telefone: 3222-0543
Horário de funcionamento: de 9h às 19h

Elton Tavares

Informe publicitário. 

Festival Temático de Trânsito: prefeito destaca importância da escola preparar alunos para a vida

img_0050-copy

Muita alegria e colorido marcaram o penúltimo dia de apresentações do Festival Estudantil Temático de Trânsito (Fetran). A iniciativa é da Polícia Rodoviária Federal, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed) e Estado. O prefeito Clécio Luís e o titular da Semed, Paulo Mendes, acompanharam cada escola que se apresentou no Teatro das Bacabeiras, na terça-feira, 8.

Na capital, o Fetran envolveu alunos de 12 escolas da rede pública municipal, inserindo atividades pedagógicas do cotidiano escolar e incluindo transversalmente a temática “trânsito” na vida dos estudantes. O chefe do 4º distrito da Polícia Rodoviária Federal do Amapá, inspetor Aldo Balieiro, lembrou que a parceria iniciou com apenas três escolas. “Hoje ampliamos esse número, chegando a 15, sendo 12 municipais e três estaduais. Com esse projeto, conseguimos atingir aproximadamente 20 mil alunos e este ano estamos estendendo para os municípios de Porto Grande, Tartarugalzinho, Amapá e Oiapoque. Nossa meta é atingir os 16 municípios do estado”.

img_0119-copy
Este é o terceiro ano da parceria entre Prefeitura de Macapá e Polícia Rodoviária Federal. Aos 9 anos de idade, a aluna do 3º período da Escola Municipal Ana Lúcia Deniur, Ana Vitória Chaves, já entende a importância de respeitar as regras do trânsito e, principalmente, o valor que tem a vida. “É preciso respeitar as leis para não provocar acidentes nas ruas e rodovias”, comentou a pequena estudante.

img_0019-copy
Clécio Luís destacou a importância da escola preparar os alunos para a vida, seja onde for, nas ruas, em casa e na própria cidade. “Por isso, educar nossas crianças para viver bem no trânsito equivale ensiná-las para a vida, porque vivemos em nosso dia a dia alguma atividade em trânsito. Essa educação que estamos tratando neste evento é tão importante quanto saber matemática, química, geografia ou história. Macapá durante muito tempo foi considerada a capital com maiores índices de morte no trânsito. Conseguimos mudar essa realidade com investimentos em sinalização, semáforos, radares e uma série de outras medidas, mas principalmente com a educação e, sobretudo, com o foco nas nossas crianças que serão futuros condutores”.
img_0106-copy
A programação do Fetran continua nesta quarta-feira, 9, e conta com a participação das seguintes escolas: Josafa Aires da Costa, Eunice das Chagas Fernandes Sousa, José Duarte de Azevedo, AEIOU, Eficaz, Lúcia Neves Deniur, Vera Lúcia Pinon, Curralinho, Eliana Flexa, Maria Izabel Fernandes Ribeiro, Odete Almeida Lopes e Hildemar Maia.

Adryany Magalhães/Asscom PMM
Fotos: Saulo Silva

Arte-educador de Macapá recebe Diploma Destaque Cultural

img-20161108-wa0011

Fábio Souza Moreira, conhecido como Fábio Nescal, artista e professor efetivo do quadro municipal de Macapá, foi contemplado com Diploma Destaque Cultural pelos relevantes serviços em prol do desenvolvimento da Literatura no estado do Amapá. O reconhecimento ocorreu no sábado, 5, na Praça Veiga Cabral, durante moção de Destaque Cultural – homenagem realizada pelo Conselho Estadual de Cultura do Amapá aos Poetas e Escritores Amapaenses alusiva ao Dia Nacional da Poesia (31 de outubro). Fábio desenvolve suas atividades pedagógicas no Comitê Proler Municipal de Macapá, promovendo o incentivo à leitura aos alunos, por meio de Contação de Histórias e declamação de poesias.

nescalNescal é daqueles professores que fazem a diferença. Ele une os dois ofícios, o de professor e o de artista, para cumprir a missão de educar com felicidade. E nesses dois setores o currículo dele é extenso. É formado em Pedagogia, acadêmico do curso de Teatro, na Unifap e pós-graduando em Contação de Histórias. É ator, escritor, contador de histórias, animador de eventos em geral com seu personagem carro-chefe Tio Nescal, membro da Associação Literária do Amapá (Alieap), Coletivo de Artistas, Produtores e Técnicos em Teatro do Amapá (CAPTTA), Shibaki Produções, presidente do Grupo Teatral Turma do Nescal e Tio Nescal & Banda.fabio3

Iniciou sua carreira literária no início da adolescência escrevendo diversos poemas, contos e textos teatrais. Teve sua estreia no universo literário no ano 2000 ao participar do III Festival Amapaense de Poesias com o poema Afeição Profunda, evento realizado pela Associação dos Escritores Amapaense e Clube dos Poetas. Passou pelos principais grupos e companhias de Teatro do Amapá, com destaque para Cia. Que Maravilha! Bando do Teatro, Boca de Cena, Língua de Trapo. Possui em seu currículo mais de 17 espetáculos teatrais, com destaque para as montagens de sua autoria: Alecrim e o Livro Encantado; Super Verdinho em defesa do meio ambiente; Tio Nescal é Diversão Total e Tio Nescal & A Magia dos Contos de Fadas.

fabio2Em 2014 e 2015 ganhou o Prêmio Destaque do Ano na Categoria Melhor Animador de Eventos Infantis. Ainda em 2015 recebeu o Prêmio de Melhor Ator no II Festival de Esquetes Teatrais do Centro Cultural Franco Amapaense. Entre as suas obras que estão prontas para serem lançadas estão os títulos “Desejo proibido e outros poemas” e “Conto Contos”.

“É muito gratificante poder contribuir na educação das crianças por meio do meu trabalho, que anima e diverte a todos. Para eu, todo professor tem que se permitir ousar, experimentar e inovar. Essa é a arte de ensinar com recursos pedagógicos da arte e da cultura, na educação infanto-juvenil”, pontua Nescal.

Rita Torrinha/Asscom Semed
Contato: 99189-8067

Novembro Azul também é lembrado no transporte público de Macapá

novembro-azul-2
Assim como foi em outubro com ônibus cor-de-rosa, no Novembro Azul também terá ônibus caracterizado com a cor rodando na capital. As iniciativas querem alertar a população sobre a importância dos exames de prevenção e detecção do câncer de mama e do câncer de próstata.

Em outubro, período que em todo o Brasil foram feitas ações de prevenção e sensibilização em relação ao câncer de mama, a Companhia de Trânsito e Transporte de Macapá (CTMac) e a empresa operadora do sistema de transporte público da capital Amazontur resolveram colocar no sistema um ônibus especialmente caracterizado para lembrar a campanha. Um ônibus adesivado com a cor começou a rodar em Macapá na linha Pedrinhas/Novo Horizonte.

Agora, no Novembro Azul, onde a campanha visa os cuidados com o câncer de próstata, a iniciativa foi a mesma, visando sensibilizar o público masculino a fazer os exames necessários para prevenção. A linha contemplada é a 116, com o itinerário Renascer/Unifap e começará a circular na manhã desta quarta-feira, 9, e deve rodar caracterizado até o fim do ano.

Patricia Leal/Asscom CTMac
Contato: 99111-8868

Nota de Falecimento – Idevan Oliveira

10704180_298573747012396_61344906841729490_n

Morreu no fim da noite da segunda-feira, 7, o empresário Idevan Oliveira, dono da tradicional sorveteria Jesus de Nazaré e do restaurante Bizzum da Pizza. Ele tinha 52 anos, e estava em coma após uma cirurgia cardíaca.

Em outubro, o empresário estava em São José do Rio Preto visitando o filho quando se sentiu mal. Exames demonstraram que era necessário que ele passasse com urgência por uma cirurgia de peito aberto para colocação de duas mamárias e uma safena.

A cirurgia correu bem, mas no pós-operatório ele teve dois AVCs que impediram a circulação de sangue no cérebro”, comenta um amigo da família.

No último domingo, 6, já com a morte cerebral, a família foi informada pelo médico que Idevan Oliveira teria no máximo 72 horas de sobrevida. A previsão se confirmou às 23h48min da segunda-feira, horário local.

Os pais do empresário, que são bastante idosos e moram em Macapá, foram avisados apenas na manhã desta terça-feira, 8, sobre o falecimento do filho, para que fossem poupados de uma noite inteira de insônia e tristeza.

O corpo do empresário está sendo transladado para São Paulo, de onde seguirá para Macapá. A previsão de chegada é 3h da madrugada da quarta-feira, 9. O local do velório ainda não foi anunciado pela família.

Fonte: SelesNafes.Com

 

Prefeitura promove programação de lazer e recreação aos moradores do Residencial São José

img_1062-2
No fim de semana as famílias do Residencial São José, situado na zona sul de Macapá, tiveram um dia diferente com programação de lazer e recreação. O objetivo foi promover ações socioeducativas para crianças e adolescentes. O projeto faz parte da implantação do Plano de Desenvolvimento Sócio Territorial (PDST), desenvolvido pela empresa Sawaki Marinho e Prefeitura de Macapá.

Entre tantos pequeninos, os pais voltaram a ser crianças e foram juntos com os filhos embalados nos hits de músicas infantis da década de oitenta, ao som de Balão Mágico, Trem da Alegria e vários outros grupos que marcaram essa época. A animação ficou por conta dos palhaços Tio Miojo, Rapadura, Murici, Turma do Nescau, além dos fantoches de Mestre Guiga, “o bonequeiro”.

img_1056-2

“Muito bom isso aqui, saímos da rotina. Trouxe os meus filhos e estou me divertindo junto com eles”, enfatizou a dona de casa Amália Freitas. A garotada participou com entusiasmo e muita alegria das diversas brincadeiras e atividades esportivas e recreativas proporcionadas pelos monitores do programa.

img_1096-2
Foram oferecidas brincadeiras em cama elástica, pula-pula, circuitos infantis e oficinas diversas, tais como: artes e criatividade, pintura de rosto, desenho, massinhas, além de jogos recreativos e desportivos – cabo de guerra, golzinho, voleibol, peteca, damas, dominó, xadrez, entre outros. Aos participantes das brincadeiras foram distribuídos picolés, hot-dog, algodão doce, pipoca e refrigerantes. Foram distribuídos ainda diversos brindes para a criançada. “O evento pretende melhorar a convivência entre as pessoas e dar orientações básicas aos moradores”, declarou a coordenadora de Habitação de Macapá, Mônica Dias.

Lilian Monteiro/Asscom Semast
Contato: 99909-7556 / 98141-1697

Cantora Patrícia Bastos lança sexto CD da carreira em Macapá

14885761_1371904589529235_2112812542_n

Por Jéssica Alves

A cantora amapaense Patrícia Bastos vai lançar em Macapá o sexto CD da carreira, no dia 11 de novembro. O novo trabalho, chamado de “Batom Bacaba”, reúne uma mistura dos ritmos marabaixo, batuque e cacicó. O show de lançamento terá a participação de músicos convidados.

Sucesso em diversas cidades brasileiras, como São Paulo, Rio de Janeiro e Campinas, o novo trabalho da artista tem oito canções inéditas, que usam a linguagem musical, evidenciada em acordes de violão e notas de teclados, exaltando a poesia das músicas, com dialeto típico da região nortista.

Patrícia Bastos é acompanhada pelos músicos convidados Dante Ozzetti, Du Moreira, Marcelo Effori, e percussionistas do Trio Manari, Kleber Paturi e Nazaco Gomes. “Batom Bacaba” teve produção e lançamento patrocinado por uma empresa nacional de cosméticos.

b920fc4375e9bcabe1abdaa8f3929c11881d7da58781775e144571ab9cde88b9

Patrícia Bastos

Formada em administração, a macapaense começou a se dedicar à música aos 18 anos, quando entrou para a Banda Brinds. Filha do educador Sena Bastos e da cantora Oneide Bastos, Patrícia cresceu rodeada por músicos que fazem parte da história do Amapá.

Na década de 90, Patrícia começou a carreira solo, cantando em bares de Macapá. Depois começou a participar de festivais editais do governo federal para realizar shows pelo país. Patrícia Bastos já gravou cinco discos voltados para a música regional.

Serviço

Patrícia Bastos lança ‘Batom Bacaba’ em Macapá
Data: 11 de novembro
Hora: 21 horas
Local: Teatro das Bacabeiras
Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia)

Fonte: G1 Amapá

22 bandas de Rock e 14 DJ’s: o Line-up do Festival Hallowfest está sensacional!

14570375_1478994358783749_5352626329654518150_n

O Festival Hallowfest, versão superproduzida do Halloween do Yazigi (que marcou época pela grandiosidade e tradição do evento), será realizado nos dias 11, 12 e 13 de novembro, na área do Amapá Garden Shopping. Com vários ambientes, o evento terá um Line-up nunca visto em terras tucujus. Confira as bandas e DJ’s que tocarão no festival:

14495490_1478321092184409_275292757401050523_n

Os palcos serão divididos

O Rock’n Horror, destinado às bandas de Rock and Roll, com apresentações de 22 bandas locais. Este espaço contará com shows durantes os três dias. Vale lembrar que a renomada banda Hydra voltará aos palcos no evento.

No dia 11 o palco recebe as bandas e artistas Projeto Hellen Ramos; Brenda Zeni ; Stereovitrola; Sislop; Dezoito21; Alto lá; The End e Destroy Uranus .

Já no sábado, 12, os grupos que tocarão são: Keona Spirit ; Kairos; Hidrah; Morrigam; Vennecy; Terror Room; Matinta Perera e Profetika.

No domingo, 13, para fechar o piseiro, se apresentam: Overhaul; Nova Ordem; Seven Sins; Calango do Cerrado; My Betrayal e Desolation.

14572155_1481819061834612_9176376693027935353_n

Tem mais!

Além desses dois ambientes, terá também o Palco Ressurection (Principal), que será na parte do estacionamento coberto do Garden, com capacidade para 5.000 pessoas, virando uma grande boate, ao comando do Dj Alain Cristopher.

A proposta para o primeiro dia nesse palco é de trazer um pouco do flash-back, especialmente para a galera que já curtia os primeiros hallowfests. Este palco contará ainda com os DJ’s: Adriano Neves; Raoni; Arizinho ; Banda Babilonia e DJ Michel Xerfan.

14570348_1481980535151798_7686651495894411795_n

A Tenda (Palco) eletrônica e o Principal, ambos com DJ’s amapaenses e de fora do Estado. Inclusive com os festejados discotequeiros da produtora Curupira Vampiro.

14642151_1481898158493369_7284737607868278025_n

As duas maiores atrações de música eletrônica são o DJ Mandraks (São Paulo), que é um dos nomes mais conhecidos na música eletrônica do Brasil e A Liga (de Florianópolis). São quatro DJ’s que fazem uma mistura de ritmos incríveis, misturando black music, trap e música eletrônica, não deixando ninguém parado. Além das atrações nacionais, neste palco ao longo do evento, tocarão os DJ’s: Diesel Green; YAZ e Luih Grangeiro.

Serviço:

Hallowfest Yazigi
Dias: 11,12 e 13 de novembro;
Local: Amapá Garden Shopping;
Horário: dias 11 e 12 de 22h as 04h, dia 13 de 18h a 00h;
Os ingressos estão à venda no shopping Amapá Garden e no Yázigi. Os valores são variados.
Ingresso pista para 1 dia (11 ou 12) R$ 80,00
Ingresso pista casadinha (dias 11 e 12) R$ 140,00
Ingresso pista para o dia 13 R$ 40,00
Ingresso VIP para 1 dia (11 ou 12) R$ 120,00
Ingresso VIP para 2 dias (11 e 12) R$ 220,00
Ingresso VIP para o dia 13 R$ 70,00
Passaporte para os 3 dias VIP R$ 250,00

Elton Tavares, com informações de Yasmin Toledo e Equipe Hallowfest.

*Todas as informações sobre a festa estão no instagran do evento (@hallowfestyazigi) e site do Festival: http://hallowfest.com.br/

No AP, halloween regional traz ‘visagens e misuras’ no Espaço Caos

caos

Uma noite de misticismo, com direito a assombrações e espíritos da floresta, deve reunir personagens do folclore brasileiro, além dos tradicionais monstros, vampiros e fantasmas no halloween “Visagens e Misuras” do Espaço Caos – Arte e Cultura. O evento está marcado para sábado (5), a partir das 18h, na sede do projeto em Macapá.

A tradição é americana, mas os personagens são regionais. Essa é a ideia do halloween do Caos. “Conta a lenda, que à noite, um assobio agudo perturba o sono das pessoas e assusta as crianças. Para quem não sabe esta é a Matinta Perera, que se transmuta em uma ave cujo assobio nunca se sabe de onde vem”, diz a apresentação da festa, confirmando a presença da bruxa folclórica.

As atrações prometem sons que variam do death metal melódico ao eletrohouse. A festa conta ainda com a exibição de curtas metragens de terror pelo Cinegore, maquiagem zumbi e concurso de fantasia.

Entre as bandas confirmadas estão Morrigam (death metal melódico), Matinta Perera (heavy metal experimental) e Sistema Feudal (System Of Down Cover). No palco livre estarão a Faccção Mental (rap hardcore), My Betrayal (metal core), Brutal Tormento (new metal/death metal) e DJ DenyStep (eletrohouse/dubstep).

A organização informa que a entrada de menores de idade só é permitida com o acompanhamento dos responsáveis legais.

Serviço

Halloween Visagens e Misuras
Dia: 5 de novembro
Hora: 18h
Local: Espaço Caos – Arte e Cultura, na Av. Procópio Rola, nº 1572, entre Manuel Eudóxio e Professor Tostes.
Ingresso: R$ 10. Antecipado fica no valor de R$ 7 (na Underground Rock Wear, segundo piso do Vila Nova Shopping).

Fonte: G1 Amapá

Patricia Bastos canta o Amapá no belo disco ‘Batom Bacaba’ – Via Isto É

14885761_1371904589529235_2112812542_n

Algo doía fundo sempre que Patricia Bastos via amigos músicos irem a programas de rádio ou TV acompanharem outros artistas. Quando o apresentador perguntava de onde eram, mentiam. Fortaleza, Recife, Maceió, mas nunca diziam Macapá. Do que tinham vergonha? Da origem nortista de pele morena, cabelos negros e sangue afro-indígena? Das piadas sobre as incertezas de um “fim de mundo” próximo ao Oiapoque? Ou seria a insegurança de uma terra que não produziu músicos que se tornassem referenciais de projeção nacional?

patricia-bastos

Depois que Patricia cresceu e se tornou cantora, sentiu tudo ao contrário. Afirmar-se como amapaense lhe soava uma missão. Mais ainda. Se os anjos das águas amazônicas ajudassem, ela traria quem pudesse em seu barco. O Amapá tem uma música que o Brasil não conhece e uma gente que cria canções com uma sensibilidade arrebatadora. Seu novo disco, Batom Bacaba, tem força para dois feitos. Ao mesmo tempo em que a coloca como uma das grandes cantoras em ação, pode dar voz a compositores locais que nunca estiveram em uma cena, que nunca contaram com um porta-voz. Os tambores do marabaixo, o ritmo mais forte da região, jamais tiveram algo parecido com um presente que o maracatu pernambucano recebeu nos anos 1990 chamado mangue beat. Foi só depois dele que uma geração inteira conheceria a produção cultural de Pernambuco.

14192663_1074680675903067_8578826581159032455_n

Há duas forças disputando espaços no álbum Batom Bacaba, com produção e lançamento patrocinado pela empresa de cosméticos Natura. De um lado, existe a presença dos dois produtores de personalidade artística forte, o violonista e compositor Dante Ozzetti e o músico Du Moreira. De outro, as informações trazidas nos genes de Patricia. A boa notícia é que a disputa não tem vencedores, o que faz o álbum chegar a um equilíbrio saudável entre a busca pelos tempos de hoje nos detalhes de estúdio e a expressão de uma música que brota do chão de Macapá há muitos anos. Se um dos dois lados vencesse, o resultado não seria o mesmo. O show de lançamento em São Paulo, depois de uma apresentação no Rio de Janeiro, será na próxima quinta-feira, dia 6, no Centro Cultural Rio Verde.

img_1439-1

A abertura do disco com Loba Boba, de Zeca Baleiro e Joãozinho Gomes, grande compositor paraense que vive no Amapá, é uma falsa pista. Nada será de novo tão sintetizado quanto esta base. Os caminhos se abrem mais com o passar do tempo, mas Patricia sempre vai caminhar entre o lirismo das canções e os arranjos pequenos e sutis de Dante. Luz de Lampião, de Nilson Chaves, também paraense, e Joãozinho, deixa a voz livre para cortar o som das cordas e de poucos ruídos eletrônicos até ganhar uma base mais cheia de teclados e mais violão. Tudo isso enquanto a música ganha força na poesia de dialeto nortista: “Nos sentu naquela terra, pra modiar / Sob o pé da gameleira tinha um luar / E a lua disse em verso / Com a voz do vento / Que nós semu como o sol / Vivemo nos bucejo da manhã”.

destaque_patricia_0

O encontro de Patricia com o Dante compositor acontece em O Desenho da Cidade, que ele fez com Luiz Tatit. E a parceria volta em Brisa e Brasa e Horizonte (com a voz de Ná Ozzetti). Depois, Dante aparece com Joãozinho Gomes como autores de Tudinha Acesa. São os momentos de encontro da linguagem de Patricia com a visão lírica e harmônica de Dante, algo que blinda o álbum de qualquer possibilidade de torna-se didático, regional, folclórico.

patricia1

Batom Bacaba, a música, é dos momentos maiores do álbum. A canção é do violonista amapaense Enrico Di Miceli com versos de Joãzinho Gomes, sempre ele. Enrico é um craque. Suas escolhas nunca são as mais fáceis mas sua música nunca fica difícil, intransponível. Ele é dono de uma habilidade harmônica impressionante e criador de melodias desconcertantes. Isso tudo sobre letra de lirismo feminino de Joãozinho: “E a maloca então ficou maluca / Como se ali passasse a pororoca / E a passarada fez uma muvuca / Cantando essa cantiga curiboca…”.

6af38023-31d3-48d6-b33a-37adb340ddd6_patriciabastos

Outro nome das terras do Norte é o de Paulinho Bastos, irmão de Patricia. Percussionista, pesquisador, especialista nos tambores de marabaixo e da batucada amapaense (outra expressão que não existe fora de Macapá), ele é também autor de três das músicas de maior poder de comunicação no disco, Domingo de Páscoa, O Batom Que Não Viu e o afro Banto. Paulo está em processo de finalização de seu próprio álbum, uma promessa quando se conhece um pouco da forma como ele pensa música.

A parceria de Joãozinho Gomes com Val Milhomem, outro importante compositor macapaense, entrega duas músicas de força pop e poesia afiada, a bela Mei Mei e a dançante Mameluca. Se fossem outros tempos, a primeira seria forte candidata ao que se chamava de “carro-chefe”, a que primeiro tocaria nas rádios.

copia-de-dsc_0023

Patrícia Bastos é filha de pai educador e músico e mãe cantora, Dona Oneida, a primeira mulher do Amapá a gravar um disco, produzido pelo mestre das guitarradas Manoel Cordeiro. É desse barro, dos encontros entre músicos em sua sala com todos os quatro irmãos tocando e cantando, que Patricia foi feita. Aos 18 anos ela já cantava em um grupo da noite com o qual aprendeu os primeiros truques no Bar Carinhoso, a Banda Brinds. Depois, cantou em grupo de baile e passou pelo avassalador teste dos cantores de carnaval.

13726657_863069120491414_969376338707082293_n

Seu primeiro álbum saiu em 2000, chamado Pólvora e Fogo, só com compositores do Amapá. Depois vieram Patrícia Bastos In Concert (ao vivo, de 2004); Sobre Tudo (2007); Eu Sou Caboca (2009) e o premiado Zulusa (2013). Foi com este disco que Patrícia ganhou, em 2014, os prêmios de melhor cantora regional e melhor disco regional durante o 25.º Prêmio da Música Brasileira. Chamá-la de regional é redutor, mas o mercado ainda entende assim, em catalogação por prateleiras. Seu disco de agora faz exatamente o contrário, a retira da seção dos regionais para torná-la mais abrangente.

patricia-bastos-1

Eu senti a necessidade de procurar a história de Amapá e de levá-la para o mundo”, diz Patricia. “Eu sempre senti falta dessa história, as pessoas daqui tinham vergonha de dizer que eram do Norte. Resolvi então que, a partir de agora, eu iria cantar a minha aldeia.” E é assim que ela acaba cantando o mundo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: Isto É