Campanha de vacinação antirrábica chega ao Conjunto Habitacional Açucena

Até o dia 24 de setembro, os tutores de cães e gatos do Conjunto Habitacional Açucena e bairros adjacentes poderão vacinar os seus animais domésticos contra a raiva animal. A vacinação será realizada das 9h às 12h na associação de moradores do conjunto habitacional, localizado na zona sul de Macapá.

A ação é direcionada aos animais acima de três meses de idade e que estão em bom estado de saúde. Aqueles que passam por algum tipo de tratamento que necessita do uso de medicamentos como anti-inflamatórios e antibióticos deverão esperar o fim do procedimento para que a vacina seja administrada. Neste caso, o animal doméstico precisará da autorização de um médico veterinário.

Além do ponto de vacinação no Conjunto Habitacional Açucena, o Departamento de Vigilância Ambiental (DVA), ligado à Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), disponibiliza dois locais fixos para realização do procedimento. É possível encontrar o imunizante no próprio prédio do departamento, que funciona na alameda Campo Belo, 207-11, no bairro Cabralzinho, e no Canil Municipal, localizado na Rodovia JK, em frente ao Parque de Exposições da Fazendinha.

Nesses dois locais a imunização acontece de 9h às 13h e para receber a dose da vacina é necessário apresentar a carteira de vacinação do animal.

Secretaria Municipal de Comunicação Social

Primavera dos Museus: Sacaca abre espaços místico e sensorial com exposições e histórias

Interior do Museu Sacaca, em Macapá — Foto: MR Fonseca/Arquivo Pessoal

Por John Pacheco

O Museu Sacaca, em Macapá, preparou extensa programação para atender ao público durante a 15ª Primavera dos Museus, que acontece em todo o país.

O espaço, gerenciado pelo Instituto de Pesquisas Científicas do Amapá (Iepa), terá exposições, contação de histórias, inauguração de espaços e diversas outras atrações entre quarta (22) e sexta-feira (24).

Entre as novidades está a abertura de dois novos locais de visitação: o Jardim Sensorial e o Espaço Místico. A programação é para todas as idades e inicia a partir de 9h no Museu, localizado na Avenida Feliciano Coelho, número 1509, bairro Trem. A entrada é gratuita.

Espaço Multimídia no Museu Sacaca — Foto: Victor Vidigal/G1

Confira as atrações:

22 de setembro (quarta-feira)

10h – Inauguração do Jardim Sensorial do Museu Sacaca
10h – Inauguração do espaço místico
9h às 17h – Exposição em banner: Turé dos Povos Indígenas
9h às 17h – Exposição: educação ambiental e a fauna amazônica
9h às 17h – Exposição IEPA: taxidermia
9h às 17h – Leitura coletiva e exposição de livros indígenas na Casa de Leitura
9h às 17h – Mesa redonda on-line: “perdas e recomeços”, disponível nas redes sociais do Museu Sacaca
10h às 16h – Exposição de vídeos no espaço de educação ambiental
10h às 16h – Exibição de curta: 30 anos do Iepa, no espaço Multimídia
10h30 às 16h – Contação de histórias no Bosque do Açaí: Emília e Curupira
23 de setembro (quinta-feira)

9h às 17h – Leitura coletiva e exposição de livros indígenas na Casa de Leitura
9h às 17h – Exposição em banner: Turé dos Povos Indígenas
9h às 17h – Exposição: educação ambiental e a fauna amazônica
9h às 17h – Exposição IEPA: taxidermia
9h às 17h – Mesa redonda on-line: “perdas e recomeços”, disponível nas redes sociais do Museu Sacaca
10h às 16h – Exposição de vídeos no espaço de educação ambiental
10h às 16h – Exibição de curta: 30 anos do Iepa, no espaço Multimídia
10h30 às 16h – Contação de histórias no Bosque do Açaí: Emília e Curupira
24 de setembro (sexta-feira)

9h às 17h – Leitura coletiva e exposição de livros indígenas na Casa de Leitura
9h às 17h – Exposição em banner: Turé dos Povos Indígenas
9h às 17h – Exposição: educação ambiental e a fauna amazônica
9h às 17h – Exposição IEPA: taxidermia
9h às 17h – Mesa redonda on-line: “perdas e recomeços”, disponível nas redes sociais do Museu Sacaca
10h às 16h – Exposição de vídeos no espaço de educação ambiental
10h às 16h – Exibição de curta: 30 anos do Iepa, no espaço Multimídia
14h às 17h – Roda de conversa: “povos indígenas do Amapá – perdas e recomeços”

Foto: G1 Amapá.

Institucional: presidente do CNPG e PGJ do MP-AP, Ivana Cei, se reúne virtualmente com dirigentes da Anamatra

A presidente do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais (CNPG) e procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Ivana Cei, reuniu-se, de forma virtual, nesta terça-feira (21), com o presidente e diretores de Informática e de Assuntos Legislativos da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), juízes Luiz Colussi, Jônatas Andrade e Valter Pugliesi, respectivamente. Durante o encontro foram debatidos assuntos institucionais de interesse comuns do MP e magistratura nacional.

Os dirigentes da Anamatra pediram o apoio da presidente do CNPG e PGJ do MP-AP para realização de ações integradas em Brasília, em favor da magistratura e do Ministério Público brasileiro.

“Nosso país atravessa momentos difíceis e para seguirmos fazendo nosso trabalho em favor da sociedade, precisamos de um MP forte, bem como, da magistratura forte. Vamos trabalhar uma ampla articulação política e institucional, envolvendo associações e instituições do Ministério Público e Poder Judiciário para reforçar a atuação institucional”, comentou Ivana Cei.

Sobre a Anamatra

A Anamatra foi fundada em 28 de setembro de 1976, em São Paulo, durante o Congresso do Instituto Latino Americano de Direito do Trabalho e Previdência Social, quando magistrados decidiram criar uma entidade de âmbito nacional, “com a finalidade de congregar os juízes do trabalho do país em torno de seus objetivos e interesses comuns”.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Elton Tavares
E-mail: [email protected]
Contato: (96) 3198-1616

Promoção e remoções de promotores de Justiça foram efetivadas nesta segunda-feira (20), pelo Conselho Superior do MP-AP

O Conselho Superior do Ministério Público do Amapá (CSMP/MP-AP), na segunda-feira (20), realizou a posse dos promotores de Justiça Neuza Rodrigues Barbosa, David Zerbini de Faria Soares e Fabiano da Silveira Castanho, em razão de remoção, e do promotor de Justiça Hélio Furtado Santos Furtado, em decorrência de promoção. A sessão híbrida foi presidida pela procuradora-geral de Justiça, Ivana Cei, com participação do corregedor-geral, Jair Quintas, e dos conselheiros, procuradores de Justiça Nicolau Crispino, Joel Chagas e Estela Sá, sendo secretariada pelo promotor de Justiça Vinicius Carvalho.

A promotora de Justiça Neuza Barbosa foi removida, por antiguidade, na entrância final, da 3ª Promotoria de Justiça Criminal e de Auditoria Militar de Macapá para a titularidade da recém-criada 4ª Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Macapá, a partir do dia 4 de outubro de 2021.

Removido na entrância inicial, também pelo critério de antiguidade, o promotor de Justiça David Zerbini para a titularidade da Promotoria de Justiça de Calçoene, deixando a 2ª Promotoria de Oiapoque, a partir desta data, 20/09/2021.

Pelo critério de merecimento, o promotor de Justiça Fabiano Castanho, foi removido, na entrância inicial, da titularidade da 2ª Promotoria de Justiça de Laranjal do Jari para a Promotoria de Pedra Branca do Amapari.

Empossado, ainda, o promotor de Justiça Hélio Furtado, promovido para a entrância inicial, por antiguidade, para ser o titular da 1ª Promotoria de Justiça de Oiapoque, a contar da data de posse.

Os conselheiros destacaram a atuação de cada um dos empossados. Jair Quintas falou da importância nessa movimentação para motivar a atuação dos membros, situação essa que Nicolau Crispino manifestou como um momento de felicidade e marcante na carreira, enquanto que Joel Chagas destacou a atuação e reconhecimento do trabalho de todos, com Estela Sá reafirmando as qualidades e colocando-se à disposição para orientar no que for preciso.

A PGJ agradeceu ao trabalho do Conselho Superior e parabenizou os empossados. “Meus parabéns aos promotores de Justiça que darão mais um passo na carreira ministerial. A Procuradoria-Geral de Justiça estará sempre à disposição, proporcionando as melhores condições de trabalho para que possam desempenhar suas funções da melhor maneira possível em benefício da sociedade”, manifestou Ivana Cei.

Participaram ainda da sessão o ouvidor do MP-AP, Paulo Celso Ramos, e a procuradora de Justiça Judith Teles, coordenadora-geral dos Centros de Apoio Operacional do MP-AP.

Durante a Sessão, a PGJ aproveitou para registrar e parabenizar os 25 anos de empenho e dedicação ao Ministério Público do Amapá, neste dia 20 de setembro de 2021, ao ouvidor Paulo Celso, e aos promotores de Justiça: Milton Ferreira do Amaral Júnior, Flávio Costa Cavalcante, Iaci Pelaes dos Reis, Alessandra Moro de Carvalho Valente e Roberto da Silva Alvares.

Serviço:
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Gilvana Santos
E-mail: [email protected]
Contato: (96) 3198-1616

Prefeitura de Macapá firma cooperação técnica com a Fiocruz para elaboração do Jardim Terapêutico Tucuju

A Prefeitura de Macapá firmou nesta terça-feira (21) uma cooperação técnica com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O acordo prevê a criação de um Jardim Terapêutico Tucuju. O projeto será executado no Bioparque da Amazônia e pretende estimular a fitoterapia complementar através da criação de canteiros de espécies medicinais e aromáticas, principalmente amazônicas.

“Este momento é histórico e muito importante para a produção científica macapaense. Essa parceria com a Fiocruz nos orgulha pelo reconhecimento. O acordo celebra uma troca de saberes, valorizando a sociobiodiversidade. O Bioparque da Amazônia é um ativo grande e não deve ser visto apenas pelo viés do turismo ecológico, afinal ainda chegará o dia em que o parque não será mais somente do Amapá, e sim do mundo”, destacou o prefeito de Macapá, Dr. Furlan.

O projeto do Jardim Terapêutico pretende também identificar espécies medicinais arbóreas, que servirão como instrumento didático para revitalização da fitoterapia amazônica, caracterizada pelo uso de cascas, resinas, raízes e folhas das espécies locais.

De acordo com o diretor-presidente do Bioparque, Marcelo Oliveira, o município de Macapá é o primeiro da região norte a celebrar um acordo de cooperação técnica com a Fiocruz nesse patamar.

“O parque é um laboratório vivo que reflete a Amazônia. O Jardim Terapêutico é um projeto inovador, que significa um avanço para a pesquisa científica dentro da unidade. O primeiro passo será a identificação biológica e genética das espécies. Tudo isso, através de um resgaste da história do Bioparque, que na época do Mestre Sacaca já era utilizado como fonte de pesquisa das ervas e plantas medicinais”, frisa o presidente.

Acordo

O termo tem como objetivo a cooperação técnica e científica entre ambas as partes, no desenvolvimento do projeto intitulado Jardim Terapêutico Tucuju. A Fiocruz disponibilizará a equipe técnica do Centro de Inovação em Biodiversidade e Saúde (CIBS), além de prestar assistência no perfil químico de todas as espécies vegetais selecionadas para o projeto e no processo de herborização, que consiste na coleta de plantas vivas e secá-las para estudo científico de uma coleção botânica destinada à pesquisa.

“A Fiocruz entrará com aporte técnico científico para construção do Jardim Terapêutico, que busca o resgate do uso tradicional das plantas medicinais. Iremos juntar os dois diferentes saberes: das populações amazônicas e o acadêmico. No início, será agregado à literatura já existente do bioma amazônico, que é riquíssimo. Depois partiremos para o estudo da bioprospecção, com o levantamento étnico botânico”, explica o coordenador do Sistema Nacional das Redes Fito, doutor Jefferson Pereira Caldas.

Conforme o acordo, caberá ao Bioparque coordenar a execução do projeto, criando um grupo de Grupo de Trabalho composto pelos diversos parceiros, como o Instituto de Pesquisa Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (Iepa), além do acompanhamento e divulgação de resultados parciais e anuais.

Jardim Terapêutico

Em longo prazo, o projeto destinará um espaço físico para realização de oficinas e produção de fitoterápicos caseiros; capacitará agentes de saúde para inclusão da fitoterapia no atendimento na saúde pública; realizará atividades de educação ambiental com plantas medicinais; implantará unidades de cultivo de plantas medicinais.

O Jardim Terapêutico permite várias vertentes, como a cadeia de bioprodutos para região. Afinal, faz parte da cultura amazônica a utilização das ervas medicinais no tratamento de diversas enfermidades.

A cerimônia de assinatura do termo de cooperação com a Fundação Oswaldo Cruz contou com a presença do diretor técnico do Iepa, Allan Kardec, e do secretariado municipal.

Aline Paiva
Secretaria Municipal de Comunicação Social

Meio Ambiente: PGJ do MP-AP ministra aula na pós-graduação promovida pela Escola Judicial do TJAP

A procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Ivana Cei, ministrou aula virtual, nesta segunda-feira (20), no curso de pós-graduação “Gestão e Aplicação da Justiça no Desenvolvimento Humano”, promovido pela Escola Judicial do Amapá (EJAP). A PGJ ministra a disciplina “Meio Ambiente e Desenvolvimento Humano” com carga horária de 20h/aula, no período de 20 a 24 de setembro de 2021.

O coordenador técnico do Curso, desembargador Carmo Antônio, e a servidora do Tribunal de Justiça do Amapá (Tjap) e coordenadora-geral do Programa de Pós-Graduação, Ângela Martins, deram as boas-vindas à procuradora-geral de Justiça do MP-AP convidada para compor o colegiado de professores, mestres e doutores, para a especialização.

“Não preciso falar da representatividade feminina da doutora Ivana Cei, que hoje é a gerente máxima de um órgão do MP de nível nacional. É muito importante ter a senhora no nosso grupo de professores, que está tirando um tempo precioso para poder compartilhar com a EJAP e, especialmente com os alunos que fazem essa pós-graduação, os seus conhecimentos. É um orgulho e prazer ter a senhora nos quadros da Escola Judicial do Amapá”, cumprimentou Carmo Antônio.

Ivana Cei agradeceu ao desembargador Carmo Antônio, à coordenadora-geral Ângela Martins e à escola por ter incluído a disciplina sobre meio ambiente, que é muito importante para o Estado do Amapá, para a Amazônia e para o Brasil.

“Esta é uma luta de muitos e muitos anos, para que a matéria ambiental faça parte do currículo, não só dos mestrados e pós-graduações, mas também do ensino fundamental. A EJAP traz esse apelo necessário para que nossos gestores vejam como é importante o meio ambiente para o desenvolvimento humano, para a vida. É uma satisfação e alegria estar aqui hoje com vocês”, manifestou Ivana Cei, na abertura da aula.

A disciplina que a PGJ ministra durante a semana, tem como objetivo: “Converter reflexão, discussão, troca de informações, experiências e boas práticas em matéria do Meio Ambiente e desenvolvimento humano, na qualificação, capacitação da formação de desembargadores, magistrados, servidores, colaboradores e o Poder Judiciário como um todo no aprimoramento da prestação jurisdicional em matéria de meio ambiente”.

Serão abordados temas, como: a cronologia histórica do meio ambiente; princípios formadores do Direito Ambiental; meio ambiente como direito humano; sustentabilidade; entre outros.

Currículo

Ivana Lúcia Franco Cei – é procuradora de Justiça do Ministério Público do Amapá, Doutoranda em Direito; Mestre em Direito Ambiental e Políticas Públicas; especialista em Direito Civil e Processo Civil; especialista em Direito Penal e Processo Penal; Curso Superior de Inteligência Estratégica – Escola Superior de Guerra – ESG; Professora Honorífica da Universidade Nacional Autônoma do México – Faculdade de Direito; Procuradora-Geral de Justiça do Estado do Amapá e presidente do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais de Justiça dos Estados e da União (CNPG).

Sobre a EJAP

A Escola Judicial do Amapá é o órgão dedicado ao aperfeiçoamento profissional de servidores e magistrados do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP),

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Gilvana Santos
E-mail: [email protected]
Contato: (96)3198-1616

Acelera Startup inicia ciclo de pré-aceleração, na próxima sexta (24)

Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Amapá (Sebrae), desenvolve o Acelera Startups, programa de pré-aceleração que capacita empreendedores, para colocarem no mercado ideias inovadores de negócios. O Acelera Startup, realizado em formato híbrido (on-line e presencial), é direcionada à pessoa física e jurídica (MEI, ME e EPP), e acontece no período de 24 de setembro a 4 de dezembro. A programação inicia com o Bootcamp, na sede do Sebrae em Macapá, nos dias 24 e 25 de setembro, das 15h às 18h e das 9h às 18h.

A diretora técnica do Sebrae no Amapá, Marciane Santo, destaca a necessidade da construção de projetos inovadores para a evolução da nova econômica amapaense. “A nova economia necessita de novos modelos econômicos, sendo cada vez mais sustentáveis, escaláveis, digitais e inclusivos”, disse a diretora técnica do Sebrae no Amapá, Marciane Santo.

Conteúdo

Durante o evento, os participantes acompanham workshops, oficinas, mentorias, conteúdos e treinamentos, que acontecem para as empresas selecionadas, até o dia 4 de dezembro. Nesta data, as pré-aceleradas participam do evento, intitulado Demo Day.

No período de boas-vindas, iniciada no Bootcamp, onde os participantes aprendem sobre a validação de startups, MPV (Produto Mínimo Variável), modelagem de negócio e monetização.

Programa

O principal ganho do programa, é fazer com que os empreendedores avancem etapas e evitem cometer erros que podem ser cruciais para as empresas. Até hoje, mais de 200 ideias participaram do programa, que recebe empreendedores de todo o Estado amapaense.

A analista de projetos do Sebrae no Amapá, Josseli Pantoja, destaca a importância do Acelera Startups para a região. “O programa é uma oportunidade para desenvolver startups amapaenses e, assim, amadurecer todo o Ecossistema de Inovação do Estado”, finaliza a analista de projetos do Sebrae no Amapá, Josseli Pantoja.

A aceleradora Inovenow pretende converter o empreendimento em um negócio lucrativo e consolidado no mercado. Uma aceleradora otimiza em um curto período de tempo, as operações do startup em todos os níveis.

Inscrições

O Acelera Startups, realizou no período de 9 a 19 de setembro as inscrições para a sua 5º edição, contabilizadas em 40 ideias e negócios inscritos.

Programação

Acelera Startup

Período: 24 de setembro até o dia 4 de dezembro

Bootcamp

Data: 24 de setembro
Horário: 15h às 18h
Data: 25 de setembro
Horário: 9h às 18h
Local: Salão de eventos de Macapá.

Serviço:

Monalice Nogueira – Do município de Amapá/AP
Sebrae no Amapá – Unidade de Marketing e Comunicação.
Contato: (96) 3312-2832
Central de Relacionamento: 0800 570 0800

Hoje é o Dia da Tia (Parabéns, tia Maria)

Este site possui uma sessão denominada “Datas Curiosas”. Então, hoje, 21 de setembro, é o Dia da Tia. Não achei o motivo da data, mas que é algo comemorado há pouco tempo. Tenho algumas tias muito legais e outras nem tanto. Sempre fui amarradão na Maria Penha (tia Maria). Também gosto muito da Inês, Fatinha, Lúcia e Tatá, mas com a tia Maria é algo diferente, pois a amei a vida toda e fui correspondido.

Tia Maria sempre foi uma de minhas mães. Além disso, é hiper responsável, excelente profissional e amiga fiel. Sempre lutou por ela e pelos seus, com muita honestidade e boa vontade. Sim, tia ajudou a todos nós, os Tavares. Quando gitinho, era agarradão com ela, que me ensinou muito sobre valores, música, sobre pessoas e como lidar com as agruras que aparecem pela frente. Ela é o maior exemplo de filha que já vi na vida.

E lá se vão 45 anos de uma amizade que vem de outras vidas e será em outras jornadas. Enfim, em nome da tia Maria, minha tia predileta, feliz resto do Dia da Tia, pois somente agora o trampo me deixou registar aqui. É isso. Te amo, titia Maria. Feliz Dia da Tia!

“Ser tia é reconstruir a infância de igual para igual, partilhar loucuras, ser cúmplice da ingenuidade, ser companheira da tolice…”

Elton Tavares

5ª Primavera de Museus: hoje Museu de Arqueologia e Etnologia do Amapá apresenta uma Live e um documentário sobre o projeto “10 Anos de Museu na Escola: Inventando e Reinventando o MAE/AP”

Nesta terça-feira (21), a partir das 19h, com transmissão pelas redes sociais Facebook do Museu de Arqueologia e Etnologia do Amapá (MAE/AP),apresentará a live: “Museus: desafios durante e pós pandemia”, e posteriormente apresentará o documentário “10 Anos de Museu na Escola: Inventando e Reinventando o MAE/AP”. O DOC integra a 15ª Primavera de Museus, coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM). O MAE é vinculado à Secretaria de Estado da Cultura (Secult/AP), que apoia o evento on-line.

A live terá como convidados a professora Doutora Maria do Socorro Oliveira e o arqueólogo Kleber de Oliveira Souza. A programação contará ainda com mediação da professora Mestra, Lucyvânia D’arc Duarte Ribeiro, o objetivo é relatar as ações educativas fazendo uma retrospectiva dos 10 anos do Projeto Museu na Escola.

Foto: Trip Amapá

Sobre o MAE

O Museu de Arqueologia e Etnologia do Amapá tem a missão de salvaguardar e comunicar as coleções relacionadas às diversas etnias e manifestações culturais do Estado do Amapá, voltadas para o estudo antropológico e social das diferentes culturas, e quanto à arqueologia, às coleções de bens culturais portadores de valor histórico ou artístico, procedente de pesquisas, escavações, prospecções e achados arqueológicos.

O MAE/AP foi criado através da Lei 1.073, de 02 de Abril de 2007, na gestão do Governador Antônio Waldez Góes da Silva, que instituiu a Secretaria de Cultura do Estado do Amapá e toda a sua estrutura organizacional básica. A Instituição Museal está vinculada à Secult/AP e é coordenada pela Coordenadoria de Preservação da Memória Material e Imaterial. O museu está situado na Rua São José N° 1.500-A, em frente à Praça do Barão do Rio Branco, no Centro de Macapá.

Assessoria de comunicação

Composição de Nonato Soledade vence 1º Festival da Canção Macapaense com homenagem a sambista

‘Macunaíma’, de autoria de Nonato Soledade e interpretação de Silmara Lobato, arrematou a premiação máxima do 1º Festival da Canção Macapaense (Fescam). A música faturou o troféu de campeã e mais a quantia de R$ 8 mil. A competição aconteceu neste domingo (19) e celebrou o estímulo à produção musical e aos compositores tucujus, valorizando o cenário musical amazônico.

“Eu sou compositor de samba e o meu primo Macunaíma era uma figura ilustre do Boêmios do Laguinho. Fizemos essa música tão bonita em homenagem a ele. Graças a este evento da prefeitura ele ficará eternizado. Estamos ansiosos para a próxima edição presencial do festival”, comentou Nonato.

A música ‘Macunaíma’ rendeu a premiação de Melhor Intérprete à Silmara Lobato, artista renomada no cenário musical amapaense, com 26 anos de carreira. Além do troféu, a artista receberá prêmio em dinheiro.

“Pela primeira vez recebo o reconhecimento como melhor intérprete em todos esses anos de carreira. Batalhei muito por isso. Me arrisco dizer que não sou cantora, mas sim intérprete. A música Macunaíma foi feita com o coração e representa a história de um amigo. É uma emoção ímpar e estou realmente tremendo. O Fescam marcou a minha vida e ficará para sempre”, diz emocionada a artista.

Premiações

‘Nega Jolie’, de Amadeu Cavalcante e interpretada por Cléverson Baia, ficou em segundo lugar na competição. A canção remete à história da cultura macapaense, falando sobre quilombos.

“Faço canções que falam da nossa terra. As pessoas pensam que os quilombos estão distantes, mas não, ficam bem próximos. A música Nega Jolie fala de uma mulher que esteve no Maruanum, no Curiaú e no Mazagão, demonstrada de forma poética. A canção deseja valorizar as belezas da nossa região. A cultura é para sempre e como sou religioso, digo que é uma dádiva de Deus”, comenta Amadeu.

‘Lanterna Chinesa’, de Nitai Santana, venceu duas categorias: o terceiro lugar e o melhor arranjo. O artista é neto do Mestre Oscar Santos e compõe a nova geração da Música Popular Amapaense (MPA). A música representa um fazer cultural produzido manualmente e que faz parte de uma tradição milenar.

“É uma honra e um privilégio receber duas premiações na minha primeira participação em um festival de música, ao lado de compositores maravilhosos. A música nasceu a partir da letra, inspirada no poeta Aldo Gatinho e foi finalizada durante a pandemia. Lanterna Chinesa tem toda uma contextualização, pois representa uma passagem ritualística, que atrai festividade. Na nossa canção, as lanternas iluminam uma lembrança e um enigma de uma paixão de dois amantes que foram para direções opostas, sendo uma viagem poética’’, explica Nitai.

Melhor Música Popular

‘Um Açaí para Arrematar’, de Lene Balieiro, venceu a categoria Melhor Música Popular, com mais de 17 mil votos durante votação online. A canção narra sobre as várias espécies de peixes populares na região amazônica, que acompanhados de uma bela tigela de açaí, deliciam as comunidades nortistas. Além de troféu, a intérprete ganhou uma premiação em dinheiro.

Premiação simbólica

O prefeito de Macapá, Dr. Furlan, recebeu também um troféu simbólico em nome da gestão municipal, por ser incentivador da cultura macapaense. O Fescam foi o primeiro festival em âmbito municipal e teve o investimento de aproximadamente R$ 18 mil em premiações para valorização da música amazônica, com recursos oriundos da Fundação Municipal de Cultura (Fumcult), através do programa Macapá Tem Cultura.

Apresentações

O terceiro dia de festival contou com uma Live Show da cantora Patrícia Bastos, além das apresentações das 10 canções finalistas, por ordem de sorteio.

CONFIRA AQUI A 3ª NOITE DO FESCAM

A competição iniciou com a canção ‘Sina (I) dos tempos’, de autoria de Carol e com interpretação de Alber Matos. Seguida de ‘Amazônia, Meu País’ de Cley Lunna; ‘Lanterna Chinesa’, de Nitai Santana; ‘No Pé do Tambor’, de Zaqueu Santos e interpretação de Lene Balieiro; ‘Oração’, do compositor e intérprete João Amorim; ‘Jardineiro Cantor’, de Harinama Sukhi Das;

Os espetáculos musicais seguiram com as apresentações de ‘Nega Jolie’, de autoria de Amadeu Cavalcante e interpretação de Clérveson Baia; ‘Pororoca’, de Sabrina Zahara; ‘Avepoema’, do compositor Aroldo Pedrosa e interpretação de Alber Matos; finalizando com ‘Macunaíma’, de Nonato Soledade e interpretação de Silmara Lobato.

Além disso, as 10 canções finalistas e a música mais popular irão compor um CD produzido pela organização do evento, que será disponibilizado nas plataformas digitais. O 1º Festival da Canção Macapaense tem organização da CIA. Oi Noiz Aki, representada neste festival pelo diretor artístico Cláudio Silva.

Aline Paiva
Fotos: Aog Rocha
Secretaria Municipal de Comunicação Social

Voluntários buscam apoio para batizado de jovens capoeiristas do Novo Horizonte

Por JÚLIO MIRAGAIA

Para um grupo de professores de capoeira, da zona norte de Macapá, a prática esportiva pode mudar a vida de crianças e adolescentes que moram em áreas de ressaca. Eles estão buscando apoio para realizar o sonho de seus alunos: o primeiro “batizado”, que é o evento da troca de cordas no esporte.

Os professores Caio Jorge Souza e Silva, de 32 anos, e Benilson Silva Santos, de 35 anos, ofertam os treinamentos de forma voluntária e gratuita há cerca de 3 anos, na Associação de Moradores do bairro Novo Horizonte. No local, também ocorrem aulas de muay thai e jiu-jitsu.

Nas aulas de capoeira, cerca de 20 alunos, entre crianças e adolescentes participam. A garotada, segundo eles, tem retornado aos poucos, com a desaceleração da pandemia.

“Trabalhamos com essas crianças e adolescentes para trazer um futuro melhor a elas. Para tirá-las de perto do mundo do crime. Sempre incentivando o estudo, a gente prega muito a educação e o respeito”, explicou o professor Benilson.

Já o professor Caio Jorge conta que o trabalho voluntário vem do amor à capoeira.

“Já tivemos várias decepções e mesmo assim a gente não deixa a peteca cair. O que move a gente é a bandeira da capoeira”, disse.

Um dos alunos do projeto, Albert Lian, de 18 anos, conta que é aluno de professor Caio desde quando ele realizava treinos no bairro Jardim 2. O rapaz concluiu o ensino médio recentemente e conta que a prática esportiva o ajuda a ter disciplina e que está estudando para fazer concursos públicos.

“Não tenho como explicar o que significa para mim a capoeira. Ela ajuda a gente em muita coisa na vida”, disse o jovem.

Apoio

Sobre o apoio para o batizado, os capoeiristas fazem um apelo. O grupo chegou a realizar um torneio na semana passada para angariar fundos, mas o dinheiro arrecadado ainda não foi suficiente. A pretensão é realizar o evento no começo do mês de outubro.

“A maioria dos alunos são de áreas de pontes e não tem como pagar uma mensalidade, um uniforme. A única coisa que a gente cobra aqui é a disposição, e toda ajuda é bem vinda para que a gente dê continuidade a esse projeto”, completou Caio.

Quem tiver interesse em ajudar o projeto de capoeira, basta entrar em contato com o professor Caio Jorge, através do WhatsApp: 99171-9451.

MP-AP participa do seminário “Sudam nos Estados – Diálogos com quem promove o desenvolvimento regional na Amazônia”

O ouvidor do Ministério Público do Amapá (MP-AP), promotor de Justiça Paulo Celso Ramos, representando a procuradora-geral de Justiça do MP-AP, Ivana Cei, participou nesta segunda-feira (20), no Palácio do Setentrião, do seminário “Sudam nos Estados – Diálogos com quem promove o desenvolvimento regional na Amazônia”. A ação é promovida pela Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), órgão ligado ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), que está em Macapá para receber diretamente de gestores e técnicos do estado as demandas de diversas áreas, para debater sobre perspectivas e projetos como instrumentos de desenvolvimento regional.

A ação é itinerante e percorre as capitais da Região Amazônica. O Amapá é o sexto estado a receber a caravana da Sudam. A abertura do evento foi feita pelo governador do Estado, Waldez Góes, que ressaltou a importância do encontro.

“Estamos focando numa agenda daquilo que é convergente para a gente da Amazônia Legal. Já estamos calejados com o sentimento de que, ou a gente escolhe aquilo que realmente podemos realizar e verticalizar, ou então continuaremos em cima de experiências. Pretendemos fazer isso juntos, sem cor partidária, dialogando e trabalhando com todos”, destacou Waldez Góes.

Por sua vez, a superintendente da Sudam, Louise Caroline Löw, ressaltou que a iniciativa renova e reforça a missão institucional da Sudam, que é a real promoção do desenvolvimento includente e sustentável da região. Ela enfatizou que conhecer e entender a realidade local faz toda a diferença”, comentou a gestora.

“A Sudam, com essa iniciativa de vir in loco nos Estados, visa ouvir gestores e técnicos do Amapá. Como não somos um órgão somente de financiamento, mas também de planejamento, desta forma identificamos as demandas e assim nortear o trabalho e ações efetivas para melhorar a vida no Amapá como um todo.

O ouvidor do MP-AP elogiou a iniciativa e destacou que o órgão ministerial se coloca à disposição para auxiliar a iniciativa no que for possível, pois sempre trabalha em favor da sociedade amapaense.

“Agradeço o convite feito ao MP-AP para participar deste momento. Eu, como amapaense, me sinto muito feliz com todo esse trabalho que tem sido feito e parabenizo a excelente iniciativa da Sudam em escutar gestores e técnicos. Uma ação sem política partidária, onde todos se unem para planejar e executar o desenvolvimento do nosso estado. O Ministério Público está em todas as cidades do Amapá e temos conhecimento da falta de acesso da população à todos os tipos de serviços.  Também parabenizo o governador Waldez Góes em se colocar à disposição desta proposta, com secretários de estado e demais envolvidos. Em nome da nossa procuradora-geral de Justiça, Dra. Ivana Cei, colocamos o Ministério Público à disposição para somar e contribuir com tudo aquilo que for possível”, frisou Paulo Celso Ramos.

Mais sobre a caravana da Sudam

A Sudam, que atua nos nove estados da Amazônia Legal (MA, PA, AP, RR, RO, AC, AM, MT, TO), percorre essas unidades da Federação com o propósito de coletar subsídios para propor medidas que facilitem o acesso dos estados, municípios, setores produtivos e outros atores aos recursos federais, por meio dos instrumentos de ação da Superintendência.

Além disso, os levantamentos irão subsidiar a elaboração das Diretrizes e Prioridades do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte-FNO, do Fundo de Desenvolvimento da Amazônia-FDA e outras ferramentas da Sudam para fomentar o desenvolvimento includente e sustentável das localidades.

Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia

Na oportunidade, a Autarquia também apresentou os principais pontos do Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia (PRDA) 2020-2023, instrumento de planejamento do desenvolvimento regional que norteia as ações da Sudam e cujo principal objetivo é promover a redução das desigualdades regionais através da geração de emprego e renda, do crescimento econômico, da qualidade de vida e da internalização da riqueza regional.

Autoridades presentes

Além do governador, representante do MP-AP e a superintendente da Sudam, compareceram ao evento prefeitos das cidades de Pedra Branca do Amapari, Tartarugalzinho, Itaubal e Calçoene, Beth Pelaes, Bruno Mineiro, José Serafim e Reinaldo Barros. O secretário de Finanças de Santana, Jesus Vidal, representou o prefeito Sebastião Bala Rocha; os dos diretores da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia, André Carvalho e Roger Araújo; representantes dos senadores Randolfe Rodrigues e Davi Alcolumbre, o professor Charles Chelala e o suplente Josiel Alcolumbre, respectivamente; a coordenadora da Bancada Federal do Amapá, deputada Aline Gurgel; a reitora da Universidade Estadual do Amapá (Ueap), Kátia Paulino; a vice reitora da Universidade Federal do Amapá (Unifap), Simone Delfim; o  presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae/AP, Iraçu Colares; o chefe geral da Embrapa/AP, Antônio Cláudio Carvalho; os deputados estaduais Jesus Pontes e Paulo Lemos; o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado do Amapá, Teles Jr. e o secretário de Estado do Planejamento,  Eduardo Tavares. Também estavam presentes  a imprensa e sociedade civil.

Serviço:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Elton Tavares
E-mail: [email protected]
Contato: (96) 3198-1616

Inspeção do MP-AP identifica avanços e entraves na execução de projeto no distrito de Fazendinha

O promotor de Justiça Marcelo Moreira acompanhou a inspeção técnica na área destinada à implantação do projeto Igarapé Sustentável, no distrito de Fazendinha. Representantes do Governo do Estado (GEA) acompanharam a ação para que identificassem o cumprimento de suas obrigações, referentes ao projeto. A inspeção é a continuidade do acompanhamento de procedimento solicitado pelo deputado federal Camilo Capiberibe ao Ministério Público do Amapá (MP-AP), que iniciou com uma audiência pública, no mês de agosto, em que a visita técnica foi deliberada.

A intervenção do MP-AP é com o objetivo de buscar elementos para que o projeto seja finalizado antes do prazo, já prorrogado para conclusão, em março de 2022, sob pena de devolução dos recursos que foram garantidos junto ao Ministério da Integração Nacional. A contrapartida assumida pelo GEA é a de execução das obras. A pavimentação dos ramais do CD Rural e Polo Hortifrutigranjeiro e a construção da fábrica de polpa de frutas e de camarão foram o alvo da inspeção.

O promotor Marcelo Moreira e o assessor técnico da Promotoria de Meio Ambiente, José das Graças Torres, fizeram as observações técnicas que serão anexadas ao relatório de inspeção. A área em que o projeto é executado está nos limites de uma Unidade de Conservação (UC) de competência administrativa estadual, a Área de Proteção Ambiental da Fazendinha, em que o MP-AP, através da Prodemac, acompanha os procedimentos.

O projeto em questão tem como foco a inclusão produtiva, incentivo ao turismo e desenvolvimento regional. Fábrica de beneficiamento de camarão e frutas regionais, área para produção de vegetais, porto de embarque e desembarque de produtos e turistas, centro de atendimento ao turista, mercado para comercialização de produtos agroextrativistas estão previstos no projeto Igarapé Sustentável.

SERVIÇO:

Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá
Gerente de Comunicação – Tanha Silva
Núcleo de Imprensa
Texto: Mariléia Maciel – CAO-Ambiental
Contato: (96) 3198-1616
E-mail: [email protected]

Amapá recebe novo lote com 8.750 doses de vacinas contra a covid-19

Foto: Ascom SVS

O Governo do Estado recebeu na tarde desta segunda-feira, 20, um novo lote de vacinas para o combate à pandemia de covid no Amapá. Foram 8.750 doses de imunizantes da AstraZeneca fabricado pela Fiocruz.

A Superintendência de Vigilância em Saúde do Amapá (SVS) prevê a distribuição desta remessa e outras que chegaram no fim de semana para a próxima quinta-feira, 23.

“Estamos recebendo um novo reforço de vacinas. São 8.750 doses da AstraZeneca que vão nos ajudar a fechar o ciclo vacinal de uma parte da população”, comentou Dorinaldo Malafaia, superintendente da SVS no Amapá.

Está previsto a chegada de mais 100 doses do imunizante da Janssen ao Amapá. As doses devem chegar na tarde desta terça-feira, 21.

Nathanael Zahlouth e Marcelo Guido
Assessoria de comunicação da SVS