SENAI Amapá oferta cursos gratuitos rápidos de Aperfeiçoamento Profissional

Com vagas para 6 cursos gratuitos de curta duração, o SENAI Amapá abriu edital de gratuidade na segunda-feira, 10 de junho. Ao todo são 175 oportunidades oferecidas em Macapá e Santana e Vale do Jari, na modalidade presencial. As inscrições já começaram e podem ser realizadas pelo site futuro.digital até terça-feira, 11.

Os aperfeiçoamentos são nas áreas de informática básica, comandos elétricos, design de marca – Corel Draw, construção de fundação rasa e estruturais, alvenaria estrutural e apresentações criativas em PowerPoint. Os cursos oferecidos têm duração média de 10 dias e são destinados a pessoas com idade a partir de 16 anos e que tenham concluído, pelo menos, o 5° ano do Ensino Fundamental ou tenham experiência comprovada na área.

Distribuição de vagas

Macapá: (https://ap.senai.br/images/Edital_de_gratuidade_Macap%C3%A1_Presencial_-_Minuta_Junho_2024.23.pdf)
Informática Básica – Tarde e noite – 50 vagas – presencial;
Comandos Elétricos – Noite – 25 vagas – presencial;
Design de Marca – Corel Draw – Noite – 25 vagas – presencial.
Santana: (https://ap.senai.br/images/Edital_de_gratuidade_Santana_Presencial_-_Minuta_Junho_2024.24.pdf)
Construção de Fundação Rasa e Estruturais – Manhã – 25 vagas – presencial;
Alvenaria Estrutural – Manhã – 25 vagas – presencial;
Apresentações Criativas em PowerPoint – Manhã – 25 vagas – presencial.

Sobre os cursos

Os cursos de Aperfeiçoamento Profissional são para pessoas que já tem conhecimento em uma determinada área e querem se atualizar em normas, legislações ou ampliar o seu conhecimento. Também possuem duração rápida entre cinco e 25 dias.

Informações ou dúvidas sobre os cursos poderão ser sanadas diretamente nas Escolas do SENAI ou pelo WhatsApp: (96) 8406-1825.

Coordenação de Comunicação e Marketing Corporativa SESI/SENAI – AP
Contato: (96) 3084-8944 / 98409-0639

Caso Clodoaldo: Júri Popular condena dois homens a mais de 22 anos de prisão pelos crimes de homicídio qualificado e formação de quadrilha, em regime fechado

Após quase 14 horas de julgamento, foi proferida a sentença no Processo Nº 0030043-39.2012.8.03.000, pelos crimes de homicídio qualificado e formação de quadrilha: Luis Carlos Silva Teixeira foi sentenciado a 25 anos e 7 meses de reclusão (regime fechado) e Wagner João Oliveira Melônio foi condenado a 22 anos e três meses de reclusão (regime fechado), pelo homicídio do policial penal Clodoaldo Brito Pantoja, em 2012. A plenária integrou o mutirão de pauta dupla da Unidade e foi transmitida ao vivo pelo Canal do TJAP no YouTube. (ACESSE AQUI)

O Júri Popular foi realizado no Plenário do Tribunal do Júri de Macapá- Fórum Anexo. Ao todo, foram ouvidas sete testemunhas. Destas, duas de acusação e cinco de defesa. A juíza Lívia Freitas, que presidiu o julgamento (iniciado às 9h da manhã da segunda-feira, 10, e finalizado às 2h desta terça-feira, 11), estabeleceu a dosimetria (tempo) da pena com base no que foi decidido pelo Conselho de Sentença (composto por sete jurados) e em critérios legais.

Sobre o caso

De acordo com o Processo, em 11 de junho de 2012, por volta das 07h20, no Ramal da Ilha Mirim, na Zona Norte de Macapá, Wagner efetuou disparos contra a vítima, que foi atingido por 20 tiros e morreu. Ainda de acordo com os autos processuais, Luis Carlos mandou executar o agente penitenciário, pois Clodoaldo Pantoja teria dito que o mandante do homicídio sairia da penitenciária em um mês e no próximo mês estaria de volta.

Consta no processo também que, à época do crime, a vítima era chefe de plantões e comandava uma equipe composta por 60 servidores. E que por conta de sua conduta rígida, o agente penitenciário, durante as vistorias nas celas no Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen), dificultava ilícitos dentro do presídio.

Competências

O Tribunal do Júri, ou Júri Popular, tem como competência julgar crimes dolosos contra a vida, entre eles: homicídio, infanticídio, aborto e indução ao suicídio. A prioridade é pelos julgamentos de réus presos.

Sob a presidência de um juiz ou juíza, o Tribunal do Júri sorteia, a cada processo, 25 cidadãos que devem comparecer ao julgamento servindo como jurados (ou julgadores). Destes, sete são novamente sorteados para compor o conselho de sentença que irá definir a responsabilidade do acusado pelo crime.

Ao final do julgamento, o colegiado popular deve responder aos chamados quesitos, que são as perguntas feitas pelo (a) presidente do júri (juiz ou juíza) sobre o fato criminoso em si e as demais circunstâncias que o envolvem.

Os julgamentos contam com a participação de representantes do Ministério Público Estadual e Defensoria Pública do Estado, bem como advogados.

– Macapá, 11 de junho de 2024 –

Secretaria de Comunicação do TJAP
Texto: Elton Tavares
Central de Atendimento ao Público do TJAP: (96) 3312.3800

Poema de agora: O amor não cabe no ataúde – Pat Andrade

O amor não cabe no ataúde

o amor morre às vezes
mas não cabe no ataúde

sempre ficam de fora
os beijos molhados
os olhares apaixonados
e as cartas escritas
com a pena da saudade

ficam de fora
os luares que eu te dei
os pores-de-sol
nas fotos desbotadas
e todas manhãs
que acordei ao teu lado

ficam de fora os mundos
inventados por nós
as canções apaixonadas
e os banhos de chuva
no quintal

ficam de fora
as tardes de mãos dadas
noites estreladas
e todos os poemas
docemente sussurrados

não importa
quantas vezes
morra o amor
as coisas boas
permanecem vivas

porque o amor
não cabe no ataúde

Pat Andrade

Star Wars e Tokusatsu em primeiro clipe do SKIPP is DEAD

Um curta com ares de videoclipe, “Infected Skies” é dividido em três capítulos e que marcam a apresentação do personagem Skipp, o pirata espacial que dá nome à banda SKIPP is DEAD. Na trilha sonora, as músicas “Endless Nights”, com participação da cantora YMA, e “MARS”, que trazem o indie rock com pitadas de ritmos do Amapá e do Caribe, com camadas de chiptune e caribenhas. O vídeo será disponibilizado no dia 10 de junho, no canal do YouTube da banda.

Assista ao clipe: 

Esta é a primeira vez que o pirata espacial chamado Skipp aparece em uma missão contra a – malvada – Corporação H3, que domina o universo em prol do lucro. Criar este vídeo, com toda essa produção e esta estrutura narrativa era um sonho antigo do artista amapaense, que conseguiu realizar o objetivo graças à ajuda de amigos dedicados.

“O projeto SKIPP is DEAD pra mim sempre foi sobre um universo narrativo fantástico, onde cada timbre e cada escolha tem um contexto narrativo. As músicas tem muitas referências dos sons da minha terra (Macapá/AP), mas também de trilhas sonoras de jogos eletrônicos da era do Gameboy, o que me encanta e acaba conversando com uma estética levemente retrofuturista como a de Star Wars, que tentei imprimir no clipe. Fico feliz de finalmente conseguir produzir uma peça narrativa audiovisual mais concreta em termos de roteiro e execução, mesmo com pouca verba, sinto que pode servir como porta de entrada para produções mais pesadas.”, explica Skipp, vocalista e idealizador do projeto.

Na peça audiovisual dirigida por Luiz Corrêa, o pirata espacial Skipp narra uma missão que traz referências de Tokusatsu, retrofuturismo, Star Wars, Matrix, entre outros.

“O Skipp chegou pra mim com um conceito e estrutura de personagem muito bem definidos. O grande desafio era superar o baixo orçamento, descobrir como jogar com a estética a nosso favor e criar um universo sci fi. A parte mais legal foi trazer referências que fizeram a nossa infância como a linguagem dos Tokusatsu japoneses. Pra gente que cresceu vendo Jaspion, Power Rangers, Lion Man, dentre outros, poder brincar com a estética e narrativa dos caras… foi realmente divertido”, elogia Luiz Corrêa.

A sonoridade de SKIPP traz fortes influências do indie rock dos anos 2000, e também a linguagem chip tune. Sem esquecer suas raízes amapaenses, o músico acrescenta o batuque e o marabaixo. Como se coletasse referências em múltiplos universos, Skipp vai de Ziggy Stardust até Koji Kondo, um dos maiores compositores da Nintendo. Ouvintes atentos irão captar a influência de Super Mario Bros, Zelda e tantos outros clássicos.

O clipe e curta “Infected Skies”, da banda SKIPP is DEAD, inclui as músicas: “Endless Nights” feat. YMA e “MARS”, e conta com roteiro de Skipp e Luiz Corrêa, com direção do último. A fotografia é de Fabrizio Toniolo e Luiz Corrêa, com câmera operada por Henrique Rama Cardoso. A montagem é de Luiz Corrêa, enquanto o áudio é de Skipp e Colinz, com narração de Vini Wolf. O VFX é de Marcelo Borin, com props e modelagem 3D de Augusto Jahvacorp e Skipp. Os efeitos práticos são de Mariah Caetano, já o adereço cabeça de boi é de Bruno Cauê.

O figurino é de Lis Santos e Ruy Anjos, com maquiagem de Buzz Darko e coreografia criada por Daniel Fusco. Fazem parte do elenco: Skipp (Clone), YMA (Virus.exe) e Daniel Fusco e Colinz (Agente H3). Participam também: André Blumel, Bruno “Tek.Noir” Nunes, Bruno Carnovale, Buzz Darko, Daniele Tavares, Dhyan Victor, Elis Santos, Henrique Abelha, Ivan Ratolivre, Jéssica Leal, Kalebe Barros, PPher, Sérgio O Estranho e Skipp. Agradecimentos: Marcel Woo, Eduarda Ribeiro, Matraca Records, D’Ouro Antigo, Patrícia Bastos, Picles, Humans and Aliens, The Mariah.

A banda SKIPP is DEAD conta com Skipp (voz), Colinz (guitarras), Vinícius Scarpa (baixo), Leon Sanchez (synth) e Marco Trintinalha (bateria).

Assessoria de comunicação

Babar ovo nunca foi minha especialidade – Crônica de Elton Tavares

Ilustração do amigo Ronaldo Rony

Crônica de Elton Tavares

Sabem, fico olhando essa arrumação que muitos têm de puxar-saco, babar ovo, viver papacaricando os outros por cargo, grana o falso status social. Sério. Eu trabalho muito, de forma correta e respeitosa com pessoas que têm o poder de decisão. Mas sem firulas, com diálogo e sempre com postura.

Outro problema é a confusão entre prestar assessoria com ‘puxa-saquismo’. Já sofri na pele tal crítica, mas a carapuça nunca me coube. Sempre tive medo de ser jogado pelos idiotas de plantão na vala comum dos puxa-sacos.

Geralmente os puxa-sacos são fofoqueiros, sorrateiros, recalcados, invejosos e metidos à merda por serem papagaio de pirata (sempre no ombro ou ao lado do figurão que o próprio bajula).

Conheço gente que escuta a música da pessoa que adula, torce para o time do bajulado e até muda o jeito de falar, pois tenta imitar a pessoa que baba. Tédoidé!

E tem mais, puxa saco é incompetente, tenta puxar tapete, já que ele não consegue brilhar e ainda ilude a pessoa alvo de sua adulação. É obscurantismo total!

Ilustração do amigo Ronaldo Rony

Sempre elogiei e aplaudi gente que admiro e que gosto, mas nunca em troca de benefícios pessoais. Uma prova é a legião de anônimos porretas e figuras descapitalizadas, porém interessantes e divertidas, que tenho apreço, respeito e admiração. Seja pela gentebonisse ou inteligência.

Pior que eles sempre estão à espreita, no patrulhamento, esperando você marcar bobeira para lhe sacanear.

Como disse Paulinho da Viola, na canção “Meu Mundo é Hoje”: “tenho pena daqueles que se agacham até o chão, enganando a si mesmo por dinheiro ou posição. Nunca tomei parte desse enorme batalhão, pois sei que além de flores, nada mais vai no caixão”.

Alguns acham que assessorar autoridades é sinônimo de bajular o chefe. Não. Aliás, é preciso ser competente. É a única maneira de você não se tornar um puxa-saco, pois será respeitado pelo trabalho e postura. Sigo do meu jeito e adoro o profissional que me tornei. Aos puxa-sacos, algumas vezes meu desdém e noutras minha gargalhada.

Equatorial Amapá inaugura nova agência de atendimento na zona norte da capital

Os clientes da Concessionária de Saneamento do Amapá (CSA) e da CEA Equatorial agora contam com uma nova agência de atendimento na zona norte da capital. A inauguração ocorreu nesta segunda-feira (10/6) e a unidade conta com equipamentos modernos e equipe de colaboradores pronta para ofertar os serviços de água e energia elétrica.

A nova agência foi construída aos moldes do Grupo Equatorial nos demais estados onde a empresa está presente. O processo de padronização visa acolher da melhor forma possível os mais de 50 mil consumidores de energia elétrica e saneamento que moram nesta região do município. O espaço possui sete guichês de atendimento presencial e seis tablets para o autoatendimento na agência digital.

Dona de casa Maria José, primeira cliente da nova agência.

O gerente de Relacionamento com o Cliente da Equatorial Amapá, Jorgemiro Borges, fala da preparação do novo espaço: “cuidamos da estrutura, do treinamento dos colaboradores e do alinhamento com as lideranças comunitárias. Queremos que os clientes acessem nossos serviços de maneira confortável, seja pelos canais digitais, seja em nossas agências”, disse.

Os serviços de água e energia disponibilizados na agência são: pedido de ligação nova, troca de titularidade, negociação de débitos, pedido de aumento de carga, atualização cadastral, inserção na tarifa social, solicitação de reativação e outros, Facilidades aprovadas por quem esteve na unidade hoje pela manhã: “eu gostei do ambiente e agradeço a atenção que recebi. A nova agência está aprovada e vai facilitar muito a vida de quem mora deste lado da cidade”, ressaltou a dona de casa Maria José, primeira cliente da nova agência.

Horários

Assim como a agência localizada no bairro Santa Rita, que seguirá com o mesmo fluxo de atendimento, a agência da zona norte tem o horário de funcionamento das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. O endereço da nova unidade é na Rua Adilson José Pinto Pereira, 1101, São Lázaro, no antigo prédio da Caixa Econômica Federal.

“Nós, da zona norte, agradecemos o novo espaço de atendimento. Vai facilitar o acesso aos serviços da Equatorial e mostra a responsabilidade da empresa com as necessidades da população. Eu sou liderança e estou muito feliz com essa conquista”, concluiu Gregório Dias, líder comunitário do bairro São Lázaro.

Além das agências próprias, a empresa disponibiliza atendimentos nas unidades do sistema Super Fácil da capital e possui, ainda, outros canais digitais de acesso, confira:

CSA
Site: www.csa-equatorial.com.br
Central de Atendimento: 0800 086 0116

CEA Equatorial
Site: www.equatorialenergia.com.br
Central de Atendimento: 0800 096 0196
Clara: (96) 3082-2949

Assessoria de comunicação

Caso Clodoaldo: Tribunal do Júri de Macapá dá início ao julgamento de acusados de envolvimento na morte de policial penal

A Vara do Tribunal do Júri de Macapá, sob titularidade da juíza Lívia Freitas, iniciou, nesta segunda-feira (10), o julgamento popular dos acusados do crime de homicídio qualificado, Luis Carlos Silva Teixeira e Wagner João Oliveira Melônio. De acordo com o Processo Nº 0030043-39.2012.8.03.000, os réus assinaram o agente penitenciário Clodoaldo Brito Pantoja, em 2012. A plenária integra o mutirão de pauta dupla da Unidade e é transmitida ao vivo pelo Canal do TJAP no YouTube.

Logo no início da audiência, foram sorteados os sete jurados do caso, entre as 25 pessoas selecionadas pela Justiça Estadual. Cada parte, defesa do réu e acusação (Ministério Público), pode dispensar até três dos jurados sorteados sem necessidade de justificativas, conforme previsto no Artigo 468 do Código de Processo Penal (CPP). Após o sorteio foram escolhidos sete jurados, entre eles estão: seis homens e uma mulher da sociedade civil que formam o Conselho de Sentença, que julgará os réus do caso.

O julgamento foi iniciado às 9h. Ao todo, serão ouvidas sete testemunhas. Entre estes depoimentos, serão escutados dois de acusação e cinco de defesa. Ao final do Julgamento Popular, ainda sem previsão para ser finalizado, o colegiado deverá emitir o parecer do Conselho de Sentença. À magistrada, que preside o júri, cabe estabelecer a dosimetria (tempo) da pena com base no que foi decidido e em critérios legais.

Sobre o caso

De acordo com o Processo, em 11 de junho de 2012, por volta das 07h20, no Ramal da Ilha Mirim, na Zona Norte de Macapá, os acusados Wagner efetuou disparos contra a vítima, foi atingido por 20 tiros e morreu. Ainda de acordo com os autos processuais, Luis Carlos teria mandando executar o agente penitenciário, pois Clodoaldo Pantoja teria dito que o mandante do homicídio sairia da penitenciária em um mês e no próximo mês estaria de volta.

– Macapá, 10 de junho de 2024 –

Secretaria de Comunicação do TJAP
Texto: Elton Tavares
Fotos: Serginho Silva
Siga-nos no Twitter: @Tjap_Oficial
Facebook: Tribunal de Justiça do Amapá
You Tube: TJAP Notícias
Instagram: @tjap_oficial
Central de Atendimento ao Público do TJAP: (96) 3312.3800

Bour”bom dia” – Microcrônica de Aloísio Menescal – @AloisioMenescal

Microcrônica de Aloísio Menescal

Tirar o lixo, alimentar os bichos, tomar um café, vestir o terno.
Dirigir na chuva, planejar o dia, interagir no mundo.

Rotinas de uma segunda-feira, igualmente poluída pela expectativa das dores de cabeça da semana
e perfumado pelo aroma e sabor da saideira da noite de domingo.

Ansiedade e saudade, suor e bourbon.

Amapá tem cinco vagas para Agentes Territoriais de Cultura

O Programa Nacional de Comitês de Cultura (PNCC), fruto da parceria entre o Ministério da Cultura (Minc) e a Rede Federal de Educação Profissional, dispõe de cinco vagas para Agentes Territoriais de Cultura no Amapá. Cada agente receberá um auxílio-inclusão digital, em parcela única, no valor de R$ 1.000, mais auxílio mensal de inclusão digital de R$ 25 e uma bolsa, também mensal, de R$ 1.200, no período de 12 meses. As inscrições iniciaram no dia 8 de maio e foram prorrogadas até 10 de junho (HOJE).

Leia o edital completo em https://ifpa.edu.br/PNCC

Clique aqui para se inscrever

O processo seletivo, no qual o Instituto Federal do Amapá (Ifap) é responsável pela coordenação estadual, prevê a distribuição de 601 vagas de Agentes Territoriais de Cultura para atuarem nas mais diversas regiões do país visando a mapear os territórios culturais brasileiros para promover de forma mais eficiente o acesso à cultura.

O Instituto Federal do Pará (IFPA), que tem a coordenação regional, lançou o edital com a oferta de 64 vagas para a região Norte, distribuídas entre Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. A seleção dos candidatos será feita conforme as regras da chamada pública lançada pelo Instituto Federal do Pará, através do Edital nº 3 IFPA/Proex, de 30 de abril de 2024.

Os ATCs precisarão dispor de uma carga horária de 20h para realização das atividades descritas em edital. A capacitação dos agentes ocorrerá por meio de cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC). A formação será realizada no formato EaD e o acompanhamento das demais atividades será realizado pela coordenação local. O edital terá a validade de dois anos

Dúvidas em relação ao edital poderão ser sanadas por meio do e-mail [email protected]

Por Suely Leitão, jornalista da Reitoria
Diretoria de Comunicação – Dicom
Instituto Federal do Amapá (Ifap)

Sentença: 4ª Vara Cível de Macapá autoriza doação voluntária (parcial) de fígado entre amigos para tratar cirrose hepática

O juiz substituto Fernando Mantovani Leandro, temporariamente à frente da 4ª Vara Cível e da Fazenda Pública de Macapá, autorizou a realização da cirurgia de transplante parcial de fígado entre vivos (hepatectomia parcial). Trata-se de um procedimento de Jurisdição Voluntária (processo nº 6017404-61.2024.8.03.0001) no qual dois amigos pedem autorização judicial para realização da cirurgia em razão de recomendação médica que a aponta como única alternativa terapêutica para o estado atual de patologia que acomete o primeiro requerente.

Consta do processo que o Interessado foi diagnosticado com cirrose hepática alcoólica descompensada – CID 10 K70-3 – com sinais de insuficiência hepática e hipertensão decorrentes de sua condição e que iniciou tratamento medicamentoso em novembro/2022, conforme relatório médico anexado aos autos.

No processo, o pedido afirma que, diante da necessidade de ver a cura e prolongamento de vida o amigo “se sensibilizou com o sofrimento, que corre iminente risco de vida, e decidiu, de espontânea vontade, doar gratuitamente parte de seu fígado, em perfeita harmonia com o art. 27 do Decreto nº 9.175 de 2017, conforme consta no termo de disposição gratuita de órgão”.

Com a sentença, que acatou o pedido e a expedição do alvará judicial, os autores foram autorizados a remover parte do fígado e realizar a doação para posterior cirurgia.

Vale indicar que no caso de doador vivo não aparentado é exigida autorização judicial prévia, por isso a necessidade do procedimento.

A decisão também enfatizou que “a doação de órgãos é um ato de solidariedade e generosidade que pode transformar a vida daqueles que aguardam ansiosamente por um transplante. Os órgãos doados proporcionam uma nova chance de vida a pacientes que sofrem de doenças graves e irreversíveis. Este gesto pode restaurar a saúde, a esperança e a qualidade de vida de muitas pessoas.”

Para ler o processo na íntegra, basta copiar o número do processo (6017404-61.2024.8.03.0001) e colar no campo Consulta de Processos (na página inicial do Portal do TJAP) com o botão PJe1g (Processo Judicial Eletrônico do 1º Grau) selecionado.

– Macapá, 10 de Junho de 2024 –

Secretaria de Comunicação do TJAP
Arte: Nina Ellem
Siga-nos no Twitter: @Tjap_Oficial
Facebook: Tribunal de Justiça do Amapá
You Tube: TJAP Notícias
Instagram: @tjap_oficial

Governo do Amapá faz lançamento do ‘Arraiá do Povo 2024’, com 12 dias de programação gratuita

O Governo do Amapá lançou na quarta-feira, 5, no Palácio do Setentrião, a programação do “Arraiá do Povo 2024”. O evento será de 21 de junho a 2 de julho, na Cidade Junina, que será construída pela primeira vez no Parque de Exposições da Fazendinha, em Macapá.

Organizado pelas secretarias de Estado da Cultura (Secult) e do Turismo (Setur), o evento conta com recursos do Tesouro Estadual e emendas parlamentares articuladas pelos senadores Davi Alcolumbre e Randolfe Rodrigues.

“Juntamos esforços para fazer a melhor festa possível para o Amapá. A quadra junina é uma tradição, além de um momento produtivo para a cultura e economia do estado. Vão passar por este palco quadrilhas do Oiapoque ao Jari, se apresentando com orgulho e animação para realizar uma festa inesquecível”, destacou o governador Clécio Luís.

O fomento irá custear toda a estrutura da Cidade Junina, como palcos, tendas, sonorização, iluminação, cachês artísticos, e também integra o investimento direto feito nos grupos juninos para a realização das apresentações.

“Eu sou um apaixonado pelo São João e defendo o que acredito. Nós fomos buscar caminhos com parceiros, e finalmente chegou o dia em que estamos sendo valorizados e respeitados por nossa cultura”, ressaltou o presidente da Liga Junina de Macapá (Ligajum), Cláudio Vaz.

Novidades

Serão 12 dias de programação envolvendo grupos juninos dos 16 municípios do estado, totalizando mais de 80 apresentações. O espaço receberá nestes dias os Festivais Juninos da Ligajum, da Federação das Entidades Juninas e Folclóricas do Amapá (Fejufap) e da Federação de Entidades Folclóricas do Amapá (Fefap) – Arraiá no Meio do Mundo.

“Nossa festa acontece em conjunto com as entidades que fazem a quadra junina. Essa programação é muito esperada, com danças, brincadeiras e trazendo a beleza do segmento. Investir na cultura é economia, pois estimula uma cadeia produtiva que envolve trabalhadores e pessoas que se preparam o ano inteiro para este momento”, evidenciou a secretária de Estado da Cultura, Clícia Vieira Di Miceli.

Entre as novidades da edição 2024, estão a construção de dois palcos e parques com brincadeiras tradicionais, a assistência de hospedagem e alimentação para quadrilheiros que vierem para Macapá, e o apoio para as quadrilhas campeãs representarem o Amapá em competições nacionais.

A programação também conta com dois shows nacionais, nos dias 21 e 27 de junho, na abertura do evento e no Dia do Quadrilheiro.

Texto: Fabiana Figueiredo
Foto: Max Renê/GEA
Secretaria de Estado da Comunicação

TREs do Amapá, Acre, Goiás, Mato Grosso do Sul, Roraima e Tocantins realizam audiência pública on-line para debate de propostas de metas da Justiça Eleitoral para 2025

 

O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) realiza, na tarde desta segunda-feira (10), às 14h30, uma Audiência Pública para debater propostas de Metas Nacionais do Poder Judiciário para a Justiça Eleitoral no ano de 2025. O evento, a ser realizado de forma remota, visa coletar sugestões, críticas e comentários para elaborar as propostas de metas para o próximo ano.

O evento é realizado conjuntamente pelos Tribunais Regionais Eleitorais do Acre, Amapá, Goiás, Mato Grosso do Sul, Roraima e Tocantins, com transmissão será realizada pelo Canal do YouTube do TRE-AP. Os interessados em participar devem se inscrever previamente por meio de formulário eletrônico.

A Audiência será aberta a diversos setores da sociedade, incluindo advogados, defensores públicos, membros do Ministério Público, magistrados, servidores, pesquisadores, acadêmicos, universitários, entidades da sociedade civil e representantes de instituições de ensino.

– Macapá, 10 de junho de 2024 –

Secretaria de Comunicação do TJAP
Siga-nos no Twitter: @Tjap_Oficial
Facebook: Tribunal de Justiça do Amapá
You Tube: TJAP Notícias
Instagram: @tjap_oficial
Central de Atendimento ao Público do TJAP: (96) 3312.3800

Audiência Pública na CMM discute Plano Diretor de Macapá

Especialistas reforçam a importância do planejamento para uma cidade mais humanizada

A Audiência Pública ‘Discutindo a Cidade: A executoriedade do Plano Diretor e os desafios da modernização das cidades observando os impactos regionais’ ocorreu no plenário da Câmara Municipal de Macapá na última sexta-feira, 7. A escuta promovida pela vereadora Adrianna Ramos (PP) teve como objetivo ouvir especialistas e demais autoridades no segmento da arquitetura para promover a atualização do Plano Diretor a fim de adequá-lo à realidade atual.

Compuseram o dispositivo a vereadora Adrianna Ramos; o deputado estadual Jesus Pontes; o promotor de justiça André Luiz Dias Araújo; o representante do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil Welton Barreiros Alvino; a presidente CAU/AP Ana Corina Palheta; Romaro Antônio Silva, reitor do Instituto Federal do Amapá; e o vereador Zeca Abddon.

Durante a solenidade, entre os que fizeram o uso da tribuna, se destacam os palestrantes Ronaldo Pessoa do Rego Carvalho, arquiteto e urbanista, Dr. Daniel Chaves, historiador e professor da Unifap; Dra. Marcelle Vilar doutoranda em Arquitetura pela Universidade de Lisboa e mestra em Arquitetura e Urbanismo com ênfase em Desempenho Ambiental e Tecnologia.

Os palestrantes esclareceram que o plano diretor é um instrumento básico da política de desenvolvimento urbano de um município, que orienta o crescimento e a organização do espaço urbano, visando garantir o uso sustentável do território, inclusão social, entre outros benefícios. A importância do uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) que promovem melhor eficiência nos âmbitos ambientais e culturais também foi salientada, e por fim, os malefícios da verticalização sem o devido planejamento, que entre outros transtornos, pode causar zonas de calor e bloquear o resfriamento natural advindo da Orla de Macapá também foram citados.

Texto: Ascom/ Wallace Fonseca
Fotos: Deco de França

Poema de agora: Roldão – Lara Utzig (@cantigadeninar)

Roldão

este é um poema torto
ou, quem sabe, um poema sem forma
este poema é dedicado a todas as coisas
que nunca consegui organizar
dentro de mim

este poema é um quarto bagunçado
em visível caos
mas que, apesar da desordem,
encontro às cegas aquilo que preciso

este poema é sobre a (não) necessidade de arrumar
o que quer que seja
para ninguém além de nós mesmos
[quem quiser nos visitar que se acostume com a baderna]
também é sobre se aquerenciar
com os quadros enviesados na parede

este poema é uma ode à balbúrdia
à algazarra que me habita
e à indolência que me circunda:
a limpeza para terceiros.

este poema é sobre o alheio
sobre o estranho, sobre o outro
cuja anarquia também é própria
e não me diz respeito

este poema é, enfim, barulho;
uma confissão em tons de tumulto:
este poema é sobre sinônimos
que refletem nossa confusão interior.

Lara Utzig