Música de agora: Coisas da Vida (Rita Lee)

Coisas da Vida – Rita Lee

Quando a Lua apareceu,
ninguém sonhava mais do que eu
Já era tarde, mas a noite é uma criança distraída.
Depois que eu envelhecer,
ninguém precisa mais me dizer
como é estranho ser humano nessas horas de partida.

Ah, é o fim da picada
Depois da estrada começa uma grande avenida
No fim da avenida, existe uma chance, uma sorte, uma nova saída.
são coisas da vida…
e a gente se olha e não sabe se vai ou se fica…

Qual é a moral? Qual vai ser o final dessa história?
Eu não tenho nada pra dizer por isso digo
Eu não tenho muito o que perder, por isso jogo
Eu não tenho hora pra morrer, por isso sonho

ah, ah, ah…

Ah, são coisas da vida…
Ah, e a gente se olha e não sabe se vai ou se fica…
Ah, são coisas da vida…
Ah, e a gente se olha e não sabe se vai ou se fica…

Ah, são coisas da vida…
Ah, e a gente se olha e não sabe se vai ou se fica…
Ah, são coisas da vida…
Ah, e a gente se olha e não sabe se vai ou se fica.

Música de agora: Hino Dos Malucos – Rita Lee

Hino Dos Malucos – Rita Lee

Nós, os malucos, vamos lutar
Pra nesse estado continuar
Nunca sensatos nem condizentes
Mas parecemos supercontentes
Nossos neurônios são esquisitos
Por isso estamos sempre aflitos
Vamos incertos
Pelo caminho
Nos comportando estranhos no ninho
Quando a solução se encontra, um maluco é do contra
Mas se vai por lado errado, um maluco vai do lado

Malucos, a nossa vida é dar bandeira
ligando a luz da cabeceira,se a água pinga na torneira
Malucos, a nossa luta é abstrata
já que afundamos a fragata,
mas temos medo de barata

Nós, os malucos, temos um lema
Tudo na vida é um problema
Mas nunca tente nos acalmar
Pois um maluco pode surtar
Os nossos planos são absurdos
Tipo gritar no ouvido dos surdos
Mas todo mundo que é genial
Nunca é descrito como normal
Quando o papo se esgota,
um maluco é poliglota
Mas se todo mundo grita,
um maluco se irrita

Malucos, somos iguais a diferença
e todos temos uma crença:
seguir a lei jamais compensa
Malucos, somos a mola desse mundo,
mas nunca iremos muito a fundo
nesse dilema tão profundo

Malucos, a nossa vida é dar bandeira,
ligando a luz da cabeceira,se a água pinga na torneira
Malucos, a nossa luta é abstrata,
já que afundamos a fragata,
mas temos medo de barata

Música de agora: Balada do Louco ( Rita Lee)

Balada do Louco – Rita Lee

Dizem que sou louca por pensar assim
Se sou muito louca por eu ser feliz
Mas louco é quem me diz que não é feliz
Não é feliz

Se eles são bonitos, eu sou a Sharon Stone
Se eles são famosos, I’m Rolling Stone
Mas louco é quem me diz e não é feliz
Não é feliz

Eu juro que é melhor
Não ser um normal
Se eu posso pensar que Deus, sou eu

Se eles tem três carros
Eu posso voar
Se Eles rezam muito (eu sou santa)
Eu já estou no céu
Mas louco é quem me diz
Que não é feliz
Não é feliz

Eu juro que é melhor
Não ser um normal
Se eu posso pensar que Deus, sou eu

Sim, sou muito louca
Não vou me curar
Já não sou a única
Que encontrou a paz

Mas louco é quem me diz
Que não é feliz
Eu sou feliz

Sesc AP realiza o lançamento dos DVDs da Mostra de Música SESCANTA com homenagens aos artistas amapaenses

O Sistema Fecomércio, por meio do Sesc Amapá, realiza no dia 24 de maio, às 20h, no Sesc Araxá, o lançamento dos DVDs da 14ª e 15ª edição da Mostra de Música Sescanta Amapá, que foram gravados respectivamente em 2017 e 2018 .

Na noite, os artistas amapaenses que participaram das edições serão homenageados com a imortalização de suas obras através do registro em DVD das mostras Sescanta Amapá 14ª e 15ª edição. Como atração principal, a banda Casa Nova irá conduzir a cerimônia, transformando a noite em um momento especial de homenagens e valorização da cultura musical amapaense.

Compositores que participaram da 14ª Mostra: Ademir Pedrosa & Dilean Monper; Alan Gomes; Augusto Oliveira & Cássio Pontes; Enrico Di Miceli & Joãozinho Gomes; Nice Sales & Sandoval Júnior; João Amorim; Osmar Júnior; Sabrina Zahara; Wellem Silva; Willian Cardoso interpretado por Deize Pinheiro.

15ª Mostra: Alan Gomes; Amadeu Cavalcante & Wilson Cardoso; Brenda Melo; Carla da Silva; Cássio Pontes; Franck Yoleno Cardoso; Josivaldo Santos; Mayara Braga; Nice Sales; Nitai Santana; Nonato Santos; Osmar Júnior; Sabrina Zahara; Dímisson Monper; Willian Cardoso.

Sobre o Projeto Sescanta Amapá:

O Projeto Sescanta representa uma das mais conhecidas Mostra de Música realizada no Estado, tornando-se um campo fecundo ao desenvolvimento da atividade musical do Amapá, num intenso diálogo cultural em que se semeia o encontro entre os diversos seguimentos artísticos, através da participação de poetas, músicos, intérpretes, estudantes e pessoas ligadas à arte de modo geral.

Tendo como proposta valorizar os compositores, músicos, intérpretes e grupos musicais do Estado, capacitando-os e fomentando o surgimento de novos artistas no cenário local. A Mostra de Música Sescanta, desde a sua concepção, incentiva as produções locais e possibilita que o artista busque capacitação, com vistas ao aprimoramento dos
produtos culturais e fomento da cultura regional, de forma a possibilitar a concepção de novas músicas que poderão vir a ser prestigiadas além das fronteiras do Estado.

Serviço:

SESCANTA AMAPÁ
Entrada franca
Local: Rua Jovino Dinoá, Nº 4311 Data: 24/05
Hora: 20h

Coordenadoria de Comunicação e Marketing do Sesc Amapá
E-mail: [email protected]
Fone: (96)3241-4440 (ramal 235)

Música de agora: Lemon (Limão) – U2

 
Lemon (Limão) – U2
 
Ver através da luz do sol
Ela usava (vestia) limão
Nunca sob a luz do dia
Ela vai te fazer chorar
Ela vai fazer você sussurrar e gemer
E quando você secar
Ela vai tirar água de pedra
 
E eu sinto como se estivesse lentamente, lentamente, lentamente derretendo
Eu sinto como se estivesse me agarrado em nada
 
Ela usava limão
Para colorir na noite cinza e gelada
Ela tinha o céu
E ela se segurou bem firme
 
Um homem faz um quadro
Um filme
Através da luz projetada
Ele pode se ver bem de perto
Um homem captura cores
Um homem gosta de fitar
Ele transforma seu dinheiro em luz
Para procurar por ela
 
E eu sinto como se estivesse lentamente, lentamente, lentamente a deriva
Eu sinto como se estivesse nadando até ela
 
Meia noite é quando o dia começa
Meia noite é quando o dia começa
Meia noite é quando o dia começa
 
Limão
Ver através da luz do sol
 
Um homem constrói uma cidade
Com bancos e catedrais
Um homem derrete a areia poder
Ver o mundo lá fora
Você irá encontrá-la lá
Um homem faz um carro
Ela é seu destino
E constrói ruas para correr com eles
Você tem que tê-la
Um homem sonha em partir
Ela é imaginação
Mas ele sempre fica para trás
 
E estes são os dias quando nosso trabalho passa a não render
E estes são os dias quando nós procuramos por outra coisa
 
Meia noite é quando o dia começa
Meia noite é quando o dia começa
Meia noite é quando o dia começa
 
Um homem faz um quadro
Um filme
Através da luz projetada
Ele pode se ver bem de perto
tem que encontrá-la
Um homem captura cores
ela é seu destino
Um homem gosta de fitar
não há sono lá
Ele transforma seu dinheiro em luz
ela é imaginação
Para procurar por ela
Ela é a sonhadora
É imaginação
Através da luz projetada
Ele pode se ver bem de perto .

 

Música de agora: Eu Acho Graça – Raul Seixas

Eu Acho Graça – Raul Seixas

– Alô!
– Oi! É o Jorginho Maneiro? É verdade que agora você é hippie?
– Podiscrer!
– Podiscrer! Podiscrer! Podiscrer!…

Ah! Vou te contar, contigo eu tô
Ah! Vou te contar, contigo eu tô
O tempo todo tô comigo
Eu tô contigo
E sigo na jogada
Eu não tô com nada mesmo
Eu tô de toca e tanga
Eu tô na santa paz, oh nêgo
O Tico-tico e o Teco-teco
Todos tão por dentro da jogada
Eu não tô com nada mesmo
Eu tô muito tranqüilio
Eu tô dizendo adeus
(2x)

Passo pela praça e acho graça
Falam mal de mim e eu acho graça
Todo tempo ido tá contigo na manhã
Todo tempo tido, tô contigo na manhã
Na manhã! Na manhã!

Ah! Vou te contar, contigo eu tô
Ah! Vou te contar, contigo eu tô
O tempo todo tô comigo
Eu tô contigo
E sigo na jogada
Eu não tô com nada mesmo
Eu tô de toca e tanga
Eu tô na santa paz, oh nêgo
O Tico-tico e o Teco-teco
Todos tão por dentro da jogada
Eu não tô com nada mesmo
Eu tô muito tranqüilio
Eu tô dizendo adeus

Passo pela praça e acho graça
Falam mal de mim e eu acho graça
Todo tempo ido tá contigo na manhã
Todo tempo tido, tô contigo na manhã
Na manhã! Na manhã!

Música de agora: Para Lennon e McCartney – Lô Borges

Para Lennon e Mccartney – Lô Borges

Por que vocês não sabem do lixo ocidental?
Não precisam mais temer
Não precisam da solidão
Todo dia é dia de viver
Por que você não verá meu lado ocidental?
Não precisa medo não
Não precisa da timidez
Todo dia é dia de viver
Eu sou da América do Sul
Eu sei, vocês não vão saber
Mas agora sou cowboy
Sou do ouro, eu sou vocês
Sou do mundo, sou Minas Gerais
Por que vocês não sabem do lixo ocidental?
Não precisam mais temer
Não precisam da solidão
Todo dia é dia de viver
Eu sou da América do Sul
Eu sei, vocês não vão saber
Mas agora sou cowboy
Sou do ouro, eu sou vocês

Música de agora: Lanterna Dos Afogados – Paralamas do Sucesso

Lanterna Dos Afogados – Paralamas do Sucesso

Quando tá escuro e ninguém te ouve
Quando chega a noite e você pode chorar
Há uma luz no túnel dos desesperados
Há um cais do porto pra quem precisa chegar
Eu tô na lanterna dos afogados
Eu tô te esperando, vê se não vai demorar

Uma noite longa por uma vida curta
Mas já não me importa basta poder te ajudar
E são tantas marcas que já fazem parte
Do que sou agora mas ainda sei me virar
Eu tô na lanterna dos afogados
Eu tô te esperando vê se não vai demorar

Uma noite longa por uma vida curta
Mas já não me importa, basta poder te ajudar
Eu tô na lanterna dos afogados

Música de agora: Tempo Perdido – Legião Urbana

Tempo Perdido – Legião Urbana

Todos os dias quando acordo
Não tenho mais o tempo que passou
Mas tenho muito tempo
Temos todo o tempo do mundo

Todos os dias antes de dormir
Lembro e esqueço como foi o dia
Sempre em frente
Não temos tempo a perder

Nosso suor sagrado
É bem mais belo que esse sangue amargo
E tão sério e selvagem
Selvagem, selvagem

Veja o sol dessa manhã tão cinza
A tempestade que chega é da cor dos teus olhos
Castanhos

Então me abraça forte
E me diz mais uma vez que já estamos
Distantes de tudo
Temos nosso próprio tempo
Temos nosso próprio tempo
Temos nosso próprio tempo

Não tenho medo do escuro
Mas deixe as luzes acesas agora
O que foi escondido é o que se escondeu
E o que foi prometido, ninguém prometeu

Nem foi tempo perdido
Somos tão jovens
Tão jovens, tão jovens

José Júnior, meu candidato para conselheiro de Cultura no segmento Música, dá o seu recado (vídeo)

José Júnior, meu candidato para conselheiro de Cultura no segmento Música, dá o seu recado. Saquem o vídeo:

Sobre José Júnior

José Ribeiro Júnior, popularmente conhecido como “Zezinho” é produtor musical, guitarrista, violonista, arranjador e compositor. Ele é líder da banda de Brega-Rock-Autoral “O Sósia”, formada em 2012. Trata-se de um militante cultural atuante na cena musical amapaense. Boto fé no brother e o apoio para o cargo. Saquem o vídeo:

Música de agora: Aquele Abraço – Gilberto Gil


Aquele Abraço – Gilberto Gil
 
O Rio de Janeiro continua lindo
O Rio de Janeiro continua sendo
O Rio de Janeiro, fevereiro e março
 
Alô, alô, Realengo
Aquele Abraço!
Alô torcida do Flamengo
Aquele abraço
 
Chacrinha continua
Balançando a pança
E buzinando a moça
E comandando a massa
E continua dando
As ordens no terreiro
 
Alô, alô, seu Chacrinha
Velho guerreiro
Alô, alô, Terezinha
Rio de Janeiro
Alô, alô, seu Chacrinha
Velho palhaço
Alô, alô, Terezinha
Aquele Abraço!
 
Alô, moça da favela
Aquele Abraço!
Todo mundo da Portela
Aquele Abraço!
Todo mês de fevereiro
Aquele passo!
Alô Banda de Ipanema
Aquele Abraço!
 
Meu caminho pelo mundo
Eu mesmo traço
A Bahia já me deu
Régua e compasso
Quem sabe de mim sou eu
Aquele Abraço!
Pra você que me esqueceu
Ruuummm!
Aquele Abraço!
Alô Rio de Janeiro
Aquele Abraço!
Todo o povo brasileiro
Aquele Abraço!

Música de agora: Esquadros – Adriana Calcanhoto e Renato Russo (1994)

Esquadros – Adriana Calcanhoto e Renato Russo (1994)

Eu ando pelo mundo prestando atenção
Em cores que eu não sei o nome
Cores de Almodóvar
Cores de Frida Kahlo, cores
Passeio pelo escuro
Eu presto muita atenção no que meu irmão ouve
E como uma segunda pele, um calo, uma casca,
Uma cápsula protetora
Ah! Eu quero chegar antes
Pra sinalizar o estar de cada coisa
Filtrar seus graus
Eu ando pelo mundo divertindo gente
Chorando ao telefone
E vendo doer a fome nos meninos que têm fome

Pela janela do quarto
Pela janela do carro
Pela tela, pela janela (quem é ela, quem é ela?)
Eu vejo tudo enquadrado
Remoto controle

Eu ando pelo mundo
E os automóveis correm para quê?
As crianças correm para onde?
Trânsito entre dois lados de um lado
Eu gosto de opostos
Exponho o meu modo, me mostro

Eu ando pelo mundo divertindo gente
Chorando ao telefone
E vendo doer a fome nos meninos que têm fome
Pela janela do quarto
Pela janela do carro
Pela tela, pela janela
(quem é ela, quem é ela?)
Eu vejo tudo enquadrado
Remoto controle

Eu ando pelo mundo
E os automóveis correm para quê?
As crianças correm para onde?
Transito entre dois lados de um lado
Eu gosto de opostos
Exponho o meu modo, me mostro
Eu canto pra quem?

Pela janela do quarto
Pela janela do carro
Pela tela, pela janela
(quem é ela, quem é ela?)
Eu vejo tudo enquadrado
Remoto controle

Eu ando pelo mundo e meus amigos, cadê?
Minha alegria, meu cansaço?
Meu amor cadê você?
Eu acordei
Não tem ninguém ao lado
Pela janela do quarto
Pela janela do carro
Pela tela, pela janela
(quem é ela, quem é ela?)

Música de agora: One (Um) – U2 (versão de Johnny Cash)

One (Um) – U2 (versão de Johnny Cash)

Está melhorando?
Ou você ainda sente o mesmo?
Isso vai facilitar as coisas para você
Agora que você tem alguém para culpar?

Você diz que um amor, uma vida
Quando é uma necessidade Na noite
É um amor, temos que compartilhá-lo
Ele te abandona, querida, se você não tomar conta dele

Eu te decepcionei?
Ou deixei um gosto ruim em sua boca?
Você age como se nunca tivesse um amor
E quer que eu siga sem nenhum

Bom, é muito tarde, esta noite
Para trazer o passado à tona
Somos um, mas não somos o mesmo
Temos de cuidar um do outro, cuidar um ao outro
Um

Você veio aqui por perdão?
Você veio levantar os mortos?
Você veio aqui para bancar Jesus ou
Para os leprosos da sua cabeça?

Eu lhe pedi muito?, Mais do que bastante?
Você me deu nada, agora é tudo o que tenho
Somos um, mas não somos o mesmo
Nós nos machucamos, E o fazemos de novo

Você diz
O amor é um templo, o amor é uma lei superior
O amor é um templo, o amor é uma lei superior
Você me pede para entrar, mas me faz rastejar
E você não pode manter, o que você tem
Quando tudo que você tem é magoa

Um amor, um sangue
Uma vida você tem para fazer o que deve
Uma vida um com o outro: irmãs, irmãos
Uma vida, mas não somos o mesmo
Temos de cuidar um do outro, cuidar um do outro
Um! Um!

Música de agora: Paula E Bebeto – Milton Nascimento (interpretação de Gal Costa e Robert Frejat)

Milton Nascimento (interpretação de Gal Costa e Robert Frejat)

Vida vida que amor brincadeira, vera
Eles amaram de qualquer maneira, vera
Qualquer maneira de amor vale a pena
Qualquer maneira de amor vale amar

Pena que pena que coisa bonita, diga
Qual a palavra que nunca foi dita, diga
Qualquer maneira de amor vale aquela
Qualquer maneira de amor vale amar
Qualquer maneira de amor vale a pena
Qualquer maneira de amor valerá

Eles partiram por outros assuntos, muitos
Mas no meu canto estarão sempre juntos, muito
Qualquer maneira que eu cante esse canto
Qualquer maneira me vale cantar

Eles se amam de qualquer maneira, vera
Eles se amam e pra vida inteira, vera
Qualquer maneira de amor vale o canto
Qualquer maneira me vale cantar
Qualquer maneira de amor vale aquela
Qualquer maneira de amor valerá

Pena que pena que coisa bonita, diga
Qual a palavra que nunca foi dita, diga
Qualquer maneira de amor vale o canto
Qualquer maneira me vale cantar
Qualquer maneira de amor vale aquela
Qualquer maneira de amor valerá