Um mergulho nesse rio de gente – Crônica de Ronaldo Rodrigues e ilustração de Ronaldo Rony

Crônica de Ronaldo Rodrigues e ilustração de Ronaldo Rony

Há algum tempo, deixei de ver o Círio passar e passei a mergulhar nesse rio de gente. Creio que há uns cinco anos, no segundo domingo de outubro, quando saio de casa para ir ao encontro dessa multidão, vou também ao encontro da memória da minha mãe, da lembrança de Belém, do cheiro do tucupi.

Também vou ao encontro de mim mesmo e, se você acha que estou usando demais a palavra ‘encontro’, saiba que é proposital. Encontro é o que o Círio, não só a procissão, mas tudo o que envolve esta época do ano, representa para mim. Penso nas pessoas que moram fora, em outras cidades, outros estados e mesmo em outros países, que viajam a Belém para se encontrar com a família, rever os amigos, respirar a cidade.

Mas nem sempre foi assim. No meu ateísmo juvenil, cheguei a renegar o Círio e tudo o que fosse ligado à religião. Com isso, feri muitas pessoas, inclusive minha mãe. Achava o máximo provocar, chocar, marcar minha rebeldia, desfiar minhas opiniões contra Deus, Jesus, Igreja, santos, cristãos, papa etc.

Ainda bem que o tempo vai nos ensinando e eu, tentando aprender com ele, sei que exagerei na dose, provoquei mágoas e, como advogado de minha própria causa, invoco a meu favor, como atenuante, os arroubos da juventude. Hoje penso com mais leveza sobre o conceito de Deus, mantenho minhas críticas ao que afronta o que entendo como religiosidade, mas o Círio está acima disso tudo, porque compreendi a tempo, minha mãe (saiba disso onde estiver), que Nossa Senhora de Nazaré é a síntese do amor de todas as mães, que o Círio inspira, irmana, reúne e congrega os mais diversos pensamentos e sentimentos referentes à força que desafia a lógica. Essa força é a fé.

Domingo estarei novamente entre os caminhantes nas ruas de Macapá, estarei com minha mãe e minha família, amigos daqui e de Belém, presencialmente ou na lembrança, na vontade de bem-querer. Nestes dias de extremos, radicalismos e intolerância, vou me juntar às orações por um Brasil e um mundo justos, fraternos e que façam valer a nossa vocação para a felicidade.

Feliz Círio de Nazaré!

*Crônica de 2018, republicada.

Círio 2023: mais de 240 mil fiéis tomam conta das ruas de Macapá em homenagem à Nossa Senhora de Nazaré

Mais de 240 mil fiéis participaram da procissão que marca o ponto alto das celebrações do Círio de Nazaré, neste domingo, 8. Terços, cânticos, miniatura de casas, fotos, joelhos no chão e pés descalços são algumas das imagens que marcaram o percurso de quatro quilômetros, com saída do Santuário de Fátima, no bairro Santa Rita, até a Igreja de São José, no Centro da cidade. A estimativa de público é da Diocese de Macapá.

Para garantir a segurança e o bem-estar do público, o Governo do Amapá disponibilizou 250 militares do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar, além de duas ambulância de suporte avançado e profissionais de saúde preparados para atender a população.

No trajeto, ações de solidariedade se unem a atos de fé, gratidão e perseverança. Um desses casos é o da Jania Maciel, tutora da poodle Charlotte. Segundo a devota, a cadelinha estava com a saúde debilitada há 15 dias.

“Nós pensávamos que ela iria partir. Fizemos de tudo, levei ao veterinário, fizemos raio-x, mas ninguém descobriu a causa, então, fiz o pedido à Nossa Senhora pela cura. E, dias depois, a Chalotte estava bem, alegre. E, hoje, nós a trouxemos para agradecer pela intercessão”, disse a devota.

O Círio também é marcado por ações de voluntários, que colaboram de várias maneiras, seja ao molhar as ruas e avenidas do trajeto para que os promesseiros não queimem os pés, seja distribuindo lanches, doces e água para amenizar a dificuldade de percorrer o trajeto sob o forte calor do verão amazônico.

Entre esses voluntários, esteve presente a psicóloga Tainá Sena, que é devota de São Francisco de Assis. Esse foi o seu primeiro ano de trabalho voluntário.

“O voluntariado é um chamado e eu estou muito feliz em poder colaborar e ajudar distribuindo água aos participantes do Círio”, detalhou Tainá.

Além dos atos de devoção e fé, o Círio também traz história de pessoas como a aposentada e empreendedora Maria Rodrigues, que comercializa sombrinhas e chapéus há 25 anos, no bairro Santa Rita.

“É algo que eu sempre gostei de fazer, trabalho com vendas desde moça. Hoje, com 87 anos, ainda me sinto disposta. É uma forma também de ajudar, muita gente procura as sombrinhas e chapéus para amenizar o calor”, explicou a empreendedora.

Texto: Amelline de Queiroz
Fotos: Flávio Cavalcante

No Círio da Naza com o Anjo Galahell – Crônica de Ronaldo Rodrigues

Foto: Márcia do Carmo

Crônica de Ronaldo Rodrigues

“Quando eu for morrer / Vou pedir pra ser outubro / No meio daqueles anjos / Do Círio de Nazaré” (Edyr Proença / Emanuel Mattos)

Pois bem. Belém caminhou pelas ruas de Macapá de mãos dadas comigo e com o domingo. Era o Círio de Nazaré, santa protetora dos paraenses, macapaenses, marambaienses, laguinenses, gregos, troianos, baianos e tupis. Todos os peregrinos agarrados à tradição/contradição, desgarrados pelo mundo em cotidiana diáspora.

Foto: Márcia do Carmo

Belém estava tão aqui em Macapá que até choveu. Um pouquinho só, mas que choveu, choveu! E foi na companhia do Anjo Galahell que Maria de Nazaré me abrigou em sua linda berlinda.

Depois da procissão propriamente dita/bendita, uma outra procissão se fez, em busca do pato que (paciência. Alguém tem que ser sacrificado…) deveria estar boiando num oceano de tucupi, exalando aquele cheiro que… Bem. Quem sabe, sabe…

Foto: belem1000.blogspot.com

E quantas surpresas nos fizeram presas do imponderável, do milagre, da graça da Naza. O pato no tucupi não foi encontrado, estava enfeitando outras mesas. Mas ele não fez falta, já que em seu lugar (milagre da Naza) apareceu uma galinha caipira servida pelas mãos generosas da Zozó, tia do Galahell (sim! Anjos também têm família!) e agora para sempre já incorporada à minha árvore genealógica, é lógico! A galinha de quintal matou nossa fome de justiça e a sabedoria do coração da Zozó é o que a própria Naza teria me ensinado.

Belém, de hoje e de outrora, Belém da minha infância aportou definitivamente quando eu e o pastor alemão do rock caminhávamos pelas ruas de Macapá em busca novamente de comida, bebida (caramba! Será que a gente nunca se farta?) e, se não fosse pedir demais, atenção e carinho. Pois foi o que conseguimos, na figura de um astro do passado, o ex-jogador de futebol Mareco, que reconheceu Galahell, elogiou sua verve jornalística e montou a banca para que eu e o anjo nos servíssemos de geladíssima cerveja, o café da manhã dos campeões.

Fiquei emocionado ao conhecer pessoalmente Mareco, depois de tanto tempo, depois de tê-lo visto em Belém, no final da década de 1970 e começo da década de 1980, nos gramados futebolísticos, eu como espectador, ele como integrante de uma geração que fez a Cidade das Mangueiras ouvir maravilhada o rugido do glorioso Leão Azul, o Clube do Remo.

Uma geração brilhante de jogadores azulinos, como Dico, Edson Cimento, Marinho, Dutra, Darinta, Cuca, Aderson e seu irmão Mêgo (autor dos dois gols inaugurais do Mangueirão), Elias, Mesquita, Bira, Júlio César, o gigante Alcino… E por aí vai. E para ninguém dizer que estou puxando a brasa só pra minha sardinha, já que eu torcia pelo Remo, relembro alguns nomes da galeria de grandes craques que o rival Paysandu também ostentou naquela época: Aldo (irmão do Bira, ambos macapaenses), Patrulheiro, Lupercínio, Heider, Paulo Robson, Careca, Wilfredo, Evandro, Roberto Bacuri, Nilson Diabo, Tuíca, Edésio, Leônidas, Chico Spina e até o Dario – Dadá Maravilha…

Foto: Márcia do Carmo

Égua! Belém da minha infância entrou em campo de novo e o mais legal disso foi constatar que Mareco não tem nem sombra da arrogância que se vê hoje em alguns jogadores. O cara veste a camisa da humildade, o verdadeiro manto dos vencedores.

E para encerrar esta crônica ciriana nazarena, o fim da tarde e o começo da noite foram embalados pelo ritmo irmão do marabaixo, o carimbó. Pinduca, Verequete e outros mestres baixaram no terreiro e deram show, me transportando novamente para Belém e Curuçá, banhando minha alma de açaí.

Então diga aí: Belém estava ou não presente no domingo do Círio da Naza, aqui em Macapá? Milagres da Naza e do Anjo Galahell!

Naza / Nazarézinha / Nazaré Rainha / Nazaré Mãe da terra / Mãezinha / Me ajuda a cuidar” (Almirzinho Gabriel).

*Contribuição de 2013, republicada.

Governo do Amapá mobiliza mais de 250 militares para garantir segurança e bem-estar dos devotos no Círio de Nazaré

Para garantir a tranquilidade e o bem-estar dos devotos na procissão do Círio de Nazaré 2023, o Governo do Amapá disponibiliza mais de 250 agentes da segurança pública para atuar na programação do evento no domingo, 8.

Os profissionais irão trabalhar nos serviços de pronto atendimento médico de primeiros socorros e policiamento preventivo durante todo o percurso da tradicional manifestação religiosa, que ocorre em Macapá.

De acordo com a organização do Governo do Estado, o planejamento inclui profissionais do Corpo de Bombeiros (CBM) e da Polícia Militar (PM). Os agentes terão um papel estratégico antes, durante e depois do evento com o foco em manter a segurança dos promesseiros.

Corpo de Bombeiros

Dentro do planejamento, equipes do CBM estarão com 110 bombeiros e seis viaturas, sendo duas Unidade de Suporte Básico (USB), uma Unidade de Suporte Avançado, uma viatura Auto Bomba Tanque (ABT) de combate à incêndio, uma de Auto Busca e Salvamento (ABS) e uma viatura tipo picape, para dar suporte logístico aos militares.

“O Corpo de Bombeiros estará presente no Círio de Nazaré em Macapá, com mais de 100 militares atuando na prevenção, ambulâncias com médico, enfermeiros e socorristas. Garantir o cuidado da população é a prioridade do Governo do Estado nesse dia de fé”, disse o coronel Alexandre Veríssimo, comandante do Corpo de Bombeiros.

Polícia Militar

Já a PM contará com 146 policiais e sete viaturas que ficarão dispostas em pontos estratégicos no percurso da procissão para realizar policiamento preventivo.

“No domingo, também estará ocorrendo o último dia da Expofeira, em que o Governo do Amapá terá um grande policiamento. Essa atenção também será dada para o Círio de Nazaré”, garantiu o coronel Adilton Corrêa, comandante da Polícia Militar.

O tema da romaria este ano é “Maria, cheia de graça, missionária da vida e da fé” e o lema “Maria, levantou-se e foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá” (Lc 1,39). A expectativa da Diocese de Macapá, responsável pela programação, é que cerca de 150 mil pessoas participem do Círio de Nazaré 2023.

Texto: Marcelle Corrêa
Foto: Arquivo GEA
Secretaria de Estado da Comunicação

Círio 2023: Confira a programação oficial

Romaria dos rodoviários
Data: 06/10/2023 (Sexta-feira): Saída às 14h da Rede Amazônica (TV Amapá) até a Paroquia N. S. de Fatima e Sant’Ana (Santana)

Romaria fluvial
Data: 07/10/2023 (Sábado): Saída às 7h de Santana até o Porto da NorteLog (Rio Matapi)

Romaria dos motociclistas
Data: 07/10/2023 (Sábado): Saída às 10h do Porto da NorteLog até a Catedral São José.

Missa de apresentação do mando e trasladação
Data: 07/10/2023 (Sábado): às 19h na Catedral São José.
Após a missa inicia a procissão de Trasladação da imagem até o Santuário N. S. de Fátima.

Missa e procissão do Círio
Data: 08/10/2023 (Domingo): missa às 7h e em seguida a procissão do Círio até a Catedral Histórica de São José.

14/10/2023 (Sábado)
15h – Santa Missa

Romaria das crianças
Data: 12/10/2023 (Quinta-feira): De acordo com a programação dos Vicariatos. Sendo o Vicariato 4 a programação às 16h Missa na Catedral São José / Romaria até a Paróquia Jesus de Nazaré/ Show Amigos da Nazinha.

Romaria da juventude
Data: 14/10/2023 (Sábado): às 15h – Missa na Catedral / Romaria até a Paróquia Jesus de Nazaré/ Animação musical e a festa das cores.

Círio musical
Sábado, 14 de Outubro, depois da Romaria da Juventude.

Festa social
Domingo, 15 de Outubro, às 11h na quadra da Paróquia Jesus de Nazaré.

Missa e procissão do recírio
16/10/2023 (Segunda-feira): Santa Missa na Quadra da Paróquia Jesus de Nazaré, às 19h e após a missa procissão das luzes de encerramento do Círio até a Catedral São José.

Fonte: Blog da Alcinéa

Promovido pela Unifap, evento gratuito discute intolerância religiosa

O Programa de Pós-graduação em História (PPGHist), da Universidade Federal do Amapá (Unifap), promove, nos dias 5 e 6 de outubro, o II Seminário Sociocultural e Religioso de Jequitibá: diálogo inter-religioso e ecumênico. O evento ocorre de forma híbrida (presencial e on-line). As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até o início do seminário, no link https://forms.gle/tGpooqyNCtSLy1eK7. As conferências on-line ocorrem por meio da plataforma Google Meet e sempre no mesmo link.

O evento é realizado pelo PPGHist em parceira com o Instituto Edith Theresa Hedwig Stein, o Centro de Pesquisas de Religião, Religiosidades e Políticas Públicas (Cepres), a coordenação do Curso de Especialização em Ciências da Religião (Unifap) e a Abadia Nossa Senhora Mãe do Divino Pastor e é aberto para todos os públicos.

Segundo o coordenador do evento, Prof. Dr. Marcos Vinicius de Freitas Reis, o objetivo central do seminário é discutir a intolerância religiosa, racismo religioso e a presença religiosa no Brasil e no mundo. E a partir dessa discussão pensar propostas de pesquisas, projetos de extensão, cooperações técnicas e intercâmbio de pesquisadores.

“Muitas instituições religiosas são agredidas, violentadas, invadidas por conta de um não respeito ao seu caráter religioso, então a Universidade entra nesse debate para entender como isso ocorre, por que ocorre e ações que podem ser pensadas para evitar. É, sobretudo, estudar a importância da liberdade religiosa no Brasil e a relação histórica entre elas, inclusive pra quem não é religioso”, afirma o Prof. Dr. Marcos Reis.

De acordo com o coordenador do evento, a iniciativa do PPGHist é importante devido à necessidade de combater a intolerância religiosa também no ambiente acadêmico. “Nós temos muitos religiosos que são nossos alunos e que participam com esse tema, seja com pesquisas, eventos ou outra forma acadêmica e a intolerância religiosa é um problema muito forte hoje”, pontua.

A programação presencial do evento será realizada no Mosteiro Cisterciense de Jequitibá, em Novo Mundo, Bahia. As conferências e mesas-redondas contarão com a participação de professores, pesquisadores e religiosos de diferentes religiões.

“É um seminário muito importante para discutir a questão religiosa e como os fundamentalismos religiosos vêm ocorrendo no Brasil. É uma oportunidade para nós ouvirmos as lideranças religiosas, compreendermos a necessidade do respeito à liberdade religiosa e como a gente pode avançar no sentido de combater as intolerâncias”, finaliza o Prof. Dr. Marcos Reis.

Confira a programação:


Serviço:

II Seminário Sociocultural e religioso de Jequitibá: diálogo inter-religioso e ecumênico.
Fuso horário: América/Fortaleza
Data: 5 e 6 de Outubro de 2023
Inscrições: Até o início do evento pelo link https://forms.gle/tGpooqyNCtSLy1eK7
Link da videochamada: https://meet.google.com/suq-zwoi-qj

*Texto: Rafaela Cristina (Estagiária Assesp/Unifap)
Ascom Unifap

Deputado Júnior Favacho participa da inauguração da Praça do Santuário de Fátima, em Macapá

O deputado estadual Júnior Favacho (MDB) esteve presente na cerimônia de inauguração da Praça do Santuário de Fátima, localizada no bairro Santa Rita, no centro de Macapá, na última terça-feira, dia 3. A obra, realizada pela Prefeitura da capital, incluiu a entrega de um palco coberto e uma capela para celebrações de missa à população. Centenas de fiéis participaram do evento, que foi encerrado com um show da cantora paraense Fafá de Belém.

Devoto de Nossa Senhora e frequentador da Paróquia local, Júnior Favacho compareceu ao evento acompanhado de sua família. Ele destacou que a obra é um presente não apenas para a comunidade, mas também para toda a população de Macapá. O deputado enfatizou a importância do local para a cidade, que abriga dois momentos significativos: 13 de maio, dia de Nossa Senhora de Fátima, e o Círio de Nazaré, o segundo maior do país. Júnior Favacho parabenizou o Dr. Furlan, responsável pela sensível entrega dessa maravilhosa obra à população.

A obra da Praça, agora inaugurada, englobou uma área de 5.985,95 m² e envolveu a construção de escadas, lojas e banheiros, a instalação de iluminação, arborização, paisagismo e rampas de acessibilidade, além da revitalização e ampliação de calçadas. O palco coberto foi utilizado pela primeira vez durante uma missa campal celebrada por Dom Pedro Conti, na presença da comunidade da igreja, autoridades e da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima.

Maria de Fátima de Souza, uma devota emocionada, expressou sua felicidade com o novo espaço, ressaltando que frequenta a igreja há muitos anos e nunca havia visto o local tão belo e acolhedor. Ela trouxe sua família para prestigiar o evento e se preparar para o Círio de Nazaré, que ocorrerá em 8 de outubro, pedindo as bênçãos de Nazinha para todos os envolvidos na obra e que cuidam da cidade.

No final da celebração, os fiéis desfrutaram de um show da cantora Fafá de Belém, que apresentou clássicos de sua carreira e músicas que celebram a fé católica e a virgem de Nazaré. Pessoas de todas as idades cantaram e dançaram junto com a artista. Logo em seguida, a cantora Oneide Bastos também presenteou o público com sucessos da Música Popular Amapaense, acompanhada pelo coral Vozes do Amapá, sob a regência de seu filho, Paulo Bastos, proporcionando mais um presente ao público que permaneceu firme até o final da festa.

Assessoria de comunicação

Círio2023: Coordenação e promesseiros recebem nesta sexta-feira, 29, chegada da corda da berlinda

A corda, um dos maiores símbolos que envolve o Círio de Nazaré, chega em Macapá e será entregue nesta sexta-feira, 29, às 14h, na Catedral São José para a coordenação da festividade e aos promesseiros que integram a equipe.

Doada pelos empresários Adiomar Roberto Veronese e Jaime Nunes, a corda este ano terá 150m  de comprimento.

É na corda, que vem a frente da berlinda que traz a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, que dezenas de fiéis disputam um lugar para agradecer e pedir bênçãos a Virgem padroeira da Amazônia.

Ainda como parte das homenagens, a festividade terá este ano a missa de benção da corda e dos promesseiros, que acontecerá no próximo domingo (1/10), às 19h, na Catedral São José.

Serviço:

Chegada da corda do Círio
Data: 29/09/2023
Hora: 14h
Local: Catedral São José
Endereço: Rua General Rondon, Centro

3ª paróquia mais antiga do Amapá, Igreja de Nossa Senhora da Conceição realiza programação para custear reforma

Por Rafael Aleixo

A Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, no bairro do Trem, em Macapá, vai realizar uma programação especial voltada para o levantamento de fundos para a reforma do prédio. A igreja é a terceira mais antiga do Amapá, sendo mais nova apenas do que a Catedral Histórica de São José e a paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, localizada no bairro da fazendinha, também na capital.

O padre Hilbeberto Carneiro informou que iniciou uma campanha em setembro do ano passado para arrecadar fundos para reformar o telhado, que foi todo trocado. Na época, todos os parafusos foram impermeabilizamos com manta asfáltica, assim como pintados com tinta emborrachada.

A história da igreja está ligada ao crescimento do bairro. A paróquia erguida a partir do empenho do padre Francisco Cocco, que até os dias atuais é tido como um ícone no bairro.

“A paróquia ficou famosa justamente pela sua famosa torre com seus quatro sinos. Esta paróquia tem toda uma simbologia para este bairro. Os moradores mais antigos comentam que muitos ajudaram, literalmente, a carregar pedras e tijolos para levantar esta comunidade”, descreveu o padre.

Os itens incluídos na lista para reforma são: instalação elétrica, capacitando para comportar 12 centrais de ar; compra de transformador; poste; fazer subestação; colocar vitrais e portas de vidro; troca de piso; recuperação do altar; pintura interna e externa; instalação de placas solares e; revitalização e reparo dos sinos.

Para ajudar a arrecadação, a paróquia realiza rifas e terá a partir das 19h do dia 13 de outubro um show beneficente “Meu Acampamento” com o Thiago Brado.

O show terá ainda a participação da Banda Eterna Aliança e Ministério de dança do Shalom.

Veja as datas históricas da igreja:

03/12/1949 – Dedicação da primeira Capela a N.Sra da Conceição
03/07/1950 – Início da construção da segunda Capela, uma vez que a primeira foi derrubada por um forte temporal
03/08/1950 – Celebração da primeira missa, na nova Capela, presidida pelo Pe Antônio Cocco.
01/05/1950 – Lançamento da pedra fundamental da Igreja atual
27/05/1954 – Benção e entronização da Imagem de N.Sra da Conceição, por Dom Aristides Pirovano, Bispo prelado de Macapá
30/05/1954 – Benção e inauguração da Igreja de N.Sra da Conceição e celebração da primeira Santa Missa, presidida por Dom Aristides Pirovano e concelebrada pelo Pe Antônio Cocco e demais padres da Prelazia

Fonte: G1 Amapá

Fundação Marabaixo convoca eleição para o Conselho Estadual de Promoção de Igualdade Racial

A Fundação Estadual de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Fundação Marabaixo) está convocando a população para a eleição dos representantes da sociedade civil que devem compor o Conselho Estadual de Promoção de Igualdade Racial (Coepir) para o triênio 2023-2025.

As inscriçõs podem ser feitas até 6 de setembro e as eleições acontecem no dia 24, das 9h às 16h, na sede da Fundação. Os representantes serão indicados e eleitos dentro do segmento ao qual pertencem, segundo critérios de escolha objetiva. O edital 001/2023 foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) da última quinta-feira, 24 de agosto.

CONFIRA O EDITAL AQUI

“A escolha dos conselheiros consolidará e fortalecer tanto o trabalho da Fundação quanto as políticas afirmativas no Amapá. É um momento bastante aguardado pelos segmentos e movimentos sociais”, avalia a diretora-presidente da Feppir-Fundação Marabaixo, Josilana Santos.

Serão escolhidos titulares e suplentes dos seguintes segmentos:

Representante de mulheres (negras, ciganas, indígena, judaica, entre outras);
Representante de Matriz Africana;
Representante da Capoeira;
Representante do Hip-Hop;
Representante da Juventude;
Representante LGBTQI+;
Representante da Educação;
Representante do Marabaixo;
Personalidade negra notoriamente reconhecida.
Inscrições

Interessados podem se inscrever até 6 de setembro. A lista preliminar será divulgada até o dia 12 de setembro e a definitiva até o dia 18 de setembro. O período de campanha dos candidatos será de 19 a 23 de setembro. Serão exigidas documentações tanto das entidades representadas, quanto dos candidatos. (Confira a lista completa no edital)

Eleições

O processo eletivo acontecerá no dia 24 de setembro e será coordenado por uma Comissão Eleitoral. O processo de escolha dos representantes da sociedade civil é por meio de votação simples. Os participantes poderão votar apenas uma vez nos candidatos/as de sua respectiva representatividade. O anúncio dos eleitos será feito após o encerramento e apuração dos votos.

O Conselho

De acordo com o Artigo 4º da Lei 22.650, de 2 de abril de 2022, que criou a Fundação Marabaixo, “o Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial – Coepir, órgão colegiado de caráter permanente, consultivo deliberativo, tem sua finalidade, composição e competências regido por legislação específica”. Tem como finalidade propor políticas públicas que promovam a igualdade racial no Estado.

Texto: Gabriel Penha
Fotos: Gabriel Penha/Fundação Marabaixo
Secretaria de Estado da Comunicação – SECOM/GEA

Governo do Amapá investe nas tradições culturais e religiosas do Curiaú com apoio ao ‘Quilombo Groove’

Um mergulho nas tradições culturais e religiosas, em especial no batuque e marabaixo, é a proposta do “Quilombo Groove – Preces, Louvores e Batuques”, evento que começou na noite de segunda-feira, 21, no Curiaú, zona rural de Macapá. O Governo do Amapá garantiu a participação de vários artistas para as apresentações ao longo de sete dias de programação gratuita.

A abertura contou com uma missa na capela de Santo Expedito, em seguida, o público pode acompanhar a exposição do cenógrafo e artista visual, Paulo Rocha, que retrata festas religiosas e profanas registradas por ele ao longo dos anos, evidenciando a vivência quilombola.

“A ideia é que o visitante faça um mergulho na realidade de quem vive em um quilombo, desde a forma como se produz a tradicional bebida gengibirra à fabricação de instrumentos como as caixas de marabaixo”, explica Cláudio Silva, da Companhia Ói Nóiz Akí, grupo amapaense responsável pela organização do evento.

O “Quilombo Groove” foi um dos 30 selecionados pelo programa Natura Musical, que patrocina artistas e projetos em todo o país, promovendo experiências musicais que projetam a pluralidade da cultura brasileira.

No Curiaú, a programação segue até domingo, 27, e contará com shows musicais, além de rodas de conversa, contação de histórias e oficinas de confecção de instrumentos para estudantes da rede pública de ensino e outras ações que exaltam a cultura quilombola.

“Esse evento é muito importante para que nós, que vivemos o quilombo de perto, possamos contar, nós mesmos, a realidade daqui”, ressaltou Pedro Bolão, uma das lideranças da comunidade do Curiaú, que também realizará uma oficina de confecção de caixas de marabaixo.

Desde janeiro, a Secretaria de Estado da Cultura (Secult) vem diversificando e apoiando iniciativas que resgatam a ancestralidade e as manifestações amapaenses em vários segmentos artísticos.

“O Quilombo Groove é reconhecido nacionalmente como iniciativa que estabelece uma conexão entre o que nos molda e o que transmitimos culturalmente para as novas gerações. Como resultado, temos essa grande devolutiva em forma de arte e cultura. A nova gestão do Governo do Estado é sensível a essas manifestações e não depois deixar de apoiá-los”, destacou Clicia Vieira Di Miceli, secretária de Cultura.

Com vagas limitadas, as inscrições para as vivências e oficinas ainda podem ser feitas pelo e-mail [email protected]. Os shows e rodas de conversa não tem limitação de público e acontecem na Maloca da Tia Chiquinha.

Confira a programação do Quilombo Groove:

Terça-feira, 22

Hora: 14h
Vivência: Percursos Sonoro Coreográficos Acerca do Marabaixo
Hora: 16h
Contação de Histórias
Hora: 17h
Percursos Sonoro Coreográficos Acerca do Batuque

Quarta-feira, 23

Hora: 14h
Oficina de Percussão
Hora: 16h
Confecção de Instrumentos (Marabaixo e Batuque) com Materiais Recicláveis

Hora: 17h
Demonstração Técnica de produção da gengibirra
Quinta-feira, 24

Hora: 18h
Roda de Conversa: Interferências Étnico-Raciais na Música Amapaense
Hora: 19h
Shows musicais com Pretagonista, Patrícia Bastos e Raízes do Bolão
Feira de Produtos do Quilombo
Praça de Alimentação
Sexta-feira, 25

Hora: 19h
Shows musicais com Capitão Pupunha e Paulo Bastos
Feira de Produtos do Quilombo
Praça de Alimentação
Sábado, 26

Hora: 19h
Shows musicais com as atrações MC Deeh e Brenda Melo
Feira de Produtos do Quilombo
Praça de Alimentação

Domingo, 27

Hora: 19h
Shows Musicais com atrações Sabrina Zahara, Metá-Metá e Banda AfroBrasil
Feira de Produtos do Quilombo
Praça de Alimentação

Texto: Luan Rodrigues
Foto: Aog Rocha/GEA
Secretaria de Estado da Comunicação

Diocese de Macapá abre inscrição para voluntários no Círio de Nazaré 2023

A partir de 1º de agosto estão abertas as inscrições e a atualização de cadastro de voluntários que desejam contribuir com as equipes de serviço do Círio de Nazaré 2023 em Macapá. Os interessados podem se inscrever nas comissões de Acolhida, Defesa Social, Fluvial, Guarda de São José, Liturgia, Ornamentação, Santuário de Fátima e Sonorização.

Os interessados devem assinar um Termo de Voluntariado, documento que demonstra responsabilidade por ambas as partes nas atividades que acontecem até o mês de outubro.

A inscrição acontece até o dia 31 de agosto, na Secretaria do Círio, localizada no subsolo da Catedral São José. Cerca de mil voluntários são esperados para colaborar na programação deste ano para nas atividades de preparação, peregrinação e organização do Círio de Nazaré.

Para fazer a inscrição ou atualização o interessado deve ter idade mínima de 18 anos. Deve também apresentar cópia do documento de identidade e pagar uma taxa de R$ 10,00.

Os interessados devem assinar um Termo de Voluntariado, documento que demonstra responsabilidade por ambas as partes nas atividades que acontecem até o mês de outubro.

Círio de Nazaré

O Círio de Nazaré 2023 terá como tema “Maria, cheia de graça, missionária da vida e da fé!”. O lema terá como inspiração bíblica o Evangelho de São Lucas: “Maria levantou-se e foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá” (cf. Lc 1,39).

A programação oficial inicia no dia 27 de agosto, o ponto alto da festividade acontecerá no dia 9 de outubro, com missa e procissão imagem de Nossa Senhora de Nazaré pelas ruas de Macapá.

Serviço

Inscrições de voluntários

Data: De 01/08/2023 a 31/08/2022

Horário: Segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h; e aos sábados, das 8h às 12h.

Local: Secretaria do Círio (localizada no subsolo da Catedral São José, com entrada pela Av. Mendonça Furtado; entre as ruas General Rondon e Eliézer Levy)

Taxa de inscrição: R$10,00 (dez reais)

Diocese de Macapá
Pastoral da Comunicação: (96) 98414-2731

Com cantos e ritmo de atabaques matrizes africanas se apresentam no Bioparque da Amazônia

Na quinta-feira (20), começou de maneira diferente no Bioparque da Amazônia, foi o encontro de várias representações das comunidades de matrizes africanas que aconteceu em clima de festa e cortejo. O evento promovido pela Prefeitura de Macapá contou com apresentações culturais em homenagem aos Orixás. A programação também integra as atividades do Macapá Verão 2023.

O Babalorixá Reginaldo Santos, disse que o evento é considerado uma manifestação cultural. “As matrizes africanas são consideradas a essência de onde tudo começou. Esse é o nosso grito de liberdade, pois antigamente éramos oprimidos e hoje, graças a nossa luta, conquistamos o nosso espaço em uma sociedade que ainda precisa se libertar de preconceitos” ressaltou Reginaldo.

O evento também contou com exposição de obras que retratam a cultura afro-brasileira.

Para Claudete Nascimento, artista plástica há quase 30 anos, a exposição também é uma oportunidade única para os visitantes se confrontarem com a realidade negra e refletirem sobre o papel da arte. “Pude mostrar um pouco de minhas obras, com isso, espero que a exposição ajude a sensibilizar as pessoas para o importante papel desempenhado pelo artista dentro das manifestações culturais”, afirma a artista.

Valorizando as atividades dessas comunidades tradicionais, participaram da programação, os babalorixás: Tojalonã, Ewê Coletivo de Artistas de Terreiro, Pai Rogério de Ogum, Reginaldo Santos Da Silva, Pai Carlos Manezinho, Daiana Roneli dos Santos, Augusto Pereira, Congá São Jorge, Elias Santos, Pai Salvino, Claudete Nascimento e Andreia Tayane.

Secretaria Municipal de Comunicação Social

Morre pastor Oton Alencar, líder religioso e membro da Academia Amapaense de Letras

 


Morreu nesta quarta-feira (19), aos 79 anos, o pastor Oton Miranda de Alencar, líder durante vários anos da Assembleia de Deus, a Pioneira no Amapá. O pastor realizava o tratamento de um câncer na próstata e estava internado em um hospital particular, em Macapá.

Oton Miranda também era membro da Academia Amapaense de Letras, ocupante da cadeira 27, e vice-presidente da convenção da Assembleia de Deus no Brasil.

O líder religioso nasceu no dia 19 de outubro de 1943, no Maranhão. A família informou que o velório ocorrerá na sede da Assembleia de Deus e que o sepultamento ocorrerá na sexta-feira (21).

A igreja informou que decretou luto de 3 dias. Nas redes sociais, autoridades políticas do Amapá manifestaram pesar pelo falecimento.

O governador Clécio Luís informou que recebeu a notícia do falecimento com muita tristeza.

“Que nosso Pai Celestial possa recebê-lo e consolar os corações das pessoas queridas, amigos, fieis e familiares que o cercavam de amor, devoção e fé. Vá em paz, meu amigo“, disse o governador.

O senador Davi Alcolumbre disse que o Amapá perdeu hoje uma das maiores referências evangélicas.

“Durante décadas à frente da igreja Assembleia de Deus – A Pioneira, conduziu seus fiéis com fé, dedicação e amor honrando o legado de seu pai, Pastor Otoniel Alencar.”, disse o senador.

Fonte: G1 Amapá.