Minha história

forrest-gump-movie-clip-screenshot-i-gotta-find-bubba_large

Conto de Ronaldo Rodrigues

Ei! Deixa eu te contar a minha história. Uma coisa que aconteceu comigo quando eu era criança. Foi lá na cidade onde nasci…

Ele me interrompeu, muito delicadamente:

– Você se importaria de deixar pra depois? Não é por nada, não, mas estamos sendo bombardeados pelo exército inimigo. Está chovendo bala e você, em vez de se proteger, fica tentando me contar a sua história. Se você não se cuidar, pode ser hoje o fim da sua história.

Me abaixei para não ser alvejado por alguma bala inimiga e dei razão a ele. Mas eu queria tanto falar daquilo, queria tanto contar a minha história. Insisti:download (2)

– Acontece que se hoje for o fim da minha história, se a gente morrer aqui nesta guerra, eu vou morrer com tudo isso que preciso falar pra alguém. Vou morrer com a minha história engatada na garganta. Seria o mesmo que uma bala atravessasse a minha garganta agora.

– É, mas pode ser que a gente não morra, se você se calar e cuidar de salvar a sua pele, como estou fazendo com a minha.

Me abaixei mais ainda, admirando intimamente a sua forma de falar, mesmo naquele tiroteio dos infernos.

*** *** ***

6fd3e66d69e77206ba780ed4915ffcdfPerdemos aquela batalha, fomos aprisionados e ficamos à disposição da corte marcial, que decidiria nossos destinos. Não vi mais aquele soldado com quem travei aquele diálogo sobre a minha história. Fui amarrado a outro soldado e aproveitei para falar a este:

– Tem uma coisa que eu preciso contar. Quando eu era criança…

Este outro soldado me interrompeu, sem a delicadeza do primeiro:

– Ô, cara! A gente tá aqui, amarrados, com fome e sede, a poucos minutos de uma decisão dessa corte marcial que pode nos mandar pro paredão de fuzilamento ou para a forca. Você acha que eu tenho cabeça pra ouvir alguma coisa?

Aproveitei a deixa:

Mas é justamente por isso. Se a corte marcial nos condenar, eu posso morrer em paz com a minha consciência, por ter falado pra você isso que eu quero falar. Você falou que está sem cabeça pra pensar alguma coisa e, por falar em cabeça, creio que, se formos condenados à morte, deverá ser por enforcamento. É pra economizar munição.tom_hanks_cast_away_006

Ele agradeceu a informação e pediu para que eu ficasse em silêncio. Depois que olhou mais atentamente para a minha aflição, me disse pra eu falar com o padre:

Se formos condenados à morte, acho que temos direito a um padre pra ouvir nossas confissões, dar a bênção final, essas coisas. Aproveita e conta a tua história pra ele.

Achei boa a ideia, mas eu achei que não seríamos condenados à morte. Ainda não seria daquela vez. No máximo, nos deixariam presos até o fim da guerra.

Foi o que aconteceu. Fomos libertados dois anos depois, com o fim da guerra. Esse tempo todo eu segurando a história que tinha pra contar. Nesses dois anos, tentei falar várias vezes, com vários companheiros de prisão, mas não encontrei ninguém disposto a ouvir.

*** *** ***

835

O tempo passou pra mim (e pra todo mundo, claro) e nunca encontrei alguém que quisesse ouvir a minha história. Tinha desistido de contar, até que ontem, no meu aniversário de 98 anos, a minha netinha de seis anos olhou bem lá no fundo dos meus já enevoados olhos e perguntou se eu tinha alguma história pra contar.

Meus já enevoados olhos ganharam brilho e me preparei para contar o que aconteceu quando eu era bem pequeno, da idade da minha neta. Só que eu já havia esquecido, tanto a história quanto a vontade de contá-la. E minha voz já não saía. Mas aquela atenção da minha neta para a minha história me fez mais feliz, disposto a suportar mais alguns anos de guerra.

Hoje rola Teatro nacional no X Aldeia de Artes Sesc Povos da Floresta: Companhia Cortejo do Rio de Janeiro apresenta Espetáculo Antes da Chuva

Antes da Chuva
Antes da Chuva

Por Alessandra Leite

Na noite desta quinta (28), o X Aldeia de Artes Sesc Povos da Floresta em Macapá apresenta no Teatro das Bacabeiras, às 21h, o espetáculo teatral “Antes da Chuva” da companhia Cortejo da cidade de Três Rios no Rio de Janeiro.

“Antes da Chuva” é inspirado em obras como “O Amor nos Tempos de Cólera”, de Gabriel García Márquez, e “O Leitor”, de Bernhard Schlink e retrata o romance de um jovem por uma menina mais velha. Mesclando a tragédia e a comédia a peça mostra como a convivência entre os jovens personagens pode ser envolvente e chocante.

O espetáculo ‘Antes da Chuva’, faz parte da programação do Palco Giratório que chega em sua 18ª edição. O Circuito Palco Giratório é considerado o maior projeto de circulação nacional das artes cênicas.

O projeto reúne duas mil horas de oficinas sobre manifestações teatrais e 20 espetáculos de grupos provenientes dos estados da Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Rondônia. Além de entretenimento, o Palco Giratório proporciona trocas de experiências e intercâmbios entre artistas e plateia, por meio de oficinas, seminários e festivais.

Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do Teatro das Bacabeiras e no setor de Cultura do Sesc Araxá no valor de R$10 (inteira) e R$5 (meia para estudantes e comerciários). O espetáculo tem duração de 60 minutos com classificação etária a partir 14 anos.

Ficha Técnica:
Texto: Rodrigo Portella
Direção: Rodrigo Portella e Leo Marvet
Elenco: Bruna Portella e Luan Vieira
Figurinos: Bruno Perlatto?
Músicas Originais: Felipe Chernicharo
Iluminação: Rodrigo Portella
Preparação Vocal: Jane Celeste Guberfain
Assistente de Figurino: Camila Domingues
Produção: Trilhos Produções Artísticas
Produção Executiva: Larissa Gonçalves
Realização: Cia Cortejo

X Aldeia de Artes Sesc Povos da Floresta

A X Aldeia de Artes Sesc Povos da Floresta é um evento que aglutina os diversos segmentos da cultura brasileira. Um verdadeiro caldeirão multicultural envolvendo artes cênicas, artes visuais, musica cinema, literatura e tradição. A programação prossegue até o dia 30 de maio com uma vasta programação cultural envolvendo poesia, música, teatro e dança.

O evento tem como objetivo contribuir para o processo de criação e difusão da cultura do Estado do Amapá, possibilitando a troca de experiência, técnica e conhecimento no âmbito cultural, através da integração entre artistas de várias linguagens culturais.

Programação
28/05 – Quinta-feira
· 8h – oficina de dança – Corpo Emaranhado
Local: Sala de dança Sesc Araxá
· 9h – Magia das Letras
Local: Escola Meu Pá de Laranja Lima
· 15h – Deu a Louca no Zoológico
Local: Escola Estadual Azevedo Costa
· 21h – Antes da Chuva
Local: Teatro das Bacabeiras
· 22h – show “Tambores do Norte” Chermont Junior
Local: Sesc Centro

29/05 – Sexta-feira
· 9h – Magia de Brincar
Local: Espaço Recreativo Sesc Araxá
· 15h – O mundo encantado do Circo
Local: Espaço Recreativo Sesc Araxá
· 20h – Divino
Local: Salão de Eventos Sesc Araxá
· 22h: Show Mandalazul – João Amorim
Local: Sesc Centro

30/05 – Sábado
· 13h30 – Alecrim e o livro encantado
Local: Escola Estadual São Paulo – Santana
· 19h – Malcriadas
Local: Teatro Porão Sesc Araxá
· 21h – Balanço
Local: Salão de Eventos Sesc Araxá
· 23h – Show “Amapalizada” Brenda Melo
Local: Sesc Centro

Assessoria de Comunicação e Marketing
Email: [email protected]
Fone: (96)3241-4440 (Ramal 235) / (96)99134-0130
Site: www.sescamapa.com.br
Facebook: Sistema Fecomércio Amapá

TRE-AP reúne com empresas contratadas e alinha plano para melhorias na prestação de serviços

IMG_8466

O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) realizou nesta segunda-feira (25), em sua sede, uma reunião com os contratados que prestam serviços à Justiça Eleitoral. Durante o encontro, que contou com a presença do presidente do TRE, Desembargador Carlos Tork, do diretor geral da instituição, Veridiano Colares e parte da equipe técnica do órgão, foi anunciada a implantação do Programa Eficiência Administrativa na Fiscalização de Contratos, no mês de julho próximo.

De acordo com a titular da Seção de Acompanhamento e Gestão de Contratos (SAGEC), Marcelle Ferreira, o Programa Eficiência Administrativa na Fiscalização de Contratos consiste no acompanhamento e avaliação da atuação das empresas. A medida busca a excelência na prestação dos serviços contratados pelo TRE-AP, e observará aspectos como, atendimento de demandas em prazo previsto no contrato, pagamento de direitos e salários em dia aos colaboradores terceirizados e penalidades aplicadas.

IMG_8440

Assim como outras medidas internas do TRE, tomadas na atual gestão, a ação visa a melhorar ainda mais a administração do Tribunal e consequentemente sua atuação junto à sociedade. A ação, determinada pelo presidente do TRE, foi elaborada pela SAGEC e conta com o apoio da Secretária de Administração e Orçamento (SAO), da equipe da Coordenadoria de Serviços Gerais (CSG) e da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI).

Durante a reunião foi informado aos representantes das empresas que o TRE implantará uma ferramenta de Sistema de Chamados, por meio da qual serão registradas as ocorrências relacionadas a cada contrato. As empresas foram alertadas que as ações de fiscalização serão ainda mais rigorosas. Todos os contratados presentes tiveram a oportunidade de se manifestar durante a reunião e ainda poderão nos próximos cinco dias, apresentar sugestões ao modelo proposto para que se adéqüem da melhor maneira possível.

IMG_8432

O programa de fiscalização vai aferir a qualidade do serviço de acordo com as demandas e ocorrências registradas no sistema de chamados. Desta forma, a gestão de contratos espera obter maiores subsídios para a avaliação mensal das empresas, o que reforçará a decisão administrativa pela continuidade de um determinado contrato.

Para o presidente do TRE, aferir a atuação das empresas é a forma para pagar um valor adequado por um serviço de excelência. O Desembargador enfatizou que o contratado que não atender ao padrão almejado pelo Tribunal, já definido no edital de licitação, poderá não ter o contrato renovado, ou sofrer sanções que o impeçam de participar de uma nova licitação.

IMG_8456

É importante que o contratado tenha lucro, mas que o TRE obtenha serviço prestado no prazo, que obras sejam entregues dentro do cronograma previsto e que todos os colabores terceirizados tenham seus direitos salariais e trabalhistas garantidos. Trabalharemos para pagar o preço justo por um serviço de qualidade”, ressaltou o Desembargador Carlos Tork.

Serviço:

Tribunal Regional Eleitoral do Amapá
Assessoria de Comunicação e Marketing
Elton Tavares

A arte do Chapolin

EueChapolin
Eu e João, o “Chapolin”.

O artista João Vitor Ribeiro, popularmente conhecido pelo apelido de “Chapolin”, é artesão e pintor. Ele e sua esposa Nancy vendem artesanato pelos bares e eventos culturais de Macapá.

João é brother. Além de artista, é um cara legal. Conheço o Chapolin há tanto tempo que nem sei dizer, mas é preciso reconhecer que o cara tem talento.

De uns tempos pra cá, ele me surpreendeu com sua habilidade como pintor e delicadeza de seu trabalho. Já tem uns dias que eu deveria ter feito o anúncio de suas obras aqui. Portanto, aí estão duas de suas telas:

11329899_822281657825961_221894238167110629_n (1)
Igarapé de Boa Esperança – Amapá – Porto Grande – Pintura de João Vitor Ribeiro.
10995565_822278664492927_7199846445762823544_n
Iara sereia da Amazônia – Pintura de João Vitor Ribeiro

O telefone para contato com João Ribeiro é 991179384. Espero que algum leitor deste site se interesse pela arte do Chapolin.

Elton Tavares

Aldeia de Artes Sesc Povos da Floresta completa 10 anos e se consolida como maior evento cultural do Amapá

sesc

Por Fernanda Picanço

Está chegando a hora do maior evento cultural do Estado do Amapá, em sua 10ª edição o Projeto Aldeia de Artes Sesc Povos da Floresta, apresenta no período de 26 a 30 de maio espetáculos de música, teatro, dança, circo e oficinas. As apresentações acontecem no Sesc Araxá, Sesc Centro, Teatro das Bacabeiras e Escolas Públicas de Macapá e Santana.

O evento tem como objetivo contribuir para o processo de criação e difusão da cultura do Estado do Amapá, possibilitando a troca de experiência, técnica e conhecimento no âmbito cultural, através da integração entre artistas de várias linguagens culturais.

A X Aldeia de Artes Sesc Povos da Floresta é um evento que aglutina os diversos segmentos da cultura brasileira. Um verdadeiro caldeirão multicultural envolvendo artes cênicas, artes visuais, musica cinema, literatura e tradição.

Durante a Aldeia serão apresentados também espetáculos do Palco Giratório e do Projeto Vamos Comer Teatro, trazendo à capital amapaense, espetáculos teatrais dos estados do Rio de Janeiro, São Luís e Goiânia.

A Aldeia de Artes realiza também um circuito de Batuque e Marabaixo nas escolas públicas de Macapá e Santana, com o intuito de difundir e preservar a cultura do povo amapaense e pela necessidade de expandir as experiências e conhecimentos populares acerca deste legado cultural. A Associação Cultural Berço do Marabaixo da Favela, criada no dia 19 de junho de 1987, foi a primeira Instituição a ser constituída com o objetivo de manter viva a tradição e escolhida pelo Sesc para fazer esse intercambio.

A Associação é composta por crianças, jovens e adultos do antigo bairro da Favela, hoje Santa Rita. Hoje com 28 anos de muito trabalho e compromisso sociocultural, desenvolve atividades ligadas a maior manifestação cultural do Estado, como forma de resgatar as raízes afro-amapaense.

No primeiro dia do evento (26), o Sesc apresenta três espetáculos: Patativa – Verbo Poético do Sertão ( Cia de Arte Tucuju) que será apresentado as 20h no Teatro Porão no Sesc Araxá; já no Sesc Centro, acontecem dois espetáculos: às 22h Recital Poético Abra o Bico (Grupo Poetas Azuis) e às 23h o Show Ecos do Agora – A Semente da Canção, apresentado pelo cantor Cley Lunna.

Já no dia 27 às 9h, no Teatro Porão será realizada a oficina “Inspirações Dramaturgia em Espaços não convencionais”, que será ministrado por Rodrigo Portella do Rio de Janeiro. A programação continua em Santana, com apresentação do espetáculo Tio Nescau é Diversão Total, às 9h na Escola Estadual São Bento.

Ainda no dia 27 o Teatro das Bacabeiras será palco de dois espetáculos: às 17h o espetáculo Escuta Poética – Poesia Sonora (Grupo Tatamirô) e às 21h o espetáculo Cabras Cabras do grupo do Rio de Janeiro, fazendo parte do Projeto Palco Giratório (nesse espetáculo será cobrado ingresso no valor de R$5,00 meia para estudante e comerciário e R$10,00 para usuário), A programação encerra às 23h no Sesc Centro com o Show gratuito “Mulher de Cor” da cantora Carmem Peniche.

Na quinta-feira (28), acontece às 8h no Teatro Porão no Sesc Araxá, a oficina de Dança “Corpo Emaranhado” que será ministrado por Leônidas Portella, Marina Corrêa e Rosa Belfort, ambos de São Luís – MA. A programação segue com a apresentação do Grupo Mania de Brincar que apresenta o Espetáculo Magia das Letras, às 9h na Escola Meu Pé de Laranja Lima em Macapá.

No mesmo dia às 15h, a Escola Estadual Azevedo Costa recebe o espetáculo Deu a Louca no Zoológico, do Grupo Trupe Cênica Cidade Nova. Já as 21h no Teatro das Bacabeiras o Projeto Palco Giratório apresenta o espetáculo “Antes da Chuva”, da Cia Cortejo Três Rios do Rio de Janeiro (nesse espetáculo será cobrado ingresso no valor de R$5,00 meia para estudante e comerciário e R$10,00 para usuário). A programação do dia 28 encerra no Sesc Centro com a apresentação do Show Tambores do Norte do cantor Chermont Junior às 22h.

Na sexta-feira (29), o Espaço Recreativo Cultural do Sesc Araxá será palco de dois espetáculos: às 9h30 quem se apresenta é o Grupo Independente com o espetáculo ‘Magia de Brincar’, e às 15h o Grupo Trupe Show de Animação com o espetáculo ‘O Mundo Encantado do Circo’. Ainda no Sesc Araxá, o Projeto Palco Giratório apresenta às 20h no Salão de Eventos, mais um espetáculo: “Divino”, do Núcleo Atmosfera Nua de São Luiz do Maranhão. Quem encerra a programação do dia 28 é o cantor João Amorim, apresentando o Show Mandazul no Sesc Centro às 22h.

O sábado já vai ficar com gostinho de saudade, encerramento as programações com os espetáculos: Alecrim e o Livro Encantado, da Cia Que Maravilha, às 13h30 na Escola São Paulo em Santana. Já às 19h no Teatro Porão, acontece a apresentação do Projeto “Vamos Comer Teatro”, com espetáculo ‘Malcriadas’ do grupo Produção Independente. Às 20h, no Salão de Eventos do Sesc Araxá, quem se apresenta é o Grupo GTI de Goiânia, apresentando o espetáculo Balanço.

A cantora Brenda Melo encerra a programação do X Aldeia de Arte Sesc Povos da Floresta, apresentando o show ‘Amapalizada’ às 22h no Sesc Centro.

Segundo o Educador Cultural em Artes Cênicas Genário Dunas que coordena o evento no Amapá, as aldeias tem sido uma grande oportunidade do encontro das produções e tendências do mundo das artes, concentrando em um circuito todas as tribos culturais, provocando um intercambio pulsante à cultura entre os participantes, em especial o público, que além do acesso as produções são estimuladas a participar das ações formativas, experimentando novos saberes da cultura local e nacional.

“As Aldeias são acontecimentos estéticos da cotidianidade, entendendo as artes como uma estratégia, uma atitude de convocação do público para o abraço circulante em torno de um fato em diversos espaços artísticos”, destaca o coordenador Dunas.

Programação X Aldeia de Arte Sesc Povos da Floresta
26/05 – Terça-feira
· 20h – Patativa – Verbo Poético do Sertão – Cia de Arte Tucuju
Local: Teatro Porão Sesc Araxá
· 22h – Recital Poetico Abra o Bico – Poetas Azuis
Local: Sesc Centro
23h – Show Ecos do Agora – Sementes da Canção – Cley Lunna
Local: Sesc Centro
27/05 – Quarta-feira
· 8h – Oficina: Inspirações – dramaturgias em espaços não convencionais10409682_10200585441354114_7418986137561654493_n
Local: Teatro Porão Sesc Araxá
· 9h – Tio Nescau é diversão total
Local: Escola Estadual São Bento – Santana
· 17h – Escuta poética: poesia sonora
Local: Hall do Teatro das Bacabeiras
· 21h – Cabras Cabras
Local: Teatro das Bacabeiras
· 21h – Som e Cena
Local: Sesc Centro
· 22h – show “Mulher de Cor” Carmem Peniche
Local: Sesc Centro

28/05 – Quinta-feira
· 8h – oficina de dança – Corpo Emaranhado
Local: Sala de dança Sesc Araxá
· 9h – Magia das Letras
Local: Escola Meu Pá de Laranja Lima
*15h – Deu a louca no zoológico
Local: Escola Estadual Azevedo Costa
· 21h – Antes da Chuva
Local: Teatro das Bacabeiras
· 22h – show “Tambores do Norte” Chermont Junior
Local: Sesc Centro

29/05 – Sexta-feira
· 9h – Magia de Brincar
Local: Espaço Recreativo Sesc Araxá
· 15h – O mundo encantado do Circo
Local: Espaço Recreativo Sesc Araxá
· 20h – Divino
Local: Salão de Eventos Sesc Araxá
· 22h: Show Mandalazul – João Amorim
Local: Sesc Centro

30/05 – Sábado
· 13h30 – Alecrim e o livro encantado
Local: Escola Estadual São Paulo – Santana
· 19h – Malcriadas
Local: Teatro Porão Sesc Araxá
· 21h – Balanço
Local: Salão de Eventos Sesc Araxá
· 23h – Show “Amapalizada” Brenda Melo
Local: Sesc Centro

Assessoria de Comunicação e Marketing
Email: [email protected]
Fone: (96)3241-4440 (Ramal 235) / (96)99134-0130
Site: www.sescamapa.com.br
Facebook: Sistema Fecomércio Amapá

Criação de búfalos em reserva ambiental no Amapá preocupa ambientalistas

boisdetoandotudo

Por Paula Monteiro

A criação desenfreada de búfalos e bovinos na Reserva Biológica do Lago Piratuba, no extremo Leste do Amapá, é uma das principais causas de problemas na unidade de conservação, inclusive de queimadas. Na manhã desta segunda-feira (11), pecuaristas reuniram-se com representantes do Instituto Chico Mendes da Biodiversidade (ICMBio) para avaliar os avanços e reflexos de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado em 2010 e que previa controlar a criação dos animais.

“Reafirmamos com os pecuaristas que assinaram o termo a necessidade de controlar os rebanhos bovino e bubalino para que os animais não adentrem a reserva, além da retirada de alguns deles dessa área. Percebemos que houve avanços como o controle do rebanho de gado dentro da propriedade de cada pecuarista”, afirmou a ambientalista e chefe da Reserva Biológica do Lago Piratuba, Patrícia Pinha.

No entanto, uma das maiores dificuldades enfrentadas pelo ICMBio é a retirada dos animais que vivem soltos dentro da Reserva Biológica do Lago Piratuba. “Temos um número considerável de animais irregulares dentro da reserva, mas não podemos divulgar a quantia, pois isso pode atrair pessoas que queiram capturar esse animais ilegalmente”, explicou Patrícia.

Em novembro de 2014, um incêndio criminoso atingiu a Reserva Biológica do Lago Piratuba e devastou 7,3 mil hectares da região. O incêndio foi considerado criminoso pelo ICMBio. De acordo com o órgão, vaqueiros que capturam ilegalmente búfalos no local foram os responsáveis por causarem o incêndio na unidade de conservação ambiental.

O balanço da reunião vai virar um relatório para que o Ministério Público Federal (MPF) avalie a situação e tome as providências cabíveis.

Fonte: Portal Amazônia

Vila do Rock comemora 4 anos de sucesso com festa na Green Music Hall (@VilaDoRock)

10842271_800954879993917_6930478984661036941_o

No dia 10 de maio de 2015, a Vila do Rock comemorará 4 aos de atividade. Durante este período, a produtora realizou dezenas de festas com muito Rock and Roll, o melhor estilo musical da Galáxia.

Como não poderia deixar de ser, o aniversário será celebrado com uma festa, no dia 16 de maio, na casa de shows Green Music Hall. O evento, que vai rolar de 23h às 4h, contará com apresentações das bandas Oh My Dog, Liverpool e Quitéria. Além de discotecagem.

A Vila do Rock Produções, com Manuh Coutinho no comando, realiza eventos muito bem organizados e divertidos em Macapá. Quase todos divulgados pelo De Rocha e boa parte deles freqüentados pelo editor desta página. Aliás, festas muito legais. Não à toa, os eventos são sucesso de público e crítica.

Serviço:

Evento: IV Aniversário da Vila do Rock.
Shows das bandas: Oh My Dog, Liverpool e Quitéria. Além de discotecagem. .
Local: Avenida Hamilton Silva, 2326-B, no bairro do Trem, zona Sul de Macapá.
Data: 16/05/2015
Hora: 23h
Ingressos antecipados: R$15,00.
Ingressos na portaria da festa: R$ 20,00.
Postos de venda nas duas Lojas Guitarreiro (localizadas em frente a pizzaria Zero Grau e no shopping Vila Nova, ambas no centro da capita amapaense).
Realização: Vila do Rock Produções.

Elton Tavares

Quinta-feira – Crônica de Ronaldo Rodrigues

quinta

Crônica de Ronaldo Rodrigues

O office-boy entrou na ampla sala que era o escritório e foi logo anunciando:

Pessoal! Ninguém pode esquecer um acontecimento muito especial: amanhã vai ser quinta-feira! Quinta-feira, ouviram bem? Quinta-feira!

Todos os funcionários ouviram o aviso do office-boy, que repetiu:

Quinta-feira! Não esqueçam e não digam depois que eu não avisei! Quinta-feira! Quinta-feira! Amanhã vai ser quinta-feira!

Os colegas de trabalho se olharam por alguns segundos e voltaram às suas tarefas. Eles deviam estar acostumados a esses comunicados dados com tanta ênfase. Só a secretária novata ficou intrigada, olhando sem entender para o office-boy, que se dirigiu à mesa de seu chefe e pegou os documentos que deveria levar para serem copiados e entregues nos lugares devidos, as contas que deveriam ser pagas e o dinheiro do lanche que deveria trazer ao retornar. Antes de sair, voltou a anunciar, com o mesmo entusiasmo:

– Amanhã vai ser quinta-feira! Não esqueçam! Quinta-feira! Quinta-feira!

Quando voltou ao meio-dia, com suas tarefas da manhã cumpridas, e saiu para o almoço, o office-boy não se esqueceu de avisar a todos:

– Já falei pra vocês que amanhã vai ser quinta-feira? Quem ainda não ouviu é melhor prestar atenção: amanhã vai ser quinta-feira! Quinta-feira!

Os colegas já nem se olharam mais diante daquela esquisitice do office-boy, mas a secretária novata não resistiu e perguntou ao colega do lado:

– O que vai acontecer amanhã?

– Espere e verá! – respondeu o colega, deixando a moça ainda mais intrigada.

O office-boy voltou à tarde e pegou mais serviços para desempenhar na rua. Ao chegar e ao sair, não deixou de avisar:

– Quinta-feira! Quinta-feira! Amanhã vai ser quinta-feira!

No final do expediente, o office-boy voltou, prestou conta do que havia feito na rua e se despediu dos colegas, num tom solene, exigindo atenção:

– Vão em paz, meus queridíssimos companheiros de trabalho, e não esqueçam aquilo que falei. O que foi que eu falei?

– Amanhã vai ser quinta-feira! – responderam em coro os queridíssimos companheiros de trabalho.

– Isso mesmo! Amanhã vai ser quinta-feira! – falou, muito satisfeito, o office-boy.

Na manhã seguinte, na tão anunciada quinta-feira, o office-boy entrou mais esfuziante do que nunca e foi logo disparando:

– Estão preparados para o grande dia? Hoje é quinta-feira! Finalmente chegou! Quinta-feira, galera! Quinta-feira!

Arrumou as suas coisas e saiu, não sem antes bradar aos colegas:

– Quinta-feira, pessoal! Quinta-feira! É hoje! É hoje!

A secretária novata falou ao colega do lado:

– É aniversário dele! Só pode ser! Vocês não vão fazer uma festinha? Talvez ele esteja dando esse recado!

– Não esquenta! Espera o que vai acontecer. Mas posso afirmar que não é aniversário dele. Foi semana passada.

O dia transcorreu sem nada de especial, a não ser o office-boy, a cada vez que entrava na sala, avisar quase berrando:

– Hoje é quinta-feira, hein! Quinta-feira! Vou logo dizendo! Quinta-feira!

Em sua volta, no final do expediente, o office-boy chegou, falou que era quinta-feira no mesmo tom de antes, prestou conta com o chefe e saiu sem dizer nada. A secretária novata, sem conter a ansiedade, já ia levantar para ir atrás dele saber do que se tratava, quando o office-boy abriu a porta e meteu a cara:

– Vocês se prepararam? Hoje é quinta-feira! Quinta-feira!

E prosseguiu seu caminho pelo corredor, falando alto:

– Quinta-feira! Quinta-feira!

A secretária ficou ainda mais confusa, com aquela quinta-feira fazendo cócegas na sua curiosidade. Foi embora para sua casa achando que só ela, entre os funcionários, tinha ficado interessada no que estaria para acontecer, ou já acontecendo, sem que ela soubesse, naquela quinta-feira.

No outro dia, o office-boy chegou com a mesma alegria dos outros dias, se dirigindo a todos os funcionários da sala, no tom mais alto possível:

– E aí, galera? Viram só? Eu avisei! E não foi só uma vez! Foram várias vez! Espero que vocês tenham compreendido! Você também, mocinha, que é novata aqui neste escritório! Espero que todos tenham compreendido que ontem foi quinta-feira! Quinta-feira! Quinta-feira! Eu avisei! Eu avisei! Quinta-feira! Quinta-feira!

E saiu correndo, os olhos brilhando. Passou pelo corredor, saiu do prédio, ganhou a rua, gritando cada vez mais alto:

Quinta-feira! Quinta-feira! Ontem foi quinta-feira! Eu avisei! Eu avisei! Quinta-feira! Quinta-feira! Ontem foi quinta-feira! Ontem foi quinta-feira! Quinta-feira! Rá! Rá Rá! Eu avisei! Eu avisei! Rá! Rá Rá! Eu avisei! Rá! Rá Rá! Eu avisei! Quinta-feira! Quinta-feira! Rá! Rá Rá!

TRE-AP celebra Dia das Mães e homenageia servidoras da Justiça Eleitoral

c623290c-7e50-4ada-9938-98d7c001c728

Nesta sexta-feira, 8, o Tribunal Regional Eleitoral do Amapá celebrou o Dia das Mães e homenageou as suas servidoras pela data. A programação, iniciada com café da manhã no Espaço Gourmet do TRE, contou com a presença do cantor e compositor amapaense Zé Miguel. Além disso, houve sorteio de brindes, exibição de vídeo comemorativo e declamação de poesia pela servidora Teciane Oliveira.

A comemoração, organizada pela Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP/TRE-AP), seguiu com sessão de maquiagem na Sala de Qualidade de Vida do Tribunal. A titular da SGP, Vera Cardoso, destacou que a programação visou a valorização das funcionárias públicas e dar ênfase para o papel da mãe na sociedade. Também agradeceu a parceria feita com as demais Secretarias do Tribunal, da Diretoria-Geral, Corregedoria e Presidência, que deram todo o apoio para o sucesso do evento.

O Diretor-Geral do TRE, Veridiano Colares, disse que o evento foi uma forma de agradecimento a todas as mulheres que fazem parte da equipe de trabalho da Justiça Eleitoral e ressaltou a importância das servidoras para o desenvolvimento das atividades do Tribunal.

O presidente do TRE, Desembargador Carlos Tork, enfatizou que a missão de criar, educar os filhos e ainda trabalhar é difícil. Ele citou a sua própria mãe como exemplo e parabenizou a todas as mães presentes.

É fundamental o reconhecimento da importância das mães em nossa sociedade. Minha mãe teve papel fundamental para que eu vencesse na vida, ela foi uma espécie de pai e mãe e tenho a bênção de ainda tê-la comigo. Homenageio todas as servidoras, que nos ajudam no dia a dia com muito empenho e dedicação. Meus parabéns”, sublinhou o presidente.

Serviço:

Tribunal Regional Eleitoral do Amapá
Assessoria de Comunicação e Marketing
Elton Tavares
ALTV
Fones: 2101-1504/84059044/91474038

Música de agora: Vento de Maio – Lô Borges

Vento de Maio – Lô Borges

Vento de maio rainha de raio estrela cadente
Chegou de repente o fim da viagem
Agora já não dá mais pra voltar atrás
Rainha de maio valeu o teu pique
Apenas para chover no meu piquenique
Assim meu sapato coberto de barro
Apenas pra não parar nem voltar atrás
Chegou de repente o fim da viagem
Agora já não dá mais…
Vento de raio rainha de maio estrela cadente
Chegou de repente o fim da viagem
Agora já não dá mais pra voltar atrás
Rainha de maio valeu o teu pique
Apenas para chover no meu piquenique
Assim meu sapato coberto de barro
Apenas pra não parar nem voltar atrás
Rainha de maio valeu o teu pique
Apenas para chover…
Nisso eu escuto no rádio do carro a nossa canção
Sol girassol e meus olhos abertos pra outra emoção
E quase que eu me esqueci que o tempo não pára
Nem vai esperar
Vento de maio rainha dos raios de sol
Vá no teu pique estrela cadente até nunca mais
Não te maltrates nem tentes voltar o que não tem mais vez
Nem lembro teu nome nem sei
Estrela qualquer lá no fundo do mar
Vento de maio rainha dos raios de sol
Chegou de repente o fim da viagem
Agora já não dá mais pra voltar atrás
Rainha de maio valeu o teu pique
Apenas para chover no meu piquenique
Assim meu sapato coberto de barro
Apenas pra não parar nem voltar atrás
Rainha de maio valeu o teu pique
Apenas para chover no meu piquenique…

EM ALGUM LUGAR, O PASSADO É PARAÍSO

download (2)

Por Luciano Araújo

Gostar de cinema é mesmo se dispor a viver possibilidades. O que o cinema pode provocar quando mexe com sentimentos de perda e saudade é algo tocante. Não há emoção que não transborde ao ver certas obras cinematográficas, olhos que não acusem a solidão do sentimento quando encontrado. E quando essa pessoa a contempla-vive o lugar da saudade, quando essa sintonia é alcançada, o que mais pode acontecer?

Quem gosta de cinema sabe o valor dos filmes que falam de cinema. O que é um filme? Imagem, som, motivos, sentimentos, telespectador? Há sempre algo mais a ser discutido, mas por aqui já se vê relações valorosas possíveis.

Mas, certo cinema, certos filmes trazem, resgatam, como que puxando pela mão um horizonte distante. O espectador acaba por ser aquele que feito rendido vive a ilusão em imagens e sons, provocações e sugestões. Não existe cinema que não trabalhe a emoção. Seja se utilizando do recurso menos convincente, ainda assim está ali a simulação, a tentativa; seja pela complexidade de conteúdo e forma. No cruzamento, algumas vezes, entre literatura e audiovisual muito se tem feito. Mas sempre permanece a opinião de que certos filmes ficam aquém da obra impressa, hoje também digital. Por outro lado, há quem diga que muitas vezes a obra cinematográfica tem caimento melhor que a obra literária que a inspirou. Opiniões…

E de volta algumas perguntas valem: você tem saudade quando ouve uma canção? Quando vê um filme ‘volta’ a algum passado? Do que é alimentada sua saudade? Músicas de filmes o que lhe causam?14690-MLB3827549481_022013-F

Assim não é difícil pensar duas belas obras cinematográficas. Por partes.

O aperto no peito quando as cenas apresentam momentos perdidos no tempo. Receber uma ligação que nos remete ao passado. O falecimento de uma pessoa importante que fez parte de sua infância na vida. E literalmente todo um filme de lembranças passarem diante dos olhos da alma. Reviver a criança que descobria o mundo. E sempre que terminava a missa esse coroinha corria para o cinema da cidade, e lá via muitas vezes os filmes nas brechas da cortina. Lá foi se fortalecendo a amizade entre um já velho e carrancudo, mas de bom coração, Alfredo, o projetista, e o irrequieto menino. O pequeno Totó se maravilhava com tudo que via. Ainda o cinema é isso, mágica. Quantas brincadeiras, quanta curiosidade de criança alimentada pelo mistério da sala escura, depois da sala de exibição. As máquinas, as latas de filme, o manuseio. Para uma pequena cidade italiana em plena Segunda Guerra não haveria tardes melhores.

O que será desse menino ao longo da vida? Mas a vida que traz beleza traz realidade. O menino cresce, precisa escolher, entre amores e decepções, um caminho a seguir. Deixar o paraíso e tudo o mais, ir ganhar a vida em Roma é ver o mundo, crescer, amadurecer, quem sabe esquecer a vida anterior. Mesmo que por um tempo. Mas… Quando aquele chão conhecido que se foi na vida, imagens, sons, gestos, cheiros. Perdidos para nunca mais. O homem já maduro, agora, encontra com certa surpresa um ajuntamento de imagens que foram cortadas de filmes quando o cinema em sua cidade, velho (novo) cinema paraíso, ainda existia junto com valore0000maxresdefaults e pudores de tempos idos. Ao final, cenas de beijos, imagens que hoje no horário nobre é coisa pouca. Mas, isso ainda não dá conta do que se quer falar. É o encontro de mundos. Nesse momento e imagens e sons se cruzam com magia em seu ponto máximo. É se deixar levar, aumentar o som e se deleitar com a bela composição-tema de Ennio Morricone, aclamado e premiado criador de trilhas de grandes filmes: A missão (1986), Os intocáveis (1987), Bastardos Inglórios (2009), dentre outras obras. Se não tiver nesse momento o filme busque no Youtube essa composição. Lá há um concerto de Morricone em Veneza. É viagem e contemplação na certa. De tudo que se falou até agora, esse é o filme Cinema Paradiso (1988), dirigido por Giuseppe Tornatore, ganhador de Oscar e Globo de Ouro de melhor filme estrangeiro em 1990, Cannes em 1989, dentre outras premiações. Aprecie!

E para onde você iria nesse mundo dos sentimentos se tivesse que buscar uma ligação com alguém que você tenha deixado no passado? O que faria se essa pessoa fosse o amor conquistado… e por um capricho do tempo…perdido?

Um jovem escritor de teatro, comemorando o sucesso de uma de suas produções, em meio à badalação, convidados, atores, produtores, uma senhora abre caminho por entre as pessoas, se aproxima do escritor e diz: “volte para mim”. E lhe deixa um relógio de bolso. Ninguém entende, nem mesmo ele. Diante do sucesso outras peças deveriam vir, mas o processo de produção é penoso e faz o jovem dramaturgo viajar para espairecer, casualmente (quem sabe?) hospeda-se em um hotel antigo. Ali, no museu no hotel descobre uma fotografia de 1912 de uma bela mulher, Elise Mckenna (interpretada pela bela Jane Seymour), um olhar que remonta certamente um belo momento de sintonia com algo ou alguém. Curioso busca mais informações sobre a mulher e descobre ser uma aclamada atriz de teatro, que surpreendente é a senhora que foi naquela noite de sucesso de anos atrás e lhe deixou o relógio.somewhere-in-time-montage

Dai o que vemos é Richard Collier (Christopher Reeve) correr a fim de saber quem é essa mulher, pesquisa, entrevistar pessoas, até chegar ao ponto de cogitar voltar ao tempo, início da década de dez. Mas como fazer? Collier procura um antigo professor para saber sobre viagens no tempo. Que momento! A sugestão, a poderosa autossugestão pode ser o recurso. Mas é preciso criar um clima em volta que possibilite essa ligação com o passado. Que grande trabalho Collier desenvolver nesse sentido, que grande desgaste. É preciso cortar todas as ligações com o presente. A mente precisa estar somente ligada ao passado, ao encontro com Elise. Roupas, dinheiro, o relógio… Depois de muito esforço… Agora Collier está em outro tempo e entre passagens cômicas de ambientação e reconhecimento. Conhecendo pessoas, vivendo o que é possível em meio quem sabe o sonho ou a realidade, encontra Elise. Encontra também barreiras, na figura do agente da atriz, William. A trama vai se desenvolvendo assim como se desenvolve a trilha sonora, bela! É preciso igualmente apreciar, John Barry (muito conhecido por boa parte das trilhas de James Bond, dentre outros grandes filmes) compôs e regeu a trilha. Igualmente é possível encontrar na grande rede. Não vou contar o final do filme, sendo o filme de 1980, Em algum lugar do passado (dirigido por Jeannot Szwarc) surpreende pela inventividade, pode ser que vocês já tenham visto, se não, que tal uma volta ao passado… Mas…th

No entanto, o que é intrigante nessa história? Para quem se dispuser a ler o livro de Richard Matheson (Em algum lugar do Passado, Nova cultural, 1987; originalmente publicado em 1975, com título Bid Time Return) – autor da história e de tantas outras como aquelas que igualmente serão base para filmes conhecidos como Eu sou a lenda e Amor além da vida – verá algo que nos faz pensar, logo no inicio da obra. O livro é esforço de compilação de seu irmão Robert Collier, portanto obra póstuma, que na nota introdutória diz: “Além de acreditar que o livro de meu irmão merece ser lido, há outro motivo que me levou a querê-lo publicado. Francamente, sua história é incrível. Por mais que me esforce, não consigo acreditar nela. Espero que sua publicação crie a possibilidade de que alguém lhe dê crédito. Pessoalmente, acato apenas um aspecto da mesma, aceitando-a sem reservas: para Richard, este não foi um trabalho de ficção. Ele acreditou, sem sombra de dúvida, ter vivido cada momento descrito”.

Fica o mistério da criação, em meio à obra e o criador. Convite feito!

* Luciano Magnus de Araújo é antropólogo, professor universitário, cinéfilo e amante de Rock and Roll.

Fonte: Observatório Amapá

Sesc realiza ação social em Mazagão Novo

sesc11

Por Fernanda Picanço

Cumprindo seu papel social o Sesc Amapá realiza neste sábado (9), das 8h às 13h, na Unidade do Sesc Ler Mazagão, a 1ª Ação Social da instituição no município. Serão ofertados serviços gratuitos de emissão de documentos, atendimento médico, corte de cabelo, serviços de embelezamento, teste de acuidade visual, entre outros serviços.

Aliado a parceiros como, Super Fácil, Centro Comunitário Municipal, Secretaria de Desporto e Lazer de Mazagão, Ótica Diniz e Beleza Centro Técnico, o Sesc em Ação, vai realizar gratuitamente atividades de recreação, jogos de mesa, atividades de arte, biblioteca, ações de educação e saúde.

O projeto é uma ação que possibilita a população o acesso aos serviços nas áreas de assistência, educação, lazer, saúde e cultura. O objetivo é levar cidadania a municípios mais carentes, promover conhecimento e bem-estar e permitir a integração social de crianças, jovens, adultos e idosos em diversas atividades culturais.

Serviço
Assessoria de Comunicação e Marketing
Email: [email protected]
Fone: (96)3241-4440 (Ramal 235) / (96)99134-0130
Site: www.sescamapa.com.br
Facebook: Sistema Fecomércio Amapá

Música de agora – Ceremony

Ceremony (Cerimônia) – New Order

Isto é porque esses eventos me aborrecem
Eles sempre descobrem uma história diferente
Note para quem as quatro rodas estão girando
Gire de novo e gire perto desta vez
Tudo que ela pede é a força para me segurar
Então mais uma vez a mesma velha história
O mundo irá movimentar-se Oh tão rapidamente
Movimente-se primeiro e mais próximo dessa vez
Oh Eu irei acabar com eles, sem nenhuma piedade
Os céus sabem que é pra ser dessa vez
Observando-a, estas coisas que ela disse
Às vezes que ela chorou, para fragilizar para acordar desta vez
Oh eu irei acabar com eles, sem nenhuma piedade Os céus sabem que este é o momento Avenidas todas alinhadas com árvoresMe fotografe e então você começa a observar
Olhando pra semre, pra sempre
Vendo o amor crescer, pra sempre

Hoje: Grupo Marco Zero comemora o Dia Mundial da Dança em Macapá

festivaldedança1

Por Jéssica Alves

O grupo teatral Marco Zero realiza nesta quarta-feira (29) uma programação especial em comemoração ao Dia Mundial Da dança. O evento será no teatro sede da companhia, localizado no bairro Perpétuo Socorro, na Zona Leste de Macapá. Cinco grupos vão subir ao palco.

Após as apresentações, ocorrerá a exibição de um documentário sobre danças no Brasil. De acordo com o coordenador de projetos do grupo, Daniel de Rocha, a programação vai incluir inscrições para oficinas de dança e teatro que serão ministradas gratuitamente para a comunidade.

“Nosso evento busca agregar as pessoas que estão envolvidas na arte da dança para celebrar esta data especial. Vamos estar com os grupos e também inscrevendo pessoas que estão interessadas em ingressar nesta arte e também no teatro”, falou.

Esta é a primeira vez que o grupo celebra o dia da dança com uma programação diferenciada e, de acordo com o coordenador, o projeto deve ser incluído no calendário de eventos do grupo como uma forma de valorização e divulgação das artes cênicas.

“Nosso grupo existe há quase 30 anos buscando a valorização por meio de eventos, espetáculos e exposições. É a primeira vez que estamos comemorando o Dia Mundial da Dança aqui no teatro e vamos reunir os grupos de dança para fazerem lindas apresentações”, falou.

O projeto conta com o apoio do Ministério da Cultura, governo do Amapá e faz parte do movimento de inclusão social do Teatro Marco Zero. “Acreditamos que a arte é um valioso passaporte para a compreensão das coisas ou, uma imensa fenda, contra o mito da caverna.
Oferecer cultura para a formação do cidadão, além de ser privilégio, resolve hipoteticamente na somatória, aquele bem que deixamos de fazer e nem percebemos” enfatiza Tina Araújo, atriz, diretora e presidente do grupo.

Serviço:
Dia Mundial da Dança
Local: Teatro Marco Zero – avenida Oscar Santos, 397, Perpétuo Socorro
Data: 29 de abril de 2015
Hora: 20h
Entrada gratuita
Classificação: livre

Fonte: G1 Amapá