MP-AP firma termo de adesão com Ministério do Meio Ambiente


O Ministério Público do Amapá (MP-AP) celebrou, na última quarta-feira (3), em Brasília-DF, Termo de Adesão – MMA-A3P/2014 junto ao Ministério do Meio Ambiente (MMA). O Termo tem por finalidade integrar esforços para desenvolver projetos destinados à implantação do Programa “Agenda Ambiental na Administração Pública – A3P”, visando à inserção socioambiental no cotidiano da instituição e na qualidade de vida do ambiente de trabalho.

Caberá ao MMA/A3P, entre outras coisas, auxiliar o Ministério Público do Amapá na promoção de ações educativas e capacitação, visando: melhorar a qualidade do meio ambiente em todos os locais de trabalho; conscientizar os servidores, estagiários e terceirizados sobre a importância de se conservar o meio ambiente; e, ter responsabilidade no que se refere ao uso correto dos bens e serviços da administração pública.

No dia 30 de maio de 2014, a Procuradora-Geral de Justiça, Ivana Cei, instituiu a Comissão de Gestão Ambiental do Ministério Público do Amapá, composta por membros e servidores da instituição, atendendo, assim, a primeira meta do projeto. 

 “Nossa próxima meta é elaborar, com base no diagnóstico, o plano de ações estratégicas, incluindo aspectos socioambientais como: a gestão de resíduos sólidos e perigosos; redução de consumo, implantação da licitação sustentável e reaproveitamento de matérias; combate ao desperdício de energia e água; além de outras medidas necessárias”, ressaltou a PGJ.

O presente Termo de Adesão vigorará pelo prazo de cinco anos, não prorrogáveis, contados a partir da data de sua assinatura. A implantação do programa A3P faz parte do Planejamento Estratégico do Ministério Público do Amapá.
Assessoria de Comunicação do MP-AP

Projeto do Sesc ‘Transando Saúde’ chega a Laranjal do Jari

Por Fernanda Picanço

No período de 18 a 22 de agosto, o Serviço Social do Comércio (Sesc) realiza a primeira etapa do projeto “Transando Saúde”, no município de Laranjal do Jari. Durante a capacitação serão atendidos 40 alunos de escolas públicas.
O projeto tem como objetivo levar informações sobre doenças sexualmente transmissíveis, a fim de diminuir o índice de casos de DST´s, HIV/AIDS, considerando a peculiaridade existente no município.
Segundo a coordenadora de saúde do Sesc no Amapá, Cláudia Penedo, a relevância social do projeto se evidencia no momento em que favorece aos participantes a melhoria de conhecimentos sobre as DST´S/ HIV, e consequentemente a prevenção, diminuindo o índice de contaminação.
“É primordial expandir este leque de atuação do projeto, de modo a atuar no contexto escolar visando promover as estratégias supracitadas para as escolas de ensino público da rede estadual e municipal de Macapá, Laranjal e Oiapoque, considerando a sua realidade sociocultural”, disse a coordenadora.
Serviço: 
Sesc Amapá
Assessoria de Comunicação e Marketing
Fone: (96)3241-4440 (ramal 235)

Música de agora: Sol de Primavera – Beto Guedes


Sol de Primavera – Beto Guedes

Quando entrar setembro
E a boa nova andar nos campos
Quero ver brotar o perdão
Onde a gente plantou
Juntos outra vez…

Já sonhamos juntos
Semeando as canções no vento
Quero ver crescer nossa voz
No que falta sonhar…

Já choramos muito
Muitos se perderam no caminho
Mesmo assim não custa inventar
Uma nova canção
Que venha nos trazer…

Sol de primavera
Abre as janelas do meu peito
A lição sabemos de cor
Só nos resta aprender
Aprender…

Já choramos muito
Muitos se perderam no caminho
Mesmo assim não custa inventar
Uma nova canção
Que venha trazer…

Sol de primavera
Abre as janelas do meu peito
A lição sabemos de cór
Só nos resta aprender
Aprender…

As Domésticas retorna ao Teatro das Bacabeiras no domingo


A pedido de internautas nas redes sociais, a comédia mais hilária de Macapá faz mais uma apresentação, para a alegria de todos.

Com o sucesso da temporada de junho, centenas de internautas solicitaram pelas redes sociais a volta da hilariante comédia “As Domésticas” ao palco do Teatro das Bacabeiras. Assim, atendendo aos pedidos e para ninguém conter o riso, a peça entra em cartaz em única apresentação neste domingo, 17, às 20h.

As Domésticas é uma montagem da Cia. Teatro do Riso que teve grande aceitação do público amapaense. O enredo tem como temática histórias de vida de quatro secretárias do lar, que revelam os bastidores do seu cotidiano no trabalho e da vida de suas patroas. Na apresentação de domingo o espetáculo retorna com novos quadros, novas piadas e uma participação pra lá de especial da atriz Núbia Oliveira, encarnando a finíssima professora Caluda, já conhecida do Bar Caboclo.

As Domésticas, além de revelarem os conflitos que a cercam, como reivindicações salariais, conflitos entre namorados e familiares, revelam também o lado forte dos laços de amizade. Todas trabalham num mesmo prédio, moram na periferia da cidade e são felizes do seu jeito. Elas tentam, ao longo da trama, revelar os bastidores das patroas, denunciando-as através de suas atitudes, mas ao mesmo tempo enaltecendo suas virtudes.

Ficha técnica: Netho Montalvão, como Dalvinha; Rafael Nunes, como Doidinha; Francisco Ribeiro, como Fatinha; Arthur Cardoso, como Maguinha; Nubia Oliveira, como Caluda (participação especial); Concepção de Luz de Antonio Carlos; Sonoplastia de Abraão Barros; Figurinos e Maguiagem são da Cia. Teatro do Riso e a Direção Geral é de Genário Dunas.

Serviço:

Comédia As Domésticas
Local: Teatro das Bacabeiras
Hora: 20h
Meia: R$ 10,00
Inteira: R$ 20,00
Rita Torrinha
Contato: 9189-8067

Relatório aponta irregularidades na Maternidade Mãe Luzia, em Macapá

Abinoan Santiago
Do G1 AP

Um relatório assinado por 23 profissionais do setor neonatal do Hospital da Mulher Maternidade Mãe Luzia (HMML) foi enviado ao Conselho Regional de Enfermagem do Amapá (Coren/AP), nesta quarta-feira (28). O documento destacou 9 principais carências no referido hospital, que é a única maternidade pública do estado. Mão-de-obra e falta de equipamentos e materiais foram os problemas pontuados.

Segundo o documento, que também foi encaminhado ao Ministério Público, Conselho Estadual de Saúde e Conselho Regional de Medicina (CRM), faltam equipamentos, como sensores para monitor, aspiradores nasais, berços, incubadoras, assistência ventilatória e até sabão para lavar as mãos.

O documento foi enviado ao Coren um dia após o conselho ter fiscalizado a maternidade, na terça-feira (27), motivado por uma denúncia anônima sobre 12 supostas mortes de recém-nascidos, que teriam ocorrido no sábado (24) e domingo (25).

“Tive acesso ao livro de ocorrências e verifiquei apenas 2 óbitos e 2 abortos na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal. Não confirmamos os 12 mortos, mas verificamos outras situações, como as estruturais, que foram pontuadas pelo documento enviado por esses profissionais”, declarou o presidente do Coren, Aureliano Pires.

“Logo quando eu entrei no hospital, o primeiro impacto foi o forte cheiro, o que é inadmissível. Além da falta de profissionais”, acrescentou Pires.

O odor provocado pelo expurgo da UTI Neonatal e carência de profissionais – sem número exato – também foram relatados pelos profissionais na carta.

De acordo com o Coren, em uma outra visita à maternidade, em março de 2013, dos 141 enfermeiros necessários, o hospital possuia apenas 27 para atender aos 152 leitos do prédio. Na UTI Neonatal, por exemplo, dos 39 necessários, o setor tinha 6 à disposição.

Sobre o cheiro forte na maternidade, a diretora interina do hospital, Cristiane Rodrigues, garantiu que uma equipe da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa) foi acionada para ir ainda nesta quarta-feira resolver o problema, que seria na caixa de gordura da maternidade.

A diretora interina rebateu a falta de profissionais apontada pelo Coren com afirmação de 34 enfermeiros na UTI Neonatal, o que ainda é abaixo do número fixado pelo conselho. “Na nossa escala de enfermeiros, tivemos colegas grávidas, que estão com licença maternidade. Por isso enfrentamos esse déficit”, justificou.

Cristiane Rodrigues garantiu que as demandas dos profissionais são enviadas à Secretaria de Saúde. “Todas as medidas cabíveis das categorias estão sendo respaldadas por documentos e enviados à Secretaria de Saúde. Essas questões de contratação de profissionais não é de nossa responsabilidade. Mas dentro do orçamento da secretaria, eles são chamados e encaminhados ao hospital”, atribuiu.

Quanto à falta de materiais de uso profissional, a diretora interina garantiu que a Secretaria de Saúde está elaborando uma licitação para compra de novos equipamentos.

Sobre a perspectiva de ampliação da maternidade, o governador do Amapá Camilo Capiberibe comentou que tem um projeto para a construção de mais 10 leitos no hospital.  “Vamos construir leitos no primeiro piso. Está programado 10 de Pré-Natal, Parto e Pós-Parto (PPP). Estamos buscando recurso para isso com a Rede Cegonha, tendo clareza da dificuldade de espaço interno na maternidade. Por isso temos um outro projeto para construir uma maternidade de alta complexidade na Zona Norte de Macapá, ao lado do Macapaba”, prometeu, sem especificar datas para iniciar as obras.