Oficina Vivência Teatral

A Oficina de Vivência teatral é uma forma de integrar e estimular o contato com a arte do teatro. O curso tem duração de 4h presenciais e 8h à distância. Totalizando 12 horas.

Os conteúdos da oficina presencial são: Expressão corporal e facial, foco, jogos de improvisação teatral, cantigas de roda (de modo a trabalhar a voz e corpo). 

E os conteúdos a distância são: Exercícios de observação, leitura de textos de teatro, exercício do lápis (dicção), e avaliação digitalizada da oficina que deve ser enviado por e-mail.

Os alunos devem trajar roupas leves para participar da aula, não permitido o uso de jeans; Investimento: 15 reais.

Marina Beckman

GRUPO TEATRAL “CUTIARTES” ENCENA “VIA CRUCIS” EM CUTIAS DO ARAGUARI


Os últimos momentos da vida de Jesus Cristo serão recriados em uma encenação de rua no espetáculo intitulado “Via Crucis” em Cutias do Araguari. A peça será apresentada na próxima sexta feira, 06 de abril, a partir das 16hs. O evento já é tradição na cidade e atrai centenas de pessoas.

A realização é do Grupo Teatral “Cutiartes” que levará o espetáculo pelas principais ruas do município. Este ano a FATE, Federação Amapanse de Teatro, através do seu presidente, Daniel de Rocha convidou o diretor Thomé Azevedo para assinar a montagem do trabalho e, segundo ele a encenação contará com várias novidades e muita emoção.

A montagem da peça “Via Crucis” em Cutias têm no elenco os alunos do ensino fundamental e médio da escola estadual Lourimar Simões Paes, sob a supervisão da professora Val Pinheiro de filosofia e da professora Leda Maria de artes, além do apoio do corpo técnico da escola. A participação dos alunos conta pontos nessas duas disciplinas. A realização do evento conta ainda com o apoio institucional do Governo do Amapá, através da Secretaria de Cultura- SECULT.

Serão aproximadamente 80 pessoas envolvidas diretamente na programação, entre elenco, produção, apoio e equipe técnica. Para o município, onde o último censo (2010) apontou uma população aproximada de 4.600 habitantes os organizadores tratam como uma super produção.

A encenação será distribuída ao longo da Avenida Manoel Raimundo Pereira, iniciando na Praça Nelson Salomão e o encerramento, onde Cristo será crucificado, acontecerá na Praça Beira Rio. Fonte: Thomé Azevedo (Diretor Teatral) Conto em Cutias (96)9113-4673 

*Foto feita pelo produtor Tomé Azevedo.

Fonte: http://fernando-canto.blogspot.com.br/2012/04/grupo-teatral-cutiartes-encena-via.html

Grupo Eureca no Museu Sacaca


Neste mês de abril, o Grupo Eureca entra na programação cultural do Museu Sacaca com uma temporada de apresentações do espetáculo “João do Cheroso e João do Céu Vendendo Cordel” que este ano comemora o centenário do artista popular Luiz Gonzaga.

Os visitantes do museu a céu aberto poderão assistir ao espetáculo na Maloca Multiuso todos os domingos (08, 15, 22 e 29 de abril) às 17h. O espetáculo oportuniza o contato dos visitantes com o teatro amapaense em espaço alternativo, a valorização da literatura e da música popular brasileira.

No espetáculo os artistas declamam o cordel “A Estrela do Sertão, Luiz Gonzaga – o Rei do Baião” de autoria do jovem dramaturgo amapaense, Joca Monteiro, que homenageia Luiz Gonzaga e sua relação com com a história do Amapá.

Fonte: http://coletivo-palafita.blogspot.com.br/2012/04/grupo-eureca-no-museu-sacaca_04.html

Para saber mais sobre o espetáculo, acesse:

http://teatroderua-ap.blogspot.com.br/ 

Sesc Araxá abre inscrições para Oficinão de Teatro

O SESC Amapá, dando sequência ao trabalho nas artes cênicas para o ano de 2012, encontra-se abertas as inscrições para o OFICINÃO DE TEATRO, destinado ao público simpatizante na arte de representar. O oficinão terá duração de três meses e começa suas atividades no dia 2 de abril, estendendo-se até 29 de junho, do ano em curso. 

Na ocasião serão trabalhadas as principais teorias/atividades do teatro, a exemplo de: história do teatro, as tendências do teatro, as principais vertentes do teatro contemporâneo, improvisação, partitura física, leituras interpretativas, técnica vocal, entre outros. As aulas acontecerão no Teatro Porão, localizado nas dependências do SESC Araxá, das 19 as 21 horas, nos dias de segunda e quartas.

O SESC Amapá tem uma grande cumplicidade com as artes cênicas, e vem promovendo e executando projetos relevantes como o projeto VAMOS COMER TEATRO, que anualmente promove produções teatrais de grupos amapaenses. Nos quatro últimos anos de implantação do projeto, o SESC passou a ser uma significativa ferramenta no processo de formação para os que apostaram nos cursos e projetos realizados pela instituição. Assim, implantamos sementes: atores, diretores, produtores e espetáculos, bem como suporte para fazer existir artistas e produções teatrais. 

Hoje, nacionalmente, o SESC é referencia através do maior projeto de circulação de espetáculos teatrais – PALCO GIRATÓRIO – aonde o Amapá vem sendo contemplado há quatorze anos consecutivos, recebendo excelentes espetáculos, distribuídos em 04 etapas por ano. Projeto DRAMATURGIA LEITURAS EM CENA, onde recebemos, através de duas etapas, profissionais qualificados do eixo centro-sul no intuito de reforçar as atividades literárias do universo teatral. 

Promovemos em seis edições a ALDEIA SESC DE ARTES POVOS DA FLORESTA, evento que agrega além do teatro, os diversos segmentos da cultura amapaense. Estará a frente do oficinão de Teatro o ator e profissional das artes circenses Alenk Nobre, com bastante experiência nas artes cênicas do estado do Amapá, que ao longo dos anos vem prestigiando os eventos culturais do Sesc.

O oficinão é intensivo, a quem possa interessar e poderá se inscrever, garantindo novos saberes e desenvolvendo novas técnicas para as artes, bem como para a vida.

SERVIÇO:

OFICINÃO DE TEATRO
PERÍODO: 2 DE ABRIL A 29 DE JUNHO
IDADE MÍNIMA: A PARTIR DE 15 ANOS
DIAS: SEGUNDAS e QUARTAS.
HORA: DAS 19 AS 21
LOCAL: TEATRO PORÃO/SESC ARAXÁ
TAXA ÚNICA: R$ 20,00
LOCAL DE INSCRIÇÃO: CENTRAL DE ATENDIMENTO SESC ARAXÁ.

Fonte: www.sescamapa.com.br

Espetáculo Novo Amapá abre a programação de aniversário do Teatro das Bacabeiras


Hoje (6), o espetáculo NOVO AMAPÁ abre a programação de Aniversário (22 anos) do Teatro das Bacabeiras. (Apresentação sem fins lucrativos, pois o teatro trocará os ingressos por alimentos não perecíveis).

A peça NOVO AMAPÁ apresentada em 2012 pela parceria do GRUPO EURECA e CIA SUPERNOVA é olhar artístico e poético sobre o maior naufrágio fluvial da história brasileira. 

O acidente ocorreu no dia 6 de janeiro de 1981 no Rio Cajarí (proximidades da fronteira entre o Estado do Amapá e Pará) quando a embarcação homônima ao espetáculo naufragou deixando mais de 600 vítimas. A montagem é baseada no texto TRISTE JANEIRO do jovem ator e dramaturgo JOCA MONTEIRO que através de poemas homenageia todos os envolvidos naquele acontecimento.

A encenação fica sob a direção de ELDER DE PAULA que para este espetáculo trabalha com jovens atores vindos de oficinas teatrais desenvolvidas pelo GRUPO EURECA e CIA SUPERNOVA no decorrer do ano de 2011. MARINA BECKMAN assina a produção enquanto PAULO ROCHA faz a direção de arte. Além da poesia, a peça recebe influências da dança e do teatro físico; conta ainda com inserção de vídeos e é construída por meio de diversos processos de experimentações artísticas coletivas. Na peça o público tem contato com os sonhos e encantos da infância onde o “puc puc puc” do barquinho de miriti dá ao homem o prazer da libertação e as águas tornam-se a porta para descobertas e anseios de “palmo a palmo” conquistar mundo. 

Na luta por este sonho, o homem se torna coisa, carga, engrenagem de um sistema mecânico que o explora de todas as formas e nos acontecimentos mais corriqueiros. Apesar de condicionado à exploração, o homem não perde a sua essência humana, sofre os amores e as perdas, mas não submerge a esperança por dias melhores. 

O lirismo do texto é observado durante toda a peça e se destaca em dois momentos: ao abordar a morte, tem-se o foco narrativo vindo de uma criança; e como homenagem explícita a todos que de algum modo foram tocados por aquele sinistro, em um tom quase de epílogo, o eu lírico evoca diversos herois: em sua maioria anônimos que prestaram socorro às vitimas, mas que nunca foram reconhecidos por estes atos de humanidade. “No peito dos que amam Fica a saudade”

Texto: Paulo Rocha

Fonte: http://marypaes.blogspot.com/

Teatro amapaense ganha novo fôlego


O ano de 2012 promete ser um período de oxigenação do teatro no Amapá, vários grupos novos estão surgindo, grupos já existentes estão se reestruturando e a cena do segmento vem ampliando diálogo com outras artes e manifestações culturais. O Museu da Imagem e do Som tem acompanhado de perto essa movimentação apoiando e estimulando o fortalecimento de novos grupos e novas ações do teatro no Amapá.  Aí em cima está a chamada para atores do novo espetáculo do grupo Imagem e Cia, cujos testes serão realizados no auditório do Museu da Imagem e do Som conforme dia e horário mencionados na arte de divulgação do evento.

Fonte: http://museudaimagemedosom.blogspot.com/