Espetáculo Cânticos de Antares

O espetáculo Cânticos de Antares relata a incessante luta de cidadãs e cidadãos marginalizados pela sociedade, em busca do pão sagrado de cada dia. Nele, prostitutas, loucos, bêbados, drogados e outros seres que rastejam no limo social, servem de inspiração para narrar a história do nascimento do salvador.
 
Em pleno século XXI é evidente que existe uma guerra no coração humano, onde o bem e o mal se fundem, assim como as pétalas das flores são íntimas com o estame. Onde permitimos – nos mostrar o que temos, porém, ao nosso redor as pessoas vêem apenas o que desejam ver. Assim cria-se o bem e o mau; o feio e o belo; o pobre e o rico. Criamos e destruímos deuses e demônios não em nós, mas, no próximo. Eis o motivo pelo qual queremos mudar o mundo e nada mudamos! Os verdadeiros valores do comportamento humano se invertem, e eis que diante de tanta falsidade, amargura e sofrimento, torna – se imprescindível extrair beleza e prazer da dor e do inferno em que vivemos, e é exatamente aí que se configura a maior das lições apresentadas, pois o salvador do mundo, assim como o conhecemos, nasceu entre os animais em um estábulo, e nem por isso deixou de cumprir sua missão ou tornou – se inferior diante do consumismo exacerbado que já se evidenciava há mais de dois mil anos.

Independente de ventre, local e ambiente em que esta, e outras crianças foram e são geradas, trazem em si a luz em seus corações e o potencial para transformar toda a dor e sofrimento em paz e felicidade.

Nossa proposta é possibilitar várias interpretações acerca do advento do salvador do mundo e de nossa condição cidadã. Não apontamos para nenhuma religião, pois acreditamos que todas nos levam para o mesmo caminho, o caminho da alienação, da segregação, da intolerância, enfim, ao invés de nos aproximar da força superior que rege céus e terras, nos afastamos em virtude de nossas vaidades pessoais que estão acima do bem comum. Mais uma vez procuramos caminhar rumo á concepção de um espetáculo universal, onde independente de crença, o publico que nos assiste possa encontrar ganchos para reflexões aprofundadas sobres suas próprias atitudes com relação ao mundo em que vivemos.

Cânticos de Antares reforça o compromisso do grupo com a arte produzida no Extremo Norte do Brasil, ao presentear o publico amapaense com obras de dramaturgos nascidos ou residentes no Estado do Amapá. Na ocasião, já foram encenadas: Homem – Um Pecado de Deus de Joni Bigoo, Cânticos de Antares de Paulo Gil e A Ultima Noite do Coração. E do Dono! de Dinho Araújo que encontra – se em fase de pré – produção.

O espetáculo estréia nos dias 28 e 29 de dezembro, e cumpre temporada às sextas e sábados durante o mês de janeiro de 2012 no Centro de Experimentação Artística Ói Nóiz Akí.
 
OBS: • Espetáculo desaconselhável para menores de 18 anos.
 • Apenas 25 (Vinte e Cinco) espectadores por sessão.
 • Os ingressos para a temporada do mês de janeiro custará R$ 10,00 (Dez Reais).

ELENCO E FICHA TÉCNICA
Elenco: Maurício Maciel/ Sabrina Zahara/ Geovanni Coelho/ Erick Boaventura/ Géssica Palmerim/ Héllen Rock/ Dan Alves, Neto Pereira, Núbia Worrel e Elder de Paula/ Dramaturgia: Paulo Gil/ Encenação: Claudio Silva/ Ambientação, Figurinos e Maquiagem: O Grupo/ Sonoplastia: Núbio Pinheiro/ Iluminação: Claudio Silva/ Programação Visual: Joni Bigoo/ Direção de Produção: Dan Alves/ Produção Executiva: Claudio Silva/ Direção Geral: Ói Nóiz Akí.
 
SERVIÇO:
O Que?
 Espetáculo Cânticos de Antares
 Quando?
 28 e 29 de Dezembro de 2011/ Temporada Janeiro de 2012
 Onde?
 Centro de Experimentação Artística Ói Nóiz Akí (Avenida Marcílio Dias – 480/ Esquina com a Rua General Rondon)
 Hora?
 20:00 Hs
 Quanto?
 Entrada Franca nos dias 28 3 29 de Dezembro
 

“Viuva porém honesta” é encenada no Teatro Porão/Sesc Araxá no dia 7

No período de outubro a novembro de 2011, o SESC Amapá realizou o Oficinão de Teatro, tendo a frente do processo  o diretor e ator de teatro Tom Rodrigues, com bastante experiência  nas artes cênicas do estado do Amapá. que ao longo dos anos, veio contribuindo com os eventos culturais do SESC através do Grupo Cores na Rotunda, que lançou o espetáculo CORDEL DO AMOR SEM FIM, participando do projeto Sesc Amazônia das Artes edição 2011, percorrendo 10 estados da Amazônia legal, difundindo o teatro amapaense.
Como de praxe, ao termino dos cursos ministrados pela instituição, se faz necessário o resultado final através de um experimento ou exercício teatral. Especificamente nesse caso, o Tom Rodrigues optou pela dramaturgia de Nelson Rodrigues VIUVA, PORÉM HONESTA  com duração de 40 minutos , que estará se apresentando no Teatro Porão do SESC Araxá  no dia 7 de Dezembro do ano em curso,  as 20 horas com entrada franca.
 
A iniciativa do oficinão de teatro foi de provocar novos atores para o mercado de trabalho, onde através das técnicas aplicadas do universo teatral os alunos participantes possam compreender a importância do conhecimento teórico e pratico do teatro. De certo os resultados obtidos já nos sinaliza que haverá novos atores chegando no mercado e com muito conhecimento adquiridos do oficinão realizado.
O Sesc Amapá tem uma grande cumplicidade com as artes cênicas, e vem promovendo e executando projetos relevantes na área  a exemplo do   projeto VAMOS COMER TEATRO, que anualmente promove  produções teatrais de  grupos amapaenses,  – PALCO GIRATÓRIO – maior projeto de circulação nacional nas Artes Cênicas, onde o Amapá vem sendo contemplado há quatorze  anos consecutivos, recebendo excelentes espetáculos, distribuídos em 04 etapas por ano. Projeto DRAMATURGIA LEITURAS EM CENA, onde recebemos, através de duas etapas, profissionais qualificados do eixo centro-sul no intuito de reforçar as questões formativas  do universo teatral. Promovemos em  seis  edições a ALDEIA SESC POVOS DA FLORESTA, evento que agrega além do teatro, os diversos segmentos da cultura amapaense, dentre outros projetos

SERVIÇO: espetáculo VIUVA,  PORÉM HONESTA
DIA: 7  de Dez. /2011(quarta-feira)
HORA: 20 h
LOCAL: TEATRO PORÃO SESC ARAXÁ
ENTRADA FRANCA
Informações
Tom Rodrigues 9142-3391

Espetáculo Bonequinha de Pano é encenado em Macapá

O espetáculo teatral Bonequinha de pano, primeiro e único texto de Ziraldo escrito especialmente para ser encenado. É a mais recente produção do grupo teatral “Ói Nóiz Aqui Traveiz”.
Capitaneando o espetáculo, o encenador Claudio Silva, que na ocasião pôde contar com o talento a sensibilidade da atriz Sabrina Zahara, que vive dois personagens: a bonequinha Pitucha e sua dona, Leninha, narrando com humor e emoção, a trajetória da criança ao mundo adulto, com todas as suas alegrias, mas também com os seus momentos difíceis.
Na equipe constam ainda as participações do cantor e compositor Cléverson Baía que assina a produção e direção musical, Bruno Nunes nos figurinos e adereços e o artista visual Agostinho Jasaphat na cenografia.
A peça é dividida em dois atos. No primeiro, a bonequinha Pitucha, há muitos anos esquecida no sótão da casa da avó, relembra os momentos marcantes da vida da menina Leninha. No segundo ato, a menina, já adulta, reencontra sua antiga bonequinha, descobrindo que o espírito de criança ainda vive dentro dela.
Neste reencontro as duas revivem as lembranças de grandes momentos da infância: as brincadeiras de criança, a separação dos pais e o primeiro beijo são apenas alguns dos acontecimentos da vida de Leninha, narrados pela boneca, que conta ainda o seu próprio nascimento, quando sua avó a fez.
Rica em imagens e conteúdos, como deve ser uma peça infanto-juvenil, a obra trata de temas importantes que geralmente são ensinados para as crianças de forma pejorativa, assim, a encenação valoriza todos estes temas abordados pelo autor a fim de garantir um espetáculo para o público de todas as idades.
 
A novidade desta temporada é o CD contendo a trilha sonora da peça que em conjunto com outros souvenires dão inicio ao programa de sustentabilidade do grupo.
 

Serviço:
Espetáculo Bonequinha de Pano
Data: 17 e 18 de setembro.
Hora: 19h (nas duas noites de espetáculo)
Local: Teatro Das Bacabeiras – Macapá/AP
Realização: Grupo Teatral “Ói Nóiz Aqui Traveiz”.

Oficina de Teatro de Bonecos

A Trip Teatro de Animação é uma das maiores referências em teatro de animação do país. A mesma estará em Macapá a partir do dia 31 de agosto, fruto da primeira parceria entre o Coletivo de Artístas, Produtores e Técnicos em Teatro do Estado do Amapá – CAPTTA e o Palco fora do Eixo – PFE, que é a frente de artes cênicas do Circuito fora do Eixo.

O grupo já circulou por 23 estados brasileiros e 12 países da América do Sul (Brasil, Argentina, Peru, Bolívia, Uruguai), Europa (França, Inglaterra, Alemanha, Hungria, Irlanda, Espanha, Portugal) e Ásia (Vietnam) representando o Brasil no I Festival Mundial de Teatro de Marionetes de Hanói.

Além de apresentações do espetáculo O Velho Lobo do Mar, o grupo estará realizando uma oficina de teatro de bonecos voltada para estudantes de artes cênicas e geral e professores. Número de vagas disponíveis: 20 vagas. Carga Horária: 08 horas. Investimento: R$ 15,00 (Quinze Reais). Informações: 0xx(96) 81149655 ou 91551036 (Claudio Silva).

SERVIÇO:
Oficina de Teatro de Bonecos
Local: Conselho de Cultura (Av.: Cora de Carvalho)
Dia: 31.08 e 01.09 (carga horária de 8 horas)
Hora: 19h
Preço: Só 15 recos.

Fonte: http://marypaes.blogspot.com/

Oficina Aberta de Teatro Piracuca

A Cia de Teatro Experimental Pircuca trabalha na perspectiva de formar atores sociais para as relações políticas e de cidadania relacionando aspectos da dimensão psicológica do ator com a dimensão expressiva de interpretação. Neste sentido, no mês de julho, oferecerá práticas e vivencias em artes cênicas e expressivas numa Oficina Aberta de Teatro que acontecerá em duas fases a saber:
1ª. Fase: Expressão Corporal e Auto Desenvolvimento
Local: Centro Clínico de Psicologia Seama
Horário: 18h às 20h
Todas terças, quartas e quintas, de 05 a 07 de julho de 2011.
Obs.: Uso de roupa de ginástica obrigatório.
2ª. Fase: Construção de Performance Teatral
Local: Centro de Convenção Azevedo Picanço
Av. FAB, próx. as secretarias.
Horário: 18h às 20h
De terça à sexta no período de 12 a 15 de julho de 2011.
3ª. Fase: Ensaios Abertos e Apresentações
                                                                      Professora Janisse Carvalho.

Serviço:

Local: a combinar
Av. FAB, próx. as secretarias.
Horário: 18h às 20h
De terça à sábado no período de 25 a 30 de julho de 2011
Contato da professora Janisse Carvalho.
Fone: 8131 0704

HOMEM- UM PECADO DE DEUS

Domingo tem teatro no auditório da União dos Negros do Amapá – UNA. Trata – se da encenação do espetáculo teatral Homem – Um Pecado de Deus, de Joni Bigoo com encenação de Cláudio Silva. Escrito para ser encenado em virtude da semana santa, o espetáculo parte em busca da concepção de um trabalho universalista propondo reflexões acerca de velhos tabus que permeiam a cabeça de céticos e cristãos do mundo inteiro. Na peça, um padre; um evangélico; um ateu; um empresário judeu; um político macumbeiro; uma freira caridosa; um bruxo visionário e pasmem, Jesus reúnem – se às escondidas para discutir o comportamento humano, os problemas do mundo e o destino do planeta.

Cada qual com suas particularidades e peculiaridades, pregando e professando o que “acham” que acreditam, o conflito de opiniões é inevitável, eis que vem a tona os mais asquerosos sentimentos humanos, na medida em que estes, se escondem atrás da fé para justificar suas imperfeições, seus erros e mesquinharias.

Jesus, que durante todo o espetáculo ouvia tudo sem ser percebido, se apresenta diante das aberrações e atrocidades cometidas em seu nome no decorrer da trama. O espetáculo não faz apologia a nenhuma das religiões existentes, nem tampouco se propõem a criar uma nova, mas aponta para uma versão globalizada, onde possamos visualizar o ser superior, criador do céu e da terra em tudo e em todos (independente do nome a qual tenhamos mais afinidade). Assim como um dos preceitos de nossa nova pesquisa de linguagem, nosso texto (leia – se: espetáculo) é apenas um pretexto para uma reflexão mais ampliada da temática em questão.

Homem – Um Pecado de Deus, marca a entrada do Ói Nóiz Aqui Traveiz em uma nova pesquisa de linguagem, fundamentada no trabalho colaborativo, na descoberta e na experimentação em todos os estágios da produção. Neste processo, o ator ganha a conotação de ator – criador, fazendo criticas e apontando sugestões no decorrer do processo criativo. Desta forma, acreditamos estar caminhando rumo a uma nova forma de pensar, produzir e consumir teatro.

FICHA TÉCNICA

Texto: Joni Bigoo

Encenação: Claudio Silva

Cenários: Agostinho Josaphat

Figurinos: Criação Colaborativa

Maquiagem: Criação Colaborativa

Iluminação: Raimundo Parrudo

Programação Visual: Joni Bigoo

Produção Executiva: Claudio Silva

Direção Geral: Ói Nóiz Aqui Traveiz

Atores – Criadores – Pesquisadores: Josias Monteiro, Sabrina Zahara, Elder de Paula, Etiene Mazze, Dan Alves, Erick Boaventura, Núbia Worrel e Geovanni Coelho.

SERVIÇO

O quê? Peça Teatral Homem – Um Pecado de Deus

Onde? Auditório da União dos Negros do Amapá – UNA

Quando? 15 de Maio de 2011

Que Horas? 20:00h

Quanto? DE GRAÇA!!!

Projeto Macapá – Diário Tucujú

Durante fevereiro e março de 2011, a atriz e produtora Cultural, Bárbara Castro, estará realizando, no Auditório do Museu da Imagem e do Som (MIS-AP), localizado no Teatro das Bacabeiras, centro da capital amapaense, o “Projeto Macapá – Diário Tucujú”.

Serão oficinas de teatro e apresentação de performances inspiradas em mitos, lendas e histórias locais, dentro da programação de aniversário do Teatro das Bacabeiras. As aulas iniciarão amanhã (21).

A oficina, que terá ênfase na linguagem do Teatro de Rua promoverá atividades paralelas como oficina de vídeo e gravações de mini-documentários sobre crônicas da cidade, que serão reinterpretados pelos próprios alunos do curso.

Esta iniciativa integra o prêmio interações estéticas e residências artística em Pontos de Cultura, com apoio da Fundação Nacional das Artes – Funarte, da Secretaria de Cidadania Cultural e do Ministério da Cultura.

Meu coment: A Bárbara é uma artista talentosa. Saiu daqui há alguns anos e fez seu nome lá fora. Escrevi sobre ela nos primeiros meses deste blog, leiam aqui:


Aconselho aos apreciadores da arte cênica a prestigiar as oficinas.

Serviço:
Projeto Macapá – Diário Tucujú
Local: Auditório do MIS, no segundo piso do Teatro das Bacabeiras.
Data: A partir de amanhã (21), nas segundas e quartas.
Horário: 14h.
Mais informações no número: 9134-3464

Leitura dramática da peça “A mulher do fundo do rio”, de Fernando Canto

A primeira leitura dramática da peça “A mulher do fundo do rio”, do escritor Fernando Canto, vai ser apresentada no dia 06/01 (quinta-feira), no Ponto de Cultura Estaleiro, do Grupo Teatral Marco Zero.

Com direção de Thomé Azevedo, o elenco foi selecionado exclusivamente para a peça.

A peça aborda de forma poética e dramática situações que ocorrem no interior de uma embarcação que enfrenta um naufrágio e pretende levar o público à reflexão sobre as grandes tragédias que ocorrem nos rios da Amazônia e no mundo.

Para a criação da peça, o autor tomou como exemplo a maior tragédia fluvial ocorrida no Amapá, o naufrágio do barco Novo Amapá que vitimou mais de 600 pessoas no dia 06/01/81.

A ideia do grupo é promover a leitura da peça em um circuito que percorrerá as universidades e as escolas públicas para que a encenação ocorra em janeiro de 2012. Pretende também, estimular a leitura dramática de autores, tanto amapaenses, quanto consagrados nacional e mundialmente.

Serviço:
Local: Ponto de Cultura Estaleiro – Av. Rio Negro, 71 – Bairro Perpétuo Socorro.
Data: 06/01/11 Hora: 20:00h.
Entrada franca.
Elenco:Kelly Maia, Ana Vidigal, Janice Carvalho, Jaqueline Rodrigues e Dércio Damasceno. As crianças Dughan, Marcela, Diego, Bárbara e Kesia.
Sonoplastia: Erivaldo Santos.
Direção: Thomé Azevedo.
Produção Executiva: Sonia Canto Produções.

Sonia Canto
Produtora cultural
_________

Sonia Canto Produções
Telefone: 96-91499536