Tristeza: morre o humorista Pádua Borges, o Lurdico da dupla os Cabuçus


O radialista e humorista Pádua Borges, o Lurdico, morreu hoje (17), por volta das 17h,  em sua residência no Bairro do Trem, zona Sul de Macapá. Ele foi vítima de um infarto. Ele tinha 49 anos. 

Os Cabuçus foram criados por Pádua e Nilson Borges em Macapá, em 1992. Faziam sucesso no rádio e na televisão. A dupla era muito popular e conhecida por brincar com o jeito de falar do caboclo da Amazônia.


A dupla lançou 4 CDs, além de revistas em quadrinhos e participaram de inúmeras peças de teatro. Em 2005, Os Cabuçus também ganharam um programa de TV.

Meu comentário: Tem gente que admiro de longe, alguns por talento e outros pelo jeito. Eu admirava Pádua pelas duas qualidades. O cara era expressivo, alegre, espirituoso, sarcástico, inteligente, cômico e gente fina. Tive o prazer de tomar umas cervejas com ele somente duas vezes, ambas no Norte das Águas. 

Eu e todos que sabem da importância de Pádua para a Cultura do Amapá estamos entristecidos, pois o cara foi um artista e tanto. Que faça a passagem em paz. Minhas condolências aos familiares do inesquecível cabuçu. 

A morte sempre chega pontualmente na hora incerta” – Mário Quintana

Adios, Tommy Ramone, membro original e baterista do Ramones(1949-2014)


Tommy Ramone, ex-baterista e produtor do Ramones, morreu nesta sexta-feira, 11, em decorrência de um câncer no ducto biliar. Segundo informações do site da revista Variety, o músico tinha 65 anos e estava em casa, na cidade de Nova York, nos Estados Unidos, fazendo tratamentos paliativos contra a doença.

Nascido na Hungria, Erdélyi Tamás – nome de batismo de Tommy – participou dos três primeiros álbuns de uma das bandas mais influentes da história do punk – Ramones (1976), Leave Home (1977) e Rocket to Russia (1977) – e coproduziu os dois últimos discos ao lado de Tony Bongiovi e Ed Stasium, respectivamente. O baterista também compôs sucessos como “I Wanna Be Your Boyfriend” e “Blitzkrieg Bop”. Tommy Ramone deixou o Ramones para trabalhar apenas como produtor e foi substituído por Marc Bell (Marky Ramone), um ex-membro da Richard Hell & the Voidoids.

Uma nota oficial foi compartilhada na página da banda no Facebook: “É com tristeza que anunciamos a morte de Tommy Ramone, o baterista original do Ramones, nesta sexta-feira, 11 de julho de 2014”. A mensagem ainda reproduz uma frase de 1978, que é atribuída ao músico: “Ramones não era apenas música: era uma ideia. Era o ato de trazer de volta ao rock todo o sentimento que estava faltando – foi uma explosão para dizer algo novo e diferente. Originalmente, era apenas uma coisa artística; depois, finalmente senti que era bom o suficiente para todo mundo”.

O Twitter oficial do Ramones também noticiou a morte de seu icônico baterista. “Estamos tristes de anunciar o falecimento do baterista fundador dos Ramones, Tommy (Erdelyi) Ramone”.

Sobre o Ramones:

O seminal grupo de punk rock foi criado em 1974, na cidade de Nova York, pelo vocalista Joey Ramone, que morreu em 2001, vítima de um linfoma, e seus companheiros, o guitarrista John Cummings (Johnny Ramone), que morreu em 2004 também por decorrência do câncer, o baixista Douglas Colvin (Dee Dee Ramone), morto por uma overdose em 2002, e Tommy. A banda acabou em 1996 após uma turnê realizada junto ao festival Lollapalooza.

Brasil 1 x 7 Alemanha: choque de realidade

Vai passar.

O Mineiraço de 2014 tá longe de ser o Maracanazo de 1950 e, a médio e longo prazo, esse vexame durante a Copa vai ser bom pra autoestima do brasileiro. Os cinco gols em vinte minutos tiraram todo o país de si e equivaleram a um onze de setembro da vergonha alheia – tudo sob a reação embasbacada de um técnico sem reação, o plot twist mais improvável, de tão forçado. As metáforas sobre o jogo de ontem aparecem quase por geração espontânea, assim como as inúmeras “lições” que ouviremos ou leremos em posts gigantescos nos próximos dias.

Mas vai passar. O que vem a seguir é o que importa.

O apagão. O vexame. A humilhação.


Olhem, meus caros.
Verdadeiramente inacreditável.
Absolutamente inacreditável o que aconteceu ontem.
A seleção brasileira, a rigor, não perdeu.
A seleção brasileira apagou depois do primeiro gol.
Afundou.
Naufragou.
Ficou mesmerizada.
Sem ação.
Em estado de choque.
Andando ao léu.
Correndo sem rumo.
Chutando para o vazio.
Fazendo passes para ninguém.
A Alemanha é um timaço, claro.
É a melhor seleção da Copa, é evidente.
Poderia, indiscutivelmente, ter vencido o Brasil.
Mas por 7 a 1?
Mas fazendo quatro gols em 25 minutos?
E deixando de fazer mais quatro ou cinco porque, visivelmente, tirou o pé e passou mais a administrar o resultado?
Não.
Sinceramente não.
O Brasil, em verdade, mais perdeu do que a Alemanha ganhou.
O que não significa que não mereceu perder da forma vexatória como perdeu.
E agora?
Agora é enxugar as lágrimas, enrolar a bandeira, juntar os cacos e pensar em 2018.
Mas temos que pensar no futuro sem jamais esquecer das causas que levaram o Brasil a sofrer esse vexame.
Esse apagão.
Esse naufrágio.
Essa tragédia.
Uma pena que tenha sido assim!

Morre Walter do Carmo, pioneiro do Amapá


Morreu, na noite de ontem (14), aos 84 anos, o ex-empreiteiro e pioneiro do Amapá, Walter Do Carmo. Ele foi vítima de complicações decorrentes de dois Acidentes Vasculais cerebrais (AVC’s). 

O senhor Walter do Carmo foi quem construiu a BR-156 e inúmeras obras que ajudaram no crescimento e desenvolvimento do estado do Amapá. Sobre ele, o respeitado professor e conhecedor da história amapaense, Nilson Montoril escreveu: 

O falecimento de um familiar, principalmente de genitores é um momento doloroso na vida de todos nós. Eu ainda era garoto quando conheci o senhor Walter Pereira do Carmo, homem arrojado, empreendedor, que participou em profundidade na construção do progresso do Amapá. Como um dos amigos de meu pai e membro do Rotary Clube de Macapá, sempre ia em casa para “jogar conversa fora”. Em tempo relativamente recente, ele congregou um grupo constituído por filhos dos fundadores do Aero Clube de Macapá tentando soerguê-lo e cobrar do governo uma indenização ainda hoje devida à instituição. Eu fiz parte da última diretoria e senti que o tempo estava minando a resistência do seu Walter. Ainda assim, ele lutava com tenacidade para alcançar seus objetivos. Foi amigo de muitos, mas poucos corresponderam ao verdadeiro sentido da amizade. Ele foi brevetado piloto pelo Aero Clube de Macapá, junto do Hamilton Silva”. 

É isso mesmo, a morte de um pai é sempre uma das, senão a pior, coisa que ocorre na vida de todos nós. Não conheci o Sr. Walter, mas conheço três dos seus oitos filhos: o Wank, o Walter Junior e a Márcia do Carmo. Essa última, uma amiga muito querida. 

O velório de Walter do Carmo ocorre na Capela Santa Maria, localizada na Rua Hamilton Silva, 1298, próximo da Avenida Presidente Vargas. A toda família, minhas sinceras condolências e que sua passagem seja boa e que ele siga seu caminho de luz.

Elton Tavares

Vá em paz, tio Ival!


Morreu ontem (5), em Cayenne, cidade da Guiana Francesa (FRA), o mestre de obras aposentado Lourival Neves Vale. Ele era irmão da minha mãe e tinha 61 anos de idade. Tio “Ival” foi vitimado por um câncer no fígado, descoberto tardiamente. 

Como não sou dado a hipocrisias, lamento a perda repentina de meu tio, mas não estou fragilizado, não chorei e nem estou muito triste. Estou sentindo mais pela minha avó materna, que, é claro, está muito abatida (ela perdeu dois dos seus 11 filhos em dois anos). 

Vou explicar. Tio Ival era um cara engraçado, alegre e gente boa, mas não tínhamos convivência alguma. Ele morava em Cayenne há mais de 30 anos e raramente vinha por estas bandas. A última visita dele ocorreu em 2007. 

Tio Ival era um cara cômico, tinha um tique nervoso na perna, assim como eu. Adorávamos quando ele pintava em Macapá quando eu, meu irmão e primos éramos moleques. Era distribuição de franco (moeda francesa que antecedeu o Euro) pra toda a molecada. Além disso, o cara contava lorotas legais, como sua suposta passagem pela Legião Estrangeira e um tiro que ele teria levado na cabeça. 

Bom, ele literalmente “foi pra Caiena”, que Deus ilumine seu caminho e que tenha uma boa passagem para o plano espiritual. Até a próxima, tio Ival. 

Elton Tavares

Adios, Gabriel García Márquez!

De Gabriel García Márquez (1927-2014), que hoje virou eterno, que hoje virou eternidade: 


“A sabedoria é algo que quando nos bate à porta já não nos serve para nada”

“Tudo é questão de despertar sua alma”

“A vida não é mais do que uma contínua sucessão de oportunidades para sobreviver”

“É necessário abrir os olhos e perceber que as coisas boas estão dentro de nós, onde os sentimentos não precisam de motivos nem os desejos de razão. O importante é aproveitar o momento e aprender sua duração, pois a vida está nos olhos de quem saber ver.”

“Não passes o tempo com alguém que não esteja disposto a passá-lo contigo”


“Quem sabe Deus queira que conheças muita gente enganada antes que conheças a pessoa adequada para que, quando no fim a conheças, saibas estar agradecido.”

“Nunca deixes de sorrir, nem mesmo quando estiver triste, porque nunca se sabe quem pode se apaixonar por teu sorriso”

“Todo mundo quer viver em cima da montanha, sem saber que a verdadeira felicidade está na forma de subir a escarpada.”

Boa passagem, Gabo.

Vá em paz, Meton!


Na madrugada desta terça-feira (11), morreu, aos 65 anos, vítima de uma parada cardíaca, o funcionário público federal, Meton Jucá Junior. Meu amigo e sobrinho dele, André Mont’Alverne escreveu.

“Meton era um cara que esbanjava simpatia e espalhava alegria por onde  passava. Um piadista nato e profundo conhecedor do nosso estado. 

Um cara preocupado com o bem de todos que ele queria bem. Toda vez que eu o encontrava, ele saia de onde ele estava pra falar comigo. Me dava um forte  abraço. 

Sempre achei que isso se devia muito a minha semelhança física com meu falecido pai (Deuclides, já falecido, que era primo do Meton). Quem sabe… Eu adorava aquele cara, era um dos meus tios favoritos. Que ele siga em paz! “

André Mont’Alverne 

Meu comentário: Conheci o Meton, ele era contemporâneo do meu pai. Algumas vezes, o presenciei alegrando rodas de amigos. Também ouvi, do Guga Mont’Alverne, muitas histórias sobre ele e sua paideguice. 

Ele era pai do meu amigo Sérgio Buda, tão gente boa quanto seu genitor.  Falei com o Meton na banda, lhe dei um abraço e segui na folia. Que seu jeito descontraído, afável e feliz seja exemplo para todos nós. Minhas sinceras condolências à família. 

Tia Fé, Tantan de Ouro faz seu último desfile no Laguinho ( @MarileiaMaciel )


Foi preciso contar os 60 anos de história  para Boêmios voltar a ser campeão, após 16 sem título, e para que Tia Fé cerrasse os olhos e descansasse tranquila. Maria Felícia Cardoso Ramos foi a primeira costureira da Universidade de Samba Boêmios do Laguinho, esposa do José Libório Ramos, o Matapi, um dos 13 que fundaram a primeira escola de samba do Amapá, na esquina da Mãe Luzia com a Eliezer Levy, enredo contado este ano na avenida. Costureira e  bordadeira, Tantan  de Ouro   do carnaval amapaense, título dado para os que mais se destacavam para fazer uma bela festa, Tia Fé veio ao mundo quando Macapá começava a abrir os olhos, e os negros iniciavam as vidas na Favela e no Laguinho, debaixo de todo o misticismo enraizado no sangue e na alma, como todos os descendentes dos escravizados africanos que aportaram em Mazagão.
Primeiro morou na Favela, onde foi seu pai, José Monteiro e a mãe, Isabel Cardoso, escolheram morar. Depois o destino os levou para o Laguinho, onde o primo de seu José, Julião Ramos, formava o reduto negro, que originou um dos mais tradicionais bairros da cidade. Entre os ladrões de marabaixo criados por sua mãe, Tia Fé criou os 12 filhos, e fez a fama em cima de seu primoroso trabalho. Bordou e costurou na mão, pedra por pedra, lantejoula e brilho, as mais lindas roupas de destaques, rainhas da bateria e principalmente mestres-salas e porta-bandeiras da Nação Negra, que reforçaram sua fama com as inevitáveis notas 10. Quem frequentava a casa na General Osório, onde morou até partir, lembra das roupas reluzentes e luxuosas feitas por Tia Fé, penduradas em cabides, e de seu ritual pré-carnaval, de bordar a roupa no corpo dos principais artistas do Laguinho.
Contam os amigos que o mestre-sala Amaral, danado por natureza, era “guardado” por Tia Fé, na véspera do desfile para evitar qualquer situação que colocasse em risco a apresentação. Só era liberado para chegar na avenida Fab e dar o show que garantia a nota máxima no quesito. Tanto trabalho para bordar cada detalhe não a impedia de sair em sua escola do coração, e mesmo cansada, arrumava forças para rodar a saia na ala das baianas. Passado o carnaval, lá vinha Tia Fé com as flores na cabeça, emoldurar o cenário colorido das rodas de marabaixo, dançando até o fim, cantando os versos que dona Isabel embalava os moleques da casa. Pelas contas dos mais antigos, embaraçadas na memória, a última porta-bandeira que teve a roupa bordada pela Tesoura de Ouro foi a Nega, que rodopiava com Amaral levando a bandeira vermelha e branca na cintura.
Hoje o Berço do Samba se despede de sua musa, matriarca que abriu as portas de sua casa para que os desfiles fossem pensados e os sambas criados. Mãe, marabaixeira, avó que criou os netos como filhos, Tia Fé merece as homenagens e o tapete de emoções que será estendido em sua última passagem pelo bairro moreno, para quem ela tanto deu orgulho e despejou carinho. Tanto amor pelas tradições a fez nome de bloco, e , há exatos 10 anos atrás, enredo da Bodas de Ouro da Universidade.

“Ê Fefé, Fefé de ouro
És o tesouro do bairro Julião
Para mim és a princesa
És a rainha e a canção
Caiu do céu, caiu….caiu do céu
Uma estrela e brihou”
(Ilan do Laguinho)

Mariléia Maciel – Jornalista apaixonada pelo bairro do Laguinho. 

Após decisão judicial, governo vai pagar tratamento de modelo em coma

Por Dyepeson Martins, do G1 Amapá 

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) emitiu documento na noite de quarta-feira (5) assumindo o compromisso de pagar o tratamento médico do modelo amapaense Rarison Ricardo, de 25 anos, em coma no Hospital das Clínicas Alberto Lima (Hcal) desde 28 de novembro de 2013, quando sofreu um acidente de trânsito que lhe causou traumatismo crânio encefálico. O documento foi emitido após a Justiça Federal expedir três decisões obrigando o governo do estado a transferir o paciente para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo. A multa para o descumprimento da decisão foi estipulada em R$ 10 mil diários.

A decisão da Sesa será apresentada no hospital Albert Einstein na sexta-feira (7) que vai divulgar se há ou não vaga em leito para que ocorra a transferência do modelo em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) aérea.

Familiares e amigos de Rarison criaram, através da rede social Facebook, uma campanha para exigir que ele fosse levado com urgência para uma unidade de terapia semi-intensiva com tratamento neurológico, serviço indisponível no Amapá. A tia do paciente, Ludimila Miranda, de 31 anos, iniciou a série de publicações que tiveram mais de 300 compartilhamentos. Ela afirmou que a decisão do governo representa “um grande passo para a recuperação do sobrinho”.

Estávamos atrás destes recursos. O hospital [Albert Einstein] só iria divulgar se existe ou não vagas após ter a certeza de que o governo se comprometeria a pagar todos os gastos com o meu sobrinho. Foi um grande passo e agora esperamos que tudo dê certo”, declarou Ludimila.

Enquanto aguarda pela transferência, o jovem está sendo atendido no Hcal por um neurologista, um intensivista e uma equipe de fisioterapeutas especialistas em recuperação integrada, segundo informou o titular da Sesa, Jardel Nunes. Ele justificou que a transferência de Rarison ainda não foi concretizada pela indisponibilidade de vagas nos hospitais brasileiros que possuem estrutura para o tratamento do modelo. “O que não podemos é realizar a transferência de forma inconsequente, sem a garantia de que há vagas no referido hospital”, disse Nunes, em entrevista ao G1 na segunda-feira (3).

Auxílio

A família do jovem disse que não foi oferecido nenhum medicamento durante a internação de Rarison Ricardo. Todos os remédios foram comprados com a ajuda de familiares e amigos, com o nome e o CNPJ do Hospital Alberto Lima devido a indisponibilidade em farmácias.

Jardel Nunes garantiu que a família do modelo está sendo ressarcida financeiramente pelos gastos com a compra de medicamentos não disponibilizados na Sesa. Contudo, a mãe do paciente, Rosely Miranda, de 48 anos, afirmou que o auxílio “nunca chegou” às mãos da família. “Cadê essa ajuda que nunca chega às nossas mãos?”, questionou.

“Está sendo oferecida toda a ajuda necessária. (…) Não podemos cometer nenhuma irresponsabilidade. Precisamos de todas as garantias”. (…) Estamos tentando solucionar o problema até mesmo junto ao Ministério da Saúde ”, ressaltou o titular da Sesa.

Vergonha!

Temos uma maioria formada sob medida para lançar por terra o trabalho primoroso desta Corte no segundo semestre de 2012. Isso que acabamos de assistir. Inventou-se um recurso regimental totalmente à margem da lei com o objetivo específico de anular a reduzir a nada um trabalho que fora feito. Sinto-me autorizado a alertar a nação brasileira de que esse é apenas o primeiro passo. É uma maioria de circunstância que tem todo o tempo a seu favor para continuar sua sanha reformadora.” – Joaquim Barbosa, ministro-presidente do Supremo Tribunal Federal, em mais um momento de fúria ao se consumar a absolvição de oito réus do mensalão do crime de formação de quadrilha, reduzindo-lhes as penas e permitindo que alguns saiam do regime fechado para o semiaberto.

Brocador dá adeus (triste com isso): Flamengo aceita proposta da China por Hernane


O Flamengo está prestes a perder o atacante Hernane para o futebol chinês. De acordo com o jornalista Juca Kfouri, o Rubro-Negro aceitou uma proposta de 6 milhões de euros (R$ 19 milhões) do Shangai Shenhua, da China. Com isso, o Brocador não entraria em campo contra o Emelec, nesta quarta-feira, no Maracanã, pela Copa Libertadores.

Com 50% dos direitos federativos, o Mais Querido receberá cerca de R$ 11,5 milhões pela transação do Brocador, que terá salários mensais em torno de 420 mil reais.

Em janeiro deste ano, o centroavante recebeu uma oferta no mesmo valor do Al Jazira, dos Emirados Árabes. No entanto, não houve acordo na forma de pagamento e a negociação não foi concretizada.

Um dos xodós da torcida, o camisa 9 chegou à Gávea em maio de 2012 após se destacar no Campeonato Paulista pelo Mogi Mirim e marcou 43 gols com a camisa rubro-negra. Pelo Flamengo, Hernane consolidou-se como artilheiro do Novo Maracanã e da Copa do Brasil com 18 e 8 tentos, respectivamente.

Santiago e os riscos da vida de jornalista


Jornalismo é uma profissão de riscos.

Alguns bons, como o risco de se apaixonar por contar histórias.

E para contar histórias a gente vai chegando pertinho delas. Meio sem pedir licença.

Não se faz bom jornalismo de um helicóptero.

Santiago Andrade foi morto na rua, no meio de um protesto, no meio de uma história.

Ah, sim, há também os riscos ruins da profissão, como o risco de morrer tentando contar uma história.

Porque, por mais que pareça improvável, há o risco de um babaca acender um rojão no meio da história.

E o jornalista, acostumado a dar o sangue, derrama seu sangue.

E os outros jornalistas, que seguimos vivos, ficamos confusos com tantos riscos para calcular, o que vale a pena correr, o que não vale, logo nós, que nunca fomos bons em cálculos. Apenas em contar histórias.