Na região Norte, empresas não cumprem metas de banda larga


São Paulo – A Anatel divulgou nesta quinta, 6, as metas de banda larga fixa e móvel referentes a dezembro do ano passado. Os estados da região Norte ainda estão muito longe de terem as metas definidas pela agência cumpridas pelas empresas, especialmente de velocidade média e velocidade instantânea.

No Acre, apenas a Claro atingiu a meta de velocidade mínima exigida, 30% da contratada em 95% dos casos. Já a meta de velocidade média – pelo menos 70% da velocidade contratada – foi cumprida apenas pela Claro e pela TIM.

O estado também sofre com a qualidade da banda larga fixa prestada pela Oi, a única prestadora disponível. Dos seis indicadores analisados pela a agência, a empresa conseguiu cumprir a meta apenas em dois: velocidade média e variação de latência.

No Amapá, a situação é ainda pior. Nenhuma das quatro operadoras móveis atingiu a meta de velocidade instantânea e média da banda larga móvel e, mais do que isso, ficaram muito longe dos índices exigidos.

Na velocidade instantânea o destaque negativo vai para a Claro, que entrega o contratado em apenas 13% das medições. Na velocidade média, mais uma vez a Claro aparece como a pior: com 20,36%. A banda larga fixa não foi medida no Estado.

No Amazonas, Oi e TIM ficaram abaixo na velocidade média e instantânea da banda larga móvel. Na banda larga fixa, as duas empresas que operam o serviço no Estado (Oi e Net) cumpriram a velocidade média, mas a Net ficou abaixo da meta de velocidade instantânea, latência e disponibilidade. A Oi, por sua vez, não cumpriu a meta de perda de pacotes e latência.

Situação semelhante acontece em Rondônia e Roraima. Na banda larga fixa, a Oi descumpre os indicadores de velocidade instantânea, latência e perda de pacotes nos dois estados.

Na banda larga móvel, em Rondônia a Oi descumpre a meta de velocidade instantânea e mínima, enquanto que a TIM descumpre a meta de velocidade mínima.

Em Roraima, a Oi e a TIM descumprem a meta de velocidade média e instantânea. A Claro descumpre a meta de velocidade média e a Vivo de velocidade instantânea.

Governo do Estado do Amapá – Nota de pesar


O Governo do Estado do Amapá, na pessoa do governador, Camilo Capiberibe, externa  familiares e amigos pelo falecimento do seu filho Marcelo Luís Gomes Araújo, ocorrido neste sábado, 11, por volta das 18:00h, na Unimed Macapá.

Marcelo Araújo era funcionário da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), e faleceu aos 25 anos, vitima de uma parada cardíaca.

O governador se solidariza com os familiares enlutados e pede a Deus que os conforte nesse momento de dor.
Governo do Estado do Amapá

*Conheci o Marcelinho há anos, antes era só”o irmão do Mareco”. O cara era gente fina, engraçado e muito alegre. Ele tocava e mandava bem na bateria. Não sei quantas vezes o encontrei nas festinhas de Rock na casa de amigos e bares de Macapá, sempre brincalhão.  A morte é sempre triste em qualquer idade, mas quando uma pessoa parte jovem é, no mínimo, injusto. É como disse Mario Quintana: “A morte chega pontualmente na hora errada”. Minhas condolências ao Mário, seu irmão e toda a família. 

Nota de Falecimento


Os familiares de Marçal de Souza Batista comunicam seu falecimento ocorrido hoje, 19, às 03h05 da madrugada, em Belém/PA. Ele se recuperava de uma cirurgia no coração e sofreu uma parada cardíaca após complicações em seu estado de saúde. 

Marçal tinha 77 anos e era funcionário aposentado da Assembleia Legislativa do Amapá (AL/AP). Ele deixa os filhos Clemerson, Girlaine, Gicele, Girlei e a jornalista Gilvana Santos.

O velório acontece amanhã (20), a partir das 7h30, na Capela Funerária Santa Rita, localizada na Avenida Mendonca Furtado, 241, próxima ao Hospital São Camilo. O horário de enterro será confirmado até o final da tarde desta sexta-feira.

*Aos familiares do senhor Marçal, minhas sinceras condolências, principalmente a querida amiga Gilvana Santos. Que sua passagem seja boa e que ele siga seu caminho de luz.

Sonhos de um garoto interrompidos pela violência (força @01berto_ )


Ser guitarrista de uma banda de rock, cursar filosofia e seguir os caminhos do pai como consultor de empresas. Esses sonhos foram interrompidos violentamente na noite de sexta-feira, 29, quando o estudante Júlio Natan Costa, de 15 anos, foi assassinado com uma perfuração no pescoço em frente à Casa do Artesão, durante shows de rock pesado no Festival Quebrar. A notícia rapidamente ganhou força nos noticiários e muitas especulações surgiram sobre os motivos e autoria do crime. Além da dor da perda, a família ainda foi surpreendida por um vídeo postado na internet que mostra o menino agonizando. Pai e mãe lutam agora para descobrir o que aconteceu de verdade.

O consultor Umberto Lima de Sousa tem desmentido que o filho tivesse algum relacionamento amoroso com uma das meninas acusadas do crime. “Existem várias correntes que narram explicações sobre o fato, uma delas é que o motivo teria sido a ex-namorada, que por sua vez é prima de uma das acusadas no crime, proveniente talvez de um desentendimento”, relata ele.

Nas redes sociais Natan, trazia traços de um adolescente normal, envolvido em sua tribo de amigos, que pelas citações musicais seriam mais envoltos em um estilo de rock mais pesado, o metal. Para os familiares essa tendência refletia a sua atualmente atividade diária, que era tocar violão horas a fio talvez já premeditando o próximo passo: a criação de uma banda.

Na página de Natan no Facebook, frases e fotos que trazem citações às bandas AC DC, Iron Maiden e a banda espanhola de uma tendência musical conhecida por Power metal, Dreamaker. A página também mostra traços de um menino contestador dos dogmas religiosos, com frases de efeito e a escolha pelo ateísmo expressa em seu perfil. “Meu filho não tinha distinção para fazer amizades, era uma pessoa que tinha amigos A, B, C e D, mas o que importava era o companheirismo, se era amigo, era digno de confiança” lembrou Umberto.

Sobre o assassinato, os familiares sabem apenas o que foi relatado por amigos. “Nós sabemos que a menina que desferiu o golpe nele estava acompanhada de cerca de sete rapazes, que cercaram o meu filho e deram cobertura enquanto o Natan era xingado e agredido fisicamente. Inclusive com uma garrafa que foi quebrada em sua cabeça”, narrou o pai.

Após isso, Natan teria se desvencilhado dos seus agressores com ajuda de pessoas que interviram e conseguiu correr para próximo da Casa do Artesão. Os agressores o teriam encontrado sentado no local, momento em que o golpe fatal foi deferido em seu pescoço. “Um fato foi confirmado: uma das meninas desferiu o golpe fazendo uso de um objeto pequeno, e essa informação encontra-se na investigação, pois algumas testemunhas oculares deram o depoimento. As meninas ainda encontram-se desaparecidas, inclusive tive o contato com a mãe de uma delas. A senhora afirmou que a filha já não morava com ela a cerca de dois anos, e que por isso não sabia onde encontra-la” revelou o pai, segurando no colo o violão de Natan.

O caso está sendo investigado pela Delegacia de Investigação do Menor Infrator (Deiai). As meninas apontadas como agressoras estão foragidas. O laudo da Polícia Técnica ainda apontará qual o objeto foi usado no assassinato do adolescente. Para a família, só esse laudo, a prisão das acusadas e os depoimentos dos amigos que estavam próximos no dia do ocorrido poderão explicar o caso.

O texto e a foto de Umberto de Souza foram feitos pelo jornalista Seles Nafes.

*Meu comentário: Conheço o Umberto de Souza. Conversamos muito da última vez que nos encontramos. Entre os assuntos, estava o Rock. Ele falou que curte o gênero musical com os filhos e que inclusive já foi a vários shows com seus rebentos. Sinto muito pelo acontecido. Afinal, é muito triste alguém tão jovem perder a vida, ainda mais de forma brutal. Tomara que a justiça seja feita. Força ao Umberto e família!

Morre Gino Flex, o Rei dos Malucos de Macapá


Na madrugada desta terça-feira (12), morreu o artista, músico, inventor do Clube do Vinil, Dj oficial de encontros memoráveis e Rei dos Malucos de Macapá, Gino Flex . Não sei quantos anos ele tinha, mas acho que eram quase 60 verões. 

Conheci o Gino há uns 15 anos, ainda com meus 20 e poucos e curta estrada na boemia da capital amapaense. O cara era querido por todos. E não é porque morreu não. O cara era do naipe do fictício Quincas Berro D’Água e do real Charles Buchowisk. 

O estilo de vida era “de boa”, uma verdadeira ode a boemia e hedonismo. Sim, o velho Gino era “brother”. Gino Flex estava internado há dias com complicações no fígado. Chegou a ser operado, mas não resistiu. Que sua passagem para a outra vida seja como foi nessa, leve. 

A vida manda os seus sinais, basta ter o coração aberto e ser amalucado o suficiente pra entender” – Cabo Martim, personagem do livro “A morte e a morte de Quincas Berro D’água”, de Jorge Amado.

O velório do amigo Gino Flex está acontecendo na capela na capela São Francisco, que fica atrás do Pronto Socorro. Às 16h, ele será o sepultado.  O corpo será enterrado no cemitério São Francisco de Assis, na zona norte de Macapá. 

Até a próxima vez, Gino! 

Elton Tavares

271 famílias e mais de dois mil desabrigados (Via blog da Alcinea)

Sobre o incêndio de ontem (23), no bairro Perpétuo Socorro, em Macapá, o número exato de famílias, de acordo com o Governo, é 271 famílias.

São 972 pessoas: 45 idosos, 211 adultos, 143 crianças de 0 a 5 anos,  184 crianças de 6 a 12 anos, e 389 jovens de 13 a 29 anos.

No Ginásio Avertino Ramos estão abrigadas 573 pessoas.Lá o que estão mais precisando neste momento são fraldas e produtos de higiene.

O número de desabrigados pode ultrapassar dois mil.

Sobre o grande incêndio na Zona Leste de Macapá (Via G1 Amapá e Site da Alcinea)


Um incêndio de grande proporção já atingiu mais de 30 casas no final da Rua Marcílio Dias, no bairro Perpétuo Socorro, Zona Leste de Macapá. Várias viaturas do Corpo de Bombeiros permanecem no local no início da noite desta quarta-feira (23). Ainda não há informações sobre feridos.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o incêndio começou por volta de 15h, na Av. Pedro Américo, em uma casa na área de ponte. O fogo se alastrou por casas em 3 quarteirões, atingindo a Feira do Produtor, localizada na Av. Ana Nery.

A Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) interrompeu o fornecimento de energia para o bairro Perpétuo Socorro. A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) convocou profissionais de folga para ficarem de sobreaviso no atendimento às vítimas.

De acordo com o sargento Uchôa o Corpo de Bombeiro enviou seis carros e pelo menos 200 homens estão no local atendendo a ocorrência.

A Polícia Militar está no local para conter a ação de saqueadores. O Corpo de Bombeiros ainda não sabe informar as causas do incêndio.

Foto: G1 Amapá

Três carros do Corpo de Bombeiros,  dois da empresa Servic  e outros da Prefeitura de Macapá e do Infraero tentam debelar o fogo. Muita gente tentando ajudar, carregando baldes de água. Todos os bombeiros que estavam de folga foram chamados para ajudar no combate. No Ginásio Avertino Ramos um posto médico foi montado pela Secretaria de Saúde   para atender as pessoas que estão passando mal.

Muita gente nas ruas. Umas para ajudar, outras apenas movidas pela curiosidade. Essas acabam atrapalhando.

A Prefeitura de Macapá está pedindo que se evite trafegar nas ruas General Osório, Marcílio Dias e Pedro Américo. Governo do Estado e Prefeitura de Macapá estão montando bases de atendimento às famílias em escolas, centros comunitários, ginásios esportivos.

Várias escolas e os galpões das escolas de samba, na cidade do samba, servirão de abrigos para as famílias que perderam suas casas. Máquinas retroescavadeiras estão derrubando casas de madeira para evitar que o fogo se alastre mais.

Jornalista Alcinea Cavalcante

Foto: Anderson Farias


Meu comentário: Há mais de 2h, usei o Twitter pra informar sobre o incêndio, que eu pensava ser no bairro Pacoval. Avistei a fumaça de cima do prédio do TRE-AP, onde trabalho. Triste, muito triste. Que Deus ajude as vítimas.

Tristeza, agradecimento e condolências


Não sou religioso, muito menos metido a santo. Aliás, nunca tentei ser. Mas acredito em Deus e respeito a fé alheia. O homem é movido por muitas coisas. Alguns pelo dinheiro, outros pelo poder e ainda existem aqueles que são pela religiosidade. Respeito quem faz o bem e possui uma aliança com Deus. 

No último sábado (12), o barco Reis I , com 64 passageiros que acompanhavam o Círio Fluvial, naufragou. Destas, 46 pessoas sobreviveram a tragédia,  15 morreram e parece que três ainda estão desaparecidas. 

Entre os mortos estava Lavouzier Camilo Gantus, de 65 anos. Ele era aposentado do Banco da Amazônia (Basa) e marido da professora Orquizete Pinto Camilo (que estava no naufrágio, mas graças a Deus está bem). Ambos amigos dos meus pais e pais dos meus amigos de infância Jack, Jana, Lamartine e Jamile.  Imagino a barra que eles passam neste momento. 

Ontem e hoje, vi velórios em Macapá. Aliás, todos que conheço perderam amigos, entre as vítimas, até crianças. Triste, muito triste. 

Também ontem, na casa do meu tio Paulo, agradecemos por nossa família estar bem, enquanto tantas velam e enterram os seus em nossa cidade. Agradecemos pela saúde da minha avó e o amor que nutrimos uns pelos outros. 

Sei o que é perder alguém muito próximo. A todos que sofrem com as perdas no acidente, desejo que Deus conforte seus corações e amenize suas dores. Minhas  sinceras condolências.
“A morte sempre chega pontualmente na hora incerta” – Mário Quintana

Elton Tavares

Naufrágio no Amapá deixa 12 mortos e 6 continuam desaparecidos

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) confirmou a morte de 12 pessoas que estavam na embarcação “Reis I”, que naufragou na manhã deste sábado (12), em Macapá, durante o Círio Fluvial no rio Amazonas. De acordo com o Corpo de Bombeiros, 6 pessoas continuam desaparecidas. Buscas foram encerradas na noite de sábado e continuam no domingo (13).

Das 12 mortes, 3 corpos ainda não foram identificados. Entre as vítimas está o comandante do barco, Reginaldo Reis Nobre.

A assessoria de comunicação da Sejusp informou que 21 pessoas foram resgatadas, dessas 12 foram atendidas no Hospital de Emergência de Macapá e 9 no pronto atendimento do município de Santana.

A embarcação naufragou na orla de Macapá, próximo ao Farol da Praticagem, por volta das 10h30. No momento do acidente, o atendimento foi concentrado no balneário de Fazendinha – a cerca de 12 quilômetros da área urbana de Macapá – e na área portuária de Santana, a 17 quilômetros da capital, por estarem mais perto do local do naufrágio do que do Porto das Pedrinhas, de onde partiu a embarcação.

“A equipe foi com bombeiros e voadeiras para o local do evento. Nossos militares relatam que foi tudo repentino, a embarcação de uma só vez. Colocamos médicos da Corporação à disposição, além da equipe de atendimento do Hospital de Emergência”, explicou o coronel Rosário.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, o barco tinha capacidade para 40 pessoas, mas no momento do Círio, levava cerca de 70 fiéis. (Inicialmente, o comandante do Corpo de Bombeiros havia informado que o barco transportava 100 pessoas no momento do naufrágio. Posteriormente, o oficial voltou atrás e informou que o número de pessoas era 70. A informação foi corrigida pelo G1 às 17h09).

Já o comandante da Capitania dos Portos no Amapá Carlos Neves informou que a embarcação estava com a sua capacidade normal ao ser vistoriada no momento da saída para o Círio. “O barco tinha capacidade para 40 passageiros. Ela [embarcação] foi vistoriada antes da saída no porto, em Santana. É um procedimento padrão conferir a lista de passageiros quando se trata de um trajeto grande”, disse.

O percurso da procissão do Círio Fluvial é cerca de 15 milhas náuticas, o equivalente a 27 quilômetros.

O barco era uma das mais de 50 embarcações que acompanhavam o Círio Fluvial de Macapá. A procissão deixou o Porto do Grego, no município de Santana, por volta de 7h30 deste sábado. A imagem de Nossa Senhora de Nazaré foi conduzida por uma balsa que navegou em direção a rampa do bairro Santa Inês, em Macapá. O percurso foi realizado em pouco mais de 2h30.

O barco estava alugado para o Sindicato dos Servidores Públicos Federais do Amapá (Sindsep/AP). O Corpo de Bombeiros dizem que o sindicato não repassou nenhuma lista de passageiros. Os corpos das vítimas foram levados para o Departamento de Polícia Técnico-Científica (Politec).

Adeus, Paparazzo!

Antônio Sena, o nosso velho Paparazzo (fiz essas fotos durante viagens que fiz com ele)

Hoje (22), vítima de um acidente automobilístico, na estrada entre os municípios de Calçoene e Oiapoque, morreu Antônio Sena Cantão, o ilustre fotógrafo “Papaparazzo”. No mesmo desastre faleceu o motorista Manoel Ubiratan Baia, o “Bira”. Também na pick-up do Governo do Amapá estavam o cinegrafista Nairon Gomes e a assessora Karla Marques, que estão hospitalizados. 

Não sei ao certo o que houve. Só que a pick-up com a equipe de comunicação da Secom (onde trabalhei por três anos e possuo vários amigos) capotou.

Sinto muito pelo Bira, mas estou arrasado mesmo é pela morte do Paparazzo, também conhecido como “Andarillho”. O velho fotógrafo era uma amigo querido, com quem fiz essa viagem para o Oiapoque pelo menos umas duas vezes. Antônio Sena foi um dos grandes brothers que fiz nessa profissão. 

O velho Papa era um senhor de cabelos de algodão, mas que tinha muito vigor. Ele faria 65 anos no próximo sábado (24). Difícil é quem nunca o viu cruzando Macapá a pé. Pra tomar cerveja com ele tinha que se garantir, pois o sacana virava uma latinha somente em um gole. O coroa era só saúde.  

Quando viajávamos, eu monopolizava o som do carro, afinal, era o chefe da equipe de comunicação na viagem. Lembro de uma vez que coloquei Pink floyd pra rolar e Papa, indignado, disparou: “Porra, Elton, bota um brega!”. Ô saudade do sacana, que sempre tirava um cochilo nessas idas e vindas ao interior Amapá. 
Eu, Tãgaha e Paparazzo, na última vez que tomei umas com o Papa

Conheci o Paparazzo há anos, superficialmente, quando ele fez fotos minhas em um dos muitos desfiles carnavalescos que participei . Mas amizade mesmo foi de 2011 para cá, quando começamos a trabalhar juntos na comunicação do Governo do Amapá. 

Antônio Sena era um cara admirável. Paparazzo foi um homem muito trabalhador, parceiro, confiável, honesto, discreto, humilde, bem humorado, tranquilo,enfim, uma figura paidégua! 

Estou muito, muito triste com sua partida. Papa, seu velho safado (era como eu o chamava na brincadeira e ele retribuía com “gordo safado”), vou sentir sua falta, amigo. Até a próxima vez!

Elton Tavares

Vá em paz, tio Aílson!


Posso viver muito, mas nunca vou me acostumar com a partida de alguém querido. Quando chega o momento, sempre concordo com o escritor Mario Quintana: “a morte chega pontualmente na hora incerta”. Exato, é sempre assim!

Hoje, 14 de julho de  2013, morreu o torcedor fervoroso do Fluminense e funcionário aposentado do Banco da Amazônia (Basa), Aílson Lobato. 

Ele faleceu no hospital São Camilo, onde estava internado há dias, lutando contra um câncer. 

O “tio Aílson”, velho amigo dos meus pais (principalmente de meu pai, Zé Penha) era uma pessoa que eu conhecia desde que me entendo por gente. 

Ele era casado há décadas com a tia Vera, com quem teve três filhos, todos amigos e que tenho como primos. A Alice, o Allison e Andrew. 

Lembro dele muito cortês e gente fina. Era um cara tranqüilo que amava sua família.  Aílson Lobato tinha 69 anos. Ele deixa esposa, três filhos e dois netos, além de muita saudade no coração dos seus. 

Meu pai “embarcou” em 1998, certamente eles ainda se encontrarão do outro lado. 

O velório do tio Aílson Lobato será realizado na Capela Santa Rita, no bairro homônimo, localizada perto do Hospital São Camilo. O enterro ocorrerá amanhã, entre 9h e 10h, no cemitério São José . 

Sei o que é perder um pai, a dor é a pior coisa para qualquer um. E nós perdemos um amigo.  Minhas condolências a tia Vera, Alice, Allison e Andrew. 

Elton Tavares