Centro de Especialidades Odontológicas da Prefeitura de Macapá atende mais de mil pessoas em cinco meses

O Centro de Especialidades Odontológicas, inaugurado em janeiro pela Prefeitura de Macapá, contabiliza 1.165 atendimentos. O espaço realiza por agendamento procedimentos em endodontia, periodontia, odontopediatria e radiologia. O agendamento é feito pelo número 98813 3534.

São 32 profissionais das mais diversas especialidades, entre técnicos em higiene dental, em próteses, periodontia e radiologistas trabalhando no Centro, com a missão de ampliar e qualificar a oferta de serviços odontológicos especializados na capital. Parte dos servidores foi cedida pelo Governo do Estado.

“É a segunda vez que trago meu filho para atendimento e só tenho elogios. Além do bom atendimento, percebemos um cuidado com os pacientes e com as regras de higiene e distanciamento”, disse a dona de casa Socorro de Jesus Melo.

Para prestar esses serviços, o espaço conta com nove consultórios odontológicos, salas de radiologia e de reuniões, administração, entre outras. Com o funcionamento de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h, o Centro tem capacidade de atender 48 pacientes por dia e fazer 20 películas de radiologia. Mas, devido à pandemia, o atendimento está reduzido.

“A maior demanda que temos é para o serviço de radiologia, que funciona por agendamento também. Só em fevereiro, atendemos mais de 140 pessoas para esse serviço”, esclarece a subsecretária de Assistência à Saúde, Tânia Vilhena.

Para ter acesso aos serviços, o paciente precisa de encaminhamento das Unidades Básicas de Saúde, onde ele terá seu primeiro atendimento. O Centro funciona desde janeiro, ficando fechado apenas em abril, maio e junho devido ao pico da pandemia do novo Coronavírus. Em julho, o espaço retornou com atendimentos agendados e respeitando as regras de distanciamento.

Secretaria municipal de Saúde
Cássia Lima
Assessora de comunicação

Eleitor com deficiência visual poderá ouvir nome do candidato na urna

Nas Eleições 2020, pela primeira vez, os eleitores com deficiência visual poderão ouvir o nome do candidato após digitar o número correspondente na urna eletrônica. Trata-se do recurso de sintetização de voz, tecnologia que transforma texto em som e simula como se a máquina fizesse o papel de uma pessoa lendo o conteúdo de algum documento.

Até as últimas eleições, a urna emitia mensagens gravadas que indicavam ao eleitor com esse tipo de deficiência o número digitado, o cargo para o qual estava votando e as instruções sobre as teclas “Confirma”, “Corrige” e “Branco”. Eram mensagens pré-gravadas, instaladas no equipamento para melhorar a experiência desses votantes.

Mas, pelo fato de as mensagens serem gravadas previamente em estúdio, havia uma limitação: como em um pleito concorrem milhares de candidatos e, ao longo do processo eleitoral, muitos deles são substituídos, seria inviável gravar os nomes de todos os concorrentes.

Confira matéria da TV TSE sobre o assunto.

Além disso, “se adicionássemos uma tela ou funcionalidade nova durante a votação, isso teria de ser gravado também, então era bastante limitado”, afirma Rodrigo Coimbra, chefe da Seção de Voto Informatizado da Secretaria de Tecnologia da Informação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

De acordo com Coimbra, a partir de muita pesquisa e após o descarte das urnas mais antigas, dos modelos 2006 e 2008, o TSE teve condições técnicas para implementar a sintetização de voz para as Eleições 2020.

“Utilizamos uma solução toda baseada em software livre. Então, não houve nenhum custo para o Tribunal, que não precisou gastar absolutamente nada para implementar essa tecnologia. A novidade traz uma confiança muito maior para o eleitor, naturalmente, sobre o voto que ele está depositando na urna”, enfatiza.

Passo a passo

Para utilizar a novidade, o eleitor precisa informar o mesário sobre sua deficiência visual, para que o colaborador da Justiça Eleitoral habilite o recurso e entregue fones de ouvido, necessários para garantir o sigilo do voto.

Mesmo habilitada, a urna não iniciará a votação de imediato, permanecendo estática em uma tela com orientações sobre como votar. Além disso, enquanto a votação não for iniciada, o eleitor terá a possibilidade de fazer a regulagem do áudio, sendo permitido aumentar ou diminuir o volume, para tornar a experiência de votar mais agradável.

A sintetização de voz também é capaz de fazer flexibilização de gênero ao emitir a fala de confirmação do concorrente escolhido. Isso significa que, por meio da ferramenta, a urna “falará” que o eleitor está votando em um candidato ou em uma candidata, de acordo com o gênero do postulante que está recebendo o voto.

Teste presencial

Nesta semana, a equipe de Tecnologia do TSE recebeu dois eleitores com deficiência para testar os recursos e experimentar a urna com todas essas novidades.

O aposentado Edinaldo de Almeida e a massoterapeuta Zozimeire dos Santos deram sugestões de melhorias e evoluções, inclusive de pequenos ajustes que podem ser feitos ainda este ano.

“O importante é que a gente conseguiu ter um contato mais próximo com as pessoas que são o público-alvo dessa grande novidade, e isso foi muito bom, porque vamos usar esse retorno deles para aperfeiçoar ainda mais os sistemas”, garante Coimbra.

Todo o processo de adaptação desse software para a urna levou em torno de quatro meses, tendo início ainda em 2019 e sendo finalizado no início deste ano.

Assessoria de Comunicação
Tribunal Regional Eleitoral do Amapá
(96)3198-7504 (Ramal 7504)/ (96)98406-5721

Prefeitura de Macapá oferece serviço de ultrassonografia em UBS’s

A Prefeitura de Macapá oferta ultrassonografia obstétrica, transvaginal e abdômen total em Unidades Básicas de Saúde do município. O serviço gratuito é feito mediante agendamento por telefone, nas seguintes UBS’s: Congós, Perpétuo Socorro e Novo Horizonte.

O aparelho de ultrassom é usado principalmente em gestantes como parte do pré-natal ou no rastreamento de males em recém-nascidos, além de servir como primeira avaliação do estado de órgãos internos, como o fígado e os rins. Nas mulheres, o ultrassom transvaginal analisa o útero, ovários e colo uterino.

Dona Angélica Silva, mãe de primeira viagem, aos 22 anos, precisou do serviço e foi atendida na UBS do Perpétuo Socorro. Para ela, o serviço ocorreu em um momento muito especial. “Eu já estou fazendo meu acompanhamento pela unidade e fiquei feliz em saber que o Município possui esse serviço. Só tenho elogios à equipe. Hoje, descobri o sexo do bebê, é menino. Fiquei muito emocionada e feliz por esse momento”, disse.

De acordo com a subsecretária de Assistência à Saúde de Macapá, Tânia Vilhena, os aparelhos usados nas UBS’s são essenciais para as gestantes, especialmente nos meses iniciais da gravidez. “A partir dessa avaliação médica por meio da ultrassonografia, pode ser identificada má formação do feto durante a gestação, possibilitando a investigação da presença de líquidos, alterações na estrutura, altura e composição de órgãos e tecidos”, explicou.

O agendamento do serviço de ultrassonografia ocorre exclusivamente por telefone, mediante encaminhamento médico, pelos números: 98802 1185 – UBS Congós; 98813 3482 / 98813 3485 – UBS Novo Horizonte; 98801 7401 – UBS Perpétuo Socorro.

Secretaria de Comunicação de Macapá
Cássia Lima
Assessora de comunicação

Recursos de acessibilidade são obrigatórios em propaganda eleitoral na TV, alerta MP Eleitoral

Órgãos partidários estaduais e municipais do Amapá foram alertados pelo Ministério Público Eleitoral (MP Eleitoral) a observar a obrigatoriedade da utilização simultânea de legendas, janela com intérprete de Língua Brasileira de Sinais (Libras) e audiodescrição em propagandas eleitorais na TV. Os recursos são necessários para permitir a inclusão de pessoas com deficiência ao processo eleitoral, de forma que possam exercer seu direito à liberdade de expressão e opinião. A recomendação foi enviada aos representantes dos partidos políticos, na última semana.

O documento tem base em dispositivos legais que preveem o uso de ferramentas acessíveis à comunicação de pessoas com deficiência. Um deles é a Lei Brasileira de Inclusão (LBI), que regula o direito delas à participação na vida pública e política e o direito de votar e ser votada. O art. 67 da LBI estabelece que recursos de subtitulação por meio de legenda oculta, janela com intérprete de Libras e audiodescrição devem ser utilizados em pronunciamentos oficiais, propaganda eleitoral obrigatória e debates transmitidos pelas emissoras de televisão. A previsão também consta da Resolução TSE Nº 23.610/2019.

O MP Eleitoral frisa que a obrigatoriedade legal deve ser observada nas propagandas eleitorais na televisão, tanto na exibição em rede quanto nas inserções de 30 a 60 segundos. A utilização dos recursos deve ser simultânea e cumulativa. O órgão adverte que o descumprimento da recomendação poderá resultar na adoção de medidas judiciais e extrajudiciais.

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal no Amapá
(96) 3213 7895 | (96) 98409-8076
[email protected]

Das maiores árvores aos recifes de corais: as características únicas da Amazônia no Amapá (hoje é o Dia da Amazônia)

Angelim Vermelho: maior árvore da Amazônia localizada na fronteira do Amapá e do Pará — Foto: Rafael Aleixo/Setec

Carregando há vários anos o título simbólico de “estado mais preservado do país”, o Amapá, mesmo ocupando apenas 3% do território da Amazônia, carrega elementos únicos, sejam influenciados pela foz do Rio Amazonas, a Linha do Equador ou pela proximidade com o Platô das Guianas.

A quantidade de espécies e elementos da natureza ainda são catalogados pela ciência, mas algumas chamaram a atenção do mundo inteiro, como o fenômeno da pororoca, com o encontro entre o Rio Araguari e oceano atlântico, causando uma onda que dura horas.

Pororoca na costa do Amapá — Foto: Adson Lins/Arquivo Pessoal

Ameaçado em 2015 pelo assoreamento na foz o rio, o fenômeno deixou de existir, mas foi mapeado em outras regiões do estado, reacendendo a esperança do potencial turístico.

Além da maior onda, o Amapá também é acesso para as maiores árvores da região, com mais de 90 metros e que ficam localizadas no sul do estado, na divisa com o Pará.

Em 2019, uma expedição começou a mapear um exemplar de Diniza excelsa, mais conhecida como Angelim Vermelho. A imponente tem 88 metros e está dentro uma reserva de conservação de uso sustentável.

A árvore mais alta da Amazônia brasileira é da espécie Angelim Vermelho e está localizada na Floresta Estadual do Parú, no Pará — Foto: Tobias Jackson/Divulgação

A importância de preservar esta e outras espécies de plantas faz o Amapá abrigar o maior parque nacional do país: o Montanhas do Tumucumaque. Com mais de 4 milhões de hectares, a área equivale a 25% do território do estado.

Mais recentemente, recifes de corais foram descobertos na costa do Amapá em meio ao anúncio de exploração de petróleo na região. Os “corais da Amazônia”, de acordo com a ONG internacional, são formações únicas e diretamente ameaçadas com a atividade.

Corais da Amazônia descobertos em expedição na costa do estado — Foto: Greenpeace/Divulgação

O principal inimigo da preservação da Amazônia é o próprio homem em diversas ações. Seja com as queimadas para produção agrícola, desmatamento, biopirataria, invasão de terras públicas e poluição dos rios e do solo.

Além dos agentes públicos, diversas organizações atuam na preservação e na manutenção dos recursos da região, tornando-se verdadeiros “Guardiões da Amazônia”.

“Acreditamos que o grande problema é a permanência de um plano colonialista para o desenvolvimento da Amazônia, sempre vindo de fora para dentro e valorizando apenas a geração de commodities. Ao invés disso, deve haver a valorização da floresta em pé! Para que o real valor seja valorizado, porque dessa forma é possível proteger as pessoas e a natureza. O desenvolvimento sustentável não é uma utopia, é uma alternativa possível e urgente”, comentou Adriane Formigosa, diretora-presidente do Instituto Mapinguari.

Ação de limpeza do Instituto Mapinguari em reserva às margens do Rio Amazonas — Foto: Instituto Mapinguari/Divulgação

Fundado em 2005 por um grupo de acadêmicos voluntários, o Mapinguari trabalha principalmente com apoio a gestão das Unidades de Conservação (UCs) do estado.

Além dos recursos, entidades estão ligadas diretamente com lidar do povo amazônico, em especial os indígenas, povos tradicionais e ribeirinhos, entre eles, Instituto de Pesquisa e Formação Indígena (Iepé), fundado há 18 anos e que tem quase 40 membros.

Cachoeira de Santo Antônio, em Laranjal do Jari — Foto: Reprodução/Rede Amazônica

“Desde a criação, o Iepé tem procurado elaborar projetos que permitam uma ampliação dos trabalhos junto às comunidades indígenas da região, consolidando ações em andamento e estabelecendo novas modalidades de atuação”, destacou Renata Ferreira, assessora do Programa de Articulação Regional do Iepé.

Fonte: G1 Amapá

UBS Pedro Barros e Rubim Aronovitch ofertam atendimento de urgência e emergência em Macapá

O município de Macapá conta atualmente com duas unidades na capital para atendimentos de urgência e emergência 24 horas. A unidade Pedro Barros funciona no distrito de Fazendinha e a Rubim Aronovitch no prédio da UBS do Perpétuo Socorro.

Nas unidades são feitos atendimentos em casos de dores agudas, febres, pequenos cortes, drenagem de abscessos, curativos, crises hipertensivas e respiratórias. Somente em casos em que há a necessidade, o paciente é encaminhado para a unidade hospitalar de referência.

“Em casos de hemorragias, afogamento, envenenamento, acidentes e dores que podem necessitar de intervenção cirúrgica, o atendimento deve ser realizado em uma unidade estadual”, explica a subsecretária de Assistência à Saúde de Macapá, Tânia Vilhena.

A UBS Pedro Barros funciona na Passagem Dona Márcia, nº 445, Fazendinha. Já a UBS Rubim Aronovitch na Rua Rio Xingu, nº 278, Perpétuo Socorro.

Secretaria de Comunicação de Macapá
Cássia Lima
Assessora de comunicação
Fotos: Gabriel Flores

Senac retoma atividades presenciais e lança programação de cursos

O Senac Amapá retoma suas atividades administrativas presenciais, em conformidade com o Decreto nº 3.030/2020-PMM, respeitando todos protocolos de higiene e segurança. Totens com álcool em gel, aparelhos para aferir a temperatura corporal e utilização obrigatória de máscaras são algumas das medidas tomadas.

O retorno é marcado pelo lançamento da nova programação de cursos presenciais e online de ensino a distância.

No total, 14 novos cursos são ofertados para o período de setembro a outubro, divididos em 6 segmentos: Beleza, Comércio, Gastronomia, Gestão, Saúde e Informática.

Para realizar a inscrição é necessário matricular-se diretamente no Centro do Senac Macapá, localizado na Av. Henrique Galucio, nº 1999, bairro Santa Rita ou na unidade Fecomércio Anexo, na Av. Raimundo Álvares da Costa, nº 552, bairro Centro.

O retorno às atividades sinaliza “um novo ciclo, novas oportunidades, mas a vontade de fazer a diferença na vida das pessoas continua sendo a nossa missão”, diz o presidente do Sistema Fecomércio AP, Eliezir Viterbino.

O catálogo dos cursos ofertados está disponível para consulta no endereço eletrônico: http://www.ap.senac.br/pdf/PROGRAMACAO/2020/Programacao-2020-setembro-a-outubro.pdf

Investimento

Os valores de investimento nas capacitações variam de R$ 50 a R$ 350, na possibilidade de parcelamento ou pagamento à vista.

Horário de atendimento

O atendimento ao cliente do Senac Ap acontece de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 18h.
O atendimento no Setor Administrativo da instituição ocorre de segunda a sexta, das 8h às 12h e das 14h às 18h.

Serviço:

Senac Amapá
Endereço: Av. Henrique Galúcio, nº1999, Santa Rita – Macapá/AP
Site: www.ap.senac.br

Andréa Maciel
Assessora de Comunicação e Marketing do Senac Amapá
Contato: (96) 99207 7636 / (96) 991629993

50 mil famílias serão beneficiadas com Auxílio Alimentação da Prefeitura de Macapá

A Prefeitura de Macapá autorizou na manhã desta terça-feira, 1º de setembro, a assinatura do Decreto Municipal nº 3.038/2020, que dispõe sobre a concessão do benefício eventual de Auxílio Alimentação por meio de cartão magnético às famílias com dependentes matriculados em qualquer unidade de ensino pertencente à rede municipal de educação, aos taxistas, mototaxistas e auxiliares cadastrados na prefeitura, usuários dos serviços socioassistenciais municipais, além de empreendedores individuais que tiveram suas atividades econômicas principais suspensas em decorrência da pandemia causada pelo novo Coronavírus (Covid-19) na capital, sendo que precisam atender os requisitos da Política Municipal de Assistência Social.

Os beneficiados receberão os valores de duas parcelas de R$ 150,00 (cento e cinquenta reais), exceto para as famílias com dependentes matriculados na rede municipal de educação. Estes terão três parcelas de R$ 100,00 (cem reais). O Auxílio Alimentação é uma modalidade de provisão de proteção social básica, de caráter suplementar e temporário, que integra organicamente as garantias do Sistema Único de Assistência Social (Suas), com fundamentação nos princípios de cidadania e dos direitos sociais e humanos.

Quem receberá:

A destinação do Auxílio Alimentação será para indivíduos e/ou famílias com dependentes matriculados em qualquer unidade de ensino pertencente à rede municipal de educação, sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Educação (Semed); indivíduos e/ou famílias que estejam com cadastros ativos nas funções de taxistas e mototaxistas, auxiliares de taxistas ou auxiliares de mototaxistas junto à Companhia de Trânsito e Transportes de Macapá.

Serão beneficiados ainda empreendedores individuais que tiveram suas atividades econômicas principais suspensas e que estejam devidamente cadastrados junto à Secretaria Municipal do Trabalho, Desenvolvimento Econômico e Inovação. Quanto às categorias de empreendimentos, elas são classificadas pelo ramo de alimentação (churreiro/crepeiro, batateiro, água de coco, sorveteiro, sucos e frutas, bombons, comidas típicas, doces e salgados, espetaria, pipoqueiro e lanchonete), serviços (conserto de relógio, conserto de panelas, conserto de eletroeletrônicos, vendedor de acessórios e sapateiro), entretenimento (brinquedos, cama elástica, baloeiro e DJ), beleza (bijuterias, maquiador, cosméticos, manicure) e outros (ervas medicinais, artesão, feirante, bebidas).

Os usuários dos serviços socioassistenciais cadastrados junto aos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) do município de Macapá compõem o grupo de indivíduos que podem ser beneficiados com o Auxílio Alimentação. Aos indivíduos e/ou família que estejam com cadastros ativos nas funções de taxistas ou mototaxistas, auxiliares de taxistas ou auxiliares de mototaxistas junto à Companhia de Trânsito, os usuários dos serviços socioassistenciais cadastrados junto aos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e empreendedores individuais receberão o benefício em duas parcelas, no valor mensal de R$ 150,00, somando R$ 300,00 por beneficiário.

Excepcionalmente os indivíduos e/ou famílias com dependentes matriculados em qualquer unidade de ensino pertencente à rede municipal de educação de responsabilidade da Secretaria de Educação receberão três parcelas, no valor mensal de R$ 100,00, somando R$ 300,00 por beneficiário.

Como será o benefício:

O Auxílio Alimentação será concedido em forma de crédito em cartão magnético e distribuído aos beneficiários pela Secretaria Municipal de Assistência Social. O uso do cartão magnético é pessoal e intransferível, devendo ser utilizado sempre acompanhado de documento oficial com foto. A emissão da 1º via é gratuita. Contudo, em caso de perda, roubo ou extravio, será cobrada taxa pela empresa administradora dos cartões para emissão de 2ª via. A lista com a relação dos estabelecimentos (supermercados, mercantis, miniboxes e congêneres) credenciados pela empresa administradora dos cartões para utilização do cartão magnético será amplamente divulgada.

A inclusão dos indivíduos e/ou famílias se dará por meio de sistema de cadastro realizado pela Secretaria Municipal de Educação, que deverá incluir os indivíduos e/ou famílias com dependentes matriculados em unidade de ensino municipal; pelo sistema de cadastro da Companhia de Trânsito e Transportes de Macapá, que deverá incluir os indivíduos e/ou famílias taxistas ou mototaxistas, inclusive, os seus auxiliares; pelo sistema de cadastro da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, que deverá incluir os empreendedores individuais; e pela Secretaria Municipal de Assistência Social, por meio dos Centros de Referência de Assistência Social, que deverá incluir os usuários dos serviços socioassistenciais.

Requisitos:

Para garantir o direito ao Auxílio Alimentação, indivíduos e/ou famílias deverão cumprir as condições previstas na Política Municipal de Assistência Social e demais políticas de garantia de direitos, com vistas à aquisição de autonomia de renda e desenvolvimento de novas potencialidades. Portanto, devem preencher os seguintes requisitos: estar inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico); ter renda individual de meio salário mínimo ou renda familiar bruta de até 3 salários mínimos; e ter idade mínima de 18 anos.

É vedada a seleção de indivíduos e/ou famílias que recebam qualquer outro benefício de caráter social, exceto o Programa Bolsa Família e o Auxílio Emergencial do Governo Federal. Quanto os indivíduos e/ou famílias beneficiados que não possuírem Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), será realizado o cadastramento, podendo solicitar pela Central de Atendimento – Coronavírus (0800 031 9606).

Recursos:

“O programa social de Auxílio Alimentação está sendo lançado hoje e será benefício implementado ao longo dos próximos meses. Esse é um recurso federal, de emenda parlamentar. Nós compusemos o programa, transformando-o em Auxílio Alimentação. Portanto, o cartão será entregue aos beneficiários, que só poderão utilizar para compra de alimentos. A pessoa receberá o cartão magnético com o montante de R$ 150,00 e poderá se dirigir aos estabelecimentos credenciados para fazer a aquisição de alimentos. Além de garantir o alimento para as famílias, o recurso circulará no município de Macapá, movimentando a economia local”, explicou o prefeito de Macapá, Clécio Luís.

Entrega do cartão:

Após o período de inserção no sistema de cadastro dos indivíduos e/ou famílias e avaliação do preenchimento dos requisitos dispostos no Decreto nº 3.038/2020, a Secretaria Municipal de Assistência Social divulgará as listas contendo os nomes dos beneficiários, datas e locais para retirada dos cartões magnéticos.

Secretaria de Comunicação de Macapá
Sávio Almeida
Assessor de comunicação

Prefeitura de Macapá abre inscrições para oficinas e minicursos gratuitos ofertados durante Semana da Amazônia

O Bioparque da Amazônia abriu nesta segunda-feira, 31, o período de inscrições para as oficinas e minicursos gratuitos que serão ministrados durante a Semana da Amazônia. O prazo vai até o encerramento das vagas ofertadas por cada uma das atividades. As inscrições podem ser feitas por meio do telefone 98801-9938.

Sexta-feira, 4, serão ministradas as oficinas “A importância das plantas medicinais para a saúde” e “Cosméticos naturais para uso pessoal. Cada uma delas está ofertando 50 vagas. As oficinas são abertas a participação da comunidade em geral e têm carga horária de 2 horas. A primeira das 9h às 11h e a segunda das 15h às 17h.

A oficina “A importância das plantas medicinais para a saúde” será ministrada pelo renomado agricultor Domingos Gomes da Silva, que possui vasta experiência com o cultivo e uso dessas plantas com aplicação de diferentes técnicas para o preparo de chás – infusão, decocção e maceração a frio. A proposta é passar orientações sobre o uso correto de plantas medicinais e fitoterápicos, bem como a correta preparação e uso seguro dos remédios caseiros.

Já a oficina “Cosméticos naturais para uso pessoal” será ministrada por Fabrícia Monteiro da Silva, que abordará diferentes alternativas para a higiene e manutenção da pele e do cabelo, usando matérias-primas da natureza. Serão apresentadas fórmulas naturais com propriedades terapêuticas que irão auxiliar no bem-estar corporal.

Sábado, 5, e domingo, 6, ainda serão ofertadas as oficinas Reciclart – Reutilização de papel e pneu. Cada uma ofertando 25 vagas. O minicurso Identificação de Serpentes Peçonhentas e Não Peçonhentas também acontecerá sábado com 25 vagas disponíveis. No feriado de 7 de setembro ocorrerá a Oficina Pinte o 7, em alusão à Independência do Brasil. Todos os participantes terão direito a certificado.

Secretaria de Comunicação de Macapá
Volnei Oliveira
Assessor de comunicação

Casa do Artesão volta a atender somente delivery e expresso

Em virtude da testagem positiva para covid-19 de servidores terceirizados da Casa do Artesão, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Trabalho e Empreendedorismo (Sete), decidiu suspender, temporariamente, o atendimento e as vendas presenciais desde a última quarta-feira, 26.

O prédio da Casa do Artesão receberá serviço de sanitização na área interna para prevenção do contágio do vírus.

A comercialização de peças artesanais voltou a ser realizada no delivery e atendimento expresso pelo número 99179-2430 (WhatsApp).

A Casa do Artesão estava desde março, com o início da pandemia do novo coronavírus, sem receber visitação do público. Foi reaberta no dia 17 de agosto seguindo todos os protocolos de segurança sanitária e distanciamento social conforme decreto do Estado e Prefeitura de Macapá. Foram instalados dispensadores de álcool em gel, medidor de temperatura, uso obrigatório de máscara e limitação de pessoas no ambiente.

João Clésio
Assessoria de comunicação

O que é fascismo e outros ensaios – Via @giandanton

George Orwell é mais conhecido por seus livros de ficção, em especial A revolução dos bichos e 1984. Entretanto, ele era um grande ensaísta. Seus textos límpidos, com argumentação clara e rigorosa influenciaram muita gente, inclusive o maior articulista brasileiro, Paulo Francis. Durante muito tempo esses textos permaneceram inéditos no Brasil, mas agora estão sendo publicados pela Companhia das Letras. Entres eles se destaca O que é fascismo e outros ensaios, de grande relevância nos tempos atuais.

Um dos destaques do volume é o prefácio de Sérgio Augusto, organizador do volume. É leitura obrigatória para os que conhecem pouco de Orwell.

Muita gente que leu apenas seus livros mais famosos acha que Orwell era um aristocrata inglês que escrevia seus livros enquanto um mordomo lhe servia chá e, nos intervalos, conversava com empresários estratégias sobre como manter as engrenagens do capitalismo funcionando.

Nada mais falso. Orwell escreveu a maior parte de seus textos em um jornal socialista, o Tribune e foi inclusive mendigo (experiência que ele relata no livro Na pior em Paris e Londres). Seu objetivo era fazer do texto político uma arte. Era um pertinaz defensor das causas perdidas, como a defesa da liberdade de expressão, definida por ele como “O direito de dizer às pessoas aquilo que elas não queriam ouvir” e, por tabela, contra o totalitarismo de qualquer matriz. Assim, em seu livro restam críticas severas tanto à esquerda quanto à direita.

Se tivesse vivido um pouco mais, Orwell teria visto os direitos do seu livro A revolução dos bichos ser comprado secretamente por um agente da CIA. Transformaram a poderosa alegoria política de Orwell em uma peça de propaganda anticomunista e chegaram ao ponto de introduzir-lhe um happy end. O desenho animado rodou o mundo com recursos patrocinados pelo Departamento de Estado americano. Enquanto isso, Orwell deveria estar se revirando na cova.

O artigo que dá título ao volume é um dos mais interessantes do livro. Orwell não explica o que é fascismo: ao contrário, mostra como essa palavra foi perdendo significado ao ser usada como ofensa a ponto de tudo e todos poderem ser classificados de fascistas (ele mesmo já foi chamado de fascista). Algo, aliás, que ocorre ainda nos dias atuais. Da mesma forma, outras palavras de uso político, como comunista ou esquerdista perderam seus significados ao serem usados como palavrões. Quando se vê alguém chamando o Estadão de esquerdista, percebe-se que a palavra perdeu completamente qualquer significação.

Uma das maiores críticas de Orwell é ao chamado “realismo político”, um ponto de vista utilitário. Assim, por exemplo, a direita liberal inglesa fechou completamente os olhos para a ascensão de Hitler e para a guerra iminente em decorrência da incapacidade da classe endinheirada inglesa de acreditar que havia qualquer “coisa de errado em campos de concentração, guetos, massacres (…)”. Por outro lado, a esquerda, em nome desse realismo, fez alianças as mais duvidosas possíveis. Um capítulo que exemplifica bem esse ponto de vista é a resenha de um livro sobre Mussolini. Ele é capturado pelos aliados e levado a julgamento. Mas pede testemunhas e segue-se toda a classe de elogios de políticos ingleses a ele antes do início a guerra.

Embora esteja falando da Europa, Orwell parece estar escrevendo sobre o Brasil quando declara: “Se há uma saída para a pocilga moral em que estamos vivendo, o primeiro passo nessa direção é provavelmente perceber que o realismo não compensa”.

De todo o volume o texto mais interessante e reflexivo é “Socialistas podem ser felizes?”. Nele, Orwell reflete sobre a questão das utopias. Uma das suas análises diz respeito ao livro As viagens de Gulliver, de Jonathan Swift, que ele admirava muito e serviu de base para A revolução dos bichos (ambos são alegorias políticas). Orwell argumenta que os primeiros capítulos são primorosos: “Cada uma de suas palavras é relevante hoje em dia; há trechos que contém profecias bem detalhadas dos horrores políticos de nosso tempo”. Swift, no entanto, fracassa ao tentar descrever uma raça de seres que ele realmente admira.

Dessa forma, tanto o céu quanto a utopia são fiascos, locais impossíveis de se descrever sem parecer enfadonho, chato – ao contrário do inferno, que sempre mereceu vívidas descrições de grande sucesso. A felicidade, argumenta Orwell, só funciona em contraste com a infelicidade. Quando ela se torna eterna, deixa de funcionar. Qualquer um que já tenha assistido um episódio da série clássica Jornada nas Estrelas sabe que essa discussão permeia boa parte dos episódios – o que mostra o quanto a discussão de Orwell ainda era atual na década de 1960 e continua atual hoje. Não por acaso, o autor ficou famoso não por uma utopia, mas por uma distopia, 1984.

Fonte: Ideias Jeca-Tatu.

Ifap lança 27 cursos de extensão on-line

O Instituto Federal do Amapá (Ifap) está lançando uma nova oferta de cursos elaborados por professores e técnicos da instituição. São 100% on-line massivos ou, simplesmente, MooC (Massive Open Online Courses). Trata-se de cursos de extensão em diferentes áreas de conhecimento voltadas à qualificação profissional, com carga horária de 20, 40 ou 60 horas. As inscrições são gratuitas e abertas ao público, a partir de 14 anos de idade. Não há limite de vagas ou processo seletivo e, ao final do curso, o aluno poderá emitir um certificado digital. Para conhecer e/ou se inscrever, acesse o endereço https://mooc.ifap.edu.br.

“A plataforma é leve e responsiva, os cursos podem ser acessados a partir de dispositivos móveis como tablets e smartphones, além de computadores. Por se tratar de um software livre que pode ser instalado por qualquer instituição de ensino ou organização interessada em ter sua própria plataforma MooC, nós, do Ifap, escolhemos a plataforma da TimTec, que é livre e oferece cursos adicionais”, explica o coordenador da Educação a Distância do Ifap, José Carlos Carvalho, destacando que, assim, o Ifap está potencializando as ações de EaD através da oferta de cursos de extensão.

Para participar, o aluno precisa somente se cadastrar na plataforma, selecionar e se inscrever em um ou mais de um curso. Após 80% de conclusão, poderá emitir o certificado digital. Para fins de autenticação, o certificado vem com código de validação. Durante o curso, o aluno deve assistir às aulas, fracionadas em pequenos capítulos gravados, acessar materiais complementares e fazer anotações em um caderno virtual. Não há tutoria, mas gestores e professores podem acompanhar o avanço dos alunos, gerenciar turmas e fóruns de discussão.

“Estes primeiros cursos ficarão disponíveis até dezembro deste ano. São cursos 100% a distância, não haverá aulas ao vivo nem encontros presenciais. Todos os cursos já estão prontos na plataforma, com aulas gravadas, apostilas e atividades preparadas pelos proponentes do Ifap. Além disso, há os cursos ofertados diretamente pela TimTec”, detalha o coordenador.

Cursos autoinstrutivos: pandemia reforçou a necessidade

De acordo com o pró-reitor de Extensão, Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do Ifap, Romaro Silva, nesta primeira etapa, são ofertados 27 cursos, sendo 13 elaborados por professores e técnicos da instituição. “No final de 2019, surgiu a necessidade de ampliarmos a nossa oferta através de cursos autoinstrutivos e tínhamos uma capacidade de educação a distância que poderia ser otimizada e ampliada, bem como a qualificação de nossos professores e técnicos administrativos. Então pensamos em ofertar esses cursos Mooc, ainda antes da pandemia, mas agora se tornaram mais necessários”, ressaltou.

Romaro Silva informa que, no início deste ano, foi enviado e-mail aos servidores perguntando se havia interesse em ofertar os cursos nesse formato MooC. “Tivemos uma resposta muito positiva e optamos por fazer esse projeto-piloto com as pessoas que manifestaram interesse”, afirma o pró-reitor, salientando que, nessa primeira etapa, os colaboradores não são remunerados financeiramente, mas sim através da compensação da carga horária, no caso dos professores, e da certificação, no caso dos técnicos.

Para a segunda etapa, a Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Proeppi) usará os indicativos dos resultados da pesquisa do Programa Retorno Seguro para definir os cursos a serem ofertados. Também será estudada a possibilidade de pagamentos financeiros aos colaboradores, já que a oferta dos cursos impacta positivamente no orçamento anual do Ifap, pois os alunos matriculados são registrados no sistema Sistec.

Conheça os cursos Mooc

Do Ifap

Desenho para impressão 3D e corte CNC – Iniciante – 20h

Estudo do manual de Redação do Enem – 60h

Noções de Logística – 20h

Higiene e segurança do trabalho – 40h

Legislação Ambiental Brasileira: PNMA, PNRH e PNRS – 40h

Projeto de vida – 60h

Estatuto da criança e do adolescente – 20h

Recrutamento e seleção de pessoas – 40h

Introdução à Nomenclatura Botânica – 20h

Matemática Financeira – 40h

Introdução à Pesquisa Aplicada – 20h

Plano de Comunicação para Mobile Marketing – 20h

Introdução ao Projeto Experimental – 20h

Da TimTec

Introdução à criação de sites – 40h

Introdução à lógica de programação – 40h

Edição e tratamento de imagens – 40h

Introdução à programação em linguagem JAVA – 40h

7 Lições para a produção de textos – 40h

Boas práticas em desenvolvimento de software – 40h

Produção de vídeos educacionais para Web – 40h

Empreendedorismo 1: Empreender com propósito – 40h

Empreendedorismo 2: Como planejar seu negócio – 40h

Empreendedorismo 3: Como evoluir seu negócio – 40h

Publicação digital em dispositivos móveis – 40h

Arquitetura da informação e projeto de sistemas – 40h

Programação Android – 40h

MooC e novas formas de aprendizagem – 40h

Serviço:

Por Suely Leitão, jornalista da Reitoria
Departamento de Comunicaçao – Dicom
Instituto Federal do Amapá (Ifap)
E-mail: [email protected]

Limpeza Urbana: Prefeitura de Macapá reforça que população deve ficar atenta quanto aos dias e horários da coleta de lixo

A Prefeitura de Macapá reforça a importância da população seguir o calendário da coleta de lixo domiciliar na cidade. O respeito aos dias e horários do recolhimento em cada bairro é fundamental para manter a cidade limpa. Para isso, a Secretaria Municipal de Zeladoria Urbana massifica a divulgação do cronograma, detalhando, inclusive, os horários nos quais o serviço é realizado em cada área.

“Quando alguém coloca o lixo fora do horário, os cães podem remexer os sacos, deixando tudo espalhado pelas calçadas. Com isso, a cidade fica feia, suja e exalando mau cheiro. Em alguns bairros, temos dificuldades para recolher porque as pessoas jogam o lixo de qualquer maneira. Às vezes, com sacos abertos, ou impróprios, que rasgam facilmente”, disse o secretário de Zelado Urbana, Carlos Alberto Oliveira.

Outra orientação que estamos repassando aos munícipes é quanto aos cuidados com o acondicionamento correto dos resíduos. É de extrema importância para evitar graves riscos à saúde da população e também problemas como o entupimento de bueiros (geralmente no centro da capital) e, consequentemente, alagamentos.

“A disponibilização desse cronograma faz parte da nossa campanha de educação ambiental desenvolvida pela prefeitura, como forma de conscientizar a população macapaense, no sentido de manter a cidade limpa e preservar o meio ambiente, evitando descarte inadequado do lixo”, concluiu o secretário.

A coleta domiciliar é feita diariamente em Macapá. Acompanhe o cronograma:

Coleta noturna, a partir das 19h:

* Segunda a sábado: Perpétuo Socorro, Laguinho, Pacoval, Central, Santa Rita, Alvorada, Trem, Buritizal, Beirol, Santa Inês e Conjuntos habitacionais: São José, Açucena, Mucajá e Macapaba, conjuntos residenciais ao longo da Rodovia Duca Serra e Jesus de Nazaré;

* Segundas, quartas e sextas-feiras: Jardim Equatorial e Conjunto Cabralzinho;

* Terças, quintas e sábados: Coração e Loteamento Platon.

Coleta diurna, a partir das 7h:

* Segundas, quartas e sextas-feiras: Fazendinha, Chefe Clodoaldo, Alfaville, Murici, Vale Verde, Barcellos II, Mônaco, Samarino, Jardim Oliveira, Pedrinhas, Araxá, Muca, conjunto Marco Zero, Nova Esperança, Cuba de Asfalto, Novo Buritizal, Congós, Laurindo Banha, Hospital de Base, Zerão, Universidade e Cidade Nova I e II, Conjunto da Embrapa;

* Terças, quintas e sábados: Pantanal, Renascer II, Vitória do Renascer, São Lázaro, Renascer I, Jardim Felicidade I e II, Novo Horizonte, Lago da Vaca, Boné Azul, São José, Sol Nascente, Ipê, Curiaú, Infraero I e II, Ilha Mirim, Parque dos Buritis, Açaí, Palmares, Brasil Novo, Liberdade, Amazonas, Ramal do Azevedo, Res. Lagoa, Ramal do Goiabal, Marabaixo I, II e III, Res. Independência (Marabaixo IV) e Jardim América (Marabaixo).

No complexo Beira Rio, a coleta é feita cinco vezes ao dia, sendo a primeira à 1h e as demais às 7h, 12h, 15h e 18h. A coleta nas feiras e mercados da cidade ocorre de segunda a domingo.

Secretaria de Comunicação de Macapá
Mônica Silva
Assessora de comunicação

Agentes culturais terão 30 dias para realizar cadastro referente ao auxílio emergencial da Lei Aldir Blanc

Segundo secretário de Cultura, Evandro Milhomen, Amapá deve receber mais de R$ 16 milhões para aplicar em ações emergenciais no setor cultural. Foto: Maksuel Martins/Secom

Por Weverton Façanha

O Governo do Amapá iniciou, no último dia 17 de agosto, o cadastro cultural de artistas, grupos, bandas, coletivos culturais, profissionais de arte e cultura e trabalhadores da cultura em geral com direito a receber o auxílio previsto na Lei Aldir Blanc, criada para atender o setor cultural durante a pandemia de covid-19.

No Amapá o cadastro será coordenado pela Secretaria de Cultura do Estado do Amapá (Secult), sendo gratuito e devendo ser feito pelo formulário eletrônico no site cadastrocultural.ap.gov.br, criado especificamente para a inscrição dos artistas e estará disponível no período de 17 de agosto a 17 de setembro.

O gestor da Secult, Evandro Milhomen, destacou a importância do programa para os trabalhadores da cultura no Amapá. “Durante 30 dias estaremos cadastrando os nossos fazedores de cultura para que eles possam acessar o auxílio que terá uma duração de três meses”, informou.

O Amapá deve receber mais de R$ 16 milhões para aplicar em ações emergenciais no setor cultural, destes 80% será para o auxílio emergencial cultural e outros 20% serão destinados a editais e premiações envolvendo a trabalhos culturais.

Podem se cadastrar exclusivamente residentes ou sediados em um dos 16 municípios do estado, que desenvolvam suas atividades nos segmentos de arte e cultura. No formulário devem ser incluídos dados pessoais, contato e informações sobre as atividades artísticas e culturais.

Lei Aldir Blanc

A Lei nº 14.017 de 2020, chamada Lei Aldir Blanc, define ações emergenciais destinadas ao setor da cultura que serão adotadas durante o estado de calamidade pública, devido à pandemia de covid-19.

Dentre as ações, está previsto o pagamento de três parcelas de auxílio emergencial de R$ 600,00 mensais para os trabalhadores do setor cultural, além de um subsídio para manutenção de espaços artísticos e culturais, pequenas empresas culturais e organizações comunitárias do setor.

Quem pode receber o auxílio?

Profissionais da cultura com atividade interrompida pela pandemia que comprovem:

– Atuação nas áreas artísticas nos 24 (vinte e quatro) meses anteriores à data da publicação da lei (forma documental ou auto declaratória).

– Ter renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo ou renda familiar mensal de até 3 salários mínimos.

– Estar inscrito em pelo menos um dos cadastros seguintes:

I – Cadastros Estaduais de Cultura;

II – Cadastros Municipais de Cultura;

III – Cadastro Distrital de Cultura;

IV – Cadastro Nacional de Pontos e Pontões de Cultura;